cabecalho informe

FÓRUM COOP I: Cooperativas contribuem de forma decisiva para o desenvolvimento do PR, diz Richa

A forma de atuação e os benefícios proporcionados pelo cooperativismo no Estado do Paraná foram ressaltados pelo governador Beto Richa, na noite desta quinta-feira (22/11), em Carambeí, na região paranaense dos Campos Gerais. Ele esteve na abertura do Fórum Coop 2012, evento que encerra as comemorações do Ano Internacional das Cooperativas, realizado pela Associação do Parque Histórico de Carambeí (APCH) e Sistemas Ocepar e OCB, numa promoção intergrada das cooperativas Batavo, Castrolanda, Capal e Bom Jesus. “Estamos aqui para demonstrar o respeito e a consideração do governo ao cooperativismo, que contribui de forma decisiva para o desenvolvimento econômico e social do Paraná. O setor gera 1,5 milhão de empregos, recolhe R$ 1,2 bilhão em impostos, participa com 55% do PIB agropecuário paranaense e exportou US$ 2,2 bilhões. Nossa intenção é fortalecer cada vez mais o cooperativismo”, afirmou Richa. “O cooperativismo paranaense, nos últimos trinta anos, não mudou apenas a paisagem rural do Estado, com o florescimento de novas culturas agrícolas mas também ajudou a mudar a fisionomia urbana das nossas cidades, criando renda e impostos que ajudaram a viabilizar a pavimentação de ruas, a construção de escolas e creches, bibliotecas, hospitais, enfim, todas as obras necessárias para melhorar a vida das pessoas”, acrescentou.

Apoio – O governador lembrou que, no último dia 25 de outubro, sancionou a lei estadual complementar de apoio ao cooperativismo e listou várias outras ações que, segundo Richa, demonstram a sinergia do governo com o setor, entre as quais, o repasse de recursos por meio do Banco Regional de Desenvolvimento (BRDE). “Ano passado, a agência paranaense do BRDE contratou R$ 750 milhões em operações de crédito à produção. Desse total, R$ 287 milhões foram destinados às cooperativas. Neste ano, até o final de outubro, o BRDE já havia repassado R$ 360 milhões para atender as necessidades de financiamento do setor, montante que equivale praticamente à metade dos recursos liberados pelo BRDE no Estado nesse mesmo período”, ressaltou Richa.

Patrulha do Campo - Ele falou ainda sobre o lançamento do programa Patrulha do Campo, no último dia 12, atendendo a um pleito das cooperativas do Paraná. “O programa vai repassar máquinas e equipamentos a consórcios municipais a fim de recuperar as nossas estradas rurais. Trinta patrulhas de um total de 60 que serão compradas pelo Estado até 2014 já podem ser usadas pelas prefeituras. Além das máquinas, o governo dará suporte às prefeituras nos projetos de engenharia, com investimento inicial de R$ 110 milhões em favor de 200 municípios paranaenses. Os projetos técnicos reduzirão os impactos ambientais das obras, além de cobrir gastos futuros com a manutenção das estradas rurais”, afirmou. O governador também citou os investimentos realizados pelo Programa Paraná Competitivo, que também está beneficiando as cooperativas, e também em infraestrutura, principalmente no porto de Paranaguá. “Estão assegurados aportes de R$ 235 milhões em 2013 para melhoria e ampliação das instalações portuárias e até 2014 esperamos investir R$ 1,6 bilhão, entre recursos públicos e privados”, friosu.

Cooperativas de origem holandesa – O governador também destacou o trabalho das cooperativas de origem holandesa instaladas na região dos Campos Gerais. “Mais de 100 anos atrás, os pioneiros de imigrantes holandeses que se estabeleceram aqui enfrentaram as adversidades típicas da adaptação ao um novo país. Com trabalho árduo e perseverança, eles se uniram em torno de seus objetivos, venceram obstáculos e deixaram como legado a primeira grande experiência de cooperativismo no nosso país. A criação da Batavo em Carambeí, da Castrolanda, em Castro, e da Capal, em Arapoti, constitui uma das mais belas e bem sucedidas páginas da história do cooperativismo. Não apenas pelos altíssimos níveis de produtividade de sua bacia leiteira mas por sua inestimável contribuição ao modelo de cooperativismo construído no Paraná”, afirmou. “Por tudo isso, parece-nos bastante adequado que a realização deste evento que marca o Ano Internacional das Cooperativas, justamente declarado pela Assembleia Geral da ONU, tenha como pano de fundo o grandioso panorama dos Campos Gerais, onde o cooperativismo lançou suas sementes mais férteis”, sublinhou Richa.

Crescimento – Em seu pronunciamento, o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, ressaltou que o cooperativismo paranaense deve registrar mais um ano de crescimento. “Deveremos passar dos R$ 32 bilhões alcançados em 2011 para R$ 35 bilhões neste ano, valor que pode ser ultrapassado em função do desempenho do segundo semestre. Lembramos ainda que o cooperativismo de crédito já atingiu mais de R$ 12 bilhões de ativos e que elas respondem por mais de 20% da aplicação dos recursos do crédito rural no Paraná. O ramo saúde atende a mais de 1,8 milhão de usuários. O setor está avançando também em outros ramos como educação, infraestrutura, transportes, trabalho”, ressaltou. “Assim, o cooperativismo paranaense está contribuindo para construir um mundo melhor, mais justo e com distribuição de renda”, acrescentou.

Moeda comemorativa – Koslovski presenteou o governador com a moeda cunhada pelo Banco Central em comemoração ao Ano Internacional das Cooperativas. Ela foi entregue em conjunto pelos presidentes das cooperativas, Batavo, Renato Greidanus, da Castrolanda, Frans Borg, da Capal, Eric Bosh, da Bom Jesus, Luiz Roberto Baggio,pelo gerente geral da Coopagrícola, Prentice Balthazar Junior e pelo presidente da APHC, Dick de Geus.

Presenças Prestigiaram ainda a aberturado Fórum Coop 2012 o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara; os deputados estaduais Elio Ruschi, Pedro Lupion, Marcelo Rangel e Plauto Miró; o cônsul do reino dos países baixos para o Paraná e Santa Catarina, Robert W. de Ruijter; o prefeito de Carambeí, Leon Larocca; o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Nivaldo Assis Pagliari. Também estavam presentes o presidente da Jucepar, Ardisson Naim Akel, o diretor financeiro da Faep, Luiz Biscaia, o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile e o superintendente do Sescoop Nacional, Luis Tadeu Prudente, e dirigentes cooperativistas de todas as regiões do Estado.

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias