Início Sistema Ocepar Desenv. Técnico Informes Técnicos Anteriores nº 45 - Informe Pecuário

 

cabecalho informe tecnico

nº 45 - Informe Pecuário

Cabeca Informe_Pecuario

 

1. Mercado - Carne Bovina

 As exportações de carne bovina do Brasil atingiram US$ 2,4 bilhões de dólares no primeiro semestre de 2013, alta de 19,1% ante igual período do ano passado, conforme dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O volume cresceu 26,9%, para 525 mil toneladas, aumento associado à entrada de novos mercados, e com perspectiva de aumento, pela esperada retomada das vendas a países do Oriente Médio, que haviam embargado total ou parcialmente compras de carne bovina do Brasil após o caso de encefalopatia espongiforme bovina (EEB) atípica, em dezembro de 2012. Vale Destacar que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) confirmou em maio a classificação do Brasil como “risco insignificante” para a EEB. 

1

2

O Brasil, maior exportador global de carne bovina, registrou receita recorde de 5,8 bilhões de dólares com as exportações do produto em 2012. Segundo, a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), a indústria tem trabalhado para ampliar sua participação em importantes regiões, incluindo a Europa, a Ásia e o Oriente Médio. O principal destino da carne bovina no 1º semestre foi Hong Kong, que registrou aumento de 67,7% na comparação anual.

No contexto do mercado interno, de acordo com informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA), a oferta de animais para abate seguiu baixa na maioria das regiões em junho, sinalizando início do período de entressafra. Nesse cenário, os preços da arroba estiveram firmes ou em alta em praticamente todas as praças. O Indicador do boi gordo ESALQ/BM&FBovespa encerrou o mês a R$ 100,48, com alta de 2,24% no acumulado de junho.

2. Mercado - Carne Suína

Quedas nas exportações de carne suína marcaram o mês de junho. Contudo, as perspectivas são positivas para o segundo semestre. Rússia, Hong Kong e Ucrânia foram os principais compradores no 1º semestre, e Japão deve alavancar exportações, nos próximos meses, com abertura de mercado. O Brasil exportou 34,3 mil toneladas de carne suína em junho, queda de 10,8% em relação a junho de 2012. A receita foi de US$ 88,3 milhões, retração de 10,9%. No acumulado do ano, as vendas externas atingiram 202,8 mil toneladas, redução de 11,4% ante mesmo período de 2012.

 O Brasil faturou US$ 564,9 milhões de janeiro a junho, queda de 8,5% em relação ao mesmo período de 2012.  Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (ABIPECS), nos seis primeiros meses do ano, a Rússia foi o principal destino da carne suína brasileira e respondeu por 28,71% das exportações, seguida por Hong Kong, com 25,30%, e Ucrânia, com 10,55%. Com relação ao faturamento, a sequência é a mesma: Rússia em primeiro lugar, com 31,93% da receita, Hong Kong com 23,73%, e Ucrânia com 11,62%. No mês de junho, a Rússia liderou o ranking e respondeu por 31,40% das exportações. Hong Kong teve participação de 28,92%. 

3

4

As cotações do suíno vivo e da carne seguem em queda, mesmo com a chegada do inverno, período em que o consumo de carne suína tende a aumentar. Segundo pesquisadores do Cepea, as cotações relativamente baixas do frango e da carne bovina estão atraindo o consumidor que, nesta época do mês, costuma mesmo reduzir as compras, com reflexos no segmento atacadista. Do lado da oferta, não há indícios de que a produção de suínos tenha apresentado modificações significativas recentemente, mas, diante da demanda baixa, a oferta acaba se sobressaindo.

3. Mercado - Carne de Frango

Em junho, o preço médio de exportação da carne in natura aumentou 14,4% em relação ao mesmo mês de 2012, segundo a MDIC/Secex (Secretaria de Comércio Exterior). O aumento de preço permitiu uma melhora na receita com exportações. De janeiro a junho, foram exportados US$ 3,6 bilhões em carne de frango, alta de 9,3% em relação a igual período de 2012. Para aumentar o volume embarcado, o setor aposta na abertura do mercado mexicano. O país já anunciou isenção de tarifas de importação para uma cota de 300 mil toneladas, que deverão ser compradas em um ano. Afetado por focos de gripe aviária, o México precisa recorrer a novos fornecedores, além dos EUA, seu tradicional exportador, para abastecer o mercado local. A recuperação nos preços de exportação do frango não é suficiente para animar investimentos no setor. Como o consumo no Brasil continua estagnada, a produção também se mantém estável.

5

6

  A produção de carne de frango brasileira tem aumentado e em junho o volume exportado apresentou queda, após quatro meses consecutivos de aumento. Com a elevação da disponibilidade interna, a carne se desvalorizou no mercado doméstico em junho. Segundo dados do Cepea, para julho, há sinais de recuperação, mas pode ser reflexo apenas do aumento da demanda, típico do período.

4. Mercado – Leite

A menor produção de leite neste período de entressafra e a demanda firme, impulsionaram os valores pagos aos produtores pelo quinto mês consecutivo. Em junho, o valor bruto do leite pago ao produtor calculado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, atingiu R$ 1,0178/litro (esta média é ponderada pelo volume captado em maio nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA). O reajuste em relação ao mês anterior foi de 3,3% ou de 3,3 centavos por litro. Na comparação com junho de 2012, o acréscimo foi de expressivos 11,7% em termos reais (descontando-se a inflação do período – IPCA). O preço líquido recebido pelo produtor chegou a R$ 0,9420/litro em junho, aumento de 3,6% frente ao mês anterior. Simultaneamente, as condições para importação não estão favoráveis devido ao dólar valorizado e à menor oferta mundial de leite em pó – que eleva os preços internacionais. Essa baixa disponibilidade de leite aliada à demanda firme pelo consumidor provocam grande disputa pela matéria-prima entre as indústrias, com reflexos sobre os preços aos produtores e dos derivados lácteos.

7

 

8

5. Referências

- ABIEC, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes. Disponível em: www.abiec.com.br.

- ABRAFRIGO, Associação Brasileira de Frigoríficos. Disponível em: www.abrafrigo.com.br.

- AGROSTAT, Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro. Disponível em: www.agricultura.gov.br.

- AviSite, Portal da Avicultura na Internet. Disponível em: www.avisite.com.br.

- AveWorld, O Megaportal da Avicultura Brasileira. Disponível em: www.aveworld.com.br.

- APS, Associação Paranaense de Suinocultores. Disponível em: www.aps.org.br.

- CEPEA, Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada. Disponível em: www.cepea.com.br.

- CILeite, Centro de Inteligência do Leite. Disponível em: http://www.cileite.com.br.

- MDIC, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Disponível em: www.mdic.gov.br.

- PorkWorld, O Megaportal da Suinocultura na América Latina. Disponível em: www.porkworld.com.br.

- Scot, Scot Consultoria. Disponível em: http://www.scotconsultoria.com.br.

- SEAB, Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná. Disponível em : http://www.seab.pr.gov.br.

- Sindicarne, Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados. Disponível em: www.sindicarne.com.br.

- Suinocultura Industrial. Disponível em: www.suinoculturaindustrial.com.br

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn