Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5145 | 30 de Agosto de 2021

VISITA: Sistema Ocepar recebe cooperativas de Pernambuco e Alagoas

Nove dirigentes de cooperativas de Pernambuco e Alagoas foram recebidos, na manhã desta segunda-feira (30/08), pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e pelo superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, em Curitiba. A visita faz parte do Programa de Alinhamento Estratégico das Cooperativas Agropecuárias, do Sistema OCB/PE, que conta com representantes das cooperativas sucroalcooleiras da região Nordeste: Coaf, Coafsul, Coopervales, Pindorama e Agrocan; além de cooperativas exportadoras de uvas de mesa, Coopexvale e Valexfruit.

Intercooperação - A comitiva é liderada pelo gerente de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PE, Adriano Trentin Fassini. Ele ressalta que a visita, além de promover a troca de informações sobre o funcionamento do Sistema Ocepar e de algumas cooperativas que serão visitadas nesta semana, tem como foco desenvolver nas cooperativas pernambucanas a intercooperação. “A ideia é estimular e fortalecer a atuação delas no mercado. Para tanto, as cooperativas estão recebendo consultoria para estruturação de um plano de negócios, com o propósito de avaliar a viabilidade econômica, técnica e social da constituição de uma cooperativa central ou federação dessas cooperativas”, lembrou.

Origem - Trentin explica que as cooperativas sucroalcooleiras de Pernambuco e da região nordeste, em sua grande maioria, nasceram a partir da necessidade de resgatar a atividade canavieira, com os produtores de cana sendo protagonistas no papel de negociar a locação das estruturas desativadas com os donos de usinas, assim como investir recursos na modernização

das mesmas. “A partir dessa iniciativa, os produtores estão conseguindo melhores preços pela produção e voltaram a ter segurança para investir na atividade e buscar maiores volumes de produtividade. Na busca por melhores resultados, as cooperativas sentiram a necessidade de dar mais um passo na economia de escala e conquistar uma maior fatia de mercado, buscando ampliar a produção e diminuir custos, avançando na cadeia produtiva e agregando valor para garantir renda e crescimento econômico aos cooperados e familiares. A ideia é investir em iniciativas de inteligência comercial para aquisição de insumos e comercialização de etanol e açúcar produzidos pelas mesmas, assim como aprimorar logística e processo de gestão das indústrias e lojas agropecuárias”, destaca o gerente.

Paraná - Ao dar boas-vindas aos dirigentes, Ricken disse que ser uma satisfação receber os dirigentes no Sistema Ocepar. “Estamos aqui para auxiliá-los com todas as informações necessárias para que possam conhecer como funciona nosso sistema cooperativista em quais áreas atuamos. E podem ter certeza de que estão no caminho certo em fazer esta imersão para conhecer outras realidades. Com certeza poderão levar do Paraná alguns exemplos de intercooperação que podem ser adaptados conforme a realidade de vocês. Para fazer um bom planejamento é preciso definir estratégicas e metas para que seja possível alcançar seus objetivos e o primeiro passo vocês já deram ao se reunir”, frisou.

Apresentações - Boesche fez uma apresentação sobre o cooperativismo paranaense, com destaque para o Plano Paraná Cooperativo PRC100, desenvolvido de 2015 a 2020, e sobre a nova etapa de planejamento, o PRC200, em fase de formatação em conjunto com as cooperativas. Na sequência, o diretor executivo da Coonagro, Mario Sergio do Prado, fez uma apresentação sobre o funcionamento da central, que reúne nove cooperativas singulares na área de fertilizantes. Encerrando a visita, o analista técnico da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo, Jessé Rodrigues, falou sobre as boas práticas de intercooperação no cooperativismo paranaense.

{vsig}2021/noticias/08/30/visita/{/vsig}

GETEC: Informe nº 41 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 30 08 2021A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (30/08), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2021, 2022 e 2023. A Getec também publicou o Informe Mensal com o histórico das projeções do BC de agosto.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

Clique aqui para conferir o Informe Mensal, com o histórico das projeções de agosto

 

COOPERATIVISMO: Sancionada lei que permite uso de livros digitais por coops

cooperativismo 30 08 2021Agora é lei: as cooperativas estão autorizadas a usarem livros e fichas digitais. Esse passo importante na simplificação dos processos de escrituração, e na adequação do setor à realidade digital, veio com a sanção da Lei nº 14.195/21 pelo presidente Jair Bolsonaro. A lei é originária da Medida Provisória 1.040/21, que trata da modernização do ambiente de negócios, inclusive das sociedades cooperativas. E valer ressaltar, o Sistema OCB atuou fortemente na discussão da pauta, destacando as particularidades do cooperativismo, e para isso contou com o apoio direto do deputado Evair de Melo (ES) e da senadora Soraya Thronicke (MS), que são integrantes da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop).  

Obrigatórios - De acordo com a Lei 5.764/1971, as cooperativas devem contar com os livros para registro de matrícula, atas das assembleias e registro de presença dos associados, atas dos Órgãos de Administração e do Conselho Fiscal, entre outras ações, como registros fiscais e contábeis, que são obrigatórios.

Normas societárias - Outro ponto importante. Foram vetados os dispositivos que extinguiam as sociedades simples e, consequentemente, o texto que equiparava as cooperativas a todas as sociedades empresariais. Com isso, ficam preservadas todas as normas societárias atuais do modelo cooperativista, inclusive as regras de direito tributário aplicáveis às cooperativas. Da mesma forma, são mantidas as normas previstas em legislações específicas do cooperativismo, as quais já eram preservadas pelo projeto a partir de sugestão feita diretamente pelo Sistema OCB com o objetivo de preservar as especificidades do modelo de negócios cooperativo.

Outros pontos de modernização - Com a sanção, as cooperativas também ficam autorizadas a emitir Nota Comercial, título de crédito extrajudicial, de livre negociação – neste caso emitido exclusivamente sob a forma escritural. E isso, elas podem fazer por meio de instituições autorizadas a prestar o serviço de escrituração pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Mais - E tem mais: a lei traz novas facilidades para abertura e registro de novos negócios e facilita a liberação de licenciamentos em empreendimentos de baixo risco.

Unidades - Para unidades do Sistema OCB – outro ponto a ser destacado diz respeito à permissão para realização de Assembleia Geral Ordinária (AGO) remota também para associações, contribuindo para a segurança jurídica também nesse ponto.

Texto completo - Você pode conferir o texto completo aqui. (OCB)

FOTO: Andreas Lischka / Pixabay

 

CAPACITACOOP: Sistema OCB lança curso de ODS e coops de crédito

capacitacoop 30 08 2021Você sabia que o cooperativismo e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela ONU, têm tudo a ver? Pois é. E um bom termômetro desse intercâmbio são as ações do Dia de Cooperar (Dia C), que contemplam, pelo menos, um dos 17 ODS. E o Ramo Crédito é um dos destaques.

Iniciativas - Para se ter uma ideia, até agora, cerca de 82% de todas as iniciativas do Dia C são realizadas por cooperativas de crédito. E esse percentual é ainda maior, quando falamos das ações de combate à pandemia: 80,6%.

Curso - E como as cooperativas são aliadas naturais da ONU no combate à pobreza extrema em todo o mundo, aqui no Brasil, o Sistema OCB acaba de lançar o curso Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e Cooperativismo de Crédito, uma parceria entre o Sescoop e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que busca auxiliar as coops brasileiras a desenvolverem projetos de responsabilidade social e a se posicionarem como parceiros estratégicos ao longo do processo de implementação da Agenda 2030 no Brasil, fortalecendo as iniciativas globais.

Gratuito - O curso EAD é gratuito e está disponível na maior plataforma de desenvolvimento profissional do cooperativismo brasileiro: a Capacitacoop. Entre os objetivos estão: apresentar a força do cooperativismo de crédito no Brasil e no mundo e sua participação no desenvolvimento sustentável; apresentar o campo de atuação das coops de crédito e como elas exploram as oportunidades para o seu crescimento e a implantação da Agenda 2030.

Público-alvo - Funcionários de cooperativas, cooperados, técnicos das unidades estaduais do Sescoop e demais pessoas interessadas em conhecer sobre o assunto.

Estrutura - O curso contém os seguintes módulos:

1. O que o cooperativismo de crédito tem a ver com os ODS?

2. O Sistema Financeiro

3. Ultrapassando limites: um serviço financeiro sustentável

Total: 10 horas

(OCB)

 

SUPERCAMPO: Produtos financeiros exclusivos, sem garantia atrelada, serão oferecidos aos cooperados por meio de parceria com banco digital do agronegócio

supercampo 30 08 2021O marketplace Supercampo e a fintech WTK Agro, primeiro banco digital exclusivo para o agronegócio, fecharam parceria para oferecer melhores ofertas de financiamento e empréstimo para cooperados de 12 cooperativas. Além de taxa de juros diferenciada, os cooperados podem realizar empréstimos para capital de giro sem garantia atrelada. São R$20 bilhões disponíveis para o desenvolvimento do agronegócio.

Transferência de dívida - O cooperado também poderá transferir a dívida de outro banco, aproveitando as vantagens da nova parceria. Além dos serviços financeiros, ao contratar o serviço, os cooperados cadastrados na Supercampo também terão à sua disposição uma equipe de engenheiros agrônomos para apoiar e indicar quais melhorias o cooperado poderá fazer para aumentar a produtividade.

Interesse comum - Dárcio Padilha, Head de Finanças da Supercampo, explica que a parceria reflete o interesse comum das duas instituições: de buscar e oferecer melhores opções para os cooperados e investir continuamente em soluções que atendem exclusivamente às necessidades do setor. “Parcerias como essa auxiliam no desenvolvimento do agronegócio, no círculo econômico, social e no crescimento sustentável. Acreditamos no potencial do setor e, por isso, disponibilizamos para mais de 80 mil cooperados das 12 Cooperativas sócias da Supercampo a possibilidade de empréstimo para capital de giro sem garantia atrelada. Somadas, elas faturam aproximadamente R$50 bilhões”, afirma.

Potencial - “Ao oferecer empréstimo sem garantia atrelada estamos acreditando no potencial dos cooperados e incentivando o desenvolvimento econômico do Brasil”, completa Wagner Souza, CEO da WTK Agro.

Soluções tecnológicas - Além dos produtos financeiros, a nova parceria oferece o serviço de soluções tecnológicas para a propriedade. “Os cooperados também têm à disposição consultoria para implantação de automação, de equipamentos, serviços de pecuária e agricultura de precisão, desde o planejamento inicial da amostragem do solo à geração dos mapas de aplicação de fertilizantes e corretivos”, explica Souza.

Site - Os cooperados devem acessar as suas cooperativas no site da Supercampo (www.supercampo.com) para terem acesso aos novos produtos financeiros.

Sobre a Supercampo - A Supercampo é um marketplace que reúne milhares de produtos voltados ao segmento do agronegócio. Com perfil 100% cooperativista, visa atender as principais demandas das cooperativas e de seus cooperados, gerando valor com serviços de qualidade, segurança e agilidade. Atualmente, a plataforma está disponível para mais de 80 mil cooperados e tem como sócias as Cooperativas paranaenses Agrária, Capal, Castrolanda, Coopertradição, Copacol, Frísia, Integrada e Lar, as catarinenses Cooperalfa e Copercampos, a gaúcha Cotrijal e a paulista Coplacana. Mais informações estão disponíveis no site www.supercampo.com. (Imprensa Supercampo)

FOTO: Pexesl Johannes Strötker

 

SICOOB: Sistema entra no Open Finance e dá importante passo para o "cooperativismo do futuro"

sicoob 30 08 2021Na sexta-feira (27/07), o Sicoob aderiu voluntariamente a um dos movimentos financeiros mais revolucionários dos últimos tempos: o Open Finance Brasil. Com a novidade, o ecossistema de instituições habilitadas para operar a inovação passa de aproximadamente 100 para mais de 450.

Infraestrutura de integração - O novo sistema é uma infraestrutura de integração que possibilita o compartilhamento, de forma padronizada e segura, de dados e informações cadastrais e transacionais. Isso, claro, sempre com o consentimento dos clientes - ou cooperados, no caso do Sicoob.

Consumidores - Diretor executivo de Tecnologia da Informação do Sicoob, Antônio Vilaça Júnior destaca que o Open Finance surge para dar voz aos consumidores e que, com ele, este público poderá ter em mãos ferramentas para utilizar em seu benefício. "O movimento abre portas para que vários players financeiros, entre eles as cooperativas e fintechs, possam oferecer personalização de produtos e serviços, criando novos modelos de negócio e, principalmente, fomentando a inovação e a competitividade", afirma.

Ferramentas e soluções - Diversas ferramentas e soluções estão sendo construídas para maximizar as possibilidades do Open Finance no Sicoob, segundo o diretor executivo de Operações da instituição, Marcos Vinícius Viana Borges. "Visamos facilitar a entrada de novos cooperados por meio de associação digital e, além disso, possibilitar que eles tenham a visão consolidada de informações de conta corrente, empréstimos, cartões mantidos em outras instituições, comparativo de taxas e oferta personalizada de produtos e serviços diretamente no App Sicoob, entre outras iniciativas", diz.

Cooperados - A instituição possui, hoje, mais de 5,3 milhões de cooperados e 360 cooperativas singulares, além de 16 centrais. Está presente em 1.952 municípios, com 3,5 mil pontos de atendimento em todos os estados da Federação e no Distrito Federal. Em 318 municípios, é a única instituição financeira presente e com pleno atendimento.

Especialistas respondem dúvidas - No portal www.sicoob.com.br/openfinance, o Sicoob preparou um guia sobre o assunto, com informações sobre a iniciativa e seu funcionamento, além dos benefícios para os consumidores e as principais dúvidas respondidas pelos especialistas da instituição.

Portal - Aos desenvolvedores de aplicativos que desejarem integrar suas soluções tecnológicas, e oferecer serviços do Sicoob para seus clientes, o portal developers.sicoob.com.br está disponível.

Grupos de trabalho - Além de participar do Conselho Deliberativo da estrutura inicial de governança do Open Finance, por meio da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), o Sicoob também atua nos diferentes grupos de trabalho, contribuindo na construção da mais relevante inovação do Sistema Financeiro Brasileiro dos últimos tempos.

Oportunidade - "Estamos vendo o Open Finance como uma grande oportunidade, pois possibilitará atrairmos ainda mais pessoas para usufruir dos benefícios do cooperativismo financeiro, uma vez que temos o propósito de conectar pessoas para promover a justiça financeira e prosperidade", diz Vilaça. "Quando alguém utiliza produtos e serviços do Sicoob beneficia não só a si próprio, como também sua comunidade e o avanço social do país", finaliza.

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 5,3 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, marketplace, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por 360 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3,5 mil pontos de atendimento em 1.922 cidades brasileiras. Acesse www.sicoob.com.br para mais informações. (Imprensa Sicoob)

 

SICOOB CREDICAPITAL: Crescimento de 160% em crédito rural motiva cooperativa a lançar Agência Agro em Cascavel

sicoob credicapital 30 08 2021O fortalecimento da parceria do Sicoob Credicapital com os produtores rurais de Cascavel (PR), marcado por um crescimento de 160% na liberação que crédito no último ano, motivou o lançamento da Agência Agro, que será inaugurada na cidade.

Valor - Para o presidente do Conselho de Administração, Guido Bresolin Júnior, a iniciativa demonstra o valor que o Sicoob Credicapital atribui à relação com o homem do campo. “O agricultor tem demandas que exigem o atendimento de uma equipe especialista no assunto. Na Agência Agro, ele receberá toda a consultoria necessária e terá as melhores condições financeiras para ampliar os negócios”, ressalta.

Espaço - A nova unidade terá mais de 180m² e, além de um layout que destaca elementos da natureza, foi planejada seguindo conceito “casa”, para que o cooperado sinta-se à vontade enquanto estiver nas dependências do Sicoob.

Importância - “Nós sabemos o quão importante é a agricultura para a nossa região e para o país. Por isso, estamos preparados para prestar o melhor atendimento e aproximar cada vez mais a cooperativa dos nossos cooperados, ajudando no desenvolvimento da agricultora e da nossa cidade”, destaca o gerente da Agência Agro, Mário César Pereira.

Aprova Rural - Além de uma equipe formada por gerentes que são especialistas em agronegócio, na nova agência do Sicoob Credicapital o produtor rural vai poder contar com mais agilidade e menos burocracia nos processos para liberação de crédito rural. Tudo isso graças ao Aprova Rural, uma ferramenta criada para dar mais celeridade aos projetos enviados pelos consultores das Assistências Técnicas Rurais que atuam em parceria com a cooperativa.

Processo digital - “Anteriormente os consultores das Astec realizavam o projeto e levavam o documento físico até a agência do Sicoob, cabendo ao gerente da agência realizar a importação. Agora, esse processo é realizado todo de forma digital por meio do Aprova Rural. O projeto é feito de forma on-line e a cooperativa já recebe o documento digital para analisar, o que torna o processo mais ágil”, explica a supervisora de crédito rural, Fernanda Lopes.

Lançamento - Para celebrar a abertura do novo ponto de atendimento, no dia 24 de agosto o Sicoob Credicapital promoveu um jantar para os profissionais das Astec parceiras. No dia 25, foi realizado um jantar para cooperados. O objetivo foi apresentar a nova agência e o Sistema Sicoob, assim como estreitar a relação com esse público, que é fundamental para o novo ponto de atendimento, deixando claro que a cooperativa está de portas abertas para recebê-los.

Orgulho - “Eu parabenizo o Sicoob e digo, como cidadão e vice-prefeito, que me sinto orgulhoso em ver a cooperativa trazendo um empreendimento tão importante para nossa cidade. O produtor rural merece esse presente, porque o agronegócio é a base da economia da nossa cidade”, ressalta o vice-prefeito de Cascavel, Renato Silva.

Satisfação - Já o cooperado e pecuarista, Sérgio Marrafon, comemora o novo ponto de atendimento. “Eu fiquei muito satisfeito quando soube dessa novidade. Sou cooperado há muito tempo e, como pecuarista, posso afirmar que o Sicoob foi muito feliz em sua escolha. Cascavel é exemplo para a produção agrícola no país, é uma região rica e desenvolvida e com a nova agência, cooperados e cooperativa só tendem a ganhar”.

Papel fundamental - O engenheiro agrônomo, Andrei Mori, também parabenizou o Sicoob Credicapital pela nova agência. “O agro possui um papel fundamental para a economia do país e ver que o Sicoob está investindo em estrutura e serviços voltados para esse segmento é muito importante, pois cada vez mais a agricultura tende a crescer e se desenvolver. Ter o apoio de uma cooperativa é fundamental para isso”.

Agência Agro - O endereço da Agência Agro do Sicoob Credicapital é Rua Antonina, 840, no bairro São Cristóvão. A previsão é que o espaço seja inaugurado ainda neste semestre. (Imprensa Sicoob)

 

SICREDI: Associados do Paraná podem contratar financiamentos pelo Banco do Agricultor

O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de cinco milhões de associados em todo país e forte conexão com o campo, está credenciado para realizar financiamentos por meio do Banco do Agricultor Paranaense em parceria com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE. O programa lançado pelo governo do estado tem como objetivo alavancar investimentos para a promoção da inovação tecnológica no campo, além do fomento ao desenvolvimento regional e geração de emprego e renda.

Reembolso - Pela modalidade, o governo do estado faz, por meio do Fomento Paraná, o reembolso ao produtor rural de até três pontos porcentuais dos juros contratados junto às instituições financeiras credenciadas, como o Sicredi. De acordo com a Lei nº 20165/2020, além das cooperativas, o incentivo está autorizado para produtores rurais, associações de produção, comercialização e reciclagem, agroindústria familiar, além de projetos com uso e geração de energia renovável e programas destinados à irrigação.

Primeiro - Morador da comunidade de Rio Vitória, no município paranaense de Enéas Marques, o associado da Sicredi Iguaçu PR/SC/SP Delmar Migliorini de Lima foi o primeiro a conseguir a liberação do financiamento pela instituição financeira cooperativa por meio do Banco do Agricultor Paranaense. O produtor rural trabalha com bovinocultura de leite e solicitou o crédito para a compra de vagão forrageiro, equipamento para auxiliar nas atividades com os animais. “Esse equipamento vai facilitar muito o nosso dia a dia, já que vai diminuir o tempo de trabalho e o esforço que a gente tem que fazer para tirar a silagem. Vamos poder trabalhar com mais tranquilidade e também aumentar o número de vacas”, declara Delmar.

Regras específicas - O gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi PR/SP/RJ, Gilson Farias, lembra que a modalidade tem regras específicas que devem ser levadas em consideração antes da solicitação. “O Sicredi tem uma longa parceria com o produtor rural e, em nossas agências, as equipes estão preparadas para prestar as informações mais adequadas às necessidades do associado. Trata-se de mais uma opção que as nossas cooperativas possuem visando o desenvolvimento das atividades no campo e das comunidades”, afirma Farias.

Fundamental - Para Delmar, a participação da equipe Sicredi no processo de financiamento foi fundamental. “Posso dizer que se não fosse por esse projeto, dificilmente um agricultor de médio ou pequeno porte conseguiria adquirir uma máquina de um valor alto. Faz vários anos que sou associado do Sicredi e posso dizer que ele tem um papel fundamental no desenvolvimento da agricultura e das propriedades", finaliza o produtor.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2021/noticias/08/30/sicredi/{/vsig}

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS I: Mariópolis terá primeira Corrida e Caminhada Virtual Sicredi

sicredi parque I 30 08 2021Será realizada, nos dias 11 e 12 de setembro, a primeira edição da Corrida e Caminhada Virtual Sicredi, em Mariópolis (PR). O evento é uma promoção do Município de Mariópolis, por meio do Departamento de Esportes e Lazer, com patrocínio da Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP e apoio da Bell Materiais de Construção, Fabricação Academia, Siviero Cereais e Insumos Agrícolas e Power Fitness Academia.

Inscrições - As inscrições para o evento podem ser feitas pelos telefones (46) 99111-3151; 99110-9790 e (46) 3226-1613. As equipes devem realizar suas inscrições até o dia 8 de setembro. Os interessados em participar de forma individual podem realizar a inscrição até a data da prova. O valor é R$ 5,00, cujo pagamento pode ser feito por pix, ou 1 Kg de ração para cães, recursos que serão destinados a Associação dos Amigos dos Animais de Mariópolis (AAMAR).

Percurso - A prova tem percurso de 3 Km para a caminhada e de 6 Km para a corrida. Ambos os trajetos estão determinados em Mariópolis por meio do aplicativo Strava, plataforma que também será utilizada para a aferição de resultados. Ou seja, a prova é aberta a atletas de toda a região, mas precisa ser realizada no município de Mariópolis, de forma individual.

Dois dias - Os inscritos na corrida e caminhada terão os dois dias para realizar o percurso no horário de sua preferência. A largada será realizada no portão principal do Parque Arnoldo Weiss. As ruas de ambos os percursos também serão sinalizados.

Comprovação - Os participantes que não tiverem familiaridade com a ferramenta Strava poderão comprovar a participação por meio da publicação de uma foto nas redes sociais junto ao banner do evento, que será colocado no Parque de Eventos, marcando o perfil @esportemariopolis2021, com a hashtag #primeiracorridavirtualsicredimariopolis. A organização convida todos os participantes a registrarem e publicarem suas fotos.

Diversão e saúde - “O objetivo do evento é fazer com que as pessoas se divirtam praticando saúde em movimento. A ideia da corrida virtual surgiu como forma de inovação, é uma proposta de manter o calendário de corridas, estimulando a prática dos exercícios físicos”, explica Daiana Bagattini, profissional de educação física do Departamento de Esportes e Lazer de Mariópolis.

Medalha - Serão entregues medalhas de participação a todos os inscritos que completarem os percursos, e os três primeiros colocados nas categorias masculino e feminino receberão troféus. Também serão entregues troféus as três equipes como maior número de inscritos na competição. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

 

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS II: Cooperativa recebe visita do presidente da CBFS

sicredi parque II 30 08 2021Na quinta-feira (26/08), a sede administrativa da Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP, em Pato Branco (PR), recebeu a visita do presidente da Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS), Marcos Antônio Madeira, e do presidente da Federação Paranaense de Futebol de Salão (FPFS), Jesuel Laureano Souza, entre outros representantes das entidades.

Parcerias e novos projetos - O grupo se reuniu com a diretoria da cooperativa para tratar de parcerias e novos projetos. Na ocasião também foi apresentado o troféu da Taça Brasil Sicredi de futsal feminino, competição nacional que conta com o patrocínio master do Sicredi e está sendo realizada em Pato Branco (PR).

Tradição - A cooperativa tem uma longa tradição de apoio ao futsal local, patrocinando equipes de várias cidades de sua área de atuação, como o Pato Futsal, de Pato Branco; a AAEMA, de Mariópolis; o Coronel Futsal, de Coronel Vivida; Palmas Esportes, de Palmas; e o MEC, de Mangueirinha.

Presenças - Além dos dirigentes da Confederação e Federação, estiveram no encontro em Pato Branco o presidente da Sicredi Parque, Clemente Renosto; o diretor executivo da cooperativa, Fabio Vedelago Burille; o gerente de relacionamento, Heber Molina Júnior; o superintendente da FPFS, Luiz Henrique Antonievicz e o assessoria jurídico da FPFS, Eduardo Vargas Neto. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

 

SICREDI PROGRESSO: Agência é inaugurada no Jardim Panorama, em Toledo

sicredi progresso 30 08 2021Enquanto muitas instituições financeiras vêm reduzindo o número de agências, a Sicredi Progresso PR/SP possui um robusto plano de expansão em sua área de ação. Com esse propósito, inaugurou, na sexta-feira (27/08), uma agência no Jardim Panorama, em Toledo (PR), a 20ª em sua área de atuação. O momento contou com a presença de autoridade locais, conselheiros e colaboradores.

Missão - Essa entrega à comunidade do bairro está ligada a missão do Sicredi, pois a proximidade e a presença são marcantes no Sistema que busca construir relações de confiança, a fim de proporcionar o desenvolvimento econômico e social das pessoas. Localizada na Avenida Senador Attilio Fontana n° 2844, ao lado do Supermercado Primato, a agência estará focada no atendimento dos moradores locais e de bairros próximos.

Desenvolvimento da comunidade - O presidente da cooperativa, Cirio Kunzler, diz que entregar mais uma agência em Toledo está ligada à visão do Sicredi em ser reconhecida como uma instituição financeira cooperativa comprometida com o desenvolvimento das comunidades em que está inserida. “Nossa história começou em Toledo, temos um carinho especial por esta cidade, sobretudo por cada um dos nossos associados. Com essa inauguração teremos 20 agências em nossa área de atuação. Posso dizer que estamos orgulhosos da nossa trajetória e deixando um legado inspirador”.

Atendimento ao público - A agência estará aberta para atendimento ao público a partir do dia 30 de agosto, das 10h às 15h. Com uma arquitetura moderna, o ambiente traduz os valores do cooperativismo e foi pensado para proporcionar uma experiência acolhedora e humana aos colaboradores e associados.

Convite - A gerente da agência, Kerle Berwanger, deixou o convite aos moradores para conhecerem o espaço e fazerem parte desse movimento que há séculos desenvolve pessoas e comunidades. “Convidamos toda a comunidade e vizinhança para vir nos visitar e associar-se à nossa agência. Através da força da comunidade e de nossos associados que construiremos um trabalho a partir de agora, nessa região que tanto cresceu e continua expandindo em população, no comércio, na indústria, prestação de serviços e tantas atividades que contribuem para com o desenvolvimento do bairro”, reforça.

Progresso - A Sicredi Progresso PR/SP está em plena expansão e registra um crescimento de 15% nas operações de crédito chegando à casa de R$ 1,1 bilhão. Em agosto, atingiu a marca de 50 mil associados e fará inauguração ainda esse ano de uma agência em Biritiba-Mirin SP. Em breve uma agência também será inaugurada no Jardim Porto Alegre em Toledo. Inserida na estratégia de expansão da Cooperativa em Toledo, uma agência exclusiva para atendimento dos associados do segmento Agro e uma nova sede administrativa serão inauguradas em 2022. Em São Paulo está contemplada a entrega de uma agência no município de Salesópolis.

40 anos - A inauguração integra as atividades de comemoração dos 40 anos da Sicredi Progresso PR/SP. No dia 30 dia acontece uma comemoração junto aos colaboradores, associados, parceiros e a comunidade, nas agências. Todas as atividades seguem as regras de prevenção à Covid-19.

Sobre a Sicredi Progresso PR/SP - Com 40 anos de atuação a Sicredi Progresso PR/SP está presente na vida de aproximadamente 50 mil associados. Nossa história, construída na essência da cooperação, nos permite ter atualmente 20 agências distribuídas na área de ação nos estados do Paraná e São Paulo. Destas, 13 estão no Paraná e outras 7 em São Paulo. Nosso capital humano conta com mais de 300 colaboradores focados nos valores do cooperativismo e na oferta de produtos e serviços financeiros adequados aos associados, de um jeito simples e próximo. A Sicredi Progresso integra o Sistema Sicredi que hoje está presente em 24 estados e no Distrito Federal. (Imprensa Sicredi Progresso PR/SP)

FOTO: Tatiana Faez

 

SAFRA 2021/2022: Com alta demanda por crédito rural, Mapa estuda remanejar recursos entre programas de investimentos a partir de setembro

safra 30 08 2021O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento estuda adequar os recursos ofertados no Plano Safra 2021/2022 em razão da procura dos produtores rurais e das cooperativas agropecuárias por programas de investimento. Na atual temporada, os recursos totalizam R$ 251,3 bilhões. Só no primeiro mês de contratação do crédito rural, os financiamentos atingiram R$ 27 bilhões, alta de 16% em relação ao mesmo período da safra passada.

Julho - Em julho, foram contratados R$ 6,8 bilhões para investimentos, o equivalente a 9% dos R$ 73,4 bilhões disponibilizados para essa finalidade.

Suspensão - A medida passou a ser considerada após o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ter comunicado aos agentes financeiros a suspensão de novos pedidos de financiamento de programas de investimento, pois os que já haviam sido protocolados pelo banco correspondem a grande parte dos recursos disponíveis.

Remanejamento - De acordo com o diretor de Crédito e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, Wilson Vaz de Araújo, o Ministério poderá propor remanejamento de recursos a partir das contratações efetivadas no Sicor/Bacen. “As necessidades de realocação serão avaliadas à luz das disponibilidades e perspectivas de contratação em cada programa e do desempenho dos diferentes agentes financeiros que operam com recursos equalizáveis”.

Momentos - O diretor informou que o remanejamento pode ocorrer em quatro momentos do ano-safra: setembro, novembro, fevereiro e maio. “Dadas as limitações de recursos orçamentários e a aquecida demanda de crédito para investimentos agropecuários, é natural que os recursos disponibilizados, embora tenham sido acentuadamente elevados na atual safra, venham a se exaurir antes do final do período, conforme ocorreu no ano passado”, explica o diretor.

Linhas próprias - Além do remanejamento em estudo, o Governo Federal tem trabalhado com agentes financeiros para que viabilizem linhas próprias de investimento, no intuito de complementar os recursos do crédito rural, conforme já ocorre no Banco do Brasil, por meio do Invest Agro, e no BNDES, por meio do BNDES – Crédito Rural.

Outros agentes financeiros - A suspensão de pedidos de financiamento pelo BNDES abrangeu, inicialmente, o PCA (Construção e Ampliação de Armazéns) e o Prodecoop (cooperativas), cujos limites autorizados para banco foram, respectivamente, R$ 696,7 milhões e R$ 1,087 bilhão. Posteriormente, a suspensão incluiu o Inovagro (R$ 893 milhões), o Procap-Agro (R$ 520 milhões), o PCA com capacidade de até 6 mil toneladas (R$ 319,8 milhões) e parcialmente o Pronaf (R$ 587,1 milhões).

Contratação - De acordo com Wilson Vaz de Araújo, embora o BNDES já tenha sinalizado o esgotamento dos recursos destinados para esses programas, cabe destacar que uma parcela pequena desses recursos foi efetivamente contratada e registrada no Sistema Sicor, do Banco Central. Isto porque as propostas de financiamento protocoladas requerem, por vezes, um período relativamente longo de análise até sua efetiva contratação.

Outros agentes financeiros - Vaz de Araújo destaca ainda que apesar de o BNDES responder pela maior fatia de recursos equalizados nos programas de investimento, a Lei nº 13.986/2020 abriu a possibilidade de outros agentes financeiros operarem recursos equalizados no crédito rural. Atualmente, há um total de 12 bancos (Banco do Brasil, Banrisul, BDMG, BNDES, Bradesco, BRDE, CEF, CNH Industrial, Credicoamo, Cresol, Sicoob e Sicred).

Hegemonia - O diretor explica que o BNDES mantém a hegemonia e relevância no repasse de recursos de investimentos, dado seu papel de destaque na intermediação de mais de 30 bancos no processo de financiamento de investimentos agropecuários, em especial para as cooperativas de crédito. A distribuição de recursos para um maior número de agentes financeiros resultou nos seguintes níveis de participação do BNDES nos programas de investimentos, que estão com protocolos suspensos: Inovagro (34%), Prodecoop (66%), Procap-Agro (35%), Pronaf (27%) e PCA (35%).

Recursos Obrigatórios - Além dos recursos equalizáveis do BNDES (R$ 1,016 bilhão) e demais bancos (R$ 1,9 bilhão) para o PCA, este programa conta com a disponibilidade de Recursos Obrigatórios, provenientes das Exigibilidades sobre os Depósitos à Vista (R$ 1,2 bilhão), totalizando R$ 4,12 bilhões. Nesse caso, a participação do BNDES no total de recursos para o PCA é de 25%.

Opção - Assim, mesmo com a suspensão do protocolo de novas propostas pelo BNDES, os produtores rurais podem buscar os financiamentos para investimentos nos bancos que dispõem de recursos para os mencionados programas. (Mapa)

FOTO: Arquivo CNH

 

INMET: Aplicativo oferece informações mais precisas sobre meteorologia para produtores rurais

inmet 30 08 2021O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apresentou na quinta-feira (26/08) o sistema Agromet, que irá fornecer informações precisas e atualizadas aos produtores rurais sobre previsão de tempo em sua localidade e diferenciadas por produção. Por meio de um portal e um aplicativo, será possível acessar um mapa navegável de previsão de chuva, temperatura e umidade para os próximos sete dias.

Apresentação - O sistema foi apresentado pelo diretor do Inmet, Miguel Ivan Novato, durante o lançamento das Perspectivas para a Agropecuária Safra 2021/22 – Edição Grãos, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo o diretor, o objetivo do Agromet é apoiar o setor agrícola na tomada de decisões

Revolução - “Isso vai ser uma revolução para a gestão do agronegócio. Estamos entregando uma ferramenta a custo zero para o produtor”, disse o diretor do Inmet, lembrando a integração das informações com a Conab.

Diferencial - O diferencial do Agromet será a opção de incluir áreas produtoras de culturas como algodão, arroz, café, cana-de-açúcar, culturas de inverno e culturas de verão (primeira e segunda safra) aos mapas de previsão. Além disso, ao clicar em qualquer ponto do mapa o usuário terá acesso à previsão do tempo para sete dias daquele ponto.

Estações meteorológicas - Também será possível acessar dados observados em tempo real nas Estações Meteorológicas do Inmet, imagens de satélite em tempo real, previsão de chuva, temperatura do ar e umidade relativa para sete dias e possibilidade de sobreposição de informações (diferentes camadas no mapa)

Acesso - O Mapa está disponível em mapas.inmet.gov.br, no portal do Inmet e no aplicativo de Previsão de Tempo: Inmet, disponível para Android e IOS pelos links: 

Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.inmet

IOS: https://apps.apple.com/br/app/inmet/id1535795347

(Mapa)

 

INFRAESTRUTURA: Investimentos públicos e privados fazem Porto de Paranaguá expandir a oeste do cais

infraestrutura 30 08 2021Investimentos públicos e de empresas privada fazem com que o Porto de Paranaguá se expanda no setor a oeste do cais. São obras iniciadas nos últimos meses, que somam R$ 412,7 milhões e são realizadas pela empresa pública Portos do Paraná e pela Pasa, CAP e Klabin. Esses investimentos vão aumentar a produtividade dos embarques e desembarques de cargas naquela parte do cais.

Intensificação - “Os investimentos privados foram intensificados com a ampliação do berço 201 e a aquisição de dois novos carregadores de navio, entregues em 2020. No ano passado, somente os investimentos públicos somaram R$ 201,7 milhões”, destaca o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Mais terminais exportadores - “A modernização feita pela empresa pública, com novos shiploaders e extensão do cais, possibilitou a entrada de mais terminais exportadores. Eles se conectam ao eixo comum público, nos moldes do Corredor de Exportação Leste”, explica Garcia.

Atração de investimentos- Segundo ele, os esforços do poder público têm sido fundamentais na atração de investimentos privados. “As empresas e operadoras portuárias somam forças para ampliar ainda mais a competitividade e o potencial de negócios, o que reflete diretamente no desenvolvimento da economia de toda a região”, completa.

Público - Em julho, a empresa pública Portos do Paraná deu início à demolição do antigo silo, que ocupa uma área importante, de mais de dois mil metros quadrados, na ponta oeste do cais. O armazém está obsoleto, em desuso desde 2009. Sem ele, novos espaços operacionais serão criados

Iniciativa privada - As empresas arrendatárias percebem novas oportunidades de crescimento e dois novos terminais se erguem na ponta oeste do Porto de Paranaguá. Dentro da faixa primária, a Klabin já iniciou a construção de um armazém para celulose e bobinas de papel. Na retroárea, o Toex se prepara para atender graneis de exportação. Além disso, a empresa Pasa, que também opera graneis sólidos, recebeu, esta semana, da Agência Nacional de Transporte Aquaviários (Antaq), autorização para dar início à primeira fase do projeto de expansão.

Lado Oeste - “As obras no lado oeste trazem novas perspectivas para atividade portuária. Assim, ao mesmo tempo que atende plenamente as demandas atuais, a Portos do Paraná investe no futuro, dando oportunidade aos nossos usuários para operarem com eficiência”, afirma o diretor de operações da empresa pública, Luiz Teixeira da Silva Junior.

Atualização Pasa - Em setembro do ano passado, com a renovação do contrato de arrendamento aditado no final de agosto, a empresa Pasa Paraná Operações Portuárias S/A recebeu autorização para realizar investimentos de R$ 117,7 milhões no lado oeste do cais.

Primeira fase - Na primeira fase, que deve ser concluída até março de 2022, a empresa construirá uma nova linha de embarque e instalará um novo shiploader, para movimentar até 2,5 mil toneladas/hora. Com a autorização da Antaq, a empresa agora aguarda a autorização da Portos do Paraná para seguir com as obras previstas para a etapa inicial da expansão. A segunda fase, prevista para março de 2023, será a construção de um novo armazém.

Toex - O Terminal Oeste (Toex) já está, desde o início do mês de agosto, com alvarás e licenciamentos prontos para iniciar a construção de um armazém com capacidade estática para até 88 mil toneladas de graneis sólidos de exportação (soja, farelo, milho). Com a construção do silo, a empresa vai se interligar, em 843 metros de esteiras já construídas, à estrutura pública de operação no berço 201

CAP Terminais - A Cavalca Administração Portuária investiu cerca de R$100 milhões na construção de novas esteiras que ligam o armazém – com capacidade estática para 55 mil toneladas – ao berço 201. O terminal começou a embarcar no cais oeste em março deste ano. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Rodrigo Felix Leal / Seil

 

ENERGIA ELÉTRICA: Conta de luz seguirá na bandeira vermelha 2 em setembro

energia eletrica 30 08 2021A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, na sexta-feira (27/08), manter a bandeira vermelha, patamar 2, para o mês de setembro. Com isso, o custo de cada 100 kilowatt-hora (kWh) consumido continua sendo de R$ 9,492. Segundo a agência, o mês de agosto, que está chegando ao fim, manteve o estado crítico dos reservatórios das usinas hidrelétricas do país.

Severidade - "Agosto foi mais um mês de severidade para o regime hidrológico do Sistema Interligado Nacional (SIN). O registro sobre as afluências às principais bacias hidrográficas continuou entre os mais críticos do histórico. A perspectiva para setembro não deve se alterar significativamente, com os principais reservatórios do SIN atingindo níveis consideravelmente baixos para essa época do ano", informou a Aneel.

Outros tipos - Em períodos de seca, e consequente baixa nos níveis dos reservatórios, é necessário captar energia de outros tipos de usina, como as termelétricas. Esse tipo de usina gera energia a partir de combustíveis fósseis, como diesel e gás. Além de ser mais poluente, é mais cara. Por isso, quando as termelétricas são acionadas, o custo da geração de energia aumenta e a bandeira tarifária muda.

Dicas - Dentre as dicas trazidas pela Aneel para reduzir o valor da conta de luz, estão o uso racional do chuveiro elétrico (banhos de até 5 minutos e em temperatura morna); do ar condicionado (manter os filtros limpos e reduzir ao máximo seu tempo de utilização); da geladeira (só deixar a porta da geladeira aberta o tempo que for necessário, regular a temperatura interna de acordo com o manual de instruções e nunca colocar alimentos quentes dentro da geladeira); e do ferro de passar (juntar roupas para passar de uma só vez e começar por aquelas que exigem menor temperatura). (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

FOCUS: Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 7,27% este ano

focus 30 08 2021A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA - a inflação oficial do país) deste ano subiu de 7,11% para 7,27%. É a 21ª elevação consecutiva na projeção. A estimativa está no boletim Focus desta segunda-feira (30/08), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para 2022, a estimativa de inflação é de 3,935%. Para 2023 e 2024, as previsões são de 3,25% e 3%, respectivamente.

Acima da meta- A previsão para 2021 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

Alta - Em julho, a inflação subiu 0,96%, o maior resultado para o mês desde 2002, quando a alta foi de 1,19%. Com o resultado, o IPCA acumula alta de 4,76%, no ano, e 8,99%, nos últimos 12 meses.

Divulgação - Os dados de agosto devem ser divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística na próxima semana, mas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, registrou inflação de 0,89% neste mês, a maior variação do IPCA-15 para um mês de agosto desde 2002 (1%).

Taxa de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 5,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre 2021 em 7,5% ao ano. Para o fim de 2022, a estimativa é de que a taxa básica mantenha esse mesmo patamar. E tanto para 2023 como para 2024, a previsão é 6,5% ao ano.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas podem dificultar a recuperação da economia. Além disso, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio - As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 5,27% para 5,22%. Para 2022, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 2%. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 2,5%.

Expectativa - A expectativa para a cotação do dólar subiu de R$ 5,10 para R$ 5,15 para o final deste ano. Para o fim de 2022, a previsão é que a moeda americana fique em R$ 5,20. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

ECONOMIA I: Banco Central adia terceira fase do open banking para 29 de outubro

economia I 30 08 2021Prevista para começar nesta segunda-feira (30/08), a terceira fase do open banking foi adiada para 29 de outubro, informou sexta-feira (27/08) à noite o Banco Central (BC). A decisão atendeu a pedidos dos bancos e das fintechs, que alegavam pouco tempo para fazer as mudanças nos sistemas.

Comprometido - Em nota, o BC informou que o prazo de testes para certificar as instituições aptas a aderir à terceira fase do Pix estava comprometido pela necessidade de ajustes. “O pedido feito ao Banco Central decorreu da necessidade de ajustes nas especificações técnicas, que comprometeram o prazo para realização de testes para a certificação das instituições”, destacou o comunicado.

Compromisso - O órgão reforçou o compromisso com a implementação do programa. “O Banco Central reforça o seu compromisso para que o open banking alcance os seus objetivos, de forma segura e efetiva para os clientes das instituições participantes, permanecendo vigilante no processo de sua implementação”, acrescentou.

Primeira etapa - Em vigor desde 1º de fevereiro, a primeira etapa do open banking permite o compartilhamento de informações sobre produtos, serviços, canais de atendimento e localização de agências. Com base nos dados, os bancos podem fazer comparações por meio de sistemas de interface de programação de aplicações (API na sigla em inglês). A segunda fase do open banking, que envolve o compartilhamento de cadastros e de transações entre as instituições financeiras, foi adiada de 15 de julho para 13 de agosto.

Demais fases - As demais fases do open banking não sofreram alteração. A quarta etapa, que prevê a troca de informações sobre serviços de câmbio, de investimentos, de previdência e de seguros, está mantida para 15 de dezembro.

Novo cronograma - Confira o novo cronograma de implementação do open banking:

13 de agosto de 2021 - Início da fase 2, com a troca de dados de cadastros e de transações entre as instituições, como produtos e serviços associados às contas dos clientes

29 de outubro de 2021 - Início da fase 3, com o compartilhamento de serviços de transferências pelo Pix

15 de dezembro de 2021 - Início da fase 4, com a troca de informações entre as instituições sobre os demais produtos financeiros, como câmbio, investimentos, previdência e seguros

15 de fevereiro de 2022 - Compartilhamento de serviços de transferências entre contas do mesmo banco e TED

30 de março de 2022 - Compartilhamento do envio de propostas de operações de crédito a clientes que aderirem ao open banking

31 de maio de 2022 - Compartilhamento de dados de clientes sobre demais operações financeiras, como câmbio, investimentos, previdência e seguros

30 de junho de 2022 - Compartilhamento de serviços de pagamento por boleto

30 de setembro de 2022 - Compartilhamento de serviços de débito em conta

(Agência Brasil)

 

ECONOMIA II: Pix terá medidas de segurança para coibir sequestros e roubos

economia II 30 08 2021O aumento de casos de sequestros relâmpago e de roubos relacionados ao Pix fez o Banco Central (BC) introduzir medidas de segurança no sistema instantâneo de pagamentos. As alterações divulgadas na sexta-feira (27/08) também afetam outras modalidades de pagamento eletrônico, como a Transferência Eletrônica Disponível (TED), cartões de débito e transferências entre contas de um mesmo banco.

Limite - Na mudança mais importante, o limite de transferências entre pessoas físicas, inclusive microempreendedores individuais (MEI), cairá para R$ 1 mil entre 20h e 6h. O novo limite vale tanto para o Pix como para a liquidação de TEDs, para cartões de débito e para transferências intrabancárias.

Aumento instantâneo - Em outra mudança, o BC decidiu impedir o aumento instantâneo de limites de transações com meios de pagamento por meios eletrônicos. Agora, as instituições terão prazo mínimo de 24 horas e máximo de 48 horas para efetivarem o pedido do correntista se feito por canal digital. A medida abrange tanto o Pix, como a TED, o Documento de Ordem de Crédito (DOC), as transferências intrabancárias, cartões de débito e boletos.

Definição - As instituições financeiras passarão a oferecer aos clientes a possibilidade de definir limites distintos de movimentação no Pix durante o dia e a noite, permitindo limites mais baixos no período noturno. Elas também passarão a permitir o cadastramento prévio de contas que poderão receber Pix acima dos limites estabelecidos, mantendo os limites baixos para as demais transações.

Outras medidas - Conheça outras medidas definidas pelo BC:

• permitir que os participantes do Pix retenham uma transação por 30 minutos durante o dia ou por 60 minutos durante a noite para a análise de risco da operação, informando ao usuário sobre a retenção;

• tornar obrigatório o mecanismo, já existente e hoje facultativo, de marcação no Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT) de contas com indícios de utilização em fraudes no Pix, inclusive no caso de transações realizadas entre contas do mesmo participante;

• permitir consultas ao DICT para alimentar os sistemas de prevenção à fraude das instituições, de forma a coibir crimes envolvendo a mesma conta em outros meios de pagamento e com outros serviços bancários;

• exigir que os participantes do Pix adotem controles adicionais em relação a transações envolvendo contas marcadas no DICT, inclusive para fins de eventual recusa a seu processamento, combatendo assim a utilização de contas de aluguel ou os chamados laranjas;

• determinar que os participantes de arranjos de pagamentos eletrônicos compartilhem, tempestivamente, com autoridades de segurança pública, as informações sobre transações suspeitas de envolvimento com atividades criminosas;

• exigir das instituições reguladas controles adicionais sobre fraudes, com reporte para o Comitê de Auditoria e para o Conselho de Administração ou, na sua ausência, à Diretoria Executiva, bem como manter à disposição do Banco Central tais informações;

• exigir histórico comportamental e de crédito para que empresas possam antecipar recebíveis de cartões com pagamento no mesmo dia, reduzindo a ocorrência de fraudes.

Prevenção de crimes - Em nota, o BC informou que as medidas ajudarão a prevenir crimes ligados aos meios eletrônicos de pagamento. “Em conjunto, essas medidas, bem como a possibilidade de os clientes colocarem os limites de suas transações em zero, aumentam a proteção dos usuários e contribuem para reduzir o incentivo ao cometimento de crimes contra a pessoa utilizando meios de pagamento, visto que os baixos valores a serem eventualmente obtidos em tais ações tendem a não compensar os riscos”, informou o órgão em comunicado.

Redução de ocorrências - Para o BC, os mecanismos de segurança presentes no Pix e nos demais meios de pagamento não são capazes de eliminar por completo a exposição de seus usuários a riscos. No entanto, o trabalho conjunto do Banco Central, das instituições reguladas, das forças de segurança pública e dos próprios usuários permitirá reduzir a ocorrência de prejuízos.

Pedido - O Banco Central atendeu à reivindicação dos bancos. Nesta semana, diversas instituições financeiras pediram ao órgão o endurecimento de regras do Pix para dificultar a ação de criminosos. Desde março, os limites do Pix estavam igualados aos das transferências eletrônicas. Em abril, os usuários passaram a poder personalizar os limites no aplicativo das instituições financeiras.

Aumento - Apesar da praticidade, as mudanças aumentaram os casos de fraudes, de roubos e de sequestros relâmpago relacionados ao Pix. Criminosos aproveitavam da rapidez das transferências instantâneas para aplicarem golpes ou forçarem vítimas a transferir elevadas quantias durante a noite para a conta de laranjas. O dinheiro era, em seguida, pulverizado para outras contas, dificultando o rastreamento pelas instituições financeiras e pelas forças de segurança. (Agência Brasil)

 

LEGISLATIVO I: Câmara pode votar na terça-feira MP que amplia tolerância para pesagem da carga de caminhões

legislativo I 30 08 2021A Câmara dos Deputados pode votar na terça-feira (31/08) a Medida Provisória 1050/21, que aumenta de 10% para 12,5% a tolerância para o excesso de peso por eixo de ônibus de passageiros e de caminhões de carga sem aplicação de penalidades. A sessão do Plenário está marcada para as 15 horas.

Reivindicação - Segundo o governo, essa é uma reivindicação do setor de transporte rodoviário porque cerca de 43% das multas ocorrem nesse intervalo.

Maior - Além disso, para veículos com peso bruto total igual ou inferior a 50 toneladas, a tolerância de excesso de peso por eixo poderá ser maior se respeitado o limite técnico por eixo definido pelo fabricante e o veículo não passar de 5% do peso bruto total definido para sua categoria.

MP - A MP altera a Lei 7.408/85 e define a vigência dessa lei até 30 de abril de 2022, a fim de que o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) regulamente o assunto como permitido pelo Código de Trânsito Brasileiro.

Código Eleitoral - Durante a semana, os deputados também poderão analisar o projeto do novo Código Eleitoral (Projeto de Lei Complementar 112/21), que consolida toda a legislação eleitoral e resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em um único texto.

Urgência - Está em pauta um pedido de urgência para o projeto, apresentado pelo grupo de trabalho sobre o tema, composto por representantes de diversos partidos. A relatora é a deputada Margarete Coelho (PP-PI).

Inovação - Com cerca de 900 artigos, uma das inovações na legislação é a autorização da prática de candidaturas coletivas para os cargos de deputado e vereador (eleitos pelo sistema proporcional). Esse tipo de candidatura caracteriza-se pela tomada de decisão coletiva quanto ao posicionamento do eleito nas votações e encaminhamentos legislativos.

Autorização e regulamentação - O partido deverá autorizar e regulamentar essa candidatura em seu estatuto, mas a candidatura coletiva será representada formalmente por apenas uma pessoa, ainda que a Justiça Eleitoral deva analisar os requisitos de elegibilidade de todos os componentes. Se um deles não atender aos requisitos, isso afetará a candidatura coletiva como um todo.

Retorno às aulas - O Plenário pode analisar ainda o Projeto de Lei 2949/20, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE) e outros, que estabelece estratégia para o retorno das aulas interrompidas pela pandemia de coronavírus. A proposta foi aprovada em maio pela Comissão de Educação da Câmara.

Suspensas - As aulas presenciais foram suspensas devido à necessidade de distanciamento e isolamento social como tática para evitar maior número de contágios em pouco tempo.

Regime de colaboração - De acordo com o substitutivo preliminar da relatora, deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), as diretrizes e ações relacionadas à volta das aulas dependerão de regime de colaboração dos entes da Federação e terão de respeitar as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras.

Organização - Cada ente federado (União, estados e municípios) organizará o retorno às aulas segundo estratégia definida com a participação dos órgãos responsáveis pela educação, pela saúde e pela assistência social.

Entregadores por aplicativos - Já o Projeto de Lei 1665/20, do deputado Ivan Valente (Psol-SP) e outros, cria medidas de proteção social e da saúde de entregadores, sejam os vinculados a aplicativos de compras pela internet ou contratados diretamente pela empresa interessada, independentemente do tipo de contrato celebrado.

Calamidade - De acordo com o substitutivo preliminar do relator, deputado Fábio Trad (PSD-MS), as medidas são asseguradas durante o estado de calamidade pública decorrente da Covid-19. Uma das medidas é a determinação de que a empresa de aplicativo de entrega deve contratar seguro contra acidentes, sem franquia, em benefício do entregador a ela vinculado.

Ajuda financeira - Além disso, deve pagar ao entregador afastado por Covid-19 ou por suspeita de contaminação uma ajuda financeira durante esse período de afastamento equivalente à média dos três maiores pagamentos mensais percebidos pelo entregador. (Agência Câmara de Notícias)

Confira a pauta completa do Plenário

FOTO: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

 

LEGISLATIVO II: Comissão debate previsão da telemedicina em nova legislação sobre planos de saúde

legislativo 30 08 2021A comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o Projeto de Lei 7419/06, que trata dos planos e seguros privados de assistência à saúde, realiza audiência pública nesta quarta-feira (01/09) com o tema: "Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar". O encontro será às 14 horas, em local a ser definido.

Arcabouço legal - O deputado Hiran Gonçalves (PP-RR), relator do projeto, lembra que a Lei 9.656/98 estabeleceu o arcabouço legal da saúde suplementar, trazendo organização a um setor que, anteriormente, era marcado por iniquidades.

Reparos - "Apesar de extremamente meritória e bem-sucedida em diversos aspectos, com especial destaque à questão da proteção do beneficiário de planos, ela merece reparos no que se refere à regulação da relação entre os prestadores de serviços e as operadoras", disse o deputado.

Telemedicina - Hiran Gonçalves também lembra que, por contar com mais de 20 anos de existência, a lei não chegou a prever o tratamento da telemedicina, por exemplo, na saúde suplementar.

Otimização - "Esse instituto, que se mostrou extremamente necessário na pandemia que ainda enfrentamos, pode ser um excelente meio de otimizar os atendimentos das operadoras e trazer mais resolutividade e qualidade à assistência aos beneficiários de planos", disse, o que, na opinião do deputado, justifica ouvir a ANS e os representantes dos prestadores acerca do tema.

Debatedores - Foram convidados para o debate representantes da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB), da Federação Médica Brasileira (FMB), da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), e da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed). Veja a lista completa. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Verbaska / DepositPhotos

 

SAÚDE I: Brasil registra 20,7 milhões de casos e 579,3 mil mortes por Covid-19

O Ministério da Saúde divulgou neste domingo (29/08) novos números sobre a pandemia de covid-19 no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, o Brasil tem, desde o início da pandemia, 20,7 milhões de casos confirmados da doença e 579,3 mil mortes registradas. O número de recuperados soma 19,6 milhões.

Novos casos e mortes - Em 24 horas, o ministério registrou 13,2 mil novos casos e 298 mortes.

Nos estados - São Paulo se mantém como a unidade federativa com maior número tanto de óbitos (145,5 mil) quanto de casos (4,2 milhões). Em seguida estão Minas Gerais (2 milhões de casos e 52,9 mil óbitos); Paraná (1,4 milhão casos e 37,4 mil óbitos) e Rio Grande do Sul (1,4 milhão de casos e 34,1 mil óbitos).

Vacinação - O Brasil já aplicou 189 milhões de doses de vacina contra a covid-19, de acordo com dados da manhã deste domingo divulgados pelo Ministério da Saúde. Com isso, o Brasil atingiu a marca de 80% da população acima de 18 anos vacinada com a primeira dose da vacina. Isso significa que mais de 128 milhões de brasileiros receberam a primeira dose.

Proteção - Para ter a proteção, é preciso completar o esquema vacinal. A maior parte das vacinas aplicadas no Brasil precisa de uma segunda dose para atingir a potência máxima. Ao todo, até o momento, 60 milhões de brasileiros, o equivalente a 37% da população adulta, estão com o esquema vacinal completo. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-08-29 at 19.22.55

SAÚDE II: Mais 1.320 casos e 46 óbitos pela Covid-19 são confirmados pela Sesa

saude II 30 08 2021A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou neste domingo (29/08) mais 1.320 casos confirmados e 46 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números incluem meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. 

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.449.054 casos confirmados e 37.192 mortes pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados neste domingo são de agosto (1.067), julho (33), junho (76), maio (141) abril (1) e março (2).

Internados - O boletim relata que 1.097 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 783 pacientes em leitos SUS (458 em UTI e 325 em enfermaria) e 314 em leitos da rede particular (149 em UTI e 165 em enfermaria).

Exames - Há outros 1.428 pacientes internados, 696 em leitos UTI e 732 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 46 pacientes. São 18 mulheres e 28 homens, com idades que variam de 25 a 97 anos. Os óbitos ocorreram de 03 de maio a 28 de agosto de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Ponta Grossa (10), Curitiba (5), Londrina (3), Piraquara (2), Pinhais (2) e Maringá (2). A Saúde registra, ainda, a morte de uma pessoa em cada um dos seguintes municípios: Siqueira Campos, Ribeirão do Pinhal, Rebouças, Palmeira, Mercedes, Medianeira, Iretama, Imbituva, Iguatu, Fazenda Rio Grande, Cruzmaltina, Contenda, Colombo, Cianorte, Cascavel, Campo Mourão, Campina Grande do Sul, Cambé, Califórnia, Bela Vista do Paraíso, Assis Chateaubriand e Araucária.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 6.645 casos de residentes de fora do Estado, 219 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Relatório de exclusões: 83 casos excluídos. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo 

 

SAÚDE III: Paraná receberá mais 182,1 mil doses de vacinas contra a Covid-19 nesta segunda-feira

saude III 30 08 2021O Ministério da Saúde confirmou o envio de mais 182.100 doses de vacinas contra a Covid-19 ao Paraná nesta segunda-feira (30/08). São 64.350 doses da Pfizer/BioNTech e 117.750 doses da AstraZeneca/Fiocruz. A pauta de distribuição foi divulgada neste domingo (29/08).

Horários - As vacinas da Pfizer devem desembarcar no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, às 19h10 no voo LA 4721. Já os imunizantes da AstraZeneca, chegam às 20h05 no voo AD 4078. De lá, as doses serão enviadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), para conferência e armazenamento até que sejam distribuídas.

Destinação - O governo federal ainda não confirmou se os imunizantes serão destinados à primeira ou à segunda doses. A Secretaria de Estado da Saúde aguarda a divulgação do Informe Técnico para definir a distribuição das vacinas.

Aplicação - Até a manhã deste domingo (29/08), o Paraná já aplicou 10.634.474 doses, sendo 7.361.122 primeiras (D1), 317.810 doses únicas (DU) e 2.955.542 segundas doses (D2). De acordo com a estimativa do Ministério da Saúde, o Estado possui 8.720.953 pessoas acima de 18 anos. Dentre primeiras doses e doses únicas, o Paraná aplicou 7.678.932 vacinas, atingindo 88% da população adulta com, pelo menos, uma dose.

Mais lotes - Na sexta-feira (27/08) a secretaria estadual da Saúde iniciou a distribuição de 529.607 doses–sendo 125.820 para primeiras (D1) e 403.787 para segunda aplicação (D2). Os imunizantes eram parte da 42ª e 43ª remessas do Ministério da Saúde. Foram enviados, ainda, 26.940 medicamentos do chamado “kit de intubação” para serviços de saúde que estão atendendo pacientes com a doença. Destes, 24.830 são de compra própria da secretaria e 2.110 enviados pelo Ministério da Saúde. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Américo Antonio / Sesa

 


Versão para impressão


RODAPE