Início Sistema Ocepar Desenv. Técnico Informes Técnicos Anteriores Nº 88 - Evolução das cotações de Soja, Milho e Trigo na CBOT

 

cabecalho informe tecnico

Nº 88 - Evolução das cotações de Soja, Milho e Trigo na CBOT

 agrosafra

1. EVOLUÇÃO DAS COTAÇÕES DA SOJA, MILHO E TRIGO NA CBOT

  

Nos últimos 30 dias as cotações da soja, milho e trigo na CBOT variaram cerca de +7,0%, +1,0% e 0,0%, respectivamente em relação ao período anterior.

O mercado mais nervoso para preços no período foi o da soja que apresentou uma elevação média de US$ 12,40 para US$ 13,30/bushel, ou seja, US$ 0,90/bushel ou US$ 2,0/saca de 60 kg. Esse aumento de preços foi motivado pela quebra de cerca de 11,5 milhões de toneladas de soja no Sul do Brasil, Argentina e Paraguai e recentemente pela disputa por área de plantio entre soja e milho nos Estados Unidos que inicia o plantio da safra 2012/13 no próximo mês de abril.

As cotações médias dos contratos negociados na CBOT em 02 de março de 2012 foram de:

  • US$ 13,30/bushel = US$ 29,41/saca de 60 kg para a soja;
  • US$ 6,30/bushel = US$ 14,88/saca de 60 kg para o milho;
  • US$ 6,90/bushel = US$ 15,26/saca de 60 kg para o trigo.

Estas cotações nos diferentes vencimentos dos contratos para soja, milho e trigo estão nos quadros 01, 02 e 03.

 

Quadro 01 - Cotações da soja na CBOT – Chicago Board of Trade em 02 de março (fechamento)

SOJA

02 de março

Cotações
(cents US$/bushel)

Cotações
(US$/saca)

Variação - dia ant.
(cents US$/bu)

Variação
(US$/Sc)

mar/12

1328,25

29,27

11,50

0,25

mai/12

1333,00

29,38

10,50

0,23

jul/12

1340,25

29,54

10,75

0,24

ago/12

1330,50

29,32

10,00

0,22

set/12

1312,25

28,92

7,00

0,15

Fonte: Cbot, www.cbot.com Elaboração: Ocepar/Getec – Março/12 – 1 bushel de soja = 27,216 kg.

 

Quadro 02 - Cotações do milho na CBOT – Chicago Board of Trade em 02 de março (fechamento)

MILHO

02 de março

Cotações
(cents US$/bushel)

Cotações
(US$/saca)

Variação - dia ant.
(cents US$/bu)

Variação
(US$/Sc)

mar/12

659,00

15,57

5,25

0,12

mai/12

655,00

15,47

1,00

0,02

jul/12

656,25

15,50

0,75

0,02

set/12

604,50

14,28

6,50

0,15

dez/12

570,00

13,46

3,25

0,08

Fonte: Cbot, www.cbot.com Elaboração: Ocepar/Getec – Março/12 – 1 bushel de soja = 27,216 kg.

 

Quadro 03 - Cotações do trigo na CBOT – Chicago Board of Trade em 02 de março (fechamento)

TRIGO

02 de março

Cotações
(cents US$/bushel)

Cotações
(US$/saca)

Variação - dia ant.
(cents US$/bu)

Variação
(US$/Sc)

mar/12

670,75

14,78

11,50

0,25

mai/12

674,50

14,87

10,50

0,23

jul/12

686,25

15,12

10,25

0,23

set/12

701,25

15,46

8,75

0,19

dez/12

716,50

15,79

11,25

0,25

Fonte: Cbot, www.cbot.com Elaboração: Ocepar/Getec – Março/12 – 1 bushel de soja = 27,216 kg.

2. AGRO-COTAÇÕES – NO PARANÁ PARA SOJA, MILHO E TRIGO.

 

Os preços médios recebidos pelos produtores paranaenses em 02 de março levantados pela Seab/Deral, para a soja foram de R$ 45,52/saca de 60 kg, de R$ 23,45/saca de 60 kg para o milho e de 23,51/saca de 60 kg para o trigo, com elevação de preços para a soja, milho e trigo na comparação com a média de preços de fevereiro de 2012, o caso da soja foi de maior elevação comparativa chegando a 5,0% no período.

 

Quadro 04 – Evolução dos preços da soja, milho e trigo (em R$ por saca de 60 kg)

Preços

02 mar. 2012

Fevereiro/12

Fevereiro/11

Soja

45,52

43,47

45,68

Milho

23,45

23,07

22,34

Trigo

23,51

23,43

25,25

Fonte: Seab/Deral, elaboração: Ocepar/Getec - Março/12.

 

A elevação dos preços da soja e milho no início de 2012 foi motivada pela estiagem que ocorreu no Sul do Brasil, Paraguai e Argentina.

            No Paraná as perdas da safra de verão 2011/12, segundo a Seab/Deral chegaram a 5,0 milhões de toneladas para as culturas da soja, milho e feijão, com prejuízos financeiros na ordem de R$ 3,3 bilhões. No caso da safra Sul Americana de soja e milho as perdas foram de cerca de 20,0 milhões de toneladas, com redução da contribuição para o abastecimento mundial e consequentemente reflexos nas cotações domésticas e internacionais das commodities agrícolas.

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn