Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias GOVERNO FEDERAL: União tem mais R$ 10 bi para desonerar folha

 

 

cabecalho informe

GOVERNO FEDERAL: União tem mais R$ 10 bi para desonerar folha

A presidente Dilma Rousseff sanciona e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anuncia nesta quinta-feira (13/09) uma nova rodada de desonerações da folha de pagamento das empresas, prevista na Medida Provisória 563, ao custo de R$ 5,2 bilhões. O governo ainda terá, portanto, cerca de R$ 10 bilhões no Orçamento de 2013, para estender as desonerações a mais setores da economia se assim o desejar.

Troca - Como a troca da contribuição previdenciária sobre a folha pela tributação sobre o faturamento das empresas produz perda de receitas para a seguridade social, o governo incluiu na proposta de Orçamento para 2013, enviada ao Congresso Nacional, uma previsão de gasto de R$ 15,22 bilhões a título de compensação ao Fundo do Regime Geral da Previdência Social.

Setores - Durante a tramitação da MP 563 no Congresso, os parlamentares adicionaram uma vasta gama de setores na lista das desonerações. A tendência é que boa parte dessas emendas seja atendida, segundo uma fonte da Fazenda, o que envolve as áreas de transporte rodoviário de passageiros, empresas de manutenção de aeronaves, entre outras.

Manufaturas - Praticamente toda a indústria de manufaturas do país passará a pagar a contribuição previdenciária sobre o faturamento, à exceção da siderurgia, química e petroquímica e das montadoras de automóveis. Antes do anúncio das medidas, o ministro Guido Mantega vai se reunir com empresários dos setores beneficiados.

Ampla - A Medida Provisória 563 é ampla. Ao sancioná-la a presidente estará definindo a regulamentação complementar do cadastro positivo e toda a concepção da tributação das debêntures de infraestrutura, entre outras mudanças tributárias.

Dados - Para a instituição do cadastro positivo faltava definir a responsabilidade pelos dados do cidadão. A medida provisória estabelecerá que o banco de dados e a fonte das informações é que serão os responsáveis, objetiva e solidariamente, pelos danos materiais e morais causados ao cadastrado.

Renegociação de dívidas - Também consta da MP 563 a ampliação do limite para renegociação de dívidas bancárias de pessoas físicas e empresas, com mudança no regime tributário. Hoje a legislação permite que a renegociação seja feita com pessoas físicas e agricultores com dívidas de até R$ 30 mil. O teto deverá ser ampliado para a casa dos R$ 100 mil. A ampliação desse limite é medida importante para o governo, que quer transformar os tomadores de crédito, hoje inadimplentes, em consumidores adimplentes.

Posição - Até o início da noite desta quarta não estava de decidida a posição do governo sobre a proposta do Congresso de desoneração da PIS/Cofins que ainda incide sobre a cesta básica. Como a descrição legal dos produtos que compõem a cesta básica é de 1938, o governo pode optar por primeiro mudar a definição da cesta e, só então, atender à demanda do Parlamento, de retirar o PIS/Cofins dos seus produtos.

Portos e aeroportos - Da sequência de medidas programadas pelo governo para animar o setor privado a retomar os investimentos, falta, ainda, a decisão sobre as concessões de portos e aeroportos, adiadas pela complexidade da questão dos portos e pelas divergências em tordo do modelo que será escolhido para os aeroportos. Elas devem ser divulgadas ainda este mês. (Valor Econômico)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias

/* #### ANTIGA TAG DO GOOGLE ANALYTICS */