cabecalho informe

COCAMAR: Especialista da Embrapa faz palestras sobre preservação florestal

cocamar 19 08 2019O assunto desmatamento vem sendo tão explorado ultimamente no Brasil que, para um desavisado, até parece que o país se situa entre os que menos preservam florestas.

Na soma - No entanto, sob um novo Código Florestal que começou a valer em 2012 e é considerado o mais rigoroso do mundo, o Brasil possui nada menos que 66,3% de todo o seu território ocupado por florestas – somando as matas nativas nos diversos biomas, os parques nacionais, as áreas plantadas, as indígenas e as de preservação permanente.

Críticas - Nenhum outro país preserva tanto quanto o Brasil, mas, por desconhecimento ou má-fé, o país é alvo de críticas constantes por parte da comunidade internacional e mesmo de alguns setores no âmbito interno.

Spadotti - Para fazer duas palestras sobre o tema “Brasil: preservar o meio ambiente e produzir alimentos, esse é o nosso negócio”, a Cocamar convidou o especialista Gustavo Spadotti Amaral Castro, supervisor do grupo de Gestão Territorial Estratégica da Embrapa Territorial.

Acim- Nesta segunda-feira (19/08), às 19h, Spadotti estará explanando aos associados da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) e, na terça-feira (20/08), às 8h, aos convidados em um café da manhã organizado pela Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil).

Números - Desde a aprovação do Código Florestal, começou a ser realizado um amplo e minucioso levantamento da realidade florestal no conjunto de todas as propriedades rurais do país, municípios e estados, a partir do Cadastro Ambiental Rural (CAR). No final de 2016, quando o cadastramento já somava mais de 95% do total das áreas brasileiras, a Embrapa Territorial divulgou relatório apontando que as florestas representavam nada menos 66,3% do território brasileiro, ou 631.758 hectares, enquanto os espaços destinados à agricultura não passavam de 7,8% e, os de pecuária, 13%.

Área agrícola - Os dados surpreenderam positivamente o governo federal e o próprio setor produtivo. Após a divulgação feita pela Embrapa Territorial, as informações foram checadas e confirmadas pela Nasa que apenas corrigiu a área com agricultura de 7,8% para 7,6%, sendo que desse percentual, 4% são cultivados com soja, o carro-chefe do agronegócio nacional.

Líder em preservação - Em junho, quando esteve em Londrina para proferir palestra durante o Fórum Nacional de Máxima Produtividade de Soja, promovido pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), Spadotti ressaltou que nenhum outro país preserva tanto quanto o Brasil. Segundo ele, o percentual médio de preservação nas propriedades rurais brasileiras é de 26% e no Paraná 23,1% as florestas estão em imóveis rurais. Nos Estados Unidos as florestas preservadas ocupam 18% do território nacional e na maior parte dos países europeus esse percentual não chega a 5%.

Riquezas - “Temos R$ 2,4 trilhões em patrimônio imobilizado destinado à preservação ambiental no Brasil”, afirmou o especialista, destacando que isso representa 111 milhões de hectares que, se destinados à produção de milho, por exemplo, gerariam R$ 190 bilhões em riquezas e cerca de 4,4 milhões de empregos diretos. “Não existe categoria profissional que dedique mais tempo e dinheiro para o meio ambiente do que o agricultor brasileiro”, completou. (Imprensa Cocamar)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias