Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5217 | 14 de Dezembro de 2021

AGEUNI: Lançados os primeiros editais do Programa de Estímulo às Ações de Integração Universidade, Empresa, Governo e Sociedade

ageuni 14 12 2021A Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná e a Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná promoveram, na manhã desta terça-feira (14/12), um evento online de lançamento dos primeiros editais da Agência de Desenvolvimento Regional Sustentável e de Inovação (Ageuni), no âmbito do Programa de Estímulo às Ações de Integração Universidade, Empresa, Governo e Sociedade. Participaram pelo Sistema Ocepar, o superintendente Robson Mafioletti e os analistas Leandro Macioski e Alexandre Monteiro.

Valor - Os editais “Apoio ao Empreendedorismo – SubPrograma Paraná Empreende Mais” e “Constituição da Estrutura Física da Ageuni” irão contemplar investimentos destinados à estruturação e desenvolvimento dos projetos Ageuni, em um total de R$ 3.438.800,00.

O Programa- O Programa de Estímulo às Ações de Integração Universidade, Empresa, Governo e Sociedade foi lançado pelo governo do Estado no dia 5 de outubro, com o objetivo de incentivar o desenvolvimento socioeconômico e aumentar a competitividade das empresas paranaenses, agregando tecnologia aos processos de produção de bens e serviços.

Idealização - Idealizado pela Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o programa cria as Agências de Inovação para o Desenvolvimento Regional Sustentável (Ageuni) e será implementado pelas sete universidades estaduais do Paraná.

Recursos - A iniciativa aplicará, inicialmente, recursos financeiros da ordem de R$ 10 milhões, provenientes do Fundo Paraná e da Secretaria de Estado da Fazenda. Esse montante será operacionalizado pela Fundação Araucária a partir de três editais de chamamento. A gestão dos recursos será realizada pelas Fundações de Apoio das instituições de ensino superior.

Eixos - As atividades da Ageuni contemplam quatro eixos temáticos: parceria entre universidade e empresa; inovação e apoio para microempreendedores individuais (MEIs), micro e pequenas empresas (MPEs), cooperativas, associações e empreendimentos solidários; universidade empreendedora; e universidade e desenvolvimento regional sustentável.

Governança - A governança da Ageuni é exercida por um Comitê de Gestão, composto pela Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Estado do Planejamento e Projetos Estruturantes e as próprias instituições de ensino superior.

Participação - O comitê tem, ainda, a participação da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep); Federação da Agricultura do Paraná (Faep); Federação do Comércio do Paraná (Fecomercio); Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Sebrae/PR); Associação de Municípios do Paraná (AMP); e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar). (Com informações da Agência de Notícias do Paraná)

 

GETEC: Informe nº 60 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 14 12 2021A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (13/12), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2021, 2022 e 2023.

Clique aqui para conferir na íntegra o Informe Expectativas de Mercado da Getec

 

NOTA DE PESAR: Morre o jornalista Fábio Buchmann, vencedor do Prêmio Ocepar deste ano

perda 14 12 2021Faleceu, nesta segunda-feira (13/12), o jornalista e repórter da rádio CBN de Curitiba, Fábio Buchmann, filho do coordenador de Jornalismo do Sistema Fecomércio Paraná, Ernani Buchmann. Fábio foi um dos vencedores da 14ª edição do Prêmio Ocepar de Jornalismo, com o segundo lugar na categoria Radiojornalismo. Ele tinha 45 anos, era diabético e estava internado desde o dia 24 de agosto em decorrência de um retransplante de fígado.

Sepultamento - O velório e o sepultamento estão marcados para esta terça-feira (14/12), das 9h às 17h, no Cemitério Parque do Iguaçu, em Curitiba. Segundo o coordenador de Comunicação Social do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho, “o jornalismo paranaense não perde apenas um ser humano exemplar, perde também um profissional ético e dedicado. Sempre, em todas suas reportagens, o Fábio procurava mostrar uma boa história, contada com detalhes e com a peculiaridade da sua voz marcante no rádio da capital paranaense. Um exemplo desta sua dedicação no cuidado com todos os detalhes, é a reportagem vencedora produzida por ele intitulada solidariedade que salva. Lamentamos por esta prematura perda e nossos sentimentos a esposa Simone Giacometti e seus três filhos”, frisou.

Prêmio Ocepar - Neste ano, devido à pandemia da Covid-19, o anúncio dos vencedores do 14º Prêmio Ocepar de Jornalismo e suas respectivas classificações aconteceu de forma on-line, em transmissão ao vivo transmitida pela TV Paraná Cooperativo, canal do Sistema Ocepar no Youtube. Na ocasião, Fábio Buchmann participou virtualmente e comentou para aos jornalistas Cláudia Vicentin e Samuel Milléo Filho sobre a produção da reportagem: “Vivemos tempos sombrios. Confesso que foi um desafio a mais produzir esta reportagem. Resolvi trazer um pouco de luz para esta pandemia. Fui atrás da pauta e descobri a história da Paloma e sua mãe Lúcia que, graças a uma agricultora, acabou dando mais qualidade de vida para a Paloma, uma menina que tem Síndrome de Down, possui um problema de plaqueta baixa e precisava constantemente de doação de sangue. E a força desta matéria ficou gritante. Todo mundo que ouvia, entrava em contato para parabenizar. Desde que produzi o material falo com a Lúcia, mãe da Paloma, para saber sobre a menina. Nos tornamos amigos, foi muito gratificante. Só tenho de agradecer e parabenizar a todos os demais colegas para que continuem participando do Prêmio Ocepar de Jornalismo”, frisou Buchmann.

Link - Ouça aqui a reportagem “Solidariedade que salva” produzida pelo jornalista Fábio Buchmann para o 14º Prêmio Ocepar de Jornalismo quando conquistou o segundo lugar na Categoria Radiojornalismo: https://www.youtube.com/watch?v=3c_mJzGdkJw

 

COOPERATIVISMO: Seminário virtual Lei nº 5.764/71: passado, presente e futuro

cooperativismo logo 14 12 2021O seminário virtual Lei 5.764/71: passado, presente e futuro, promovido pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), comemorou nesta segunda-feira (13/12), os 50 anos da Lei Geral do Cooperativismo. Promulgada em 16 de dezembro de 1971, a norma foi responsável por fortalecer a identidade cooperativa no Direito brasileiro ao atribuir natureza jurídica própria às sociedades dessa natureza e se tornou referência por suas características no mundo todo.

Autoridades - Autoridades renomadas tanto nacional como internacionalmente no que diz respeito ao direito tributário e à defesa do cooperativismo participaram do seminário. Paulo de Tarso Sanseverino, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), fez um resgate histórico sobre a importância da norma para a consolidação do Direito Cooperativo. Segundo ele, “a Lei 5.764 tem prestado serviços valiosíssimos à sociedade brasileira e realmente tem um papel muito importante para a consolidação do cooperativismo no Brasil”.

Revolução - O ministro destacou que o cooperativismo representa por si só uma revolução histórica ao celebrar o contrato de sociedade cooperativa a partir de pessoas que se obrigam a contribuir com bens ou serviços para o exercício de uma atividade econômica de proveito comum, sem objetivo de lucro. “Nesse sentido, a Lei Geral do Cooperativismo gerou frutos espetaculares como a adesão livre e voluntária, a gestão democrática, a participação econômica nos lucros e resultados, a prática da intercooperação e o desenvolvimento sustentável das comunidades”, salientou.

Presente - Heleno Torres, professor titular de Direito Financeiro da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), entusiasta e apoiador do cooperativismo, abordou características da Lei que precisam ser continuadamente defendidas. “A natureza especial das cooperativas, que tem como uma de suas peculiaridades a gestão de iguais, exige repetidamente o reconhecimento do ato cooperativo nas relações tributárias. Vejo com muita tristeza decisões que comparam as sociedades cooperativas com empresas tributárias nesse ponto, principalmente quando utilizado como um argumento de isonomia”, afirmou.

Ato cooperativo - Para ele, tributar o ato cooperativo é uma forma de interpretar a própria Constituição de 1988 de forma equivocada, uma vez que a Carta Magna reconhece o regime diferenciado do modelo de negócios. “O cooperativismo brasileiro é um orgulho e todos os méritos devem-se aos homens e mulheres que acreditam na união de esforços para construir, pelo ato cooperativo, uma sólida alternativa de empreendedorismo, com vocação coletiva, sustentável, eficiente e humanista. Por isso, nenhuma reforma tributária pode deixar de respeitar e preservar as características do ato cooperativo”.

Futuro - O doutor em Direito, com carreira focada em sociedades cooperativas, pesquisador e membro do comitê jurídico das Cooperativas das Américas (ACI Américas), Mário De Conto, tratou das perspectivas futuras do cooperativismo e alterações que a Lei 5.764 já sofreu e ainda pode vir a sofrer para tornar a atuação do setor ainda mais qualificada e efetiva. “A Lei, como já dito por meus colegas anteriormente, tem fundamentos importantes e as atualizações são primordiais para que ela possa continuar contribuindo para o desenvolvimento e consolidação do cooperativismo no Brasil”.

Atualizações - De Conto destacou, por exemplo, algumas atualizações recentes que buscaram atender as inovações tecnológicas do mundo atual como as Leis 14.030/2020 e 14.195/2021 que permitiram a participação e votação à distância em reuniões e assembleias e os registros e folhas soltas ou em meio digital, respectivamente. Para o futuro, o jurista acredita que há desafios relevantes no que diz respeito a identidade, quadro legal, participação e capital das cooperativas.

Papel das organizações - “É preciso pensar no papel das organizações nacionais no apoio e defesa do cooperativismo, reforçando sua identidade e quadro legal. As formas de participação também podem ser ainda mais modernizadas a partir do uso de recursos tecnológicos cada vez mais inovadores. No que diz respeito ao capital, um item bastante complexo, há outras alternativas de captação que precisam ser consideradas como, por exemplo, o aporte por parte de anjos investidores para cooperativas que adotam o modelo de startups”, afirmou.

Prosperidade - Responsável pela abertura do seminário, o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, fez questão de ressaltar que o cooperativismo não é responsável apenas por uma movimentação financeira significativa, na ordem de R$ 400 bilhões/ano. “Mais do que isso, nosso setor faz uma movimentação social fantástica. Somos um universo de cerca de 80 milhões de brasileiros. Além disso, as cooperativas geram recursos que são mantidos nas localidades onde estão inseridas, o que reflete em uma onda de prosperidade, bem-estar e felicidade”.

Responsável - Para o presidente, a Lei 5.764 é responsável por proporcionar essa prosperidade. “Ela pode até precisar de alguns retoques ou modernização em alguns aspectos, mas ainda é a grande pilastra de sustentação do cooperativismo brasileiro. Queremos que ela seja cada vez mais forte e adequada as inovações atuais e de uma geração com economia mais participativa. E temos certeza de que essa senhora (a lei) deve continuar nos ajudando nessa jornada”, concluiu. (OCB)

{vsig}2021/noticias/12/14/cooperativismo/{/vsig}

 

BRDE: Banco libera R$ 60 milhões para agricultores, empresas e cooperativas do Sudoeste

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) liberou R$ 60 milhões para empresas, cooperativas e produtores rurais do Sudoeste durante o Fórum Pato Branco – Cidadão Para o Mundo 2021.

Contratos - Essa rodada de assinaturas abrangeu 13 contratos, sendo quatro firmados com clientes próprios do BRDE e outros nove negociados por instituições conveniadas, como Cresol, Sicredi e Sicoob. Entre os contemplados estão um hotel, uma indústria de laticínios, duas cooperativas agroindustriais e nove agricultores.

Destinação - Os recursos serão usados para ampliação de instalações, aquisição de equipamentos, ampliação de capacidades de armazenamento, correção de solo e irrigação. Além destes, destacam-se contratos para a instalação de sistema fotovoltaico em propriedades rurais como a finalidade de produzir energia limpa. Foram quatro liberações com este propósito. As contratações de valores mais expressivos foram da Coasul Cooperativa Agroindustrial, no valor de R$ 35 milhões, e da Cooperativa Agropecuária Tradição (Coopertradição), no valor de R$ 15 milhões.

Apoio - Convidado a falar em nome dos clientes do BRDE, o presidente da Coopertradição, Julio Tonus, agradeceu a colaboração do banco por apoiar a cooperativa desde seu surgimento. “São 18 anos da Coopertradição, temos hoje 13 entrepostos, com a matriz. Temos uma grande indústria de soja, de trigo e estamos faturando R$ 2 bilhões este ano. E 100% de todo investimento foi feito com o apoio do BRDE. Ele que abriu as portas para nós lá atrás, com simplicidade, honestidade e transparência que nos deixa muito feliz”, comemorou.

Energia limpa - O prefeito de Pato Branco, Robson Cantu, ressaltou a importância dos contratos com a finalidade de produção de energia limpa nas propriedades rurais e disse que a prefeitura planeja adaptar todos os edifícios públicos com fornecimento de energia produzida por placas fotovoltaicas.

Participação - “O Paraná hoje é referência em alimentos e grãos e o BRDE tem uma participação muito grande nisso. Quando vemos aqui pequenos produtores sendo agraciados com um financiamento desse isso é muito importante. É isso que nós temos que fazer. O dinheiro tem que ficar no Sul e quando fica no Paraná, a gente dá mais emprego”, declarou.

Cooperativismo - “O cooperativismo reconhece que sua evolução no Paraná teve a participação do BRDE e continua tendo. O setor cooperativista representa de 40% a 50% de todos os financiamentos que o banco realiza”, analisou o diretor administrativo do BRDE, Luiz Carlos Borges da Silveira.

Multiplicação - “Faço votos que o dinheiro que vocês vão aplicar se multiplique. E cada vez mais vocês melhorem as condições e gerem mais empregos para fortalecer ainda mais essa belíssima região que é o sudoeste do Paraná”, completou.

Fórum - O Fórum Pato Branco – Cidadão Para O Mundo ocorreu de 9 a 11 de dezembro no Largo da Liberdade em Pato Branco-PR. Escritores, professores, economistas, jornalistas, médicos, advogados, engenheiros, poetas, políticos, cientistas políticos, músicos, artistas plásticos e empresários que possuem ligação com a cidade proferiram palestras e participaram de painéis no Fórum. O evento fez parte da semana de comemoração oficial da emancipação de Pato Branco.

Transmissão - O fórum foi todo transmitido pelos perfis em redes sociais do evento, como no YouTube, onde todos os painéis estão disponíveis. Para assistir à solenidade com a assinatura dos contratos, acesse aqui. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2021/noticias/12/14/brde/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO: Cooperativa recebe Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão

sicoob metropolitano 14 12 2021O Sicoob Metropolitano conquistou mais um prêmio. No último dia 7, a cooperativa foi reconhecida nacionalmente como um modelo de gestão e boas práticas no cooperativismo durante a entrega do Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão, promovido pelo Sistema OCB.

Faixa prata - A cooperativa recebeu a faixa prata pelo resultado obtido no processo de avaliação realizado no Programa de Desenvolvimento da Gestão Cooperativa (PDGC). O Sicoob Metropolitano foi representado pelo conselheiro de Administração, Hugo Mesquita, que recebeu o prêmio no evento na HSM, em São Paulo.

Surpresa - O coordenador Administrativo da Unidade Administrativa, Marcelo Nascimento, disse que foi uma surpresa receber o prêmio, já que a categoria que o Sicoob Metropolitano participava foi elevada para um nível mais exigente.

Agradecimento - “A área de Gestão Estratégica agradece a todos os líderes e colaboradores da cooperativa que estiveram engajados em apresentar nossos processos aos avaliadores em conjunto com as evidências exigidas para comprovar a boa condução. Já estamos ansiosos pelo próximo ciclo que ocorrerá em 2023. Para este ciclo, nossos processos estarão ainda mais desenvolvidos e muito mais próximo do nível máximo de excelência que o programa exige”, afirma.

Sobre a premiação - O Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão acontece a cada dois anos e é o reconhecimento em nível nacional das cooperativas que mais promovem o aumento da qualidade e da competitividade do modelo de negócio. É dar destaque a quem já está pensando hoje no cooperativismo de amanhã e saber quais estão avançando por meio da adoção e desenvolvimento de boas práticas de identidade cooperativista, governança e gestão, identificadas nas ferramentas de diagnóstico Sescoop. (Imprensa Sicoob Metropolitano)

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Agência móvel é disponibilizada a entidades participantes da União Solidária

sicredi uniao 14 12 2021A agência móvel da cooperativa de crédito Sicredi União PR/SP estará no Calçadão de Londrina (PR), desta terça-feira (14/12) a sexta-feira (17/12), e a causa não poderia ser mais nobre: auxiliar as entidades que fazem parte da União Solidária a divulgar e concretizar seus projetos nesta reta final de campanha. A agência móvel, sobre um caminhão, ficará estacionado ao lado da Catedral Metropolitana.

Transformar vidas- A campanha tem o objetivo de gerar impacto social e transformar vidas e consiste em contemplar projetos inscritos por entidades que atuam nos eixos de Assistência Social, Esportes, Cultura, Educação, Meio Ambiente e Saúde. É realizada pelo Instituto CoopConecta, Sicredi União PR/SP, Cocamar e Lions Distrito LD 6 e será finalizada em fevereiro de 2022.

Divulgação - Em Londrina, participam 62 entidades e todas terão oportunidade de estarem no espaço oferecido pela cooperativa para divulgarem e venderem cupons da campanha a R$ 10,00. Quem compra, concorre a prêmios e todo o recurso arrecadado com a venda é revertido a cada entidade, de acordo com a venda efetuada, sem qualquer desconto. Foram realizados sorteios mensais e ao final, em fevereiro, serão sorteados, entre todos os compradores, três carros Fiat Argo e seis motos Honda CG Start. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

COPAGRIL: Oeste do Paraná é reconhecido como Polo de Inovação Agropecuária

Na quinta-feira (09/12), o diretor-presidente da Copagril, Ricardo Sílvio Chapla, e equipe do comitê de inovação da cooperativa participaram da inauguração da Rede de Inovação para o Agronegócio do Oeste do Paraná, iniciativa que eleva a Região Oeste – área de atuação da Copagril - como Polo de Inovação Agropecuária.

Ferramentas tecnológicas - A iniciativa tem com foco possibilitar a criação de ferramentas tecnológicas que impulsionam a produtividade e fomentam a criação de startups e o desenvolvimento de pesquisas nos parques tecnológicos e universidades, por meio de um ecossistema entre entidades públicas e privadas, produtores rurais, empresas do setor, profissionais e entidades de classe. Conjunto em prol do desenvolvimento regional.

Ministra - Durante o evento, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, parabenizou a região e destacou a parceria regional para a formação de ecossistemas inovadores. “Sabemos que a tecnologia e a inovação são fatores transformadores e o nosso agro vem transformando o país de Norte a Sul com ciência, produtividade e sustentabilidade. Temos, cada vez mais, engajamento do setor produtivo e da agroindústria. Todos juntos, continuaremos a transformar o agro”, declarou.

Apoio - A iniciativa conta com apoio de vários parceiros, entre eles Sebrae e POD (Programa Oeste em Desenvolvimento), o qual congrega as entidades que formam o núcleo responsável pela governança do polo, unindo diversas entidades que formam a base do comitê regional. Atualmente são 25 organizações com representantes no comitê, composta por cooperativas, sindicatos rurais, parques tecnológicos, universidades, institutos e associações distribuídos por toda a região Oeste.

Atração de capital - Com esse trabalho regional, poderá ocorrer a atração de capital, por parte de investidores, com aporte dos recursos necessários para atender as necessidades do polo, como pesquisas e desenvolvimento de tecnologias. Com isso, a região se beneficiará de diversas formas, como exemplos, a possibilidade de criação de um banco de dados e a construção de laboratórios para inovação em alimentos. A região também poderá receber a implementação de políticas públicas. (Imprensa Copagril)

{vsig}2021/noticias/12/14/copagril/{/vsig}

COOPAVEL: Nutriagro conquista prêmio do SRI Inova Oeste em inovação de produtos

coopavel 14 12 2021A Nutriagro, indústria de fertilizantes foliares da Coopavel criada há menos de dois anos, é uma das vencedoras da segunda edição do Prêmio Inova Oeste do SRI – Sistema Regional de Inovação, uma das estruturas líderes do ecossistema de inovação do Oeste do Paraná. O anúncio oficial dos ganhadores foi feito em evento, em Medianeira (PR), dias atrás, o Link SRI, que reuniu empresas âncoras e startups. O prêmio é parceria com do SRI com Sebrae e Senai.

Campeã - Com o fertilizante Salus Magis, a Nutriagro venceu na categoria Inovação de Produtos para Médias e Grandes Empresas – no total, o Inova Oeste conta com seis categorias. O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, reuniu profissionais da Nutriagro e das áreas de tecnologia e inovação da Coopavel, durante reunião do Conselho de Administração, para ressaltar a importância da conquista.

Empresa nova - “A Nutriagro é uma empresa nova e que, atenta às inovações e às possibilidades que ela oferece, traz ao mercado soluções altamente eficientes e de excelente resultado aos produtores rurais”, afirmou Dilvo, citando a importância estratégica de uma coordenadoria de inovação recentemente criada que passa a apresentar soluções que levarão a Coopavel a um novo estágio em seu processo de crescimento. “Esse prêmio do SRI reafirma a condição da Coopavel de empresa inovadora”, define o coordenador de Projetos de Inovação Kleberson Hayashi Angelossi.

O fertilizante - O gerente da Nutriagro, Cassio Bassi, informa que o Salus Magis é da família dos protetores e indutores de resistência. O fertilizante nasceu avaliando outros ativos que algumas empresas de químicos adicionam às misturas de fungicidas para melhorar a aplicação dessa substância nas lavouras de trigo, milho e soja.

Potencializar - “Avaliamos como esses outros itens trabalhavam, quais eram as suas limitações, então conseguimos perceber que a maioria são itens de contato, com limpeza externa da folha. E o Salus Magis vem para potencializar a ação de fungicidas, mas fomos além”, informa Cassio. Outros fatores foram agregados ao fertilizante, como compostos salicílicos que ajudam no controle da regulação hormonal da cultura.

Equilíbrio - O fertilizante regula o equilíbrio da planta de dentro para fora. Ocorre então uma primeira ação externa, com higienização e sanitização, e a partir disso a planta começa a absorver os nutrientes para que a partir do seu interior consiga se manter mais sadia, vigorosa e uniforme. O Salus Magis, que apoia a planta em seus processos metabólicos, tem adicionais de nutrição, a exemplo do nitrogênio que contribui na penetração desses itens na folha e é um macronutriente fundamental a todas as cadeias da planta.

Aumento da produtividade - O fertilizante premiado no Inova Oeste conseguiu unir nutrição, tecnologia de regulação hormonal e produtividade. Em áreas de trigo nas quais ele foi usado, na região de abrangência da Coopavel, a produtividade média foi incrementada entre 15 e 25 sacas por hectare.

Avanços ambientais - Outra característica do produto: ao fazer a planta aproveitar ao máximo a genética produtiva há avanços ambientais. O Salus Magis tem doses menores e, junto aos fungicidas, melhora performance exigindo menos aplicações, com redução de impacto nessas áreas.

Incrementos - Segundo o agrônomo da Nutriagro, Jhonatas Alves Ribeiro, os trabalhos a campo mostraram que o Salus Magis traz incrementos importantes em enraizamento e em sua atuação de inumo-estimulação na defesa da planta. (Imprensa Coopavel)

 

CAPAL: Cooperativa lança novos rótulos de café e reafirma os princípios do cooperativismo

A Capal Cooperativa Agroindustrial expande a sua linha de produtos exclusivos com o lançamento do Café Grená, um produto da linha premium com grãos selecionados 100% arábica. Em um ano excepcionalmente produtivo para a comercialização de café, a cooperativa aproveita a novidade para promover o reposicionamento no mercado de dois rótulos que já são conhecidos na mesa do consumidor: o Jucafé e o Café Robusto. O relançamento dos dois produtos conta com nova embalagem, composição diferenciada e perfil de torra bem desenhado, o que impacta diretamente no sabor e qualidade do café.

À venda - Os novos produtos já estão sendo comercializados em grãos ou moídos em embalagens de 500g e 1kg, podendo ser encontrados nas gôndolas de supermercados e demais comércios das cidades em que a Capal é atuante, nos Estados do Paraná e interior de São Paulo.

Matéria-prima - A matéria-prima para a fabricação dos novos produtos são oriundos dos 300 cooperados da Capal no Paraná e São Paulo, que dedicam suas propriedades para o cultivo cafeeiro. Somadas, as áreas abrangem aproximadamente 5,5 mil hectares, distribuídas na região paranaense do Norte Pioneiro e no sudoeste paulista. A torrefação é realizada na cidade de Pinhalão.

Selo SomosCoop - Os cafés Grená, Robusto e Jucafé contam com o selo SomosCoop, atribuído pelo Sistema OCB, reforçando a procedência e o sistema de trabalho cooperativista e com o selo de pureza ABIC, certificado pela Associação Brasileira da Indústria de Café.

Agregação de valor - De acordo com a responsável pelo marketing da Capal, Alessandra Hauer, com a produção feita integralmente no Paraná, “os lançamentos da nova linha de café agregam valor à dedicação e à qualidade do plantio feito pelos produtores associados, sob a orientação profissional dos engenheiros agrônomos da cooperativa”.

Valores do cooperativismo - O coordenador de Café da Capal, Newton Openheimer, ressalta que todo o processo da cadeia produtiva até a fabricação dos novos produtos é baseado pelos valores do cooperativismo. “Realizamos um trabalho sustentável, levando em consideração os pilares que acreditamos serem prósperos para os negócios, guiados pelos princípios ambientais, econômicos e que tenha impacto positivo no meio social. Desta forma, com este lançamento, suprimos uma demanda no mercado que atende às necessidades dos consumidores finais”, comenta.

Características da nova linha de Café da Capal - Café Grená: O Café Grená é um produto agradável e sofisticado, dirigido para os amantes de café mais exigentes ou para quem tem interesse de adentrar o universo dos cafés premium. Possui atributos sensoriais mais complexos, com característica de aroma e sabor delicados. Dependendo do modo de extração, é notável algumas notas finas que garantem doçura natural e sensação aveludada na boca.

Café Robusto: Produto 100% arábica, é indicado para consumidores tradicionais que estejam abertos a um café mais sofisticado. A torra do Café Robusto é média escura, e percebe-se notas de chocolate amargo em sua composição, o que dispensa o uso de adoçantes. Cai muito bem no dia a dia, sendo mais refinado do que os modelos tradicionais.

Jucafé: A nova formulação do Jucafé é de grãos 100% arábica. O sabor marcante advém de uma torra intensa e apresenta uma moagem fina. É o produto ideal para o cotidiano, sendo uma marca mais convencional e indicada para os apreciadores que têm o hábito diário do consumo do café.

Mais - Para saber mais sobre a linha de café da Capal, acesse cafecapal.coop.br.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,4 mil associados, distribuídos em 21 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 65% das operações da cooperativa, produzindo mais de 750 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, trigo, milho e café. A área agrícola assistida ultrapassa os 153 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 12 milhões de litros, proveniente de 320 produtores. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

{vsig}2021/noticias/12/14/capal/{/vsig}

CASTROLANDA: Julgamento e premiação marcam último encontro do Clube de Bezerras em 2021

A Área de Negócios Leite da Castrolanda realizou, no último sábado (11/12), o encontro de encerramento do Clube de Bezerras em 2021. A atividade, que visa fomentar a participação de crianças e jovens na pecuária leiteira, aconteceu no campo em frente ao Moinho Castrolanda e contou com apresentação dos participantes com as bezerras, julgamento e premiação.

Visitas - Durante o segundo semestre de 2021, a equipe da Assistência Técnica dos Negócios Leite realizou visitas nas propriedades para acompanhamento das crianças e das bezerras. No dia 23 de outubro, também foi realizada com os participantes a apresentação da trilha de criação de bezerras e uma atividade recreativa de perguntas e respostas para relembrar o conteúdo.

Premiação - No sábado (11/12), no encerramento do ciclo 2021 do Clube, foram premiados a melhor bezerra e os participantes nas categorias Junior, de 8 a 11 anos, e Senior, de 12 a 15 anos. O filho de cooperado, Ronald de Boer, avaliou a apresentação das crianças com os animais e a equipe da Assistência Técnica avaliou as visitas e anotações nos diários das bezerras. Para a premiação, o apoio foi dos parceiros Nutron, Sicredi Campos Gerais e ABCBRH.

Comunidade - O Gerente Executivo de Negócios Leite da Castrolanda, Eduardo Ribas, destaca a importância da participação da comunidade para o Clube. “Nós estamos na Capital Nacional do Leite e precisamos incentivar os jovens do nosso município a ter esse contato com a área. O Clube é da comunidade, ela é a chave para o evento. A Cooperativa é uma incentivadora e o Departamento Técnico organiza, mas sem a comunidade ele não existe. Estamos em um lugar muito bonito, no centro da comunidade, com os pais das crianças apoiando e trazendo a família para prestigiar.”

Realização - Para a Analista Técnica, Cibelli Neufeldt, que está à frente do projeto, é uma realização trabalhar a criação de bezerras com as crianças. “Neste ano, tivemos alguns desafios no Clube por conta da pandemia. Mas, mesmo com poucas crianças, foi um sucesso, porque elas se motivaram e se dedicaram muito. Acredito que para o ano que vem a gente só tende a crescer e dar ainda mais força para o Clube.”

Família de vencedoras - Ganhadoras da categoria Junior, Julia Bavoso, de 10 anos, conta que a sua bezerra, a F.B Sintia PAT 316, já vem de uma família de vencedoras. “Essa bezerra e a família dela são muito especiais para mim, as Sintias são uma família muito forte. A tia-avó da minha bezerra ficou em primeiro lugar na exposição de uma Agroleite, então, eu tinha que manter a história das Sintias.”

Aprendizados - Sophia Basso, de 14 anos, que venceu a categoria Senior, relata os aprendizados durante o Clube. “Eu aprendi que tem que ter bastante calma, tem que ter amor com a bezerra. Às vezes, ela dá uma ‘escapulida’, mas tem que ter calma. Também aprendi que eu e a bezerra somos um time e que, se a gente fizer bem feito, o negócio anda. Fiquei muito feliz por participar e ainda mais por ganhar.”

Gratificante - Para o filho de cooperado, Ronald de Boer, que avaliou a apresentação das crianças, é gratificante participar de um evento que incentiva o contato com a pecuária leiteira desde cedo. “É muito bom ver a nova geração vindo, é de extrema importância para o setor leiteiro e para o ramo de exposições as crianças pegarem gosto desde o começo.”

Planejamento para o próximo ano - Em março de 2022, na ExpoCastrolanda, a Assistência Técnica dos Negócios Leite inicia um novo ciclo do Clube de Bezerras e as crianças e adolescentes de toda a comunidade poderão se inscrever.

Ganhadores - Confira os ganhadores de 2021:

Categoria Bezerra

C.R.A Undenied Parva 2034 TE – Gustavo Salomons – Prêmio: troféu de vaca

Categoria Junior

1º lugar: Julia Oliveira Bavoso – F.B Sintia PAT 316 – Prêmio: Uma bicicleta, uma poupança de R$ 300 e um troféu de puxador

2º lugar: Gustavo Salomons – C.R.A Undenied Parva 2034 TE – Prêmio: Um tablet e uma poupança de R$ 300

Categoria Senior

1º lugar: Sophia Oliveira Basso – Ema – Prêmio: Uma bicicleta, uma poupança de R$ 300 e um troféu de puxador

2º lugar: Thainara Henning – Poly 1024 – Prêmio: Um tablet e uma poupança de R$ 300

3º lugar: Livia de Campos Witsmiszyn – Poly 1024 – Prêmio: uma poupança de R$ 300

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com sete décadas anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo. Com 4,5 bilhões de reais de faturamento e aproximadamente 3700 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite e batata. O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)

{vsig}2021/noticias/12/14/castrolanda/{/vsig}

COCARI: Cooperativa participa da Campanha Saca do Bem para doar soja e milho em prol do Hospital do Câncer de Londrina

No dia 1º de outubro, a Cocari foi convidada a aderir à Campanha Saca do Bem. Coordenada pelo Hospital do Câncer de Londrina (HCL), que é referência no tratamento contra o câncer, a iniciativa é realizada por grandes empresas e cooperativas do agronegócio e permite que, anualmente, produtores rurais destinem parte de suas colheitas em benefício do HCL. O convite à Cocari foi realizado pela coordenadora de Captação de Recursos do HCL, Iracema Fabian, e pelo Assessor de Marketing, Fabio Eduardo Maneiro, que foram recebidos na Sede da cooperativa pelo presidente da Cocari, Marcos Antonio Trintinalha, e pelo superintendente de Originação e Operação, Antonio Sergio Pontarolli.

União de forças - Sensibilizada pela causa, a cooperativa aceitou unir forças a outras entidades do Agro para auxiliar essa instituição, que atende toda a área de atuação da cooperativa no estado do Paraná, principalmente a região do Vale do Ivaí, alcançando mais de 43 mil pessoas, em quase 250 municípios.

Convite - De fevereiro a julho de 2022 e depois, na safrinha, entre os meses de agosto a novembro, o agricultor está convidado a entregar parte de sua produção e poderá doar a quantidade de sacas que desejar. Cada saca será revertida em valor financeiro ao hospital.

Ano passado - No ano passado, a campanha arrecadou 9.500 sacas de soja entre os meses de fevereiro e junho, levantando R$ 1.400.000,00. Este ano, a Cocari quer ajudar essa renomada instituição de saúde, que vem fazendo a diferença na vida de milhares de pessoas.

Contato - Produtor, fale com nossa equipe nas unidades da Cocari e junte-se a nós nesta campanha. (Imprensa Cocari)

{vsig}2021/noticias/12/14/cocari/{/vsig}

COCAMAR: Linha Viridian avança para se consolidar entre os cooperados

cocamar 14 12 2021Lançada em meados do ano passado, a linha de fertilizantes foliares e adjuvantes Viridian, produzida pela Cocamar no seu parque industrial em Maringá (PR), vem conquistando espaço entre os produtores associados da cooperativa, que cultivam mais de 950 mil hectares com soja nos estados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. A oleaginosa responde por 80% do faturamento do portfólio composto por 13 foliares e quatro adjuvantes.

Consolidar - Pelo planejamento da Cocamar, o objetivo é, primeiramente, consolidar a marca entre os cooperados e só depois sair em busca de novos mercados, conforme cita o engenheiro agrônomo Marcos Paulo de Oliveira, que faz a gestão da equipe técnica especializada.

Experiência e credibilidade - Segundo Marcos, para se destacar em um segmento marcado pela presença de grande número de empresas, a Cocamar estruturou uma equipe de profissionais com larga experiência em todas as áreas de produção e busca matérias-primas junto a fontes idôneas, sem esquecer que a força do seu nome, naturalmente, inspira confiança no mercado.

Isenção - “Nosso objetivo é oferecer os melhores produtos aos cooperados e apoiá-los no esforço para o aumento da produtividade”, observa Marcos, enfatizando que, para conferir isenção e ressaltar ainda mais a credibilidade da linha Viridian, a cooperativa atribuiu a duas respeitadas instituições – a Universidade Estadual de Maringá (UEM) e o Instituto Dashen, de Bandeirantes (PR) – a validação científica dos produtos.

Testes - Ao mesmo tempo, testes de validação a campo estão sendo conduzidos nesta safra em 1.290 parcelas distribuídas em três áreas experimentais nos municípios de Umuarama, São Jorge do Ivaí e Apucarana, que apresentam condições de solo, altitudes e clima diferentes.

Desempenho - Os produtos são utilizados, também, em lavouras de cooperados de referência nas regiões. Em todos esses trabalhos, explica Marcos, é avaliado o desempenho da linha Viridian e os resultados são apresentados aos produtores em eventos técnicos como palestras e dias de campo.

Novos produtos - De acordo com o gerente executivo técnico, Renato Watanabe, a Cocamar passa a contar agora com o apoio de outras instituições de pesquisa para o desenvolvimento de novos produtos, voltados, inclusive, para outras culturas.

Adequados a cada região - E, em relação à soja, está sendo testada nos protocolos a combinação de produtos para assegurar os melhores resultados de produtividades por região, considerando as características de cada qual. “Estamos fazendo um refinamento regional para que as recomendações sejam ainda mais precisas para todas as regiões onde a Cocamar atua”, comenta o gerente executivo. (Imprensa Cocamar)

 

UNIMED PONTA GROSSA I Compliance Day conta com palestra de juiz federal

A Unimed Ponta Grossa promoveu, na última sexta-feira (10/12), o primeiro Compliance Day, evento interno voltado aos colaboradores para celebrar dois valores importantes da cooperativa: a inovação e a integridade.

Formato híbrido - Para atingir um número maior de participantes, o encontro foi feito em formato híbrido, podendo ser acompanhado presencialmente no auditório da cooperativa ou via transmissão online, em dois horários.

Tema - O tema do evento foi “Inovação e proteção de dados” e, para interligar os assuntos, a organização aproveitou o já conhecido Encontro Inova, que é feito todas as sextas-feiras para os colaboradores discutirem inovação, e conectou ao Compliance Day.

Interdisciplinaridade - Para Eduardo Bacila de Sousa, diretor-presidente da Unimed Ponta Grossa, a interdisciplinaridade é um denominador comum que traz oportunidades de melhoria. “O Fabricio, um dos nossos convidados, liderou um projeto de inovação no sistema judiciário e pode nos trazer insights para inovar em fluxos e processos semelhantes. A Lei Geral de Proteção de Dados tem sido cada vez mais discutida e quanto mais nos aprofundarmos em segurança, lei, inovação, mais podemos aprender e evoluir internamente”.

Relação - Fabio Teixeira, compliance officer da Unimed Ponta Grossa, reitera a relação entre os temas escolhidos para o evento. “A união de inovação e integridade é muito clara dentro da cooperativa, no alcance de soluções que atendam às necessidades internas e de nossos públicos de relacionamento, e não diferentemente nas rotinas do nosso Programa de Integridade, o Íntegro, seja no campo da comunicação, treinamentos, ações internas e nos demais processos e necessidades inerentes ao programa. Além disso, na contribuição do fortalecimento da cultura da cooperativa, em nossa adesão cotidiana, individual e coletiva, de fazermos aquilo que é certo, por convicção.”

Primeiro convidado - Para abrir o evento, o primeiro convidado foi Fabricio Bittencourt, juiz do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, professor da Universidade Estadual de Ponta Grossa e líder do MindTheGap Project: Inovação em Direito.

Abordagem - A partir de uma dinâmica interativa, Bittencourt contextualizou as tendências de inovação e afunilou a conversa trazendo os interesses da Unimed Ponta Grossa e instigou a reflexão sobre oportunidades dentro do segmento, que podem ser identificadas e aproveitadas pelo próprio público interno.

Geração de riqueza - “A grande importância de as empresas discutirem inovação hoje é a geração de riqueza dentro da própria instituição, para que todas as pessoas que trabalham nela possam trazer soluções de dentro pra fora. Esse incentivo à cultura de inovação contribui para dar voz a talentos e percepções. Quanto maior a instituição, maior a chance de encontrar soluções por meio do ponto de vista das pessoas que trabalham ali”.

Segunda convidada - A segunda convidada do Compliance Day foi Maria Heloisa Chiaverini de Melo, mestranda em Governança e Proteção de Dados Pessoais em Startups e especialista em Proteção de Dados Pessoais, Formação em Banco de Dados e Mineração de Dados.

LGPD - Ao esclarecer os principais conceitos sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e os desafios do uso de dados, Maria fez uma correlação entre os principais dados pessoais – sensíveis ou não – utilizados pela área da saúde e orientou sobre os cuidados no tratamento destes dados. Para ela, o interesse em trazer à tona esses temas aos colaboradores contribui não somente com o aspecto institucional, mas também com a sociedade como um todo.

Confiança - “São empresas que trazem confiança, preocupadas com gestão de risco e que se importam com o impacto que podem causar. A proteção de dados influencia na personalidade das pessoas e na maneira com que elas vão agir no ambiente macro. Se a instituição tem a percepção desse seu papel na sociedade, ela entrega valor, não somente produto. Ela entende o papel social que ela tem. Um evento como esse mostra que a preocupação de vocês é genuína. Vocês conseguiram integrar os valores da cooperativa, fazer com que eles saíssem do papel e fossem reais. Saíram do ‘como deve ser’ para o ‘ser’”, frisou.

Posse - A conversa também englobou a posse e a proteção de dados no âmbito do colaborador como cidadão, abordando os cuidados que se deve ter ao fornecer os próprios dados, ressaltando que são as pessoas as donas dos próprios dados, não as empresas.

Transparência - “O princípio da transparência é o mais importante. Pergunte o motivo porque as empresas estão solicitando aqueles dados, coletando aquele tipo de informação. O dado é sobre você e você precisa estar confortável em compartilhar essas informações pessoais. A dona do dado é a pessoa e as empresas precisam explicar para que eles serão usados, para que a pessoa possa decidir se vai compartilhar ou não”.

Participações - O primeiro Compliance Day da Unimed Ponta Grossa contou com mais de 200 participações. “Superou as expectativas. Teve um alcance, engajamento e participação direta e nos levou a reflexões marcantes frente, não só ao tema, mas ao momento em que vivemos, à realidade do mercado e ao que precisamos estar atentos quanto às necessidades profissionais deste tempo, principalmente as habilidades necessárias nos ambientes organizacionais”, analisa o compliance officer. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

{vsig}2021/noticias/12/14/unimed_ponta_grossa_I/{/vsig}

UNIMED PONTA GROSSA II: Colaboradores recebem cestas de Natal

O clima natalino foi mais intenso na última semana para os colaboradores da Unimed Ponta Grossa. Além do cartão-presente Sodexo, a área de Gestão de Pessoas também realizou a entrega das cestas natalinas.

Ação - A ação aconteceu no sábado (11/12) durante todo o dia e também pela manhã do domingo (12/12), em adequação aos horários de plantão das equipes que atuam no Hospital Geral Unimed (HGU). Ao todo, foram entregues 863 cestas.

Família - Em uma estrutura aberta, com pipoca, algodão doce e refrigerante à vontade, os colaboradores puderam levar os filhos para tirar foto com o Papai e Mamãe Noel.

Agradecimento - De acordo com Pedro Viriato, gerente de Gestão de Pessoas, o encerramento é uma forma de gratificar as equipes por ter atravessado mais um ano desafiador e também de conquistas.

Esforço - “O ‘Natal Unimed’ foi a forma de retribuirmos todo o esforço dedicados ao longo do ano e desejarmos uma bela celebração aos nossos colaboradores, lhes presenteando com uma cesta de frios para compor esse momento de comunhão. Foi um sábado de muita alegria para os colaboradores e seus familiares ao vivenciar esse clima natalino da ação, o que reforça nosso DNA de estar próximo e cuidar das pessoas”. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

{vsig}2021/noticias/12/14/unimed_ponta_grossa_II/{/vsig}

COMÉRCIO EXTERIOR I: Superávit da balança sobe 24,2% e chega a US$ 58,83 bilhões no ano

comercio exterior I 14 12 2021A balança comercial atingiu superávit de US$ 58,83 bilhões no acumulado do ano, até a segunda semana de dezembro, com alta de 24,2% pela média diária, sobre o período de janeiro a dezembro de 2020. Já a corrente de comércio (soma das exportações e importações) chegou a US$ 472,42 bilhões, com crescimento de 36,6%.    

Total - As exportações em 2021 já somam US$ 265,63 bilhões, com aumento de 35,1%, enquanto as importações subiram 38,5% e totalizam US$ 206,79 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (13/12) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.      

Acumulado do mês - No acumulado do mês, as exportações cresceram 43% e somaram US$ 9,60 bilhões, enquanto as importações subiram 36,6% e totalizaram US$ 7,82 bilhões. Dessa forma, a balança comercial registrou superávit de US$ 1,77 bilhão, em alta de 80,5%, e a corrente de comércio alcançou US$ 17,42 bilhões, subindo 40,1%.  

Dezembro - Apenas na segunda semana de dezembro, as exportações somaram US$ 5,51 bilhões, enquanto as importações foram de US$ 4,858 bilhões. Assim, a balança comercial registrou o superávit de US$ 652 milhões e a corrente de comércio alcançou US$ 10,368 bilhões.  

Exportações no mês - Nas exportações, comparadas a média diária até a segunda semana deste mês (US$ 1,199 bilhão) com a de dezembro de 2020 (US$ 838,71 milhões), houve crescimento de 43% em razão do aumento nas vendas da Indústria Extrativista (+39,4%), da Indústria de Transformação (+42,6%) e da Agropecuária (+52,9%).

Indústria Extrativista - Na Indústria Extrativista, os destaques para o aumento das exportações foram as vendas de óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+129,3%); minérios de cobre e seus concentrados (+122,1%); outros minerais em bruto (+41%); pedra, areia e cascalho (+55,6%) e fertilizantes brutos, exceto adubos (+199,9%).

Indústria de Transformação - Já na Indústria de Transformação, o crescimento foi puxado pelas vendas de produtos semiacabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço (+210,9%); farelos de soja e outros alimentos para animais, excluídos cereais não moídos, farinhas de carnes e outros animais (+95,4%); celulose (+88,9%); óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+43,1%) e alumina, óxido de alumínio, exceto corindo artificial (+115,4%).

Produtos agropecuários - Entre os produtos agropecuários, a alta das exportações refletiu, principalmente, o crescimento nas vendas de soja (+1.423,9%); trigo e centeio, não moídos (+117,2%); especiarias (+160,7%); café não torrado (+7,2%) e madeira em bruto (+130,9%).

Importações no mês - Nas importações, a média diária até a segunda semana de dezembro de 2021 (US$ 977,94 milhões) ficou 36,6% acima da média de dezembro do ano passado (US$ 715,84 milhões). Nesse comparativo, aumentaram principalmente as compras da Indústria de Transformação (+29,2%), da Agropecuária (+22,9%) e, também, de produtos da Indústria Extrativista (+204,8%).

Aumento - Na Indústria de Transformação, o aumento das importações foi puxado pelo crescimento nas compras de adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos, (+142,5%); medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (+152,5%); óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+106,1%); válvulas e tubos termiônicas, de cátodo frio ou foto-cátodo, diodos, transistores (+96,5%) e compostos organo-inorgânicos, compostos heterocíclicos, ácidos nucléicos e seus sais, e sulfonamidas (+83%).

Alta - Na Agropecuária, a alta ocorreu, principalmente, pela compra de trigo e centeio, não moídos (+109,3%); milho não moído, exceto milho doce (+153,5%); cacau em bruto ou torrado (+21,2%); pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (+9,3%) e algodão em bruto (+1.463%).

Compras - Por fim, na Indústria Extrativista a alta nas importações se deve, principalmente, à compra de gás natural, liquefeito ou não (+447%); carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (+430,6%); outros minérios e concentrados dos metais de base (+313,3%); fertilizantes brutos, exceto adubos (+117,8%) e outros minerais em bruto (+5,7%). (Ministério da Economia)

Veja os principais resultados da balança

FOTO: Pixabay

 

COMÉRCIO EXTERIOR II: Movimentação em portos cresce 5,5% de janeiro a outubro

comercio exterior II 14 12 2021O setor portuário nacional, que engloba portos públicos e privados, movimentou um bilhão de toneladas de janeiro a outubro de 2021, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (13/12), em Brasília, pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). O número representou crescimento de 5,5% em relação a igual período de 2020.

Portos públicos - Os portos públicos registraram 344,5 milhões de toneladas, aumento de 5,01%, e as instalações privadas 665,8 milhões de toneladas, uma alta de 5,70%. Os dados estão no painel.

Privados - Os portos privados que tiveram maior crescimento foram o Terminal Aquaviário de São Francisco do Sul, em Santa Catarina, (95,3%), o Terminal Portuário do Pecém, no Ceará, (36,2%), os portos do Itaqui (+27,0%), no Rio Grande do Sul, e Itaguaí, no estado do Rio de Janeiro (+21,1%).

Granéis sólido e líquido - O granel sólido movimentou 589,7 milhões de toneladas, 58,4% do total das cargas nas instalações portuárias brasileiras, e cresceu 1,8% em comparação com o mesmo período de 2020. O granel líquido somou 260,8 milhões de toneladas, 25,8% do total, aumento de 9,7% em relação ao apurado nos dez meses do ano passado.

Navegação - Entre as navegações, o longo curso, que representa 70,5% de toda a movimentação portuária brasileira, apresentou expansão de 6%. A navegação interior teve queda de 5% no período. (Agência Brasil, com informações da Antaq)

FOTO: Diego Baravelli / Minfra

 

FOCUS: Mercado financeiro estima inflação em 10,05% este ano

focus 14 12 2021A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, diminuiu de 10,18% para 10,05 neste ano. Essa é a primeira redução depois de 35 semanas consecutivas de alta.

Focus - A estimativa está no Boletim Focus desta segunda-feira (13/12), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), em Brasília, com a expectativa das instituições para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para 2022, a estimativa de inflação, do Focus, manteve-se em 5,02%. Para 2023, a previsão apresentou uma redução de 3,50% para 3,46%. Em 2024 registrou uma pequena variação de 3,10%, para 3,09%.

Acima da meta - A previsão para 2021 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior de 5,25%. Para 2022 e 2023, as metas são 3,5% e 3,25%, respectivamente, também com intervalo de tolerância 1,5 ponto percentual.

Taxa de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, definida em 9,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom), na última reunião do Copom deste ano, realizada na semana passada.

Estimativa - Para o fim de 2022, a estimativa é de que a taxa básica chegue a 11,50% ao ano (na semana passada a estimativa era de 11,25%). E para 2023 e 2024, a previsão é de Selic em 8% ao ano e 7% ao ano, respectivamente.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Além disso, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio - As instituições financeiras consultadas pelo BC reduziram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 4,71% para 4,65%. Para 2022, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 0,50%. Na semana passada, a estimativa de expansão era de 0,51%. Em 2023 e 2024 o mercado financeiro projeta expansão do PIB de 1,90% e 2%, respectivamente.

Cotação - A expectativa para a cotação do dólar para o fim deste ano subiu de R$ 5,56 para R$ 5,59. Para o fim de 2022, a previsão permanece em R$ 5,55. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

IBGE: Serviços recuam 1,2% em outubro e registram dois meses seguidos de taxas negativas

ibge destaque 14 12 2021O setor de serviços recuou 1,2% na passagem de setembro para outubro, segunda taxa negativa consecutiva, acumulando uma retração de 1,9%. Com o resultado de outubro, o setor ainda ficou 2,1% acima do patamar pré-pandemia, registrado em fevereiro do ano passado, mas está 9,3% abaixo do recorde alcançado em novembro de 2014. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta terça-feira (14/12) pelo IBGE.

Ganho - “Essa perda não elimina o ganho de 6,2% observado no período abril-agosto, mas reduz o distanciamento em relação ao nível pré-pandemia. Em agosto, o setor estava 4,1% acima do patamar de fevereiro de 2020, passando para 3,3% em setembro e 2,1% agora em outubro”, destaca Rodrigo Lobo, gerente da pesquisa.

Atividades - Quatro das cinco atividades investigadas recuaram no mês de outubro, com destaque para serviços de informação e comunicação (-1,6%), que apresentaram a segunda taxa negativa consecutiva, acumulando retração de 2,5%.

Impacto principal - “O segmento que mostrou o principal impacto negativo foi o de telecomunicações. Essa queda é explicada pelo reajuste nas tarifas de telefonia fixa, que avançaram 7,33% nesse mês. Essa pressão vinda dos preços, acabou impactando o indicador de volume do subsetor”, explica Lobo.

Outros serviços - Outra atividade que puxou o índice para baixo foi a de outros serviços, com queda de 6,7%, também a segunda consecutiva, acumulando perda de 12,7%. “Essa é uma atividade muito heterogênea e nesse mês foi impactada principalmente pela menor receita das empresas que atuam na pós-colheita, fazendo beneficiamento de produtos agrícolas, e, também, pela queda em corretoras de títulos e valores mobiliários.

Famílias - Por outro lado, os serviços prestados às famílias cresceram 2,7% entre setembro e outubro, emplacando o sétimo resultado positivo consecutivo e acumulando 57,3% de crescimento nesse período.

Presencial - “Essa foi a atividade que mais sofreu nos meses agudos da pandemia, pois contempla os serviços de caráter presencial. Pouco a pouco, com o avanço da vacinação e aumento da mobilidade das pessoas, os serviços de alojamento e alimentação foram crescendo, mas, ainda assim, é o setor que se encontra mais distante do patamar pré-pandemia, estando 13,6% abaixo do patamar de fevereiro de 2020”, contextualiza o pesquisador.

Outubro 2020- Com relação a outubro de 2020, o setor de serviços avançou 7,5%, com crescimento em quatro das cinco atividades. “Essa foi a oitava taxa positiva seguida, mas com redução o ritmo de crescimento”, destaca Lobo.

Acumulado do ano - No acumulando do ano, o setor apresenta alta de 11,0%, com crescimento em todos os setores. “Nessa comparação, temos o efeito da baixa base de comparação. Enquanto indústria e comércio iniciaram a recuperação no segundo semestre de 2020, a primeira taxa positiva do setor de serviços, na comparação interanual, só ocorreu em março de 2021, mês em que os serviços cresceram 4,6%”, ressalta.

Região - Regionalmente, a maior parte (23) das 27 unidades da federação teve retração no volume de serviços em outubro de 2021, na comparação com o mês imediatamente anterior. Entre os locais com taxas negativas, o impacto mais importante veio do Rio de Janeiro (-3,2%), seguido por São Paulo (-0,5%), Rio Grande do Sul (-4,0%), Paraná (-2,1%) e Mato Grosso (-6,0%). Em contrapartida, o Ceará (2,0%) registrou a principal expansão em termos regionais.

Atividades turísticas crescem 1,0% em outubro - O índice de atividades turísticas cresceu 1,0% frente a setembro, sexta taxa positiva consecutiva, período em que acumulou ganho de 51,2%. Contudo, o segmento de turismo ainda se encontra 19,5% abaixo do patamar de fevereiro do ano passado. “Esse índice de atividades turísticas tem um perfil muito semelhante ao perfil dos serviços prestados às famílias, pois muitas das atividades que compõem o indicador vêm desse segmento”, observa o pesquisador.

Locais - Regionalmente, seis dos 12 locais pesquisados acompanharam este movimento de expansão. A contribuição positiva mais relevante ficou com São Paulo (1,1%), seguido por Minas Gerais (1,8%). Em sentido oposto, Bahia (-7,2%) e Distrito Federal (-10,1%) tiveram os resultados negativos mais importantes do mês.

Mais sobre a PMS - A PMS produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no país, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação. Há resultados para o Brasil e todas as unidades da Federação. Os resultados podem ser consultados no Sidra. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Pixabay

 

ibge tabela 14 12 2021

 

LEGISLATIVO I: Comissão de Orçamento aprova mais recursos para fomentar agricultura

legislativo 14 12 2021A Comissão Mista de Orçamento aprovou o relatório setorial do deputado Sergio Souza (MDB-PR) que acrescenta R$ 403 milhões para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. No projeto de lei orçamentária para 2022, a Agricultura conta com R$ 14,1 bilhões, sendo R$ 2,1 bilhões em despesas discricionárias.

A mais - Na comparação com a proposta original, mais R$ 295,8 milhões foram para o programa Agropecuária Sustentável, que inclui ações de fomento ao setor agropecuário, estruturação e inclusão produtiva dos agricultores familiares e dos pequenos e médios produtores rurais, promoção do cooperativismo e associativismo. Outros R$ 15 milhões foram para reforma agrária e R$ 11 milhões para Pesquisa e Inovação Agropecuária.

Estados - Os estados que mais receberam recursos para a Agricultura foram o Paraná, com R$ 97,3 milhões; o Rio Grande do Sul, com R$ 60,8 milhões, e o Espírito Santo, com R$ 45,7 milhões.

Emendas - A proposta recebeu 191 emendas individuais que somam R$ 108,7 milhões e têm execução obrigatória. Outros R$ 250,6 milhões são de emendas impositivas de bancadas estaduais. Sergio Souza também destinou R$ 43,6 milhões a emendas não impositivas de bancadas e comissões.

Indicações - Os parlamentares que mais indicaram recursos para Agricultura por meio de emendas individuais foram a deputada Lauriete (PSC-ES), com R$ 3,35 milhões; a senadora Rose de Freitas, com R$ 3 milhões; e o deputado Márcio Biolchi (MDB-RS), com R$ 2,9 milhões.

Programações - Sergio Souza também sugeriu emendas de relator-geral para as seguintes programações:

- fomento ao setor agropecuário, que abrange uma série de medidas voltadas à solução de gargalos de produção;

- sistema de defesa sanitária agropecuária;

- pesquisas desenvolvidas e transferência de tecnologia pela Embrapa. "As dotações estão muito aquém do necessário para a manutenção do País na vanguarda do desenvolvimento de tecnologias para o setor agropecuário", justificou;

- promoção e fortalecimento da agricultura familiar. "É reconhecidamente um dos segmentos responsáveis por garantir a segurança alimentar da nossa população", disse o relator;

- reforma agrária e regularização fundiária, assim como consolidação de assentamentos rurais; e

- consolidação e expansão do mercado de seguro rural.

Cronograma - O Orçamento 2022 tem 16 áreas temáticas e os relatórios setoriais foram votados até esta segunda-feira (13/12). O relatório final do deputado Hugo Leal (PSD-RJ) deve ser entregue nesta quinta-feira (16/12) e votado até sexta-feira (17/12), para ser analisado em seguida pelo Plenário do Congresso Nacional. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Giordano Bruno Prates, Daiane Prado e Ednubia Ghisi

 

LEGISLATIVO II: Câmara aprova texto-base do projeto que cria a Lei das Ferrovias

legislativo II 14 12 2021A Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (13/12) o texto-base do Projeto de Lei 3754/21, do Senado, que cria a Lei das Ferrovias. Em razão de acordo de procedimentos, serão analisados a partir de amanhã os destaques apresentados pelos partidos na tentativa de mudar trechos do texto.

Parecer favorável - O relator do projeto, deputado Zé Vitor (PL-MG), deu parecer favorável, recomendando a aprovação do texto sem mudanças. O projeto permite à União autorizar a exploração de serviços de transporte ferroviário pelo setor privado em vez de usar a concessão ou permissão. O prazo do contrato poderá ser de 25 até 99 anos, prorrogáveis.

Liberdade de preço - Ao contrário das concessões, para as quais existem limites tarifários, a empresa que obtiver autorização terá liberdade de preço.

Autorização - Para novas ferrovias ou novos pátios ferroviários, os interessados poderão pedir autorização diretamente ao agente regulador, apresentando estudo técnico, cronograma e certidões de regularidade fiscal.

Análise - O regulador do setor deverá analisar se a ferrovia atende à política nacional de transporte ferroviário, avaliando sua compatibilidade com as demais infraestruturas implantadas.

Negar - Nenhuma autorização poderá ser negada, exceto se o interessado não seguir as regras do projeto; se houver incompatibilidade com a política para o setor; ou por motivo técnico-operacional relevante justificado.

Obstrução - Durante a sessão do Plenário, o projeto foi alvo de obstrução de parlamentares de partidos de oposição. Para a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), é necessário avaliar melhor o modelo de exploração das ferrovias. “Precisamos estudar profundamente, porque isso retira parâmetros das tarifas máxima e mínima e não permite a atuação de outros operadores. Não há essa concorrência. Tanto se fala em mercado aqui e, de repente, retira-se a possibilidade da concorrência de operadores”, criticou. Ela também afirmou que a proposta retira a exigência mínima de investimentos.

Planejamento e articulação - Já o deputado Leônidas Cristino (PDT-CE) afirmou que o texto retira o planejamento e a articulação com outros sistemas, como o sistema portuário nacional. “Precisamos ampliar as nossas ferrovias, e este projeto não cita, em uma única linha, a possibilidade de que possamos cada vez mais investir nesse modal, para que os nossos produtos tenham competitividade, tanto no mercado interno quanto no mercado externo”, disse.

Defesa do projeto - Em nome do governo, o deputado General Peternelli (PSL-SP) afirmou que há interesse na exploração de ferrovias privadas em determinados trechos. “Não há que se ter burocracia para o progresso. Nós não podemos dificultar o aumento da rede ferroviária brasileira. O tempo todo nós estamos buscando simplificar com o empreendedorismo, estamos buscando facilitar para abrir, estamos procurando fazer com que se tenha facilidade em vários aspectos, diminuindo a burocracia”, destacou.

Importância - A deputada Aline Gurgel (Republicanos-AP) também defendeu a proposta. “O marco legal das ferrovias é importantíssimo neste momento em que o País precisa se desenvolver, precisa se erguer”, disse. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Marina Ramos / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Brasil registra 22 milhões de casos e 616,8 mil óbitos

O Ministério da Saúde divulgou nesta segunda-feira (13/12) novos números sobre a pandemia de covid-19 no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, o Brasil tem acumulado 22,1 milhões de casos confirmados da doença e 616,8 mil mortes registradas. Os casos de recuperados somam 21,4 milhões (96,6% dos casos).

24 horas - Nas últimas 24 horas, o ministério registrou 2.082 novos casos e 48 mortes.

Estados - O estado de São Paulo tem o maior número de casos acumulados desde o início da pandemia, com 4,4 milhões de casos e 154,6 mil óbitos. Em seguida estão Minas Gerais (2,2 milhões de casos e 56,4 mil óbitos); Paraná (1,5 milhão casos e 40,8 mil óbitos) e Rio Grande do Sul (1,4 milhão de casos e 36,2 mil óbitos).

Ômicron - O Ministério da Saúde também divulgou nesta segunda-feira (13/12) o número de casos confirmados e em investigação da variante Ômicron do novo coronavírus.

Confirmados - Segundo a pasta, há 11 casos confirmados da nova variante, sendo cinco em São Paulo, dois no Distrito Federal, dois em Goiás e dois no Rio Grande do Sul. Os casos em investigação totalizam seis, sendo dois em Goiás e quatro em Minas Gerais. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-12-13 at 19.53.07

SAÚDE II: Sesa confirma mais 859 novos casos e três óbitos pela Covid-19

saude II 14 12 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (13/12) mais 859 casos confirmados e três mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.583.090 casos confirmados e 40.612 mortos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de dezembro (75), novembro (40), outubro (30), setembro (6), agosto (4), julho (11), junho (17), maio (17), abril (47), março (121), fevereiro (118) e janeiro (112) de 2021 e dezembro (94), novembro (54), outubro (23), setembro (23), agosto (36), julho (23), junho (7) e maio (1) de 2020. Os óbitos divulgados são de dezembro (3) de 2021.

Internados - 132 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 72 pacientes em leitos SUS (41 em UTIs e 31 em leitos clínicos/enfermarias) e 60 em leitos da rede particular (34 em UTIs e 26 em leitos clínicos/enfermarias).

Exames - Há outros 479 pacientes internados, 241 em leitos de UTI e 238 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais três pacientes. São duas mulheres e um homem, com idades que variam de 57 a 73 anos. Os óbitos ocorreram entre 8 e 10 de dezembro de 2021.Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (2) e Quatro Barras.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 6.274 casos de residentes de fora do Estado – 221 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o relatório completo AQUI .

 

SAÚDE III: Mais 136 mil doses de vacinas Janssen chegam ao Paraná nesta terça-feira

saude III 14 12 2021O Paraná receberá mais 136.100 vacinas contra a Covid-19 da Janssen nesta terça-feira (14/12). Segundo a 73ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde, as doses devem ser destinadas integralmente para reforço (DR) da população adulta, acima de 18 anos.

Chegada - A remessa deve chegar ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 9h15 no voo LA 4777, e será encaminhada para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), para conferência e armazenamento até que seja distribuída às Regionais de Saúde.

Segundo lote - Este é o segundo lote de Janssen enviado ao Estado este mês. Na quarta-feira (08/12) foram recebidas132.050 doses deste imunizante.

Ciclo vacinal - “Não estamos medindo esforços para que a população receba a imunização completa e o reforço. Muita gente ainda não finalizou o ciclo vacinal e esta é a única forma de impedir que os números de novos casos e óbitos não aumentem neste fim de ano”, alertou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Américo Antônio / Sesa

 


Versão para impressão


RODAPE