Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5245 | 25 de Janeiro de 2022

DATA PROTECTION: Cooperativas do PR vão debater proteção de dados pessoais na próxima sexta-feira

 

Na sexta-feira (28/01), quando é celebrado o Dia Internacional da Proteção de Dados, o Sistema Ocepar vai reunir as cooperativas do Paraná durante a primeira edição do Data Protection + Coop. O evento ocorrerá das 10h às 12h e será transmitido pela TV Paraná Cooperativo, no canal da entidade no Youtube, aos participantes inscritos. O Dia Internacional da Proteção de Dados foi criado para reforçar a importância da preservação dos direitos fundamentais de liberdade e privacidade relacionados ao uso de dados pessoais. No Brasil, este é o segundo ano que a data será comemorada com plena vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e atuação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

 

Programação - O evento contará com a participação de Luciano Benetti Timm e Matheus Noronha Sturari, que vão debater a “Análise transversal sobre o processo de fiscalização e processo administrativo sancionador no âmbito da ANPD”. Haverá ainda relatos do diretor-presidente da Unimed Norte Pioneiro, Antônio Vendramin Filho, e da encarregada de Dados e Responsável pelo Programa de Integridade na Frísia Cooperativa Agroindustrial, Marta Auer, sobre o processo de implantação e adequação das cooperativas à LGPD.

 

Público - O Data Protection + Coop é destinado a diretores, gestores e demais profissionais das cooperativas do Paraná ligados às atividades de governança de dados e segurança da informação, como compliance, jurídico, auditoria interna, tecnologia da informação, entre outras áreas afins. As inscrições devem ser efetivadas até o dia 27 de janeiro. Clique aqui para se inscrever. O link de acesso ao evento será enviado por e-mail.

 

Sobre os palestrantes - Luciano Benetti Timm é professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), sócio da Carvalho, Machado e Timm Advogados. Possui pós-doutorado pelo Departamento de Direito, Economia e Negócios da Universidade da Califórnia, em Berkeley (EUA), doutorado em Direito dos Negócios e da Integração Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialização em Direito Econômico Internacional pela Universidade de Warvick, do Reino Unido e mestrado em Direito Privado também pela UFRGS.

 

Sturari - Já Matheus Noronha Sturari é certificado pela International Association of Privacy Professionals (IAPP) e reconhecido como Fellow of Information Privacy (FIP). É coordenador de Proteção de Dados e Privacidade do CMT Advogados, possui cursos de extensão do Data Privacy Brasil e da FGV-SP e especializações em Contratos, pela EPD, e em Análises Econômica do Direito, pela Unicamp.

 

data folder 25 01 2022

 

 

SISTEMA FAEP: Entidade realiza assembleia de prestação de contas de 2021

faep 25 01 2022A Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) realizou, nesta segunda-feira (24/01), de forma remota, sua Assembleia Geral. O evento, que ocorre anualmente, teve a apresentação do balanço financeiro da entidade e dos planos da gestão para 2022. O encontro foi prestigiado por lideranças rurais de todo o Estado, deputados estaduais e federais e secretários do governo estadual. Entre as presenças estiveram o líder do governo, deputado federal Ricardo Barros; o presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), deputado federal Sérgio Souza; o deputado federal Pedro Lupion; o secretário de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; o secretário de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Marcio Nunes; e o deputado estadual Antônio Anibelli Neto, presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

Conquistas - O presidente da Faep, Ágide Meneguette, elencou as conquistas ocorridas em 2021, com destaque para o reconhecimento do Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). “Tivemos uma decisão favorável, depois de muita pressão política, que foi tirar o Paraná do bloco com outros Estados, que demorariam muito para suspender a vacinação, para colocá-lo em um bloco no qual foi possível acelerar esse processo e obter o reconhecimento internacional. Essa vitória foi de toda força produtora e de toda força política do nosso Estado”, afirmou o dirigente.

Link - Para acessar a matéria completa sobre a Assembleia do Sistema Faep clique no link: https://www.sistemafaep.org.br/faep-reune-liderancas-estaduais-e-nacionais-em-assembleia-geral/

 

FRÍSIA: Resultados de pesquisas agrícolas no Tocantins serão apresentados no 2º Show Tecnológico Cerrado

frisia 25 01 2022Já são seis safras que a Frísia está presente no Tocantins, quando, em 2016, inaugurou o seu entreposto no município de Paraíso do Tocantins. E a evolução da produção agrícola da região poderá ser conferida no 2º Show Tecnológico Cerrado, que acontecerá no dia 3 de fevereiro, no Campo Demonstrativo Experimental, anexo ao entreposto. O evento é uma realização da cooperativa com a Fundação ABC, uma das principais instituições de pesquisa agropecuária do Brasil.

Expectativa - De acordo com o gerente de Negócios Agrícolas da Frísia, Marcelo Cavazotti, a estimativa é de um público de 500 pessoas e acontecerá em um ambiente aberto, seguindo todos os protocolos de segurança do Ministério da Saúde (detalhes abaixo). “O Show Tecnológico Cerrado será um evento técnico em que recebemos os nossos cooperados, mas ainda outros agricultores, profissionais do segmento e estudantes. Também vamos tratar de assuntos relacionados à pecuária de corte, um setor muito forte na região”.

Demanda - Atualmente, a cooperativa conta com 110 cooperados de 20 municípios de atuação no Tocantins. “Por ser uma região nova em agro, há demanda em todas as áreas, mas o maior desafio está em solo, muito solo virgem. Por isso, é fundamental pesquisa e investimento para a busca do potencial produtivo da planta. Temos focado em estudo em genética e adaptabilidade, assim sabemos a variedade certa, na hora certa e no lugar certo”.

Fundação ABC - Todos os coordenadores de pesquisa da Fundação ABC marcarão presença no evento. Cinco deles apresentarão resultados de trabalhos em estações pelo campo preparado para o evento, sendo eles: Senio José Prestes (manejo de doenças), Hélio Antônio Joris (seleção de genótipos de soja para a região do Tocantins), Gabriel Barth (Solos e Nutrição de Plantas) e uma dobradinha entre Richard Paglia de Mello e Elderson Ruthes, que apresentam a estratégia para o manejo da cigarrinha do milho. Já no auditório do evento, um dos palestrantes será Cláudio Kapp Junior, economista rural da Fundação ABC, que vai falar sobre gestão da propriedade e como a plataforma sigmaABC pode ajudar nisso.

Campo Demonstrativo Experimental - Há dois anos, no 1º Show Tecnológico Cerrado, a Frísia e a Fundação ABC inauguraram o Campo Demonstrativo Experimental, uma área de 14 hectares com faixas de soja, milho e sorgo e ensaios de longa duração de gesso e calcário. Nesse curto tempo, o local – no entreposto da Frísia – se tornou um ambiente de pesquisa para a produção agrícola da região, geradora de informação ao produtor e assistência técnica.

Testes - Já foram testados 57 tipos de produtos, entre herbicidas pré-emergentes, fungicidas para o controle das principais doenças e inoculantes para a cultura da soja. O campo é o endereço de dois ensaios de longa duração: um de comparativo de diferentes sistemas de produção e outro de avaliação de genótipos de gramíneas perenes para pastejo. Vale destacar também os ensaios de avaliação de genótipos, sendo que, só nesta safra, são testados 106 de soja, 50 de milho e 20 de sorgo.

Objetivo - “O objetivo é atender o produtor rural, apresentando os trabalhos e os resultados obtidos no campo experimental, mas também em outras regiões do Estado que tem atuação da Frísia”, explica Erica Lima, coordenadora do entreposto em Paraíso do Tocantins.

Empresas parceiras - Lima conta ainda que a segunda edição do Show Tecnológico Cerrado terá a participação das empresas parceiras da cooperativa, com um pátio de máquinas dos expositores e estandes com serviços como escritório de planejamento, de corretagem, de instituições financeiras, entre outros. “Vamos levar informação ao produtor rural e ao cooperado, e fomentar os melhores resultados, tanto na produtividade de soja, fertilidade de solo, quanto mecanização agrícola e mercado agropecuário”, destaca.

Evolução - O cooperado Rafael Staniszewski tem propriedade no município de Pium, localizada na região centro-oeste do Tocantins, e planta 700 hectares de soja e 350 de milho. “É uma oportunidade única de conhecermos novas tecnologias e trocar experiências do que vem dando certo. O evento só vem a somar, e muito, para nós, ainda mais em uma região de fronteira agrícola onde tudo é novo e dinâmico. É uma grande oportunidade”, afirma o cooperado.

Uniformidade - Marcelo Cavazotti conta que é a sexta safra realizada no Tocantins desde que a Frísia se instalou no Estado. “Esse histórico produtivo já mostra sinais claros de evolução do agro na região, com visível uniformidade nos talhões nas áreas que estão produzindo mais tempo”.

Produtividade - Como média dos cooperados da Frísia, a produtividade inicial de soja, em áreas recém-abertas, é entre 45 e 50 sacas. Já em áreas com maior histórico, ultrapassa-se 70 sacas por hectare. Com milho, na safrinha, vai de 70 a 100 sacas.

SERVIÇO

2º Show Tecnológico Cerrado

Data: 3 de fevereiro (quinta-feira)

Horário: 8h às 18h

Local: Entreposto de Grãos da Frísia Cooperativa Agroindustrial

           Rodovia TO 080, Km 45

           Fazenda Santa Maria

           Paraíso do Tocantins (TO)

Protocolos de saúde

I - É obrigatória a comprovação do esquema vacinal completo, mediante apresentação do documento de vacinação fornecido no momento da imunização ou do Certificado COVID obtido no aplicativo "CONECT SUS”, do Ministério da Saúde;

II - Respeito aos protocolos sanitários estabelecidos, especialmente o distanciamento social adequado e o uso de máscaras.

Classificação etária: a idade mínima para a entrada no evento é de 15 (quinze) anos completos até a data de sua realização. Importante: será obrigatória a apresentação de documento oficial com foto emitido pelo governo brasileiro (RG, passaporte ou CNH originais) ou, no caso de estrangeiros, do passaporte original.

Os documentos deverão estar legíveis e em estado de conservação que permitam a identificação e a idade de seu portador.

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Em 2025, a Frísia completa um século de história. A cooperativa é a mais antiga do Paraná e segunda do Brasil, e tem como valores Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). Com unidades no Paraná e Tocantins, em 2020 produziu 283 milhões de litros de leite, 832.765 toneladas de grãos e 28.063 toneladas de suínos, resultado do trabalho de 895 cooperados e 1.119 colaboradores. Para promover o crescimento nos próximos cinco anos, a Frísia desenvolveu o planejamento estratégico “Rumo aos 100 Anos”, um conjunto de propostas que visa aumentar a produção agropecuária e os investimentos com outras cooperativas e em unidades próprias. O planejamento da Frísia foi desenhado sob seis perspectivas principais: Sustentabilidade, Gestão, Mercado, Pessoas, Financeiro e Cooperados. Assim, seguirá a missão da cooperativa, que é disponibilizar produtos e serviços para gerar resultado sustentável a cooperados, colaboradores e parceiros. Saiba mais em frisia.coop.br. (Imprensa Frísia)

 

COOPAVEL: Montagem de estandes do Show Rural já cumpriu 65% do cronograma

O trabalho de montagem de estandes no parque que de 7 a 11 de fevereiro abrigará o 34º Show Rural Coopavel está em ritmo forte e 65% do cronograma previsto já foi cumprido. Expositores, dos mais diferentes cantos do Brasil, estarão em Cascavel (PR) para mostrar o melhor da inovação e da tecnologia para o campo e à pecuária. O Show Rural Coopavel abre oficialmente todos os anos o calendário de grandes eventos técnicos e de feiras do agronegócio no País.

Cidade - “Os expositores estão construindo uma verdadeira cidade aqui no parque. Estamos animados com a beleza e a qualidade dos estandes”, diz o presidente Dilvo Grolli, satisfeito com o andamento dos trabalhos e com as novidades que os visitantes vão encontrar. Os espaços são amplos e arejados. O trabalho de montagem começou no dia 3 de janeiro e tudo precisa estar pronto até 2 de fevereiro. Nessa edição, serão 400 expositores ligados às mais variadas áreas da cadeia do agronegócio presentes.

Atrações - A 34ª edição virá recheada de novidades, aponta o coordenador geral Rogério Rizzardi. Um hub de inovação exclusivo para o agro e um centro de tecnologia para a avicultura estarão entre as principais atrações. “São projetos amplos, que integram vários parceiros e que oferecerão inúmeras novas possibilidades aos agropecuaristas”, destaca Dilvo Grolli. A área pecuária contará ainda, pela primeira vez, com a presença de 12 raças de ovinos e o Show Rural Digital trará à região algumas das protagonistas da revolução digital.

Entrada gratuita - A entrada no parque é gratuita, bem como para utilizar qualquer das 12 mil vagas de estacionamento. Quem não puder vir a Cascavel para participar presencialmente do Show Rural poderá acompanhar as novidades da mostra de tecnologia, ao vivo, por uma TV exclusiva no Youtube – basta acessar o @showruralagro ou ainda o site www.showrural.com.br. Das 10h às 12h, de 7 a 11 de fevereiro, a TV Show Rural trará coberturas, entrevistas, debates e reportagens sobre as inovações apresentadas nos cinco dias de feira. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2022/noticias/01/25/coopavel/{/vsig}

SICOOB OURO VERDE: Com agência móvel, cooperativa visita MEIs oferecendo educação financeira

sicoob ouro verde 25 01 2022Consolidando a parceria com as Secretarias Municipais e com a Prefeitura de Londrina (PR), o Sicoob Ouro Verde está oferecendo educação financeira para o público empreendedor por meio da agência móvel. Com o veículo adaptado, os colaboradores da cooperativa levam informações sobre gestão financeira e condições especiais para bons negócios.

Projeto piloto - As visitas fazem parte de um projeto piloto desenvolvido pela Secretaria Municipal do Trabalho de Londrina que realizam um contato com os empreendedores da região para levar atendimento.

Distritos - Até o momento, eles já estiveram nos distritos de Lerroville e Guaravera. Nesta quarta-feira (26/01), o projeto estará no distrito de Paiquerê.

Diferencial - O diretor-presidente do Sicoob Ouro Verde, Elisberto José Torrecillas, menciona o diferencial da cooperativa frente às outras instituições financeiras. “O Sicoob Ouro Verde sempre estará próximo, onde a comunidade precisar, levando informação, formação e desenvolvimento.”

Ações - O secretário do Trabalho, Emprego e Renda, Gustavo Santos, destacou as ações realizadas e relembrou outras em parceria com a cooperativa. “Nossa Trilha do Conhecimento da Educação Financeira, por exemplo, foi uma ação inédita e que entregou ao trabalhador um instrumento muito importante para tomar as rédeas da sua vida financeira. Com o Expresso Instituto Sicoob, qualificamos, ainda mais, os servidores da prefeitura e agora estamos com esse projeto piloto de empreendedorismo na zona rural que tem tudo para crescer e se expandir”, afirma.

Linhas - Além da educação financeira, a cooperativa também oferece e apresenta aos empresários, linhas de crédito especiais por meio do programa TransforMEI, que tem juros subsidiados e aportes pela Prefeitura de Londrina junto à Garantinorte. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

UNIMED CURITIBA: Famílias com bebês prematuros precisam de apoio

unimed curitiba 25 01 2022Falar sobre prematuridade é importante porque os casos não são tão incomuns assim e cada caso é um desafio à parte, afinal a prematuridade aumenta em três vezes o risco de morte e sequelas futuras para a vida adulta. Estimativas contam que nascem 6 bebês prematuros a cada 10 minutos no Brasil, e eles exigem os cuidados especiais de uma UTI Neonatal.

Problemas - Os problemas da prematuridade vão além do baixo peso, as causas para que a criança nasça antes do tempo ideal de maturação são diversas como: ausência do acompanhamento e cuidado pré-natal, hábitos de vida da mãe (como uso de drogas e álcool), estresse, infecções urinárias, diabetes, obesidade e hipertensão, gestação gemelar, entre outros, podem ocasionar a antecipação. Conversamos com Silmara Aparecida Passos, médica cooperada Unimed Curitiba especializada em Pediatria e Neonatologia, e ela esclarece dúvidas e mitos sobre a situação, e como familiares precisam de apoio ao passar por esse momento.

A prematuridade acontece somente nos casos de gravidez de risco, ou não necessariamente? Ela é perigosa somente para a criança ou para a mãe também?

Silmara Aparecida Passos – Parto prematuro, por vezes, ocorre inesperadamente, sem sinais ou sintomas de risco. Alguns fatores como rotura precoce das membranas amnióticas, infecções maternas, alterações durante o período gestacional (como hipertensão arterial materna) podem propiciar o nascimento de bebês prematuros. Os riscos para a criança dependerão da idade gestacional e, consequentemente, do amadurecimento extrauterino dos órgãos vitais.

Há cuidados específicos que a gestante deve seguir para prevenir uma possível prematuridade? Ou o preparo deve ser mais mental do que físico?

Silmara Aparecida Passos – O acompanhamento rigoroso durante o pré-natal poderá reduzir os partos prematuros, assim como minimizar os problemas correlacionados à imaturidade neonatal.

A partir de quanto tempo de nascimento antes do previsto há mais riscos para a criança? E a partir de quanto tempo é considerado um “adiantamento normal”?

Silmara Aparecida Passos – O nascimento prematuro, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), ocorre antes de 37 semanas de idade gestacional. Em média 11,7% dos bebês nascidos no Brasil são prematuros, segundo a UNICEF e o Ministério da Saúde.

Há casos em que os cuidados e as condições são mais complexas? Quais os desafios de cuidar de um bebê tão pequeno? Há níveis de prematuridade, de risco, de acordo com o tempo de gestação?

Silmara Aparecida Passos – Tanto o prematuro nascido com idade gestacional de 37 semanas quanto o prematuro extremo nascido com idade gestacional abaixo de 28 semanas necessitam de cuidados especiais. A imaturidade dos órgãos necessita de tratamento e acompanhamento com especialistas para suportar o desenvolvimento fora do útero principalmente de pulmões, coração, intestino, rim e cérebro.

Dentre as fragilidades que a prematuridade traz para criança e família, quais você considera mais delicadas e que exigem maior atenção e preparo?

Silmara Aparecida Passos – Fragilidades da prematuridade exigem dedicação prolongada e constante de especialistas de múltiplas especialidades, formando um time de acompanhamento para prover ao prematuro as condições de se desenvolver com qualidade de vida. Para isso há utilização de tecnologia, medicamentos, respiradores, bombas infusoras específicas para a manutenção da vida. São protocolos especialmente dedicados ao prematuro em desenvolvimento. E há o atendimento dos pais encorajando não somente sua presença na UTI Neonatal, mas também dando suporte de esperança, amor e positividade mediante a realidade de cada paciente. A equipe multidisciplinar neonatal é fundamental para que todos contribuam em diversas áreas e acompanhem cada fase do desenvolvimento.

Existem faixas etárias de mulheres em que a prematuridade tem mais chance de acontecer, ou isso não é um fator relevante? Do mesmo modo, existem doenças preexistentes ou outros fatores que aumentam as chances de acontecer?

Silmara Aparecida Passos – São fatores de risco para parto prematuro: gestação anterior que culminou com parto anterior prematuro, gestação múltipla (gêmeos, trigêmeos...), alterações uterinas, diabetes, hipertensão arterial, alterações de coagulação, tabagismo, uso de álcool ou drogas ilícitas.

De acordo com sua experiência, quais são as orientações para as famílias que vivem a prematuridade? Como normalmente são pegas de surpresa, que medidas e adaptações precisam tomar de imediato para lidar com a situação com equilíbrio?

Silmara Aparecida Passos – É preciso viver a prematuridade. Os pais necessitam viver um dia de cada vez, uma vitória por dia, alguns passos atrás para dar muitos para frente, ou seja, a família deve ter esperança e paciência. O amadurecimento fora do útero sempre é mais lento, algumas medicações auxiliam tanto no amadurecimento quanto nas alterações que a imaturidade provoca nos órgãos vitais, o tempo sempre é favorável. O acompanhamento do recém-nascido também se estende aos pais e família através de equipe multidisciplinar com apoio psicológico, capelania, reuniões com equipe médica e de enfermagem, subespecialidades da pediatria, fisioterapia e fonoaudiologia, orientação de metas diárias e plano terapêutico de cada bebê. É preciso enfrentar porque a Medicina dispõe de recursos cada vez mais adequados.

Qual a importância dos programas de promoção à saúde Gestação de Alto Risco e Primeira Infância que a Unimed Curitiba disponibiliza? Ainda há tabus e preconceitos que precisam ser derrubados?

Silmara Aparecida Passos – Os programas de promoção da saúde da Unimed Curitiba são de grande valor para acolhimento e tratamento dos prematuros e das famílias. Sempre é preciso quebrar tabus e acompanhar holisticamente o prematuro com seu risco aumentado de problemas respiratórios, hemorragia cerebral, alteração visual – retinopatia da prematuridade, alteração auditiva, alteração renal e intestinal, óssea e visual. O que buscamos é proporcionar sobrevida com qualidade e encorajar as famílias em sua plenitude.

Informativo - A Unimed Curitiba disponibiliza um informativo em seu portal com informações sobre prematuridade. Ele é gratuito e pode ser baixado em:

https://www.unimedcuritiba.com.br/wps/portal/internet/institucional/programas-e-cartilhas/informativo/prematuridade--fatores-de-risco--prevencao-e-cuidados-com-bebes-prematuros/

FOTO: Shutterstock

 

COMÉRCIO EXTERIOR I: Corrente de comércio chega a US$ 28,91 bilhões até terceira semana de janeiro

comercio exterior I 25 01 2022A corrente de comércio (soma de exportações e importações) brasileira cresceu 28% e fechou a terceira semana de janeiro em US$ 28,91 bilhões. Os dados divulgados nesta segunda-feira (24/01) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia mostram que as exportações cresceram 28,4% pela média diária, em relação a janeiro de 2021, e somaram US$ 14,39 bilhões, enquanto as importações subiram 27,6% e totalizaram US$ 14,51 bilhões. Assim, a balança comercial fechou a terceira semana com déficit de US$ 117 milhões no acumulado do mês.

Saldo acumulado - O saldo acumulado refletiu o desempenho da balança na terceira semana, quando houve déficit de US$ 877 milhões, resultado de exportações no valor de US$ 4,503 bilhões e importações de US$ 5,38 bilhões. A corrente de comércio foi de US$ 9,883 bilhões.

Exportações - O desempenho das exportações no mês, até a terceira semana, foi puxado pelo crescimento de 93% das vendas da Agropecuária, que somaram US$ 2,35 bilhões. Já na Indústria Extrativa, houve recuo de 14,2%, ficando em US$ 3,05 bilhões, enquanto a Indústria de Transformação também registrou aumento nas vendas, subindo 39,9% e atingindo US$ 8,93 bilhões.

Agropecuária - Na Agropecuária, os principais destaques foram o crescimento das vendas de milho não moído, exceto milho doce (+24,4%), café não torrado (+38,5%) e soja (+4.896,7%).

Indústria Extrativa - A Indústria Extrativa teve aumento das vendas de outros minerais em bruto (+11,5%), minérios de alumínio e seus concentrados (+34,6%) e óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+32,6%). Diminuíram, porém, as vendas de minério de ferro e seus concentrados (-35,6%), minérios de cobre e seus concentrados (-72,3%) e minérios de níquel e seus concentrados (-100%).

Indústria de Transformação - Do lado da Indústria de Transformação, cresceram principalmente as exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada (+52,8%), óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+94%) e produtos semiacabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço (+175,5%).

Importações - Nas importações, a Secex registrou queda de 16,7% nas compras de produtos de Agropecuária, que somaram US$ 259,35 milhões até a terceira semana do mês. Já na Indústria Extrativa as importações cresceram 384,2%, chegando a US$ 1,98 bilhão, enquanto a Indústria de Transformação aumentou as compras em 15,3%, alcançando US$ 11,96 bilhões.

Crescimento - O crescimento nas importações foi influenciado pela ampliação das compras de pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (+50,8%), látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais (+52,9%) e algodão em bruto (+807,4%) na Agropecuária. A média do setor foi influenciada, no entanto, pelo recuo das compras de trigo e centeio, não moídos (-24,2%), frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (-45,4%) e soja (-88,8%).

Reflexo - Na Indústria Extrativa, o crescimento das importações refletiu principalmente as compras de carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (+407,3%), óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+300,2%) e gás natural, liquefeito ou não (+668,8%).

Altas - Já na Indústria de Transformação, destacaram-se as altas nas compras de óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+69,9%), medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (+82%) e adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos (+54,3%). (Ministério da Economia)

Veja os principais resultados da balança

FOTO: Pixabay

 

 

COMÉRCIO EXTERIOR II: Brasil bate recorde histórico com mais de US$ 1,21 bilhão em exportação de frutas em 2021

comercio exterior II 25 01 2022O Brasil alcançou recorde histórico de exportação de frutas em 2021, apontam os dados apresentados no Boletim Hortigranjeiro 2022, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), órgão vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Volume e receita - No ano, as exportações brasileiras de frutas foram superiores tanto em volume quanto em receita. O faturamento superou US$ 1,21 bilhão, sendo 20,39% acima do computado até dezembro de 2020. O volume total de frutas frescas enviadas ao exterior foi de 1,24 milhão de toneladas, superior em 18,13% em relação ao mesmo período do ano anterior,

Mais exportadas - Dentre as frutas mais exportadas pelo Brasil em 2021 estão: mangas, com US$ 248 milhões e 20% do total exportado no período; melões, com US$ 165 milhões e 14% de participação; uvas, com US$ 155,9 milhões e 13%; nozes e castanhas, com US$ 151,9 milhões e 13%; limões e limas, com US$ 123,8 milhões e 10% de participação.

Destinos - As exportações das frutas nacionais em 2021 tiveram como principais destinos a União Europeia (48%), os Estados Unidos (16%), o Reino Unido (14%), a Argentina (4%) e o Canadá (3%).

Fatores - O coordenador-geral de Estatística e Análise Comercial da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI) do Mapa, Gustavo Cupertino, destaca que alguns fatores favoreceram o crescimento das exportações. “Possivelmente, a retomada da economia mundial e a procura por alimentação saudável em um ambiente de pandemia. Além disso, temos que destacar a qualidade dos produtos brasileiros, bem como a proximidade do maior comprador”.  

Recuperação - Para o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Sergio De Zen, o aumento nas exportações indica uma recuperação. “A demanda internacional aquecida, o clima favorável para a produtividade e a qualidade de diversas culturas foram fundamentais para que as vendas de frutas para o mercado externo ultrapassassem a marca de 1 milhão de toneladas. Também é importante destacar que este novo recorde não se deu apenas com a recuperação dos mercados já existentes, mas também com a abertura de novos mercados – resultado dos trabalhos de novos acordos bilaterais liderados pelo Ministério". Desde 2019, já foram abertos mais de 150 novos mercados externos para produtos agropecuários. (Mapa)

FOTO: iStock

 

download

 

INFRAESTRUTURA I: Ibama aprova Estudo de Impacto Ambiental da Nova Ferroeste

infraestrutura I 25 01 2022O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) publicou no Diário Oficial da União de sexta-feira (21/01) a aprovação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) da Nova Ferroeste, executado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O relatório com mais de 3 mil páginas estava em análise desde novembro, quando o Governo do Paraná protocolou o resultado final.

Fundamental - “É uma etapa fundamental porque o aceite reconhece a integridade e o valor dos trabalhos realizados, e também abre uma janela para começar a trabalhar a questão das audiências públicas”, destaca Luiz Henrique Fagundes, coordenador do Plano Estadual Ferroviário.

Municípios - Uma cópia física do Relatório de Impacto Ambiental, com 129 páginas, e o link para o acesso digital do EIA foi enviada para as prefeituras dos 49 municípios (oito do Mato Grosso do Sul e 41 do Paraná) contidos no traçado da futura estrada de ferro. O estudo completo está disponível no site da Nova Ferroeste.

Entidades - Outras entidades federais (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra, Instituto Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, Fundação Nacional Funai do Índio – Funai e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio) e estaduais (Ibama do PR e MS, Ministério Público dos dois estados, Instituto Água e Terra – IAT e Instituto de Meio Ambiente do MS – IMASUL) receberam uma cópia do documento.

Nova publicação - A partir da comprovação dessas entregas, o Ibama fará uma nova publicação no Diário Oficial da União, na qual vai indicar o início do prazo de 45 dias para a realização das audiências públicas.

Requisitos - “O Ibama analisou se a forma de apresentação do EIA/RIMA atende aos requisitos do órgão licenciador, se está claro para compreensão da população”, explica o coordenador-geral do EIA/RIMA, Daniel Macedo Neto. “É nesse momento em que serão definidos os municípios. O Ibama vai avaliar o volume de inscrições e determinar os locais e as datas dos encontros de acordo com as regiões”.

Crucial - Fagundes classifica essa nova etapa como crucial para o projeto. “Nas audiências a gente vai apresentar para a sociedade o resultado do Estudo de Impacto Ambiental. Ali estão contidas todas as ações mitigadoras das interferências ambientais”, diz o coordenador.

Ampliação - O projeto da Nova Ferroeste prevê a ampliação nos dois sentidos da atual Ferroeste S/A, que tem 248 quilômetros, entre Cascavel e Guarapuava. A ligação de 1.304 quilômetros vai partir de Maracaju, no Mato Grosso do Sul com destino a Paranaguá, no Litoral, além de um ramal para Foz do Iguaçu, formando o Corredor Oeste de Exportação.

Movimentação - Os estudos de viabilidade apontam a circulação de cerca de 38 milhões de toneladas de grãos e contêineres refrigerados no primeiro ano de operação plena. O empreendimento deve ir a leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) no segundo trimestre desse ano. O investimento estimado é de R$ 29,4 bilhões. O vencedor do leilão vai executar a obra e explorar o trecho por 70 anos.

Estudo - Algumas visitas técnicas ao traçado acontecem nessa nova etapa do licenciamento ambiental. Funcionários do Ibama vão percorrer o trajeto para avaliar os lugares observados no estudo, que levou cerca de um ano, analisando o comportamento da fauna e da flora durante quatro estações. O resultado obtido no EIA também será apresentado por equipes da Funai e do Incra para Terra Indígena de Rio das Cobras de Nova Laranjeiras (região central do Paraná) e uma comunidade quilombola de Guaíra (Oeste).

Equipe multidisciplinar - O estudo foi conduzido por uma equipe multidisciplinar com 150 pessoas da Fipe, responsável pela coleta e análise dos dados. Biólogos e geólogos percorreram 1.280 quilômetros para levantar informações sobre a flora, os meios físicos e geológicos, além de avaliar a qualidade da água nas bacias hidrográficas e do ar ao longo do traçado. O estudo contém dados referentes ao ruído, formação das cavernas, bem como a vida existente nestes lugares.

Fauna - Durante o estudo de fauna, os biólogos analisaram oito locais do traçado onde há a maior cobertura verde. Nas quatro estações eles registraram e capturaram animais de inúmeras espécies. Animais ameaçados de extinção no Brasil também foram catalogados. A construção e operação do empreendimento vão usar as informações do EIA. Esse trabalho resultará na concessão da licença prévia do projeto. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

INFRAESTRUTURA II: Governador apresenta à diretoria da TCP projetos para ampliar exportações em Paranaguá

infraestrutura II 25 01 2022O governador Carlos Massa Ratinho Junior se reuniu nesta segunda-feira (24/01) com a diretoria da empresa Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) para apresentar os projetos em andamento do Governo do Estado para ampliar e modernizar a estrutura de exportações pelo Porto de Paranaguá.

Destaques - Entre os destaques estão a ampliação do terminal de contêineres da Cotriguaçu no pátio da Ferroeste em Cascavel (Oeste), que vai dobrar a capacidade de transporte de cargas refrigeradas pelos trilhos; o projeto da Nova Ferroeste; e as obras de ampliação do calado e dos terminais de exportação do porto.

Reestruturação - Ratinho Junior destacou que o Governo do Estado investe na reestruturação de todo o Porto de Paranaguá. Isso inclui investimento de R$ 500 milhões na ampliação do Cais Leste, o chamado Moegão, que vai ampliar a carga e descarga de grãos transportados por vagões.

Derrocagem - A empresa pública Portos do Paraná também deve concluir em breve as obras de derrocagem da Pedra de Palangana, o que vai melhorar a segurança da navegação e reduzir o tempo de espera das manobras de atracação e desatracação.

Nova Ferroeste - “O projeto da Nova Ferroeste também segue a todo o vapor. Os estudos já passaram pelo Ibama e seguem agora para a fase final, que são as audiências públicas, para então levar a nova ferrovia a leilão”, afirmou o governador. “Esse projeto vai aumentar a capacidade de transporte de grãos e contêineres pelos trilhos, fazendo com que o Paraná tenha o maior corredor de exportação de proteína do mundo”.

Contêineres - Maior corredor de exportação de proteína de frango do mundo, a TCP bateu recorde histórico na movimentação de contêineres em 2021. Foram despachados no ano passado 1,1 milhão de TEUs (unidade de medida de um contêiner de 20 pés), sendo 186 mil TEUs de contêineres refrigerados, consolidando a empresa como a maior exportadora de cargas congeladas do Brasil.

Resultados - A expectativa é melhorar ainda mais esses resultados com os novos projetos em andamento no Paraná, salientou o diretor Comercial e Institucional da TCP, Thomas Lima. “A Portos do Paraná tem dado um suporte exemplar ao terminal de contêineres, o que nos ajuda a obter resultados acima da média a cada ano. Tivemos uma performance excelente no ano passado e devemos isso ao trabalho conjunto com a empresa pública e o bom ambiente de negócios proporcionado pelo Governo do Paraná”, afirmou.

Referência mundial - “Queremos aumentar a nossa capacidade e virar referência mundial no transporte de cargas, como acontece nos grandes portos da China. Os investimentos do Governo do Estado em infraestrutura e a modernização que planejamos para o terminal vão permitir que alcancemos, até 2025, um patamar de classe mundial”, destacou Lima.

Ampliação - A previsão é que a ampliação do terminal da Cotriguaçu na Ferroeste seja finalizada em meados de fevereiro. A área de carregamento de contêineres ganhará mais 500 metros, o que deve dobrar a capacidade de carga transportada por trilhos. Para ampliar o pátio e melhorar o desvio ferroviário, a Cotriguaçu investiu R$ 14 milhões.

Logística de distribuição - A cooperativa é responsável pela logística de distribuição de grãos e proteína animal produzidos por outras quatro cooperativas da região Oeste: C.Vale, Lar, Copacol e Coopavel. Em 2021, 1.100 contêineres de proteína animal congelada e refrigerada partiram do terminal em Cascavel com destino ao Porto de Paranaguá, de onde foram enviados para a Europa, Ásia e África.

Participação do modal ferroviário - Com o projeto da Nova Ferroeste, a participação do modal ferroviário, inclusive para o transporte de contêineres, ganhará novos patamares no Paraná. O projeto do Governo do Paraná vai ligar por trilhos o município de Maracaju (MS) a Paranaguá, no Litoral do Estado, e inclui também ramal entre Foz do Iguaçu e Cascavel, somando 1.304 quilômetros de extensão no total.

Previsão - Além de movimentar as cargas de grãos e proteína animal das regiões Sul e Centro Oeste, a previsão é escoar, pela estrada de ferro, parte da produção agrícola do Paraguai e Argentina pelo Porto de Paranaguá.

Estudo - O Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) apontou que a construção da nova ferrovia vai permitir a redução do custo logístico dos produtores paranaenses em até 30% em algumas regiões. A economia por parte das empresas vai tornar a produção do Mato Grosso do Sul e do Paraná mais competitiva.

Transporte - A estimativa é transportar cerca de 38 milhões de toneladas no primeiro ano de operação plena. O valor do investimento é de R$ 29,4 bilhões e o projeto deve ir a leilão no segundo trimestre de 2022. O vencedor será responsável pela construção da estrada e vai poder explorar o empreendimento por 70 anos.

Presenças - Acompanharam a reunião os secretários estaduais da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, e da Fazenda, Renê Garcia; e o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin. Pela empresa, estavam presentes o CEO, Tony Shi; os gerentes Executivo e Comercial, Giovanni Souza; de Marketing e Projetos, Mateus Campagnaro; e Institucional, Gabriel Vieira. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jonathan Campos / AEN

 

TRATOR SOLIDÁRIO: Estado prorroga prazo de validade de chamamento público para o programa

trator solidario 25 01 2022A Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento prorrogou para até 14 de fevereiro de 2023 o prazo de vigência do Edital de Chamamento Público nº 003/2020, que trata do credenciamento de empresas fabricantes ou concessionárias de máquinas e equipamentos agrícolas. Também foi publicada a Resolução 03/2022, que estabelece novos preços máximos do Programa Trator Solidário.

Documentação - Assim, as novas empresas e concessionárias que quiserem participar do programa podem entregar a documentação a qualquer tempo, conforme estabelecido no edital. De outra parte, as que já estão devem demonstrar a manutenção do cumprimento dos requisitos de habilitação exigidos no instrumento convocatório, na forma dos itens 4 e 5.1 do Edital nº 003/2020.

O Programa - O Programa Trator Solidário é destinado a pequenos produtores que têm a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) ativa e que, portanto, obedecem todas as exigências federais para serem considerados agricultores familiares. Ele é administrado pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, por meio do Departamento de Economia Rural (Deral), e operacionalizado em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná), Fomento Paraná, agentes financeiros oficiais, cooperativas de crédito e fabricantes de equipamentos, implementos e tratores.

Seguro - Em 17 de dezembro de 2021, o Estado também prorrogou para até 23 de janeiro de 2023 a vigência do Edital de Chamamento Público 002/2020 referente ao credenciamento de companhias seguradoras interessadas em comercializar e celebrar contratos de seguro rural, em caráter privado, com produtores rurais sujeitos ao recebimento da subvenção econômica ao prêmio seguro rural.

Participação - Da mesma forma, as companhias que quiserem participar do credenciamento podem apresentar a documentação a qualquer momento, dentro do prazo de validade do chamamento público. As empresas seguradoras já credenciadas no Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural no Estado do Paraná deverão demonstrar a manutenção do cumprimento dos requisitos de habilitação exigidos no edital. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: AEN

 

ECONOMIA: Cidadão pode verificar valores a receber de bancos no Registrato

economia 25 01 2022Desde esta segunda-feira (24/01), qualquer cidadão pode consultar se tem valores a receber de instituições financeiras. O Registrato, sistema do Banco Central (BC) que fornece um extrato das informações de uma pessoa com instituições financeiras, abriu uma funcionalidade para que o usuário verifique se tem direito a recursos.

Consultas - Até agora, o Registrato fornecia consultas apenas a dívidas (abertas ou liquidadas), abertura de contas bancárias (ativas ou inativas) e remessas de dinheiro ao exterior. De acordo com o BC, existem cerca de R$ 8 bilhões parados em bancos e demais instituições financeiras, esperando serem sacados.

Resgate - Para reaver os recursos, o cidadão poderá pedir o resgate de duas formas. A primeira será diretamente via Pix na conta indicada no Registrato, caso a instituição tenha aderido a um termo específico com o BC. Nos demais casos, o beneficiário informará os dados de contato no sistema, e a instituição o meio de pagamento ou de transferência.

Aprimoramento Na primeira fase do serviço, o Registrato divulgará R$ 3,9 bilhões que podem ser devolvidos decorrentes de contas correntes ou poupanças encerradas e não sacadas, cobranças indevidas de tarifas ou de obrigações de crédito com Termo de Compromisso assinado com o BC, cotas de capital e rateio de sobras líquidas de associados de cooperativas de crédito e grupos de consórcio extintos.

Ampliação - Ao longo do ano, o BC pretende ampliar a consulta para a devolução de valores decorrentes de tarifas ou obrigações de crédito cobradas indevidamente não previstas em Termo de Compromisso, contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas e com saldo disponível, contas encerradas em corretoras e distribuidoras de títulos e de valores mobiliários e demais situações que resultem em valores a serem devolvidos reconhecidas pelas instituições financeiras.

Responsabilidade - Segundo o BC, os dados e os valores fornecidos no Registrato são de responsabilidade das próprias instituições financeiras. Em alguns casos, os saldos a receber podem ser de pequeno valor, mas o órgão orienta o cidadão a sacar o dinheiro que lhe pertence de forma simples e ágil, por meio do novo serviço. (Agência Brasil)

FOTO: Antônio Cruz

 

CÂMBIO: Dólar ultrapassa R$ 5,50 com tensões na Ucrânia e reunião do Fed

cambio 25 01 2022Num dia de nervosismo global por causa das tensões entre Rússia e Ucrânia, o dólar ultrapassou R$ 5,50 e a bolsa caiu quase 1%, voltando a ficar abaixo dos 108 mil pontos. As expectativas em torno da reunião do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) nesta semana também influenciaram as negociações.

Cotação - O dólar comercial fechou esta segunda-feira (24/01) vendido a R$ 5,503, com alta de R$ 0,048 (+0,88%). A cotação operou em alta durante toda a sessão, chegando a R$ 5,52 na máxima do dia, por volta das 14h30. O Banco Central (BC) vendeu US$ 500 milhões das reservas internacionais com compromisso de recompra, quando a autoridade monetária pretende comprar o dinheiro de volta daqui a alguns meses.

Ações - O dia também foi tenso no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 107.937 pontos, com recuo de 0,92%. O indicador não resistiu às pressões externas e fechou em queda pelo segundo pregão consecutivo. Por volta das 14h, o Ibovespa chegou a cair mais de 2%, mas conseguiu diminuir as perdas perto do fim da sessão.

Conflito militar - A possibilidade de conflito militar entre Rússia e Ucrânia fez os investidores internacionais comprarem dólares e títulos do Tesouro norte-americano, considerados os investimentos mais seguros do mundo. Isso aumentou a cotação da divisa em todo o planeta. Os Estados Unidos e o Reino Unido começaram a retirar funcionários das embaixadas na Ucrânia. Alguns países europeus passaram a desaconselhar viagens não essenciais à região.

Fed - Paralelamente, o mercado aguarda o resultado da reunião do Fed, que começa nesta terça-feira (23/01) e termina na quarta-feira (24/01). Os investidores acreditam que o órgão indicará se pretende aumentar os juros básicos da maior economia do planeta a partir de março. Taxas mais altas em economias avançadas estimulam a fuga de recursos de países emergentes, como o Brasil. Desde o início da pandemia de covid-19, os juros básicos nos Estados Unidos estão entre 0% e 0,25% ao ano, no menor nível da história. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

SAÚDE I: Brasil registra 259 mortes e 83,3 mil novos casos

O número de mortes por covid-19 no Brasil subiu para 623.356. Em 24 horas, foram registradas 259 mortes. Segundo os números publicados pelo Ministério da Saúde na noite desta segunda-feira (24/01), 83.340 novos casos de covid-19 foram diagnosticados em 24 horas. O país soma 24.127.595 ocorrências da doença desde o início da pandemia.

Ômicron - O informe sobre a variante Ômicron registrou 1.563 diagnósticos positivos. Outros 1.079 casos são investigados. Já foram apurados dois óbitos em decorrência da Ômicron no Brasil, outros dois estão sob avaliação das autoridades de saúde.

Investigação - Há ainda 3.071 mortes por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em investigação. Os óbitos pela síndrome somam 149 nos últimos três dias.

Casos ativos - O boletim também mostra que a taxa de casos ativos aumentou e a taxa de recuperação caiu. No momento, 90,5% do total de infectados são considerados livres de sintomas. A taxa chegou a 96,2% em dezembro, antes da chegada da Ômicron ao Brasil.

Estados - O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (156.551), Rio de Janeiro (69.689), Minas Gerais (56.965), Paraná (41.005) e Rio Grande do Sul (36.644). Já as Unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.857), Amapá (2.039), Roraima (2.086), Tocantins (3.985) e Sergipe (6.075).

Vacinação - O painel de vacinação do Ministério da Saúde registra que 348.298.393 doses de vacinas diversas já foram aplicadas. Destas, 163,1 milhões são referentes à primeira dose, enquanto 150,5 milhões são relativas à segunda dose. As doses de reforço chegaram à 33,95 milhões. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2022-01-24 at 22.47.33 0

 

whatsapp image 2022-01-24 at 22.47.15 0

 

 

 

 

SAÚDE II: Sesa divulga mais 11.384 casos confirmados e 17 óbitos por Covid-19

saude II 24 01 2022A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (24/01) mais 11.384 casos confirmados e 17 mortes pela infecção causada pelo novo coronavírus. Os números incluem meses ou semanas anteriores e não representam apenas a notificação das últimas 24 horas (7.748 casos e 7 óbitos).

Soma - O Paraná soma agora 1.818.210 casos confirmados e 40.780 mortos pela doença desde o início da pandemia.

Meses - Os casos são de janeiro (11.324) de 2022; dezembro (5), novembro (4), outubro (1), setembro (1), agosto (1), julho (6), junho (2), maio (2), março (6), fevereiro (1) e janeiro (7) de 2021; e dezembro (8), novembro (1), outubro (4), setembro (5), agosto (1) e julho (5) de 2020. Os óbitos são de janeiro (16) de 2022 e agosto (1) de 2021.

Internados - 103 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados em leitos SUS (31 em UTIs e 72 em leitos de enfermaria). Não há paciente com diagnóstico confirmado em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 1.070 pacientes internados, 380 em leitos de UTI e 690 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - O boletim informa a morte de mais 17 pacientes. São 11 mulheres e seis homens com idades que variam entre 24 e 97 anos. Os óbitos ocorreram entre 9 de agosto de 2021 e 24 de janeiro de 2022.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (6), Quedas do Iguaçu (2), Cascavel (2), Umuarama, Matinhos, Maringá, Mariluz, Formosa do Oeste, Faxinal e Corbélia.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 8.674 casos de residentes de fora do Estado, 225 pessoas foram a óbito.

Monitoramento - A Secretaria da Saúde está monitorando a situação epidemiológica do Paraná e o crescimento no número de casos diários divulgados pela pasta. A Secretaria reforça que as medidas de prevenção, como uso de máscaras, lavagem das mãos e uso do álcool em gel permanecem sendo necessárias, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

Confira relatório de ajustes da Secretaria de Saúde

 

SAÚDE III: Estado reativa 310 leitos para Covid-19 e gripe H3N2; 100 são UTIs

saude III 25 01 2022O Governo do Estado reativou mais 310 leitos para atendimento preferencial à Covid-19 e H3N2 desde sábado (22/01). São 210 enfermarias e 100 Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Agora, o Paraná possui 599 UTIs e 806 enfermarias.

Assistência - “Com o aumento no número de casos confirmados de Covid-19 e Influenza no Estado, precisamos deixar mais leitos à disposição para continuar garantindo que nenhum paciente fique desassistido”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Distribuição - Estes leitos foram distribuídos nos seguintes municípios: Apucarana (29 enfermarias), Bandeirantes (20 enfermarias), Cascavel (20 UTIs e 28 enfermarias), Cornélio Procópio (11 enfermarias), Dois Vizinhos (8 enfermarias), Foz do Iguaçu (60 UTIs e 67 enfermarias), Guaraniaçu (16 enfermarias), Maringá (10 enfermarias), Nova Aurora (10 UTIs e 10 enfermarias), Palotina (10 UTIs) e Ponta Grossa (11 enfermarias).

Anúncio - A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) já havia anunciado a reabertura de leitos devido à predominância da variante Ômicron e a epidemia de Influenza H3N2.

Total - Desde o início deste ano, 554 leitos já foram reativados, sendo 167 UTIs e 387 enfermarias. A previsão é que pelo menos mais 205 leitos clínicos retomem o atendimento ainda neste mês.

Colaboração - “Mais do que disponibilidade de leitos, precisamos contar com a colaboração das pessoas em continuarem se vacinando, seja com a segunda dose ou dose de reforço, além do uso de máscaras e cuidados não farmacológicos”, ressaltou Beto Preto. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Rodrigo Félix Leal

 

ARTIGO: Cooenf PR celebra dois anos de atuação

artigo 25 01 2022 *Quitéria Antunes

Vinte e dois de janeiro é uma data de celebração para o setor de saúde paranaense. Neste dia foi fundada a primeira Cooperativa de Trabalho de Enfermagem do Paraná – Cooenf. Em 2022 estamos completando dois anos de atuação. Da concepção até a comemoração deste aniversário, muitas foram as conquistas e claro, muitos foram os desafios.

Trabalhar de forma cooperada é algo inédito em nosso Estado para a categoria de enfermagem. A iniciativa demonstra que somos fortes, essenciais e primordiais para o sistema de saúde. Afinal, não há atendimento de qualidade para pacientes sem a presença de um profissional de enfermagem compreendendo as categorias de enfermeiro, técnico ou auxiliar de enfermagem.

Temos a total noção desta importância de nossa profissão e por isso seguiremos atuando para que tenhamos um espaço ainda maior no sistema de saúde. Em dois anos já somos centenas de enfermeiros e técnicos unidos em cooperativa, buscando sempre a autorrealização do desempenho de nossas atividades e no exercício das atividades assistenciais.

Tivemos nestes dois anos, inúmeras oportunidades de crescimento profissional e como cooperativa. Elaboramos o planejamento estratégico institucional e de marketing. A cooperativa implantou o departamento de Recursos Humanos, o sistema (ERP) e o programa de desenvolvimento de líderes. Realizaram-se ainda inúmeras horas de treinamentos presenciais e a distância. Na área de comunicação, o CooenfNews, junto de outras ferramentas, leva informações precisas sobre as principais notícias da cooperativa e do setor.

Trabalhamos incansavelmente nestes últimos dois anos para referendar que o saber científico é a base de nossas atividades. Todo esse trabalho em conjunto vem elevando cada vez mais os padrões de aceitação da profissão e o entendimento da sociedade sobre a importância desta estratégica profissão no setor de saúde.

Enfermagem é ciência, é arte é cuidado.

Parabéns a você cooperado por embarcar nesta jornada rumo a uma profissão ainda mais forte.

Obrigado aos nossos clientes que depositam a confiança em nosso trabalho. Agradecemos a todos os parceiros por estarem ao nosso lado nesta empolgante jornada que é trabalhar com a categoria de enfermagem.

Se você ainda não é cooperado, junte-se a nós.

Parabéns, Cooenf pelos dois de atuação!

*Quitéria Antunes é presidente da Cooperativa de Trabalho de Enfermagem do Paraná – Cooenf PR

 

 


Versão para impressão


RODAPE