Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4816 | 06 de Maio de 2020

LOGÍSTICA: Cooperativas alinham sugestões para a consulta pública sobre o tabelamento do frete

 

Avaliar os principais pontos que serão encaminhados como contribuições do setor cooperativista para a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Este foi o objetivo da reunião do GT Logística do Sistema OCB, realizada na manhã desta terça-feira (05/06), por videoconferência. Participaram o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, os coordenadores Silvio Krinski (Ocepar) e João Gogola (Sescoop/PR), representantes das cooperativas paranaenses C.Vale, Cocamar e Copacol, bem como de unidades estaduais e de cooperativas de Minas Gerais, Goiás, São Paulo e Rio Grande do Sul. Pelo Sistema OCB, participaram a gerente geral Tânia Zanella, a gerente técnica e econômica, Clara Maffia,  e o coordenador do Ramo Transporte, Tiago de Barros Freitas. 

 

Prazos - A Consulta Pública n.º 1/2020 é resultado da conversão da Audiência Pública n.º 3/2020, e que visa evitar reuniões presenciais, diante da emergência de saúde pública decorrente do coronavírus (Covid-19). O prazo para contribuições iniciou em 30 de abril e encerra às 18 horas do dia 16 de junho de 2020 (horário de Brasília).

 

Histórico - A Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas (conhecida como Tabela de Frete) foi estabelecida pela Medida Provisória nº 832/2018 e convertida na Lei nº 13.703/2018. Em cumprimento às normas legais, a ANTT publicou, por meio da Resolução ANTT nº 5.820/2018, as tabelas com os pisos mínimos referentes ao quilômetro rodado na realização de fretes, por eixo carregado. As tabelas de pisos mínimos têm natureza vinculativa e foram elaboradas conforme as especificidades das cargas, sendo divididas em: carga geral, a granel, frigorificada, perigosa e neogranel.

 

Atualização - As primeiras tabelas foram atualizadas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em janeiro/2019, bem como decorrentes de oscilação do preço do óleo diesel, conforme determinação legal. A Lei nº 13.703/2018 estabelece que a publicação dos pisos ocorrerá até os dias 20 de janeiro e 20 de julho de cada ano.

 

Preocupações - “As cooperativas Paranaenses demonstram preocupação em relação a não adequação da tabela atual frente a redução do Diesel. Foi ainda sugerida a criação do tipo de transporte de “cargas vivas” para atender a necessidade das cooperativas que operam com suínos e aves”, conta o coordenador João Gogola. Segundo ele, como o prazo para encaminhamento de sugestões encerra em junho, a OCB promoverá nova rodada de discussões afim de discutir mais o tema. 

 

{vsig}2020/noticias/05/06/logistica/{/vsig}

 

COVID-19 I: Comitê de Acompanhamento do Sistema Ocepar divulga comunicado 31

covid 19 comite 06 05 2020O Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 do Sistema Ocepar divulgou na tarde desta terça-feira (05/05), o comunicado 31, com mais informações sobre medidas adotadas para amenizar os impactos da pandemia. A reunião o GT Logística do Sistema OCB, para tratar da Consulta Pública sobre os pisos mínimos dos fretes rodoviários e o decreto estadual que regulamenta o auxílio emergencial para a população carente foram os destaques do dia.

1. Nesta terça-feira, 05 de maio, foi realizada reunião, por videoconferência, com os representantes do GT Logística do Sistema OCB, para tratar da Consulta Pública da ANTT n. 1/2020, sobre a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas (PNPM-TRC). Clique aqui para ver a memória da reunião.

2. No dia 04 de maio, o Governo do Estado do Paraná publicou o Decreto nº 4.570, que regulamenta a Lei nº 20.172, de 7 de abril de 2020, que autorizou a concessão de auxílio emergencial, com recursos do FECOP - Fundo Estadual de Combate à Pobreza, à pessoa economicamente vulnerabilizada em decorrência da emergência de saúde pública de importância internacional causada pela infecção humana pelo coronavírus (Covid-19). Para acessarclique aqui.

Trabalho Remoto - O Sistema Ocepar informa que suas atividades estão sendo desenvolvidas de forma remota, não havendo atendimento presencial. Informações podem ser obtidas pelo site www.paranacooperaivo.coop.br

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção do Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

COPACOL: Nova marca leva a essência da cooperação para os consumidores

 

Com 56 anos de história, a Copacol é uma cooperativa pioneira na produção de frango de corte na região oeste do Paraná e no sistema integrado de peixe no Brasil. Além de abastecer o mercado nacional, sua produção rompe fronteiras e chega às gondolas de mais de 60 países. Uma marca que percorre grande parte do mundo, e que agora, renova sua estratégia de comunicação.

 

Reposicionamento - A nova identidade visual, reposiciona e fortalece a presença da cooperativa no mercado interno e externo, traduzindo a sua essência de cooperar por um mundo melhor. Assim, a Copacol pretende reforçar o seu compromisso com todos os seus stakeholders, de ser uma organização responsável, inovadora, transparente e que produz alimentos seguros e saudáveis.

 

Essência - “Vamos apresentar a nossa essência para o mundo, evidenciar o nosso orgulho de ser cooperativa, mostrar o cuidado que temos com o desenvolvimento dos nossos colaboradores e dos cooperados, a preocupação com a comunidade e a qualidade única dos produtos saudáveis, leves e saborosos que produzimos todos os dias para nossos clientes e consumidores”, ressalta o Diretor Presidente da Copacol, Valter Pitol.

 

Mudanças de comportamento - A Copacol busca se adaptar às mudanças de comportamento do mercado, e para isso, realizou um estudo de percepção da sua marca junto aos consumidores e clientes supermercadistas/atacadistas, com o objetivo de consolidar a cooperativa como a marca de alimentos que mais coopera com as pessoas.

 

Estratégia - Dentro desta nova estratégia de aproximação com clientes e consumidores, e como forma de traduzir essa linguagem de maneira única e expressiva, foi desenvolvido o “C”, um elemento de apoio gráfico que reforça a nova identidade e ajuda a fortalecer as percepções sobre a imagem da cooperativa. Esse e outros elementos, reformulam a maneira pela qual a marca vai se comunicar com estes públicos, ao representar a força e a confiança que a marca possui.

 

Pesquisas - “Nós realizamos pesquisas quantitativas e qualitativas em várias regiões do país em locais estratégicos. Foram mais de 700 entrevistas com consumidores finais, clientes, colaboradores e cooperados, fundamentais para construímos uma identidade visual sólida e aplicarmos o reposicionamento da nossa marca, com a estratégia de branding e comunicação para o consumidor”, explica Alessandro Guerra, gerente de marketing da Copacol.

 

Inspiração na cooperação - Guerra explica ainda que todo o projeto está inspirado na cooperação e o novo logotipo possui letras com intersecções, como se dessem as mãos e cooperassem entre si para atingirem um objetivo em comum. Em paralelo a isso, foi desenvolvido um novo slogan, o “Coopera Sempre”, trazendo a verdadeira essência da Copacol: cooperar. “Mais que uma atitude, este sentimento faz parte do dia a dia da empresa, que busca na cooperação um meio de desenvolver o mundo e as pessoas”, finaliza o gerente. (Assessoria de Comunicação da Copacol)

 

{vsig}2020/noticias/05/06/copacol/{/vsig}

COAMO: Via Sollus Corretora de Seguros completa 12 anos compartilhando benefícios

 

coamo 06 05 2020Doze anos de atividades. Esta é a conquista da Via Sollus Corretora de Seguros em 2020. Fundada em 05 de maio de 2008, a Corretora vem contabilizando números expressivos na sua trajetória prestando serviços na área de Seguros e oportunizando benefícios aos cooperados da Coamo e Credicoamo, aos funcionários das cooperativas e comunidade. Com presença em todas as unidades da Coamo e da Credicoamo nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, em parceria com as melhores seguradoras do Brasil,  a Via Sollus  é uma corretora da Coamo Agroindustrial Cooperativa que contrata seguros de diversas modalidades - Veículos, Residência, Vida, Máquinas e equipamentos, Empresarial, Prestamista, Agrícola- para atender às necessidades dos seus milhares de segurados.  

 

Diferenciais - Segundo o gerente da Via Sollus, Sidinei Lucheti Martioli, a corretora é uma empresa que comemora 12 anos de sucesso, com a garantia, credibilidade, transparência e a qualidade da marca Coamo. Outro diferencial apresentado por Martioli é o fato de que a Via Sollus atua na intermediação entre o segurado e a seguradora, e busca os melhores resultados para os segurados com produto, preço e atendimento, com alta competitividade de registro de volumes significativos no número de adesões aos seus produtos e serviços. “É importante fazer seguro como forma de proteção e prevenção.  Considerando que a vida é imprevisível e as nossas atividades, por mais simples que sejam, podem trazer riscos, então, o seguro tem papel fundamental como ferramenta de proteção. A Via Sollus segue a filosofia e administração da Coamo, e representa um grande benefício oferecido aos seus usuários na proteção do patrimônio e da vida”, considera. 

 

Avaliação - Os 12 anos da Via Sollus são avaliados como sendo de crescimento constante com bons resultados e a satisfação dos usuários. “É um trabalho sério e responsável, que vem sendo feito com apoio direto da Coamo e da Credicoamo, e beneficiando diretamente um grande público, independente de vínculo com a Coamo”, explica o presidente do Conselho de Administração da Coamo, José Aroldo Gallassini.

 

Novidades - Na estratégia de oferecer serviços de qualidade para os seus segurados, em breve a Via Sollus terá uma nova estruturação para melhor atendê-los e colocará à disposição o serviço de uma Central de Atendimento para dar tranquilidade e segurança aos clientes. Acesse www.viasollus.com.br e conheça as modalidades de seguros disponibilizadas.

(Assessoria de Comunicação da Coamo)

 

FRÍSIA: Voluntárias produzem 2.800 máscaras para evitar propagação da covid-19

 

frisia 06 05 2020A pandemia da Covid-19 fez com que a Frísia se antecipasse às recomendações para evitar a propagação da doença. Com o uso obrigatório de máscaras em áreas comuns, desde o mês de abril, quem acessa as dependências da cooperativa tem ao alcance álcool gel e recebe máscara respiratória. 

 

Aquisição de insumos - Para seguir essa determinação, foram adquiridos insumos para voluntárias produzirem 2.800 máscaras, que estão sendo entregues a pedido de cooperados e da sociedade. Até o momento, 13 voluntárias já produziram as máscaras de tricoline e estão se preparando para fabricar mais unidades. Para o trabalho, a Frísia já doou mais de 150 metros de tecidos, elásticos e fios. O trabalho está sendo colaborativo, quem não tem máquina de costura empresta de outras da comunidade.

Quem são elas - A maioria das voluntárias é de Carambeí (PR). Com exceção de uma delas, as demais são esposas e filhas de cooperados, que confeccionaram cerca de 100 máscaras por dia, chegando as 1.200 já nos primeiros dias, quando iniciaram em 5 de abril. Antes de entrar em alguma unidade, como lojas agropecuárias e a matriz, por exemplo, uma colaboradora aborda a pessoa para a entrega de uma máscara e álcool em gel. A proteção facial é de modelo universal e reutilizável, após lavar com água e sabão ou água sanitária.

Orientação - Junto às máscaras também estão sendo entregues encartes para orientação sobre a forma correta de utilização. Após duas ou três horas, devido à umidade, as máscaras devem ser trocadas seguindo a etiqueta de preservação da saúde e de não contato com a área da boca e narina. Além dessa ação de voluntariado, já foram doadas mais de 3.500 máscaras para instituições de saúde, e outros equipamentos de proteção individual (EPIs) necessários às atividades de profissionais da área.

Prevenção - Além das doações para combater a Covid-19, a Frísia implementou uma série de medidas para a preservação da saúde dos colaboradores, associados e familiares. Somadas às ações básicas, como lavar bem as mãos com água e sabão e utilizar álcool em gel, foram reduzidas ao máximo as aglomerações de pessoas, sendo proibida a recepção de comitivas e visitantes. As viagens foram canceladas, assim como a realização de reuniões presenciais.

Trabalho remoto - A cooperativa determinou o trabalho em casa para colaboradores em grupos de risco e a realização de videoconferência para as reuniões.  Em setores onde não é possível o home office, todos os colaboradores tiveram que redobrar as atenções: não tocar nos olhos, nariz e boca; não compartilhar objetos pessoais; aplicar a etiqueta da tosse; e limpar e desinfetar objetos que são utilizados com frequência.

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. (Texto e fotos: Assessoria de Imprensa da Frísia)

INTEGRADA: 50 mil peixes são soltos no Rio Piquiri

 

integrada 06 05 2020A tradicional soltura de peixes realizada pela Integrada é uma das ações anuais de grande importância em prol do meio ambiente. Na edição 2020, ocorrida no final de abril, a regional Goioerê (PR), em parceria com a loja Maçônica Fraternidade Águas Claras de Goioerê, organizou a soltura de 50 mil peixes no Rio Piquiri, rio que nasce em Guarapuava e corta o Estado até o Rio Paraná.

Trabalho em parceria - A soltura contou com a participação da equipe da Força Verde, Policia Militar, membros da loja Maçônica e, também, com a presença do cooperado Eduardo Miyata, um dos incentivadores da preservação ambiental. Representantes de cada entidade ajudaram na tarefa. Neste ano foi feito um trabalho diferente. O número de participantes na soltura foi restringido devido à pandemia do Coronavírus, afirma o gerente da regional, Eraldo Martins. A redução, segundo ele, se deu com o objetivo de evitar uma possível disseminação do vírus.Nas edições anteriores, os alevinos foram soltos no Rio Piquiri com a participação da comunidade, entre elas algumas escolas. “O objetivo é sensibilizar e incentivar as pessoas em relação à preservação do meio ambiente.”, destaca Eraldo. 

O projeto - A Integrada, em parceria com empresas e entidades, já soltou desde a criação do projeto, há mais de dez anos, mais de 800 mil peixes, envolvendo mais de mil pessoas nas ações. A iniciativa visa repovoar e preservar a vida aquática, colaborando para a sustentabilidade de todo um ecossistema.

Iniciativa - A soltura de peixes surgiu a partir da ideia do cooperado de Ubiratã (PR), Nelson Paulo de Oliveira, que habitualmente pesca nos rios da região. O agricultor começou a perceber que os peixes estavam sumindo. Com base na necessidade de trazer de volta a biodiversidade, o projeto Nossa Água abraçou a ideia e iniciou junto ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP) um estudo para verificar pontos estratégicos para a ação.

Resultados - Foram levantadas as espécies presentes nos rios selecionados e, a partir daí, foi traçado um plano para a soltura dos animais que foram adquiridos de criadouros da região. A soltura surtiu resultado, segundo relato dos próprios pescadores que perceberam o aumento no volume de peixes presentes nos rios. (Assessoria de Comunicação da Integrada)

 

SICOOB OURO VEDE: Apoio à diversas ações de arrecadação de donativos durante a pandemia

 

sicoob ouro verde 06 05 2020O Sicoob Ouro Verde acredita que todos são importantes e capazes de construir coisas grandiosas juntos. Por isso, em abril a cooperativa iniciou uma campanha para apoiar e dar visibilidade a ações de arrecadação de doações que estão ocorrendo em diversas cidades do país. Estas ações irão beneficiar ONGs e mobilizações sociais que atuam na assistência às comunidades de baixa renda que estão passando por dificuldades com a crise causada pelo coronavírus.

 

Drive Thru de Doações - Em Londrina (PR), por exemplo, o Sicoob Ouro Verde convidou as pessoas a participarem do Drive Thru de Doações. Na ação, promovida pela Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Arquidiocese e Prefeitura Municipal, é possível fazer a doação de alimentos não perecíveis e material de higiene e limpeza, sem precisar descer do carro.

 

Ponto de entrega - As doações podem ser entregues de segunda à sexta das 9h às 17 horas, na Super Creche (Rua Benjamin Constant, 800 - entrada pela Rua Minas Gerais), no Centro Cultural da Região Norte (Av. Saul Elkind, 790) e no Espaço Dom Bosco da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora (Rua Dom Bosco, 55).

 

Doações por site - Já em Macapá (AP), por meio de um site, a prefeitura está recebendo contribuições em espécie e a doação de alimentos não perecíveis, materiais de higiene pessoal, materiais de limpeza e equipamento de proteção individual (EPIs).

 

São Paulo - Nos próximos dias, os cooperados do Sicoob Ouro Verde no Estado de São Paulo também poderão contribuir. Organizada pela Comissão do Governo de SP, a campanha irá receber bens, materiais e serviço e direcionar para os municípios de acordo com critérios estabelecidos pela Secretaria da Saúde do Estado. Para que a campanha possa abranger também os pequenos municípios onde a cooperativa tem um relacionamento estreito com a comunidade, cada uma das agências selecionou uma causa e tem se dedicado a ações de arrecadação locais, envolvendo colaboradores e cooperados. (Assessoria de Comunicação Sicoob Ouro Verde)

 

SICREDI ALIANÇA: Três associados são premiados na campanha Poupar e Ganhar sem Parar

 

O período da pandemia estimulou os brasileiros a redescobrir a importância de fazer uma reserva financeira e escolher um dos investimentos mais tradicionais e seguros: a poupança. Para incentivar o hábito de poupar, o Sicredi está premiando associados nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, por meio da Promoção Poupar e Ganhar sem Parar. Após depositar na caderneta de poupança, Elsa Olinda Biesdorf associada de Marechal Cândido Rondon-PR, Iria Reichert de Quatro Pontes-PR e Olmiro Naumann também de Quatro Pontes-PR, foram premiados com R$5 mil cada.

 

Total de prêmios - Ao todo, a promoção distribui R$ 2,5 milhões em prêmios, o maior valor em cinco edições da campanha. A cada R$ 100 de incremento líquido na poupança do associado, um número da sorte será distribuído para concorrer à promoção. Se as aplicações forem na modalidade programada, quando há o débito programado mensal para conta poupança do associado, as chances de ganhar são em dobro.

 

Sorte - O presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Rudolfo Freitag, destaca que é uma grande alegria para a cooperativa ter associados premiados nos primeiros sorteios. “Estamos com sorte e queremos que essa sorte faça ainda mais associados contemplados. A poupança é fundamental para termos uma reserva financeira e no Sicredi ela rende prêmios”, disse. 

 

Balanço - Em todo o Sistema Sicredi, a poupança registrou um incremento de mais de R$ 850 milhões em março, o maior desempenho dos últimos três anos na instituição financeira cooperativa, que está presente em mais de 22 estados e no Distrito Federal. Só na região dos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, houve um incremento de quase R$ 450 milhões no período.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

 

{vsig}2020/noticias/05/06/sicredi_alianca/{/vsig}

SICREDI FRONTEIRAS: Comemora 30 anos doando 60 mil máscaras reutilizáveis

 

sicredi fronteira 06 05 2020A cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP completará 30 anos em dezembro de 2020. Para celebrar, foram pensadas diversas ações para contemplar e valorizar o associado que acompanhou e confiou na cooperativa durante toda essa trajetória. "Há 30 anos transformando sonhos em realidade". Esse é o slogan da campanha de aniversário. Porém, devido a abrupta mudança social e econômica no Brasil e no mundo, a cooperativa decidiu repensar e redirecionar toda a campanha. 

 

Doação - Por isso, objetivando o bem-estar não somente dos colaboradores e associados e sim da sociedade em geral, a Sicredi Fronteiras PR/SC/SP irá doar 60 mil máscaras reutilizáveis. As máscaras estarão disponíveis nas agências durante os próximos dias.

 

Por que a doação de máscaras? - O uso de máscaras de proteção facial é uma medida importante de proteção para evitar a infecção do novo coronarívus (COVID-19). Elas têm um efeito benéfico no controle da epidemia: impedem que pessoas infectadas levem o vírus adiante. Com a boca e o nariz cobertos, os fluídos dessas pessoas não entram em contato com outras pessoas ou objetos, limitando o espalhamento da doença. 

 

Escassez - Deste modo, com a ampliação da pandemia, essa atitude passou a ser tratada como políticas públicas de prefeituras e governos estaduais, com regras recomendando ou até mesmo obrigando a adoção deste recurso de prevenção contra a doença. Isso acabou resultando na escassez de máscaras para venda. De acordo com o Presidente da cooperativa, José César Wunsch, a Sicredi Fronteiras deseja com a doação de máscaras reforçar o seu principal objetivo: auxiliar e transformar as comunidades onde atua. 

 

Cooperativismo - "Sempre falamos que temos como principal objetivo transformar as comunidades onde atuamos. Não poderíamos comemorar o aniversário da cooperativa de outra maneira a não ser auxiliando a população que confia em nossos serviços. Somos uma instituição financeira e prezamos pelo retorno do crescimento econômico, para isso, as pessoas necessitam em primeiro lugar estarem saudáveis e continuarem tomando os cuidados necessários para a prevenção de doenças, principalmente a COVID-19. Desta maneira, percebemos que o uso de máscaras será indispensável por um longo tempo, agora e após a retomada completa das atividades", afirma o presidente.

 

Lembre-se - A máscara precisa ser individual. Não pode ser dividida com ninguém, nem mesmo com pessoas que moram com você. 

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Assessoria de Comunicação do Sicredi Fronteiras)

SICREDI PARQUE DAS ARAUCÁRIAS: Cooperativa alcança marca de R$ 1 bilhão em ativos

 

A Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP alcançou recentemente a marca de R$ 1 bilhão em ativos, que em linhas gerais é o conjunto de recursos financeiros e econômicos que são administrados pela organização. O número ilustra o crescimento da cooperativa, que completou 30 anos de fundação em fevereiro de 2020, e que atua nas regiões Sudoeste do Paraná, Oeste e Meio-Oeste de Santa Catarina e Noroeste de São Paulo.

 

Confiança na cooperativa - O Sistema Sicredi, fundado há mais de 100 anos, é composto por 114 cooperativas distribuídas em 22 estados e no Distrito Federal, possui R$ 114,9 bilhões em ativos. De acordo com Fabio Vedelago Burille, diretor executivo da Sicredi Parque, o feito coloca a instituição em um seleto grupo de cooperativas que possuem pelo menos R$ 1 bilhão de ativos. “É importante também porque mostra o quanto o associado tem confiado na sua cooperativa, uma vez que a principal base desses ativos são os investimentos e as aplicações dos associados”, acrescenta o diretor. Além disso, o número também oferece subsídios para que a Sicredi Parque das Araucárias alcance o objetivo de se tornar uma das maiores cooperativas de crédito do país. 

 

Negócios - Também representa um novo patamar de oportunidades de negócios, pois a marca ilustra a credibilidade e o potencial da instituição e do cooperativismo de crédito em gerar riquezas e desenvolvimento. “Nos garante a expectativa de que podemos continuar crescendo mais e mais, pois temos uma base sólida, números e reservas robustas que nos permitem essa expansão”, completa Burille.

 

Crescimento - A Sicredi Parque tem crescido em média 20% ao ano, progresso que se apresenta ainda por meio de outros números importantes conquistados recentemente. Nos últimos meses, a cooperativa ultrapassou a marca dos 50 mil associados e inaugurou novas agências nas cidades de Batatais (SP), Jardinópolis (SP), Ponte Serrada (SC) e Pontal (SP). Mais do que possibilitar retorno financeiro para seus associados e comunidades onde está inserida, a cooperativa também amplia de forma equivalente sua contribuição para o desenvolvimento social, cultural e para a preservação do meio ambiente, por meio de projetos e iniciativas alinhados com as metas de desenvolvimento da ONU.

 

O Programa - Em 2019, o Programa União Faz a Vida, principal projeto de desenvolvimento social do Sicredi, viabilizou 142 projetos que envolveram mais de 3.800 alunos e 250 professores, em oito municípios. No mesmo período, o programa de educação do cooperativismo beneficiou 2.825 associados e iniciativas de educação financeira foram realizadas para 6.219 pessoas. (Assessoria de Imprensa Sicredi Parque das Araucárias)

 

{vsig}2020/noticias/05/06/Sicredi_Parque_das_Araucarias/{/vsig}

 

UNIMED LONDRINA: Cooperativa doa equipamentos para HU ampliar esforços no combate ao coronovírus

 

unimed londrina 06 05 2020Referência no tratamento da covid-19, o Hospital Universitário de Londrina (HU) agora pode contar com uma ferramenta que ampliará seus esforços no combate à doença. A partir do dia 4 de maio, o HU irá tirar dúvidas de médicos de 97 cidades da região por meio de uma plataforma online disponibilizada pelo Núcleo de Telemedicina e Telessaúde do hospital (NTT/HU/UEL). A ferramenta contou com a doação de aparelhos feitos pela Unimed Londrina.

 

Teleinterconsulta - O pneumologista do HU e integrante do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (Coesp) da Prefeitura de Londrina, Alcindo Cerci Neto, conta que, mesmo sendo reconhecido como unidade de telemedicina no Paraná, o hospital não podia realizar todas as suas funções devido à falta de estrutura e impossibilidade de aquisição de recursos. “[Com a doação dos equipamentos], a modalidade que iniciaremos é a teleinterconsulta, ou seja, orientações a médicos que estejam em unidades de saúde periféricas e que precisem de algum auxílio em relação aos casos clínicos que estão em atendimento”, detalha Neto.

 

Equipamentos - A Unimed Londrina doou seis tipos de equipamentos para o HU reestrurar seu sistema de webconferência:

•          2 WebPresenter – Dispositivo para captura de vídeo com recurso de switcher  para reativar o sistema de webconferência;

•          2 Teranex Mini – Dispositivo para captura de vídeo com recurso de switcher para reativar o sistema de webconferência;

•          7 Notebooks – Equipamentos para atender à distância dúvidas de médicos;

•          7 Headsets – Equipamentos para atender à distância dúvidas de médicos;

•          1 Filmadora – Utilizado para filmagem e transmissão ao vivo de treinamento no uso de equipamentos e procedimentos envolvidos no atendimento ao paciente;

•          1 Gravadora de vídeos – Dispositivo para gravação e armazenamento de filmagens para edição de conteúdo. Será utilizado nas capacitações de equipes de saúde.

 

Demanda antiga - O presidente da Unimed Londrina, Omar Genha Taha, conta que a iniciativa vai solucionar uma dificuldade enfrentada pelo HU há dois anos. “Em uma conversa de poucos minutos, nós conseguimos resolver o problema doando equipamentos modernos, que vão atender o hospital de forma plena durante bastante tempo”.  Já Neto reconhece: “A Unimed Londrina foi a pioneira em nos auxiliar neste sentido, a qual agradecemos profundamente”.

 

Outras doações - Além da doação ao HU, a Unimed Londrina realizou outras iniciativas para atender demais entidades. Uma delas foi a parceria com o time do Londrina (LEC) para confeccionar mil máscaras personalizadas, que serão trocadas por quilos de alimentos para instituições carentes de Londrina. Pelo projeto Ecobanners, a operadora de planos de saúde realizou outras duas iniciativas. Em parceria com a Universidade Estadual de Londrina (UEL), a singular doou 40 aventais produzidos pela Retraço Novo, projeto social que capacita artesã do distrito de Lerrovile. Feito com banners, os aventais servirão de equipamento de proteção aos catadores de resíduos sólidos de uma cooperativa que atende o HU.A segunda, foi a doação de 2 mil máscaras, também confeccionadas pela Retraço Novo, à Secretaria Municipal do Idoso. (Assessoria de Comunicação da Unimed Londrina)

 

FINANÇAS: Em época de pandemia, como manter o orçamento em ordem

 

financas 06 05 2020O economista e especialista em Educação Financeira da Fundação Sicredi, Everton Lopes, fala sobre o desafio de controlar as finanças nesse momento de crise e dá dicas do que empresas e pessoas físicas podem fazer para minimizar os impactos da crise provocada pela pandemia do coronavírus e fugir das dívidas. Não deixe de conferir esse objetivo e prático e que pode ajudar salvar o orçamento nesse período difícil da economia. 

 

7 para empresas e consumidores atravessarem a crise do coronavírus com as contas em dia 

Por Everton Lopes

 

O controle das finanças já é uma questão desafiadora e faz parte do dia a dia da maioria da população brasileira, mas na crise sanitária e econômica que o mundo inteiro está vivendo o planejamento se torna ainda mais importante para minimizar impactos e não contrair dívidas. 

No Sicredi, instituição financeira cooperativa, a educação financeira sempre foi um dos principais pilares do relacionamento com associados e, por isso, separei sete dicas essenciais que vão ajudar Pessoas Físicas (PF) e Jurídicas (PJ) a manterem suas atividades econômicas e atravessarem esse período atípico. 

  • Reorganize suas finanças e renegocie dívidas. 

Coloque no papel suas receitas e despesas. Como sempre, o ideal é gastar menos do que ganha, mas esse exercício é muito importante para se ter ideia dos gastos que podem aumentar durante a crise, como alimentação, luz e água; fundamental para cortar o que é supérfluo; e essencial para avaliar dívidas e pensar no que pode ser negociado a depender dos juros. 

Se você também é PJ, avalie com calma o orçamento da sua empresa e estipule despesas prioritárias. Na lista das dívidas, é importante separá-las por “indispensáveis”, “dispensáveis” e “ajustáveis” (aquelas que podem ser diminuídas sem impacto na qualidade de vida, como assinaturas de TV).

  • Separe a pessoa física da jurídica 

Nunca esqueça que a sua empresa é uma coisa e você outra. Nesse momento, é muito importante priorizar o negócio que gera renda para sua sobrevivência e possivelmente para outras pessoas que dependem de você. No dia a dia essa separação pode não ficar tão clara, principalmente quando se é Microempreendedor Individual (MEI), mas é necessário lembrar que a crise passará e a Pessoa Jurídica precisa seguir forte e com disciplina para manter a atividade econômica.

  • Busque alternativas de receita. 

Na crise é preciso se reinventar. Se você é autônomo, busque rendas extras. Muitas pessoas estão confeccionando máscaras de tecido que ajudam a diminuir os riscos de contágio da covid-19. Outra alternativa são os brechós on-line para comercializar itens que você não usa mais, como roupas, sapatos, móveis, jogos e etc. Você também pode avaliar se é possível antecipar férias, adiantar o 13º salário ou ainda restituir imposto de renda. 

Quem é PJ também deve ter criatividade. O espírito empreendedor é fundamental para lidar com as mudanças do mercado, por isso, procure caminhos que permitam que seu negócio continue ativo de forma remota, pela internet ou por telefone, aproveite as redes sociais para impulsionar vendas. Os restaurantes, por exemplo, estão apostando ainda mais nos aplicativos de entrega durante o distanciamento social. No Sicredi, criamos o Sicredi Conecta, um aplicativo para smartphone onde os nossos associados podem comprar e vender produtos entre si.  

  • ·Cuidado com a internet

Como mencionei anteriormente, a internet é um canal importante para impulsionar vendas, mas o tráfego aumentou nas últimas semanas por causa do distanciamento social e o mundo digital ficou ainda mais suscetível aos golpes. Se você é Pessoa Física, desconfie das promoções muito vantajosas, os “caça-cliques”, e também tome cuidado para não cair na tentação de comprar por impulso algo que não precisa. 

Para os PJ’s, é importante lembrar que a internet também pode oferecer riscos. Muitos golpistas estão usando nome de empresas conhecidas para criar páginas falsas e roubar dados dos usuários, e isso pode gerar muita dor de cabeça. Esteja sempre atento e próximo dos seus clientes para garantir a segurança deles e minimizar impactos na sua imagem, caso isso aconteça.    

  • Perdeu o emprego ou precisa demitir?

Para as Pessoas Físicas, em caso de desemprego o controle do seu orçamento deverá ser ainda maior daqui para frente. Faça um levantamento geral do que você tem a receber ou já recebeu, como férias, 13º salário, aviso prévio, FGTS, multa rescisória e saldo de dias trabalhados. Encaminhe seu seguro desemprego, fique atento ao benefício oferecido pelo governo, como o auxílio emergencial de R$ 600, e adeque suas despesas à nova realidade, fazendo máximo de economia possível e de maneira racional. 

Se você é PJ e precisa reduzir sua equipe de funcionários, saiba que o governo federal criou um pacote de combate ao desemprego com opção de redução de salários e jornadas. Se você é MEI, lembre-se que os prazos para pagamento dos tributos referentes aos meses de março, abril e maio foram postergados para outubro, novembro e dezembro deste ano e que também é possível se enquadrar no recebimento do auxílio emergencial do governo neste link.

  • Cuidado com o estoque de compras

Para quem é Pessoa Física, a recomendação é comprar sempre o essencial para o momento. A famosa lista de supermercado ajuda a racionalizar, evita a compra de itens supérfluos e ainda otimiza nosso tempo no supermercado, já que o período é de isolamento social e é preciso evitar lugares com aglomeração de pessoas. Além disso, comprar exageradamente pode provocar escassez dos produtos e influenciar no preço. 

Se você é Pessoa Jurídica, seja comedido ao estocar produtos, especialmente alimentos. Infelizmente essa crise ainda não tem data para acabar e, mesmo que o preço seja vantajoso nesse momento, o recurso aplicado agora em produtos que podem não ser comercializados ou ainda perderem a data de validade pode fazer faltar mais adiante.  

  • Fique de olho no futuro

Aproveite o tempo de distanciamento social para pensar em oportunidades de negócios e desenvolvimento profissional. Seja Pessoa Física ou Pessoa Jurídica, se você estiver em uma situação financeira mais confortável, procure por cursos on-line que possam te ajudar a aprimorar o que você já faz. Outra alternativa para garantir rendimento é usar seu dinheiro em investimentos de baixo risco e muita liquidez. O recomendável em momentos de crise, como essa atual, é ter uma reserva de no mínimo 12 vezes seu custo fixo mensal. E não esqueça de usar o tempo livre para fazer sua declaração de Imposto de Renda, pois ela é um comprovante de rendimento que será útil na busca por crédito no futuro e o prazo para entregar a declaração acaba dia 30 de junho.  

 

INFRAESTRUTURA: Governo vai fomentar obras nos municípios para reaquecer a economia

infraestrutura 06 05 2020Mesmo em meio à pandemia de coronavírus, o Governo do Estado formalizou 1.040 novos convênios para a realização de obras em municípios das mais diversas regiões do Paraná. Além disso, as intervenções que já estavam em andamento, administradas pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, seguem com o cronograma em dia.

Reunião - A ação foi tratada nesta terça-feira (05) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em reunião por videoconferência com representantes de diferentes associações e consórcios municipais do Estado. O presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e prefeito de Pérola, Darlan Scalco, também participou do encontro. Ratinho Junior destacou que o Estado aposta no fomento de obras como forma mais eficiente de agilizar a retomada da economia, ampliando também a oferta de empregos. Segundo ele, o Paraná espera liberar aproximadamente R$ 300 milhões nos próximos meses para intervenções urbanas nas cidades.

Recuperação - O governador disse que o Estado prepara um programa de recuperação da atividade econômica.  "É uma união de ideias que busca alavancar rapidamente a economia do Estado no pós-coronavírus. E, dentro deste cenário, são essas obras que agilizam a construção civil, setor que é um grande gerador de postos de trabalho”, explicou. Os investimentos, informou Ratinho Junior, são parte do empréstimo de US$ 118 milhões (cerca de R$ 660 milhões) que o Estado está finalizando junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e também da sobra de caixa da própria Secretaria do Desenvolvimento Urbano. “Cerca de 20% deste montante vamos aplicar imediatamente nos municípios”, afirmou Ratinho Junior.

Modernização - Secretário de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, João Carlos Ortega reforçou que a implantação do Portal dos Municípios fez com que a gestão dos projetos apresentados pelas prefeituras ganhasse agilidade. Com a ferramenta, ressaltou ele, é possível apresentar projetos e acompanhar todas as etapas, desde a análise até a aprovação, incluindo eventuais correções para o atendimento a todas as legislações que regem o setor. “Estamos em ritmo de força-tarefa para que as obras não parem. Vamos atender todos os municípios e todas as regiões. Dar conta de tudo, dentro do planejamento”, acrescentou Ortega.

COVID-19 - Ratinho Junior fez também um balanço das medidas que estão sendo adotadas para conter a circulação do coronavírus no Paraná. Ele ressaltou que, diferente de outros pontos do País, o índice de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) está sob controle, girando em torno de 34% atualmente. Lembrou, ainda, que o Estado já testou mais de 20 mil pessoas até o momento e que  se prepara para um salto na realização de exames diários, passando dos atuais 600 para 5,6 mil com a parceria feita do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP). De acordo com ele, a ampliação na quantidade de testes fará com que os agentes de saúde entendam melhor o vírus, agilizando as tomadas de decisão. “É um planejamento diário, em que o Paraná vem se saindo bem. Mas não podemos descuidar em nenhum momento”, declarou.

AMP - O presidente da AMP, Darlan Scalco, classificou a reunião como bastante proveitosa. Segundo ele, serviu para acabar com uma série de dúvidas que os prefeitos encaminharam para a associação. “Sabemos a dificuldade do Estado, mas também sabemos que o Governo não vai descuidar dos municípios. O governo tem nos auxiliado e nos ajudado sempre que possível”, comentou o presidente da AMP. (Agência Estadual de Notícias / Foto: Rodrigo Feliz Leal)

ENTREVISTA: Sanidade de alimentos será grande preocupação do mundo após Coronavírus, diz ministra

entrevista 06 05 2020A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, considera que a qualidade e a sanidade dos alimentos será uma grande preocupação do mundo inteiro após a epidemia do novo Coronavírus. E, nesse contexto a produção brasileira já segue protocolos rígidos para garantir essa qualidade, com uma legislação sanitária atual e modernizada. 

Pós-coronavírus - “Não tenho dúvida de que esse será um dos temas pós-coronavírus muito debatido e de preocupação não só nossa, mas do resto do mundo. Que alimento eu estou utilizando? De onde vem? Qual a origem? E o Brasil, como trabalha com cadeias produtivas no setor de proteínas animais, talvez estejamos no topo dessa cadeia, em volume e na qualidade, na sanidade”, disse a ministra, em entrevista ao programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

 

Exportação - A ministra destacou que o Brasil, como grande exportador de alimentos, sempre foi muito cobrado pela qualidade dos alimentos produzidos, tanto na área de produtos de origem animal quanto nos vegetais. “Nós temos ferramentas e seguimos protocolos internacionais que são muito rígidos e o Brasil sempre foi muito cobrado por isso na área internacional. Essa será uma preocupação maior do mundo, sobre a qualidade e segurança dos alimentos consumidos”. 

Balanço - A ministra também fez um balanço das ações do governo federal para o setor agropecuário e de abastecimento durante a pandemia, garantindo tanto a produção “da porteira para dentro” como a logística de distribuição dos alimentos “da porteira para fora”. “A nossa preocupação no primeiro momento foi para que esse setor não parasse. Não temos como deixar de alimentar as pessoas nos hospitais, as pessoas que estão em casa, as pessoas que estão trabalhando. Alimento de qualidade significa saúde e também é paz social. Imagina faltar alimentos neste momento nas prateleiras dos supermercados? Então, o abastecimento hoje tem uma atenção especial do Ministério”, lembrou. 

Medidas econômicas - Outras medidas econômicas do governo destacadas pela ministra têm como objetivo minimizar as dificuldades do setor agropecuário, sobretudo os produtores rurais, devido à pandemia do Novo Coronavírus. Entre elas estão o acesso dos produtores ao crédito e antecipação de benefícios e garantias, como forma de assegurar renda para pequenos, médios e agricultores familiares.  Foram priorizados os setores mais impactados, como hortifrúti, leite e flores. 

 

Estocagem e comercialização - Em apoio às cooperativas, agroindústrias e cerealistas foi autorizado o financiamento para estocagem e comercialização com recursos do crédito rural, com limite de R$ 65 milhões por beneficiário.  Tereza Cristina disse que neste momento o governo discute como será o Plano Safra 2020/2021, e que espera que ele seja maior que nos anos anteriores. “Sabemos que a agropecuária será uma das primeiras que pode retornar depois do Coronavírus. Essa é uma atividade que o Brasil sabe que vai ser a alavanca desse novo momento pós-Coronavírus”.  (Assessoria de Imprensa do Ministério da Agriculgura)

Clique aqui para assistir a entrevista da ministra

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, considera que a qualidade e a sanidade dos alimentos será uma grande preocupação do mundo inteiro após a epidemia do novo Coronavírus. E, nesse contexto a produção brasileira já segue protocolos rígidos para garantir essa qualidade, com uma legislação sanitária atual e modernizada. 

 

Pós-coronavírus - “Não tenho dúvida de que esse será um dos temas pós-coronavírus muito debatido e de preocupação não só nossa, mas do resto do mundo. Que alimento eu estou utilizando? De onde vem? Qual a origem? E o Brasil, como trabalha com cadeias produtivas no setor de proteínas animais, talvez estejamos no topo dessa cadeia, em volume e na qualidade, na sanidade”, disse a ministra, em entrevista ao programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

 

Exportação - A ministra destacou que o Brasil, como grande exportador de alimentos, sempre foi muito cobrado pela qualidade dos alimentos produzidos, tanto na área de produtos de origem animal quanto nos vegetais. “Nós temos ferramentas e seguimos protocolos internacionais que são muito rígidos e o Brasil sempre foi muito cobrado por isso na área internacional. Essa será uma preocupação maior do mundo, sobre a qualidade e segurança dos alimentos consumidos”. 

Balanço - A ministra também fez um balanço das ações do governo federal para o setor agropecuário e de abastecimento durante a pandemia, garantindo tanto a produção “da porteira para dentro” como a logística de distribuição dos alimentos “da porteira para fora”. “A nossa preocupação no primeiro momento foi para que esse setor não parasse. Não temos como deixar de alimentar as pessoas nos hospitais, as pessoas que estão em casa, as pessoas que estão trabalhando. Alimento de qualidade significa saúde e também é paz social. Imagina faltar alimentos neste momento nas prateleiras dos supermercados? Então, o abastecimento hoje tem uma atenção especial do Ministério”, lembrou. 

Medidas econômicas - Outras medidas econômicas do governo destacadas pela ministra têm como objetivo minimizar as dificuldades do setor agropecuário, sobretudo os produtores rurais, devido à pandemia do Novo Coronavírus. Entre elas estão o acesso dos produtores ao crédito e antecipação de benefícios e garantias, como forma de assegurar renda para pequenos, médios e agricultores familiares.  Foram priorizados os setores mais impactados, como hortifrúti, leite e flores. 

 

Estocagem e comercialização - Em apoio às cooperativas, agroindústrias e cerealistas foi autorizado o financiamento para estocagem e comercialização com recursos do crédito rural, com limite de R$ 65 milhões por beneficiário.  Tereza Cristina disse que neste momento o governo discute como será o Plano Safra 2020/2021, e que espera que ele seja maior que nos anos anteriores. “Sabemos que a agropecuária será uma das primeiras que pode retornar depois do Coronavírus. Essa é uma atividade que o Brasil sabe que vai ser a alavanca desse novo momento pós-Coronavírus”.  (Assessoria de Imprensa do Ministério da Agriculgura)

Clique aqui para assistir a entrevista da ministra

 

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, considera que a qualidade e a sanidade dos alimentos será uma grande preocupação do mundo inteiro após a epidemia do novo Coronavírus. E, nesse contexto a produção brasileira já segue protocolos rígidos para garantir essa qualidade. Clique aqui para assistir a entrevista da ministra.

 

#agronegocio#agricultura#mercado#pecuaria#varejo;

Versão para impressão


RODAPE