Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias COAMO: Estado e cooperativa discutem logística reversa de medicamentos veterinários

 

 

cabecalho informe

COAMO: Estado e cooperativa discutem logística reversa de medicamentos veterinários

 

coamo 29 08 2019A equipe da Divisão de Resíduos Sólidos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo recebeu na terça-feira (27/08) representantes da cooperativa Coamo para discutir a logística reversa de medicamentos veterinários no Paraná. O objetivo de encontro foi alinhar ações para o recolhimento e destinação correta desses resíduos.

 

Defensivos agrícolas - A cooperativa já desenvolve trabalho de logística reversa de materiais de defensivos agrícolas desde 2003. Sua iniciativa mais recente é disponibilizar aos proprietários rurais cooperados pontos de coleta para que eles possam fazer o retorno das embalagens de produtos veterinários. Estão previstos cinco postos de coleta localizados nas farmácias veterinárias das unidades da Coamo em Campo Mourão, Toledo, Guarapuava, Ivaiporã e Mangueirinha.

 

Prioridade - “Uma das prioridades é a coleta de resíduos das propriedades rurais, tendo em vista o perigo que esses resíduos oferecem para a saúde e a produção”, explica a assessora técnica da Divisão de Resíduos Sólidos da secretaria, Girlene Pazini Jacob.

 

Responsabilidade - Segundo o chefe do Departamento de Direito Administrativo e Meio Ambiente da Coamo, Djalma Lucio de Oliveira, mesmo que não exista uma regulamentação para o recolhimento de embalagens de produtos veterinários, os pontos de coleta voluntária são importantes para que os fabricantes e distribuidores cumpram com sua responsabilidade quanto às embalagens pós-consumo.

 

Iniciativa - “A Coamo tomou a iniciativa, fez alguns contatos com fornecedores de produtos veterinários e conseguiu uma parceria para que eles nos ajudassem na destinação final dessas embalagens”, destaca Oliveira. Ele explica que a empresa Atitude Ambiental passará em cada uma das unidades para recolher as embalagens e posterior destinação correta.

 

Contaminação do solo - A destinação incorreta pode contaminar o solo e também gerar prejuízos financeiros para as propriedades. Em 30 dias, um projeto será estruturado pela Coamo e apresentado à secretaria estadual para ampliação da logística reversa desses resíduos em todo o Estado.

 

Obrigatoriedade - A logística reversa é obrigatória no Brasil e foi instituída pela Lei Federal nº 12.305, de 2010, que trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e regulamentada pelo Decreto nº 7.404/10. O produto pós-consumo pode voltar para a cadeia produtiva e é responsabilidade dos fabricantes, importadores e distribuidores o recolhimento para destinação correta. (Agência de Notícias do Paraná)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias