cabecalho informe

CAMISC: Jovens têm no cooperativismo oportunidades de voltar ao campo

camisc 13 11 2017Eles são jovens, estão antenados com as principais tendências em vários setores da economia e formam uma geração conectada com o mundo. Engana-se quem pensa que essa é uma descrição exclusiva de quem mora na cidade. Cada vez mais, o campo tem se tornado o lugar ideal para aqueles que buscam qualidade de vida.

Raízes - Ligados com as profundas raízes que vêm da agricultura e que há anos são cultivadas pelos familiares, eles veem no campo oportunidades que a cidade não apresenta. Incentivados pelos pais, acreditam em um futuro melhor e uma vida mais tranquila. Assim, o campo está se tornando a moradia definitiva de inúmeros jovens.

Crescimento - O número de jovens no campo vem crescendo a cada ano. E, neste contexto, o futuro da agricultura brasileira e do desenvolvimento do agronegócio passa diretamente por essa juventude. Este é um desafio que tem norteado muitas cooperativas em todo o país e tem contribuído para o surgimento de inúmeros projetos.

Resultados - Em Mariópolis, no interior do Paraná, um destes projetos chama a atenção pelos resultados obtidos. Desde 2013, a Camisc (Cooperativa Agrícola Mista São Cristóvão) deu início a um programa com o objetivo de estimular o jovem a participar ativamente da cooperativa, promovendo assim o empreendedorismo. Assim, nasceu o Camisc Jovem.

Participação ativa - Atualmente, o programa conta com a participação ativa de 25 jovens. Os encontros acontecem mensalmente e são voltados ao desenvolvimento de habilidades pessoais e profissionais. Além disso, a participação em eventos como o Elicoop Jovem (Encontro da Juventude Cooperativista) tem contribuído para a formação de lideranças.

Histórias - Entre tantos exemplos, o Camisc Jovem carrega histórias que geram incentivos. Um deles, da agricultora Jaqueline Pellin. Com 23 anos ela até iniciou a faculdade de Arquitetura e Urbanismo, mas o amor pelo campo falou mais alto. Ela conta que na agricultura vê um futuro mais próspero e mais próximo da felicidade.

Sonho - “A vida toda acompanhei o crescimento e o trabalho dos meus pais no campo. Hoje, não me vejo longe daqui ou exercendo qualquer outra atividade. Meu sonho é envelhecer na propriedade, ajudar a desenvolvê-la e criar meus filhos com a mesma base que fui criada pelos meus pais”, afirma Jaqueline.

Acesso à tecnologia - Ao lado da família ela auxilia no dia a dia da propriedade, seja no cultivo da terra ou no manejo do gado leiteiro. Coordenadora do Camisc Jovem, ela destaca que o acesso à tecnologia vem mudando bastante a realidade no interior. Para Jaqueline, o futuro das propriedades passa diretamente pela continuidade dos jovens no campo.

Mudança - “A agricultura tem mudado muito nos últimos anos. Os processos, formas de manejo e a tecnologia fizeram da agricultura uma atividade altamente rentável. Hoje, o campo proporciona salários muitas vezes melhores do que as empresas oferecem na cidade. Além disso, a qualidade de vida é um fator fundamental”.

Desafio - Manter a juventude ligada com a propriedade é um dos maiores desafios das cooperativas. Atualmente, um terço dos paranaenses está diretamente ligado com o cooperativismo. Esse movimento e o interesse maior dos jovens pelas atividades no campo têm sido acompanhados de perto pelo sistema cooperativista.

Incentivo - “Manter os jovens no campo, motivados e satisfeitos, é um grande desafio. Desde a criação do Camisc Jovem, nós temos incentivado o desenvolvimento de lideranças e proporcionado para eles o acesso a informações que fomentem essa vontade de continuar na atividade”, destaca a coordenadora de Recursos Humanos da Camisc, Adriana Cassol.

Aposta - Para isso, a cooperativa vem apostando em cursos, palestras, oficinas e viagens que oportunizem ao jovem a possibilidade de se desenvolver. Mais do que isso, segundo Adriana, hoje as cooperativas precisam mergulhar na juventude, compreender seus ideais, expectativas e auxiliar na realização de seus sonhos.

Sentido - “O jovem busca um sentido para a permanência no campo dentro do universo do agronegócio. Ele quer participar, contribuir, ocupar cargos importantes e ser um agente de transformação atuando na cooperativa ou na propriedade. E todo esse empenho e dedicação acabam gerando resultados positivos”, destaca o diretor-presidente da Camisc, Nelson André De Bortoli.

Visíveis - Na Camisc esses resultados são visíveis. Hoje, a cooperativa conta com jovens ocupando cargos importantes. Exemplo disso vem da integrante do Camisc Jovem, Camila Santana. Ela começou trabalhando na cooperativa como telefonista. Atualmente, no setor de comercialização de grãos, ela conta que os objetivos são maiores.

Objetivos maiores - “Fazer parte do Camisc Jovem possibilitou o meu crescimento como profissional dentro da cooperativa. Meus sonhos são muitos maiores. Quero concluir a faculdade e conquistar postos mais altos, mostrando que é possível alcançar os objetivos quando há força de vontade e incentivo”, conta Camila que está concluindo o curso de Administração.

Parceria - O Camisc Jovem conta com a parceria do Serviço de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), onde são desenvolvidas atividades voltadas ao empreendedorismo e ao protagonismo juvenil. Desta forma, a cooperativa integra os filhos de associados com as ações de responsabilidade social e incentiva a formação de futuros líderes. (Imprensa Camisc)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias