Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias IBGE: Painel interativo espacializa dados da PNAD Contínua e traz novos recortes regionais

 

 

cabecalho informe

IBGE: Painel interativo espacializa dados da PNAD Contínua e traz novos recortes regionais

ibge 05 05 2022Dados sobre mercado de trabalho, população, educação e acesso a TV, internet e celular, investigados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, agora podem ser acessados em um painel interativo no Portal do IBGE. A ferramenta, lançada nesta quinta-feira (04/05), em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), espacializa e facilita a visualização de informações da maior pesquisa domiciliar do país, por meio de mapas e gráficos interativos.

Indicadores experimentais - O painel fornece também, pela primeira vez, indicadores experimentais para 146 estratos geográficos, como Baixada Santista, Agreste da Paraíba, Litoral Sul da Bahia e Norte de Minas Gerais, até então nunca divulgados pela pesquisa.

Navegação - Por meio do painel, o usuário pode navegar por 24 indicadores selecionados em toda a série histórica da PNAD Contínua, iniciada em 2012. Entre eles, dados sobre ocupação, desocupação e o contingente populacional, divulgados pela edição trimestral da pesquisa. Também terá acesso às taxas de analfabetismo e de escolarização, além do total de domicílios com televisão, celular e com acesso à internet, apurados pela versão anual.

Disseminação - “Todo esse volume de informações tem sido disseminado através de publicações e do Sidra, o banco de tabelas estatísticas do IBGE. A divulgação em forma de painel interativo vem facilitar o consumo da informação por meio de recortes geográficos diversos, mostrando a evolução dos indicadores ao longo do tempo e sua distribuição no espaço territorial, através de gráficos e mapas interativos”, explica a gerente de Integração da Produção de Geoinformação do IBGE, Aline Lopes Coelho.

Estratos geográficos ampliam análise regional dos dados - O painel apresenta esses indicadores com recortes já conhecidos, como para o país, grandes regiões, unidades da federação, regiões metropolitanas e capitais. Agora, a pesquisa também passa disponibilizar, pelo painel, indicadores por estratos geográficos, que permitem uma análise de recortes geográficos menores, além das regiões metropolitanas e capitais. Veja aqui a lista de municípios que compõe cada unidade dos estratos geográficos.

Alinhamento - “A criação dos estratos geográficos está alinhada à iniciativa do IBGE de potencializar e estimular o uso de diferentes recortes para a produção e disseminação das pesquisas, tornando-se ainda mais relevante quando se considera a expressiva heterogeneidade socioespacial existente dentro de cada uma das unidades federativas”, diz a coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Adriana Beringuy.

Exemplo - No painel, ao navegar pelo mapa do estado de Minas Gerais, por exemplo, o usuário pode verificar que a taxa de desocupação do estrato geográfico correspondente ao Norte de Minas foi de 13,2% no 4º trimestre de 2019. Já no estrato referente ao Sul de Minas, a taxa foi menor, 7,6%. E em todo o estado mineiro, a taxa de desocupação chegou a 9,6% naquele período.

Dados mais recentes - Os dados mais recentes sobre os estratos geográficos são de 2019 por conta dos efeitos da pandemia na coleta da PNAD Contínua que, em 2020 e 2021, afetou a taxa de repostas e a divulgação de alguns indicadores.

Análise - “Esses estratos potencializam a análise de dados regionais, porque adentram os estados e mostram, com recortes geográficos menores, o potencial de mercado de trabalho e outras características dos domicílios. É um avanço muito grande. Estamos diante de um momento histórico. Pela primeira vez uma pesquisa domiciliar ultrapassa o limite do município da capital e chega aonde estamos chegando agora”, ressalta o diretor de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo.

Administração pública - Para o presidente do IBGE, Eduardo Rios Neto, os novos estratos vêm atender uma demanda da administração pública. “Essa divulgação vai ao encontro dos anseios dos órgãos de planejamento dos estados, que demandavam estatísticas interestaduais, mas esbarravam nos altos custos de realização de pesquisas domiciliares estaduais. A comunidade de pesquisadores também encontrará uma nova fonte para analisar a dinâmica econômica no espaço”, acrescenta o presidente.

PGI - O Painel PNAD Contínua também está integrado à Plataforma Geográfica Interativa (PGI), por meio da qual, o usuário com habilidades mais avançadas poderá cruzar informações com os diversos produtos da Diretoria de Geociências do IBGE. Basta clicar no símbolo que representa um olho, no mapa do painel, e o usuário terá acesso aos dados do painel vinculado à PGI, podendo comparar, por exemplo, informações sobre mercado de trabalho com o deslocamento da população pelos municípios, apurados pela pesquisa Regiões de Influência das Cidades (Regic).

Lançamento - OIT também vai lançar painel com apoio do IBGE - Desenvolvido pela Diretoria de Geociências com a apoio das Diretorias de Pesquisas e de Informática, a partir de um acordo de cooperação técnica entre o IBGE e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o painel aprimora a visualização dos dados da PNAD, tendência que facilita a compreensão e utilização das informações da pesquisa pelos seus diversos usuários.

Produtos estratégicos - O coordenador de Geração de Conhecimento para a Promoção do Trabalho Decente, do escritório da OIT no Brasil, José Ribeiro, destaca que, “com base nos dados da PNAD Contínua, a OIT desenvolveu diversos produtos estratégicos direcionados para a ampliação da base de conhecimento sobre o Trabalho Decente no país com o intuito de fornecer subsídios para a elaboração de políticas e ações de promoção da iniciativa, inclusive em subespaços das unidades da federação”.

Disponibilidade - O Painel PNAD Contínua - Trabalho Decente estará disponível a partir do dia 11 de maio no site da OIT Brasil e trará 18 indicadores e informações como população ocupada, rendimentos dos ocupados, jornada de trabalho e taxas de desocupação e de formalidades.

Mais sobre a PNAD Contínua - Iniciada em 2012, a PNAD Contínua produz informações sobre a inserção da população no mercado de trabalho segundo características demográficas e de educação. Também gera resultados anuais, destinados ao estudo do desenvolvimento socioeconômico do país, sobre temas como trabalho infantil e outras formas de trabalho, cuidados pessoais e afazeres domésticos, tecnologia da informação e da comunicação e outros aspectos relevantes selecionados de acordo com as necessidades de informação.

Amostra probabilística - A pesquisa é realizada por meio de uma amostra probabilística de domicílios, extraída de uma amostra mestra de setores censitários, de forma a garantir a representatividade dos resultados para os diversos recortes geográficos em que a pesquisa é produzida. A cada trimestre, a PNAD Contínua investiga em torno de 211 mil domicílios brasileiros. Desde sua implantação, a pesquisa, gradualmente, vem ampliando os indicadores e se estabelecendo como a principal pesquisa domiciliar do país. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Acervo IBGE

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias