cabecalho informe

CARNE SUÍNA: Exportações pelo Porto de Paranaguá crescem 58%

carne suina 22 07 2019As exportações de carne porco pelo Porto de Paranaguá cresceram 58% na comparação entre o primeiro semestre de 2018 e o de 2019. Neste ano, foram 36,2 mil toneladas exportadas do produto, com receita gerada de US$ 76 milhões. De janeiro a junho do ano anterior saíram do terminal 23 mil toneladas com rumo a outros países, somando US$ 49 milhões em receita.

Diferencial - A capacidade de embarque de carnes congeladas pelo porto paranaense é um dos diferenciais para o aumento nas movimentações no Estado. “Estamos preparados para responder tanto à produção do campo quanto às novas oportunidades de mercado que se abrem aos exportadores”, afirma o diretor-presidente da empresa Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Essencial - “A capacidade operacional e estrutura do terminal de contêineres, por onde são exportadas as carnes congeladas, somadas às regras operacionais, gestão e novos investimentos, são essenciais para atender a demanda crescente”, completa o diretor-presidente.

Mercado externo - Os cinco principais destinos da carne suína que embarcou pelo Porto de Paranaguá são Hong Kong (13,3 mil toneladas), China (10,8 mil), Cingapura (6,9 mil), Vietnã (1,4 mil) e Albânia (1 mil toneladas).

Origem - O produto exportado pelo terminal paranaense é principalmente do próprio Paraná e dos Estados de Santa Catarina, Mato Grosso, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Espírito Santo.

Sanidade - De acordo com o analista do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, Edmar Gervásio, o principal fator que impulsiona o aumento nas exportações de carne suína são as questões sanitárias internacionais.

Demanda - Ele explica que a demanda pela carne suína do Brasil cresceu como um todo e o Paraná acompanha esse crescimento, principalmente pelas questões sanitárias que envolveram a China. “A tendência é que cresça ainda mais, pois o mercado está se abrindo. Por exemplo, a Rússia está voltando a comprar a carne de porco brasileira. Esse mercado estava travado no ano passado”, afirma Gervásio.

Paraná - Segundo ele, só no Paraná são mais de 100 mil propriedades que criam porcos. Dessas, apenas 30 mil são produtores comerciais do produto. Os suinocultores paranaenses destinam a produção, via mar, principalmente para Hong Kong. Já pelo transporte terrestre, os maiores compradores são os vizinhos Argentina, Uruguai e Chile. (Agência de Notícias do Paraná)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias