INTERNACIONAL: Trump adia aumento de tarifas sobre US$ 250 bi de produtos chineses

 

internacional 12 09 2019O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na noite desta quarta-feira (11/09) que adiará por duas semanas a elevação das tarifas sobre US$ 250 bilhões em importações chinesas, prevista inicialmente para 1 de outubro. Pelo Twitter, Trump disse que as tarifas americanas vão subir de 25% para 30% em 15 de outubro.

 

Boa vontade - Segundo o presidente americano, trata-se de um “gesto de boa vontade”, que atende a um pedido do vice-premiê chinês, Liu He, uma vez que o dia 1 de outubro marca os 70 anos de fundação da República Popular da China.

 

Matérias-primas - O aumento nas tarifas planejados para o próximo mês vai cobrir itens que são, em grande parte, matérias-primas utilizadas pelas empresas para produção de mercadorias. Essas sobretaxas têm sido amplamente contestadas nos EUA por grupos empresariais e agricultores — que vêm sofreram pesadas perdas à medida que a China suspende as compras de soja, milho e outros bens agrícolas americanos.

 

Retomada - O anúncio do adiamento da aplicação da elevação das tarifas ocorre num momento que autoridades chinesas e americanas planejam retomar as negociações comerciais face a face no início de outubro, em Washington.

 

Novas tarifas - No dia 1º de setembro, o governo americano passou a cobrar novas tarifas sobre US$ 111 bilhões em produtos importados da China, incluindo pela primeira vez alguns bens de consumo. Outra rodada de tarifas, que entrará em vigor no dia 15 de dezembro, vai cobrir um grande número de bens de consumo, incluindo smartphones, brinquedos e roupas.

 

Reposta - Quando a China anunciou que retaliaria contra essas tarifas que atingem os produtos de consumo, Trump disse que responderia aumentando os níveis tarifários e acrescentou em um tuíte que estava “ordenando” as empresas americanas a procurar por alternativas aos negócios com a China. O presidente alardeou ter poderes de emergência que lhe permitiriam punir empresas americanas no exterior.

 

Perdas - As ameaças contra as empresas americanas resultaram em fortes perdas nos mercados de ações na época. Além disso, a comunidade empresarial lançou uma grande campanha para tentar influenciar Trump a reduzir a escalada na guerra comercial com a China, de acordo com uma pessoa familiarizada com esse esforço.

 

Investidores - Desta vez, o novo tuíte de Trump foi bem recebido pelos investidores, com o índice futuro do S&P 500 avançando 0,5%. Na Ásia, o yuan subia 0,3% frente ao dólar no mercado offshore. A decisão “mostra que Trump não quer aumentar as tarifas antes da rodada de negociações comerciais no início de outubro e quer criar condições positivas”, disse Tommy Xie, economista do Oversea-Chinese Banking Corp, à Bloomberg. “Isso aumenta a esperança de que poderá haver boas notícias do encontro de outubro, e os mercados vão esperar para ver.” (Agências Internacionais / Valor Econômico)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn