VALOR 1000 I: Cooperativas do PR continuam avançando no ranking das mil maiores empresas do país

destaque valor 1000 01 10 2021A 21ª edição do anuário Valor 1000 que acaba de ser publicada pelo jornal Valor Econômico traz novamente em destaque um grupo de cooperativas do Paraná que tem figurado no ranking, subindo, em sua maioria, muitas posições entre as mil maiores empresas do país a cada levantamento. São elas: Coamo, C.Vale, Lar, Cocamar, Copacol, Agrária, Integrada, Castrolanda, Frimesa, Frísia, Coopavel, Coasul Copagril, Capal, Coopertradição, Coagru e Primato (veja o quadro abaixo). Há cooperativas paranaenses também entre as 50 maiores empresas do Sul do país e várias bem classificadas no setor agropecuário.

Classificação - O levantamento do Valor 1000 é feito em parceria com a Serasa Experian e o Centro de Estudos em Finanças da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAE). Desta vez, foram analisados 1.102 balanços ante a 1.139 em 2019. Para chegar às mil maiores, a classificação final leva em consideração a pontuação obtida pelas empresas em oito critérios: receita líquida, margem Ebitda, giro do ativo, margem de atividade, rentabilidade, cobertura de juros, liquidez corrente e crescimento sustentável. Entre eles, o de maior peso é a receita líquida, seguido da margem Ebitda e da rentabilidade do patrimônio. Além disso, o anuário traz as campeãs em 26 setores e os destaques nas cinco regiões do país.

Entre as maiores do Sul - Na lista das 50 maiores empresas do Sul do país, estão presentes a Coamo (3º lugar), C.Vale (8º), Lar (11º), Cocamar (19º), Copacol (24º), Agrária (30º), Integrada (31º), Castrolanda (33º), Frimesa (39º), Frísia (40º), Coopavel (44º) e Coasul (49º).

Por setor - No setor agropecuário, as cooperativas paranaenses estão listadas da seguinte forma na classificação final: Coamo em 5º lugar, Lar em 7º e C.Vale na 9ª posição. Em receita líquida, a Coamo está em 1º lugar; C.Vale em 2º; Lar em 3º e Cocamar em 6º. No critério rentabilidade, a Lar aparece em 7º e a Coopavel em 9º. Já em liquidez corrente, a Coamo está posicionada em 5º. Em cobertura de juros e em crescimento sustentável, a Frísia está em 10º.

Ramo saúde - Entre os 50 maiores planos de saúde, a Unimed Curitiba, Unimed Londrina e Unimed Regional Maringá estão, respectivamente, em 11º, 34º e 37º lugares. Nos destaques, a Unimed Curitiba está listada em 14º entre as 20 maiores em lucro líquido; em 16º em lucro operacional; em 11º entre as 20 maiores em aplicações financeiras; em 14ª entre as 20 maiores empresas em ativo total e em 13º lugar entre as maiores em patrimônio líquido. Já a Unimed Regional Maringá figura em 18º lugar entre as 20 que mais cresceram em contraprestações efetivas e em 18º lugar entre as 20 maiores em margem operacional.

Ramo crédito - O cooperativismo está presente também no ranking do Valor 1000 referente ao setor financeiro. O Sicoob ocupa a 8ª colocação e o Sicredi a 9ª entre os 100 maiores bancos brasileiros. O Sicoob figura em 8º entre os 20 maiores em operações de crédito; em 6º entre os 20 maiores em depósitos totais; em 7º entre os 20 maiores em receita de intermediação; em 6º entre os 20 com melhor resultado operacional, sem a equivalência patrimonial; em 7º entre os 20 maiores em patrimônio líquido; em 7º entre os 20 maiores em lucro líquido; em 10º entre os 20 com melhor rentabilidade operacional, sem a equivalência patrimonial, entre os grandes. Entre os 20 mais rentáveis sobre o patrimônio, entre os grandes, está em 9º; em 18º entre os 20 com menor custo operacional, entre os grandes; em 10º entre os bancos que mais cresceram em operações de crédito, entre os grandes; em 16º entre os 20 bancos que mais cresceram em depósitos totais, entre os grandes e em 17º entre os 20 com menor custo operacional, entre os grandes.

Sicredi - O Sicredi está em 7º lugar entre os 20 maiores em operações de crédito; em 7º entre os 20 maiores em depósitos totais; em 8º entre os 20 maiores em patrimônio líquido e entre os 20 maiores em lucro líquido; 8º entre os 20 maiores em receita de intermediação; em 7º entre os 20 com melhor resultado operacional sem a equivalência patrimonial e em 7º com melhor rentabilidade operacional, sem equivalência patrimonial, entre os grandes. Ficou ainda em 4º entre os 20 mais rentáveis sobre o patrimônio, entre os grandes; em 12º entre os 20 com menor custo operacional, entre os grandes; em 11º entre os bancos que mais cresceram em operações de crédito, entre os grandes e em 15º entre os bancos que mais cresceram em depósitos totais, entre os grandes.

valor 1000 tabela I 01 10 2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

valor 1000 tabela II 01 10 2021

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn