Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias IDSS: ANS divulga resultados do desempenho das operadoras no ano-base 2018

 

 

cabecalho informe

IDSS: ANS divulga resultados do desempenho das operadoras no ano-base 2018

ans 25 03 2020 Está disponível para consulta, no site da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o resultado do Índice de Desempenho das operadoras, que faz parte do Programa de Qualificação das Operadoras 2019 (ano-base 2018), iniciativa pioneira da Agência para o estímulo à qualidade dos planos de saúde.

Comparação - O Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) permite a comparação entre operadoras, estimulando a disseminação de informações de forma transparente, a redução da assimetria de informação e a ampliação da concorrência no setor.

Resultados - Na plataforma eletrônica de divulgação, os resultados são apresentados por operadora, incluindo as opções de seleção por segmento (médico-hospitalar ou odontológica), faixa de avaliação e possibilidade de comparar na mesma tela os resultados das empresas. Além disso, estão disponíveis no portal da ANS diversos relatórios consolidados, incluindo o histórico dos resultados do IDSS por operadora desde o ano-base 2008.

Acesse aqui os resultados.

Nota - O IDSS geral do ano-base 2018 foi de 0,7691, sendo 1,0 a nota máxima de desempenho, e zero a nota mínima, de acordo com os resultados do Programa. O resultado é apurado através do cálculo da média ponderada dos índices de desempenho de todas as operadoras. Das 1.001 operadoras avaliadas em 2018, 869 atenderam aos requisitos para a divulgação dos resultados.

Fonte de dados - É importante ressaltar que, desde o ano-base 2017, o Programa utiliza, como fonte de dados da maior parte dos indicadores o TISS – Troca de Informações na Saúde Suplementar, um padrão de trocas eletrônicas de dados de atenção à saúde. De acordo com o diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Rodrigo Aguiar, “a utilização do Padrão TISS ampliou o escopo do Programa e introduziu novos indicadores, o que permitiu a melhor avaliação do desempenho das operadoras, em particular, em seus aspectos assistenciais”.

Inclusão - Além disso, para o ano-base 2018, a ANS introduziu também indicadores que avaliaram aspectos estratégicos da regulação, como a avaliação do reajuste aplicado aos planos coletivos e a comercialização de planos individuais. Os resultados apontaram que 40% das operadoras apresentaram reajustes de planos coletivos sem grandes disparidades e próximos à média do setor; e que 27,57% do total de operadoras (médico-hospitalares e odontológicas) apresentaram crescimento da carteira em planos individuais. Entre as operadoras do segmento odontológico, 41% foram bonificadas. Entretanto, entre as médico-hospitalares, apenas 23% foram pontuadas, demonstrando que esse ainda é um desafio para este segmento.

Dimensões - Para o ano-base de 2018, o Programa continua com quatro dimensões e é composto por um total de 32 indicadores, dos quais 19 utilizam dados extraídos do Padrão TISS, que melhor discriminam o desempenho das operadoras em seus aspectos assistenciais.

Pontuação bônus - A gerente de Estímulo à Inovação e Avaliação da Qualidade Setorial da ANS, Ana Paula Cavalcante, explica que, para o ano-base de 2018, “além da introdução de novos indicadores compondo o IDSS, houve o aumento da pontuação bônus para as operadoras acreditadas, como uma forma de induzir o setor às melhores práticas, bem como estimular que as operadoras procurem se acreditar. Foi mantida, ainda, a pontuação bônus para participação da operadora em Programas de Indução da Qualidade da ANS, como o Parto Adequado e a Certificação em Atenção Primária à Saúde - APS”.

Histórico - Inicialmente, no ano-base 2017, como esperado, e em linha com a reformulação do Programa, houve uma queda em bloco das operadoras para faixas inferiores a partir da implementação da nova metodologia IDSS-TISS, e o IDSS do setor caiu de 0,8051 para 0,7295. Em 2018, observa-se uma recuperação do setor, com IDSS de 0,7691, mas ainda não retornando aos patamares do ano-base 2016.

Pesquisa de satisfação - Em 2018, manteve-se o estímulo, por meio de pontuação extra pela realização de uma pesquisa de satisfação de beneficiários, desde que as operadoras sigam as diretrizes estabelecidas no documento técnico elaborado pela ANS, com metodologia padronizada, representativa e com validade estatística. Neste segundo ciclo da pesquisa, houve a adesão de quase o dobro de operadoras em relação ao ano de 2017. Ao todo, 166 operadoras de planos de saúde realizaram, voluntariamente, a pesquisa com seus beneficiários em 2018 e estavam aptas a receber a pontuação bônus no ano-base 2018. Estas 166 operadoras representam 42,85% dos beneficiários do setor, ou seja, 30,2 milhões de beneficiários.

Resultados - Os resultados também apontam que, em torno de 82% dos beneficiários das operadoras que realizaram a pesquisa, responderam “Bom” e “Muito bom” para o quesito: “Como você avalia seu plano de saúde?”; e cerca de 78% dos beneficiários recomendariam o plano de saúde para amigos ou familiares.

Canal de diálogo - Realizar pesquisas de satisfação do cliente é uma prática que proporciona às operadoras estabelecerem um canal de diálogo com os clientes, que passam a se sentir mais considerados e contemplados, além de propiciar o aprimoramento dos serviços prestados, atendendo às demandas reais dos consumidores.

Conheça aqui as operadoras que realizaram a pesquisa de satisfação - Ano-base 2018

(ANS)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias