cabecalho informe

BANCO CENTRAL: Cooperativas de crédito e consórcios crescem no país, diz BC

 

banco central 07 08 2018A participação das cooperativas de crédito aumentou em todos os principais indicadores do Sistema Financeiro Nacional, informou nesta segunda-feira (06/07) o Banco Central (BC). Segundo relatório da autarquia, a carteira de crédito do segmento apresentou crescimento de 15% em 2017, superando a evolução observada em 2016, que foi de 10%.

 

Consórcios - Outro relatório do BC também mostra crescimento no setor de consórcios, que ampliou em 7,7% a carteira dos consorciados já contemplados, alcançando R$ 48,6 bilhões. A alta foi puxada pelos dois maiores subsegmentos: 6,1% no de veículos automotores, atingindo R$ 29,90 bilhões e 10,8% no de imóveis, alcançando R$18,71 bilhões.

 

Agenda - "Esse crescimento é consistente com a Agenda BC+ de apoio à concorrência no sistema financeiro através da sua segmentação e proporcionalidade, que levam ao alívio no custo para instituições menores, através de menor complexidade regulatória", destacou o BC, em nota.  

 

Cooperativas de crédito - Segundo o relatório do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, o número de cooperados cresceu 8% no ano passado, alcançando a marca de 9,6 milhões de cooperados, com destaque para o crescimento (19%) em pessoas jurídicas. Em média, o setor registrou adesão de 60 mil novos cooperados por mês. No final de 2017, havia quatro confederações, 35 centrais cooperativas, 967 cooperativas singulares e dois bancos cooperativos em atividade no país. O documento apresenta dados do setor desde 2012.

 

Carteira de crédito - A carteira de crédito, a centralização financeira e os títulos e valores imobiliários (TVM) cresceram em torno de 15%, segundo o relatório. A inadimplência no segmento reduziu de 4% em dezembro de 2016 para 3,5% em dezembro de 2017, apresentando índice de cobertura por provisões para crédito de liquidação duvidosa de 1,72.

 

Captações - As captações cresceram aproximadamente 16%, compostas majoritariamente pelos depósitos dos cooperados, e o capital das cooperativas se mostrou suficiente para cumprir com folga as exigências mínimas estabelecidas pelas normas em vigor, diz o Banco Central.

 

IB - Ainda de acordo com o relatório, o Índice de Basileia (IB) do segmento cooperativo de crédito manteve-se em torno de 30%, acima do índice do segmento bancário, de 18%.

 

Ativos totais - As cooperativas com sede nas regiões Sul e Sudeste concentraram, respectivamente, aproximadamente 50% e 30% dos ativos totais do setor. Clique aqui para conferir mais informações do documento Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo

 

Consórcios Em dezembro de 2017, havia 155 administradoras de consórcios, 18,1 mil grupos e 6,9 milhões de cotas de consorciados ativas. O relatório Panorama do Sistema de Consórcio contém dados do setor desde 2009. Mais da metade dos consorciados ativos (53%) se concentra em cinco estados: São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul. Segundo o BC, o número de cotas vendidas no ano passado aumentou 3,5% em comparação com 2016.

 

Inadimplência - A inadimplência em dezembro de 2017 recuou em relação ao ano anterior. O índice de inadimplência foi de 2,99% (queda de 0,63 ponto percentual). A taxa de administração média dos grupos de consórcios formados em 2017 foi de 16,14% (-0,19 p.p.). As taxas mais altas continuam sendo de motocicletas: 19,95% (+0,17 p.p.).

 

Bens imóveis - No segmento de bens imóveis, após a queda observada em 2016 houve expressiva recuperação em 2017, com aumento no número de cotas vendidas, consorciados ativos e contemplações, informa o BC. Ao todo, em 2017, foram comercializadas 276,9 mil cotas (alta de 20,2%), com o número de cotas ativas alcançando 851,1 mil, tendo sido contemplados 73,1 mil créditos (alta de 4,3%). (Agência Brasil)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias