cabecalho informe

GRANDES&LÍDERES: Dezenove cooperativas do PR estão entre as 500 maiores do Sul do Brasil

A revista Amanhã e a PwC Brasil realizaram, nesta quarta-feira (22/11), na Expo Unimed, em Curitiba, o evento de premiação às empresas vencedoras do ranking Grandes & Líderes – 500 Maiores do Sul 2017. Também foram reconhecidas as maiores por Estado e os destaques setoriais. Dezenove cooperativas do Paraná estão entre as 500 maiores do Sul do País: Coamo, C.Vale, Lar, Cocamar, Copacol, Agrária, Castrolanda, Integrada, Frísia, Frimesa, Coopavel, Coasul, Copagril, Capal, Credicoamo, Unimed Londrina, Unimed Maringá, Primato e Unitá. Desse total, 17 estão entre as 100 maiores do Paraná e a Coamo foi a campeã setorial, em cooperativa de produção. O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, prestigiou a cerimônia de entrega da premiação.

Palestras - O evento na capital paranaense teve palestra do juiz Sergio Moro, da Justiça Federal de Curitiba, que abordou o tema “Integridade Empresarial”. O governador Beto Richa também esteve presente.

Método - O ranking é baseado em um indicador exclusivo criado pela revista Amanhã e PwC: o VPG (Valor Ponderado de Grandeza). O índice apresenta a saúde financeira da empresa não apenas em função da renda, e sim, pela ponderação de três indicadores financeiros: patrimônio líquido (50%), receita líquida (40%) e lucro líquido ou prejuízo (10%). Destaca-se ainda que todas as informações são extraídas de uma única fonte: os balanços financeiros das empresas.

Paraná - O anuário mostra que as companhias do Paraná superaram as gaúchas e as catarinenses em indicadores como patrimônio líquido e lucro. Outro embate se dá naquele que é o indicador mais importante do anuário 500 Maiores do Sul: o Valor Ponderado de Grandeza. Apenas R$ 1,2 bilhão separam o VPG total das gaúchas (R$ 126,8 bilhões) das paranaenses (R$ 125,6 bilhões). Enquanto Rio Grande do Sul e Paraná quase empatam no número de empresas listadas – 186 e 185, respectivamente –, as companhias catarinenses se destacam por mostrar a menor soma de prejuízos (R$ 1,1 bilhão). O indicador fica bem abaixo da perda de R$ 5,1 bilhões verificada entre as companhias gaúchas, e dos prejuízos de R$ 4,3 bilhões contabilizados no Paraná. 

Mais – Mais detalhes do ranking em http://www.amanha.com.br/500maiores/.  (Com informações da revista Amanhã)

1tabelas 23 11 2017

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2tabelas 23 11 2017

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias