INFRAESTRUTURA: Copel instala 2,8 mil quilômetros de rede trifásica no campo

 

infraestrutura 12 01 2021O programa Paraná Trifásico alcançou 2.807 quilômetros de novas redes de energia elétrica já implantadas no Estado até o final de 2020. Esse resultado supera em 12% o total planejado para o ano, que era de 2,5 mil quilômetros concluídos. A distância é maior, em linha reta, do que entre os municípios de União da Vitória, no Paraná, e Manaus, no Amazonas.  Desses 2.807 quilômetros de redes, 668 foram construídos na região Centro-Sul, 646 na região Leste, 573 quilômetros nas regiões Oeste e Sudoeste, 501 na região Noroeste e 419 quilômetros na região Norte do Paraná. 

 

Investimento - Em 2020, o investimento foi de R$ 261 milhões e ultrapassou o montante planejado inicialmente, que era de R$ 210 milhões. A nova rede trifásica está pulverizada por todo o Estado e as obras geram cerca de mil empregos diretos e indiretos no Paraná. 

“É o maior programa do gênero no País, com previsão de construir 25 mil quilômetros de linhas. É uma modernização que atende a área rural, colaborando com as cooperativas e os produtores rurais”, disse o presidente da Copel, Daniel Slaviero. Está prevista a construção de mais 3 mil quilômetros de novas redes em 2021, de 4,5 mil quilômetros em 2022 e de 5 mil em cada ano entre 2023 e 2025. 

 

O Programa - Toda a espinha dorsal da rede de distribuição no campo está sendo trifaseada, substituindo a tecnologia monofásica existente. Além de garantir energia de mais qualidade e com maior segurança, o programa proporciona o acesso do produtor rural à rede trifásica a um custo muito inferior ao que hoje é pago. A Copel vai investir R$ 2,1 bilhões para alcançar todos os cantos do Paraná. Com o Paraná Trifásico, a companhia melhora a qualidade no fornecimento de energia para o campo, renova seus ativos e garante mais segurança aos seus funcionários e à população. Os novos cabos com capa protetora isolante têm nível de resistência reforçada quando atingidos por galhos de árvores ou outros objetos. O programa também retira os postes antigos do meio das plantações e coloca postes novos nas estradas rurais, o que facilita o acesso dos técnicos. 

 

Conexões - As novas linhas possuem conexões inteligentes com a central de monitoramento da rede, chamados de religadores automáticos. Esses equipamentos têm capacidade para identificar problemas e “abrem temporariamente” para passagem de eventuais curtos e evitar desligamentos, e religam a energia sem precisar de interferência humana. Eles podem ser acionados remotamente pelo novo Centro de Operação da Copel em Curitiba. Culturas e atividades que dependem da energia elétrica intensiva para a sua produção terão grande benefício, entre elas leite e derivados, suinocultura, avicultura, piscicultura e fumo, além de atividades como os poços artesianos.

 

Evolução - O Paraná Trifásico é uma evolução do Clic Rural, iniciativa que levou energia para mais de 120 mil propriedades rurais nos anos 1980 e se tornou o principal programa de eletrificação rural da época. Passados mais de 30 anos, o perfil do consumidor rural é outro. Com o avanço dos processos tecnológicos no campo, cada vez mais mecanizados e automatizados, a preocupação com a qualidade do fornecimento de energia elétrica passou a ser prioridade, tanto para o investidor quanto para a Copel.  

 

Orçamento - O programa tem orçamento de R$ 2,1 bilhões e faz parte do maior pacote de investimentos da história da Copel Distribuição, junto à Rede Elétrica Inteligente, com aporte de R$ 820 milhões para implementar medidores inteligentes em 4,5 milhões de unidades consumidoras (casas e empresas), e às novas subestações de energia que estão em construção.

São mais de R$ 3 bilhões para modernizar e automatizar a rede, preparando-a para novos perfis de consumo relacionados às cidades inteligentes, maior autonomia dos usuários e geração sustentável. 

 

Tecnologia - Com o Rede Elétrica Inteligente, as unidades consumidoras terão medidores digitais que se comunicam diretamente com o Centro Integrado de Operação da Distribuição da Copel, facilitando o controle desde a subestação até o consumidor final. Esse investimento tecnológico permitirá leitura de consumo a distância e autonomia para o consumidor monitorar sua fatura. O programa também vai reduzir o tempo de desligamento provocado por intempéries e outros fatores externos ao sistema. A instalação da tecnologia acontecerá em 73 cidades das regiões Centro-Sul, Sudoeste e Oeste do Paraná, com benefício direto a 1,5 milhão de paranaenses (462 mil unidades consumidoras). (Agência Estadual de Notícias/Foto: José Fernando Ogura)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn