AGRÁRIA: Aluno do Colégio Imperatriz conquista medalha de bronze na OBMEP

Motivo de preocupação para muitos estudantes, a matemática é uma disciplina essencial não apenas no currículo escolar, mas na solução de muitos desafios do dia a dia. Dentro de sua proposta pedagógica, o Colégio Imperatriz busca torná-la mais próxima dos alunos, promovendo atividades que simulem sua aplicação no cotidiano. Esta maneira de ensinar tem gerado excelentes resultados. No dia 3 de dezembro, a instituição foi comunicada que Guilherme Novatzki, do 7º ano, conseguiu a medalha de bronze na 15ª OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática), promovida pelo Ministério da Educação.

Primeira vez - É a primeira vez que um aluno do Imperatriz recebe uma medalha na competição, mas não a primeira conquista de Guilherme: em 2018, o estudante já havia obtido a menção honrosa por sua participação na OBMEP e este ano ficou com a medalha de prata na OMP (Olimpíada de Matemática Poliedro). “Quando era menor minha mãe me colocou em um curso de Matemática extraclasse. Comecei a aprender, gostar e fui evoluindo”, explica.

Escolas públicas e particulares - A OBMEP reúne estudantes de escolas públicas e particulares de todo Brasil. Nesta edição foram cerca de 18 milhões de inscritos. Os alunos são divididos em três níveis, de acordo com a série que cursam. A Olimpíada acontece em duas fases. Primeiro, os alunos interessados realizam uma prova objetiva encaminhada às escolas. Esta avaliação serve para classificar os estudantes para a próxima etapa. “Além do Guilherme, tivemos outros alunos classificados para a segunda fase da Olimpíada”, comenta a professora Ana Paula Brizola, que ministra as aulas de Matemática para os alunos do 6º ao 9º ano do Colégio.

Descritivas - Já na segunda etapa as provas são descritivas. É o resultado desta avaliação que determina a classificação final dos estudantes. “Na hora da prova às vezes bate o nervosismo, mas tento ficar tranquilo para participar bem. Gosto de participar porque consigo ganhar conhecimento e aprender coisas novas”, revela Guilherme.

Premiação - As premiações na Olimpíada variam de acordo com a quantidade de questões acertadas e podem ser desde menção honrosa até medalhas de bronze, prata e ouro. Guilherme é um dos 227 paranaenses medalhistas de bronze na 15ª OBMEP. Considerando todos os alunos que conquistaram o bronze no Nível I, o aluno do Imperatriz atingiu a segunda posição estadual e a 16ª nacional. “Estamos muito orgulhosos, pois acreditamos que esta conquista serve como incentivo para os outros alunos. O impacto de ver um colega ser reconhecido e perceber que outros também podem chegar lá é muito grande”, afirma Ana Paula Brizola.

Medalha - Guilherme Novatzki receberá sua medalha ano que vem. Além disso, ele deve ser convidado para participar de um grupo de Iniciação Científica Júnior, realizado na Unicentro. O objetivo do projeto é incentivar jovens talentos da Matemática e prepará-los para outras competições como a OBMEP. (Imprensa Agrária)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn