Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5249 | 31 de Janeiro de 2022

DATA PROTECTION + COOP: Evento debate os avanços e desafios da proteção de dados no Brasil

 

O processo de transformação digital, que se intensificou durante a pandemia, ampliou a necessidade de proteção de dados às empresas e cooperativas. Para debater o tema, o Sistema Ocepar promoveu, na manhã de sexta-feira (28/01), a primeira edição do Data Protection + Coop. Em formato virtual, o evento reuniu cerca de 400 participantes, profissionais de cooperativas e de entidades representativas do setor. O encontro aconteceu no Dia Internacional da Proteção de Dados, e a ideia da organização foi discutir o tema justamente na data criada para reforçar a importância do cuidado e observância de direitos fundamentais de liberdade e privacidade relacionados ao uso de dados pessoais. No Brasil, este é o segundo ano que o Dia Internacional pode ser comemorado em plena vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e a atuação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

 

Transformação - O evento foi aberto pelo superintendente do Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo), Leonardo Boesche, que reforçou a importância do tema em um contexto de transformação digital. “A maneira como trabalhávamos antes da pandemia foi impactada e hoje atuamos muito mais conectados e com maior produtividade, por meio das plataformas digitais. Vivenciamos uma mudança na realidade do trabalho, porém, como contraponto ao desenvolvimento, aumentam as preocupações com a adequada proteção de dados, tanto de informações pessoais quanto das empresas e cooperativas. Por isso a necessidade de conhecer a legislação, manter-nos atualizados e preparados”, afirmou. “Estamos lançando também um curso EAD para a difusão deste assunto, que consideramos prioritário, junto ao público cooperativista”, completou. Os advogados do Sistema Ocepar, Daniely Andressa da Silva, Marlon Tecchio Dreher, Thaine Gabrieli Czelusniak e Josiane Soares da Luz atuaram na organização e acompanharam a programação do Data Protection.

 

Palestra e cases - O Data Protection + Coop iniciou com a palestra “Análise transversal sobre o processo de fiscalização e processo administrativo sancionador no âmbito da ANPD”, com os advogados Luciano Benetti Timm e Matheus Noronha Sturari. Na sequência, o diretor-presidente da Unimed Norte Pioneiro, Antônio Vendramin Filho, e a advogada e encarregada de Dados e Responsável pelo Programa de Integridade na Frísia Cooperativa Agroindustrial, Marta Auer, fizeram relatos sobre o processo de implantação e adequação das cooperativas à LGPD. Na próxima edição da Revista Paraná Cooperativo, os leitores poderão acompanhar a cobertura completa das palestras e debates do Data Protection + Coop.

 

Democracia - Segundo Luciano Benetti Timm, que é professor da Fundação Getulio Vargas (FGV-SP), com pós-doutorado pela Universidade da Califórnia (EUA), vivenciamos a era do novo capitalismo, no qual a evolução acontece por meio de rupturas tecnológicas. Nesse contexto, as empresas mais valiosas da atualidade são àquelas que atuam com dados. “Grandes empresas prosperam por meio do marketing, a partir das informações que nós mesmos oferecemos. Os dados valem muito, são ‘pegadas’ disponíveis na internet, que podem ser obtidas e negociadas pelas empresas. Com a pesquisa do que nos atrai, estas empresas podem nos ‘prender’ por mais tempo em suas plataformas, monetizando nossa atenção. Por isso, é preciso regular o uso e proteger os dados dos indivíduos e das organizações, dentro do espírito da democracia, para que não sejamos manipulados”, disse.  

 

{vsig}2022/noticias/01/31/data_protection/{/vsig}

 

JUBILEU DE OURO: Último episódio da série Ocepar 50 anos foi exibido no domingo

 

jubileu 31 01 2021A última reportagem da série especial sobre os 50 anos da Ocepar, exibida pelo programa RIC Rural, na TV Ric/Record, foi ao ar neste domingo (30/01). O programa, apresentado pelos jornalistas Rose Machado e Sérgio Medes e com produção de Rogério Recco, trouxe uma reportagem especial o trabalho desenvolvido pelas cooperativas Integrada, Cocamar e Coamo. Esta série foi ao ar com o patrocínio da Central Sicredi PR/SP/RJ.

 

Representatividade Foram entrevistados os presidentes Jorge Hashimoto, da Integrada, José Aroldo Gallassini, da Coamo, Luiz Lourenço, da Cocamar e José Roberto Ricken, do Sistema Ocepar. Hashimoto, Gallassini e Lourenço também são diretores da Ocepar. Para Luiz Lourenço, a Ocepar é uma entidade representativa, “ela organiza as cooperativas no estado. Ao longo dos anos teve ótimos presidentes, pessoas muito capacitadas. A entidade Ocepar hoje é dirigida por um grupo enorme de pessoas bem-preparadas”.

 

OCB - O dirigente destaca também que o trabalho fundamental da Ocepar é a representação política, junto ao Executivo, Legislativo de Judiciário. “Todo este trabalho é feito em Brasília, em parceria com a OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), na defesa dos interesses do cooperativismo. A Ocepar produz muitos estudos que subsidiam as cooperativas em suas pautas, tem credibilidade diante das autoridades, portanto ela é fundamental para o desenvolvimento do cooperativismo”, frisou.

 

A série - Em oito episódios, o objetivo da série foi mostrar o trabalho realizado pela Ocepar, que completou cinco décadas no dia 2 de abril deste ano, e a realidade do cooperativismo nas diferentes regiões do estado. As matérias especiais começaram a ser veiculadas no dia 24 de maio, com uma reportagem especial exibida por mês.

 

Link –Para assistir na íntegra todos os episódios da série Ocepar 50 anos, clique nos links abaixo:

EPISÓDIO 01https://www.youtube.com/watch?v=dmiNZSlt7AE

EPISÓDIO 02 - https://www.youtube.com/watch?v=rYgtVfSsPJY

EPISÓDIO 03 - https://youtu.be/YabkzcHMBNU

EPISÓDIO 04 - https://youtu.be/0QDmqfu_nzQ

EPISÓDIO 05 - PARTE 01 - https://www.youtube.com/watch?v=ltcoB73NeqQ

PARTE 02 - https://www.youtube.com/watch?v=s23utVE6nY0

EPISÓDIO 06 –https://youtu.be/2e89CkG9tSI

EPISÓDIO 07 - https://youtu.be/D4wHlvExCh8

EPISÓDIO 08 - https://youtu.be/LxMZVYySuwg

 

 

COPACOL: Faturamento da cooperativa cresce 38% cooperando com oportunidades

 

O faturamento da Copacol chegou a R$ 7,9 bilhões ano passado, mesmo com as adversidades enfrentadas devido aos efeitos do clima e os impactos da Covid-19. O crescimento é de 38%, o maior dos últimos cinco anos.

 

Recorde - O resultado foi apresentado em AGO (Assembleia Geral Ordinária) na sexta-feira (28/01), que contou com parecer favorável do Conselho Fiscal e da auditoria externa da KMPG. “Atingimos um faturamento recorde, com grande evolução em nossas atividades. Os desafios são intensos a partir de agora, assim como as oportunidades para atingirmos os nossos objetivos. Com coragem, determinação e preparo vamos superar as barreiras que possam existir. Sabemos da nossa missão em gerar oportunidades no campo, proporcionando desenvolvimento para todos”, afirma o diretor-presidente, Valter Pitol.

 

Cooperados - Com uma área de 250 mil hectares nas regiões Oeste e Sudoeste, a cooperativa possui 6,7 mil cooperados que investem continuamente na produção de grãos, aves, suínos, peixes e leite. São 16 mil colaboradores que atuam em 21 Unidades de Grãos, Insumos e Sementes, quatro Unidades Industriais, além de matrizeiros, fábricas de rações e sede administrativa. Com a conquista do consumidor no mercado externo, a qualidade Copacol chega a 76 países. As exportações ano passado atingiram 476,2 milhões de dólares, aumento de 16,6%.

 

Movimentação - Em 2021, a cooperativa movimentou mais de R$ 2 bilhões em serviços e aquisição de materiais de 4.097 fornecedores, movimentando a economia. O volume de impostos pagos teve acréscimo de 28%, chegando a R$ 291 milhões – recurso que acaba revertido em benefício da comunidade onde a Cooperativa está inserida. “Buscamos a excelência dos nossos produtos e desta forma proporcionamos benefícios aos nossos cooperados, colaboradores e também à comunidade. Esperamos evoluir ainda mais e continuar gerando oportunidades por meio do cooperativismo”, afirma Pitol.

 

Sobras, complementações e juros- Com o encerramento do balanço financeiro de 2021, a Cooperativa definiu o total em sobras, complementações e juros de capital: R$ 134,9 milhões, elevação de 12% em comparação ao exercício anterior – valor antecipado em dezembro aos cooperados, que receberão ao todo: R$ 2,70 por saca de soja, R$ 15 por saca de café, R$ 1,30 por saca de trigo, R$ 1,30 por saca de milho. Os adeptos ao Programa Selo Social têm um acréscimo de R$ 1,50 por saca de soja. Insumos 3,5% sobre o faturamento e mercado/rações 4%. Nas integrações os repasses ficaram assim: R$ 1,12 por ave, R$ 0,0313 por ovo, R$ 0,0265 por juvenil, R$ 0,3463 por quilo de peixe, R$ 72 por suíno, R$ 59 por leitão e R$ 0,10 pelo litro do leite.

 

Pagamentos - Os pagamentos começam na próxima quarta-feira (02/02), por meio de depósitos nas contas dos cooperados, com o propósito de evitar aglomeração. Quem precisar ir até à Cooperativa, deve utilizar máscara e respeitar o protocolo de prevenção a Covid-19.

 

Novo Conselho- O novo Conselho Fiscal para 2022 ficou assim constituído: Célio Baldussi, Osni Oenning e Alex Bini Ferreira (efetivos); Leonardo Deliberaes, Rogério Effting e Sebastião Tunes (suplentes). (Imprensa Copacol)

 

{vsig}2022/noticias/01/31/copacol/{/vsig}

LAR: Cooperativa realiza assembleia e apresenta crescimento de 57%

 

Em formato semipresencial, a Lar Cooperativa realizou a sua Assembleia Geral Ordinária na sexta-feira (28/01) no Lar Centro de Eventos em Medianeira (PR). Na oportunidade 400 pessoas participaram de maneira presencial e os demais pela plataforma Zoom e Youtube, para preservar a saúde de todos devido ao aumento dos casos da Covid-19. Durante a assembleia foram apresentados números surpreendentes referentes ao ano de 2021: o faturamento bruto superou os R$ 17 bilhões, e o resultado líquido foi de R$ 823,7 milhões.

 

Desenvolvimento - Apesar de todos os desafios enfrentados em 2021, com aumentos significativos nos custos de produção, a Lar cresceu muito nos últimos dois anos. “Pra nós o que conta é uma Cooperativa muito mais estruturada, para atender melhor os seus associados e ajudar a região a se desenvolver mais, socialmente inclusive”, afirmou o diretor-presidente Irineo da Costa Rodrigues. A Cooperativa encerrou 2021 com 12.352 associados e 24.090 funcionários, seguindo como a cooperativa singular que mais gera empregos no Brasil.

 

Desempenho -Os principais números alcançados foram: recepção de 2,5 milhões de toneladas de soja, crescimento de 53% na avicultura com mais de 275 milhões de aves abatidas durante o ano e produção de mais de 945 mil leitões. Em seu relatório referente ao ano de 2021 a Lar Cooperativa também mencionou as principais ações de responsabilidade social, ambiental, inovação e conhecimento, com muita capacitação para associados e funcionários através da Lar Universidade Corporativa.

 

Planejamento 2022 -De acordo com o diretor-presidente, para 2022 a Cooperativa pretende completar muitos projetos que estão andamento, como é o caso do Complexo Bom Jesus em Medianeira, no qual a primeira indústria de rações será concluída neste ano. Irineo da Costa Rodrigues mencionou as novas atividades que serão fortalecidas no decorrer do ano: a Lar Máquinas Agrícolas e Lar Credi. “A Lar é inquieta e está sempre buscando trabalhar melhor” relatou o dirigente ao mencionar que a inovação é uma constante.

 

Resultado compartilhado -As sobras à disposição dos associados somam mais de R$ 70 milhões e serão pagas a partir do dia 08 de fevereiro, na mesma data a Lar também pagará a bonificação de insumos agrícolas, que serão outros R$ 9,4 milhões. A participação dos resultados aos funcionários referente ao desempenho do ano de 2021 já foi paga em janeiro com um décimo quarto salário integral.

 

Homenagem -Como de costume, este ano foi prestada homenagem a 13 funcionários pela trajetória profissional dedicada à Cooperativa. Profissionais que completaram 25, 35 e 43 anos na Lar tiveram seu trabalho reconhecido.

 

Presenças - A assembleia da Lar foi prestigiada de maneira virtual pelo presidente da Ocepar, José Roberto Ricken, e também pelo presidente da Coopavel Dilvo Grolli. Presencialmente estava o prefeito de Medianeira, Antônio França e o diretor executivo da Frimesa, Elias Zydek. (Imprensa Lar)

 

{vsig}2022/noticias/01/31/lar/{/vsig}

C.VALE: Cooperativa amplia sobras aos associados em 40%

 

Num momento em que boa parte dos produtores rurais faz os cálculos sobre o tamanho da quebra da safra de soja pela estiagem, a C.Vale vai repassar R$ 129,5 milhões em sobras, juros e devolução de capital a seus associados. O valor é quase 40% maior que o distribuído no início de 2021. Para quem teve as plantações afetadas pela seca, os recursos vão ajudar na cobertura das despesas da colheita e na implantação das lavouras de milho safrinha.

 

Assembleia - O pagamento das sobras foi aprovado em assembleia, com público reduzido devido à pandemia de coronavírus, no dia 28 de janeiro. O presidente da C.Vale, Alfredo Lang, explicou aos associados presentes na Asfuca de Palotina (PR) que a alta das cotações do dólar deu grande contribuição à rentabilidade dos negócios e também favoreceu o crescimento do faturamento em 2021. A receita total da cooperativa alcançou R$ 17,44 bilhões, uma alta de 42,21% sobre 2020.

 

Desempenho - O bom desempenho da C.Vale também foi puxado pela elevação de 15,67% no recebimento de soja em 2021, que acabou compensando a redução do volume de milho causada por estiagem e geadas no ano passado. No total, a cooperativa recebeu 4,7 milhões de toneladas de produtos, o equivalente a 78,5 milhões de sacas de 60 quilos. As indústrias responderam por quase 25% do faturamento total da C.Vale, com receitas de R$ 4,29 bilhões. No segmento frango, a cooperativa exportou 66,76% das 378 mil toneladas de carne produzidas em 2021.

 

Solidez - Lang disse que “os bons resultados dão segurança aos cooperados para negociar com uma empresa sólida e garantem à cooperativa a sustentação de que ela precisa para novos investimentos”. Ele lembrou que, no ano passado, a C.Vale incorporou a Cooatol, de Toledo (PR), e deu início às obras da indústria esmagadora de soja, um investimento superior a R$ 650 milhões que deverá entrar em operação até o final de 2023. Para Lang, o ano de 2022 exigirá grandes doses de cautela e planejamento tanto para a cooperativa quanto para os produtores devido ao alto custo dos insumos e às quebras de safra. (Imprensa C.Vale)

 

{vsig}2022/noticias/01/31/cvale/{/vsig}

COOPAVEL I: Evento lança no Show Rural guia de qualidade da farinha de trigo

 

coopavel I 31 01 2022Um guia de qualidade da farinha de trigo vai ser oficialmente lançado durante a 34ª edição do Show Rural Coopavel, agendada para o período de 7 a 11 de fevereiro, em Cascavel, no Oeste do Paraná. A cerimônia de lançamento está marcada para às 15h da terça-feira (08/02), no auditório da Casa Paraná Cooperativo. O guia é parceria da Abitrigo (Associação Brasileira da Indústria do Trigo) e da Biotrigo Genética.

 

Autoridades do setor- O evento, que vai debater também as principais questões do trigo na atualidade paranaense e brasileira, contará com a presença de autoridades do setor. Estão confirmados Eduardo Assêncio, superintendente, e Silvio César Souza, relações institucionais da Abitrigo, o presidente e a vice-presidente do Sinditrigo-Paraná (Sindicato da Indústria do Trigo do Estado do Paraná), Daniel Kümmel e Paloma Venturelli, o gerente comercial América Latina, Fernando Wagner, e o gerente Regional Norte, Bruno Alves, da Biotrigo.

 

Convidado - Um dos convidados para falar durante o encontro é o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli. Dilvo é um entusiasta da cultura e em setembro do ano passado, durante o 2º Show Rural de Inverno, a cooperativa lançou um programa especial para incentivar a triticultura na área de abrangência da Coopavel, em 23 municípios do Oeste e Sudoeste do Paraná. Considerado o maior programa de estímulo ao trigo do Brasil, o programa oferece condições especiais aos produtores rurais.

 

Inéditos - O Coopavel Mais Trigo tem três pilares principais e inéditos: financiamento de insumos com taxa zero, seguro da safra e garantia de preço mínimo de R$ 100 à saca para 2022. A margem de lucro do triticultor será de 60%. “Não existe nada parecido com isso no Brasil”, afirma Dilvo Grolli. Com essas ações, que serão ajustadas a cada ano/safra, a Coopavel pretende ampliar a área cultivada em sua região de abrangência e dobrar a recepção do grão. Atualmente, ela recebe 3,5 milhões de sacas de trigo por ano e a meta para 2026 é de chegar a 7 milhões. (Imprensa Coopavel)

 

COOPAVEL II: Últimas vagas para quem quer trabalhar no Show Rural

 

coopavel II 31 01 2022A Coopavel informa que ainda há algumas vagas em aberto a pessoas que queiram trabalhar na 34ª edição do Show Rural Coopavel, que será realizado de 7 a 11 de fevereiro. “Essa é uma oportunidade de ocupação, renda e também de incremento do currículo, porque o Show Rural é um dos maiores eventos do mundo em tecnologias para o agronegócio e a experiência conta a favor do colaborador”, diz o gerente de Recursos Humanos da cooperativa, Aguinel Waclawovsky.

 

Funções - As vagas remanescentes são para as seguintes funções: auxiliar de restaurante, auxiliar de estacionamento e auxiliar de limpeza. Os contratos temporários são para períodos de 5 a 20 dias. Para algumas tarefas, a Coopavel contratou mensalistas. Os profissionais recrutados receberão remuneração pelos dias trabalhados e outros benefícios, como vales-transporte e refeição. A Coopavel terá, no auge do evento, mais de mil profissionais entre funcionários, terceirizados e temporários trabalhando no Show Rural.

 

Recrutamento - As inscrições são feitas na Agência do Trabalhador de Cascavel, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h, no próprio no Show Rural (na BR-277, km 577, saída para Curitiba), diariamente das 8h às 18h. Elas ainda podem ser feitas eletronicamente, pela internet, nos seguintes endereços www.showrural.com.br (link Trabalhe Conosco), no Facebook pelo www.facebook/vagascoopavel e no Linkedin no likedin.com/company/coopavel. Lá, é preciso preencher questionário. Os candidatos também passam por entrevista.

 

Documentos - Os documentos necessários para se cadastrar às vagas remanescentes são os seguintes:

1 cópia – Identidade (RG) – frente e verso

1 cópia – CPF (Regular) – frente e verso

1 cópia – Comprovante de residência (atualizado)

1 cópia – Número do PIS

1 cópia – Carteira de Trabalho (primeira página frente e verso)

1 cópia – Cartão Vale SIM frente /verso (residentes de Cascavel)

1 foto 3 x 4 recente

(Imprensa Coopavel)

 

 

 

BRDE: No Paraná, agronegócio representa 60% das contratações do banco

 

brde 31 01 2022O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) financiou nos últimos três anos aproximadamente R$ 1 bilhão em investimentos na produção agropecuária paranaense. O agronegócio, que inclui agroindústrias e outras empresas do setor, representa cerca de 60% da carteira do banco.

 

Acima das expectativas- O BRDE superou todas as expectativas de contratações em 2021, com uma carteira de crédito que o colocou entre as 500 empresas maiores do Sul do Brasil e terceira instituição financeira da região, conforme divulgado no evento “500 Maiores do Sul”, do Grupo Amanhã, realizado em novembro passado.

 

Total - Em 2021, os contratos no Paraná totalizaram R$ 1,4 bilhão, com 29,5% desse valor destinado à produção agropecuária, e R$ 151 milhões a investimentos das cooperativas de produção. Ainda deste total, 29% dos financiamentos foram contratados para projetos na região Oeste do Estado.

 

Pandemia - Além disso, o banco equalizou os desafios da pandemia e bateu a meta histórica no ano passado, com R$ 4,14 bilhões de contratos nos estados de atuação (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul), ano em que completou 60 anos de sua fundação. Em 2013 tinha sido registrada a melhor marca até então, quando as aplicações chegaram a R$ 3,76 bilhões.

 

Produtores rurais- O porte de investimentos destinados aos produtores rurais foi de R$ 638 milhões. “Firmamos parcerias com cooperativas de crédito, em operações de segundo piso, que nos dá uma pulverização desses recursos, uma redução do tíquete médio, traçando um perfil menos sisudo e mais acessível às necessidades da sociedade”, disse o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

 

Ações em destaque- Ainda em 2021, o BRDE e Sicredi realizaram 2.236 contratações, totalizando R$ 68 milhões. O ticket médio foi de R$ 30 mil, sendo a maioria financiamentos pelo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

 

Equalização de juros- A inserção no programa nos anos 2020/21 permitiu ao BRDE a equalização de juros a pequenos e médios agricultores, usando recursos próprios.

 

Banco do Agricultor Paranaense- Há quase um ano em parceria com a Fomento Paraná, instituição financeira de desenvolvimento do Governo do Estado, o BRDE lançou o Banco do Agricultor Paranaense, para incrementar as estratégias do Paraná com o agronegócio mundial, e teve repasses que somaram mais de R$ 60 milhões desde a sua criação. Foram 373 projetos apoiados no estado.

 

Irrigação em Paranavaí- O projeto de irrigação de 97 hectares de plantação de laranja em Paranavaí, no Noroeste, na propriedade de Vilmar Pasquali recebe assistência técnica de profissionais da Unicampo, que é uma cooperativa que presta esse serviço.

 

Sicredi - Os recursos foram financiados pelo BRDE via Banco do Agricultor Paranaense, com convênio do Sicredi. Houve a aquisição de dois sistemas de irrigação por gotejamento, que introduz a tecnologia para o produtor rural, elevando seu status para empresário inovador.

 

Proposta - O técnico em agropecuária que dá suporte ao projeto, José Gabriel Jesus, contou que em 2021 Vilmar o procurou no escritório Unicampo com a proposta em mãos. “A partir disso fomos atrás de recursos e chegamos até o BRDE para fazer esse financiamento, através do Banco do Agricultor, com subvenção de taxas de juros para irrigação e outras ações", disse.

 

Importante - "Já está em funcionamento e é de extrema importância essa irrigação, porque na cultura do citrus seu desenvolvimento depende de água para enchimento do fruto, floração e, no atual cenário, com muitas intempéries climáticas, ele desvia de problemas como a seca, além de maior produtividade”, analisou o técnico.

 

Desenvolvimento - “Essas linhas de financiamento são importantes ao desenvolvimento da Agricultura, tanto para seu Vilmar como para outros produtores rurais, pois com o acesso a essas operações, ele consegue se desenvolver e aumentar sua demanda”, afirmou.

 

Copacol e BRDE- Uma das principais cooperativas agropecuárias do Brasil, a Copacol tem o apoio do BRDE na ampliação do abatedouro de aves em Cafelândia, no Oeste do Estado. De acordo com o projeto, a capacidade de abate foi incrementada com a média de 380 mil aves diárias, em execução desde 2018 e com aportes de recursos do banco em diversas etapas.

 

Equipamentos - Outro investimento recente trata da aquisição de equipamentos para cortes, automação e embalagem de congelados. O contrato com o BRDE ainda contempla construção de depósitos de calcário com 1,5 mil metros quadrados e substituição de máquinas de limpeza na unidade Central Santa Cruz. Todo esse incremento impacta na melhora da logística de recebimento e entrega de calcário e no beneficiamento de grãos.

 

Parceria - O diretor-presidente da Copacol, Valter Pitol, falou sobe o financiamento com o BRDE. “Para crescer e oferecer oportunidades é preciso planejar e investir continuamente. Em nosso planejamento estratégico contamos com a importante parceria do BRDE, participando da expansão da Cooperativa e garantindo melhores resultados a cada um dos nossos 6,7 mil cooperados”, disse.

 

Diversificação - "Em 2021 atingimos R$ 7,9 bilhões em faturamento e temos a meta de chegar a R$ 10 bilhões até 2025, diversificando as atividades em grãos, aves, suínos, leite e peixes, sempre com o compromisso de produzir alimentos com excelência. Além disso, o apoio do BRDE aos nossos produtores, financiando projetos de obras e melhorias, é fundamental para o desenvolvimento e a evolução das propriedades”, acrescentou.

 

Melhoria - Segundo ele, o mais recente investimento feito em parceria com o BRDE na Unidade Industrial de Aves possibilita melhorar as condições de operação e aumentar a geração de emprego. “Com esse apoio temos a segurança de continuar investindo, gerando desenvolvimento a todos, seja no campo ou na cidade. É uma relação de confiança de décadas, com grandes metas pela frente, que serão alcançadas graças à parceria com o BRDE”, afirmou Pitol. (Agência de Notícias do Paraná)

 

FOTO: José Gabriel Jesus

 

 

INFLAÇÃO: Mercado financeiro eleva projeção para 5,38% em 2022

 

inflacao 31 01 2022O mercado financeiro aumentou novamente a previsão de inflação para este ano. Segundo projeção do Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (31/01) pelo Banco Central, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar 2022 em 5,38%. Há uma semana a projeção do mercado era de que a inflação terminasse o ano em 5,15%. Há quatro semanas a previsão era de 5,03%.

 

2023-Para 2023, o mercado mudou a expectativa e também aumentou a previsão de inflação. A nova projeção aponta uma inflação de 3,5%, ante os 3,4% da semana passada. Em 2024, a projeção é a mesma da semana passada, com inflação de 3%. O boletim, que é divulgado semanalmente, reúne a projeção do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos do país.

 

PIB - Na projeção dessa semana, o Focus aponta um pequeno aumento na previsão do Produto Interno Bruto (PIB), na comparação com a semana passada. A nova projeção é de um PIB de 0,30%, ante os 0,29% da semana anterior. Há quatro semanas o mercado previa um crescimento da economia brasileira de 0,36%. O Focus registra ainda uma diminuição na expectativa de crescimento do PIB para 2023, passando de 1,69% na semana passada para 1,55%. Para 2024, a projeção se manteve estável, ficando em 2%.

 

Taxa de juros -A previsão do mercado para a taxa básica de juros, a Selic, em 2022, também ficou estável em relação ao divulgado na semana passada, ficando em 11,75% ao ano. Há quatro semanas a projeção era de que a Selic fecharia 2022 em 11,5% ao ano.

A taxa, definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom), atualmente está em 9,25% ao ano. Para a próxima reunião do órgão, em fevereiro, o Copom já sinalizou que deve elevar a Selic em mais 1,5 ponto percentual. Para o fim de 2023, a estimativa é de que a taxa básica caia para 8% ao ano, a mesma da semana passada. E para 2024, a previsão é de Selic em 7% ao ano, projeção que repete a da semana anterior.

 

Câmbio -A expectativa do mercado para a cotação do dólar em 2022 também se manteve igual ao projetado na semana passada, ficando em R$ 5,60. Já para o próximo ano, a projeção do mercado é de alta no câmbio. Para 2023, a previsão da cotação do dólar subiu de R$ 5,46 para R$ 5,50. Já para 2024, a projeção se manteve estável, com o dólar a R$ 5,40. (Agência Brasil de Notícias)

 

TRABALHO: Agências do Trabalhador disponibilizam mais de 11 mil vagas de emprego, recorde do ano


trabalho 31 01 2022As 216 Agências do Trabalhador começam a semana com a oferta de 11.545 oportunidades de trabalho. É o recorde de vagas de emprego disponíveis com carteira assinada em 2022. Nas Agências de Curitiba e Região Metropolitana são 1.574 postos de trabalho. Auxiliar de linha de produção, auxiliar de logística e atendente de lanchonete são as principais oportunidades. A Agência de Capital oferece ainda vagas para início imediato de pedreiro, analista de marketing, analista de recursos humanos, encarregado de bar e restaurante e churrasqueiro.

Interior - No Interior do Estado, a regional de Toledo tem liderado a oferta de vagas de trabalho. Nessa semana são 2.505, sendo 735 para trabalhadores da cultura da maçã e 178 para auxiliar de linha de produção nas indústrias da região. Outro destaque é a regional de Cascavel, com 1.280 vagas, sendo 356 vagas para auxiliar de linha de produção e 80 para açougueiro. Há vagas em Paranaguá (84 no total, sendo 10 para armador de ferragens da construção civil), Pato Branco (358, sendo 43 para auxiliar de linha de produção), Ponta Grossa (353, sendo 25 para classificador de grãos), Londrina (614, sendo 188 para auxiliar de linha de produção), Maringá (576, sendo 65 para soldador) e Apucarana (972, sendo 114 para costureiros).

Qualificação - “A política de atração de novas empresas e a qualificação dos nossos trabalhadores, através de programas como o Carretas do Conhecimento, por exemplo, ajudam o Estado a oportunizar vagas de emprego e fazer essa intermediação com a sociedade. A cada semana buscamos gerar novas transformações de vida aos paranaenses”, destaca o secretário Ney Leprevost, de Justiça, Família e Trabalho.

Atendimentos – Os interessados em alguma das vagas ofertadas devem buscar orientações entrando em contato com a Agência do Trabalhador de seu município. Na capital paranaense, a Agência do Trabalhador de Curitiba está atendendo o público de forma presencial das 8h às 17h e respeitando todas as orientações das autoridades sanitárias. Para evitar aglomeração, a sugestão é para que o atendimento seja feito com horário marcado. Os interessados devem fazer o agendamento pelo site da Secretaria. (Agência Estadual de Notícias)

Foto – Ari Duas/AEN

 

SAÚDE I: Paraná registra mais 10.138 novos casos e seis óbitos pela Covid-19


saude II 31 01 2022A Secretaria estadual da Saúde (Sesa) divulgou no domingo (30/01) mais 10.138 casos confirmados e seis mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números não necessariamente representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.942.633  casos confirmados e 40.966  mortos pela doença. Os casos divulgados no domingo são de janeiro (10.104) de 2022; e dezembro (1), outubro (1), setembro (2), agosto (4), julho (6), junho (5), maio (4), abril (2), março (2), fevereiro (2) e janeiro (4) de 2021. Os óbitos são de janeiro (5) de 2022 e setembro (1) de 2021.

Internados – 161 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados em leitos SUS (55 em UTIs e 106 em enfermarias). Não há pacientes com diagnóstico confirmado internado na rede particular.

Há outros 1.359 pacientes internados, 450 em leitos de UTI e 889 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos – A Sesa informa a morte de mais seis pacientes. São 4 mulheres e 2 homens, com idades que variam entre 21 e 92 anos. Os óbitos ocorreram entre 10 de setembro de 2021 e 30 de janeiro de 2022.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Foz do Iguaçu (3), Umuarama, Ponta Grossa e Curitiba.

Fora do Paraná O monitoramento da Sesa registra 9.428 casos de residentes de fora do Estado, 225 pessoas foram a óbito. (Agência Estadual de Notícias)

 

SAÚDE II: Brasil registra 640 mortes e 179,8 mil novos casos

 

saude I 31 01 2022O número de mortes por covid-19 no Brasil subiu para 626.854. Em 24 horas, foram registradas 330 mortes. Segundo os números publicados pelo Ministério da Saúde na noite de domingo (30/01), 134.175 novos casos de covid-19 foram diagnosticados em 24 horas. O país soma 25.348.797 ocorrências da doença desde o início da pandemia. Há ainda 3.133 mortes por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em investigação. Os óbitos pela síndrome somam 766 nos últimos três dias. O boletim também mostra que a taxa de casos ativos aumentou e a taxa de recuperação caiu. No momento, 87,4% do total de infectados são considerados livres de sintomas. A taxa chegou a 96,2% em dezembro, antes da chegada da Ômicron ao Brasil.

 

Estados - O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (157.854), Rio de Janeiro (69.878), Minas Gerais (57.306), Paraná (41.191) e Rio Grande do Sul (36.863). Já as Unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.868), Amapá (2.039), Roraima (2.096) , Tocantins (3.997) e Sergipe (6.093).

 

Vacinação - O painel de vacinação do Ministério da Saúde registra que 355.702.862 doses de vacinas diversas já foram aplicadas. Destas, 164,7 milhões são referentes à primeira dose, enquanto 151,7 milhões são relativas à segunda dose. As doses de reforço chegaram à 38,6 milhões. (Agência Brasil de Notícias)

 

 

 


Versão para impressão


RODAPE