Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias UNIMED MARINGÁ: Mitos sobre vacinas prejudicam imunização

 

 

cabecalho informe

UNIMED MARINGÁ: Mitos sobre vacinas prejudicam imunização

unimed maringa 12 06 2018Quando o assunto é vacina, existe muito mito. Tem gente que acredita que quanto mais fortes as reações adversas, mais protegida a pessoa estará. Há outros que acreditam que quando uma doença é erradicada do país, a vacinação pode ser suspensa. Tudo isso não passa de mitos. “Tem muita informação que as pessoas disseminam que é um desserviço para a população, por isso, trabalhamos intensamente para garantir que todos tenham acesso às informações corretas e, assim, possam se proteger da melhor forma”, diz a enfermeira da Atenção Personalizada à Saúde da Unimed Maringá, Ester Corrêa da Silva.

Anticorpos - As vacinas são produzidas com propriedades dos próprios vírus causadores de doenças, mas em estado inativo. Quando esse vírus entra em contato com o organismo, o corpo não interpreta que está morto e produz anticorpos para combater o agente invasor. Assim, quando a pessoa é exposta aos vírus ativos de determinada doença, o corpo terá anticorpos para evitar a contaminação. O assunto é tão importante que o Ministério da Saúde criou o Dia Nacional da Imunização, celebrado em 9 de junho, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de manter a vacinação em dia, diminuindo a probabilidade de contrair doenças como caxumba, sarampo, tétano, gripe, entre outras.

OMS -A primeira vacina foi criada por um médico britânico em 1796, que descobriu como imunizar as pessoas expostas ao vírus da varíola. Mesmo depois de tanto tempo e mesmo a Organização Mundial de Saúde (OMS) orientando que a imunização salva milhões de vidas e é reconhecida como uma das ações em saúde de maior sucesso, existe um movimento de pessoas, erradamente, contrárias à vacinação.

Confira mitos e verdades:

Pessoas alérgicas a ovo não devem se vacinar contra a gripe.
VERDADE -
 No processo de produção das vacinas contra a gripe existe uma etapa em que os vírus crescem em ovos embrionados e isso pode levar partes protéicas dos ovos para a dose. Em casos de pessoas muito vulneráveis à gripe, o médico pode indicar a imunização mesmo com risco de alergia. Nestes casos, a pessoa deve receber a vacina em um centro de saúde especializado.

Tomar a mesma dose duas vezes não faz mal.
VERDADE - 
Se você não lembra se foi imunizado contra alguma doença e perdeu a carteirinha de controle, recomenda-se procurar um centro de imunizações. Profissionais habilitados irão orientar sobre quais vacinas devem ser tomadas e possíveis efeitos colaterais.

Vacinas possuem graves efeitos colaterais e reações adversas no longo prazo. MITO. As vacinas são muito seguras e não apresentam risco para o paciente. Alguns poucos efeitos colaterais estão associados, como dor no local da injeção ou febre passageira.

Higiene e cuidados pessoais são suficientes para prevenir doenças. MITO. Embora melhores condições de higiene e sanitização sejam importantes, muitas doenças podem ser espalhadas independentemente do nível de higiene e limpeza. Nesses casos, as vacinas são extremamente importantes para interromper esse ciclo de transmissão.

Uma vez que a doença é erradicada em um país, a vacinação pode ser suspensa. MITO. A imunização é importante para manter a doença longe da população e, mesmo queseja completamente erradicada, a prática continua sendo importante.

Quanto mais fortes as reações adversas, mais protegida a pessoa estará. MITO –
A eficácia não está relacionada à intensidade dos efeitos colaterais. No geral, as vacinas provocam cada vez menos efeitos colaterais.

(Assessoria Unimed Maringá)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias