Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5282 | 21 de Março de 2022

WEBINAR: Debate sobre procedimentos para arquivamento de livros e atos na Jucepar será nesta terça-feira

O Sistema Ocepar promove, em parceria com a Junta Comercial do Paraná (Jucepar), o Seminário online com o tema “Procedimentos para arquivamento de livros e atos na Jucepar”. Será nesta terça-feira (22/03), das 9h30 às 11h30, por meio da plataforma Microsoft Teams. Os palestrantes do evento são Willian Dib e Fernanda Will, da Jucepar. Também participam como convidados os profissionais da Junta, Gilson Strechar, Anielle Aufiero e Alexandre Shemberg.

Público-alvo - O webinar é destinado aos profissionais das cooperativas do Paraná. Clique aqui para efetivar as inscrições até esta segunda-feira (21/03). O link de acesso será enviado por e-mail.

 

webinar folder 17 03 2022

GETEC: Informe nº 12 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 21 03 2022A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (21/03), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2022, 2023 e 2024.

Clique aqui para conferir na íntegra o Informe Expectativas de Mercado da Getec

 

SESCOOP/PR: Conselho Fiscal aprova plano de trabalho para 2022

Aprovar o plano de trabalho para o ano de 2022. Este foi o primeiro item da pauta da reunião do Conselho Fiscal do Sescoop/PR, ocorrida virtualmente, na sexta-feira (18/03), com a presença dos conselheiros titulares Marcos Roberto Bueno Antunes, Joel Makohin e Erik Bosch, e do conselheiro suplente, Artur Sawatzky. Pelo Sescoop/PR, participaram o presidente José Roberto Ricken, o superintendente Leonardo Boesche, a gerente de Desenvolvimento Cooperativo, Maria Emília Pereira, as advogadas Thaine Gabrieli Czelusniak e Josiane Soares da Luz, o gerente administrativo José Ronkoski, o contador Anderson Augusto da Rosa, o coordenador administrativo, Edson Luis Carvalho de Souza, e os auditores internos Tadeu Duda e Daniele Cristiane Radulski Reginatto.

Mais - A reunião também foi destinada a eleger os cargos no Conselho Fiscal, conforme previsto no Regimento Interno; examinar as atas do Conselho de Administração do Sescoop/PR; tratar sobre os normativos, resoluções e portarias do Sescoop/PR, antigos ou aprovados recentemente; acompanhar os Demonstrativos Contábeis e Financeiros encerrados em 31/12/2021; examinar e emitir parecer sobre as Demonstrações Contábeis, Notas Explicativas e Relatório de Gestão do exercício anterior; examinar os indicadores econômicos e financeiros do Sescoop/PR; acompanhar a realização do orçamento aprovado para o exercício da área meio; analisar o Relatório de Desempenho de Investimentos; acompanhar o relatório analítico do Contrato de Gestão, tomar conhecimento do Raint - Relatório de Auditoria Interna 2021, entre outros itens.

{vsig}2022/noticias/03/21/sescoop/{/vsig}

 

 

RAMO CRÉDITO: Coop comemora derrubada de veto a dispositivo do Fundeb

ramo credito 21 03 2022O Congresso Nacional derrubou na quinta-feira (17/03) o veto ao dispositivo da Lei 14.276/2021 (Fundeb), que tratava da permissão da gestão da folha de pagamentos de servidores da educação por cooperativas de crédito, bancos privados e bancos estaduais. Até então, apenas o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal estavam autorizados a operar a folha de pagamentos dos estados e municípios.

Atuação - A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) atuou em conjunto com os sistemas de crédito cooperativo para sensibilizar parlamentares sobre a importância da medida, bem como em diversos órgãos do governo federal, incluindo o Gabinete da Presidência, a Casa Civil, a Secretaria de Governo e os ministérios da Economia e Educação.

Prejuízos - “Esse veto prejudicaria sobremaneira os municípios com contratos de terceirização da folha de pagamento desde o início do exercício de 2021. Várias das nossas cooperativas de crédito seriam prejudicadas, gerando uma grave situação de insegurança jurídica”, afirmou o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

Marco das Garantias - O presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Evair de Melo (ES) informou que o governo concordou com a derrubada do veto, uma vez que o próprio Executivo propôs o PL 4.188/2021 (Marco das Garantias), contando com previsão idêntica a vetada.

Capilaridade - “As cooperativas de crédito são as únicas instituições financeiras em mais de 250 municípios brasileiros. Naturalmente, em muitos deles, a folha de pagamento é administrada por essas instituições. Não poderíamos permitir que a prestação desse serviço fosse interrompida”, destacou o parlamentar.

Comemoração - O deputado Heitor Schuch (RS), diretor da Frencoop, comemorou a derrubada do veto. “Não encontramos razão para que esse dispositivo fosse retirado da lei. Votei, portanto, para reincorporá-lo ao texto”.

Fundeb - O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) é o principal mecanismo de financiamento da educação básica. Ele reúne parcela de impostos de estados e municípios e uma complementação da União, sendo que as verbas são redistribuídas, entre outros critérios, com base no número de estudantes e modalidades da matrícula. Atualmente, 70% dos recursos do fundo são usados com pagamento de profissionais de educação. (Sistema OCB)

FOTO: Roque de Sá / Agência Senado

 

ICAO: Representantes de coops agro do mundo debatem intercâmbio de boas práticas

icao 21 03 2022A importância do intercâmbio de informações e boas práticas entre cooperativas de todo o mundo foi o ponto central na reunião da Organização Internacional das Cooperativas Agropecuárias (ICAO), realizada na semana passada. Participaram da discussão representantes das coops agro do Brasil, de Uganda, da Polônia, da Turquia, da Índia, do Japão, e da Coreia do Sul, que são membros do comitê executivo da ICAO. A organização é um dos setores da Aliança Cooperativa Internacional (ACI).

Instabilidade - Com o atual cenário de instabilidade no Leste Europeu, em razão da guerra entre Ucrânia e Rússia, os países da ICAO se reuniram para deliberar sobre a criação de uma campanha para prestar assistência às cooperativas agropecuárias ucranianas, com a doação de recursos.

Momento atual - “Em momentos como esse, em que todo o planeta se coloca em alerta por causa da crise trazida pela pandemia e, agora, devido à guerra envolvendo grandes atores internacionais, é que o cooperativismo se mostra ainda mais importante. Somente com muita cooperação e apoio mútuo conseguiremos passar por essa turbulência”, destacou o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

Projetos regionais - Outra pauta tratada na reunião foi a aprovação de projetos regionais voltados para o desenvolvimento do cooperativismo agro. O Sistema OCB vai liderar a iniciativa nas Américas, com o fomento ao intercâmbio de experiências e boas práticas entre cooperativas do Brasil, do Paraguai, do Uruguai, da Argentina, do Canadá e do Haiti.

Assembleia geral - Durante o encontro também foi definida a data para a realização da assembleia geral do ICAO, agendada para o dia 17 de junho, em Sevilha, na Espanha. Na oportunidade será eleito o novo presidente da organização.

Intercooperação - O ICAO existe desde 1951 e já foi presidido por Roberto Rodrigues, ex-presidente do Sistema OCB e da ACI, e ex-ministro da Agricultura. O papel principal da organização é promover a intercooperação entre cooperativas agro no mundo todo, por meio de ações que favoreçam o desenvolvimento do modelo de negócios cooperativista. (Sistema OCB)

 

CONEXÃO COOP: Sistema OCB apresenta atualização das ações de mercado para Unidades Estaduais

conexao coop 21 03 2022O trabalho para ampliar as oportunidades de negócios para as cooperativas brasileiras tem sido intenso, especialmente nos últimos anos. São diversas iniciativas criadas para impulsionar a competitividade e a sustentabilidade, com uma atuação sistêmica em parceria com as unidades estaduais.

Apresentação - Na sexta-feira (18/03), a equipe do Núcleo de Inteligência e Inovação do Sistema OCB apresentou as atualizações dos produtos e serviços do ConexãoCoop aos representantes dos estados, com ênfase nas oportunidades que as unidades estaduais podem oferecer às suas cooperativas.

Possibilidades - Para 2022, as coops terão diversas possibilidades para participar de feiras e missões nacionais e internacionais, em virtude das parcerias com o Ministério da Agricultura (Mapa) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil). (Sistema OCB)

 

COPACOL: Fertilidade ganha destaque em Dia de Campo

Além do cuidado diário, um dos principais fatores que contribui para altas produtividades é a condição do solo, seus nutrientes, a qualidade física. A fertilidade, quando bem manejada, traz resultados significativos para o produtor, em produtividade e rentabilidade.

Estudos técnicos - Em busca de resultados cada vez melhores, a Copacol realiza estudos técnicos no CPA (Centro de Pesquisa Agrícola), em Cafelândia (PR), com o objetivo de identificar melhores práticas no campo. Os resultados dos testes e estudos são compartilhados com os 6,7 mil cooperados.

Dia de Campo - Com foco na cultura do milho, a Copacol realizou nos dias 16 e 17 de março, o 2º Dia de Campo Fertilidade, com a participação de cooperados do Oeste e do Sudoeste do Estado. Os agricultores foram divididos em grupos e puderam acompanhar as palestras realizadas simultaneamente nos estandes preparados no Centro de Pesquisa.

Assuntos - Vários assuntos foram abordados nas palestras: uso de fertilizante orgânico como estratégia para redução de custos de adubação, corretivos e condicionadores de solo como base da produtividade, manejo de adubação fosfatada e potássica em sistemas de cultivo, e sistemas de elevada rentabilidade financeira. “A construção de um solo fértil é a base para obtermos altas produtividades. Com um solo melhor estruturado, o produtor vai conseguir explorar ao máximo o potencial produtivo das cultivares. O momento que estamos passando é bastante oportuno por conta dos custos dos fertilizantes, e faz refletir sobre as melhores práticas e estratégias que possibilitem produzir com preços adequados”, enaltece Tiago Madalosso, gerente técnico agrícola.

Produtividade - Na oportunidade, o diretor-presidente Valter Pitol destacou a oportunidade de voltar aos encontros presenciais e a importância das informações disponibilizadas aos produtores. “Após dois anos impossibilitados de realizar eventos a campo, temos a oportunidade de reunir os produtores e apresentar novas tecnologias agrícolas. As pesquisas desenvolvidas aqui no CPA são fundamentais para que a Cooperativa ofereça as melhores práticas agrícolas que possam sustentar os negócios dos cooperados. Qualidade e produtividade é nosso objetivo”, destaca Pitol.

Cooperação - O cooperado de Palmitolândia, Tupãssi, Maicon Luiz Gottardi, participou do evento e destacou a importância das informações apresentadas pela equipe da cooperativa. “Sempre que nós acompanhamos eventos como esse aprendemos algo novo, que levamos para as propriedades. A Copacol sempre nos traz práticas agrícolas, embasadas nas pesquisas do CPA, que auxiliam no dia a dia e que possibilita alcançarmos melhores resultados a campo”.

Experiência muito boa - José Lauri Scholz, de Toledo, esteve acompanhando pela primeira vez um evento técnico realizado pela cooperativa. Há um ano atendendo na região de Bom Princípio, a Copacol recebeu vários cooperados que avaliaram de maneira positiva os trabalhos da equipe do CPA. “Nós havíamos acompanhado apenas os eventos on-line, que eram muito importantes também. Mas é diferente acompanhar pessoalmente, observando os experimentos e acompanhando as apresentações da equipe, vendo de perto o sistema da cooperativa de levar as informações técnicas para os cooperados. Foi uma experiência muito boa participar deste Dia de Campo”. (Imprensa Copacol)

{vsig}2022/noticias/03/21/copacol/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Campanha União Solidária entrega prêmios e impacta 770 mil vidas

sicredi uniao 21 03 2022A quarta edição da Campanha União Solidária, realizada pelo Instituto CoopConecta, com apoio do Instituto Cocamar e da Sicredi União PR/SP, foi encerrada na quinta-feira (17/03) com a entrega dos prêmios da região noroeste do Paraná – a cerimônia foi no Moinho Vermelho em Maringá (PR). Antes, foram entregues os prêmios da região Norte do Paraná e do centro e centro-leste de São Paulo. A campanha arrecadou R$ 3,46 milhões para 536 entidades, que atendem juntas 774 mil pessoas.

Carro - O comerciante Arnaldo Ferrari ganhou um carro Fiat Argo depois de comprar um único cupom da paróquia Nossa Senhora das Graças, de Maria Helena/PR. O carro ficará com a filha, Larissa, que acabou de tirar a carteira de habilitação e iniciou graduação em Umuarama. “O carro veio na hora certa. Embora a Sicredi União PR/SP seja uma instituição financeira, é voltada para as causas sociais e faz a diferença na sociedade”, elogiou.

Moto - Igualmente feliz está o diácono Edson Félix da Silva. Como a paróquia foi responsável pela venda do cupom premiado, foi contemplada com uma moto CG Start, que já tem destino: será o prêmio principal da festa da padroeira em novembro. Com o prêmio como chamariz, a paróquia pretende arrecadar R$ 50 mil com a venda de rifas.

Mais uma - Quem também ganhou uma moto foi o advogado Luiz Carlos Miosso, de Colorado, que concorria com cinco cupons adquiridos da Apae da cidade. Ele ainda não decidiu o destino do prêmio, mas já se comprometeu a comprar os cupons da próxima edição da campanha. Como a Apae foi a responsável pela venda do cupom premiado com a moto, ganhou R$ 5 mil, dinheiro que será usado para ajudar na compra dos climatizadores da quadra esportiva utilizada pelos 126 alunos.

Sorteio final - No sorteio final da campanha os prêmios foram um Fiat Argo e duas motos para cada uma das três regiões. A campanha consiste na venda de cupons pelas entidades que cadastram seus projetos. Já os compradores concorreram a prêmios mensais (Iphones, patinetes, bicicletas elétricas, TVs e notebooks) e aos prêmios finais (carros e motos) adquiridos pela Sicredi União PR/SP e Cocamar. As entidades ficaram com o valor integral da venda dos cupons e ganharam prêmios: nos sorteios mensais a entidade que vendeu o cupom premiado ganhou R$ 3 mil; e as que venderam o cupom premiado do sorteio final ganharam uma moto ou R$ 5 mil. “É uma campanha que causa impacto positivo e cada um pode contribuir. Antes, recebíamos mensalmente solicitações de ajuda de entidades, mas não conseguíamos atender a todas. Então, criamos a campanha”, conta o presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira. Já o presidente do Conselho de Administração da Cocamar, Luiz Lourenço, reforçou que a campanha atende ao sétimo princípio cooperativista, de interesse pela comunidade.

Quinta edição - Durante o evento foi lançada a quinta edição, que terá como prêmios carros, motos e celulares. As entidades poderão inscrever os projetos a partir de 20 de março em www.campanhauniaosolidaria.com.br. Se tiverem os projetos aprovados, ganharão cupons de R$ 10 para comercializar e ficarão com o valor total das vendas. Até a quarta edição a campanha arrecadou mais de R$ 12,2 milhões. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

Ganhadores do Fiat Argo

Arnaldo Ferrari, de Maria Helena/PR

Entidade vendedora: Paróquia N.S. das Graças

Célia Maria da Silva de Oliveira, de Londrina/PR

Entidade vendedora: Missão Casa Verde

Nair Orfei Modesto, de Piracicaba/SP

Entidade vendedora: Paróquia N. S. Desterro

Ganhadores das motocicletas

Gustavo de A. Bezerra, de Jussara/PR

Entidade vendedora: Ass. Catadores de Materiais de Jussara

Luiz C. Miosso, de Colorado/PR

Entidade vendedora: Apae de Colorado

Vinícius O. Sousa, de Londrina/PR

Entidade vendedora: Paróquia São Vicente de Paulo

Maristela A. de Siqueira, de Carlópolis/PR

Entidade vendedora: Apae de Carlópolis

Giovani da S. Bueno, de Piracicaba/SP

Entidade vendedora: Paróquia Santa Rosa de Lima

Andréa Franco, de Araras/SP

Entidade vendedora: Santa Casa de Arara

 

EVENTOS: CBSoja e Mercosoja 2022 debatem os desafios da produção sustentável de soja

evento 21 03 2022A conferência de abertura do IX Congresso Brasileiro de Soja e do Mercosoja 2022, a serem realizados de 16 a 19 de maio, em Foz do Iguaçu (PR), pela Embrapa Soja, irá abordar as novidades e as tendências do mercado mundial de soja pela diretora de Desenvolvimento de Mercado em CME Group (Bolsa de Chicago) com foco na América Latina/ Commodities, Roberta Paffaro. O evento será presencial, porém existe a possibilidade de participação em formato on-line. As inscrições podem ser realizadas pelo site do evento: www.cbsoja.com.br.

Fóruns técnico-científicos - O CBSoja e o Mercosoja são os dois maiores fóruns técnico-científicos da cadeia produtiva da soja na América do Sul e ocorrem em conjunto nessa edição do evento. A expectativa é reunir aproximadamente 2 mil participantes da cadeia produtiva da soja e palestrantes nacionais e internacionais de vários segmentos ligados ao complexo soja.

Atividades - Para discutir o tema central do evento - Desafios para produção sustentável no Mercosul - estão programadas seis conferências, 18 paneis em que serão realizadas mais de 50 palestras. Além disso, o evento contará com mais de 300 trabalhos técnicos inscritos que serão apresentados em formato pôster e oralmente. O presidente dos eventos, Adeney de Freitas Bueno, pesquisador da Embrapa Soja, ressalta que para garantir a segurança aos participantes, os eventos - em formato presencial - seguirão todos os protocolos de saúde estabelecidos para a prevenção contra a Covid-19 além de ser exigido a comprovação do ciclo vacinal completo ou o teste PCR negativo de Covid de até 72 horas a todos os participantes.

Programação técnica - A programação técnica irá abordar desde assuntos ligados aos atuais desafios tecnológicos dos sistemas de produção, às novas oportunidades que estão surgindo para a cadeia produtiva, tendo a sustentabilidade como conceito transversal em todo evento. Os aspectos relacionados à sustentabilidade, por exemplo, podem impactar na abertura de novos mercados, na inserção da cadeia na era da bioeconomia, nos avanços na área de edição genômica e outras tecnologias emergentes e disruptivas.

Arena de Inovação - Uma das novidades desta edição será a Arena da Inovação, ambiente que pretende integrar os participantes do ecossistema brasileiro de inovação, reunido desde startups a empresas de agricultura 5.0, além de apresentar as mais recentes aplicações emergentes e disruptivas para a cadeia produtiva da soja.

Pavilhão do Expositor - Além da ampla programação técnico-científica, haverá a feira tecnológica, em que os expositores apresentarão as mais recentes tecnologias desenvolvidas para a cadeia de produção de soja e possibilita a interação entre os participantes resultando em uma excelente oportunidade de networking, negócios e articulação de agendas de trabalho. O Pavilhão do Expositor irá reunir mais de 32 expositores que irão demonstrar informações e conhecimentos relevantes para o mercado, como a apresentação de equipamentos, tecnologias e serviços que estão impactando positivamente no campo.

Relare - Pela primeira vez na história do congresso, haverá a realização simultânea da Rede de Laboratórios para a Recomendação, Padronização e Difusão de Tecnologia de Inoculantes Microbianos de Interesse Agrícola (Relare), que ocorrerá nos dias 16 e 17 de maio.

CBSoja formato presencial - A inscrição dá acesso a toda programação científica, área de estandes, sessão de pôsteres, coquetel de abertura, jantar de confraternização, coffee breaks e kit do congressista contendo material de apoio. O participante terá acesso a todo conteúdo da plataforma CBSoja GoLive a partir do momento da confirmação de sua inscrição, a toda programação gravada do Espaço Brasil e sessão pôster virtual, que ficará disponível até 30 dias após o término do evento.

CBSoja formato on-line - Os participantes que se inscreverem para esse formato de evento terão direito a acompanhar a programação ao vivo somente do Espaço Brasil podendo escolher as entre as opções de idioma de inglês ou português. Para quem se inscrever nesse formato ainda terá acesso a uma feira virtual com as empresas expositoras no evento e aos artigos técnicos da sessão dos pôsteres, apresentados presencialmente. Inscrições para o formato on-line também garantem o acesso a todo o conteúdo da plataforma “CBSoja GoLive”. Informações e inscrições aqui www.cbsoja.com.br. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

 

TRIGO EM FOCO: Evento no Paraná vai reunir representantes das indústrias moageiras

trigo foco 21 03 2022Em um momento de incertezas sobre a oferta global de trigo e oscilações nos preços das commodities, representantes das maiores indústrias moageiras do Paraná e do país se articulam para participar do workshop Moatrigo, que destaca o tema “Do Trigo ao Tech” com a proposta de oferecer novos conhecimentos e ferramentas, de olho na superação de desafios e no desenvolvimento do segmento.

Presencial - Em sua primeira edição presencial – depois de uma série de encontros on-line realizados durante a pandemia – o Moatrigo será realizado dia 5 de abril, em Curitiba. A promoção é do Sinditrigo-PR – Sindicato da Indústria do Trigo do Paraná, que reúne 28 associadas e colaboradoras, entre moinhos de trigo e fornecedoras de insumos da área. Atualmente, segundo dados da Abitrigo, o Paraná soma 30% do volume nacional de moagem de trigo, tendo alcançado 3,6 milhões de toneladas em 2021.

Público - O presidente do Sinditrigo-PR, Daniel Kümmel, comenta que o evento vai reunir executivos, gestores, colaboradores e fornecedores, apresentando um conteúdo de grande relevância para o setor moageiro, com um time de peso conduzindo palestras e workshops sobre as mais novas tecnologias de produção, tendências de consumo e adequação e adaptação dos moinhos de trigo aos novos cenários para melhor atender aos clientes e ao mercado.

Proposta - “Idealizamos o Moatrigo com uma proposta voltada para o desenvolvimento da indústria moageira, pensando na prática e focando na divulgação de conhecimento e tecnologias que podem impactar para ampliar a performance produtiva, operacional e de resultados”, resume Kümmel.

Importância - Apesar deste workshop estar agendado já muito antes de toda a mudança de cenário que vem ocorrendo por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia – países que respondem por 30% da produção mundial de trigo - o presidente do Sinditrigo-PR afirma que a reunião de representantes da indústria moageira neste momento ganha contornos ainda mais importantes.

Contribuição - “Temos um panorama de incertezas e somar forças vai contribuir para que todos saiam com mais bagagem e ideias. E esse é justamente o papel institucional do Sinditrigo-PR, beneficiando suas associadas e contribuindo com o desenvolvimento do setor no Paraná e no Brasil”.

Programação e inscrições - A programação completa do Moatrigo 2022 pode ser conferida no site www.moatrigo.com.br e as inscrições estão abertas. O evento acontece dia 05 de abril, no Taboo Eventos, na capital paranaense.

Realização - O Moatrigo tem realização do Sinditrigo-PR e de suas associadas e colaboradoras. O patrocínio é da Eurogerm Ingredientes & Solutions; AIT Ingredientes Brasil; Global Food; Prozyn Biosolutions; Bühler; Sangati Berga; Moageira Irati; Gavilon; Romanus; Biotrigo Genética e Open Solo.

Apoio - O evento tem apoio da Fiep, Embrapa, Abitrigo, Faep, Inpar, Abimapi, Ocepar e Apras. (Assessoria de Imprensa do Sinditrigo-PR)

 

BANCO DO AGRICULTOR: Com juros subsidiados pelo Estado, programa já muda a realidade dos paranaenses

banco agricultor 21 03 2022Os cafezais simetricamente plantados pela agricultora Silvana Santos Marcomini Favaro, de Ivaiporã, no Vale do Ivaí, agora dividem espaço com tubos, filtros e aspersores, mudando um pouco o cenário da belíssima paisagem, vizinha “de fundos” do famoso rio que dá nome a uma das principais regiões de produção de café do Paraná.

Explicação - A adaptação tem explicação. Silvana está instalando na propriedade de três hectares de plantas de café um sistema de irrigação. Sonho antigo dos Favaro, que se tornou ainda mais prioridade com as ondas de calor e estiagem que acompanham a Região Sul do País. “Já são quatro anos assim, praticamente sem chuva”, diz a proprietária.

Banco do Agricultor - O planejamento saiu do papel com a ajuda do Banco do Agricultor Paranaense. Silvana foi avisada que o programa desenvolvido pelo Governo no ano passado buscava facilitar a vida de quem estava de mal com São Pedro. Pela linha de financiamento estadual, projetos de irrigação que utilizem recursos do Plano Safra e formalizados até 31 de dezembro de 2022 saem a juros zero para os produtores, com as taxas custeadas integralmente pelo Estado. Além de carência para iniciar o pagamento e parcelas a perder de vista.

Recursos - Silvana captou R$ 157 mil. Recursos que prevê pagar com o incremento na produtividade das terras. “Era um projeto que já tinha intenção de fazer, mas que virou necessidade por causa da seca prolongada. Aí apareceu o Banco do Agricultor para nos ajudar”, diz. “Acredito que a produção total vai aumentar em pelo menos 30%, fora a maior qualidade do café que será produzido”, acrescenta Silvana, que estima colocar o sistema para rodar até o fim de abril.

Outra propriedade - Irrigação que também está sendo instalada na propriedade de Marcos Leite, na vizinha Lidianópolis. Também para o café. “Passaremos, acredito eu, de 27/28 sacas beneficiadas por hectare para até 60 sacas por hectare. Será um salto muito grande a partir da irrigação”, afirma o cafeicultor, cujo financiamento de R$ 45 mil contemplou juro zero, dois anos de carência e outros cinco para pagamento das prestações.

Além - O escopo do projeto, porém, vai bem além. Antônio Navarro, de Sabáudia, na Região Norte, tem 10 anos para quitar o investimento em placas solares instaladas na granja com capacidade de 70 mil frangos. Ação de resultado imediato. Logo no primeiro mês, ele viu a conta de luz baixar de aproximadamente R$ 10 mil para R$ 300, com a vantagem ainda de a usina bancar a energia que gasta em casa. “São 15 mil kWh/mês, suficientes para o consumo nos barracões da granja e na minha casa. Um negócio excelente, mas que só se tornou viável por causa do juro zero”, destaca.

Godoy Moreira - Em Godoy Moreira, no Vale do Ivaí, Adeir Batista Prado recorreu ao Banco do Agricultor Paranaense para aumentar o rebanho. Passou de 10 para 20 vacas leiteiras, com um incremento estimado de 30% na produção.

Juros - No caso dele, 3 pontos percentuais dos 4,5% da taxa de juros são custeados pelo programa. “No final dá uma diferença bem considerável”, diz. No caso de energia renovável, o juro zero vale para projetos que usem recursos provenientes do Plano Safra e formalizados até 31 de dezembro de 2022.

Funcionamento - Lançado em 2021, o Banco do Agricultor Paranaense funciona como um programa de crédito exclusivo com juros subsidiados pelo Governo do Estado. A proposta é alavancar investimentos por meio da equalização de taxa de juros em diversas atividades agropecuárias, além de promover inovação tecnológica, sustentabilidade, geração de emprego e melhoria da competitividade do produto paranaense. O alcance é estimado em R$ 500 milhões.

Reembolso - Para isso, o Estado compensa o agricultor, por meio da Fomento Paraná, com recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE), com o reembolso de até 3 pontos porcentuais do juro contratado junto às instituições financeiras que trabalham com crédito rural – neste primeiro momento estão credenciados o Banco do Brasil, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e cooperativas de crédito (Sicoob e Cresol).

Enquadramento - Ou seja, dependendo do enquadramento dentro do programa e das condições do empréstimo, o financiamento é a juro zero para o agricultor, com os encargos ficando sob responsabilidade do Governo. Há, ainda, carência mínima para o pagamento da primeira prestação, variável de acordo com cada linha de crédito.

Produção de alimentos - “Qualquer lugar do mundo só vira uma potência quando descobre o que faz de melhor. No Paraná o que sabemos fazer de melhor é produzir alimentos. Hoje, exportamos comida para centenas de países e o agronegócio é responsável por cerca de um terço do Produto Interno Bruto (PIB) do nosso Estado. Então, o Governo tem responsabilidade de incentivar a criação de um ambiente de negócios que favoreça o setor”, destaca o governador Ratinho Junior. “O Banco do Agricultor Paranaense é algo inédito no País”.

Autorização - De acordo com a lei aprovada pela Assembleia Legislativa, a subvenção está autorizada para a agricultura familiar, cooperativas e associações de produção, comercialização e reciclagem, e as agroindústrias familiares, além de projetos que utilizem fontes renováveis de geração de energia e ou destinados à irrigação, entre outros. O financiamento é operado no âmbito do Programa Paraná Mais Empregos.

Agro - “O Estado propõe uma política bastante agressiva no sentido de o dinheiro ser barato para o produtor. O agro é o setor que ajudou na retomada economia com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e merece ser bem tratado pelo Governo do Estado”, explica o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara. Ele acentua que a aplicação de juro zero para energia renovável é um fomento a mais na busca de tornar o Estado mais sustentável econômica e ambientalmente.

Sistema robusto - "O Paraná tem um sistema de financiamento muito robusto. O Banco do Agricultor é uma amostra dessa força", completa o diretor-presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

Irrigação e cooperativas - Uma das linhas oferecidas é para projetos de irrigação, com subvenção para financiamento de até R$ 850 mil por CPF. Nesse caso, os agricultores familiares, de forma geral, e os médios e grandes produtores da região do Arenito Caiuá (Noroeste) poderão equalizar até 3 pontos percentuais de taxas de juros ao ano. Para médios e grandes produtores com propriedade em outras regiões, até 2 pontos percentuais. Serão beneficiados projetos para a produção de grãos, pastagens, forragens, mandioca, café, frutícolas, flores e olerícolas.

Linha - Na linha destinada ao aumento de produção, inovação e aprimoramento dos processos de cooperativas da agricultura familiar há possibilidade de subvenção para obras civis, aquisição e instalação de máquinas e equipamentos e para projetos e prestação de serviços de assistência técnica. A equalização é para valores de até R$ 1 milhão por CNPJ.

Faturamento anual - Já para aquelas que tiverem faturamento anual no limite de R$ 4,8 milhões, a compensação pode chegar a 3 pontos percentuais em investimentos produtivos e integralização de cotas-partes. Projetos de inovação e investimentos produtivos das cooperativas com faturamento entre R$ 4,8 milhões e R$ 16 milhões podem equalizar até 2 pontos percentuais anuais.

Agroindústrias e leite - Projetos de implantação, expansão, modernização e adequações para atendimento a exigências sanitárias em agroindústrias também estão previstos. As operações podem ter equalização de juros de até 3 pontos percentuais ao ano se a agroindústria se localizar em município com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), abaixo da média estadual, ou o faturamento estiver no limite de R$ 4,8 milhões.

Demais municípios - No caso dos demais municípios ou o faturamento se posicionar até R$ 16 milhões, a subvenção é de 2 pontos percentuais. A compensação, no entanto, fica restrita a projeto com valor financiado não excedente ao limite de crédito estabelecido nas normas do Conselho Monetário Nacional (CMN), divulgadas pelo Banco Central do Brasil e codificadas no Manual de Crédito Rural (MCR), por CPF, ao beneficiário do Pronaf, de forma individual ou coletiva, e até R$ 330 mil para pessoa jurídica/CNPJ.

Equalização - Em projetos de pecuária leiteira, prevê a equalização em projeto com valor financiado não excedente ao limite de crédito estabelecido nas normas do CMN, divulgadas pelo Banco Central e codificadas no MCR, por CPF, ao beneficiário do Pronaf, destinado à compra de matrizes, instalações, equipamentos e implementos que melhorem a produtividade, qualidade, adequação sanitária e renovação genética do rebanho.

Declaração de aptidão - A subvenção é de 3 pontos percentuais para os agricultores familiares com declaração de aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e propriedade em município com IDH abaixo da média estadual. Para outras cidades, de 2 pontos percentuais.

Água, pinhão e erva-mate - A proposta privilegia, ainda, projetos capazes de viabilizar a produção de água, com aumento de vazão de minas, córregos e riachos, e a captação ou represamento de águas pluviais. O investimento não pode exceder R$ 50 mil e deve se destinar à aquisição de materiais, equipamentos e serviços para adequação de microbacia, proteção de nascentes e construção ou impermeabilização de reservatórios e cisternas.

Credenciamento - Podem se credenciar agricultores familiares com declaração de aptidão ao Pronaf em todos os municípios. A compensação será de 3 pontos percentuais ao ano independentemente da localização da propriedade. Ou seja, se a operação for contratada com taxa inferior, o proprietário poderá abater 100% dos juros.

Mais - A produção de mudas, plantio, replantio e manutenção de florestas com pinheiro e erva-mate em projeto com valor financiado não excedente ao limite de crédito estabelecido nas normas do CMN, divulgadas pelo Banco Central e codificadas no MCR, por CPF, ao beneficiário do Pronaf também está integrada ao pacote. Para agricultores familiares do Pronaf, em municípios com IDH abaixo da média estadual, a equalização será de até 3 pontos percentuais. Os demais de 2 pontos percentuais.

Piscicultura, orgânicos e turismo - A mesma compensação da taxa de juros em 3 pontos percentuais se dá para agricultores do Pronaf em municípios com IDH baixo e de 2 pontos percentuais nos demais municípios para ações voltados para a piscicultura. Aplica-se a projeto com valor financiado não excedente ao limite de crédito estabelecido nas normas do CMN, divulgadas pelo Banco Central e codificadas no MCR, por CPF, ao beneficiário do Pronaf.

Mesmas condições - O decreto estabelece as mesmas condições para diversos projetos relacionados a outras cadeias produtivas, como da seda, café, olerícolas, floricultura e fruticultura, além de sistemas de produção orgânica ou agroecológica. Se a linha de crédito tiver taxa de juros inferior a 3 pontos percentuais, a equalização será de até 100%.

Ampliação - Um novo decreto, de fevereiro, ainda ampliou a atuação do Banco do Agricultor para mais duas áreas: apicultura e turismo rural. Projetos que modernizem a produção de mel ou que atraiam turistas para o Interior vão poder receber a subvenção de até 3 pontos percentuais ao ano concedida pelo Estado.

Energia renovável - O Banco do Agricultor Paranaense prevê também subvenção para operações em obras civis, aquisição de materiais e equipamentos e na elaboração de projetos de geração de energia a partir de fontes renováveis. Se enquadram ações do modelo solar fotovoltaica e biomassa, com prioridade para projetos relacionados à Geração Distribuída ou Geração Isolada.

Valores - São passíveis do benefício valores financiados de até R$ 500 mil para energia solar fotovoltaica e de até R$ 1,5 milhão em biomassa. A equalização é de 3 pontos percentuais.

Excepcional - O projeto estipula que, de forma excepcional, programas de apoio à irrigação e de fomento ao uso de fontes de energia alternativas no âmbito do Banco do Agricultor Paranaense terão equalização integral das taxas de juros em contratações efetivadas até 31 de dezembro de 2022 com recursos do Plano Safra. “Sem chuva baixa muito a produtividade, por isso o programa vai melhorar bastante a vida de quem produz no Paraná”, destaca o engenheiro agrônomo do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná), Cleverson da Silva Souza.

Pandemia - A concessão se deve aos impactos da pandemia da Covid-19 na economia paranaense, além das severas estiagens verificadas nos últimos anos e a necessidade de reduzir custos de produção.

Como acessar - Para acessar o programa, basta o agricultor ou empresário buscar o banco conveniado com a Fomento Paraná e acertar as condições do investimento. Mais informações também estão na página oficial do programa. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 

COMBUSTÍVEL RENOVÁVEL: Governo lança nesta segunda medidas de incentivo à produção de biometano

energia renovavel 21 03 2022O Brasil assinou, no ano passado, durante a Cúpula do Clima (COP 26), um compromisso global de reduzir em 30% as emissões de metano na atmosfera. Para ajudar a cumprir esta meta, o governo vai lançar, nesta segunda-feira (21/03), várias medidas de incentivo à produção de biometano. A informação é do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, que foi o entrevistado deste domingo (20/03) programa Brasil em Pauta.

Iniciativas - Segundo Leite, diversas iniciativas já são realizadas para transformar resíduos sólidos – especialmente de aves, suínos, cana-de-açúcar e os provenientes dos aterros sanitários - em biometano. De acordo com o ministro, a transformação desses resíduos reduz a quantidade de gás metano gerado por esse tipo de lixo. “É lixo virando energia, é lixo virando combustível”, comemorou.

Uso - Leite diz que as propriedades rurais estão transformando esse resíduo em biogás e utilizando em tratores, caminhões e ônibus “Você pode usar o gás gerado na própria propriedade e reduzir o custo com o diesel”, falou.

Medidas - Entre as medidas que serão anunciadas estão novas linhas de financiamento para crescimento verde. São R$ 400 bilhões para essa finalidade.

Execução - De acordo com o ministro, as políticas públicas são desenhadas pelo governo mas é o setor privado que deve executá-las. “É quem transformará a economia de hoje baseada em combustíveis fosseis numa economia neutra em emissões de gás de efeito estufa”, disse. (Agência Brasil)

FOTO: Valter Campanato / Agência Brasil

 

ANTT: Agência atualiza valores dos pisos mínimos de frete

Considerando a divulgação, pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), do preço médio do óleo diesel S10 referente à semana de 13/03/2022 a 19/03/2022, no valor de R$ 6,751 por litro, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) atualizou os coeficientes do pisos mínimos do transporte rodoviário de cargas, mediante aplicação do percentual de 24,58% ao valor do óleo diesel utilizado para o cálculo das tabelas, o que resultou em uma variação de 11 a 14% do referencial mínimo de frete, a depender do tipo da carga e número de eixos.

DOU - Confira os novos valores publicados na edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de sexta-feira (18/03). (ANTT)

FOCUS: Mercado aumenta projeção da inflação para 6,59% este ano

focus 21 03 2022O mercado financeiro aumentou pela décima vez consecutiva a previsão de inflação para este ano. Segundo projeção do Boletim Focus, divulgada nesta segunda-feira (21/03) pelo Banco Central, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar este ano em 6,59%. Há uma semana, a projeção do mercado era de que a inflação este ano ficasse em 6,45%%. Há quatro semanas, a previsão era de 5,56%.

Projeção - Divulgado semanalmente, o Boletim Focus reúne a projeção de cerca de 100 instituições do mercado para os principais indicadores econômicos do país.

IPCA - Para 2023, o mercado também aumentou a projeção da variação do IPCA. Com isso, a projeção desta semana aponta uma inflação de 3,75% ante os 3,71% projetados na semana passada. Há quatro semanas, a projeção era de uma inflação de 3,5% no próximo ano.

2024 - Para 2024, o mercado manteve a estimativa da semana passada que projetou uma inflação de 3,15%.

PIB - Na projeção desta semana, o Focus também elevou a previsão do PIB registrada há sete dias. A nova projeção é de PIB de 0,50%, em 2022, ante o 0,49% previsto na semana passada.

Redução - Para 2023, entretanto, o boletim Focus registrou uma redução na expectativa de crescimento em relação ao apontado na semana passada, passando de 1,43% para 1,3%. Há quatro semanas, a previsão era de que o PIB crescesse 1,5%. Para 2024, a projeção ficou estável, em 2%.

Taxa de juros e câmbio - O mercado também projetou alta para a taxa básica de juros, a Selic, para 2022. Na projeção divulgada nesta segunda-feira, a Selic deve ficar em 13%, ante os 12,75% ao ano da semana passada.

Copom - Na semana passada, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou a taxa Selic, de 10,75% para 11,75% ao ano para conter a alta nos preços.

Estimativa - Para o fim de 2023, a estimativa do mercado para a Selic também aumentou. A nova projeção é que a taxa básica fique em 9% ao ano, ante os 8,75% ao ano da semana passada. Para 2024, a previsão da Selic se manteve estável em relação à semana passada, ficando em 7,50% ao ano.

Cotação - No que diz respeito ao câmbio, a expectativa do mercado para a cotação do dólar em 2022 ficou em R$ 5,30, a mesma da semana passada.

Alta - Para o próximo ano, a previsão do mercado foi de uma ligeira alta em relação ao projetado na semana anterior. Com isso, a projeção passou de R$ 5,21 para R$ 5,22, esta semana. Para 2024, a estimativa para a cotação da moeda americana ficou em R$ 5,20. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

IPEA: Indicador registra queda de 0,4% nos investimentos em janeiro

ipea 17 02 2022O Indicador Mensal de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nesta segunda-feira (21/03), registrou queda de 0,4% na comparação entre janeiro de 2022 e dezembro de 2021, na série com ajuste sazonal. Com esse resultado, o trimestre móvel finalizado em janeiro deste ano fechou com alta de 1,4%. Em relação ao mesmo período de 2020, em janeiro, verificou-se queda de 5,5% nos investimentos totais, enquanto o trimestre móvel fechou com queda de 1,8%.

Composição - A FBCF é composta por máquinas e equipamentos, construção civil e outros ativos fixos. A evolução da FBCF e de seus componentes pode ser visualizada na tabela abaixo:

Taxas de crescimento do Indicador Ipea mensal de FBCF (Em %)

ipea quadro 17 03 2022

 

 

 

 

 

 

 Fonte: Ipea.

Elaboração: Grupo de Conjuntura da Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas (Dimac) do Ipea.

Notas: 1 Sazonalmente ajustado pelo Ipea (método X-13).

2 Trimestre terminado no mês de referência da divulgação.

Consumo aparente - O consumo aparente de máquinas e equipamentos apresentou recuo de 4,7% em janeiro e encerrou o trimestre com alta de 0,4%. Enquanto a produção nacional de máquinas e equipamentos destinados ao mercado interno caiu 4,9% em janeiro, as importações diminuíram 12,5% no mesmo período. Com isso, as importações cresceram 5,5%% no trimestre móvel, enquanto a produção nacional, por sua vez, encerrou o período com uma queda de 0,5%. No acumulado em 12 meses, o investimento em máquinas e equipamentos teve aumento de 22,4%.

Construção civil - Os investimentos em construção civil avançaram em janeiro na série dessazonalizada, com alta de 2,9%. Com esse resultado, o setor fechou o trimestre móvel com queda de 1,4% e no resultado acumulado em 12 meses o crescimento foi de 12,3%.

Comparação - Em comparação com o mesmo período de 2020, verificou-se um desempenho heterogêneo em seus componentes. Enquanto o componente máquinas e equipamentos recuou para um patamar 19,1%, inferior a janeiro de 2021, a construção cresceu 3,3%. Na comparação trimestral, os resultados foram similares. (Assessoria de Imprensa do Ipea)

Acesse a íntegra do indicador

 

SAÚDE I: Brasil registra 657.205 mortes por Covid-19

O Brasil registrou, desde o início da pandemia, 657.205 mortes por covid-19, conforme mostra o boletim epidemiológico divulgado neste domingo (20/03), às 17h, pelo Ministério da Saúde. O número total de casos confirmados da doença chegou a 29.630.484.

24h - Em 24 horas, foram registrados 13.218 novos casos. No mesmo período, foram confirmadas 103 mortes de vítimas do Sars-CoV-2. O boletim indica ainda que 28.187.8353 pessoas se recuperaram da doença e 785.926 seguem em acompanhamento.

Estados - São Paulo tem o maior número de casos, com 5.182.658, seguido por Minas Gerais, com 3.296.877 registros, e Paraná com 2. 396.983. O Acre é o estado com menor número de casos. Lá, são 123.669. Antes, aparecem Roraima, com 154.827 casos e Amapá, 160.260 registros.

Mortes - São Paulo tem também o maior número de mortes. O estado anotou 166.658 vítimas da covid-19, seguido do Rio de Janeiro com 72.495 e Minas Gerais com 60.560. Os menores números de óbitos estão no Acre com 1.990 e em Roraima 2.144.

Não atualizaram - De acordo com o boletim, não foram atualizados os dados deste domingo no MT, DF, PB e TO (óbitos). (Agência Brasil)

 

covid 20.03.22 0

SAÚDE II: Sesa divulga 1.125 novos casos e 2 óbitos pela Covid-19

saude II 21 03 2022A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (20/03) mais 1.125 casos confirmados e 2 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números não necessariamente representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 2.386.249 casos confirmados e 42.569 mortos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de março (593), fevereiro (68) e janeiro (458) de 2022; outubro (1), julho (1), junho (1) e novembro (1) e julho (1) de 2020. Os óbitos divulgados nesta data são de março (1) de 2022 e junho (1) de 2021.

Internados - 84 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados em leitos SUS (41 em UTI e 43 em leitos clínicos/enfermaria) e nenhum em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 463 pacientes internados, 217 em leitos UTI e 246 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos da rede pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais dois pacientes. São 2 homens com idades de 42 e 59 anos. Os óbitos ocorreram entre 13 de junho de 2021 e 19 de março de 2022. Os pacientes que foram a óbito residiam em: São José dos Pinhais (1) e Pinhais (1)

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra o total de 10.734 casos e 232 mortes de residentes de fora do Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando aqui.

 

ARTIGO: A importância da alta liderança em tempos de crise

artigo 21 03 2022* Shandrus Hohne de Carvalho

A alta liderança é, sem sombra de dúvidas, um dos fatores mais importantes para o sucesso de uma organização, especialmente, em tempos de crise. Ela tem como responsabilidade definir estratégias para a empresa, direcionar os gestores aos seus objetivos e fornecer o exemplo para a gestão da qualidade dentro da corporação.

Hunter, 2004, p. 25 define a liderança como, “a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir os objetivos identificados como sendo para o bem comum”. Em períodos de turbulência e incerteza, é considerada fundamental para superar as adversidades e controlar a situação para que os colaboradores não se abalem com o cenário instável.

Recentemente, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, deu início a uma guerra contra a Ucrânia ao atacar militarmente a Donbass, área de maioria russa étnica no leste do país vizinho. Além de todos os riscos para a humanidade, a crise não afeta apenas as regiões participantes do conflito, mas sim, todo o mundo, já que estamos vivendo a era da globalização.

Acredito que em momentos de crise, a liderança é a responsável por se aproximar ainda mais de sua equipe, não apenas para direcioná-la, como também para explorar o “ouro do século 21”: as informações. Hoje, graças à tecnologia, elas são divulgadas a cada segundo de maneira muito rápida, ao contrário de confrontos anteriores, que levavam dias e até mesmo meses para serem divulgados. A prova disso é que antes mesmo da Rússia iniciar o ataque, os Estados Unidos conseguiram capturar a movimentação das tropas russas em direção à Ucrânia e alertar o mundo antes mesmo do início do combate, tendo, assim, tempo das forças ucranianas se colocarem em posição.

Na minha opinião, no mundo corporativo, em especial, na alta liderança, isso também ocorre. É preciso que a empresa, ou seja, toda a estrutura organizacional, esteja unida para capturar o maior número de informações, se munir e conseguir antecipar os fatos. Para isso, é fundamental a proximidade do líder com todos os setores da empresa e stakeholders, para que ele se mantenha informado e tenha tomada de decisões rápidas e assertivas, antes dos fatos ocorrerem em decorrência do conflito.

Portanto, é fundamental que a liderança trabalhe três análises muito importantes: a preditiva, a holística e a de filtros. Na análise preditiva, por exemplo, há a antecipação dos fatos que podem afetar e colocar em risco o negócio – impactos que não devem ocorrer de forma rápida, mas sim a longo prazo. No contexto de crise, o líder deve ser imparcial para tentar prever quais os possíveis entraves com a movimentação dos “protagonistas” e stakeholders, para, assim, mitigar as consequências.

Quando falamos em analisar os agentes presentes, sejam eles internos e/ou externos, abordamos a análise holística do negócio, que visa tratar o cenário como um todo. Trabalhando desta forma, o líder conseguirá identificar quais setores devem ser atingidos e quais ações devem ser tomadas. Contudo, para saber como os agentes estão se comportando, a liderança deve ser munida de informações.

Outro fator imprescindível é a criação de um Comitê de Crise para coordenar as ações da empresa a fim de garantir a continuidade do negócio. Para Rosa (2004: p. 321-322), o papel principal do comitê é estabelecer a cultura de crise de cada organização, o que significa na prática saber as crises a que as quais a organização está mais vulnerável, as ações para corrigir essa vulnerabilidade e assim desenvolver o Plano de Gerenciamento de Crises. É por meio do Comitê que são feitos os relatórios de análise da empresa (análises de risco) que dão suporte para a tomada de decisões rápidas e eficientes.

Ainda contamos com algumas ferramentas de gestão de risco que auxiliam a alta liderança a se antecipar e se preparar para eventuais situações, como o Diagrama de Pareto, o FMEA, o Diagrama Ishikawa, entre outros. O Diagrama de Pareto é um recurso gráfico usado para o gerenciamento de qualidade, útil para identificar as fontes dos problemas, evidenciando a prioridade de atenção; o FMEA é responsável por identificar potenciais riscos ou causas de falha de um processo; e o Diagrama de Ishikawa é um recurso gráfico que tem como função auxiliar as análises das organizações a descobrir as causas reais de problemas da organização.

Hoje, os líderes ainda precisam lidar com outros obstáculos da atualidade, como as “fake news”, que têm atrapalhado e muito as demais análises. A informação correta é a base do sucesso. Sendo assim, verificá-la é essencial: avalie meios de comunicação (empresas e autores sem viés político partidário que possam expressar de forma independente ou até mesmo autores desconhecidos), data de publicação (é importante checar se as informações não são antigas e se não possuem relevância no cenário atual) e fontes de dados na informação (é fundamental apurar estudos e pesquisas oficiais).

Percebo que a grande quantidade de notícias divulgadas em rápida velocidade faz com que os líderes de hoje sejam cada vez mais dinâmicos para se ambientar em um cenário em constante modificação, tendo ainda condições de tomar decisões mais assertivas e importantes em curto espaço de tempo.

* Shandrus Hohne de Carvalho é CEO da Holambra Cooperativa Agroindustrial

 


Versão para impressão


RODAPE