cabecalho informe

SISTEMA S: Desenvolvendo pessoas para um mundo mais humano e justo

“Minha carreira executiva é resultado do apoio que tive do Sistema S ao longo da minha vida. Portanto, não podemos deixar acabar com este sistema, pois é ele que ajuda acabar com a desigualdade social no País”, disse Walter Ribas, gerente de pessoas da cooperativa Frísia durante evento realizado na manhã desta sexta-feira (08/06), na Unidade do Sistema Fiep, em Curitiba, quando representantes das nove entidades que integram o Sistema S no Paraná apresentaram os ganhos que a sociedade experimenta, por meio de milhares de ações diretas e indiretas.

De pai para filho - Walter foi convidado pelo Sescoop/PR para falar da sua experiência de vida. O gerente relatou que seu pai, em 1959, quando chegou a Ponta Grossa, só conseguiu arrumar emprego quando fez um curso de torneiro mecânico no Senai. “Meu pai conseguiu criar todos os filhos com esta profissão e queria que também fizesse este curso. Eu não queria, resolvi fazer datilografia no Senac e hoje com apoio do Sescoop faço Mestrado no ISAE, melhorando meus conhecimentos para que também possa ajudar outras pessoas”. Ribas disse que antes do Sescoop/PR existir, a Frísia possuía 300 funcionários, 5 com pós-graduação e 20 com graduação. “Atualmente temos 1.100 colaboradores, dos quais 200 com graduação e 150 pós-graduados em todos os níveis, resultado dos investimentos da própria cooperativa e do importante apoio do nosso S, o Sescoop/PR ao longo desses anos”, frisou.

Iniciativa - O evento promovido pelo Sistema Fiep teve como objetivo sensibilizar a bancada federal do Paraná para que não sejam retirados recursos do Sistema S, conforme proposta que deverá ser analisada pela Comissão Mista do Orçamento da Câmara Federal. O coordenador da bancada do Paraná, deputado Antônio Wandescheer, afirmou ser contrário a mais esta tentativa do governo federal. “No meu entendimento, o problema não é dinheiro, mas sim falta de gestão. Deixando esses recursos no Sistema S eles serão muito mais bem aplicados do que repassá-los para o governo”. Ele se comprometeu conversar com cada um dos cinco integrantes da Comissão Mista do Orçamento, deputados Alfredo Kaefer, Luciano Ducci, Alex Canziani, Ênio Verri e Leandri Dal Ponte, no sentido de sensibiliza-los do que isso representará para milhões de pessoas que buscam sua profissionalização através do Sistema S.

Futuro - Para o vice-presidente da Fiep, Hélio Bampi, que representou o presidente licenciado, Edson Campagnolo, esta iniciativa de reunir todas as entidades do Sistema S em uma ação global para demonstrar a força e a união no Paraná, também serve para prestar contas do que tudo isso representa para a sociedade paranaense e brasileira. “Apelamos para nossa bancada federal para que se posicione a respeito dessas mudanças que estão sendo apresentadas e que podem prejudicar não apenas as entidades, especialmente a vida de milhões de jovens que buscam capacitação, conhecimento para conseguir um emprego e ter um futuro digno”, frisou.

Entidades - O superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, juntamente com todos os demais superintendentes das outras oito entidades – Sesc, Senac, Sesi, Senai, Senar, Sest, Senat e Sebrae  fizeram um relato das principais atividades desenvolvidas para cada um dos S no Paraná e levaram alguns beneficiários para dar seus testemunhos sobre o quando puderam crescer com pessoas e também profissionalmente com a oportunidade recebida através de um curso ou capacitação.

Superação - Além de Walter Ribas, outro depoimento que chamou muito atenção foi do aluno do curso Técnico em Automação Industrial do Senai de Guarapuava, Vinicius Bail que em durante uma partida de futebol perdeu a visão. “A minha deficiência não me impediu de estudar no Senai e através do programa de inovação, criei uma luva-guia que por meio de sensores me auxilia para evitar em obstáculos. Pensei nisso depois de quebrar muitos vasos da minha mãe”. Segundo ele, a luva tem dois sensores de distância. Se o obstáculo estiver do lado direito, apenas o sensor do lado direito vibra, assim como se a barreira estiver do lado esquerdo. Caso o obstáculo esteja à frente e seja mais perigoso os dois sensores vibram. Este projeto está disputando na etapa nacional do Concurso Nacional Inova.

 Sescoop/PR - Boesche lembrou que entre as entidades do Sistema S, o Sescoop é o mais jovem, criado no final da década de 1990. “Nesses 17 anos de funcionamento da entidade pudemos acompanhar o desenvolvimento experimentado pelo cooperativismo, hoje uma das principais forças econômicas do Estado. Partimos lá atrás de 30 mil colaboradores para mais de 90 mil pessoas com carteira assinada. E focamos única e exclusivamente na capacitação das pessoas, onde mais de 90% dos recursos tem este destino e sem qualquer estrutura física. Sempre utilizamos a mesma estrutura de nossas cooperativas para cursos e eventos, como também de todas demais entidades do Sistema S que são nossas parceiras de primeira hora”, frisou.

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias