Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4811 | 28 de Abril de 2020

SISTEMA OCEPAR: Diretoria executiva se reúne com todos os funcionários por videoconferência

O presidente José Roberto Ricken conduziu, na manhã desta terça-feira (28/08), uma reunião por videoconferência com os funcionários que atuam nas três entidades que formam o Sistema Ocepar: Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR). Também participaram os superintendentes Robson Mafioletti, Nelson Costa e Leonardo Boesche, gerentes e coordenadores de área.

Transparência - De acordo com Ricken, o encontro teve o objetivo de dar transparência à condução das atividades da entidade nesse período adverso de pandemia, que motivou toda a equipe atuar de forma remota. Ele destacou o empenho e a dedicação dos colaboradores, que tem possibilitado manter a prestação de serviços às cooperativas e o trabalho da entidade com eficiência e qualidade. “Agradeço individualmente pelo comprometimento e engajamento demonstrado por cada um de vocês. Esse tem sido o nosso ponto forte em todo esse processo”, frisou. 

Trabalho remoto - O presidente do Sistema Ocepar lembrou que desde o dia 16 de março o Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 da entidade vem se reunindo periodicamente para avaliar a situação gerada pela pandemia do novo coronavírus e decidir os próximos passos. “Estamos na sexta semana de implantação do trabalho remoto. Está sendo um aprendizado e estamos nos adaptando a uma nova forma de executar nossas ações. É algo que exige tecnologia e método para que possa funcionar com efetividade”, frisou.

Medidas de segurança - Ricken também falou sobre as medidas de segurança adotadas para preservar a saúde dos funcionários. Além de fornecer as condições para que a equipe possa desempenhar suas funções de suas casas, destacou a realização da campanha de vacinação contra o H1N1. “Precisamos cuidar da saúde pois se a perdermos nada do que estamos fazendo fará sentido”, disse. De acordo com ele, equipamentos de proteção individual, como máscaras, já foram adquiridos para todos os colaboradores e serão distribuídas no retorno ao trabalho normal. Também foram disponibilizados álcool em gel em todos os ambientes da sede do Sistema Ocepar. “Temos ainda procurado fazer acompanhamento individual e dar atenção integral a todos os funcionários”, acrescentou.

Férias e Plano de retorno - Na reunião foi apresentado o calendário de antecipação das férias de todos os funcionários da Ocepar, Sescoop e Fecoopar, por um período de 15 dias.  A partir da próxima segunda-feira (04/05), sai um primeiro grupo, retornando no dia 18/05. A segunda turma entrará a partir de 20/05 até 03/06. Ricken ainda informou que, se houver as condições necessárias, a entidade planeja retornar as atividades presenciais a partir de junho, mas de modo planejado e tomando as precauções necessárias. “A retomada exige planejamento e ações estruturadas. Vamos seguir o que for determinado pelas autoridades de governo e de saúde. A parte mais importante disso é a saúde dos nossos colaboradores. Não podemos colocá-la em risco”. Além disso, Ricken procurou tranquilizar todos sobre a preservação dos empregos. “Nosso propósito é manter a equipe sem demissão ou novas contratações. Este é um momento de provação e temos que ter calma. E vamos fazer tudo com muita transparência”, finalizou.

COVID-19: Comunicado 26 traz últimas medidas publicadas pelos governos federal e estadual

covid 19 comite 28 04 2020O Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 do Sistema Ocepar divulgou, na manhã desta terça-feira (28/04), o comunicado 26, com as medidas mais recentes publicadas pelos governos federal e estadual visando amenizar os impactos econômicos e sociais causados pela pandemia do novo cornavírus. Uma delas é a MP 958, cujo objetivo é facilitar o acesso ao crédito para as empresas que estavam com dificuldade em obter financiamento nas instituições públicas e suas subsidiárias. Veja abaixo todos os destaques do boletim.

1. No dia 24 de abril, o Governo Federal publicou a Medida Provisória nº 957, que abre crédito extraordinário em favor do Ministério da Cidadania, no valor de R$ 500 milhões destinados para a compra de produtos da agricultura familiar, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Para acessar, clique aqui.

2. No dia 24 de abril, o Governo Federal publicou a Medida Provisória nº 958, que estabelece normas para a facilitação do acesso ao crédito e mitigação dos impactos econômicos decorrentes da pandemia de Coronavírus (Covid-19). Estão dispensadas temporariamente, até 30/09/2020, necessidades de comprovação de regularidade, entre outras exigências (processo burocrático) para acesso ao crédito junto às instituições financeiras públicas, inclusive suas subsidiárias. Para acessar, clique aqui.

3. No dia 23 de abril, o Governo Estadual publicou a Lei nº 20.187, que dispõe sobre diretrizes e medidas de saúde para o enfrentamento e intervenção imediata em situação de emergência no caso de endemias, epidemias e pandemias, inclusive do Covid-19, no Estado do Paraná. Para acessar, clique aqui.

4. No dia 23 de abril, o Governo Estadual publicou o boletim semanal com informações sobre as atividades econômicas nos meses de março e abril. Para acessar, clique aqui.

O Comitê- O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

 

COOPERATIVISMO I: Covid-19 é tema da Agenda Institucional

cooperativismo I 28 04 2020O surgimento do coronavírus mudou as prioridades no Congresso Nacional e redirecionou os esforços dos parlamentares, cada vez mais focados na redução dos impactos negativos da Covid-19. Por isso, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) também concentrou em uma página específica da Agenda do Institucional do Cooperativismo os projetos de lei que envolvem as cooperativas, no contexto da pandemia.

Assuntos - Entre os assuntos que tramitam no Congresso e que podem impactar as cooperativas estão, por exemplo: a MPV 931/2020, sobre o funcionamento de AGOs, a suspensão de pagamentos de crédito consignado, o desconto na mensalidade escolar, a vedação de reajuste e suspensão de plano de saúde.

Centralização - “Nossa ideia, com essa página é centralizar todas as matérias que tramitam no Congresso, para facilitar o acompanhamento por parte das nossas cooperativas. Num mesmo ambiente virtual é possível encontrar tanto as demandas quanto os encaminhamentos dessas propostas, explica a gerente geral a OCB, Tânia Zanella.

Prioridades - E por falar em demandas, as cooperativas interessadas podem conhecer as outras pautas prioritárias acompanhadas pela OCB no âmbito dos Três Poderes. Basta fazer o download, clicando aqui e preenchendo os campos solicitados. (Informe OCB)

 

COOPERATIVISMO II: Dia C na luta contra o coronavírus

cooperativismo 28 04 2020As palavras cooperação e empatia nunca foram tão destacadas nos noticiários ao redor do mundo. São os seus significados que nos fazem – aqueles que podem – ficar em casa para diminuir o contágio do coronavírus. E quando o assunto é cooperar por um mundo melhor, como está acontecendo na maior parte dos países, estamos falando de Dia de Cooperar (Dia C) que, neste ano, direciona seus esforços com o objetivo de auxiliar as cooperativas no combate aos problemas gerados pela pandemia.

Diferente- “O nosso grande movimento nacional de estímulo às iniciativas transformadoras e voluntárias, nosso Dia C, vai ser diferente neste ano, por conta de todas as recomendações das autoridades de saúde. Se, por um lado, a gente muda o jeito de celebrar, por outro o nosso objetivo continua o mesmo: participar da construção de um mundo mais justo, feliz, equilibrado e com melhores oportunidades para todos”, comentou o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, durante o lançamento oficial – via videoconferência – e que contou com a participação de representantes das unidades estaduais do Sistema OCB.

Atitudes simples - Para o superintendente, Renato Nobile, mais do que nunca, as atitudes simples movem e transformam o mundo. “Estamos num momento onde cada gesto faz diferença. Desde lavar as mãos em casa, com água e sabão, até doar dinheiro ou equipamentos como respiradores, por exemplo, comprova que o cooperativismo se interessa pela melhoria da qualidade de vida da comunidade brasileira”, avalia o superintendente.

Dia C na web - As ações e iniciativas como doações, atendimentos de saúde, orientações financeiras, dentre outras devem ocorrer de forma segura, a fim de evitar que cooperados, voluntários e comunidade sejam contaminados. Contudo, nossa celebração será feita no mundo digital, ou seja, nas redes sociais. Vamos mostrar a força das cooperativas e o compromisso com a comunidade de dentro e de fora delas.

Materiais - Para isso, a Unidade Nacional do Sistema OCB, junto com suas unidades estaduais, preparou uma série de materiais que podem ser utilizados tanto para estimular a cooperativa a realizar iniciativas e ações, quanto para mostrar à sociedade como o cooperativismo está contribuindo com a luta contra o coronavírus.

Novidade - A gerente de Comunicação do Sistema OCB, Daniela Lemke, explicou que entre as novidades para o Dia C 2020, com foco no combate ao coronavírus, está a figura de padrinhos ou madrinhas para o movimento, tanto em nível nacional quanto no estadual. “É uma ação que já estamos realizando. Algumas pessoas foram convidadas e estamos aguardando a resposta. A ideia é que essa figura pública e que representa nosso movimento estimule as cooperativas a fazerem o que puderem para reduzir os efeitos negativos dessa pandemia”, explica a gestora.

Humanizada - Segundo Daniela, essa pessoa deve falar de forma humanizada, como se fosse um bate-papo, ressaltando a importância das cooperativas para o país. “As coops estão no campo, nas rodovias, na indústria, nos hospitais, ou seja, em setores essenciais, como a educação, o crédito, a limpeza urbana e o transporte de passageiros. Muitos cooperados também são profissionais que continuam atuando para que o país inteiro vença essa luta contra o coronavírus. Nossas cooperativas são essenciais ao Brasil.”

Disponível - Por fim, ela explicou que todo o material produzido pela unidade nacional do Sistema OCB está disponível para as unidades estaduais e, também, cooperativas. Basta clicar aqui.

Impacto - Geane Ferreira, gerente de Desenvolvimento Social de Cooperativas do Sistema OCB, fez questão de destacar que as cooperativas que fazem parte do Dia C já contribuem com a construção de um mundo melhor. “E, claro, quanto mais cooperativas se engajarem melhores ainda serão os impactos do cooperativismo na luta contra o coronavírus. Como dizemos por aqui, quanto mais elos a corrente tiver, mais forte ela será”, explica.

Números - Números de 2019

- 131 mil voluntários;

- 1.977 cooperativas participantes;

- 1.257 cidades viram de perto a força das coops

- 2.111 iniciativas;

- 2,6 milhões de pessoas beneficiadas com a emissão de documentos, serviços de saúde, de cidadania, de educação financeira e muitas outras atividades, afinal, o Dia C ocorre durante o ano todo. (Informe OCB)

 

UNIMED PARANÁ: Por que abrir mão de nossos ativos garantidores?

unimed parana 28 04 2020No último dia 24, venceu o prazo que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) concedeu às operadoras de planos de saúde para a assinatura do Termo de Compromisso que permitiria a movimentação de recursos para combate ao coronavírus.

Ativos garantidores - Esses recursos, das próprias operadoras, sob a guarda da ANS, conhecidos por ativos garantidores são capital que lastreiam, dão garantia, às provisões técnicas (reservas para manutenção do atendimento aos beneficiários e pagamentos aos prestadores de serviços assistenciais). Eles são normatizados pela ANS, a qual define uma série de regras a serem observadas nas aplicações desses ativos. Regras que incluem a aceitação, o registro, a vinculação, a custódia, a movimentação e os limites de alocação e de concentração na aplicação dos ativos garantidores das operadoras. Cada requisito desses é monitorado, continuamente, pela ANS, com o objetivo de manter a solvência, a capacidade de pagar, das empresas.

Valor - O volume dos ativos disponíveis chega perto de R$ 15 bilhões, somando os valores provisionados de todas as mais de 700 operadoras no país. A proposta da ANS sobre a assinatura do termo de adesão, como medida de auxílio ao cenário Covid-19, foi a liberação da movimentação desses ativos para as operadoras. No entanto, havia a obrigação da manutenção / constituição mensal dos mesmos valores ao fim de cada mês e outras contrapartidas. Ou seja, as operadoras poderiam movimentar esses ativos durante o mês, porém, ao final do mesmo mês teriam que garantir a sua suficiência de lastro. Algo que entendemos como situação de difícil comprometimento, essa manutenção da obrigação de lastro no mesmo mês, num momento de impacto na liquidez causado pela crise do Covid-19.

Inviabilidade - Entendemos que a explicação do próprio modus operandi de como seria a transação já demostra a inviabilidade e o risco em aderir ao Termo de Compromisso. Vivemos um momento de extrema incerteza, não só no âmbito da saúde, mas também da economia no país. Acreditávamos na implementação de medidas que viessem a trazer respostas mais contundentes ao que o momento exige, mas não foi o que aconteceu.

Risco - Como emprestar um dinheiro (que na verdade é da própria operadora, transformado em ativo garantidor) e devolvê-lo no mesmo mês, em meio a uma crise? Provavelmente, as instituições bancárias seriam o destino de muitas operadoras, aumentando os riscos e o endividamento do setor. Isso, sem contar que, caso houvesse descumprimento do Termo de Compromisso, a operadora ficaria sujeita a multas expressivas, na casa do milhão. Não é à toa que as entidades do setor, representantes das operadoras, se pronunciaram pela não adesão ao termo. O risco de escassez vivido hoje pelas operadoras é muito grande. O que poderia comprometer o pagamento de hospitais, laboratórios e demais prestadores e fornecedores do setor.

Compromisso - O compromisso do Sistema Unimed é enorme com nossos beneficiários, cooperados e demais fornecedores, por isso não poderíamos correr esse risco. A responsabilidade e o comprometimento com o cuidado das pessoas nos obrigam a agir com o máximo de cautela. O uso desses ativos, destinados a serem utilizados em situações críticas como a que se vive, seria um caminho de grande ajuda para atravessarmos essa pandemia, mas não desse modo. (Imprensa Unimed Paraná)

 

UNIMED LONDRINA: Comitê de segurança é criado para combater infecções hospitalares

unimed londrina 28 04 2020Em meio ao surto da Covid-19, as medidas de segurança aos pacientes, cooperados e colaboradores são essenciais. Para isso, visando deter a propagação do vírus e demais doenças, a Unimed Londrina criou a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e realizou a contratação de uma profissional especializada. “O evento coronavírus exigiu novas medidas e a busca por um profissional com conhecimento em doenças infectocontagiosas”, comenta a gerente de Serviços Assistenciais da Singular, Eliane Sedemaca.

Execução - A enfermeira Rafaele Carolina Negrão de Araújo chega à cooperativa para estruturar a nova comissão, responsável por executar ações que identifiquem precocemente as infecções hospitalares. Além disso, ela auxiliará todos os colaboradores no esclarecimento de dúvidas, principalmente, referentes ao uso adequado dos equipamentos de proteção individual (EPI).

Conjunto - Rafaele vai trabalhar em conjunto com a técnica de segurança do trabalho, Sarah Regina Alves da Cunha. Juntas, as colaboradoras terão o papel de garantir mais integridade e segurança no trabalho desenvolvido na Singular. “A CCIH tem como objetivo não somente prevenir e combater infecções hospitalares, beneficiando dessa maneira toda a população assistida, mas também proteger a Cooperativa e seu corpo clínico”, destaca a enfermeira.

Medidas de contenção - Neste momento, Rafaele está acompanhando o agravo da Covid-19 e contribuindo com as medidas para a contenção da disseminação do vírus no ambiente interno e externo da Cooperativa. Contudo, a profissional não estará voltada somente para a questão do novo coronavírus. “Rafaele também irá atuar na revisão dos planos de ação, em especial, relacionadas às áreas assistenciais”, conta Eliane.

Qualidade - Para a gerente, controlar infecções é garantir a qualidade dos serviços e atendimentos prestados dentro da cooperativa. “A CCIH apoiará todas as áreas da Unimed na promoção de uma cultura de segurança, objetivando excelência em qualidade e segurança para os pacientes, cooperados, colaboradores e meio ambiente”, finaliza. (Imprensa Unimed Londrina)

 

SICOOB UNICOOB: Sistema cooperativo de crédito chega ao cooperado 400 mil

sicoob unicoob 28 04 2020Já somos 400 mil cooperados. O número, que representa um crescimento exponencial do Sicoob Unicoob nos últimos anos, é resultado da expansão realizada pelas cooperativas do sistema durante o ano de 2019.

Marca - A conta que atingiu a marca foi registrada na última sexta-feira (24/04) pelo Sicoob Integrado, na agência de Louveira (PR). O foco em objetivos bem delimitados e a excelência dos serviços fizeram a diferença, já que o período coincide com um cenário político, social e econômico instável e de muitas adversidades.

Diferenciais - Diariamente, mais e mais pessoas têm descoberto os diferenciais do cooperativismo e vêm fazer parte do sistema Sicoob. Como consequência, as cooperativas de crédito cresceram 21% na última década, registrando um aumento de R$ 89 bilhões na carteira de negócios.

Exemplo - O aumento no total de cooperados é um bom exemplo desse crescimento. Para se ter ideia, em 2016, o Sicoob Unicoob atingiu a marca de 200 mil e, cerca de quatro anos depois, já conseguiu dobrar esse número.

Credibilidade - Esses resultados transmitem a credibilidade do trabalho realizado pelo sistema, explica o diretor-presidente do Sicoob Unicoob, Marino Delgado. Segundo ele, a marca é motivo de comemoração que deve ser dividida com os parceiros, que são os cooperados, dirigentes e colaboradores. “Fico muito orgulhoso! Lanço o desafio de chegarmos a 500 mil cooperados ainda este ano e voltamos nossos olhares para a marca de um milhão”, afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

CRESOL: A cooperação fazendo a diferença na vida das pessoas

cresol 28 04 2020A Cresol é uma cooperativa de crédito que tem em sua missão o desenvolvimento dos seus cooperados e da comunidade onde atua. Por isso, neste momento, seu foco se volta para um atendimento direcionado aos que precisam de auxílio.

Cuidado com as pessoas - A Cresol preocupada com seus colaboradores, diretores, cooperados e a comunidade, adotou as medidas preventivas do avanço do coronavírus para assegurar a saúde e o bem-estar de todos.

Home office - As cooperativas e agências de relacionamento iniciaram atividades em formato de home office, com rodízio de equipes nas agências a fim de evitar aglomerações. Além disso, pessoas dos grupos de riscos, como gestantes e portadores de doenças crônicas, também passaram a trabalhar em casa durante o período de pandemia.

Agendas externas - Os colaboradores que estiveram em agendas externas ou de férias e que passaram por regiões de risco também foram orientados a permanecerem de quarentena. Além disso, a cooperativa cancelou todos os eventos internos e externos dos próximos meses.

Orientações - Seguindo com as orientações do Ministério da Saúde, a Cresol avalia cada situação em cada um dos lugares onde o Sistema está presente e cumpre com as determinações dos decretos estaduais e municipais.

Compromisso com os cooperados - A Cresol, sabendo da preocupação que empreendedores e trabalhadores autônomos têm em honrar com seus compromissos, está disponibilizando linhas de crédito com alongamento de prazos para pagamento e facilitando as condições para contração.

Produtos disponíveis - Os produtos disponíveis pela Cresol compreendem: prorrogação de contrato com carência de 180 dias para operação adimplentes; Refinanciamento com repactuação das operações adimplentes, com carência de 180 dias; Capital de Giro emergencial com crédito com carência de 180 dias e prazo estendido para pagamento; Linha BNDES e Cresol Empresarial para Capital de Giro com crédito facilitado para empresas com faturamento de até R$ 300 milhões, com taxa fixa e carência de até 24 meses.

Canais digitais - Para amenizar este cenário e possíveis aglomerações, a Cresol orienta seus cooperados para que utilizem os canais digitais para realizarem suas transações, como Internet Banking, App Cresol e o App Cresol Cartões.

Melhorias - Muitas melhorias têm sido feitas para atender as demandas dos cooperados, com grande investimento em soluções tecnológicas. “Nós entregamos nesses últimos 12 meses muitos pacotes tecnológicos que estão sendo decisivos nessa travessia da pandemia, mas é importante destacar que, sem dúvida, é uma preocupação constante que temos em função de uma demanda de mercado”, destacou o vice-presidente da Cresol Confederação e superintendente da Central Cresol Baser Adriano Michelon. “Além disso, interligamos toda rede Cresol no Brasil inteiro, implantamos a compensação financeira própria e avançamos e diversos outros produtos tecnológicos”, acrescentou.

Ações com a comunidade - De acordo com o presidente da Central Cresol Baser, Alzimiro Thomé, para a Cresol as pessoas estão em primeiro lugar, por isso as cooperativas trabalham engajadas para o bem comum de todos. “Neste cenário inesperado da pandemia do novo coronavírus, as cooperativas, que têm em seu DNA a solidariedade, entendem que por meio da cooperação é possível superar o momento e amenizar os problemas que muitas famílias passaram a enfrentar com o período de quarentena”, disse o presidente.

Frentes - As agências de relacionamento da Cresol estão trabalhando várias frentes de apoio às comunidades, com doações de recursos para instituições de saúde (álcool gel 70%, EPI’s e kits de testes); doação de cestas básicas que são distribuídas às família carentes, patrocínios de lives para arrecadação de doações que são revertidas para projetos sociais e campanhas de solidariedade para doação de sangue e agasalho. São centenas de ações que estão engajando mais de 500 agências e milhares de colaboradores da Cresol pelo Brasil. (Imprensa Cresol)

 

ECONOMIA: MP dispensa documentos para empresas pedirem crédito a bancos públicos

economia 28 04 2020Até o fim de setembro, as empresas afetadas pela pandemia de coronavírus que pedirem crédito em bancos públicos estão dispensadas de apresentar uma série de documentos. A redução de exigências consta da Medida Provisória 958, publicada nesta segunda-feira (27/04) no Diário Oficial da União.

Necessária - Segundo o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, a medida foi necessária porque diversas empresas estavam com dificuldades burocráticas para terem acesso a linhas de crédito oferecidas pelo Banco do Brasil, pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social durante a pandemia de covid-19.

Setembro - Até 30 de setembro, as empresas estão dispensadas de apresentarem os seguintes documentos ao pedirem crédito a bancos públicos: certificado de regularidade da entrega da Relação Anual de Informações Sociais (Rais); certificado de regularidade com obrigações eleitorais; certidão negativa de débitos (CND) da dívida ativa, desde que esteja em dia com a Previdência Social.

Outros - Também estão dispensados até o fim de setembro o certificado de regularidade com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); a CND de tributos para empréstimos com recursos dos fundos constitucionais, do FGTS, do Fundo de Amparo ao Trabalhador e Fundo Nacional de Desenvolvimento Econômico (FNDE), e o certificado de regularidade no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin).

Crédito rural- Para as operações de crédito rural, a MP suspende até 30 de setembro a apresentação do certificado de regularidade do Imposto sobre Territórios Rurais (ITR), o registro de cédula de crédito rural em cartório e o seguro dos bens dados em garantia.

Revogadas - Foram permanentemente revogadas a apresentação de registro em cartório da cédula de crédito à exportação e a obrigatoriedade do seguro de veículos penhorados em garantia de operações de crédito.

Facilitação - Segundo o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), Carlos da Costa, a medida provisória foi necessária para permitir que as normas de facilitação do crédito tomadas nos últimos meses cheguem à ponta, principalmente às empresas de menor porte. “Quando observamos os impactos da crise sobre a economia, o mundo inteiro se ressente do impacto da falta de crédito. Não adianta aumentarmos a liquidez do sistema financeiro, se o crédito não chega à ponta”, declarou. (Agência Brasil)

FOTO: Marcelo Camargo / Agência Brasil

 

ECONOMIA: IPCA-15 tem deflação de 0,01%, menor taxa para abril desde início do Plano Real

ipca 28 04 2020A redução nos preços dos combustíveis marcou a prévia da inflação de abril, que registrou -0,01%, o menor resultado para o mês desde o início do Plano Real, em julho de 1994. O recuo nos preços da gasolina (-5,41%), que teve o maior impacto individual negativo no índice, do etanol (-9,08%) e do óleo diesel (-4,65%) levaram a uma queda de 5,76% dos combustíveis, que pressionaram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado nesta terça-feira (28/04) pelo IBGE.

Taxa - A taxa é 0,03 ponto percentual (p.p.) abaixo da registrada em março, de 0,02%. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 0,94% e, em 12 meses, a variação acumulada foi de 2,92%, abaixo dos 3,67% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em abril de 2019, a taxa foi de 0,72%.

Transportes - O grupo Transportes (que abrange o preço dos combustíveis e tem o maior peso no consumo das famílias) teve a maior influência no resultado, com queda de 1,47%. Nesse grupo, além dos combustíveis, também recuaram o seguro voluntário de veículo (-2,74%), o transporte por aplicativo (-3,11%) e o aluguel de veículo (-7,68%). Por outro lado, as passagens aéreas apresentaram alta de 14,83%, após três meses consecutivos de quedas. Além disso, o item ônibus urbano (0,36%) também registrou variação positiva, por conta do reajuste de 5% no preço das passagens em Salvador, vigente desde 12 de março.

Artigos de residência - Outro grupo a apresentar queda mais intensa em abril foi Artigos de residência (-3,19%). Destaque para os eletrodomésticos e equipamentos e artigos de TV, som e informática, cujos preços haviam subido em fevereiro e março e registraram quedas de -7,15% e -1,95%, respectivamente.

Preços dos alimentos sobem 2,46% em abril - No lado das altas, destaque para Alimentação e bebidas, com variação de 2,46% e impacto de 0,48 p.p no IPCA-15. No grupo, o item alimentação no domicílio foi destaque, com aumento de 3,14%.

Itens - A cebola (35,79%) e o tomate (17,01%) aceleraram na comparação com o mês anterior, enquanto a batata-inglesa passou de uma queda de 1,02% em março para alta de 21,24% em abril. A cenoura (31,67%) registrou variação positiva pelo quarto mês consecutivo, acumulando no ano alta de 102,71%. Os preços das carnes (-0,27%) recuaram pelo terceiro mês consecutivo, embora a queda sido menos intensa que as registradas em fevereiro (-5,04%) e março (-1,81%).

Habitação - Em Habitação (0,12%), o destaque foi para as altas do gás de botijão (0,82%) e da taxa de água e esgoto (0,28%), esta última decorrente do reajuste médio de 6,23% em uma das concessionárias de Porto Alegre, vigente desde 21 de março.

Energia elétrica - Já no item energia elétrica (-0,10%), a maior variação foi observada no Rio de Janeiro (5,21%), por conta dos reajustes aplicados nas tarifas residenciais de duas concessionárias, ambos válidos a partir de 15 de março. Em abril, permanece em vigor a bandeira tarifária verde, em que não há cobrança adicional na conta de luz. Por fim, o resultado do item gás encanado (-0,27%) é consequência da redução média de 0,85% nas tarifas em São Paulo (-0,45%), aplicada a partir de 2 de março.

Regiões - Seis das 11 regiões pesquisadas tiveram deflação em abril. O maior índice foi na região metropolitana do Rio de Janeiro (0,61%), influenciado pela alta da energia elétrica. Já o menor resultado foi no município de Goiânia (-0,52%), por conta das quedas nos preços dos combustíveis (-8,13%), especialmente gasolina (-6,93%) e etanol (-14,38%).

Coleta - Os preços foram coletados no período de 17 de março a 14 de abril de 2020 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 12 de fevereiro a 16 de março de 2020 (base). Em virtude da pandemia de Covid-19, o IBGE suspendeu, no dia 18 de março, a coleta presencial de preços. A partir dessa data, os preços passaram a ser coletados por outros meios, como pesquisas em sites de internet, por telefone ou e-mail. (IBGE)

FOTO: Helena Pontes / Agência IBGE Notícias

 

ECONOMIA: Dólar fecha com pequena queda depois de intervenção do BC

economia dolar 28 04 2020Depois de uma atuação de última hora do Banco Central (BC), o dólar comercial fechou com pequena queda em uma sessão marcada pela volatilidade. A moeda americana encerrou esta segunda-feira (27/04) vendida a R$ 5,663, com queda de apenas R$ 0,005 (-0,07%). Na sexta-feira (24/04), a cotação tinha fechado em R$ 5,668, no maior valor nominal – sem considerar a inflação – desde a criação do real.

Outras moedas - A queda do dólar não se refletiu em outras moedas. O euro comercial foi vendido a R$ 6,127, com alta de 1,24%. A libra esterlina comercial fechou a R$ 7,02, superando a barreira de R$ 7 pela primeira vez na história.

Alta acumulada - A divisa acumula alta de 41,14% em 2020. O dólar oscilou bastante. De manhã, operou em queda, depois que o presidente Jair Bolsonaro deu seu aval ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e assegurou a continuidade deste na pasta. A cotação, no entanto, passou a subir no início da tarde, chegando a registrar R$ 5,72 na máxima do dia, por volta das 16h.

Tendência revertida - A divisa só reverteu a tendência e passou a cair depois que o BC entrou no mercado, leiloando contratos novos de swap cambial – equivalentes à venda de dólares no mercado futuro – nos minutos finais de negociação. Hoje, a autoridade monetária vendeu US$ 600 milhões das reservas internacionais no mercado à vista e fez outro leilão de swap cambial, ainda de manhã. O BC ofereceu até US$ 1,5 bilhão em swaps durante todo o dia, mas o resultado dos dois leilões no mercado futuro não foi divulgado.

Bolsa - As tensões no mercado de câmbio não se repetiram no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, a bolsa de valores brasileira, fechou aos 78.239 pontos, com alta de 3,86%. Na sexta-feira, o indicador tinha caído 5,45% depois do anúncio da demissão do então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. A bolsa brasileira também seguiu o mercado externo. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, encerrou o dia com ganhos de 1,51%.

Juros - Além da renúncia de Moro e das tensões políticas no Brasil, o mercado está sendo influenciado pela perspectiva de queda dos juros. Na última quarta-feira (22/04), o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse que o cenário para a Selic (taxa básica de juros) mudou depois da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Juros mais baixos tornam menos atrativos os investimentos em países emergentes, como o Brasil, estimulando a retirada de capitais por estrangeiros. As tensões políticas internas também interferiram no mercado.

Coronavírus - Há várias semanas, mercados financeiros em todo o planeta atravessam um período de nervosismo por causa da recessão global provocada pelo agravamento da pandemia do novo coronavírus. As interrupções na atividade econômica associadas à restrição de atividades sociais travam a produção e o consumo, provocando instabilidades.

Focus - Nesta segunda-feira (27/04), o boletim Focus, pesquisa do BC com instituições financeiras, revelou que os analistas de mercado aumentaram para 3,34% a projeção de queda da economia brasileira para este ano.

Petróleo - Os preços internacionais do petróleo, que haviam se recuperado nos últimos dias, voltaram a cair hoje. Por volta das 18h, o barril do tipo Brent era vendido a US$ 19,91, com recuo de 7,14%. Esse barril serve de referência para o mercado internacional de petróleo, sendo usado nas projeções da Petrobras.

Petrobras - O desempenho do mercado internacional, no entanto, não se refletiu nas ações da Petrobras, as mais negociadas na bolsa. Beneficiados pela recuperação do Ibovespa, os papéis ordinários (com direito a voto em assembleia de acionistas) valorizaram-se 4,54% nesta segunda. Os papéis preferenciais (com prioridade na distribuição de dividendos) tiveram ganho de 3,13%.

Guerra de preços - A guerra de preços de petróleo começou há quase dois meses, quando Arábia Saudita e Rússia aumentaram a produção, mesmo com os preços em queda. Segundo a Petrobras, a extração do petróleo só é viável no longo prazo para cotações a partir de US$ 45. No curto prazo, a companhia pode extrair petróleo a US$ 19, no limite dos custos da empresa. (Agência Brasil)

 

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: Governo gastou até agora com a pandemia 22% dos R$ 252,5 bilhões liberados

adminstracao publica 28 04 2020O governo federal gastou até agora pouco mais de 22% dos R$ 252,5 bilhões liberados para o combate à pandemia da Covid-19. As despesas pagas até 27 de abril somam R$ 56,5 bilhões, conforme página da internet com o monitoramento dos gastos da União com o novo coronavírus. Os dados são atualizados pela Secretaria do Tesouro Nacional com base nas informações do último dia útil.

Iniciativa semelhante - O Congresso Nacional pretende lançar iniciativa semelhante, como parte dos trabalhos da comissão mista de deputados e senadores que acompanha a atuação do poder público durante a pandemia. O colegiado foi criado por meio do decreto que reconheceu o estado de calamidade pública no País, com validade até dezembro.

Portal Siga Brasil - O portal Siga Brasil, mantido pelo Senado, também traz um levantamento sobre esses gastos na página destinada ao cidadão, mas com um pequeno atraso nos dados. O Siga Brasil reúne informações sobre o Orçamento da União e permite acesso amplo e facilitado ao Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) e a outras bases de dados sobre planos e orçamentos públicos.

Desembolsos - A página do Tesouro Nacional foi lançada no último dia 16. Além do valor global, diz o Tesouro, será possível verificar os desembolsos por programa. Por enquanto estão disponíveis para consulta os dados do auxílio emergencial a pessoas em situação de vulnerabilidade; a ajuda a entes federados; o benefício para manutenção de emprego e renda; o financiamento da folha de pagamento; e outras despesas adicionais na saúde.

Créditos extraordinários - A maior parte dos recursos são oriundos de créditos extraordinários criados por meio de 15 medidas provisórias em tramitação no Congresso. Conforme o Ato Conjunto 1/20, das Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, as medidas provisórias que tratam de crédito extraordinário deverão seguir um rito sumário durante a pandemia.

Procedimentos adicionais - Como esse mesmo ato conjunto também faculta a cada Casa dispor sobre procedimentos adicionais, o Senado, por determinação do presidente Davi Alcolumbre, não votará nenhuma das MPs de crédito extraordinário destinadas ao combate à Covid-19. Segundo Alcolumbre, a execução dessas despesas independe da aprovação de parlamentares. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Renato Palet / Câmara dos Deputados

 

ZARC: Publicado zoneamento agrícola de feijão primeira safra

zarc 28 04 2020Em continuidade às ações do Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), foram publicadas no Diário Oficial da União, as portarias que aprovaram o Zarc da cultura do Feijão 1ª safra para 14 estados. Neste ano, a publicação das portarias foi antecipada para permitir que produtores rurais, assistência técnica, agentes financeiros, seguradoras e demais entidades que utilizam os indicativos do Zarc possam ter mais tempo para o planejamento da safra.

Melhores janelas- O Zarc indica as melhores janelas de plantio por município, tipo de solo, em três níveis de risco: 20%, 30% e 40%. Também são divulgadas as cultivares classificadas por grupos de características homogêneas, de acordo com o número de dias da emergência à maturação fisiológica.

Informações - As informações podem ser acessadas por meio do site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Produção - Conforme a Conab, em seu acompanhamento da safra brasileira de abril de 2020, a produção de feijão 1ª safra da temporada 2019/2020 ficou em 1,07 milhão de toneladas. Na primeira safra deste ano, a área é estimada em 926,5 mil hectares, o cultivo do feijão das águas ocupa 70% da área total cultivada com feijão.

Aplicativo- Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar por meio de tablets e smartphones as informações oficiais do Zarc, ferramenta utilizada para orientar os programas de política agrícola do governo federal. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), está disponível no sistema Android.

Zarc - O zoneamento tem o objetivo de reduzir os riscos relacionados aos problemas climáticos e permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.

Modelo - O modelo agrometeorológico considera elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento da produção agrícola como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, ocorrência de geadas, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos (altitude, latitude e longitude).

Riscos - Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e ainda poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao prêmio do Seguro Rural (PSR). Muitos agentes financeiros só liberam o crédito rural para cultivos em áreas zoneadas.

Publicação - O Zarc foi publicado pela primeira vez na safra de 1996 para o trigo. Hoje contempla os 26 Estados e o Distrito Federal, incluindo mais de 40 culturas. (Mapa)

FOTO: AEN

 

AGRICULTURA FAMILIAR: Compra Direta Paraná tem prazo prorrogado

alimento 28 04 2020O Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional (Desan), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, prorrogou até às 12 horas de 4 de maio o prazo para elaboração dos projetos de venda do Programa Emergencial Compra Direta Paraná.

Motivo - O prazo inicial terminaria nesta segunda-feira (27/04), às 17 horas, de acordo com o Edital de Chamada Pública n.º 004/2020-Seab. O motivo da prorrogação é a instabilidade no sistema decorrente do grande número de acessos das organizações da agricultura familiar interessadas em participar do processo.

Fornecimento - O Desan comunica também que o prazo para o fornecimento será de três meses, a partir da contratação, com objetivo de beneficiar as entidades beneficiárias com quantidades mais significativas. Os projetos de venda já finalizados não precisam ser refeitos. O ajuste será efetuado automaticamente pelo sistema Compra Direta Paraná.

Programa - O Governo do Estado destina R$ 20 milhões para este programa. Os recursos fazem parte do Fundo Estadual de Combate à Pobreza. Está prevista a compra de mais de 70 itens produzidos pela agricultura familiar.

Destinação - Os alimentos serão destinados à rede socioassistencial, restaurantes populares, cozinhas comunitárias, bancos de alimentos, hospitais filantrópicos e Centros de Referência em Assistência Social, entre outros. (Agência de Notícias do Paraná)

 

DESCOMPLICA RURAL: Programa é adaptado para continuidade dos licenciamentos ambientais

descomplica rural 28 04 2020A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo adotou medidas para dar continuidade aos processos de licenciamento ambiental por meio do Descomplica Rural, mesmo diante da pandemia da Covid-19 e, assim, colaborar para a redução dos impactos econômicos da doença. Desde que o programa foi lançado, em janeiro deste ano, 1.243 licenças e dispensas ambientais foram emitidas pelo Instituto Água e Terra (IAT)

Agronegócio - De acordo com o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, o agronegócio é um dos setores que não deixaram de crescer durante a pandemia devido à manutenção do consumo de alimentos – e até o crescimento – durante o período de isolamento social.

Produção de alimentos - “O programa Descomplica Rural é muito importante para que a produção de alimentos possa continuar no Estado. Os produtores de suínos, bovinos, avinos, os que trabalham na piscicultura/maricultura e produção leiteira agora podem obter ou ampliar suas atividades com mais celeridade, para não deixarem de produzir”, ressalta o secretário.

Demandas ambientais - De acordo com a assessora técnica de Meio Ambiente do Sistema Faep/Senar-PR, Carla Beck, as demandas ambientais não pararam e nem diminuíram durante a pandemia. “A Faep continua atendendo os produtores rurais para auxiliar em processos de licenciamento e em demandas ligadas ao Cadastro Ambiental Rural”, disse.

Sindicatos - Os sindicatos ligados ao setor também estão funcionando normalmente para atendimento aos produtores rurais.

Resultados - Desde o lançamento do programa, em janeiro deste ano, até sexta-feira (24), 1.243 licenças e dispensas ambientais foram emitidas pelo Instituto Água e Terra (IAT). No caso da dispensa ambiental estadual (DLAE), a emissão demorava até 420 dias, devido à burocracia e ao sistema defasado para recebimento e análise dos pedidos. Agora, pode ser obtida na hora.

Fluxo - Das 1.243 licenças e dispensas ambientais, 698 foram entregues após o início do isolamento social, o que significa que o maior fluxo de entregas ocorreu justamente após a adoção de medidas de distanciamento social, ou seja, a partir de 16 de março.

Atividades - “As atividades não pararam com o coronavírus. O pessoal está trabalhando de casa ou fazendo rodízio e adaptamos o processo de vistoria in loco por um modelo de relatório para continuarmos os trabalhos, sem precisar nos deslocar”, explica a gerente de Licenciamento Ambiental do Instituto Água e Terra, Ivonete Coelho.

Programa - O programa Descomplica Rural agiliza os processos de licenciamento ambiental no campo, com segurança ambiental e jurídica. Entre as principais mudanças estão a reclassificação do porte dos empreendimentos da avicultura, permitindo licenciamento mais célere para propriedades com até 12 mil metros quadrados; implementação de prazos estendidos de renovação ambiental; previsão de reserva de 30 mil litros de combustível com dispensa de licença; e implementação de padrões para cultivo de ostras, mexilhões e vieiras.

Inserção - Outra ação é a inserção de empreendimentos que ainda eram licenciados pelo Sistema Integrado Ambiental (SIA) dentro da nova metodologia estadual - SGA. Entre eles estão os de saneamento; cemitérios; fauna silvestre; geração, transmissão e subestação de energia; náuticos; minerários; rodoviários; aeroportos e aeródromos; atividades portuárias; transporte por dutos; além de obras de dragagem, canais para drenagem e retificação de curso de água.

Prazos suspensos - Estão suspensos por sessenta dias, conforme determinam os Decretos Estaduais nº 4.230 e nº 4.482 de 2020, podendo ser prorrogados, os prazos administrativos para licenciamentos, renovação de licenças, outorgas, apresentação de relatórios de automonitoramento, atendimento a condicionantes de licenças ambientais, defesas e recursos administrativos decorrentes de autos de infração ambiental, acesso aos autos dos processos físicos e demais procedimentos administrativos ambientais em andamento perante o Instituto Água e Terra.

Vistorias - Durante o período de isolamento social em função do novo coronavírus, as vistorias presenciais para licenciamento ambiental ou dispensa ambiental serão substituídas por Relatórios Técnicos ou Declarações. Confira como funciona:

1) Para emissão de Licença Previa (LP), Licença Ambiental Simplificada (LAS), Licença Ambiental Simplificada de Regularização (LASR) e Licença de Operação de Regularização:

O empreendedor deverá apresentar Relatório Técnico, contemplando, no mínimo, as informações abaixo relacionadas, de forma descritiva, bem como relacionadas em mapas, plantas georreferenciadas ou através de fotos datadas, fotos aéreas, imagem de satélite e outros materiais disponíveis, com legendas explicativas da área do empreendimento e do seu entorno:

- Área do empreendimento e sua vizinhança, especificando o tipo de ocupação;

- Indicação das distâncias entre o empreendimento e residências (casas isoladas, núcleos populacionais, dentre outras);

- Vias de acesso principais;

- Pontos de referência;

- Uso e ocupação do solo;

- Corpos hídricos existentes na área;

- Existência de nascentes e olhos d’água;

- Suscetibilidade do terreno à erosão;

- Existência de cobertura florestal, informando áreas de vegetação nativa e exótica;

- Existência de áreas de preservação permanente;

- Ocorrência de Reserva Legal;

- Caracterização da geomorfologia/relevo;

- Indicação, se aplicável, da existência de Unidades de Conservação municipais, estaduais e federais na área do empreendimento e no seu entorno.

2) Para emissão de Licença de Operação (LO) o empreendedor deverá apresentar Relatório Técnico, contemplando, no mínimo, as informações abaixo relacionadas:

- Laudo de conclusão de obra;

- Comprovação do cumprimento de todas as exigências e condicionantes das licenças prévia e de instalação;

- Implantação dos sistemas de controle de poluição ambiental com relação aos aspectos ambientais efluentes, emissões e resíduos;

- Atendimento à legislação ambiental no que se refere à ocupação de APP e de Reserva Legal;

- Relatório Fotográfico das obras implantadas.

3) Para a Renovação de Licença de Operação (RLO) o empreendedor deverá apresentar declaração expressa de que as características do empreendimento/atividade se mantêm inalteradas desde a última renovação da Licença de Operação e que atende a legislação ambiental vigente, acompanhada de relatório fotográfico.

Como a maior parte do licenciamento é realizado através do Sistema de Gestão Ambiental (SGA), esses dados são anexados na plataforma e o técnico responsável pelo licenciamento faz o parecer conclusivo, sem a necessidade de deslocamento.

“Vale ressaltar que o Relatório Técnico e/ou Declaração deverão ser encaminhados pelo requerente e elaborados por profissionais habilitados e acompanhados da respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica, a ART”, destaca a gerente de Licenciamento Ambiental do Instituto Água e Terra, Ivonete Coelho.

O Relatório Técnico e/ou Declaração são solicitados pelo técnico do Instituto Água e Terra, como complementação no processo de licenciamento, através do SGA. No caso de processo do Sistema de Informação Ambiental (SIA) essa complementação deverá ser solicitada por e-mail. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Arnaldo Alves / Arquivo AEN

 

SAÚDE I: Brasil passa dos 66 mil casos confirmados de coronavírus

saude I 28 04 2020O Brasil chegou a 66.501 casos confirmados de coronavírus, de acordo com atualização do Ministério da Saúde, divulgada nesta segunda-feira (27/04). Nas últimas 24 horas foram adicionadas às estatísticas mais 4.613 pessoas infectadas, aumento de 7,5% em relação a domingo (26/04), quando foram registrados 61.888 mil casos confirmados.

Segundo maior número - Foi o segundo maior número de casos de contaminação em um dia, perdendo apenas para o sábado (24/04), quando foram acrescidos 5.514 casos ao balanço.

Mortes - Já o número de mortes subiu para 4.543, com 338 novos óbitos de domingo (26/04) para esta segunda-feira (27/04), um incremento de 8%. O número de novos óbitos em 24 horas ficou abaixo da quinta-feira (22/04), quando foram contabilizados 407. A taxa de letalidade ficou em 6,8%.

São Paulo - São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (1.825). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (677), Pernambuco (450), Ceará (284) e Amazonas (320).

Outros estados - Também foram registradas mortes no Maranhão (125), Pará (114), Paraná (75), Bahia (76), Minas Gerais (62), Paraíba (50), Espírito Santo (57), Santa Catarina (43), Rio Grande do Norte (45), Rio Grande do Sul (42), Alagoas (34), Distrito Federal (26), Goiás (26), Amapá (26), Piauí (20), Acre (14), Sergipe (10), Mato Grosso (10), Mato Grosso do Sul (9), Rondônia (10), Roraima (4) e Tocantins (2).

Total - De acordo com o Ministério da Saúde, do total de casos confirmados, 30.816 estão em acompanhamento e outros 31.142 já foram recuperados. Das mortes registradas hoje, 1.136 estão em investigação.

Dias anteriores- Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, argumentou que o número de mortes em 24h deve levar em consideração o fato de que essas estatísticas trazem dados de casos de dias anteriores.

Encerrados - “Esses óbitos estão sendo encerrados. Ocorreram em momentos mais distintos, em dias anteriores. Eles representam situações em que profissionais conseguiram incluir as investigações sobre a causa. Mas não quer dizer que todos os 338 [novas mortes registradas hoje] ocorreram de ontem para hoje”, pontuou Wanderson.

Alimentação dos dados - Ele informou que o ministério está discutindo com os secretários estaduais o esforço para que essa alimentação de dados seja diária, e não semanal. A iniciativa pode diminuir o descompasso entre os dados. Ele citou como exemplo a diferença entre o total no sistema do Ministério da Saúde e o dos registros em cartório. Este último tem 247 mortes a mais do que o total atualizado hoje pelo ministério.

Presença - Oliveira estava na equipe do antigo ocupante da cadeira de Teich, Luiz Henrique Mandetta. Sua presença na entrevista coletiva marcou a confirmação, por enquanto, da presença dele. No evento, esteve presente também o novo secretário executivo da pasta, o general Eduardo Panzello.

Novos dados - Nesta segunda, o Ministério da Saúde publicou também o Boletim Epidemiológico 14 sobre a pandemia, em que traz dados adicionais. Entre as novas informações disponibilizadas pelo documento estão mapas de incidência por município de casos e mortes, o que revela a alta presença da covid-19 nas capitais, em especial as do sudeste, e em estados da Região Norte, mais especificamente Amazonas e Amapá.

Município - Uma das análises considerou a incidência da covid-19 por tipo de município conforme a população. O índice cresce nas cidades menos populosas para os grandes centros urbanos, com os locais com mais de um milhão de habitantes, concentrando mais da metade dos casos (27,9 mil dos 45.772 mil). O número é menor do que o atualizado nesta segunda pelo boletim ter sido concluído com dados de dias atrás.

Diferença - Durante entrevista no Palácio do Planalto, a diferença de realidade entre os municípios foi destacada pela equipe do Ministério da Saúde para reforçar a tese de que diferentes cidades do país precisam ter tratamentos distintos em relação às políticas de distanciamento social adotadas pelas autoridades.

Heterogêneo - “O Brasil é heterogêneo. Vamos ter medidas diferentes em diferentes locais do país. Essa heterogeneidade vai ser colocada em como vamos conduzir. Às vezes vamos ter iniciativas diferentes em regiões diferentes. A gente vai buscar conhecimento em vários lugares para tentar entender o que realmente fez diferença e mudou a história da doença”, declarou o ministro Nelson Teich.

Novas diretrizes - Em entrevista na semana passada, o titular da pasta havia anunciado que apresentaria novas diretrizes para que secretários municipais e estaduais definissem suas estratégias de distanciamento social. Hoje Teich ponderou que ainda busca mais informações sobre a doença e as respostas adotadas, inclusive de outros países, para formular as novas métricas.

Medidas restritivas - “Ninguém vai incentivar medidas que restrinjam a contenção sem informação adequada. Vamos buscar as decisões adequadas para isso. Estamos trazendo o IBGE para nos ajudar na melhor amostra da população a ser testada. O entendimento do percentual é fundamental para entender possíveis ondas”, acrescentou o ministro.

Testes - Questionados sobre a testagem da população, a equipe o Ministério da Saúde fez um balanço. A meta anunciada na semana passada é a de adquirir até 46 milhões de testes neste ano. De acordo com Wanderson de Oliveira, 5 milhões já foram recebidos. Nos próximos três meses o objetivo é conseguir 1,5 milhão da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e 5 milhões que serão doados pela empresa Vale.

Critérios - “Teste em massa não significa testar todas as pessoas, mas testar mais pessoas sobre critérios mais precisos utilizando o melhor que cada teste pode oferecer. Todos os testes têm limitações, tempo de coleta, qualidade da amostra, qualidade dos técnicos”, comentou o secretário de Vigilância em Saúde.

Painel - De acordo com o Painel de Leitos e Insumos do Ministério da Saúde, plataforma onde é possível conferir a distribuição desses itens, até a última atualização, dia 24, haviam sido disponibilizados 3,478 milhão de kits de testes rápidos. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

saude I mapa 28 04 2020                                                                           Mapas de incidência por município de casos e morte - Ministério da Saúde

 

SAÚDE II: Paraná tem 30 novos casos, dois óbitos e mais 71 recuperados

saude II 28 04 2020Informe divulgado pela Secretaria da Saúde nesta segunda-feira (27/04) registra 30 novos casos da Covid-19 no Paraná, mais 71 pessoas recuperadas e dois óbitos decorrentes da doença. O Estado soma agora 1186 pessoas que tiveram confirmação da doença, das quais 753 estão recuperadas e liberadas do isolamento e 75 faleceram.

Registros - Os 30 novos casos são registrados em Paranaguá (2), Campo do Tenente (1), Curitiba (10), Piraquara (2), Colombo (1), Ponta Grossa (1), Cascavel (1), Campo Mourão (3), Nova Londrina (1), São João do Caiuá (2), Paranavaí (2), Paraíso do Norte (1), Terra Rica (1), Maringá (1) e Apucarana (1). Atualmente são 119 cidades paranaenses com registro de casos confirmados e 33 com óbitos pela Covid-19.

Óbitos - Os dois novos óbitos em decorrência da Covid-19 são de uma mulher de 55 anos, residente em Verê, e um homem de 89 anos residente em Ivaiporã. Ambos estavam internados.

Fora do Paraná- O número de pacientes que residem fora do Paraná segue a mesmo: 15 confirmados e dois óbitos, conforme detalhamento no Informe Epidemiológico.

Ajustes - Três casos já confirmados tiveram alteração nos registros: um homem com 62 anos de idade, confirmado no dia 24 de abril em Siqueira Campos foi transferido para o município de Fazenda Rio Grande. E dois casos, ambos do sexo masculino e idades de 28 e 53 anos, confirmados também no dia 24, em Foz do Iguaçu, foram transferidos para o município de Céu Azul. (Agência de Notícias do Paraná)

Consulte aqui o Informe Epidemiológico completo.

 

SAÚDE III: Assembleia aprova obrigatoriedade do uso de máscara em ambientes coletivos no Paraná

saude III 28 04 2020Sair de casa, só usando máscara no Paraná. A decisão de tornar obrigatório do uso da máscara como forma de minimizar os riscos de contágio pelo novo coronavírus foi confirmada na sessão plenária remota da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) desta segunda-feira (27/04). A proposta que trata da obrigatoriedade e de outras medidas preventivas foi aprovada em uma sessão ordinária e duas extraordinárias e segue para sanção do governador.

Espaços - O texto na forma de um substitutivo geral estabelece a obrigatoriedade do uso de máscara pela população nos espaços abertos ao público ou de uso coletivo, como vias públicas, parques e praças, e ainda nos estabelecimentos comerciais, industriais, bancários e as empresas que prestem serviço de transporte de passageiros, como o transporte público coletivo, táxi e veículos de aplicativos ou em qualquer lugar onde possa haver aglomeração de pessoas.

Estímulo - Um dos autores do projeto, o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), primeiro secretário da Assembleia Legislativa, explica que a ideia é estimular a população a adotar medidas de prevenção simples, mas comprovadamente eficazes. “Contra o coronavírus não tem vacina, nem tratamento eficaz. A melhor opção é prevenção. Nesse momento o que é bom para todos é usar a máscara para nos proteger. Nós decidimos criar essa lei estadual que obriga o uso da máscara para reduzir a transmissão do vírus. É uma máscara feita de tecido, de forma artesanal como recomenda o Ministério da Saúde. Nas ruas, nas lojas, nas fábricas, no transporte coletivo, em qualquer lugar público todo mundo tem que usar. Saiu de casa tem que usar a máscara”.

Estabelecimentos - O texto também determina que estabelecimentos públicos, comerciais, industriais, bancários e as empresas que prestem serviço de transporte devem fornecer gratuitamente para seus funcionários as máscaras de proteção e locais para higienização das mãos com água corrente e sabonete líquido ou pontos com álcool em gel a 70%. O álcool em gel também deverá estar disponível para clientes e público em geral.

Multa - Qualquer pessoa ou empresa que não cumprir o que estará previsto na lei ficará sujeito a multa. Os valores variam de um a até cinco Unidades Padrão Fiscal do Paraná (UPF/PR) para pessoas físicas e de 20 até 100 Unidades Padrão Fiscal do Paraná (UPF/PR) para pessoas jurídicas. Em abril de 2020, a UPF/PR equivale a R$ 106,60. Em caso de reincidência os valores serão dobrados. "É uma forma de fazer com que as pessoas cumpram a lei e a lei vale para todo o Estado do Paraná", alerta Romanelli.

Encaminhamento - No fim da sessão, o presidente Ademar Traiano (PSDB), anunciou que o texto aprovado seria encaminhado ainda nesta segunda para o governador. A medida entrará em vigor a partir da publicação em Diário Oficial e permanecerá enquanto o Paraná estiver em estado de calamidade pública.

Tramitação - O substitutivo geral aprovado reúne em um único texto medidas de enfrentamento da emergência em saúde pública propostas em três projetos similares. O projeto de lei 232/2020, do deputado Douglas Fabrício (CDN), o projeto de lei 274/2020, dos deputados Luiz Claudio Romanelli (PSB), Tercílio Turini (CDN) e Alexandre Curi (PSB), e o projeto de lei 254/2020 do deputado Michele Caputo (PSDB).

Em conjunto - Todos foram anexados e passaram a tramitaram em conjunto. Uma subemenda substitutiva geral unificou os textos. Outras quatro subemendas foram apresentadas e acabaram prejudicadas, pois foram contempladas na substitutiva geral. (Alep)

FOTO: Dálie Felberg / Alep

 


Versão para impressão


RODAPE