cabecalho informe

COOPER LÍDER IV: Ímãs para atrair mais mulheres para ocupar espaço nas cooperativistas

911cooperlider I 28 09 2020Presidentes de duas cooperativas – uma do ramo saúde e outra de crédito – dão prova de que a boa gestão independe de gênero e que o sucesso das organizações está ligado à capacidade de se articular internamente com a diretoria, funcionários e cooperados para crescer, se fortalecer e ganhar respaldo e respeito da comunidade onde atua. E, pela visão feminina a focar a cooperativa e seu entorno, as duas têm propostas próximas: atrair mais mulheres para serem protagonistas no dia a dia destas organizações. Elas participaram do painel realizado no Encontro Virtual das Lideranças Femininas Cooperativistas, o Cooper Líder Feminino, na tarde de sexta-feira (25/09).

Passos - Formada em Medicina pela Universidade de Passo Fundo (RS), em 1979, e com Residência Médica em Pediatria no Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre (RS), em 1981, Wemilda Feltrin, é a atual presidente da Unimed Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná, que atualmente tem 140 cooperados e 18 mil beneficiários. A sua jornada no cooperativismo começou em 1989, quando integrava o grupo de 63 médicos que decidiu constituir a cooperativa na cidade. Para chegar ao principal cargo na cooperativa, ela foi conselheira fiscal e de administração e integrou a diretoria da cooperativa.

Capacidade - Wemilda sempre buscou a capacitação profissional – é especialista em Pediatria, tem pós-graduação em Adolescência e em Administração e MBA em Gestão de Saúde – o que lhe garante conceito perante a categoria e contribuiu para sua ascensão à presidência da Unimed Francisco Beltrão. E tem procurado despertar o interesse de mais médicas para os cargos de gestão da cooperativa. “Nós somos a soma de nossas vivências. E a mulher tem uma capacidade enorme de agregar as pessoas em torno de um objetivo comum, com a vantagem de termos visão periférica, ou seja, de ver o todo. Por isso, espero que mais mulheres vençam seus desafios internos e ocupem cada vez mais os espaços”, exortou.

Barreira - Além de presidente do Sicredi PR/SP, com sede em Cafelândia, no oeste paranaense, Maura Carrara, também é avicultora da cooperativa Copacol, da mesma cidade. Para chegar ao cargo máximo da organização de crédito ele teve uma longa jornada de muita luta, que começou aos 14 anos, como aprendiz de escritório – aliás, além de não ter salário, tinha a obrigação de limpar o chão do escritório. Mais duas ou três experiências e chegou, finalmente, ao cooperativismo em 1970, em um entreposto da Copacol, onde assumiu a gerência em 1983, enfrentando “resistência machista, por achar que eu não daria conta do recado”. Já quase encerrando a carreira na Copacol, ela conta que, em 2004, teve início uma nova trajetória na vida: “Fui eleita presidente da nossa cooperativa de crédito.”

Dedicação - Graduada em Ciências Econômicas pela Faculdade Integrada de Marília, (SP), com MBA em Gestão de Cooperativas, pela Fundação Getúlio Vargas, Maura, que sempre buscou solidificar a carreira na aplicação e dedicação aos estudos, tem no currículo formações internacionais, como na Argentina, Alemanha, Austrália e Nova Zelândia. além de conferências, entre as quais refere-se à de 2009, em Barcelona, na Espanha, como um marco, quando foi criada a Rede Global de Mulheres Líderes (GWLN Global Women’s Leadership Network), o que a levou a participar de nova Conferência em Glasgow, na Escócia, em 2011. A partir daí, passou a desenvolver projetos voltados para a inclusão da mulher nas organizações, como o mundialmente famoso Chá da Bruxas, que criou em 2012, e que, em 2017, foi premiado na Conferência Mundial das Cooperativas de Crédito, em Viena, Áustria. “Com isso, quero incentivar que mais mulheres venham para o cooperativismo e que, como eu, quebrem as barreiras e trilhem os caminhos de liderança e de gestão no campo corporativo”, afirmou.

 

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias