Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5261 | 16 de Fevereiro de 2022

PRC200: Mercado de capitais é tema de encontro com executivos de cooperativas paranaenses

prc200 16 02 2022Cerca de 50 lideranças de cooperativas paranaenses participaram virtualmente na manhã desta terça-feira, (15/02), do primeiro encontro do Projeto 2, Desenvolvimento Econômico e Financeiro, que integra um dos 20 projetos do Plano Paraná Cooperativo, o PRC200. Este grupo de trabalho tem por objetivo buscar o desenvolvimento sustentável do cooperativismo paranaense nos próximos anos, para que o setor atinja um faturamento de R$ 200 bilhões anuais. A abertura do evento contou com a participação do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, que fez uma rápida apresentação do PRC200 aos presentes e detalhou cada um dos 20 projetos que constam do planejamento estratégico. Segundo ele, este é um dos principais projetos, por si só se justifica, porque as cooperativas demandam recursos para capitalização e financiamento dos seus investimentos de longo prazo. Na sua grande maioria, não dispõe de capital próprio suficiente para aplicar em giro e em projetos de investimentos.

Mecanismos - O projeto 2 propõe fortalecer mecanismos para manter o crédito rural, aperfeiçoar os títulos (papéis), mecanismos existentes de captação de recursos para giro e financiar investimentos de longo prazo; aperfeiçoar estratégias de capitalização das cooperativas e desenvolver modelo de captação de recursos e financiamento de investimentos das cooperativas.

Desafios - Para o presidente da cooperativa Bom Jesus e coordenador do ramo agropecuário da OCB, Luiz Roberto Baggio “este projeto é de extrema importância. O grupo terá muito desafios pela frente, para encontrar melhorias e fortalecimentos dos mecanismos existentes de captação de recursos, bem como desenvolver inovações junto ao mercado de capitais que possam atender adequadamente as demandas de investimentos das cooperativas”, frisou.

Mercado de Capitais - Durante o encontro, o coordenador do Projeto 02, Devair Mem, apresentou alguns detalhes da estrutura e da condução dos trabalhos. Na sequência, o consultor Ademiro Vian, falou sobre algumas fases importantes que o projeto terá pela frene, destacando a importância de desenvolver instrumentos voltados ao mercado de capitais para atender as demandas das cooperativas. No evento, as lideranças presentes tiveram espaço para manifestações sobre suas necessidades e expectativas sobre esse projeto do PRC200.   

Estrutura e objetivos - Atualmente, o projeto conta com 34 profissionais de 22 cooperativas agropecuárias e de crédito, 12 profissionais do Sistema Ocepar e OCB, e ainda conta com o apoio da Consultoria IBD Agro nos próximos seis meses. Entre os principais objetivos do Projeto 02, destacam-se: fortalecer os mecanismos junto a OCB e cooperativas para manter o Crédito Rural – MCR – nos moldes em vigência que tem sido fundamentais para as cooperativas e cooperados; aperfeiçoar mecanismos existentes de captação de recursos para giro e financiar investimentos de longo prazo por meio dos títulos e papéis existentes; aperfeiçoar mecanismos próprios de captação de recursos para financiar investimentos de longo prazo das cooperativas (Destinação de Resultados, Retenção da Produção, Fundos Rotativos) e inovação: desenvolver modelo de captação de recursos, financiamento de investimentos das cooperativas (SCD, SCFI, SEP, fintechs, plataformas de crowdfunding, entre outras.)

SICREDI: Cooperativa registra mais de R$ 220 milhões em propostas protocoladas durante o Show Rural 2022

sicredi 16 02 2022O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 5,5 milhões de associados em todo o país, encerrou a sua participação no Show Rural Coopavel com mais de R$ 220 milhões em volume de negócios. O número registrado pela instituição financeira cooperativa durante a feira é 17% superior ao verificado na edição de 2020 do evento. No entanto, a disponibilização para os associados ainda depende da liberação de recursos subsidiados do governo federal, seja para o ciclo vigente do Plano Safra 2021/2022 ou para o novo ciclo, o Plano Safra 2022/2023.

O gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi PR/SP/RJ, Gilson Farias, destaca que os resultados positivos na feira reforçam a importância de um dos diferenciais do cooperativismo de crédito e do Sicredi: o relacionamento próximo com o associado. “A nossa atuação é de parceria com o produtor rural, por isso conseguimos atender ao perfil e à necessidade de cada um da melhor maneira possível. Esse atendimento eficiente garante benefícios diretos tanto para o associado quanto para a cooperativa, e também para a comunidade com o fomento ao desenvolvimento regional”, ressalta.

Sustentabilidade - Um dos focos do Sicredi durante o Show Rural 2022 foi o financiamento e crédito para aquisição de painéis solares, procurando apoiar o produtor rural em relação a alternativas para a energia elétrica no campo. Durante a feira, a instituição financeira cooperativa registrou mais de 200 propostas de financiamento para projetos de energia fotovoltaica, gerando um volume de negócios de R$ 42,1 milhões. Nos últimos anos, o Sicredi tem aumentado a oferta de produtos e serviços da economia verde. A carteira de crédito do Sicredi para financiamento de energia solar no Brasil totalizou R$ 4,5 bilhões ao final de 2021, com aumento de 93% em relação ao mesmo período de 2020. Somente nas regionais Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, o total liberado ultrapassou R$ 1,1 bilhão, em mais de 27 mil operações no ano passado.

No último dia do Show Rural (11/02), em cerimônia simbólica junto ao Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e ao Governo do Estado foram entregues a produtores rurais associados do Sicredi recursos para aquisição de painéis solares e maquinários por meio do convênio firmado entre Sicredi, BRDE e Banco do Agricultor, uma iniciativa do governo do Paraná.  No total, oito produtores estiveram presentes na cerimônia juntamente com dirigentes do Sicredi e demais representantes de órgãos públicos.

Segunda maior na concessão de crédito rural - Com raízes no campo, o Sicredi tem uma longa parceria com o agronegócio.  A instituição se destacou no ranking da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) como a 2.ª maior instituição financeira na concessão de crédito destinado ao agronegócio. “Grande parte dos nossos associados é ligada ao agronegócio, em especial à agricultura familiar. E conectado com a nossa própria história e aos propósitos do cooperativismo de crédito, o Sicredi atua diretamente no fomento ao produtor rural com o compromisso de oferecer consultoria e crédito responsável adequado às necessidades dos produtores associados”, finaliza Farias. (Imprensa Sicredi)

SICOOB CREDICAPITAL: Ciência de dados para pecuária leiteira vai facilitar acesso a crédito com menores taxas

sicoob 16 02 2022O uso de tecnologias no campo é uma realidade que tem promovido maior precisão e previsibilidade para reduzir riscos e perdas. No oeste do Paraná, um programa inédito no Brasil faz uso da ciência de dados para aproximar produtores de leite, laticínios e o Sicoob Credicapital. O objetivo da parceria é oferecer consultoria, reduzir a burocracia na liberação de crédito e garantir taxas mais atrativas. A tecnologia funciona por meio de uma solução de gestão de dados e conhecimento chamada SobControle Fazenda, que foi desenvolvida pela empresa RERUM e está em fase de implantação no Laticínio Santa Helena, em Cascavel (PR).

Já utilizado por empresas de grande porte do mercado nacional, nos mais variados segmentos, o SobControle Fazenda viabiliza soluções que permitem agregar, analisar e apresentar informações em tempo real sobre as atividades dentro da propriedade, bem como o compartilhamento delas com parceiros, gerando possibilidade de antever mudanças e problemas.

Por meio do software, é possível coletar dados zootécnicos, de saúde, consumo, manejo e produção. Isso permite que o produtor tenha controle total das atividades da rotina da propriedade, acesse gráficos e relatórios gerados com o uso de inteligência artificial, que podem servir de apoio na tomada de decisão e diminuir consideravelmente os riscos e perdas. O pecuarista conta ainda com o serviço de monitoramento e suporte de uma equipe multidisciplinar.

Benefícios para o pecuarista no Sicoob CredicapitalA proposta é que, com o compartilhamento de informações em tempo real e confiabilidade dos dados, os produtores associados a laticínios credenciados ao Sicoob Credicapital utilizem os relatórios gerados pelo software para solicitar crédito e planejar investimentos futuros. Isso porque a cooperativa vai receber diretamente do laticínio a informação de quanto o produtor de leite que está solicitando crédito tem a receber, como também uma previsão futura do leite a ser captado. Com base nisso, vai trabalhar as políticas de crédito para entregar uma solução mais rápida e simples, evitando a burocracia.

“A tecnologia é voltada para pecuaristas de qualquer porte, mas tem gerado grande diferença para aqueles que produzem entre 200 e 1.000 litros de leite/dia. Estudos de viabilidade já realizados indicaram que os pecuaristas que fizeram investimentos baseados nos dados e direcionados às áreas orientadas tiveram um acréscimo de rentabilidade mínimo de 30%”, destaca o gestor da SobControle Fazenda, Carlos Lima. O produtor vai ter mais segurança, por contar com um software de gestão e controles zootecnicos de apoio para planejar o crescimento do negócio, o latícinio ganha por ter um parceiro financeiro para apoiar seus associados e a cooperativa ganha mais segurança, ao reduzir o risco nas operações”, explica o diretor administrativo financeiro do Sicoob Credicapital, Leandro Kuhl.

Nesta fase inicial do projeto, o benefício está disponível para um grupo de 20 pecuaristas do Laticínio Santa Helena. Para o Nestor Garcia Marques, Sócio Administrador do latícinio Santa Helena, essa parceria beneficiará muito os produtores. “Com esse software os produtores de leite não vão precisar ir até a cooperativa, pois já terão uma linha de crédito pré-aprovada com base na produção de leite. Além disso, com as informações fornecidas pelo software vão poder fazer uma melhor gestão da propriedade e, consequentemente, aumentar a produção de leite, possibilitando que o laticínio possa atender ainda mais clientes. É uma parceria que vai beneficiar todas as partes: produtor, laticínio e cooperativa”, explica.

A cooperativa pretende firmar novas parcerias com outros laticínios, para ampliar o programa e assim, apoiar o desenvolvimento da bacia leiteira do Oeste do Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul, que são as regiões de atuação do Sicoob Credicapital. (Imprensa Sicoob Credicapital)

COMÉRCIO EXTERIOR: Ministra da Agricultura viaja ao Irã para ampliar relação comercial, com foco na importação de fertilizantes

comercio exterior 16 02 2022A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, viajou na terça-feira (15/02) para o Irã, onde cumpre agenda para tratar de assuntos relacionados à relação comercial com o Brasil, como a importação de ureia iraniana. Após ser diagnosticada com covid-19, Tereza Cristina realizou novo teste nesta segunda-feira (14/02), que resultou negativo para a doença, possibilitando a realização da viagem programada anteriormente.

A ida ao Irã prevê reuniões com o Ministro da Agricultura, Seyed Javad Sadati Nejadi, e com o presidente da Comissão de Agricultura do parlamento iraniano, deputado Muhammad Askari, além de encontros com a Câmara de Comércio Brasil-Irã e com o Fórum Empresarial entre os dois países. Também está prevista visita à Petroquímica de Shiraz, importante produtora de ureia, e à Câmara de Comércio de Shiraz. "O Brasil é um grande exportador de alimentos para o Irã e o Irã é um grande exportador de fertilizantes, principalmente ureia, para o Brasil. Tenho certeza de que será uma missão muito bem-sucedida e muitas oportunidades de negócios surgirão", disse a ministra, em suas redes sociais. (Mapa) 

ECONOMIA I: Quase 4 milhões de novos negócios foram abertos em 2021

economia I 16 02 2022A abertura de pequenos negócios no país bateu recorde no ano passado, mostra levantamento divulgado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Em 2021, mais de 3,9 milhões de empreendedores formalizaram micro e pequenas empresas ou se registraram como microempreendedores individuais (MEIs). O número representa crescimento de 19,8% em relação a 2020, quando foram abertos 3,3 milhões de negócios. Em relação a 2018, a expansão chega a 53,9%. Naquele ano, foram criados 2,5 milhões de cadastros nacionais de pessoas jurídicas (CNPJ).

Segundo o Sebrae, ao mesmo tempo que a pandemia forçou muitas pessoas a irem para o empreendedorismo por necessidade, ela também estimulou a busca desse meio de vida por oportunidade. O órgão avalia que a tendência de crescimento continuará nos próximos anos. Em 2020, o relatório Monitor do Empreendedorismo Global (Global Entrepreneurship Monitor, em inglês) estimou que 50 milhões de brasileiros que ainda não empreendiam tinham planos de abrir o próprio negócio nos próximos três anos. Desse total, um terço teria a pandemia como principal motivação, mas dois terços têm tendência “natural” para empreender. O relatório foi elaborado pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ).

Microempreendedores - O Sebrae atribui o aumento da abertura de empresas à redução da burocracia, proporcionada pela Lei de Liberdade Econômica, de 2019, pela integração das juntas comerciais e por melhorias no registro eletrônico simplificado de novas empresas. O principal destaque foi a consolidação da figura jurídica do microempreendedor individual (MEI), que respondeu por 3,1 milhões de negócios abertos no ano passado, 80% do total. Em 2018 e 2019, a categoria representava 75% dos negócios criados.

Em 2021, foram abertas 682,7 mil microempresas (17,35% do total), com faturamento de até R$ 360 mil por ano, recorde da série histórica para o segmento. Foram criadas 121,9 mil empresas de pequeno porte (2,65% do total). A categoria inclui empresas que faturam de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões por ano. A abertura de microempresas tem aumentado de forma consistente ao longo dos anos. De 540,6 mil em 2018, o número saltou para 579,3 mil em 2019 e 579,5 mil em 2020. Em relação às pequenas empresas, o total passou de 75 mil em 2018 para 94,3 mil em 2020. (Agência Brasil de Notícias)

Foto: José Cruz/Agência Brasil de Notícias

ECONOMIA II: Faturamento da indústria de alimentos fecha 2021 com alta de 17%

economia II 16 02 2022A indústria brasileira de alimentos fechou o ano de 2021 com faturamento de R$ 922,6 bilhões, resultado 16,9% superior ao registrado em 2020. O montante representa 10,6% do Produto Interno Bruto (PIB) estimado para o ano passado. Os dados, divulgados na terça-feira (15/02), são da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia). De acordo com o levantamento, as vendas do setor em 2021 cresceram 3,2% e a produção, 1,3%. Considerando apenas as vendas para o mercado interno, que representam 73,5% do faturamento, o aumento foi de 1,8%. Já as exportações, que representam 26,5% do faturamento, aumentaram 18,6% e atingiram o patamar recorde de US$ 45,2 bilhões.

“O avanço da vacinação e o retorno do setor de serviços contribuíram de forma decisiva para a expansão da produção, com geração positiva de emprego e renda no setor. A demanda por alimentos se manteve crescente no Brasil e no mundo, o que fez com que as empresas mantivessem a produção a todo vapor, e contratando mão de obra”, destacou o presidente executivo da Abia, João Dornellas. A indústria alimentícia brasileira aumentou também o número de trabalhadores contratados em 2021, 1,2% a mais do que em 2020, totalizando 1,72 milhão de pessoas, ou 21 mil novos postos de trabalho. (Agência Brasil de Notícias)

SAÚDE I: Fiocruz aprova primeiro lote de vacina 100% brasileira contra a covid-19

saude I 16 02 2022A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) liberou o primeiro lote da vacina contra a covid-19 feita 100% no país. Fabricado em parceria com a AstraZeneca, o imunizante será entregue ao Ministério da Saúde para ser incluído no Programa Nacional de Imunizações (PNI). A aprovação de qualidade ocorreu na segunda-feira (14/02), mas a informação só foi divulgada na terça-feira (15/02). “O primeiro lote de vacinas Covid-19 Fiocruz 100% nacionais foi liberado pelo controle de qualidade nesta segunda-feira. A Fiocruz vem alinhando junto ao Ministério da Saúde a agenda dessa entrega, segundo a demanda da pasta. Outras informações sobre a vacina nacional serão divulgadas em breve”, informou a fundação em nota.

O imunizante é resultado de contrato de transferência tecnológica entre a Fiocruz e o consórcio formado pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca. Os primeiros lotes produzidos no Brasil pela fundação usaram ingrediente farmacêutico ativo (IFA) - principal insumo do imunizante - enviado pela China. A necessidade de adquirir o IFA na China fez com que a entrega de imunizantes da AstraZeneca pela Fiocruz sofresse atrasos no ano passado. Essa situação mostrou a importância de se concretizar a capacidade de produção do ingrediente no Brasil. O Ministério da Saúde ainda não se pronunciou sobre o recebimento do primeiro lote 100% nacional nem a quantidade de vacinas que será entregue. (Agência Brasil de Notícias)

Foto: Fernando Brito/Ministério da Saúde

SAÚDE II: País registra 120,5 mil casos e 854 mortes em 24 horas

saude II 16 02 2022Em 24 horas, as secretarias estaduais e municipais de saúde registraram 120.549 novos casos de covid-19. Ainda conforme o levantamento, foram notificadas 854 novas mortes em decorrência de complicações associadas à doença. Com as novas estatísticas, o número de pessoas contaminadas desde o início da pandemia chegou a 27.659.052. Já com as novas mortes notificadas, o total de vidas perdidas para a doença alcançou 639.689. A quantidade de casos de covid-19 em acompanhamento está em 2.766.829. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta nem evoluíram para morte. Há ainda 3.154 óbitos em investigação, que ocorrem pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 demanda exames e procedimentos posteriores.

Estados - De acordo com o balanço, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (161.768), Rio de Janeiro (70.933), Minas Gerais (58.519), Paraná (41.833) e Rio Grande do Sul (37.665). Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.934), Amapá (2.086), Roraima (2.114), Tocantins (4.060) e Sergipe (6.185).

Vacinação - Até o momento, foram aplicadas 374,9 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 169,7 milhões referentes à primeira dose e 154,8 milhões à segunda dose ou dose única. Outros 46 milhões de pessoas já receberam a dose de reforço. (Agência Brasil de Notícias)

SAUDE III: Secretaria confirma 14.330 novos casos de Covid-19 e 51 óbitos

saude III 16 02 2022A Secretaria de Estado da Saúde confirmou na terça-feira (15/02) mais 14.330 casos de Covid-19 e 51 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números não representam necessariamente a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 2.205.516 casos e 41.606 óbitos em decorrência da enfermidade. Os casos confirmados divulgados nesta data são de fevereiro (13.060) e janeiro (1.180) de 2022; dezembro (5), novembro (4), outubro (8), setembro (6), agosto (17), julho (10), junho (3), maio (3), abril (2), março (3) e fevereiro (2) de 2021; dezembro (2), novembro (1), outubro (1), agosto (13), julho (9) e junho (1) de 2020. Os óbitos são de fevereiro (49) e janeiro (2) de 2022.

Internados – 162 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados, todos em leitos SUS (71 em UTI e 91 em leitos clínicos/enfermaria).
Há outros 1.219 pacientes internados, 475 em leitos UTI e 744 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos – A Sesa informa a morte de mais 51 pacientes. São 26 mulheres e 25 homens, com idades que variam entre 47 e 99 anos. Os óbitos ocorreram entre 24 de janeiro e 15 de fevereiro de 2022. Os pacientes que foram a óbito residiam em Londrina (8), Maringá (4), Sarandi (3), Santa Terezinha de Itaipu (3), Foz do Iguaçu (3), São José dos Pinhais (2), Pinhais (2), Paranaguá (2), Mandaguari (2) e Bandeirantes (2).
A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: São Mateus do Sul, São Jorge do Patrocínio, Santa Mariana, Pérola d'Oeste, Nova Esperança, Moreira Sales, Ivaí, Francisco Beltrão, Curitiba, Coronel Vivida, Congonhinhas, Colombo, Carambeí, Cambira, Astorga, Assis Chateaubriand, Arapongas, Apucarana, Ampére e Adrianópolis.

Fora do Paraná – O monitoramento da Sesa contabiliza 10.236 casos de não residentes no Estado – 227 pessoas foram a óbito. (AEN PR)


Versão para impressão


RODAPE