Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5246 | 26 de Janeiro de 2022

DATA PROTECTION: Inscrições para o evento encerram nesta quinta-feira (27/01)

 

Encerra nesta quinta-feira (27/01) o prazo de inscrições para o Data Protection + Coop, cuja primeira edição será realizada pelo Sistema Ocepar na sexta-feira (28/01), quando é celebrado o Dia Internacional da Proteção de Dados. A data foi instituída com o propósito de reforçar a importância da preservação dos direitos fundamentais de liberdade e privacidade relacionados ao uso de dados pessoais. No Brasil, este é o segundo ano que o Dia Internacional será comemorado com plena vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e atuação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

 

Público - O evento é destinado a diretores, gestores e demais profissionais das cooperativas do Paraná ligados às atividades de governança de dados e segurança da informação, como compliance, jurídico, auditoria interna, tecnologia da informação, entre outras áreas afins. Clique aqui para se inscrever. A programação será transmitida aos participantes inscritos pelo canal do Sistema Ocepar no Youtube, na TV PR Cooperativo. O link de acesso será enviado por e-mail.

 

Programação - O Data Protection + Coop contará com a participação de Luciano Benetti Timm e Matheus Noronha Sturari, que vão debater a “Análise transversal sobre o processo de fiscalização e processo administrativo sancionador no âmbito da ANPD”. Haverá ainda relatos do diretor-presidente da Unimed Norte Pioneiro, Antônio Vendramin Filho, e da encarregada de Dados e Responsável pelo Programa de Integridade na Frísia Cooperativa Agroindustrial, Marta Auer, sobre o processo de implantação e adequação das cooperativas à LGPD.

 

Sobre os palestrantes - Luciano Benetti Timm é professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), sócio da Carvalho, Machado e Timm Advogados. Possui pós-doutorado pelo Departamento de Direito, Economia e Negócios da Universidade da Califórnia, em Berkeley (EUA), doutorado em Direito dos Negócios e da Integração Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialização em Direito Econômico Internacional pela Universidade de Warvick, do Reino Unido e mestrado em Direito Privado também pela UFRGS.

 

Sturari - Já Matheus Noronha Sturari é certificado pela International Association of Privacy Professionals (IAPP) e reconhecido como Fellow of Information Privacy (FIP). É coordenador de Proteção de Dados e Privacidade do CMT Advogados, possui cursos de extensão do Data Privacy Brasil e da FGV-SP e especializações em Contratos, pela EPD, e em Análises Econômica do Direito, pela Unicamp.

 

 

data folder 25 01 2022

SICREDI: Em operação inédita, instituição cooperativa faz emissão de Green Bond subordinado de USD 100 mi para financiar projetos de energia renovável

sicredi 26 01 2022Atento à crescente demanda por crédito para a instalação de sistemas de energia solar no Brasil, o Sicredi acaba de realizar sua primeira emissão de Green Bond (títulos de dívida emitidos especificamente para financiar projetos com benefícios ambientais) no exterior. A emissão feita junto ao BID Invest, membro do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), foi no valor de USD 100 milhões (cerca de R$ 550 milhões), com 100% dos recursos destinados ao financiamento de novos projetos de energia fotovoltaica e eficiência energética, que estarão disponíveis a partir do final de janeiro.

Primeira - Trata-se da primeira emissão de Green Bond subordinado por um emissor brasileiro adquirida pelo BID Invest. A operação conta com a certificação da consultoria norueguesa CICERO Shades of Green, especializada em “títulos verdes”, e tem critérios específicos para a seleção dos projetos a serem financiados. Conforme a consultoria, considerando critérios como governança e transparência, a operação se enquadra na pontuação “Dark Green Shading”. A metodologia expressa o quanto um título verde contribui com a redução dos gases de efeito estufa e considera três níveis de pontuação: verde claro, verde médio e verde escuro.

Iniciativas sustentáveis - “Temos observado uma sociedade cada vez mais consciente, com foco em iniciativas sustentáveis e, consequentemente, corroborando para a consolidação de uma economia mais circular. Uma das frentes que nossas cooperativas atuam de forma relevante é no financiamento à implementação de sistemas para o uso de energia renovável, que vai ao encontro ao movimento global para a redução na emissão dos gases de efeito estufa, no qual o Sicredi está engajado há alguns anos”, afirma Cesar Bochi, diretor executivo de Administração do Sicredi.

Impacto positivo - “Com isso, possibilitamos aos nossos associados recursos para o desenvolvimento de projetos sustentáveis, com impacto positivo econômico, social e ambiental, gerando valor ao negócio e fortalecendo a parceria de longo prazo do Sicredi com as comunidades onde estamos presentes”.

ODS - A iniciativa ainda contribui com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs), com os quais o Sicredi é comprometido enquanto integrante do Pacto Global da ONU. Na operação estão sendo atendidos os objetivos 7, 9 e 13, que tratam, respectivamente, de Energia acessível e limpa; Indústria, inovação e infraestrutura; Ação contra a mudança global do clima.

Carteira de crédito - A carteira de crédito do Sicredi para financiamento de projetos para uso de energia solar no Brasil totalizou R$ 4,5 bilhões ao final de 2021, com aumento de 93 % em relação ao mesmo período de 2020. Do saldo atingido, R$ 2,4 bilhões foram destinados a associados Pessoa Jurídica (PJ), R$ 1,1 bilhão para Pessoa Física (PF) e R$ 940 milhões para associados do campo (agricultura familiar, médios e grandes produtores). Só nos últimos 12 meses, o volume de crédito concedido pela instituição para essa finalidade no país ultrapassou a marca de R$ 2,5 bilhões.

Link - Conheça mais sobre as ações e estratégias do Sicredi com relação ao desenvolvimento sustentável no link: https://www.sicredi.com.br/site/sobre-nos/sustentabilidade/.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Sobre o BID Invest - O BID Invest, membro do Grupo do BID, é um banco multilateral de desenvolvimento comprometido com a promoção do desenvolvimento econômico de seus países membros da América Latina e do Caribe por meio do setor privado. O BID Invest financia empresas e projetos sustentáveis para alcançar resultados financeiros e maximizar o desenvolvimento econômico, social e ambiental da região. Com uma carteira de US$ 13,1 bilhões em ativos administrados e 385 clientes em 25 países, o BID Invest oferece soluções financeiras inovadoras e serviços de consultoria que atendem às necessidades de seus clientes em diversos setores. (Imprensa Sicredi)

 

CASTROLANDA: Em novo recorde, cooperativa atinge R$ 5,9 bilhões de faturamento anual

castrolanda 26 01 2022A Castrolanda fechou 2021 com um novo recorde financeiro. O faturamento anual atingiu a marca de R$ 5,9 bilhões – o maior valor registrado em 70 anos de história. O marco é um reflexo das ações praticadas ao longo do ano por cooperados, colaboradores e toda a comunidade que envolve o sistema produtivo e social da cooperativa.

Aumento - O valor é 31,1% mais alto que o acumulado de 2020, quando a Castrolanda fechou o ano com R$ 4,5 bilhões faturados. Além disso, o resultado líquido também apresentou números expressivos: as sobras fecharam o período em R$ 145 milhões.

Sustentabilidade e estabilidade - Para o diretor executivo da cooperativa, Seung Lee, os números refletem os caminhos de sustentabilidade e estabilidade dos negócios, construídos com base no Horizonte – nome dado ao planejamento estratégico da Castrolanda – que preparou a companhia para se tornar ainda mais competitiva em várias áreas de atuação. As ações apostaram no redesenho de alguns processos e na consolidação da diversificação dos negócios, que trouxeram mais agilidade, assertividade e segurança nas ações.

Excelência operacional - “Trabalhamos dentro de casa para atingir a excelência operacional, já que é impossível controlar o mercado. Não conseguimos definir os preços da soja, ou segurar o valor do glifosato, por exemplo. O que podemos fazer é construir uma cooperativa mais sólida possível para que o cooperado se sinta seguro diante das oscilações naturais do mercado”, destaca.

Ano desafiador - Diretor-presidente da Castrolanda, Willem Bouwman caracteriza 2021 como um ano bastante desafiador, mas que trouxe um saldo positivo para os negócios. “A economia de maneira geral seguiu com as incertezas causadas pela pandemia, mas conseguimos atuar de uma forma bastante eficiente mesmo com essas dificuldades. Isso sem dúvidas é mérito do trabalho de cooperados, colaboradores e parceiros, que não deixaram de lado nossos valores e seguiram diretrizes bem definidas em meio aos momentos difíceis”, aponta.

Projeções - O planejamento estratégico da Castrolanda aponta para um ano de 2022 ainda mais desafiador. A expectativa é seguir construindo a solidez da cooperativa, para que ela cresça de forma sustentável. Como principais diretrizes para a sequência de trabalho estão a intensificação no processo de transformação digital e o desenvolvimento sustentável em toda a cadeia de produção, além de mais assertividade no atendimento a cooperados e clientes.

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com sete décadas anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1.100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo.

Unidades - Com R$ 5,9 bilhões de faturamento e aproximadamente 3.700 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite e batata.

Fomento - O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)

 

COOPAVEL I: “Faremos dessa a melhor das edições do Show Rural”, afirma Dilvo Grolli

coopavel I 26 01 2022“A 34ª será a melhor das edições do Show Rural Coopavel. Ela vai refletir a força e a dinâmica do agronegócio, o comprometimento de expositores e parceiros e o amor e a admiração que cada pessoa envolvida na organização e na execução das mais diferentes tarefas sente por esse evento. O Show Rural é uma missão”, disse o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, no fim da tarde de segunda-feira (24/01), durante mais uma reunião com todos os coordenadores de área.

Presencial - O Show Rural retorna à sua etapa presencial depois de dois anos – em 2021, ela aconteceu de forma online. Ele será realizado de 7 a 11 de fevereiro e contará com a participação de 400 expositores. “E todos estamos muito animados. Estamos construindo uma cidade para bem recepcionar os visitantes. O investimento que tem sido feito é o maior da história do evento”, afirma Dilvo, convidando o produtor rural para que venha a Cascavel conhecer as inovações de um setor que não para de se recriar.

Acelerados - Cada coordenador de área fez, durante a reunião, um relato de como estão os preparativos, que entram em sua reta final. O pessoal da área da saúde informou sobre os cuidados que serão observados durante a visita, como o uso de máscara em todo o percurso, distribuição de álcool em gel e, nos portais de entrada, com a aferição da temperatura corporal. Alguns equipamentos foram alterados para o máximo de segurança, como o acionamento dos bebedouros com o pé.

Estrutura de saúde - Uma ampla estrutura de saúde será mantida, inclusive com ambulâncias, para atender qualquer chamado. “Tomaremos todos os cuidados necessários e recomendados pelas autoridades”, segundo Dilvo Grolli. A própria estrutura do parque, que tem 720 mil metros quadrados, contribui para a segurança dos visitantes. Praticamente todas as atividades programadas serão ao ar livre. (Imprensa Coopavel)

 

COOPAVEL II: Entidades fazem homenagem aos 34 anos do Show Rural Coopavel

coopavel II 26 01 2022Vinte entidades empresariais e poder público fizeram, na noite de segunda-feira (24/01), uma homenagem especial aos 34 anos do Show Rural Coopavel, um dos maiores eventos do planeta em transmissão de novidades para a agropecuária. O encontro, no restaurante construído na área que desde 1989 abriga a mostra de tecnologia, contou com a presença de diretores da Coopavel, de presidentes das mais diferentes forças organizadas locais e de convidados.

Gratidão e reconhecimento - “Esse é um gesto de gratidão e de reconhecimento. Uma forma que encontramos de dizer muito obrigado por tudo o que o Show Rural Coopavel representa não apenas para a economia dos setores aqui representados, mas pelo que faz pela nossa região e pelas profundas transformações no agronegócio, que é um dos nossos grandes diferenciais”, disse o presidente do Sindhotéis (Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares), Volnei Mecabô.

Essência - “O Show Rural mostra a essência do que somos enquanto empreendedores, trabalhadores e comunidade. Esse evento, que apresenta o melhor do agronegócio, leva o nome de Cascavel para o Brasil e para o mundo. O Show Rural é um grande orgulho para todos nós”, afirma o presidente da Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel), Genesio Pegoraro. “Esse é um evento que mostra a força e a pujança do agronegócio e as transformações que ele é capaz de fazer em uma região inteira”, ressalta o presidente da Câmara de Vereadores de Cascavel, Alécio Spínola.

De todos - O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, agradeceu a homenagem ao lado do coordenador geral Rogério Rizzardi e da gerente Adriana Gomes. “Ficamos muito felizes em realizar um evento tão dinâmico e que gera tantas coisas boas. O Show Rural cresceu muito em 34 anos, resultado do trabalho, da dedicação e da constante busca pela superação. Hoje, ele é um evento de toda a nossa comunidade. Obrigado a todos vocês, dos mais diferentes setores, que sempre acreditaram, apoiaram e confiaram na gente”, disse Dilvo.

O evento - A 34ª edição do Show Rural Coopavel vai ser realizada de 7 a 11 de fevereiro em Cascavel, no Oeste do Paraná. Serão 400 estandes das maiores empresas brasileiras e mundiais do agronegócio que, durante cinco dias, vão apresentar o melhor de uma das indústrias mais dinâmicas, inovadoras e imprescindíveis do planeta. O acesso ao parque e ao estacionamento são gratuitos. “Esperamos vocês”, convida o coordenador Rogério Rizzardi. (Imprensa Coopavel)

 

INFRAESTRUTURA: Mais um terminal do Porto de Paranaguá ganha prioridade nacional de investimentos

infraestrutura 26 01 2022Mais uma área do Porto de Paranaguá foi qualificada como prioridade nacional pelo Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal. A PAR 03, de 38 mil metros quadrados, será destinada à movimentação e armazenagem de granéis sólidos minerais, principalmente fertilizantes.

Prioritária - “Essa qualificação indica que, entre outros projetos de infraestrutura e transporte, a realização do leilão do terminal no porto paranaense é prioritária”, afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Espaço - O espaço engloba o pátio (greenfield) cercado, de 32 mil metros quadrados, localizado em frente ao edifício Palácio Taguaré, sede administrativa da Portos do Paraná; e o Terminal Público de Fertilizantes (Tefer), de seis mil metros quadrados.

Levantamento preliminar - O levantamento preliminar feito pela Portos do Paraná aponta a necessidade de investimentos da ordem de R$ 172,5 milhões. “O valor é o mínimo que deve ser aplicado pela futura empresa arrendatária na implantação de um novo armazém, com estrutura e capacidade suficiente para as operações”, diz Garcia.

Capacidade - O futuro terminal tem previsão de capacidade estática de 130 mil toneladas. Já a capacidade dinâmica é estimada em 2,6 milhões de toneladas/ano.

Estudos - Os estudos da área estão em desenvolvimento e tão logo sejam concluídos a área seguirá os trâmites necessários – que incluem autorização da agência reguladora, audiência pública e parecer dos tribunais de conta – para ser arrendada em futuro leilão na Bolsa de Valores oficial do Brasil (B3).

Cinco áreas - Atualmente, a Portos do Paraná dispõe de cinco áreas para futuros terminais. Além das PAR 32 e PAR 50, as áreas PAR 09, PAR 14 e PAR 15 também devem ir a leilão ainda neste ano. O valor estimado para as cinco áreas disponíveis para futuros arrendamentos é de quase R$ 2 bilhões.

Decreto - Publicado nesta terça-feira (25/01), no Diário Oficial da União, o decreto número 10.944/2022 habilita outros dois empreendimentos em portos públicos brasileiros, além da área do porto paranaense. Assinado na segunda-feira (24) pela Presidência da República, o documento ainda traz a habilitação das áreas RIG71, no Porto Organizado de Rio Grande; e TGSFS, no Porto Organizado de São Francisco do Sul, Santa Catarina. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Rodrigo Félix Leal

 

PRÉVIA DA INFLAÇÃO: Com queda na gasolina e alta nos alimentos, IPCA-15 fica em 0,58% em janeiro

inflacao destaque 26 01 2022A prévia da inflação desacelerou para 0,58% em janeiro, após a alta de 0,78% no mês anterior. Nos últimos 12 meses, o indicador acumula alta de 10,20%, abaixo dos 10,42% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2021, a taxa foi de 0,78%. Os dados são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado nesta quarta-feira (26/01) pelo IBGE.

Transportes - Esse resultado foi influenciado pelo recuo nos transportes (-0,41%), principalmente, com a queda nos preços da gasolina (-1,78%) e das passagens aéreas (-18,21%). Os dois subitens contribuíram com -0,12 p.p. cada no IPCA-15 de janeiro. Além disso, etanol (-3,89%) e o gás veicular (-0,26%) também tiveram variações negativas no período.

Alta - Com exceção dos transportes, os outros oito grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta em janeiro. Em alimentação e bebidas (0,97%), a alimentação no domicílio acelerou para 1,03%. Os maiores impactos vieram da cebola (17,09%), das frutas (7,10%), do café moído (6,50%) e das carnes (1,15%). Por outro lado, houve queda nos preços da batata-inglesa (-9,20%), do arroz (-2,99%) e do leite longa vida (-1,70%), que já haviam recuado no mês anterior.

Alimentação - A alimentação fora do domicílio (0,81%) também acelerou em relação a dezembro (0,08%). O lanche passou de queda de 3,47% para alta de 1,25%, enquanto a refeição ficou com 0,63% de alta, resultado inferior ao do mês anterior (1,62%).

Saúde - No grupo saúde e cuidados pessoais (0,93%), o destaque foram os itens de higiene pessoal (3,79%). No lado das quedas, o plano de saúde recuou 0,69%. Em dezembro, foi incorporada a última fração mensal do reajuste anual que havia sido suspenso em 2020 e que foi aplicado a partir de janeiro de 2021. Com isso, restou apenas a fração referente ao reajuste negativo de -8,19% anunciado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) no ano passado, aplicado a partir do IPCA-15 de julho.

Habitação - Em habitação (0,62%), o maior impacto (0,06 p.p.) foi do aluguel residencial, com alta de 1,55%. Houve ainda alta no gás encanado (8,40%), consequência de um reajuste em São Paulo. A energia elétrica, subitem de maior peso dentro do grupo, desacelerou para 0,03% em janeiro. A variação positiva da taxa de água e esgoto (0,28%) decorre do reajuste de 9,05% ocorrido em Salvador.

Vestuário - Maior variação no IPCA-15 de janeiro, vestuário subiu 1,48%, com alta em todos os itens, entre eles, roupas masculinas (2,35%), roupas femininas (1,19%) e calçados e acessórios (1,20%). Já nos artigos de residência (1,40%), os destaques foram os eletrodomésticos e equipamentos (2,26%) e os itens de mobiliário (2,04%). Os demais grupos ficaram entre o 0,25% de educação e o 1,09% de comunicação.

IPCA-15 tem alta em todas as áreas pesquisadas A pesquisa mostra também que todas as áreas pesquisadas tiveram alta em janeiro. A maior variação foi da região metropolitana de Salvador (1,08%), cujo resultado foi puxado pelos itens de higiene pessoal (4,57%) e pelas frutas (9,90%). Já o menor resultado ocorreu em Brasília (0,19%), influenciado pelas quedas nos preços da gasolina (-4,89%) e das passagens aéreas (-14,37%).

Mais sobre a pesquisa - O Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor (SNIPC) produz contínua e sistematicamente índices de preços ao consumidor. Com divulgação na internet iniciada em maio de 2000, o IPCA-15 difere do IPCA no período de coleta e na abrangência geográfica. Para o cálculo do índice de janeiro, os preços foram coletados entre 14 de dezembro e 13 de janeiro de 2022 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 13 de novembro a 13 de dezembro de 2021 (base).

Rendimentos - O IPCA-15 refere-se a famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, residentes nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia. Veja os resultados completos no Sidra. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Helena Pontes / Agência IBGE Notícias

inflacao quadro 26 01 2022

 

 

 

ECONOMIA I: Arrecadação federal soma R$ 1,87 trilhão e bate recorde em 2021

economia I 26 01 2022A recuperação da economia e os impostos sobre lucros e rendimentos garantiram arrecadação recorde em 2021. Segundo números divulgados nesta terça-feira (25/01) pela Receita Federal, o governo federal arrecadou R$ 1,879 trilhão no ano passado, crescimento de 17,36% em relação ao registrado em 2020, descontada a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Acima da previsão - O resultado veio levemente acima da previsão dos especialistas. Segundo o Prisma Fiscal, pesquisa mensal com analistas de mercado divulgada pelo Ministério da Economia, as instituições financeiras estimavam arrecadação de R$ 1,864 trilhão em 2021.

Crescimento - Depois de desacelerar em novembro, a arrecadação cresceu em dezembro, somou R$ 193,902 bilhões no mês. Isso representa alta de 10,76% em relação ao registrado em dezembro de 2020, também descontada a inflação. O montante também é recorde para o mês e foi influenciado pelo crescimento econômico e pelo aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), em vigor desde outubro.

Recolhimento extraordinário - Impulsionou a arrecadação no ano passado o recolhimento extraordinário de R$ 40 bilhões em Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e na Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) em 2021. Isso ocorreu porque as empresas tiveram lucros maiores que o previsto no ano passado e tiveram de pagar impostos extras nas declarações de ajuste.

Pandemia - Segundo o novo secretário especial da Receita Federal, Julio Cesar Vieira Gomes, o resultado de 2021 deve ser comemorado, porque a economia ainda está sob efeito da pandemia de covid-19. Ele afirmou que os dados preliminares de janeiro indicam a continuidade da retomada em 2022.

Expressivo - “O aumento da arrecadação em 2021 foi muito expressivo. Há muito o que comemorar, considerando que ainda estamos em meio a uma pandemia. Tivemos aumento expressivo em tributos sobre lucros e rendimentos das empresas e também no Imposto de Renda de pessoas físicas”, declarou Gomes.

Diferimentos - Outro fator que explicou a alta da arrecadação em 2021 foi a diminuição dos diferimentos (adiamentos de pagamentos de tributos) que vigorou em 2020. Isso reforçou o caixa do governo em R$ 19,7 bilhões em 2021. O aumento das alíquotas do IOF, que financiou o Auxílio Brasil no fim do ano passado, contribuiu com R$ 2,13 bilhões.

Desonerações e renúncias - Apesar do crescimento das receitas, as compensações tributárias (descontos em impostos pagos a mais anteriormente) cresceram em 2021. O fisco deixou de arrecadar R$ 216,31 bilhões em 2021, contra R$ 189,06 bilhões em 2020. A alta chegou a 14,41% em relação ao ano anterior, também descontando a inflação acumulada.

PIS/Cofins - A redução da alíquota do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) sobre os combustíveis reduziu a arrecadação em R$ 2,13 bilhões no ano passado. As desonerações concedidas pelo governo resultaram em renúncia fiscal de R$ 93,75 bilhões em 2021. O montante foi menor que os R$ 101,741 bilhões registrados em 2020. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

ECONOMIA II: OCDE formaliza convite para início da adesão do Brasil à organização

economia II 26 01 2022O governo brasileiro recebeu nesta terça-feira (25/01) a carta-convite do conselho da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que formaliza o início do processo de adesão do país ao grupo.

Anúncio - O anúncio foi feito durante declaração à imprensa, no Palácio do Planalto, que contou com a presença do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira; do ministro das Relações Exteriores, Carlos França; e do ministro da Economia, Paulo Guedes. O início do processo de adesão foi aprovado por unanimidade pelos embaixadores dos 37 países que compõem o grupo.  

Início - "O secretário-geral da OCDE, senhor Mathias Cormann, já enviou ao presidente da República a carta-convite que abre as portas, para o nosso país, do início das discussões orientadas à acessão do nosso país como membro pleno ao grupo das economias mais avançadas do mundo. A decisão reflete o compartilhamento, pelo nosso país, dos valores fundamentais da OCDE: a defesa da democracia, das liberdades, da economia de mercado, da proteção do meio ambiente, dos direitos humanos, sendo prioridade número um do nosso país e da organização", afirmou Ciro Nogueira.

Processo - Não há prazo definido para a conclusão do processo, mas ele deve demorar pelo menos mais uns três anos a partir de agora. Além do Brasil, a OCDE formalizou o mesmo convite a outros cinco países: Argentina, Peru, Romênia, Bulgária e Croácia.

Organização internacional - Criada em 1961, e com sede em Paris, a OCDE é uma organização internacional formada atualmente por 37 países, incluindo algumas das principais economias desenvolvidas do mundo, como Estados Unidos, Japão e países da União Europeia. É vista como um “clube dos ricos”, mas também tem entre seus membros economias emergentes latino-americanas, como México, Chile e Colômbia.

Interesse - O Brasil manifestou formalmente o interesse em tornar-se membro pleno da organização em 2017, durante o governo de Michel Temer. Desde então, tem buscado aderir mais rapidamente às normas da organização.

Adesão - Até agora, ao longo de mais de três décadas, o Brasil aderiu a 103 dos 251 instrumentos normativos da OCDE, sendo 37 desses dispositivos formalizados ao longo dos últimos três anos, durante o atual governo.

Benefícios - "A ideia de que nós podemos participar desse fórum que trará, a nós aqui, aderência às melhores práticas de governança, de combate à corrupção, de melhoria de políticas públicas e trará muitos benefícios à economia", destacou o chanceler Carlos França.

Unidade exclusiva - Segundo ele, o Itamaraty vai criar uma unidade exclusivamente dedicada às relações com a OCDE, com a formação de novos quadros na área de diplomacia econômica, além da formação de uma comissão de negociadores para tratar do processo de adesão de agora em diante.

Próximos passos - A próxima etapa do processo, depois da carta-convite, é a preparação de roteiros individuais de avaliação de cada um dos países candidatos, que devem confirmar sua adesão aos valores, à visão e às prioridades da organização, com destaque para temas como a defesa a democracia, o estado de direito e a proteção dos direitos humanos.

Reconhecimento - Para o ministro Paulo Guedes, a formalização do convite é um reconhecimento aos esforços do país no que ele chamou de modernização, como as reformas de liberalização econômica em discussão nos últimos anos.

Convergência - "Essa trilha, esse processo de acesso à OCDE, exige do Brasil justamente essa convergência na reforma tributária, na liberalização financeira, nos acordos internacionais de serviços. Tudo o que nós já estávamos fazendo. Então, é o reconhecimento, pela nossa agenda, e um reforço, um compromisso de seguirmos nessas reformas de modernização", disse. (Agência Brasil)

FOTO: Edu Andrade / Ascom-ME

 

CÂMBIO: Dólar cai para R$ 5,43, com fluxo estrangeiro para países emergentes

cambio 26 01 2022Na véspera da reunião do Banco Central norte-americano, o dólar caiu pela primeira vez após duas altas seguidas e voltou a aproximar-se de R$ 5,40, beneficiado pelo fluxo estrangeiro para países emergentes. A bolsa de valores teve forte valorização e encerrou no maior nível desde o fim de outubro.

Cotação - O dólar comercial encerrou a terça-feira (25/01) vendido a R$ 5,435, com recuo de R$ 0,068 (-1,24%). A cotação chegou a abrir em pequena alta, mas passou a cair após a abertura do mercado norte-americano.

Segundo menor nível - A divisa fechou no segundo menor nível do mês, só perdendo para o último dia 20, quando encerrou a R$ 5,417. A moeda norte-americana acumula queda de 2,52% em janeiro.

Ações - O dia também foi marcado por ganhos no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 110.204 pontos, com alta de 2,1%. O indicador está no maior nível desde 20 de outubro do ano passado.

Descolamento - A bolsa conseguiu descolar-se dos mercados norte-americanos, que fecharam em forte baixa na véspera da reunião do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano). Hoje houve migração de fluxo de capitais para países emergentes, em um dia de recuperação das turbulências de segunda-feira (24/01) por causa do agravamento das tensões entre Rússia e Ucrânia.

Juros - No encontro desta quarta-feira, (26/01) não está previsto que o Fed anuncie aumento dos juros norte-americanos, que estão no menor nível da história desde o início da pandemia de covid-19. A reunião, no entanto, fornecerá indicações se o Fed pretende começar a subir os juros em março e sobre o ritmo da retirada do programa de compra de títulos pelo Banco Central norte-americano.

Emergentes - Taxas mais altas em economias avançadas estimulam a fuga de recursos de países emergentes. Parte dos investidores, no entanto, começa a acreditar que o efeito da retirada dos estímulos monetários nos Estados Unidos já está precificado (incorporado aos preços dos ativos). (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

IBGE: Coleta de dados do Censo Demográfico 2022 começa em 1º de agosto

ibge 26 01 2022Com o orçamento do Censo Demográfico 2022 aprovado e sancionado na íntegra em R$ 2.292.957.087, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta terça-feira (25/01) que a coleta da pesquisa terá início no dia 1º de agosto. Antes prevista para 1º de junho, a data precisou ser ajustada em decorrência da troca, em novembro de 2021, da banca responsável pela organização do processo seletivo para contratação de 183.021 recenseadores e 23.870 agentes censitários.

Inscritos - As inscrições no processo seletivo, organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), se encerraram na sexta-feira (21/01) com mais de 1,1 milhão de inscritos. Para confirmar a participação, os candidatos devem pagar a taxa de inscrição até 16 de fevereiro.

Visitas - Os recenseadores contratados visitarão, entre agosto e outubro, os mais de 70 milhões de domicílios em todos os municípios do país. Eles trabalharão uniformizados, com boné e colete azuis com a logomarca do IBGE. No colete, haverá também o crachá de identificação, contendo a foto e os números de matrícula e identidade do entrevistador.

Registro - Para registro das informações, os recenseadores utilizarão o Dispositivo Móvel de Coleta, semelhante a um smartphone, na cor azul. A identidade dos entrevistadores do IBGE poderá ser verificada por meio do site Respondendo ao IBGE ou do telefone 0800 721 8181.

Segurança - Para garantir a segurança dos recenseadores e dos moradores, as equipes do IBGE seguirão protocolos sanitários de segurança contra a covid-19, como uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social.

Participação - Além da entrevista presencial no domicílio, a população poderá participar do Censo via internet ou telefone. Quem optar por responder pela internet contará com suporte da Central de Apoio à Coleta em caso de dúvida ou dificuldade de acesso ao questionário. (Agência Brasil)

FOTO: Tânia Rêgo / Agência Brasil

 

REGISTRATO: Correntistas resgatam R$ 900 mil esquecidos em bancos, segundo BC

registrato 26 01 2022Nos dois primeiros dias de funcionamento da nova funcionalidade do Registrato, correntistas resgataram R$ 900 mil esquecidos em bancos e instituições financeiras, informou nesta terça-feira (25/01) o Banco Central (BC).

Consultas e pedidos - Antes de o órgão tirar o sistema do ar por causa do grande volume de acessos, cerca de 79 mil pessoas consultaram a ferramenta, com 8,5 mil pedidos de devolução de recursos.

Aceitação - “O Sistema Valores a Receber (SVR) teve grande aceitação entre os cidadãos, gerando demanda muito superior à esperada. A despeito da instabilidade que essa demanda gerou no site, 79 mil cidadãos conseguiram consultar o SVR e 8,5 mil solicitações de devolução foram formalizadas, somando cerca de R$ 900 mil, os quais serão transferidos via Pix em até 12 dias úteis”, informou o BC em nota.

Total - Segundo o BC, atualmente existem R$ 8 bilhões esquecidos em instituições financeiras no Brasil. Desse total, até R$ 3,9 bilhões podem ser resgatados por até 28 milhões de pessoas e de empresas na primeira fase da ferramenta. Nos próximos meses, o serviço será ampliado para outras modalidades de saque.

Fora do ar - Um dia após o lançamento do serviço de consulta a valores esquecidos, o site do Banco Central saiu do ar durante a manhã por causa do excesso de demanda. Durante a tarde, o órgão tirou o sistema do ar, para tentar normalizar o acesso ao portal, que continua apresentando instabilidade.

Consultas - Sistema do BC que agora fornece um extrato de relacionamentos do cidadão com instituições financeiras, até então fornecia consultas apenas sobre dívidas (abertas ou liquidadas), abertura de contas bancárias (ativas ou inativas) e remessas de dinheiro ao exterior. Com o novo serviço, a ferramenta também fornecerá informações sobre valores a receber esquecidos em bancos.

Resgate - Para reaver os recursos, o cidadão poderá pedir o resgate de duas formas. A primeira será diretamente via Pix na conta indicada no Registrato, caso a instituição tenha aderido a um termo específico com o BC. Nos demais casos, o beneficiário informará os dados de contato no sistema, e a instituição financeira informará o meio de pagamento ou de transferência.

Primeira fase - Nesta primeira fase, podem ser devolvidos recursos de contas correntes ou poupanças encerradas e não sacadas, cobranças indevidas de tarifas ou de obrigações de crédito com termo de compromisso assinado com o BC e cotas de capital e rateio de sobras líquidas de associados de cooperativas de crédito e grupos de consórcio extintos.

Ampliação - Ao longo do ano, o BC pretende ampliar a consulta para a devolução de valores decorrentes de tarifas ou obrigações de crédito cobradas indevidamente não previstas em termo de compromisso, contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas e com saldo disponível, contas encerradas em corretoras e distribuidoras de títulos e de valores mobiliários e demais situações que resultem em valores a serem devolvidos reconhecidas pelas instituições financeiras.

Responsabilidade - Segundo o BC, os dados e os valores fornecidos no Registrato são de responsabilidade das próprias instituições financeiras. Em alguns casos, o saldo a receber pode ser de pequeno valor, mas o órgão orienta o cidadão a sacar o dinheiro que lhe pertence de forma simples e ágil, por meio do novo serviço. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

LEGISLATIVO: Eleição de outubro renovará um terço do Senado; confira as regras

legislativo 26 01 2022Em 2022, as eleições renovarão um terço do Senado — 27 senadores ou senadoras ao todo, um por unidade da Federação. O primeiro turno (único turno, no caso da eleição para o Senado) ocorrerá em 2 de outubro. O segundo turno (para presidente da República e governadores, se necessário) está marcado para 30 de outubro.

Prazos - Os prazos do calendário eleitoral aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já começaram a ser contados. Desde 1º de janeiro, por exemplo, há a obrigatoriedade de registro de pesquisas eleitorais e a limitação de despesas com publicidade dos órgãos públicos federais, estaduais ou municipais.

“Janela partidária” - No próximo dia 3 de março, será aberta uma data importante desse calendário, a chamada "janela partidária", período em que parlamentares eleitos pelo sistema proporcional (deputados estaduais, federais e vereadores) podem trocar de partido sem perder o mandato. A janela vai até 1º de abril. A regra não se aplica aos senadores e senadoras, por serem eleitos pelo sistema majoritário (em que o candidato ou candidata com maior número de votos é eleito).

Renúncia - No dia seguinte, 2 de abril, termina o prazo para que governadoras ou governadores de estados e prefeitas ou prefeitos que pretendam concorrer a outros cargos em 2022 renunciem a seus mandatos (a chamada desincompatibilização). Alguns detentores de cargos e categorias profissionais estão sujeitos a normas específicas de desincompatibilização, fruto de decisões proferidas pelo TSE que podem ser consultadas neste link. O dia 2 de abril também é a data limite para o registro, no TSE, dos estatutos dos partidos e das federações partidárias. A possibilidade da união de partidos em federações duradouras foi instituída pelo Congresso Nacional na reforma eleitoral de 2021.

Fake News - O combate às notícias falsas sobre as eleições vem se tornando uma questão mais relevante a cada pleito. No Congresso, será reinstalada em fevereiro a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, que deverá atuar para evitar a disseminação de notícias falsas no ano eleitoral. O colegiado deverá ser presidido pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA). Segundo ele, eventuais denúncias serão repassadas a órgãos como Polícia Federal, Ministério Público e Tribunal Superior Eleitoral.

Resolução - A Resolução 23.671 do TSE, de 14 de dezembro, que trata da propaganda eleitoral e das condutas ilícitas na campanha, veda expressamente "a divulgação ou compartilhamento de fatos sabidamente inverídicos ou gravemente descontextualizados que atinja a integridade do processo eleitoral" e prevê que a Justiça Eleitoral, "a requerimento do Ministério Público", determine "a cessação do ilícito, sem prejuízo da apuração de responsabilidade penal, abuso de poder e uso indevido dos meios de comunicação".

Diversidade - Outra novidade nesta eleição é a vigência da Emenda Constitucional 111, promulgada pelo Congresso Nacional em 28 de setembro passado. Ela incentiva as candidaturas de negros e mulheres nas eleições e muda a data da posse do presidente da República e dos governadores eleitos a partir de 2026. As datas das posses passarão de 1º de janeiro para 5 de 6 de janeiro, respectivamente.

Dobro - O artigo 2º da emenda estabelece que, para fins de cálculo dos valores distribuídos pelo fundo partidário e pelo Fundo Especial de Financiamento de Campanha, os votos dados a mulheres ou negros para a Câmara dos Deputados nas eleições realizadas de 2022 a 2030 serão contabilizados em dobro. (Agência Senado)

FOTO: Marcos Oliveira / Agência Senado

 

 

legislativo quadro 26 01 2022

 

SAÚDE I: Casos em acompanhamento mais do que dobram em uma semana

Os casos de covid-19 em acompanhamento mais que dobraram em uma semana. Segundo o Ministério da Saúde, há 1.761.197 casos da doença em acompanhamento no país. A expressão designa casos notificados nos últimos 14 dias em que os pacientes não tiveram alta, nem evoluíram para morte. Há uma semana, no dia 18, o total de pessoas nessa condição era menos da metade: 817.292 infectados.

Atualização - Divulgada diariamente, a atualização do Ministério da Saúde consolida informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de Saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Infectados - Com o avanço da doença puxado pela variante Ômicron, o Brasil chegou a 23.311.317 de infectados pelo coronavírus desde o início da pandemia. Novos diagnósticos confirmados de segunda para terça-feira (24 e 25/01) foram 183.722. Na segunda, o painel de informações da pandemia marcava 24.127.595 casos acumulados.

Mortes - Já o número de pessoas que morreram por complicações da covid-19 chegou a 623.843. Em 24 horas, foram registradas 487 mortes. Na segunda, o sistema de informações registrava 623.356 óbitos em decorrência da doença.

Investigação - Ainda há 3.110 óbitos em investigação, porque a definição da causa da morte demanda exames e procedimentos posteriores. Até o momento, 21.926.277 pessoas se recuperaram da covid-19, o que corresponde a 90,2% dos infectados desde o início da pandemia.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, o estado que registra mais mortes por covid-19 é São Paulo (156.778), seguido por Rio de Janeiro (69.700), Minas Gerais (56.976), Paraná (41.034) e Rio Grande do Sul (36.692).

Menos - Os estados com menos óbitos resultantes da doença são Acre (1.857), Amapá (2.041), Roraima (2.086), Tocantins (3.986) e Sergipe (6.077).

Vacinação - Até esta terça-feira (25/01), foram aplicados 348,7 milhões de doses de vacinas contra covid-19 no Brasil. Receberam a primeira dose 163,2 milhões de pessoas. A segunda, ou a dose única, foi aplicada em 150,5 milhões de pessoas e a dose de reforço, a 33,9 milhões. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2022-01-25 at 20.29.35 1

 

whatsapp image 2022-01-25 at 20.29.35

 

 

 

SAÚDE II: Boletim da Covid-19 confirma mais 23.771 casos e 29 óbitos pela doença

saude II 26 01 2022A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (25/01) mais 23.771 casos confirmados e 29 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os casos não necessariamente representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.838.152 casos confirmados e 40.809 mortos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (23.678) de 2022; dezembro (6), novembro (8), outubro (4), setembro (2), agosto (4), julho (4), junho (17), maio (3), abril (2), março (5), fevereiro (6) e janeiro (6) de 2021; e dezembro (4), novembro (2), outubro (4), setembro (3), agosto (2), julho (8), junho (2) e abril (1) de 2020. Os óbitos divulgados nesta data são de janeiro (27) de 2022; e outubro (1) e março (1) de 2021.

Monitoramento - A Sesa está monitorando a situação epidemiológica do Paraná e o crescimento no número de casos diários.

Medidas de prevenção - A secretaria reforça que as medidas de prevenção, como uso de máscaras, lavagem das mãos e uso do álcool em gel permanecem sendo necessárias, juntamente com a continuidade da vacinação contra a Covid-19.

Internados - 115 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados em leitos SUS (38 em UTI e 77 em leitos clínicos/enfermaria) e nenhum em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 1.099 pacientes internados, 397 em leitos UTI e 702 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais 29 pacientes. São 12 mulheres e 17 homens, com idades que variam entre 32 e 98 anos. Os óbitos ocorreram entre 20 de março de 2021 a 25 de janeiro de 2022.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (3), Paulo Frontin (2), Londrina (2), Foz do Iguaçu (2) e Dois Vizinhos (2).

Uma morte - A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Renascença, Quatiguá, Planalto, Piraquara, Pinhalão, Paranaguá, Novo Itacolomi, Nova Aurora, Maringá, Mamborê, Loanda, Jataizinho, Ibiporã, Guaratuba, Guarapuava, Florestópolis, Colorado e Cambé.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 8.957 casos de residentes de fora do Estado, 225 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI.

 

SAÚDE III: Vacinas pediátricas chegam ao Paraná e serão distribuídas nesta quarta-feira

saude III 26 01 2022A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) recebeu nesta terça-feira (25/01) 213.480 vacinas contra a Covid-19 exclusivas para crianças e adolescentes. Do quantitativo total, 118.280 são vacinas da CoronaVac destinadas para a faixa etária de 6 a 17 anos (não imunocomprometidos) e 95.200 são doses da Pfizer/BioNTech para crianças de 5 a 11 anos.

Distribuição - Os voos que trouxeram os imunizantes pousaram no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, às 21h15 e às 23h10. Assim que chegaram foram para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), onde serão conferidos e armazenados. A distribuição para as Regionais de Saúde será nesta quarta-feira (26/01).

Primeira remessa - Essa é a primeira remessa da vacina CoronaVac que o Paraná recebe para a imunização do público infantil. Anteriormente, apenas a vacina pediátrica da Pfizer estava autorizada a ser aplicada nos jovens e crianças. Somente em 21 de janeiro o imunizante foi incluído no Programa Nacional de Imunizações (PNI). Uma das diferenças entre os dois é a idade recomendada.

Mudança - “Tivemos essa mudança da faixa etária. Enquanto a Pfizer se inicia aos 5 anos de idade, a CoronaVac é aos 6 anos, se estendo até aos 17, desde que não sejam imunocomprometidos. Ainda hoje, nesta quarta, essas doses chegarão aos municípios”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Vacinação - O Paraná já aplicou 9,1 milhões de primeiras doses e 8,3 milhões de pessoas já estão com o ciclo completo. 1,9 milhão de pessoas já tomaram a dose de reforço. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Danilo Salviato / Sesa

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO:

Paraná recebe mais 124 mil doses de reforço contra a Covid-19 nesta quarta-feira

 

SAÚDE IV: ANS divulga edição de janeiro do Boletim Covid-19

saude VI 26 01 2022A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou, nesta terça-feira (25/01), a edição de janeiro do Boletim Covid-19, com dados sobre o comportamento do setor de planos de saúde durante a pandemia de Covid-19. A edição traz dados atualizados até dezembro de 2021, encerrando o calendário anual do informe.

Beneficiários - O número de beneficiários se aproxima da marca de 49 milhões, o que confirma o interesse dos brasileiros no acesso à saúde suplementar. A taxa de ocupação de leitos destinados para atendimento aos casos de Covid-19, que apontava queda contínua entre junho e outubro de 2021, mostrou pequeno aumento nos últimos dois meses do ano.

Sinistralidade e inadimplência - As informações econômico-financeiras apresentam a sinistralidade no período e a inadimplência. Quanto às demandas dos consumidores, observa-se mais uma redução de reclamações relacionadas à Covid-19.

Monitoramento - O objetivo do Boletim Covid-19 é monitorar a evolução de indicadores relevantes do setor de planos de saúde nesse período, subsidiando análise qualificada da agência reguladora e prestando mais informações à sociedade.

Clique aqui para acessar a edição de janeiro do Boletim Covid-19 – Saúde Suplementar.

Evolução de beneficiários - O número preliminar de beneficiários em planos de assistência médica relativo a dezembro segue a tendência de crescimento observada desde julho de 2020. O total de 48.995.883 beneficiários representa aumento de 0,58% em relação a novembro. A taxa de adesão (entradas), considerando todos os tipos de contratações, é superior à taxa de cancelamento (saídas) nos planos médicos hospitalares. O tipo de contratação responsável por esta superioridade é o coletivo empresarial que se mantém, desde julho de 2020, com mais entradas do que saídas de beneficiários.

Variação positiva - Considerando o tipo de contratação do plano e a faixa etária do beneficiário, observa-se que a variação foi positiva para os beneficiários acima de 59 anos em todos os tipos de contratação ao longo dos meses de março de 2020 até dezembro de 2021.

Informações assistenciais - A proporção de leitos destinados para atendimento à Covid-19 nos hospitais da amostra de operadoras segue a tendência de queda que vem se observando desde abril de 2021, atingindo 8%. A taxa mensal geral de ocupação de leitos, que engloba tanto atendimento à Covid-19 como demais procedimentos, ficou em 72% em dezembro, cinco pontos percentuais acima do patamar observado em dezembro de 2019 (pré-pandemia).

Oscilação - A ocupação de leitos comuns e de UTI para casos de Covid-19 sofreu queda significativa de junho a outubro de 2021, mas indicou leve aumento em novembro e dezembro de 2021, atingindo 43% no último mês do ano.

Demais procedimentos - Já a ocupação de leitos para atendimento a demais procedimentos mantém tendência de estabilidade que vem sendo observada desde março de 2021, tendo ficado em 74% no mês de dezembro.

Exames e terapias - A busca por exames e terapias ficou 16,8% acima do patamar verificado em dezembro de 2019. Tal acréscimo pode estar refletindo o aumento da procura por exames de diagnóstico relacionados à alta de casos de síndrome gripal em algumas regiões do País, além de refletir o retorno da busca por atendimentos eletivos não realizados ao longo da pandemia de Covid-19.

Influenza e Ômicron - De maneira geral, as variações nos indicadores apresentados parecem também refletir o aumento dos casos de influenza e de Covid-19 (impulsionados pelas variantes H3N2 e Ômicron, respectivamente), no Brasil, no fim de 2021.

Detecção de Covid-19 - Dos dados sobre realização de exames de detecção de Covid-19, destaca-se que, tanto o número de exames de RT-PCR como os exames de pesquisa de anticorpos, seguem em queda no mês de outubro de 2021. Na comparação com o mesmo período de 2020, houve redução de 34% nos exames de RT-PCR e 87% para as pesquisas de anticorpos realizadas no setor.

Informações econômico-financeiras - No encerramento de 2021, tanto o 3º quanto o 4º trimestre apresentam sinistralidade (despesas/receitas assistenciais) no mesmo patamar dos dois últimos trimestres de 2019 (período pré-pandemia), com leve aumento de um ponto percentual de novembro para dezembro do último ano.

Taxa anual - Vale destacar que a taxa de sinistralidade anual em 2021 foi de 78%, sendo inferior à de 2019 (81%). Ao comparar 2019 com 2021, observam-se mais operadoras com sinistralidade abaixo de 80% (47% x 54%), e menos operadoras com sinistralidade maior que 100% (8% x 7%). Em variadas óticas (seja avaliando a sinistralidade através da mediana ou do agregado, seja analisando a diferença entre receitas e despesas no agregado ou por beneficiário), se comparado com ano pré-pandemia, o saldo é positivo para as operadoras da amostra no acumulado de 2 anos de pandemia. A ANS permanecerá monitorando a evolução desses dados no setor.

Fluxo de caixa - Os dados de fluxo de caixa das operadoras não devem ser confundidos com o índice de sinistralidade contábil (divulgado na publicação Prisma Econômico-Financeiro da Saúde Suplementar da ANS), mensurado por competência e que segue metodologia própria, usado para o cálculo do reajuste de planos individuais/familiares fixado pela ANS. As informações de fluxo de caixa, por sua agilidade de coleta, são as adequadas para o célere monitoramento dos efeitos da pandemia.

Estabilidade - Em dezembro de 2021, observou-se estabilidade no percentual de inadimplência de planos com preço preestabelecido se comparado com o mês anterior, assim como nos percentuais de inadimplência para planos coletivos. Já para os planos individuais/familiares, percebe-se aumento de dois pontos percentuais na comparação com novembro. Todos esses valores, porém, mantiveram-se próximos aos seus patamares históricos.

Demandas dos consumidores - Os dados de dezembro de 2021 mostram que houve redução de 14,6%, em comparação ao mês anterior, e um aumento de 39,1%, em comparação a dezembro de 2020, no total de reclamações que foram passíveis de intermediação pelo instrumento da Notificação de Intermediação Preliminar (NIP). Quanto às demandas relacionadas à Covid-19, houve redução novamente. Em dezembro de 2021, a ANS registrou 307 reclamações sobre o tema, o menor número de queixas desde março de 2020. Do total de queixas relacionadas ao coronavírus, 48% dizem respeito a dificuldades relativas à realização de exames e tratamento para a doença. A intermediação de conflitos feita pela ANS, entre consumidores e operadoras, tem resolvido mais de 90% dessas reclamações.

Portal - No portal da reguladora, é possível acessar o monitoramento diário das demandas sobre Covid-19.

Consulte o monitoramento diário das demandas sobre Covid-19.

Sobre os dados - Para a análise dos indicadores assistenciais, a ANS considerou informações coletadas em uma amostra de 48 operadoras que possuem rede própria hospitalar. Para os índices econômico-financeiros, foram analisados dados de 104 operadoras para o estudo de fluxo de caixa e análise de inadimplência. Juntas, as operadoras respondentes para esses grupos de informação compreendem 73% dos beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares. Adicionalmente, na construção do boletim, foram utilizados dados do Documento de Informações Periódicas (DIOPS), do Sistema de Informações de Fiscalização (SIF) e o Sistema de Informação de Beneficiários (SIB). (ANS)

Confira as outras edições do Boletim Covid-19.

 

SAÚDE V: Mais 134 casos e sete óbitos pela H3N2 são confirmados no Paraná

saude gripe 26 01 2022Mais 134 casos e sete óbitos em decorrência da H3N2 foram confirmados pela Secretaria estadual da Saúde no Paraná As informações foram extraídas nesta terça-feira (25/01) no Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL).

Influenza - A doença é um tipo do vírus da Gripe Influenza A e desde dezembro já registrou 1.650 casos e 55 mortes em 212 municípios do Estado. Os novos óbitos foram registrados em Curitiba (2), Faxinal (1), Londrina (1), Nova Laranjeiras (1) e Ponta Grossa (2). Eles ocorreram entre os dias 5 e 23 de janeiro deste ano. As mortes referem-se a quatro homens e três mulheres com idades de 34 a 89 anos.

Trinta vezes mais - “Conseguimos esses dados semanalmente após investigação epidemiológica e sabemos que os números não representam a realidade. Devemos ter aproximadamente trinta vezes mais diagnósticos de gripe no Paraná do que temos registrado até agora”, afirma o secretário da Saúde, Beto Preto

Epidemia - No último dia 12, o Paraná declarou estado de epidemia de H3N2, considerando o rápido contágio, direto ou indireto da doença. Normalmente o vírus da gripe circula durante os períodos mais frios, porém, este ano a infecção pela doença aumentou no verão, de maneira atípica.

Cuidados - “O vírus não escolhe idade ou um grupo. Temos registros de pessoas contaminadas de todos os perfis e óbitos de 19 a 100 anos. Mais do que nunca os cuidados como uso de máscaras, lavagem das mãos e principalmente a vacinação, são indispensáveis”, alerta o secretário. (Agência de Notícias do Paraná)

 Confira os dados por município  (tabela de Excel).

FOTO: Pixabay

 

SAÚDE VI: Informe da dengue registra 49 novos casos da doença no Paraná

saude IV 26 01 2022O boletim semanal da dengue publicado nesta terça-feira (25/01) pela Secretaria de Estado da Saúde registra aproximadamente 16 mil casos suspeitos, com 722 confirmações. São 49 casos a mais que o informe anterior. Os dados são do 22º Informe Epidemiológico, do novo período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e deve seguir até julho de 2022.

Notificações - Até o momento, 308 municípios registraram notificações de dengue. Destes, 119 confirmaram a doença, sendo 84 com casos autóctones, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência. Há ainda 2.620 casos em investigação e nenhum registro de óbito neste período.

Descartados - Mais de 11 mil casos foram descartados desde o início do período de análise, entre 15,9 mi notificações. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI.

FOTO: Pixabay

 


Versão para impressão


RODAPE