cabecalho informe

UNICAMPO: Cooperativa comemora 28 anos em crescimento

Em novembro, a Unicampo - Cooperativa de Trabalho dos Profissionais de Agronomia Ltda - completou 28 anos de trabalho “graças à dedicação e ao comprometimento dos cooperados e colaboradores”, ressaltou o diretor presidente da cooperativa, Luciano Ferreira Lopes, na abertura da “live”, realizada no início de novembro com o consultor Eduardo Bassan, sobre a importância do trabalho cooperativista. O evento foi organizado para marcar a comemoração.

Agradecimento - Na abertura, Luciano agradeceu aos cooperados, colaboradores, parceiros tomadores de serviço e fornecedores. “Só chegamos aos 28 anos graças à colaboração de todos”. Ele destacou também o trabalho e o empenho dos pioneiros e dos ex-presidentes da Unicampo: Reginaldo Teodoro de Souza, Marino Hideo Akabane, Antônio Carlos Marcolli e Nivaldo Barbosa de Mattos.

Comprometimento - “O futuro da Unicampo depende do comprometimento, da dedicação e do empenho de cada cooperado, além da qualidade de serviço de cada um. A Unicampo pode fornecer as ferramentas que auxiliam na execução do trabalho, mas o principal ingrediente, o diferencial, são o conhecimento e a qualidade do trabalho do cooperado”, afirmou Luciano.

Reconhecimento - O diretor presidente lembrou ainda as dificuldades enfrentadas por todos no início. “Tudo era muito novo”, disse. Mas, que o reconhecimento nacional hoje mostra que estão no caminho certo. “Somos respeitados no setor, um empreendimento consolidado, e permanecer vai depender de cada cooperado”.

Números - Também presente no evento, o diretor vice-presidente, André Carlos Garcia Vilhegas,destacou o crescimento da cooperativa em todo o Brasil. Atualmente são 1.650 cooperados ativos no mês e 2.500 que tiveram atuação no ano. “A cooperativa está presente em toda a fronteira agrícola do Brasil”, complementou.

Oportunidade - Segundo Luciano, mais de 80% dos cooperados têm menos de 35 anos, o que mostra que a cooperativa tem sido uma importante oportunidade para jovens profissionais, que estão ingressando no mercado de trabalho, e que usam a cooperativa como vitrine profissional. “São jovens com amplo conhecimento tecnológico e técnico, dedicados, pró-ativos, comprometidos e que ajudam a Unicampo a ser o que é”, citou.

Primeira experiência - Recém-formado em engenharia agronômica, em 2013, o cooperado da Unicampo, Alexandre Guivernau Gaudens Rycheta Correia buscava sua primeira oportunidade de trabalho quando acessou o portal Unicampo para conhecer a cooperativa. Selecionado, percebeu desde o início “quão grande e cordial era a cooperativa, que sempre defendeu os direitos da classe agronômica”. Atualmente ele gerencia os projetos da Unicampo/Corteva Brasil.

Paixão - “Já foram quase oito anos de trabalho, com muita ética e responsabilidade. Sou muito grato a Unicampo que abriu as portas para o mercado de trabalho e que ao longo desta jornada profissional me acolheu rapidamente nos momentos que precisei. Tenho paixão pela cooperativa, que cuida dos cooperados como o bem mais precioso e garante nossos benefícios durante a prestação de serviços”, afirmou.

Lugar certo - Alexandre comentou que a Unicampo na área profissional é como os pais na vida pessoal. “Lembro quando nossos pais perguntavam se já tínhamos pegado a jaqueta, pois iria esfriar, e alertavam quanto à velocidade na direção. A Unicampo nos pergunta se nosso EPI/carro está em boas condições de uso e assegura que não seja ultrapassada a velocidade permitida, entre outras coisas. Quando há esse grau de importância, é sinal que você está no lugar certo”, disse.

Atuação ampla - Cooperado a pouco mais de três anos, o engenheiro agrônomo Rodrigo Coutinho presta serviços à Bayer, através do Projeto AGD, e faz parte do Conselho Fiscal da Unicampo, o que permite uma participação ainda maior na cooperativa. “Quando me associei, abriu-se a oportunidade de entrar no mercado de trabalho. A Unicampo tem uma grande área de atuação, por estar presente em todo o território brasileiro, de norte a sul, e por atender diversas empresas do setor do agronegócio. Por isso, proporciona a seus cooperados oportunidades de trabalho nos diversos ramos ligado ao segmento”.

Crescimento - Rodrigo citou que já trabalhou em outros setores, mas foi através da Unicampo que conseguiu crescer profissionalmente. “A cooperativa dá total apoio e voz para o cooperado opinar e contribuir com a melhoria, tanto no trabalho que desempenha, quanto para o fortalecimento da cooperativa. A remuneração, a valorização do profissional e os benefícios são também agentes motivadores para o nosso trabalho junto a Unicampo”.

Força - Mostrando a força do cooperativismo em todo o mundo, Eduardo Bassan disse que sua palestra que 40% dos 7,2 bilhões de habitantes do mundo estão ligados ao cooperativismo em mais de 100 países. “Um em cada sete habitantes participa de uma cooperativa e esse número é crescente o que mostra que o cooperativismo tem agregado à vida das pessoas”. Bassan ressaltou que o cooperado é a cooperativa e que o empreendimento é de todos.” Não tem como ser um bom cooperado sem ter arraigado em si os princípios cooperativista”, finalizou. (Imprensa Unicampo)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias