cabecalho informe

SICREDI UNIÃO PR/SP: Projetos de programa social da cooperativa concorrem a prêmio em Paranavaí

 

Dois projetos da Escola Municipal Santos Dumont de Paranavaí são finalistas do Prêmio ‘Educador Inovador - Compromisso com a Educação’, promovido pela Secretaria Municipal de Educação. O ‘35 floristas: cores, formas e aromas’, da professora do 4º ano, Liliane Cristina Rocha Buzignani, concorre na categoria de Ciências, já o ‘Cooperando com a sustentabilidade’, da professora do 5º ano, Angélica Tomiello, está na categoria 3º, 4º e 5º anos. Ambos foram desenvolvidos por meio do Programa A União Faz a Vida, da Sicredi União PR/SP. 

 

Resultado - O resultado final será anunciado no dia 18 de outubro, durante jantar de comemoração ao Dia do Professor, que será realizado no Harmonia Country Club, às 19h30. Ao todo, foram inscritos 66 projetos em nove categorias e cada vencedor ganhará um notebook. O objetivo da iniciativa é valorizar e incentivar os professores ao reconhecer trabalhos que contribuem com a melhoria do processo de aprendizagem.

 

Tema - A professora Liliane conta que a expedição investigativa foi feita na 25ª Expoflores de Paranavaí, em abril, e logo em seguida definiram o tema do projeto. “Fomos com os 35 alunos da turma, que se entusiasmaram em conhecer diferentes tipos de plantas e flores”, lembra. Depois, em roda de conversa, as crianças expressaram diversas curiosidades sobre o tema, que nortearam as atividades. 

 

Plantas em casa - “Primeiro, propomos descobrir as plantas que cada um tinha em casa e, nesse processo, observaram que na escola não havia plantas. Então, decidimos fazer um jardim com sete pneus reutilizados, tinta doada pela escola e mudas trazidas de casa”, cita Liliane. 

 

Apoio - O projeto também contou com o apoio do ônibus itinerante da Sanepar, que sanou dúvidas dos alunos sobre solo e água, e da irmã da professora Liliane, que mora na Europa e fez pesquisa sobre a vegetação que predomina no continente para apresentar para as crianças. “Os alunos também foram de sala em sala conscientizar os outros colegas sobre os cuidados com a vegetação, evitando jogar lix o no chão e até mesmo quebrar as plantas”, conta orgulhosa. 

 

Sustentabilidade - Já o projeto “Cooperando com a sustentabilidade”, da professora Angélica, foi iniciado em março por meio de debate sobre o que é sustentabilidade. Depois, a turma fez expedição investigativa no Noroestão, um ginásio de Paranavaí que está em desuso. “Lá fizeram várias anotações sobre o lixo no chão, a presença de moradores de rua e as condi ções do local. As informações foram aproveitadas nas disciplinas por meio de gráficos, tabelas e cálculos matemáticos”, conta a professora.

 

Ofício - As crianças também aprenderam a elaborar ofício durante as aulas de língua portuguesa, no qual expressaram ideias sustentáveis para melhorar o Noroestão. O ofício foi apresentado ao prefeito Carlos Henrique Rossato Gomes, durante uma visita da turma na prefeitura. “Diante da iniciativa, ele acatou a ideia de disponibilizar mudas para as crianças plantarem no ginásio. Isso deve ser feito ainda este m ês”, informa Angélica. 

 

Lixo reciclável - No dia em que fizerem o plantio, as crianças também vão recolher e separar o lixo reciclável. Além disso, farão uma campanha de conscientização na comunidade do entorno, entregando bilhetinhos em papel reciclável para incentivar as pessoas a adotarem práticas sustentáveis. “Vale citar que tanto a mensagem quanto o papel reciclável foi feito pelos próprios alunos em sala d e aula”, diz a professora ao acrescentar que para finalizar as atividades do projeto as crianças também vão produzir uma reportagem para contar todo o trabalho que foi feito.

 

Programa - O Programa A União Faz a Vida foi criado há 21 anos no Sistema Sicredi com o objetivo de contribuir com a sociedade por meio da melhoria da qualidade de ensino. O foco é incentivar os alunos a terem mais interesse pelo conhecimento, tornando-os protagonistas do processo de aprendizagem. A ideia é que se tornem cidadãos mais cooperativos e proativos no desenvolvimento da comunidade onde vivem.

 

Expedição investigativa - As atividades são feitas por meio de expedição investigativa, pesquisa, relatos, rodas de conversa, entre outros. Vale ressaltar que as práticas educativas contam, quase sempre, com o envolvimento da família dos alunos e de apoiadores da comunidade - profissionais e moradores voluntá rios que agregam conhecimento e, assim, viabilizam a proposta de aproximar o processo educativo da sociedade. O ano letivo é encerrado com a apresentação do aprendizado em forma de dança, teatro, música ou feira de ciências. Há também a exposição do portfólio dos projetos desenvolvidos ao longo do ano. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias