cabecalho informe

FÓRUM I: Ocepar e CRCPR reúnem mais de 100 profissionais de contabilidade, em Curitiba

O Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), e o Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CRCPR) promoveram, nesta terça e quarta-feira (25 e 26/09), o 2º Fórum dos Profissionais de Contabilidade da Área Cooperativista, no auditório da Ocepar, em Curitiba. O evento reuniu mais de 100 participantes, entre representantes de cooperativas e de outras entidades vinculadas ao CRCPR.

Atividades  As atividades encerraram no final da manhã desta quarta, com a apresentação das palestras com os temas "A contabilidade como instrumento de gestão das cooperativas", ministrada pelo superintendente Administrativo e Finaceiro da Coamo, Antônio Sérgio Gabriel, e "Ética, compliance e Noclar: desafios e oportunidades", com o contador e professor Laudelino Jochen. Na oportunidade, Johen também apresentou detalhes do site www.descomplicont.com.br – Descomplicando a contabilidade, uma nova fonte de informações para os profissionais da área, onde estão disponíveis várias publicações gratuitamente, entre elas, o e-book “Contabilidade para sociedades cooperativas e entidades do terceiro setor”, cujo conteúdo contempla as peculiaridades dos dois segmentos.

Abertura – O 2º Fórum dos Profissionais de Contabilidade da Área Cooperativista foi aberto na terça-feira à tarde pelo superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, e pelo presidente do CRCPR, Marcos Rigoni de Mello. Boesche destacou a importância do trabalho realizado em conjunto pelas duas entidades. “Essa parceria se consolidou a partir de 2015, quando o Sescoop/PR procurou o CRCPR para buscar credenciamento para podermos atuar como capacitadores do Programa de Educação Profissional Continuada do Conselho Federal de Contabilidade (CFC). Nós obtivemos esse registro, em junho de 2016, e logo depois veio a criação da Comissão do Profissional Contábil da Área Cooperativista, o que para nós foi extremamente importante porque, desde então, começaram a ser realizados vários estudos relacionados ao cooperativismo”, afirmou.

Quotas-partes  O superintendente do Secoop/PR lembrou também de outra importante conquista obtida pelo setor cooperativista com apoio do CRCPR. “Desde 2010, a questão do ICPC 14, publicada pelo Conselho Federal de Contabilidade, que classifica as quotas-partes das sociedades cooperativas, gerou uma insatisfação muito grande, uma preocupação do sistema cooperativista porque nós teríamos uma série de dificuldades, especialmente em alguns ramos, de apresentar uma contabilidade que proporcionasse segurança aos nossos cooperados, principalmente”, contou. “Mas, a partir do trabalho realizado pela Comissão Profissional, capitaneada pelo Laudelino, foi feito um estudo, e o presidente Marcos decidiu propor ao CFC uma audiência da Câmara Técnica, em Brasília, que fez toda a diferença e nós tivemos, em novembro de 2017, a aprovação da ITG 2004, favorável ao pleito das cooperativas. Queremos destacar que uma decisão contrária seria de grande prejuízo para as cooperativas e o CRCPR liderou esse processo das quotas-partes das sociedades cooperativas, fazendo com que nós obtivéssemos êxito”.

Características – Boesche ressaltou ainda as especificidades do setor cooperativista. “As cooperativas são entidades com características próprias, o que exige do profissional de contabilidade uma atenção especial no registro e na apresentação de informações contábeis, tanto para os parceiros das cooperativas e, em especial aos nossos cooperados. Numa sociedade cooperativa, o cooperado tem triplo papel: ele é ao mesmo tempo dono da cooperativa, usuário dos serviços e cliente da cooperativa. Essas características especiais das sociedades precisam ser analisadas e estudadas”, acrescentou.

Desafio  Ao final de sua explanação, o superintendente do Sescoop/PR propôs um desafio ao CRCPR, a criação da disciplina “Contabilidade para as sociedades cooperativas”. “Poderíamos pensar, por meio da Comissão do Profissional Contábil da Área Cooperativista, na elaboração de uma proposta de conteúdo programático e ofertá-la às instituições de ensino. Fica aí o nosso desafio para que juntos possamos pensar nessa possibilidade”, complementou.

Parceira  O presidente do CRCPR, Marcos Rigoni de Mello, também destacou o relacionamento existente entre o cooperativismo paranaense e o Conselho. “Essa parceria é muito importante em função do que significa o agro e as cooperativas na economia brasileira e, ainda, devido às necessidades reais da contabilidade para o setor, assim como para todas as demais empresas. E, pela importância das cooperativas, estamos atuando em conjunto e montamos uma comissão específica para discutirmos e tratarmos os assuntos peculiares juntos”, afirmou ao Informe Paraná Cooperativo. “O trabalho que nós prestamos ao Conselho é voluntário. É isso que nos faz crescer enquanto pessoas e como profissionais da área contábil. E nos enche de orgulho podermos ter parceiros de renome, como a Ocepar e o setor cooperativista”, acrescentou.

Estrutura – Na abertura do 2º Fórum dos Profissionais de Contabilidade da Área Cooperativista, Mello discorreu sobre a função, estrutura e ações realizadas pelo ó CRCPR. De acordo com ele, os Conselhos Regionais de Contabilidade estão presentes em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. No país há 523.750 profissionais de contabilidade ativos, entre os quais 349.776 contadores e 134.014 técnicos em contabilidade. No Paraná, são 33.381 profissionais, dos quais pouco mais de 24 mil são contadores e outros 8.700 são técnicos em contabilidade. Ele lembrou ainda que o órgão foi criado com o objetivo de fiscalizar o exercício da profissão de contabilista, de acordo com as exigências da legislação. “Temos 50 delegacias no Paraná, seis macrodelegacias e 10 escritórios regionais”, informou. O presidente do CRCPR salientou que, para exercer a profissão, o contador ou técnico em contabilidade deve realizar o Exame de Suficiência, que ocorre duas vezes por ano.

Capacitação – Ainda de acordo com Mello, o CRCRPR tem se dedicado em promover a capacitação constante dos profissionais da área. “Sem atualização não se trabalha mais e nós temos uma Câmara dentro do Conselho voltada diretamente à área de educação continuada. No ano de 2016, realizamos mais de 280 eventos e treinamos mais de 28 mil profissionais. Em 2017, nós ultrapassamos a casa dos 300 eventos, treinando mais de 32 mil profissionais”. Ele também ressaltou que a entidade tem procurado atender todos os segmentos econômicos de forma igualitária. “Nós tratamos todos de forma igual. Trabalhamos para que os contadores sejam valorizados e reconhecidos”, frisou.

Comissão Profissional – Na abertura do Fórum foi realizada a apresentação dos integrantes da Comissão do Profissional Contábil da Área Cooperativista, que foi responsável pela organização do evento. O grupo foi criado em 17 de junho de 2016 pelo CRCPR, considerando as características diferenciadas do cooperativismo em relação às demais sociedades empresariais. Tem como objetivos principais a divulgação dos princípios do cooperativismo, bem como, a realização de estudos, eventos, acompanhamentos e divulgações sobre novidades da atuação contábil nesse ramo, inclusive, com reflexos tributários e societários. Fazem parte da Comissão: Laudelino Johen, contador e coordenador da Comissão; José Ronkoski, gerente administrativo do Sescoop/PR; Devair Mem, coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR; Claudiomiro Rodrigues, coordenador administrativo da Ocepar; Alcemar Luiz Candiotto, da Cresol, e Alcir Sebastião Ribeiro, da Cooperativa Coamo.

Palestras – A programação do primeiro dia do evento contemplou ainda as palestras "Os acordos de Basileia e as novas exigências de capital", apresentada por Gilson Marcos Balliana, e "O novo significado do trabalho, inovação,disrupção", ministrada por Alexandre Pellaes. As atividades foram encerradas com um jantar de confraternização.

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias