Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias TRIGO: Reuniões discutem ajustes no zoneamento agrícola

 

 

cabecalho informe

TRIGO: Reuniões discutem ajustes no zoneamento agrícola

 

trigo 02 12 2019O Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) do trigo está em discussão nas principais regiões produtoras desse cereal no Brasil, reunindo assistência técnica, pesquisadores, representantes de seguradoras, agentes financeiros e responsáveis por formulação de políticas públicas. Em Passo Fundo (RS), o evento foi realizado dia 27 de novembro. Os próximos ocorrem nesta terça-feira (03/12) em Londrina (PR) e na quinta-feira (05/12) em Uberaba (MG). O objetivo dos encontros, promovidos pela Secretaria de Política Agrícola do Mapa e Embrapa, é levantar contribuições do setor produtivo e agentes financeiros para aprimoramentos no sistema que visa a reduzir perdas por adversidades climáticas nas lavouras de trigo. 

 

Gestão de riscos - O Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) é um instrumento de política agrícola e gestão de riscos na agricultura. Baseado em séries históricas de clima, modelagem e simulação de riscos, o ZARC permite identificar as janelas de plantio em que há menor chance de frustração de safra devido a eventos climáticos adversos para mais de 40 culturas agrícolas e sistemas de produção, em todos os municípios do território nacional. O estudo permite a cada município identificar a melhor época de plantio, nos diferentes tipos de solo e ciclos, de acordo com as características e necessidades de cada cultura, a partir de uma metodologia validada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e adotada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O atendimento às recomendações do Zarc é obrigatório para o agricultor acessar os recursos do Programa de Garantia de Atividade Agropecuária (Proagro), do Proagro Mais e do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR).

 

Trigo - O primeiro cultivo a ter sua política de crédito e seguro rural embasada num zoneamento de risco climático no Brasil foi o trigo, na safra de inverno de 1996. Até então, segundo conta o agrometeorologista da Embrapa Trigo Gilberto Cunha, os zoneamentos de aptidão de cultivo, que não quantificavam e nem levavam em consideração os riscos regionais associados, eram usados apenas como referência nos livros de informações técnicas. “Nós tivemos o privilégio de coordenar esse trabalho que, por ser novo na ocasião, suscitou muitos questionamentos, mas acabou aceito por ser cientificamente bem embasado. O Zarc vem sendo usado desde então, com as suas atualizações anuais”, lembra o pesquisador.

 

Demanda - De acordo com o analista da Embrapa Trigo Marcelo Klein, os ajustes no zoneamento agrícola do trigo são uma demanda do setor produtivo: “Muitas vezes o sistema considera a indicação geográfica e a base histórica do clima, mas precisa de adaptações para representar o microclima local. Um município ao lado pode apresentar variações de solo, temperatura ou precipitações durante a mesma safra”. As discussões do Zarc para RS e SC foram realizadas na Embrapa Trigo (Passo Fundo, RS), no dia 27/11, às 14h.

 

Regiões - No Paraná, é possível identificar três regiões distintas de cultivo: fria e úmida; quente e úmida; e quente e moderadamente seca. “Somente ouvindo os usuários do sistema poderemos disponibilizar um modelo que condiz com a realidade. A utilidade do Zarc depende da usabilidade da ferramenta. É uma construção coletiva e em constante aperfeiçoamento”, avalia o pesquisador da Embrapa Soja André Prando. A reunião para discutir Zarc no PR, MS e SP está marcada para o dia 03/12, na Embrapa Soja (Londrina, PR), às 14h.

 

Brasil Central - A época de chuvas bem definida no Brasil Central é limitante para definir a implantação das lavouras de trigo. A reunião de validação do Zarc para a cultura do trigo no Brasil Central acontece no dia 05/12, às 14h, no anfiteatro do Ceta, em Uberaba/MG, junto com a programação do Seminário Técnico de Trigo.

 

Economia - Estimativas da Embrapa apontam que os impactos associados ao Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) trouxeram uma economia de cerca de R$ 16,8 bilhões para o agronegócio brasileiro no ano passado.

 

Informações - Mais informações 54-3316-5800 ou  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . (Assessoria de Imprensa da Embrapa Trigo)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias