cabecalho informe

UNIMED LONDRINA: Doando pernas e disposição

unimed londrina 26 03 2018Ser pernas para quem não pode andar. Na manhã deste domingo (25/03), mais de dez pessoas com deficiência puderam participar de corrida inclusiva com o apoio de voluntários dispostos a doar seus passos em um percurso de 4km em torno do Lago Igapó. O evento foi promovido pela Unimed Londrina em parceria com a Afel (Associação das Famílias Especiais de Londrina). Além de cadeiras de rodas, os atletas empurraram também a autoestima de quem nem sempre é lembrado.

Inspiração - Débora de Carvalho, 7, tem no pai a sua maior inspiração. Ele já correu profissionalmente e agora incentiva a filha a participar, mesmo que na cadeira de rodas. "Ela já está há 4 anos competindo direto comigo. É para mostrar para o mundo que deficiente não fica só dentro de casa", orgulha-se Luiz de Carvalho, 42. O operador de produção participou da largada oficial na categoria 4 km e a filha na categoria para pessoas com deficiência.

Motivos - Foram dois motivos para comemorar. Pai e filha competindo, cada um em sua modalidade, e Débora completando a prova em primeiro lugar. Isso só foi possível com a ajuda de Telma Paula Santos, 37, voluntária que cedeu as pernas e energia. "Eu fui as pernas de aluguel dela e foi muito emocionante. Eu sou mãe, senti na pele o que eles passam. Eu me emocionei, fiz a prova praticamente chorando", conta a técnica em segurança. A voluntária foi convidada pelo pai de Débora para empurrar a cadeira de rodas. "Foi um sentimento de gratidão ter essa oportunidade de participar", sorri.

Primeira vez - Esta é a primeira vez que a Unimed Londrina realiza corrida visando a inclusão de pessoas com deficiência. "A gente fica feliz com a parceria com a Afel. É a primeira corrida inclusiva e pretendemos fazer virar rotina. É prestação de serviço para a cidade", ressalta Sérgio Humberto Parreira, diretor de mercado da operadora. Para ele, as corridas promovem os cuidados com a saúde e funcionam como incentivo para a sociedade.

Filho para pai - Incentivo que às vezes vem de filho para pai. Gabriel Estevão, 9, tem paralisia e já participou de outros eventos semelhantes. Já o pai, Roberto Lima Costa, 56, estava pela primeira vez no desafio. "Ele adora, gosta do movimento. Deveria ter sempre, faz bem para a nossa mente e para eles", afirma.

Possibilidades de inclusão - Mãe de uma das crianças inscritas na categoria, Alessandra Fanelli, 42, defende que os familiares precisam apresentar possibilidades de inclusão, inspirando outras a saírem do enclausuramento. "A família fica excluída. É importante para as mães e pais sentirem que podem ficar no meio das pessoas", ressalta.

Interação - Sua filha, Isadora Fanelli, 10, tem paralisia cerebral e se locomove com dificuldade, porém sem necessidade de cadeira de rodas. Ela participou da prova ensinando que mesmo com obstáculos é possível interagir, colaborar e ocupar todos os espaços. "É importante que as nossas crianças com deficiência se sintam incluídas. Espero que o evento chame a atenção da sociedade para esta questão", afirma a secretária.

Inscritos - Mais de dez pessoas com deficiência se inscreveram, a maioria criança. No total, 1,6 mil pessoas participaram, batendo o recorde de registros da operadora. Além da corrida inclusiva, o Corridas Unimed Inspira – 2018 Etapa Day também promoveu corridas de 4 km e 8 km, caminhadas de 2,7 km, corrida kids de 500 m e cãominhada de 2,7 km. Outras atividades de lazer e bem-estar foram oferecidas no local.

Compartilhando a pista - Dividir a área da largada com quem teve 'pernas emprestadas' não é algo que acontece com frequência, mas positivo, conforme a avaliação de participantes da largada oficial. Os inscritos na categoria geral saíram 15 minutos depois da largada inclusiva.

Esporte para todos - "É importante a inclusão, o esporte é para todos. Acho que esse pode abrir portas para que outros eventos façam também", afirma Danila Capela, 30. Para Andréia Conceição Rodrigues, 41, a iniciativa demonstra que é possível, mesmo tendo dificuldades de locomoção. "É um incentivo, uma forma de mostrar que eles são capazes", afirma a personal trainer.

Medalhas - Todos os participantes receberam medalhas. Na largada oficial, modalidade 4 km, a primeira colocação foi para Carlos Henrique de Souza, 28, com 12m18s, na categoria masculina; e Suzane de Araújo Martins, 29, com 14m50s, na categoria feminina. Já na corrida de 8 km, Cláudio da Silva, 34, ficou em primeiro lugar ao completar a prova em 26m31s; e Franciele Maria de Oliveira da Silva, 34, pegou o pódium feminino ao terminar o percurso em 29m24s. (Folha de Londrina)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias