cabecalho informe

ENCONTRO ESTADUAL VIII: Nós não sabemos nos comunicar, diz Roberto Rodrigues

Em sua participação no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, nesta sexta-feira (07/12), em Curitiba, Roberto Rodrigues sugeriu que a comunicação seja o tema central do XIV Congresso Nacional do Cooperativismo, que será realizado em maio de 2019, em Brasília. Com larga experiência no setor, ele acredita que os diferenciais do cooperativismo devem ser melhor disseminados entre toda a sociedade. “Temos que deixar de comunicar só para nós mesmos o nosso potencial e a contribuição que damos para o desenvolvimento econômico e social da população. É preciso que o Brasil inteiro saiba disso”, afirmou.

Pero Vaz de Caminha - “Nós não sabemos nos comunicar”, reforçou ele. Rodrigues voltou às origens do país para mostrar como é importante ter uma comunicação clara e eficiente. “Pero Vaz de Caminha, escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral, disse para o rei de Portugal que, nessa terra, em se plantando, tudo dá. Mas é uma mentira. Em algumas regiões, a terra é fértil, como no Paraná, mas vai lá no Cerradão, ou em outras regiões, onde não nasce nem uma planta. É preciso mostrar a verdade”, frisou.

Jeca Tatu - Para lembrar como a realidade brasileira mudou e precisa ser melhor comunicada, ele também falou sobre o personagem Jeca Tatu, criado por Monteiro Lobato, que até hoje ainda transmite a ideia de que o meio rural é atrasado. “Antes, o Brasil era rural e hoje a coisa mudou. Naquele tempo não tinha celular, internet, nem luz elétrica. As pessoas andavam descalças, mas isso foi há 100 anos. Naquele tempo, o homem do campo dizia para o seu filho ir estudar na cidade. Hoje, o pai fala para o filho: senta aqui pra estudarmos juntos. Temos um povo extraordinário, jovem, construindo um mundo novo, na cidade e na roça. Então, precisamos mudar isso, por meio da nossa comunicação. Não tem mais Jeca Tatu. Não tem mais ‘em se plantando tudo dá’. O que o Brasil tem é a tecnologia. Hoje estamos num país tecnificado, capaz e competente, cujos agricultores fazem em suas propriedades o que for necessário para aumentar a produtividade. Mas ainda faltam estratégia, logística, e os juros e impostos são altos”, lembrou.

Plano Estratégico de Desenvolvimento - Rodrigues participou da elaboração de um plano estratégico de longo prazo para o Brasil, cuja proposta é promover o desenvolvimento econômico e social conjugando ações que envolvam o rural e o urbano, de forma equilibrada. O documento já foi entregue aos futuros ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Agricultura, Tereza Cristina. Ele acredita que uma das instituições capazes de participar da condução dessas propostas é a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). “Vamos fazer isso com as cooperativas no comando, urbano e rural juntos. Vamos fazer do nosso país o campeão mundial da paz. Está nas nossas mãos”, frisou.

O palestrante - Roberto Rodrigues é engenheiro agrônomo e agricultor, coordenador do Centro de Agronegócio na Escola de Economia de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV EESP), Embaixador Especial da FAO para as Cooperativas e Presidente do Lide Agronegócios. Participa de inúmeros conselhos empresariais, institucionais e acadêmicos. Dentre outras instituições, foi presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e da Aliança Cooperativa Internacional (ACI). Além disso, foi Secretário de Agricultura do Estado de São Paulo (1993/1994) e Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2003/2006).

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias