Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias JUBILEU DE OURO I: Ocepar tem tido papel fundamental na profissionalização da gestão das cooperativas, avalia Renato Greidanus

 

 

cabecalho informe

JUBILEU DE OURO I: Ocepar tem tido papel fundamental na profissionalização da gestão das cooperativas, avalia Renato Greidanus

jubileu de ouro I 23 08 2021

 

Desde a sua origem, em 2 de abril de 1971, a Ocepar sempre teve uma atuação voltada a profissionalizar a gestão das cooperativas filiadas, o que tem proporcionado o crescimento do setor com sustentabilidade, na opinião de Renato Greidanus, presidente da Frísia, uma das cooperativas fundadoras da Ocepar, que naquele período se chamava Cooperativa Agropecuária Batavo Ltda. “O trabalho iniciado no passado teve reflexos muito positivos e hoje percebemos o quanto foi estratégico fazer isso na época e agora estamos colhendo os frutos”, afirma. “Esse papel foi fundamental para que as cooperativas pudessem crescer de forma sustentável, usando realmente as competências dos times e os preparando para a gestão. Foi um divisor de águas”, destaca o dirigente em entrevista ao Informe Paraná Cooperativo, ao fazer uma avaliação sobre a trajetória de 50 anos da entidade que representa do cooperativismo paranaense.

Diferencial - A partir de 1999, foi criado o Sescoop/PR, que passou a integrar o Sistema Ocepar, com a função de executar as ações de monitoramento, formação profissional e promoção social das cooperativas. Para Greidanus, o acompanhamento dos indicadores econômicos e financeiros, aliado à realização dos treinamentos, são iniciativas marcantes. “É um diferencial muito importante no sistema cooperativo. É o investimento feito em pessoas, para profissionalizar as cooperativas e possibilitar que elas tenham um desempenho cada vez melhor, em todos os sentidos, seja na questão social, mas, principalmente, na administrativa, e na gestão das cooperativas”, disse.

Processo contínuo - E ele lembra que esse processo é ininterrupto. “Nós sempre teremos que estar nos atualizando e nos preparando. É uma melhoria contínua. Nesse sentido, a Ocepar e o Sescoop/PR têm feito um belo trabalho, muito bem planejado e alinhado com as necessidades das cooperativas”, frisa.

Representação institucional - Greidanus entende que as demandas do setor também estão sendo bem contempladas em outro aspecto apontado por ele como ponto forte dessas cinco décadas de história da Ocepar, que é a representação institucional. “A Ocepar é o sistema estadual mais ativo no país, principalmente quando se trata da representatividade nacional junto à OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras). O Paraná tem o sistema cooperativo mais desenvolvido do Brasil e o mais bem preparado. É um trabalho feito de forma muito profissionalizada, com toda a equipe que a Ocepar possui para dar esse suporte, defendendo os interesses do cooperativismo com muito conhecimento de causa e, muitas vezes, utilizando as equipes das cooperativas. Isso faz com que as demandas sejam centralizadas no nosso órgão representativo, através dessa conexão bem alinhada com as cooperativas”, afirma. “A Ocepar é reconhecida por apresentar os nossos pleitos de forma bastante embasada e estruturada, fazendo com que entidade tenha credibilidade junto ao governo federal, outras instituições, e no próprio Paraná”, complementa.

Intercooperação - O dirigente considera ainda positivo o fato da organização estimular constantemente a intercooperação entre as cooperativas paranaenses. A região dos Campos Gerais, onde a Frísia está sediada, se destaca no Paraná pelos projetos intercooperativos desenvolvidos juntamente com a Castrolanda e Capal. “A intercooperação é um desafio para toda e qualquer cooperativa. É necessário buscar parceiros para que possamos ter a escala necessária e, com isso, a gente consiga também, de uma certa forma, neutralizar a concorrência entre cooperativas e, ao mesmo tempo, unir forças. Por outro lado, é difícil de fazer porque é preciso, principalmente, alinhar as demandas das cooperativas, os anseios dos seus diretores, dos seus representantes e, ao mesmo tempo, haver uma certa conexão entre as cooperativas. É um trabalho que, com certeza, a Ocepar incentiva e, muitas vezes usa os exemplos da nossa região para motivar as cooperativas de outras regiões, na tentativa de buscar um modelo de intercooperação que possa gerar valor para todos e possibilite realmente multiplicar os nossos potenciais e as nossas competências. Aí, entra muito a questão das vontades dos dirigentes, daqueles que representam as cooperativas. Essas pessoas têm que chegar num momento e pensar: o que nós podemos construir em conjunto e que fará bem para todos nós?”, salienta.

Demanda - De acordo com Greidanus, também é essencial haver demanda. “A demanda é o que vai fazer com que isso possa se concretizar ou não. Eu vejo que o sistema cooperativo ainda intercoopera muito pouco. Nós poderíamos exercer muito mais a intercooperação. Mas acredito que é uma questão de amadurecimento também. A necessidade vai fazer com que isso ocorra porque não adianta querer impor. Tem que criar um ambiente, seja ele econômico, social, ou estratégico, que vai fazer com que as cooperativas sentem e comecem pensar de forma estratégica e mais intercooperada, vamos dizer assim”, acrescenta.

PRC200 - O presidente da Frisia também fez uma avaliação sobre o Plano Paraná Cooperativo (PRC200), o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, coordenado pelo Sistema Ocepar, cuja meta financeira é atingir R$ 200 bilhões de faturamento nos próximos anos. “Temos que planejar qualquer coisa em nossa vida. Isso passa pela família, por nossa vida pessoal, e não é diferente nas empresas ou instituições. E o PRC200 faz o alinhamento dos planejamentos estratégicos das cooperativas com o do setor. Eu vejo o PRC200 como muito estratégico pois, com esse plano, nós conseguimos imaginar mais ou menos como vamos chegar lá e o que vamos fazer para chegar lá em conjunto. Cada um, lógico, na sua individualidade como cooperativa e, às vezes, dentro de uma intercooperação”, afirma Greidanus.

Maltaria - Ele cita como exemplo a Maltaria dos Campos Gerais, um grande investimento que reúne seis cooperativas: Agrária, Frísia, Capal, Castrolanda, Coopagrícola e Bom Jesus. “O modelo está se adaptando e estamos buscando soluções em conjunto, onde as cooperativas têm interesses e afinidades. Com isso, nós queremos potencializar e rentabilizar melhor a produção dos nossos cooperados, dar mais segurança para eles, e, ao mesmo tempo, visar a agroindustrialização, que funciona como um motor para fazer esse negócio acontecer”, complementa o dirigente.

Elevação dos investimentos - Essa iniciativa está em consonância com outro objetivo do PRC200, que é elevar o valor dos investimentos realizados pelas cooperativas do Paraná em R$ 5 bilhões por ano. “Eu acho que todas as cooperativas de certa forma estão neste momento, de buscar investimentos, aumentar o seu faturamento e, automaticamente, isso irá refletir em todas as áreas da cooperativa, nos cooperados e suas famílias, nos colaboradores e suas famílias, no ambiente em que vivemos. Acredito que sempre temos que encontrar esse equilíbrio entre a questão social, ambiental e econômica. Esse é um dos papéis mais importantes da cooperativa e do sistema cooperativista. E, com toda a modéstia, a gente consegue fazer isso muito bem, pois, antes de tudo, somos uma sociedade de pessoas e estamos atentos ao que deriva à sua volta, suas necessidades, seu bem-estar, seja em educação, na preservação do ambiente e, logicamente, na questão econômica, para poder sustentar tudo isso.”

Reconhecimento - No entendimento de Greidanus, fazer com que a sociedade tenha mais conhecimento sobre o amplo trabalho que as cooperativas realizam, com base em valores e princípios característicos do movimento, é um dos grandes desafios do setor. “Nós precisamos mostrar para a população e até para a sociedade internacional, aos nossos clientes, o que somos, o que representamos, quais são os nossos valores”, frisa. E mostrar que o nosso produto é feito por pessoas para pessoas, pois no nosso modelo de negócio, o centro de tudo são as pessoas. E eu acho que esse é o objetivo de qualquer sociedade, o respeito às pessoas. Nós fazemos isso mas, muitas vezes, não conseguimos atingir o público e realmente evidenciar quem nós somos e o que fazemos. Isso é importante não só pelo reconhecimento em si, mas para mostrar que esse Brasil que todos esperam existe e o cooperativismo é um pedaço desse país, que representa um mundo de gente, de pessoas, e isso, de certa forma não chega na sociedade do jeito que gostaríamos”, afirma. “Esse talvez seja um dos maiores desafios, das cooperativas e da Ocepar: fazer com que a população conheça esse cooperativismo justo, legítimo e que busca o bem-estar da sociedade como um todo”, finaliza.

Sobre a Frísia - Em 2025, a Frísia completa um século de história. A cooperativa é a mais antiga do Paraná e segunda do Brasil, e tem como valores Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). Com unidades no Paraná e Tocantins, em 2020 produziu 283 milhões de litros de leite, 832.765 toneladas de grãos e 28.063 toneladas de suínos, resultado do trabalho de 895 cooperados e 1.119 colaboradores. Para promover o crescimento nos próximos cinco anos, a Frísia desenvolveu o planejamento estratégico “Rumo aos 100 Anos”, um conjunto de propostas que visa aumentar a produção agropecuária e os investimentos com outras cooperativas e em unidades próprias. O planejamento da Frísia foi desenhado sob seis perspectivas principais: Sustentabilidade, Gestão, Mercado, Pessoas, Financeiro e Cooperados. Assim, seguirá a missão da cooperativa, que é disponibilizar produtos e serviços para gerar resultado sustentável a cooperados, colaboradores e parceiros. Saiba mais em frisia.coop.br.

Jubileu de Ouro - A Ocepar completou 50 anos no dia 2 de abril de 1971. Em comemoração ao Jubileu de Ouro, o Informe PR Cooperativo está divulgando matérias com o objetivo de destacar fatos ligados a essas cinco décadas de história e ao cooperativismo paranaense também. Com a entrevista do presidente da Frísia, Renato Greidanus, o Informe PR Cooperativo encerra a série de reportagens produzidas com os presidentes de cooperativas que fundaram a Ocepar e que ainda estão atuantes. Os dirigentes fizeram uma avaliação sobre o trabalho que a entidade vem realizando durante esse período, em defesa do cooperativismo paranaense e com o intuito de promover o desenvolvimento do setor. Além de Greidanus, foram ouvidos os presidentes da Agrária, Jorge Karl; da Copacol, Valter, Pitol; da Copagril; Ricardo Chapla; da Witmarsum, Artur Sawatzki e da Coagro, Sebaldo Waclawovsky. (Com informações e foto da Assessoria de Imprensa da Frísia)

COOPERATIVAS FUNDADORAS DA OCEPAR

  1. Cooperativa Agropecuária Guarany Ltda
  2. Cooperativa de Transportes, Cargas e Anexos de Paranaguá
  3. Cooperativa de Consumo dos Rodoviários de Maringá Ltda
  4. Cooperativa Central Agrária Ltda
  5. Cooperativa Mista Agropecuária Witmarsum Ltda
  6. Cooperativa de Consumo dos Funcionários da Cia Cacique de Café Solúvel
  7. Cooperativa Agrícola Consolata Ltda
  8. Cooperativa Agropecuária Mista de Laranjeiras do Sul
  9. Cooperativa Agrícola Cotia Norte do Paraná
  10. Cooperativa Agrícola Irati Ltda
  11. Cooperativa Mista 26 de Outubro Ltda
  12. Cooperativa de Consumo do 14º Distrito Rodoviário
  13. Cooperativa Agropecuária Batavo Ltda
  14. Cooperativa Mista Francisco Beltrão Ltda
  15. Cooperativa Agropecuária Capanema
  16. Cooperativa de Consumo de São Mateus do Sul Ltda
  17. Cooperativa Agropecuária Sabadi Ltda
  18. Cooperativa Agrícola do Oeste Ltda
  19. Cooperativa Agrícola Mista Rondon Ltda
  20. Cooperativa Agrícola Mista Palotina Ltda
  21. Cooperativa Agrícola Cotia Sul do Paraná
  22. Cooperativa Mista dos Fornecedores de Lenha Brasil Ltda
  23. Cooperativa Agropecuária Sudoeste Ltda
  24. Cooperativa Agropecuária Cascavel Ltda
  25. Cooperativa de Consumo dos Empregados da Cia Fiat Lux Ltda
  26. Cooperativa Central Agrícola Sul do Brasil de Curitiba Ltda
  27. Cooperativa Agrária dos Cafeicultores de Nova Londrina Ltda
  28. Cooperativa Mista dos Ruralistas de Ponta Grossa Ltda
  29. Cooperativa Mista Agropecuária de Guarapuava Ltda
  30. Cooperativa Agrícola Mista Cerro Azul Ltda
  31. Cooperativa Central Agrícola dos Cafeicultores do Paraná
  32. Cooperativa do Livro dos Acadêmicos e Profissionais de Agronomia e Veterinária do Paraná
  33. Cooperativa Central de Laticínios do Paraná Ltda
  34. Cooperativa Agro-Malte Paraná Ltda

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias