Início Sistema Ocepar Desenv. Técnico Informes Técnicos Anteriores nº 51 - Informe Pecuário

 

cabecalho informe tecnico

nº 51 - Informe Pecuário

Cabeca Informe_Pecuario

 

1. Mercado - Carne Bovina

As exportações de carne bovina do Brasil, aumentaram 11,7 por cento em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2013, para 130,5 mil toneladas, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec). Hong Kong foi o principal mercado para a carne brasileira no primeiro mês de 2014, somando US$ 125 milhões (31 mil toneladas exportadas), seguido da Rússia, União Europeia, Venezuela e Irã. A carne in natura também continua sendo a categoria de produtos brasileiros mais desejada pelos importadores em todo mundo, atingindo um faturamento de US$ 458,9 milhões.

 01

O Paraná, a partir deste ano, irá auxiliar no incremento da exportação de carne bovina brasileira, ainda que de forma modesta. Após quase nove anos de embargos, o Estado volta a trabalhar com a Rússia. O serviço veterinário russo habilitou dois frigoríficos paranaenses a exportarem para o país, após visita em 2013. O Frigorífico Astra (que faz parte da Abiec), de Cruzeiro do Oeste, e o VPR Brasil Importações e Exportações, do município de Colorado, poderão vender para a Rússia, conforme comunicado do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). No ano passado, o Estado foi responsável por apenas 1% do volume total de carne bovina exportada pelo País. Foram 22,1 mil toneladas, contra 18,4 mil em 2012, ou seja, um incremento de 20% no período. Os números são do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Estado do Paraná (Seab).

 02

 2. Mercado - Carne Suína

O Brasil exportou 29,2 mil toneladas de carne suína in natura em janeiro, uma queda de 15,59% em relação ao mesmo período de 2013. A receita, de US$ 80,9 milhões, foi 15,22% menor do que a apurada em janeiro do ano passado. Houve retração de 4,51 % no preço médio na comparação com o preço de dezembro de 2013.  A Rússia foi o principal destino da carne suína brasileira, com participação de 34,56% nas exportações do mês, seguida por Hong Kong, com 26,48%, e Angola, com 11,61%. A mesma sequência se verificou na receita: a Rússia em primeiro lugar, com 41,36%, Hong Kong, com 24,23%, e Angola, com 7,28%. A Ucrânia não aparece entre os principais destinos. Segundo dados da Abipecs.

 03

 

 04

  3. Mercado - Carne de Frango

As exportações brasileiras de carne de frango in natura cresceram 3,86% em janeiro, totalizando 269,9 mil toneladas neste ano, frente as 259,9 mil toneladas do primeiro mês de 2013. Na receita em dólar houve queda de 5,97% segundo o mesmo período comparativo, com US$ 478,8 milhões neste ano, contra US$ 509,2 milhões no ano passado. Na análise por produto, os cortes seguem como principal segmento de exportação em janeiro deste ano, com 165,5 mil toneladas (+8,5%). Em segundo lugar veio o frango inteiro, com 104,4 mil toneladas (-2,7%). Na terceira posição, as carnes salgadas totalizaram 17,7 mil toneladas (+2,5%). Por último, os industrializados atingiram 12 mil toneladas (-8,9%). Já na avaliação por destino, o Oriente Médio manteve-se como principal importador de carne de frango, com 111 mil toneladas (+4,2%) embarcadas no primeiro mês de 2014.  No segundo posto, a Ásia totalizou 92,4 mil toneladas (+12,3%). Em terceiro lugar, a África importou 37,2 mil toneladas (-7,9%).  Quarto principal destino, a União Europeia foi responsável por 36,1 mil toneladas (+1,9%).  Para os países das Américas foram embarcadas 16,8 mil toneladas (-9,8%).  Por fim, na última posição, países europeus não pertencentes à União Europeia importaram 5,9 mil toneladas (-15%) em janeiro de 2014.

 05

  4. Mercado – Leite

Após os consecutivos aumentos no correr do ano passado, a captação de leite pelas indústrias/cooperativas teve ligeira queda neste início de 2014, de acordo com o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-L/Cepea). A menor produção em janeiro esteve atrelada, principalmente, à seca nos estados da região Centro-Sul do Brasil, segundo indicam pesquisadores do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.

 

Mesmo com a menor produção, o preço do leite pago ao produtor caiu 0,41% em fevereiro, quando considerada a “média Brasil” (BA, GO, MG, PR, RS, SC e SP). Desde 2004 que o Cepea não verificava queda de preços de janeiro para fevereiro. Dentre as regiões acompanhadas pelo Cepea, apenas Goiás, Minas Gerais e Bahia registraram aumento nas cotações do leite. No caso da Bahia, a captação chegou a aumentar em janeiro, mas a firme demanda pela matéria-prima manteve o preço em alta.

 

 06

  

07

 5. Referências

- ABIEC, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes. Disponível em: www.abiec.com.br.

- ABRAFRIGO, Associação Brasileira de Frigoríficos. Disponível em: www.abrafrigo.com.br.

- AGROSTAT, Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro. Disponível em: www.agricultura.gov.br.

- AviSite, Portal da Avicultura na Internet. Disponível em: www.avisite.com.br.

- AveWorld, O Megaportal da Avicultura Brasileira. Disponível em: www.aveworld.com.br.

- APS, Associação Paranaense de Suinocultores. Disponível em: www.aps.org.br.

- CEPEA, Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada. Disponível em: www.cepea.com.br.

- CILeite, Centro de Inteligência do Leite. Disponível em: www.cileite.com.br.

- MDIC, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Disponível em: www.mdic.gov.br.

- PorkWorld, O Megaportal da Suinocultura na América Latina. Disponível em: www.porkworld.com.br.

- Scot, Scot Consultoria. Disponível em:  www.scotconsultoria.com.br.

- SEAB, Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná. Disponível em : www.seab.pr.gov.br.

- Sindicarne, Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados. Disponível em: www.sindicarne.com.br.

- Suinocultura Industrial. Disponível em: www.suinoculturaindustrial.com.br

 

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn