cabecalho informe

GRÃOS I: USDA reduz índice de lavouras de soja e milho dos EUA em boas/excelentes condições acima do esperado

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe seu novo boletim semanal de acompanhamento de safras nesta tarde de segunda-feira (24/08) e surpreendeu as expectativas dos traders com uma redução no índice de lavouras de soja e milho acima do que vinha sendo esperado pelo mercado.

Preocupação - "Há vários produtores preocupados. Há muita gente na lavoura preocupada, pensando que seria seu melhor ano e que agora está sofrendo", explicou o analista de mercado Aaron Edwards, consultor de mercado da Roach Ag Marketing em entrevista ao Notícias Agrícolas.

Soja - O departamento reduziu o índice de lavouras de soja em boas ou excelentes condições de 72% para 69%. O mercado esperava um recuo de 2 pontos percentuais, para 70%. O total de lavouras em condições regulares passou de 21% para 23% e em condições ruins ou muito ruins de 7% para 8%.

Formação de vagens - O percentual de lavouras em fase de formação de vagens passou de 84% para 92% na semana, contra 76% do ano passado e 87% de média das últimas cinco safras. Há ainda 4% dos campos de soja derrubando as folhas, contra 2% de 2019 e 4% de média.

Milho - Para o milho, o índice de lavouras em boas ou excelentes caiu 5 pontos percentuais e passou a 64%. O mercado esperava um recuo de 69 para 67%. São 24% das plantações em condição regular e 11% em condições ruins ou muito ruins, enquanto há uma semana eram 21% e 10%, respectivamente.

Enchimento de grãos - O USDA informa ainda que são 88% das lavouras de milho na fase de enchimento de grão, contra 76% da semana anterior, 66% de 2019 e 82% da média das últimas cinco temporadas. O boletim mostra que 44% dos campos estão na fase do milho dentado, contra 23% da última semana, 24% do ano passado e 39% de média. Há 5% das lavouras em fase de maturação, mesmo índice da média plurianual e acima dos 2% de 2019.

Previsão do tempo - O clima no Corn Belt é um dos principais focos do mercado de grãos neste momento e as preocupações com a falta de chuvas em algumas regiões importantes de produção oferecem certo suporte às cotações da soja e do milho na Bolsa de Chicago neste início de semana. Ambos caminham para encerrar o primeiro pregão da semana com ligeiras altas entre as posições mais negociadas.

Condições - "As condições do milho em Iowa estão caindo, de acordo com os produtores ouvidos pelo Farm Futures e não só por conta da tempestade da semana passada. O clima muito seco está acelerando a maturação por todo o Corn Belt e poderia, inclusive, levar a uma colheita antecipada este ano", explicam os analistas do portal norte-americano Farm Futures.

Falta de chuva- Nas últimas 72 horas, partes do leste do cinturão produtivo dos EUA receberam alguns volumes de chuvas, mas ainda há porções de áreas de produção, principalmente no estado de Iowa, que carecem de precipitações mais intensas.

Maiores volumes - De acordo com o Commodity Weather Group (CWG), nos últimos três dias, cerca de 25% das áreas de soja e milho do Meio-Oeste americano foram agraciadas com as chuvas - de 12 a 51 mm, e localmente com algo perto de até 128 mm. Já na região Sudeste e do Delta, 45% da área das duas culturas receberam também algumas boas chuvas.

Clima nos EUA - Para os próximos cinco dias, as previsões seguem indicando chuvas tanto para o Meio-Oeste, quanto para o Delta. No entanto, os especialistas afirmam que antes de um alívio que pode ser sentido nos próximos 6 a 10 dias, a área sofrendo com o tempo muito seco pode se expandir. Os três mapas na sequência indicam chuvas abaixo da média para o coração do Corn Belt nos próximos 1 a 5 dias; depois - nos próximos 6 a 10 - volumes melhores são esperados para o Kansas, Missouri, centro-sul de Illinois e Indiana; e nos próximos 11 a 15, o tempo volta a ficar mais seco.

Temperaturas - No primeiro período, as temperaturas deverão seguir elevadas e voltando à normalidade nos dois seguintes, também como mostram os mapas a seguir.

Próximos dias - Olhando ainda mais a diante, nos próximos 16 a 30 dias, é possível ver que as temperaturas ficam dentro da média, mas o tempo volta a se mostrar mais seco, apenas com chuvas pontuais. "É esperada seca nos extremos leste e oeste do Meio-Oeste americano, mas o impacto da condição para a soja e o milho pode ser limitado pelas chuvas no curto prazo (período dos próximos 6 a 10 dias). (Notícias Agrícolas)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias