Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias BOM JESUS: Plantio, momento que se define o potencial genético da semente

 

 

cabecalho informe

BOM JESUS: Plantio, momento que se define o potencial genético da semente

bom jesus 28 08 2020As culturas de verão começam a tomar conta dos campos da região sudeste paranaense, com o plantio de milho, feijão e, mais tarde, da soja. Importante para iniciar bem a condução das culturas é cuidar de todos os aspectos que norteiam sua estabilidade e auxiliam a manter seu potencial produtivo. São diversos fatores que podemos listar na qual define o potencial genético da semente na lavoura, mas neste texto vamos comentar de uma em especial: a qualidade de semeadura.

Sementes certificadas - Antes de mais nada é importante o produtor plantar com sementes certificadas, exemplo da Fibra (marca própria da Cooperativa Bom Jesus) que tem à disposição dos produtores sementes com e sem Tratamento Industrial. Outro ponto é qualidade de manutenção de máquinas para estarem acertadas para desempenhar seu papel. Nestes dois aspectos o produtor pode contar com a equipe da Cooperativa Bom Jesus para auxiliar da melhor maneira.

Semeadura - O consultor técnico da Cooperativa Bom Jesus da unidade da Lapa, Felipe Muller, comenta que para a qualidade de semeadura, entre vários parâmetros que podem ser apontados, temos dois aspectos a serem levados em consideração: distribuição de sementes e fechamento de sulco.

Distribuição - Este aspecto é muito importante. O conhecimento de cada cultivar a ser plantada explica simplificadamente essa parte de distribuição de sementes. Cada cultivar, principalmente falando da soja, tem características físicas, entre outras questões, que ter o domínio de conhecimento de quantidade de sementes a ser plantada por metro, espaçamento entrelinhas, tratos especiais em relação a tipos de solos, estrutura fisiológica de planta etc, são importantes para sua condução. Outro ponto que temos que observar é a velocidade de plantio, na qual influência diretamente na distribuição.

Falhas - As culturas de verão, diferentemente que se pensa em algumas ocasiões, não toleram falhas. A importância de se discutir o número de sementes a ser plantado é muito importante. Cada pé não estabelecido pode refletir em falhas de lavoura e, consequentemente, perda de produção. Alguns estudos apontam que cada falha por metro quadrado (m²) representa perda de 180 a 240 kg de soja/ha. Também a má distribuição de sementes, ou desuniformidade de lavoura, podem dar prejuízos pela concorrência de plantas em busca de nutrientes ou luz, causando perdas de folhas.

Fechamento de sulco - O fechamento de sulco determina o contato da semente com o solo para absorver água e o ambiente para iniciar o processo da germinação. O melhor cenário é a preparação do leito para a semente e o sulco fechado, com palha na superfície, aproximando ao que se define como “semeadura invisível”. Nessa condição a semente estará protegida da oscilação de eventos ambientais da superfície e com a proteção necessária para desenvolver o processo fisiológico da germinação, seguido da emergência de plantas robustas.

Inoculação - Outro aspecto importante para o plantio é a inoculação em sulco. Essa tecnologia foi difundida na região pela Cooperativa Bom Jesus e seus resultados de campo são surpreendentes. Vários testes foram realizados no campo experimental na Lapa e seu desempenho vem se mostrando efetivo nas propriedades dos cooperados. Faremos uma matéria especial sobre este assunto.

Espaços vazios - A ideia é sempre não permitir espaços vazios, ter plantas vigorosas e evitar compensação de plantas. O segredo de boas lavouras está nos detalhes. Para saber mais e informações importantes para a condução de lavouras, entre em contato com o seu consultor técnico da Cooperativa Bom Jesus. (Imprensa Bom Jesus)

FOTO: Divulgação / Dirceu Gassen

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias