Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias COPAGRIL II: Difusão de conhecimento e tecnologias são foco do setor agronômico

 

 

cabecalho informe

COPAGRIL II: Difusão de conhecimento e tecnologias são foco do setor agronômico

Durante o Dia de Campo Copagril 2018, produtores, cooperados e clientes em geral têm a oportunidade de conhecer na área agrícola, os avanços tecnológicos referentes a maquinários, equipamentos, biotecnologia, agricultura de precisão, diferentes épocas de semeadura, população e espaçamento na cultura da soja, além das empresas parceiras de sementes e agroquímicos que estão em seus estandes apresentando seu portfólio de produtos e serviços, em que os visitantes têm disponíveis diversas informações sobre: 60 híbridos de milho, 50 cultivares de soja, 20 espécies de pastagens, mecanização agrícola, Programa ProSolo Copagril – fertilidade e manejo de solo, manejo de pragas e doenças; manejo de plantas resistentes; e biotecnologia, com novos eventos em milho e soja.

Estações - Para facilitar a demonstração das variedades de soja, a Copagril separou os cultivos em duas estações: Estação Soja – Épocas de plantios e Estação Soja Espaçamento entre linhas. Na primeira, o público pode conferir mais de 50 cultivares de soja de ciclo precoce e médio, crescimento determinado e indeterminado, transgênicas e convencionais, semeadas em três épocas: 1ª época: 11/09/2017; 2ª época: 25/09/2017; e 3ª época: 06/10/2017. Assim, os produtores têm condições de visualizar na prática o desenvolvimento da soja nas diferentes épocas de semeadura.

Entrelinhas - Por sua vez, na estação com foco no espaçamento entrelinhas os produtores podem analisar o desenvolvimento e o fechamento entre linha da soja semeada em dois espaçamentos: 0,50 e 0,60 metro.

Conhecimento - Um dos focos do Dia de Campo é a difusão de conhecimento, o que é realizado pela Copagril em parceria com outras instituições. É o caso da Universidade Federal do Paraná (UFPR), campus de Palotina, que ministrou palestra a produtores durante o evento.

Plantas daninhas- Na oportunidade, o professor Alfredo Junior Porpaiola Albrecht, do curso de Agronomia, fez explanação sobre “Manejo de Plantas Daninhas de Difícil Controle”, enfocando Buva, Capim Branco, Capim Amargoso, Poaia branca, Trapoeraba e Capim pé de Galinha. Ele falou sobre a resistência das plantas e sua capacidade de reprodução. “Em torno de 56% de todos os defensivos vendidos no Brasil em 2017 foram herbicidas. E provavelmente nos próximos anos os maiores problemas vão ser com gramíneas”, expôs.

Recomendação - Diante disso, o profissional recomendou manter as lavouras no limpo, indicou formas de controle das plantas invasoras e técnicas de aplicação (volume de calda, dosagem de defensivos). “As plantas daninhas causam perdas nas lavouras comerciais e ainda sustentam lagartas e percevejos enquanto não há plantas cultivadas. Por isso, tentar economizar nos defensivos pode gerar perdas muito maiores na safra”, defendeu Albrecht. (Imprensa Copagril)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias