cabecalho informe

COAMO II: Cooperativa comemora um ano das indústrias de Dourados

coamo II 25 11 2020A Coamo comemora, nesta quarta-feira (25/11), um ano da inauguração das Indústrias de Dourados (MS). O empreendimento construído à margem da BR 163, entre Dourados e Caarapó contou com investimento superior a R$ 780 milhões e capacidade para processamento de 3.000 toneladas/dia de soja, produção de farelo de soja e uma refinaria para 720 toneladas/dia de óleo de soja, equivalente a 15 milhões de sacas. “Com as indústrias de Dourados, somados aos outros dois parques industriais, a Coamo ampliou a capacidade de processamento de soja para 8.000 toneladas/dia e a de refino para 1.440 toneladas/dia de óleo de soja refinado”, informa Divaldo Correa, Diretor Industrial da Coamo.

Resultados importantes - Segundo Correa, em apenas um ano, a equipe da cooperativa já conquistou resultados importantes. “Com imensa satisfação e orgulho, comemoramos um ano de funcionamento das unidades de Dourados. Todo o time de funcionários está de parabéns, pelo desafio e pelos resultados conseguidos até agora. Na extração foram produzidas 943 mil toneladas de soja, resultando em 657 mil toneladas de farelo, 196 mil toneladas de óleo bruto degomado e 53 mil toneladas de casca. Na refinaria de óleo, foram produzidos 7,413 milhões de caixas e 25, 176 mil toneladas de óleo refinado granel. Realmente números impressionantes para uma indústria nova. Parabéns também as áreas de apoio de toda Coamo que, com certeza, fazem parte deste elo e que facilitaram para que os resultados fossem alcançados.”

Produção - As indústrias produzem farelo, óleo bruto e óleo refinado de soja em Dourados, no Mato Grosso do Sul e agregam valor à produção dos associados. “Estas indústrias estão permitindo expandir a presença da Coamo no mercado brasileiro com óleo refinado, nos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul com farelo de soja e, também, ampliaram a nossa participação no mercado europeu com farelo de soja”, afirma José Aroldo Gallassini, idealizador e Presidente do Conselho de Administração da Coamo.

Novas indústrias - Gallassini destaca a necessidade das novas indústrias e a escolha da região de Dourados. “O volume de soja recebido pela Coamo no Mato Grosso do Sul comportou perfeitamente a instalação de uma moderna indústria esmagadora de soja e de uma refinaria de óleo de soja em Dourados, justificando plenamente a redução de custo com o transporte do produto já industrializado ao invés de transportá-lo in natura para a industrialização em Campo Mourão ou em Paranaguá”.

Empregos diretos - Para a operacionalização das indústrias, foram gerados mais de 300 empregos diretos, além de temporários e avulsos nos períodos de safra. Foi implantado um centro regional de distribuição de Insumos, peças e Máquinas Agrícolas e uma central regional de transporte para coordenação de todo o transporte necessário para o abastecimento das indústrias e distribuição dos produtos industrializados, os quais irão gerar mais de 100 empregos diretos.

História - A história da Coamo no Mato Grosso do Sul começou no ano de 2003 na região de Amambai e, atualmente, a cooperativa está instalada com modernas unidades em nove municípios – Amambai, Aral Moreira, Laguna Carapã, Ponta Porã, Caarapó, Maracaju, Sidrolândia, Itaporã e Dourados, atende milhares de associados em 14 unidades e conta com uma capacidade estática de armazenamento de 1.250.000 toneladas, com um recebimento de soja, milho e trigo de 2.000.000 toneladas. (Imprensa Coamo)          

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias