Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5288 | 29 de Março de 2022

AGO: Assembleia Geral Ordinária do Sistema Ocepar será em formato digital, com transmissão ao vivo pela TV PR Cooperativo

ago 29 03 2022O Sistema Ocepar promove sua Assembleia Geral Ordinária (AGO) na sexta-feira (01/04), a partir das 14h, em formato digital. Os presidentes das cooperativas registradas na entidade vão participar pela plataforma Microsoft Teams e necessitam se inscrever antecipadamente por meio do formulário eletrônico: https://forms.office.com/r/gukcnSgn1E. O link de acesso para a AGO será enviado por e-mail e é intransferível. O público em geral poderá acompanhar a reunião ao vivo pela TV Paraná Cooperativo, no canal do Sistema Ocepar no Youtube.

Pauta - A Assembleia é destinada à prestação de contas do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2021, contemplando Balanço Patrimonial e Demonstrações de resultado do exercício, relatório da auditoria independente e parecer do Conselho Fiscal. Também será apresentada a proposta de orçamento de receitas, despesas e imobilizações para 2022 e do plano de trabalho para o exercício de 2022. A AGO contempla as três entidades que formam O Sistema Ocepar: o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar).

Links - Clique nos links abaixo para conferir na íntegra os editaisde convocação da AGO.

- Ocepar

- Sescoop/PR

- Fecoopar

 

DEBATE: Diretores do Banco Central participam do Fórum de Gestão Pública da Faciap

debate 29 03 2022A equipe diretiva do Banco Central do Brasil estará em Curitiba nesta terça-feira (29/03), para participar do IV Fórum de Gestão Pública, organizado pela Faciap, que ocorre no Teatro Positivo, no bairro Campo Comprido. O evento é coordenado pela Faciap e conta com o apoio do G7, grupo formado pelas principais entidades representativas do setor produtivo paranaense, e patrocínio do Sebrae e das cooperativas de créditos Sicredi, Cresol e Sicoob.

Programação - O Fórum tem uma programação voltada para empresários e profissionais que operam na área econômica. Com início às 14 horas, o Fórum será aberto com uma palestra do diretor de Regulação do Banco Central, Otávio Damaso, sobre o tema “Cenário Econômico e Agenda BC”. Damaso substitui o presidente do BC, Roberto Campos Neto, previsto inicialmente para fazer a apresentação mas que não poderá participar do evento.

Painel com cooperativas de crédito - Os diretores de Fiscalização do Banco Central, Paulo Sérgio Neves de Souza e de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta, Maurício Costa Moura, são os convidados especiais para participarem do painel sobre “A Importância do Sistema Financeiro na Economia Real”, que ocorrerá a partir das 15 horas.

Participação - O painel terá participação do presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock; do presidente do Conselho do Sicoob Central Unicoob Wilson Cavina e do presidente da Central Cresol/Baser, Alziro Thomé.

Inscrição - A inscrição é gratuita. Inscreva-se AQUI. (Com informações da Assessoria de Imprensa da Faciap)

 

COAMO/CREDICOAMO: Cooperativas recebem visita de Diretores do Banco Central

Os diretores do Banco Central do Brasil, Otavio Ribeiro Damaso, Regulação do Sistema Financeiro, e Paulo Souza, Fiscalização, estiveram, nesta segunda-feira (28/03), na Coamo e na Credicoamo para conhecer o sistema de integração entre as duas cooperativas. A agenda contou com visita a uma família associada, ao parque industrial, a Fazenda Experimental e plantio de uma árvore no pátio da administração central das cooperativas, em Campo Mourão (PR).

Recepção - Os diretores foram recepcionados pelo presidente dos Conselhos de Administração da Coamo e da Credicoamo, engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, presidentes Executivos Airton Galinari, Coamo, e Alcir José Goldoni, Credicoamo, e diretores das duas cooperativas. O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap), Fernando Moraes, e da Associação Comercial e Industrial de Campo Mourão (Acicam), Ben-Hur Berbet, também participaram do evento.

Parceria - O Banco Central tem o cooperativismo como importante parceiro para a Agenda BC#, que tem como objetivo reduzir a necessidade do mercado de financiamentos governamentais, fomentar a realização de investimentos privados, ampliar a democratização financeira e viabilizar o consequente crescimento do PIB. “Essa visita faz parte de uma intenção do Banco Central, de estar cada vez mais próximo de quem usa e aplica o crédito para adequar os procedimentos a realidade e, com isso, ser mais eficiente para todos”, afirma Otávio Ribeiro Damaso, diretor de Regulação do Banco Central.

Cooperativismo - Damaso elogiou o cooperativismo e a colocação e posicionamento da Coamo e Credicoamo em incentivar o seguro agrícola como um insumo. “O cooperativismo de crédito foi transformador para o sistema financeiro nacional. Foi uma oportunidade importante conhecer uma cooperativa de produção que traz a riqueza para o Brasil e uma de crédito que apoia o trabalho dando todo o suporte financeiro. Cooperativas de crédito fazem um trabalho extremamente necessário de inclusão e educação financeira e o agro, presta importante serviço para toda a cadeia de produção e econômica do Brasil”, assinala.

Realidade - Segundo o diretor de Supervisão do Banco Central, Paulo Souza, o cooperativismo de crédito é uma realidade. Ele lembrou que essa foi a primeira visita dos diretores após a pandemia. “O Banco Central incentiva o cooperativismo e é importante que a gente conheça na ponta como é realizado o trabalho para que possamos direcionar as nossas ações. Nosso objetivo é mostrar que acreditamos neste sistema e criarmos condições para atuarmos de forma conjunta, consolidando o que já existe e caminha muito bem, desenvolvendo diversas regiões do Brasil.”

História - O presidente Executivo da Credicoamo, Alcir Goldoni, falou da história da cooperativa de crédito e o trabalho que vem sendo desenvolvido. “A Credicoamo surgiu num momento em que já se percebia que haveria a escassez de recursos oficiais para o crédito rural e de que haveria dificuldades de crédito. Os poucos recursos que existiam tinham custos financeiros altos. Assim, com a criação da Credicoamo, o dinheiro passou a ficar na região e com taxas mais adequadas para atividade agrícola. Antes mesmo da fundação da Credicoamo, por meio da Coamo, já investíamos em inclusão e educação financeira. Olhamos o cooperado e a sua família por meio de um atendimento humanizado e focado. Esses são um dos nossos diferenciais.”

Integração - Goldoni detalhou a integração entre Coamo e Credicoamo, fundamental para o desenvolvimento das cooperativas. “A Coamo é o pilar da produção e a Credicoamo é o pilar financeiro. Isso é sinergia e intercooperação, tudo sincronizado para o atendimento integral do associado e da sua família.”

História - Durante o evento, o presidente dos Conselhos de Administração da Coamo e da Credicoamo, José Aroldo Gallassini, falou sobre a história das duas cooperativas, da importância do seguro agrícola e do Proagro como forma de dar ao produtor rural o equilíbrio financeiro e a estabilidade na atividade agrícola. Ele ressaltou que o trabalho da Coamo e Credicoamo prima pela transparência e honestidade. “Tudo aqui se pauta nesses princípios. Praticamos um cooperativismo de resultados e com seriedade, por isso, temos sucesso”, observa Gallassini. (Imprensa Coamo)

{vsig}2022/noticias/03/29/coamo_credicoamo/{/vsig}

SICREDI: Fórum Nacional de Presidentes promove reflexões sobre inovação e sustentabilidade

sicredi 29 03 2022O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 5,5 milhões de associados e presença em 25 estados e no Distrito Federal, realizou, no dia 24 de março, mais um Fórum Nacional de Presidentes. O encontro - que mais uma vez ocorreu no formato híbrido - teve como objetivo promover o alinhamento estratégico com os principais líderes e debater seus projetos, com destaque para sustentabilidade e inovação, temas centrais para o planejamento do Sicredi. O evento reuniu cerca de 130 lideranças de todas as regiões do Brasil e contou com palestras dos convidados externos Carlo Pereira, da StartSe e Cristiano Kruel, do Pacto Global.

Abertura - A abertura do evento foi conduzida por Fernando Dall’Agnese, presidente do Conselho de Administração do Sicredi (SicrediPar), que destacou a importância do alinhamento nacional. “Todos os anos preparamos esses momentos com os presidentes das nossas 108 cooperativas, estabelecendo direcionamentos e construindo uma visão de futuro única. Este ano, voltamos nossa atenção para a inovação e a sustentabilidade, temas que entendemos como estratégicos para seguirmos construindo juntos uma sociedade mais próspera”, afirma Dall ‘Agnese.

Palestra - Carlo Pereira, diretor executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU e presidente do Conselho da Rede Regional do Pacto Global para a América Latina e Caribe, ministrou a primeira palestra do dia sobre o impacto da agenda ESG. No encontro, Carlo pontuou os desafios do desenvolvimento da Agenda 2030 no mundo dos negócios, abordando questões sociais, ambientais, econômicas e institucionais. Para o executivo, a sustentabilidade deve ser parte importante da estratégia das instituições. “O negócio do Sicredi é carregado de sustentabilidade. Estamos falando do cooperativismo de crédito, que coletivamente aborda questões importantes como apoiar o pequeno, o médio e o grande empreendedor a manter seus negócios ativos e assim contribuir com o desenvolvimento econômico daquela região e melhorar qualidade de vida da sociedade”, diz ele.

Segundo bloco - No segundo bloco do encontro, Cristiano Kruel, líder de Inovação da StartSe, falou sobre tecnologia, inovação e negócios. “As mudanças estão cada vez mais rápidas, é preciso observar os sinais. Todos nós somos tech. Inovar basicamente é ciência de aprendizagem, que precisa estar diluída em todos os setores da organização, quando estamos inovando lidamos com incertezas e mudanças constantes”.

Mais - A programação contou ainda com palestras do João Tavares, diretor presidente do Banco Cooperativo Sicredi, e Romeo Balzan, superintendente da Fundação Sicredi, que trataram sobre as estratégias de inovação e de sustentabilidade, respectivamente, a partir de uma visão interna do negócio. Outro ponto importante do evento foi a roda de conversas com os presidentes das cinco centrais do Sicredi, agregando aos temas debatidos o ponto de vista da atuação de cada região onde a instituição está presente.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 25 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI PROGRESSO: Comitê Jovem elege coordenação

A Sicredi Progresso reuniu, no último sábado (26/03), os integrantes do seu Comitê Jovem, na sede da cooperativa, em Toledo (PR). Além de seguir a agenda mensal de atividades, o encontro foi marcado pela eleição da coordenação do Comitê.

Boas-vindas e palestra - O presidente da cooperativa, Cirio Kunzler, desejou as boas-vindas aos integrantes e, na sequência, a gerente de Investimentos da cooperativa, Thais Amaral, falou sobre produtos de investimentos do Sicredi. Ela fez uma contextualização sobre a economia mundial e os impactos no movimento de mercado, como por exemplo o aumento de taxas de juros e a alta da inflação. Em forma de bate-papo, os jovens sanaram dúvidas sobre tipos de investimentos e o “perfil do investidor”.

Eleição - Após a conversa sobre o mercado financeiro atual – que vem ao encontro de temas que o Sicredi vem trabalhando com membros do Comitê Jovem – houve a eleição da coordenação. Foram escolhidos um líder e três vice-líderes que ocuparão essas funções pelo período de 18 meses.

Líder - Todos os jovens se apresentaram e, por meio do voto, elegeram, Luana Schaedler, associada da Agência de Vila Nova, para ser a líder. “Estou orgulhosa de ter sido escolhida para ocupar essa função e consegui isso através da confiança das pessoas e por elas acreditarem em meu potencial. Será uma oportunidade de aprender ainda mais sobre o sistema cooperativo e de fortalecimento do nosso Comitê Jovem”, conta.

Vice-líderes - Luana terá como vice-líderes, Fernanda Soares, Adriel Rossetto e Julia Royer. Eles terão a missão de representar o Comitê Jovem, conduzir reuniões, organizar atividades, alinhados com as demandas da Central e o Sistema Sicredi.

Liderança - O Comitê Jovem da Sicredi Progresso iniciou em 2018 com o intuito de estimular o cooperativismo e a liderança entre jovens associados. Se torna uma oportunidade para o desenvolvimento de futuros líderes na Cooperativa. Além de proporcionar aos seus mais de 30 participantes, oportunidades de serem protagonistas nas comunidades onde vivem.

Motivação - “É a primeira vez que elegemos a coordenação do Comitê e isso nos prova que estamos evoluindo, o que antes lá em 2018 foi uma novidade, uma nova frente de atuação em nosso sistema cooperativo, agora já avança, se estruturando ainda mais e cada vez mais cumprindo um papel de formação de líderes jovens para a Cooperativa”, explica o Assessor do Desenvolvimento do Cooperativismo, Higor Loredo.

Sobre a Sicredi Progresso PR/SP - Com 40 anos de atuação a Sicredi Progresso PR/SP está presente na vida de mais de 53 mil associados. Nossa história, construída na essência da cooperação, nos permite ter atualmente 20 agências distribuídas na área de ação nos estados do Paraná e São Paulo. Destas, 13 estão no Paraná e outras 7 em São Paulo. Nosso capital humano conta com mais de 350 colaboradores focados nos valores do cooperativismo e na oferta de produtos e serviços financeiros adequados aos associados, de um jeito simples e próximo. A Sicredi Progresso integra o Sistema Sicredi que hoje está em 25 estados e no Distrito Federal. (Imprensa Sicredi Progresso PR/SP)

FOTO: Jéssica Dona

{vsig}2022/noticias/03/29/sicredi_progresso/{/vsig}

SICREDI PLANALTO DAS ÁGUAS: AGO encerra ciclo assemblear

Na última sexta-feira (25/03), foi realizada a Assembleia Geral Ordinária da Sicredi Planalto das Águas PR/SP, com presença dos Coordenadores de Núcleo, de forma presencial para o Paraná e semipresencial para a região de São Paulo.

Transparência - Momento de exercitar a transparência na gestão, apresentando os ótimos indicadores de desempenho referentes ao ano de 2021. Exemplo é o avanço na carteira de créditos totais, ampliação de 67%, se comparado com 2020. Avanço do Patrimônio Líquido em 20,3% em relação a 2020. O Resultado Anual com evolução em 47,9%, quando comparado com 2020. Foram apresentadas informações sobre a expansão dos programas sociais, com destaque para mais 7 municípios onde serão desenvolvidas as metodologias do Programa A União Faz a Vida, além de outras frentes importantes de responsabilidade social que a cooperativa realiza. “O modelo cooperativo é a soma dos pilares econômicos, em que prevê o desenvolvimento financeiro dos associados, mas também se preocupa com o lado social das comunidades onde estamos inseridos”, comenta o presidente da Sicredi Planalto das Águas, Fabio Peterlini.

Encerramento - O evento marcou o encerramento do ciclo assemblear da cooperativa, realizado de forma on line, contou com a presença de mais de 2.400 Associados, que deliberaram em favor do crescimento e desenvolvimento do empreendimento. Destaque especial foi a presença do presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Alfonso Dasenbrok e do diretor executivo da Central Sicredi PR/SP/RJ, Maroan Tohme.

Agradecimento - “Agradecemos a parabenizamos a todos pelas deliberações em favor do desenvolvimento da nossa cooperativa, que busca no dia a dia, cumprir com o nosso propósito de construir juntos sociedades mais prósperas”, afirmou Peterlini. (Imprensa Planalto das Águas PR/SP)

{vsig}2022/noticias/03/29/sicredi_planalto_aguas/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO: Realizada a 3ª edição do Inova Woman

Em comemoração ao mês da mulher, o Sebrae Paraná e o Sicoob realizaram o 3º Inova Woman, em Maringá (PR), no dia 24 de março. A iniciativa, para empreendedoras ou mulheres que desejam ter o próprio negócio, teve como objetivo ajudá-las no desenvolvimento de características inovadoras.

Atividades - A programação contou com palestra, rodada de experiência e conexão com empresárias e profissionais de sucesso. A dinâmica do evento permitiu conhecer mais sobre gestão, inovação e ousadia nos negócios. Ao todo, participaram mais de 119 pessoas.

Palestra - A palestra promovida pela psicóloga Maressa França abordou o tema "Os ciclos femininos e a produtividade". O encontro oportunizou ainda rodadas temáticas, a fim de promover a criação de uma rede de contato entre mulheres e o desenvolvimento de habilidades relevantes no universo do empreendedorismo. As convidadas a conduzir esses momentos de conexão foram a jornalista Juliane Guzzoni, a empresária Ligia Pereira, a consultora e palestrante Sirmey Amaral, a consultora de imagem pessoal e profissional Débora Brindarolli e a mentora de carreira Daiany Kataoka.

Empreender - Segundo a gerente da agência Mulher, Amanda Priori, empreender é uma atitude de determinação, coragem e inovação, seja para abrir seu próprio negócio ou para ascender na hierarquia de uma empresa. "É extremamente importante fazermos isso pelas empreendedoras, o sucesso dos seus negócios reflete positivamente na nossa cidade", afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2022/noticias/03/29/sicoob_metropolitano/{/vsig}

SICOOB: Campanha explica o cooperativismo financeiro de forma simples e fácil

sicoob 29 03 2022No dia 27 de março, o Sicoob iniciou um grande movimento para explicar os benefícios do cooperativismo financeiro, contribuindo para que mais pessoas conheçam os impactos positivos gerados pelas cooperativas nas comunidades brasileiras. Partindo de seu pilar mais básico -- a união de pessoas -- este segmento está sendo apresentado por muitas vozes e cases reais em comunidades por ele transformadas. O filme de lançamento conta com a participação da atriz e musicista Lucy Alves e do cantor Nando Reis. Ambos se propõem a mostrar que, sim, o cooperativismo tem explicação.

Música - A música escolhida foi “O Segundo Sol”, composição de Reis que ficou conhecida na voz de Cássia Eller. O novo arranjo faz um ajuste na letra, a partir do refrão “tem explicação”, remetendo ao esclarecimento de que é possível ter uma vida financeira saudável, com um relacionamento positivo com o dinheiro, e ainda ver a comunidade crescer por meio da cooperação.

Diferenciais - “Desde o conceito criativo, nosso desejo é explicar o cooperativismo financeiro de maneira simples e com emoção. Iremos mostrar também que o Sicoob, muito mais do que uma escolha financeira, é instrumento para conectar pessoas, levando justiça e prosperidade às comunidades. Essa iniciativa permitirá, ainda, que os usuários percebam mais claramente os diferenciais oferecidos pelo Sicoob no contexto do ‘Open Finance’”, diz Ênio Meinen, diretor de Coordenação Sistêmica e Relações Institucionais do Sicoob.

Participação - A campanha mostra, enfim, que fazer parte do cooperativismo financeiro é mais do que contar com soluções operacionais completas e taxas mais justas, mas participar de decisões e dos resultados, contribuir para o desenvolvimento de toda a comunidade e ter esperança de dias melhores por meio da cooperação.

Crescer juntos - “Queremos que as pessoas saibam que, por meio do cooperativismo financeiro, é possível crescer junto e ter uma vida financeira moderna e digital, mas com amplo apoio humano, que é característico deste segmento”, explica o executivo.

Lançamento - O grande lançamento ocorreu no domingo (27/03), em break do Fantástico. “Foi uma movimentação expressiva e marcante para apresentar o cooperativismo a todos os públicos”, afirma Ênio.

Assista ao vídeo da campanha aqui.

Ficha técnica

Agência: Loggia

Direção Executiva: Sylvia Pina

Direção de Negócios: Sarah Magalhães

Gestão de Projeto: Sarah Magalhães

Direção Executiva de Criação: Flavio Pina

Criação: Bárbara Maia, Diogo Torino, Enderleila Conte, Guilherme Toledo, Lucas Alves, Luciana Moretzsohn

Revisão: Neide Santiago

Direção Estratégica: Luiz Linhares

Estratégia: Gabriella Rangel

Mídia: Adriele Mendes, Izabela Santo, Jônatas Andrade e Nayara Souza

Produção: Carla Pereira e João Lucas

Anunciante: Sicoob

Aprovações: Cláudio Halley, Raquel Frois, Fagner Carvalho, Laenya Romeiro e Gabriela Pelli

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 6 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, marketplace, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em 330 municípios. É formado por 352 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.789 pontos de atendimento em mais de 2 mil cidades brasileiras. Acesse o site para mais informações. (Imprensa Sicoob)

 

FRÍSIA: Faturamento cresce mais de 40% e passa de R$ 5,2 bilhões

frisia 29 03 2022A Frísia conquistou em 2021 o maior faturamento da sua história, totalizando R$ 5,2 bilhões, 40,1% maior que os R$ 3,7 bilhões apresentados no ano anterior. A cooperativa, que é a mais antiga em produção do Paraná e segunda do Brasil, é referência em produção agroindustrial com atuação nos segmentos de pecuária leiteira, agrícola, florestal e suinícola. O anúncio dos números aconteceu no último sábado (26/03), na Assembleia Geral Ordinária (AGO) realizada no Parque de Exposições Frísia, anexo ao Parque Histórico de Carambeí (PR), e que contou com a presença do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

Números - Fundada em 1925, a cooperativa tem 971 cooperados presentes nos Estados do Paraná e no Tocantins, que produziram no último ano 290,6 milhões de litros de leite, 895 mil toneladas de grãos, 89 mil toneladas de madeira e mais de 30 mil toneladas de carne suína.

Avaliação positiva- “Temos uma avaliação positiva sobre o exercício de 2021, por alcançar números importantes para a Frísia. Traz para a cooperativa uma capitalização e para os cooperados uma distribuição de resultados que, com certeza, faz com que a Frísia tenha um crescimento em seu patrimônio líquido. Sabemos que uma empresa capitalizada faz com que consigamos ser mais competitivos. Estamos felizes com o resultado alcançado, foi um esforço não somente dos nossos cooperados, mas do time interno da Frísia”, afirma o presidente Renato Greidanus.

Rentabilidade - Ele destaca ainda a rentabilidade obtida na cadeia produtiva, o que inclui a agroindustrialização pelo sistema de intercooperação com a marca Unium (que envolve cooperativas coirmãs).

Produção elevada - O segmento de leite, apesar da alta no custo de produção, teve crescimento na cooperativa de 2,87% comparado ao ano anterior. Nos suínos, houve uma variação de 2020 para 2021 na margem líquida (queda de quase um terço por cabeça) devido à normalização do mercado chinês, que superou a peste suína africana ocorrida em 2020 e a alta no preço das commodities no segundo semestre do ano passado.

Setor agrícola - Em relação ao setor agrícola, a soja foi o carro-chefe na produção dos cooperados, que também atuaram com milho, feijão, cevada, aveia e trigo, cultivos que tiveram uma boa rentabilidade. No Tocantins, houve aumento muito representativo no cultivo da soja, como consequência da evolução das áreas e da consolidação do modelo de negócios da Frísia no Estado.

Florestas - Já com florestas, houve crescimento tanto para absorver a produção para consumo interno da madeira e seus derivados quanto para comercialização da produção excedente dos cooperados para terceiros. O volume saltou de 75 mil toneladas (2020) para 89 mil no ano passado.

Marcas e novos investimentos - A Frísia conta com as marcas próprias Rações Batavo, Sementes Batavo, Florestal Frísia, as feiras Digital Agro e ExpoFrísia e o TRR Frísia, voltada à comercialização de combustíveis. Já pelo sistema de intercooperação Unium tem o Moinho de Trigo (farinhas Herança Holandesa e Precisa), a Unidade Industrial de Carnes (Alegra), as Unidades de Beneficiamento de Leite (Colônia Holandesa, Naturalle e Colaso) e Energik (usina de bioenergia). Está em fase de construção a unidade da Maltaria e também uma Queijaria anexa à Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL), ambos em Ponta Grossa (PR).

Rumo aos 100 Anos - Em 2021, teve início o Planejamento Estratégico da Frísia “Rumo aos 100 anos”, que consiste em um conjunto de ações táticas e estratégicas para atingir o crescimento dos negócios de forma estruturada para gerar rentabilidade e valor aos cooperados. O ciclo tem conclusão em 2025, ano que a cooperativa completa um século.

Planejamento estratégico - “Temos um planejamento estratégico que está sempre em ebulição, um Conselho de Administração que vai auxiliar a cooperativa a continuar crescendo e uma equipe capacitada na Superintendência para fazer a execução do plano. O cooperado terá o benefício disso, com sustentabilidade na cadeia”, conclui Greidanus.

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Em 2025, a Frísia completa um século de história. A cooperativa é a mais antiga do Paraná e segunda do Brasil, e tem como valores Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). Com unidades no Paraná e Tocantins, em 2020 produziu 283 milhões de litros de leite, 832.765 toneladas de grãos e 28.063 toneladas de suínos, resultado do trabalho de 895 cooperados e 1.119 colaboradores. Para promover o crescimento nos próximos cinco anos, a Frísia desenvolveu o planejamento estratégico “Rumo aos 100 Anos”, um conjunto de propostas que visa aumentar a produção agropecuária e os investimentos com outras cooperativas e em unidades próprias. O planejamento da Frísia foi desenhado sob seis perspectivas principais: Sustentabilidade, Gestão, Mercado, Pessoas, Financeiro e Cooperados. Assim, seguirá a missão da cooperativa, que é disponibilizar produtos e serviços para gerar resultado sustentável a cooperados, colaboradores e parceiros. Saiba mais em frisia.coop.br. (Imprensa Frísia)

 

CAPAL: Unidade de Curiúva (PR) recebe R$ 2,5 mi de investimentos em obras

Neste mês, completam-se seis anos de atuação da Capal Cooperativa Agroindustrial em Curiúva, no interior do Paraná. Em 2016, foi oficializada a incorporação da Cooperativa Agropecuária Caeté (Coac) e, desde então, os valores do cooperativismo renasceram na região. A Capal trouxe para o município o modelo de gestão e a transparência reconhecidos pelo setor, que posicionam a cooperativa entre as 100 maiores empresas do agronegócio brasileiro, de acordo com ranking publicado pela Revista Forbes.

Atendimento - Atualmente, a unidade de Curiúva atende mais de 300 produtores associados e a área assistida é de 5,3 mil hectares. A atividade principal é o cultivo de grãos - correspondente a 80% da movimentação -, seguido da pecuária leiteira e de corte.

Associados - O gerente da unidade, Vitor Lopes, atua há 14 anos no ramo do cooperativismo agrícola e afirma que, com a entrada da Capal na região, houve um aumento significativo de produtores rurais associados. “Acompanhei o retorno de alguns produtores, que se juntaram aos novos que foram chegando. Hoje conseguimos atender a todos com qualidade, e notamos que o cooperado está satisfeito, porque está alcançando mais resultados com aumento da produção e da rentabilidade”, comenta.

Preço justo - Para Vitor, além da gestão embasada nos princípios cooperativistas, o preço justo praticado para todos e o trabalho dos profissionais na assistência técnica correspondem às expectativas dos cooperados e foram definitivos para a consolidação da Capal em Curiúva. “Os resultados líquidos da cooperativa foram muito positivos nos últimos dois anos e a região está em plena situação de desenvolvimento econômico”, observa.

Investimentos - A filial de Curiúva está atualmente em obras, tendo recebido repasse de aproximadamente R$ 2,5 milhões para melhorias na infraestrutura, como a ampliação do armazém de insumos agrícolas, armazenamento vertical (porta-pallets), ampliação da loja agropecuária, construção de área de apoio para os funcionários (vestiários, refeitório, arquivo e sala de treinamento) e construção da portaria e guarita. As obras têm conclusão prevista para o segundo semestre deste ano.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,4 mil associados, distribuídos em 21 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 65% das operações da cooperativa, produzindo mais de 862 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, trigo, milho e café. A área agrícola assistida ultrapassa os 161 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 12 milhões de litros, proveniente de 320 produtores. Além disso, a cooperativa comercializa 31 mil toneladas de suínos vivos ao ano. (Imprensa Capal)

{vsig}2022/noticias/03/29/capal/{/vsig}

COCAMAR: Indústria de Fios recebe investimentos em inovação

cocamar 29 03 2022A Cocamar comemora a passagem dos seus 59 anos – celebrados no domingo (27/03) - com investimentos em avançadas tecnologias no seu parque industrial.

Tenacidade - Situada no parque industrial da cooperativa em Maringá (PR), a Indústria de Fios passa a contar com um sofisticado equipamento, o Turbo Maxx7, que tem a função de aferir a tenacidade dos fios ali produzidos e a resistência da emenda quando os mesmos se rompem.

Mais qualidade - Importado da Índia junto à empresa Premier, o equipamento demandou cerca de R$ 500 mil em investimento e a indústria da Cocamar é a primeira do país a lançar mão de um recurso assim em seu laboratório, que assegura ainda mais qualidade ao produto final.

Inovação - A analista de Controle de Qualidade, Juziana Pereira da Silva, explica que o Turbo Maxx7 é inovador e possibilita, também, uma variedade de testes simultâneos, otimizando tempo e gerando gráficos a partir de análises. “É um importante avanço em matéria de controle de qualidade”, diz.

Diversificação - Implantada no início da década de 1980, a indústria da Cocamar produz mais de 7 mil toneladas por ano de um diversificado leque de fios que atende ao segmento de malharias em várias regiões do país. A principal matéria-prima é algodão certificado, trazido de outros estados, além de itens para a produção de fios ecológicos, como fibra de poliéster (obtida do processamento de embalagens pet, recolhidas por catadores de rua) e desfibrados - resíduos de outras fiações -, que representam 30% do total. (Imprensa Cocamar)

 

EVENTO I: Racionalização de fertilizantes e diferentes usos da soja são destaques da Embrapa Soja na Expo Londrina 2022

A Embrapa Soja participa da 60ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina (Expo Londrina 2022), a ser realizada de 1º e 10 de abril, no Parque de Exposições NeyBraga, em Londrina (PR), promovendo um debate sobre o uso racional no uso de fertilizantes, realizando três sobre práticas sustentáveis para sojicultura, além de apresentar informações sobre a coleção de 55 mil tipos de soja conservados no banco de germoplasma da Embrapa e os diferentes usos dessa oleaginosa. Outro destaque será a participação da Embrapa no Hackathon Smart Agro 2022.

Participação -  “A Embrapa Soja tradicionalmente participa da ExpoLondrina – por sua relevância para o Paraná - fomentando debates para os sistemas de produção em que a soja está inserida”, ressalta o chefe-geral da Embrapa Soja Alexandre Nepomuceno. “Também procuramos fortalecer nossas parcerias para que as ações de transferência de tecnologias que impactam o agronegócio,sejam adotadas de forma mais rápida pelos agricultores, a exemplo do trabalho desenvolvido em conjunto com o Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR (IDR-PR), cujos resultados serão demonstrados na Via Rural (Fazendinha). Além disso, procuramos apoiar diferentes ações promovidas pela Sociedade Rural do Paraná, estimulando a participação dos nossos pesquisadores como mentores do Hackathon Smart Agro, entre outras ações conjuntas”, destaca.

Painel sobre racionalização de fertilizantes - O uso racional de fertilizantes em tempos de crise será o tema central de um painel que a Embrapa Soja irá promover no dia 6 de abril, às 16h, no pavilhão SmartAgro, Expo Londrina2022. Só para citar um exemplo, quase 100% do potássio, um dos principais nutrientes utilizados para produzir soja, é importado pelo Brasil. Essa dependência externa impacta diretamente na produção de soja, uma vez que para cada tonelada de soja produzida são exportados ao redor de 18 kg de potássio. O debate tem gerado muitas discussões, especialmente, pela crise provocada pelo conflito entre Rússia e Ucrânia, que são exportadores de fertilizantes.


Oficinas na Via Rural (Fazendinha) - A Embrapa Soja, em parceria com o IDR-PR irá demonstrar tecnologias para as culturas do girassol, feijão, braquiária, plantas de cobertura na Via Rural – Fazendinha. Na Fazendinha também serão promovidas três oficinas técnicas, dirigida a produtores e assistência técnica. A primeira oficina terá como tema o Manejo Integrado de Doenças – Uso do Coletor de Esporos, no dia 6 de abril, das 15h às 16h. Nesta oficina a proposta é apresentar os resultados obtidos nas Unidades de Referência conduzidas em lavouras de soja, que demostram a eficiência do manejo no combate a ferrugem-asiática da soja, a mais severa doença da cultura.

Coinoculação - Outra oficina a ser promovida no dia 7 de abril, das 15h às 17h, na Fazendinha, será sobre Coinoculação na Cultura da Soja. A Coinoculação em soja consiste na combinação de duas bactérias - Azospirillum brasilense e Bradyrhizobium - para aumentar a produtividade da cultura. As plantas de soja coinoculadas têm uma nodulação mais abundante e precoce e maiores taxas de Fixação Biológica do Nitrogênio, nutriente indispensável para produção de soja. Resultados da Embrapa mostram que a coinoculação promove um incremento médio de 16% no rendimento da soja, em relação às áreas inoculadas somente com Bradyrhizobium.

Oficina - Também será promovida uma oficina sobre Manejo Integrado de Pragas (MIP) no sistema de produção soja-milho no dia 8 de abril, das 15h às 16h. O objetivo é demonstrar na prática como as ações monitoramento de pragas e aplicação racional de inseticidas têm reduzido em 50% o uso de inseticidas em lavouras de soja que adotam o MIP no Paraná.

Diferentes usos da soja - A cultura da soja é um dos alicerces do agronegócio. Na safra 2020/21, o Brasil produziu 138 milhões de toneladas do grão. Em seu estande institucional, a Embrapa Soja pretende apresentar aos visitantes da ExpoLondrina 2022 os diferentes usos da soja.  A soja é a principal fonte de proteína, em nível mundial, sendo usada em produtos industrializados e também em ração animal e na produção de biocombustíveis, como o biodiesel. Além disso, a soja é matéria-prima na fabricação de diversos bens de consumo pelas indústrias de diferentes setores, como cosméticos, farmacêutica, veterinária, adesivos, revestimento, tintas e plásticos. Também haverá demonstração da coleção de 55 mil tipos de sementes de soja armazenadas no Banco Ativo de Germoplasma (BAG Soja), cuja curadoria é da Embrapa Soja, em Londrina (PR).

Mudanças - Criado em 1976, o BAG da Embrapa passou por diversas mudanças e ampliações e hoje é o terceiro maior Banco de sementes de soja do mundo. No caso da Embrapa, o acesso a essas características foi determinante para modernizar completamente a genética do portfólio das cultivares BRS. O objetivo deste Banco é preservar a variabilidade genética da soja. Para manter essas sementes viáveis, a Embrapa Soja dispõe de uma em câmara fria a 5ºC, com 25% de umidade, o que garante a sobrevivência dessas sementes  por longos períodos.

Hackathon Smart Agro - Os pesquisadores da Embrapa Soja também irão participar do Hackathon Smart Agro 2022, de 8 a 10 de abril, no pavilhão Smart Agro. Os pesquisadores atuarão como mentores das startups participantes do evento, para colaborar com o incremento das propostas das equipes participantes e que deverão gerar produtos e tecnologias e serviços para o agronegócio. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

Programação das Oficinas

OFICINA: MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA - O USO DO COLETOR DE ESPOROS
Data: 06/04/2022
Horário: 15 - 16h

OFICINA: CO-INOCULAÇÃO NA CULTURA DA SOJA
Data: 07/04/2022
Horário: 15 - 16h

OFICINA: MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO SISTEMA SOJA-MILHO
Data: 08/04/2022
Horário: 15 - 16h

{vsig}2022/noticias/03/29/pesquisa/{/vsig}

EVENTO II: Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Aveia começa nesta terça, em Londrina

evento II 28 03 2022Mais de 80 pesquisadores e interessados no cultivo de aveia participam a partir desta terça-feira (29/03) da 41ª reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Aveia (CBPA). O evento acontece na sede de pesquisas Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná — Iapar-Emater (IDR-Paraná), em Londrina, e prossegue até quinta-feira (31/03).

Objetivos - Avaliação de resultados e o planejamento do próximo ciclo de trabalho na rede cooperativa de ensaios da CBPA são os principais objetivos da reunião, esclarece o engenheiro-agrônomo Klever Márcio Antunes Arruda, pesquisador do IDR-Paraná, que coordena a organização do encontro. “Há a expectativa de recomendação de novas cultivares este ano”, adianta.

Materiais - A rede cooperativa de ensaios avalia materiais destinados à produção de forragem e para cobertura do solo, além de linhagens e cultivares de aveia branca, destinadas à alimentação humana. O programa do encontro abrange, ainda, palestras, sessões plenárias, apresentação de trabalhos e discussões técnicas sobre ecofisiologia, melhoramento genético e biotecnologia, práticas culturais, fitossanidade e, também, qualidade industrial e sementes.

Palestra inaugural - Na palestra inaugural, às 10h30 desta terça, o diretor de pesquisa e desenvolvimento da SL Alimentos, Thomaz Setti, apresenta a visão da empresa sobre produção e mercado.

Painel - No período da tarde, a partir das 13h30, será realizado o painel “Utilização da aveia na alimentação humana”, com três palestrantes: a bióloga Alicia de Francisco de Casas, professora e pesquisadora na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), discorre sobre os aspectos nutricionais do grão; Mariana Costa, pesquisadora em química e tecnologia de cereais e amidos, aborda o melhoramento genético e seus reflexos na qualidade do alimento; e, por fim, a engenheira agrônoma Luana Held Salinet, da SL Alimentos, examina a importância de incluir a aveia em propostas de agricultura regenerativa.

Ferrugem - A manhã da quarta-feira (30/03) foi reservada para duas palestras. A primeira, às 8h10, trata dos avanços e perspectivas das pesquisas sobre ferrugem, uma das mais importantes doenças em lavouras de aveia, a cargo do professor Robert Park, da Universidade de Sydney, Austrália, pesquisador com vasta experiência no tema. Será proferida em inglês, sem tradução simultânea.

Melhoramento genético - A partir da 9h10 o pesquisador Alfredo do Nascimento Junior, da Embrapa Trigo, traça um panorama do trabalho de melhoramento genético de aveias forrageiras.

Versatilidade - “A versatilidade da cultura da aveia: oportunidades para fugir do convencional” é o tema do painel da tarde, com início às 13h30. O cereal como opção de outono, manejo de nematoides e, ainda, desafios e oportunidades do mercado de orgânicos compõem a temática, assuntos tratados respectivamente pelos pesquisadores Juliano Luiz de Almeida, da Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária (Fapa), Andressa Cristina Zamboni Machado, do IDR-Paraná, e Evandro Adria Pietricoski, ligado à empresa Biorgânica Produtos Orgânicos. (Agência Estadual de Notícias)

Mais informações estão AQUI.

SERVIÇO

41ª Reunião da Comissão Brasileira de Pesquisa de Aveia

Data: terça a quinta-feira (29 a 31/03)

Palestra inaugural: terça-feira, 10h30

Local: IDR-Paraná, em Londrina - rodovia Celso Garcia Cid, km 375 — saída para Curitiba

FOTO: Jaelson Lucas / Arquivo AEN

 

INOVAÇÃO: Governo Federal anuncia R$ 40 milhões para soluções tecnológicas no setor agropecuário

inovacao 29 03 2022O Governo Federal, por meio Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), anunciou nesta segunda-feira (28/03) investimentos de R$ 40 milhões para o desenvolvimento de soluções tecnológicas no setor agropecuário. São quatro encomendas tecnológicas contratadas pelo MCTI, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), vinculada ao Ministério, com recursos oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (FNDCT), com valor total aproximado de R$ 40 milhões. Os projetos serão desenvolvidos por universidades e centros de pesquisa especializados.

Anúncio - “Eu fico muito feliz em participar do anúncio dessas quatro encomendas para o desenvolvimento do setor de agronegócios. Temos que comemorar muito por colocar recursos substanciais num setor tão importante para o desenvolvimento do Brasil”, declarou o ministro do MCTI, astronauta Marcos Pontes, durante a cerimônia de anúncio dos recursos.  

Parceria e integração - A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, destacou o ingrediente responsável pelas entregas no setor. “A parceria e integração tão intensas entre o MCTI e o Mapa, que acredito serem inéditas no país, foram fundamentais para que chegássemos hoje com mais essas conquistas para o setor do agronegócio. Mas para o Agro seguir avançando, precisamos de investimentos contínuos e ações concretas em prol da inovação. Hoje é um dia de celebração em nome do nosso partido que é o Brasil”, ressaltou a ministra.

Futuro - O presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI), Waldemar Barroso, projetou o que se pode esperar para o futuro. “Temos visto a pujança do agronegócio brasileiro e tudo isso só é possível graças aos investimentos em ciências, tecnologias e inovações. Quando olharmos para o futuro veremos várias inovações em nosso agronegócio que terão como origem essas diversas iniciativas do governo federal por meio do MCTI com a participação operacional da FINEP”, avaliou.

Avaliação - A liberação dos R$ 40 milhões provenientes do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) passou por um processo de avaliação. O secretario de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales, que preside o CT-Agro explicou como foi o trâmite. “Primeiro deve passar pelo setor, pela comissão setorial. Foi feita uma análise das prioridades para o setor. Depois foram apresentados os projetos que foram avaliados pela comissão dentro do CT-Agro. Depois de avaliados e aprovados o passo seguinte foi a aprovação dentro da secretaria executiva do MCTI e finalmente pelo conselho diretor do FNDCT. Existe um caminho criterioso e rigoroso para esses projetos sejam eles chamadas públicas ou contratações diretas, as encomendas”, revelou Morales que ainda lembrou que o governo federal por meio do MCTI está fazendo outros investimentos no setor.

Montante aprovado - “Em 2021 foram aprovados dentro do CT-AGRO um montante de R$ 61,1 milhões. Em 2022 R$76 milhões num total de R$137 milhões nos projetos para o desenvolvimento do setor de agronegócio no Brasil”, ressaltou.

Presenças - A cerimônia contou também com a presença do secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI, Marcelo Morales, do diretor de Inovação da Finep/MCTI, Otávio Burgardt, e do secretário de Inovação, Desenvolvimento Sustentável e Irrigação do MAPA, Fernando Camargo.

Projetos - Saiba mais sobre os quatros projetos anunciados

- Rede FertBrasil - Governança e soluções tecnológicas para o aumento da eficiência agronômica dos fertilizantes. O projeto FertBrasil, executado pela Embrapa, tem o objetivo de consolidar a rede como referência para a geração de tecnologias, processos e serviços que alavanquem uma nova indústria nacional de fertilizantes, aumentem a eficiência de uso e minimizem o impacto ambiental negativo dos fertilizantes e insumos para a nutrição de plantas. O projeto possui recursos de cerca de R$ 11 milhões para execução no prazo de 24 meses.

- Pesquisa e Desenvolvimento para produção do fermento Terroir do Semiárido brasileiro para aplicação em produtos lácteos. Projeto executado pelo Instituto Nacional do Semiárido (INSA), unidade de pesquisa do MCTI. O objetivo desta proposta é de desenvolver tecnologicamente fermentos autóctones, tidos como “Terroir do Semiárido Brasileiro”. Recurso de R$ 6,6 milhões num prazo de 36 meses.

- Novas tecnologias de avaliacão genética aplicadas aos Programas de Melhoramento da Cana-de-açúcar. Conduzido pela Universidade Federal de Goiás (UFG) com a participação de outras universidades brasileiras, inclui o desenvolvimento de plataformas de fenotipagem em larga escala, desenvolvimento de variedades transgênicas de cana-de-açúcar, caracterização molecular de bancos de germoplasma de cana-de-açúcar e cana-energia e desenvolvimento e uso de seleção genômica nos programas de melhoramento genético. Projeto com recursos de cerca de R$ 12 milhões e prazo de execução de 36 meses.

- PronaSolos: Rede para o avanço científico e tecnológico aplicado às múltiplas funcionalidades do solo, executado pela Embrapa Solos com o objetivo de estabelecer uma rede de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) para ampliação da capacidade nacional e competitiva em C&T e do desenvolvimento e aperfeiçoamento de conhecimento e de tecnologias relativos ao levantamento de solos e sua interpretação de uso em escalas iguais ou mais detalhadas que 1:100.000, compatíveis ao planejamento rural estadual, municipal e de microbacias hidrográficas, indispensáveis para garantir o desenvolvimento agroambiental sustentável no Brasil. O projeto possui recursos de cerca de R$ 12 milhões com prazo de execução de 24 meses. (Mapa)

 

CAGED: Com 28,5 mil vagas abertas, Paraná lidera a geração de empregos no Sul do País em fevereiro

caged 29 03 2022O Paraná foi o estado que mais gerou empregos formais no Sul do País em fevereiro. Foram 28.506 postos de trabalho com carteira assinada no mês. O saldo é resultado de 169.870 admissões e 141.364 demissões. Santa Catarina criou 28.484 e o Rio Grande do Sul 25.908. No ranking nacional, apenas São Paulo (98.262) e Minas Gerais (36.677) tiveram desempenho melhor no período. Sozinho, o Paraná abriu mais vagas que duas regiões inteiras do Brasil: Nordeste (28.085) e Norte (12.727).

Acumulado - No acumulado dos dois primeiros meses do ano, o Estado tem saldo de 47.804 postos abertos, ficando atrás apenas de São Paulo (142.513) e Santa Catarina (51.906). O levantamento é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta terça-feira (29/03) pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

Prioridade - “Mais uma ótima notícia que reforça os acertos da política econômica adotada pelo Governo do Estado. Emprego é nossa prioridade, a melhor política social que existe. Por isso o esforço para ampliar a atração de investimentos. De 2019 para cá, do início da nossa gestão, foram mais de R$ 100 bilhões confirmados em investimentos privados. Desempenho que se reflete nesses números robustos de empregos divulgados pelo governo federal”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Jovens - “E temos não apenas mães e pais de família tendo acesso ao mercado de trabalho, como um grande número de jovens que conseguem seu primeiro emprego, também resultado de políticas públicas do nosso governo, como o programa Cartão Futuro”, acrescentou.

Levantamento - De acordo com o Caged, dos estados, 25 registram saldo positivo em fevereiro. Todas as regiões fecharam também no positivo: Sudeste (162.442 postos), Sul (82.898), Centro-Oeste (40.930), Nordeste (28.085), Norte (12.727). No total, o País registrou o acréscimo de 328.507 vagas, resultado de 2.013.143 admissões e de 1.684.636 desligamentos.

Municípios - No Paraná, Curitiba foi a cidade com o maior número de vagas abertas, com saldo de 9.920 postos de trabalho no período. No Interior, a geração de empregos é puxada por Maringá, que teve saldo de 1.211 vagas no período. Na sequência estão Cascavel (1.190), São José dos Pinhais (1.179), Londrina (848), Foz do Iguaçu (699), Ponta Grossa (626), Toledo (621), Araucária (588), Guarapuava (461) e Francisco Beltrão (446).

Setores - Os dados do Caged revelam que em fevereiro o setor de serviços foi o que mais se destacou no Paraná, com a abertura de 19.709 vagas. Aparecem na sequência indústria (3.264), comércio (2.596), construção (1.518) e agropecuária (1.419). (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 

ECONOMIA: Arrecadação federal cresce 5,27% e bate recorde em fevereiro

economia 28 03 2022Impulsionada pela recuperação da economia e pelo encarecimento do petróleo internacional, a arrecadação federal bateu recorde para meses de fevereiro. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira (28/03) pela Receita Federal, o governo arrecadou R$ 148,66 bilhões no mês passado, com aumento de 5,27% acima da inflação em valores corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Maior da história - O valor é o maior da história para meses de fevereiro desde o início da série histórica da Receita Federal, em 1995, em valores corrigidos pela inflação. Em janeiro e fevereiro, a arrecadação federal soma R$ 383,99 bilhões, com alta de 12,92% acima da inflação pelo IPCA, também recorde para o período.

Acima das previsões - A arrecadação superou as previsões das instituições financeiras. No relatório Prisma Fiscal, pesquisa divulgada pelo Ministério da Economia, os analistas de mercado estimavam que o valor arrecadado ficaria em R$ 145 bilhões em fevereiro, pelo critério da mediana (valor central em torno dos quais um dado oscila).

Impulso - A retomada da economia está impulsionando a arrecadação. No entanto, fatores atípicos e mudanças na legislação também contribuíram para a alta.

Recolhimentos atípicos - Um dos fatores que têm impulsionado a arrecadação nos últimos meses, o recolhimento atípico de Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), não se repetiu em fevereiro. No mesmo mês do ano passado, havia sido registrado o recolhimento de R$ 5 bilhões atípicos em IRPJ e CSLL, fato que não se repetiu este ano.

Primeiro bimestre - Mesmo sem o reforço em fevereiro, os recolhimentos atípicos continuam a impulsionar a arrecadação no primeiro bimestre. Em janeiro e fevereiro, esse tipo de receita soma R$ 12 bilhões, contra R$ 6,5 bilhões no mesmo período do ano passado.

2021 - Ao longo de 2021, esses recolhimentos fora de época impulsionaram a arrecadação por causa de empresas que registraram lucros maiores que o previsto e tiveram de pagar a diferença. Por causa do sigilo fiscal, a Receita não pode informar o nome e a atividade dessas grandes companhias.

Aumento do IOF - O aumento do IOF, que entrou em vigor no fim de novembro para financiar o Auxílio Brasil, também ajudou a melhorar a arrecadação. A arrecadação do IOF aumentou R$ 945 milhões, 26,28% acima da inflação em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2021.

Tributos - Na divisão por tributos, as maiores altas em fevereiro - em relação ao mesmo mês de 2021 - foram registradas na arrecadação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), alta de R$ 2 bilhões (6,68%) acima da inflação pelo IPCA. Segundo a Receita Federal, o desempenho do setor financeiro e a alta dos combustíveis impulsionaram a arrecadação. Os dados de fevereiro ainda não refletem a redução a zero do PIS/Cofins sobre o diesel, o gás de cozinha e o querosene de aviação, que vigorará até o fim do ano.

Imposto de Renda - Em seguida, as maiores altas vêm o Imposto de Renda Retido na Fonte sobre rendimentos de capital, cuja receita saltou R$ 1,84 bilhão (57,77% acima da inflação), graças à melhoria dos rendimentos dos fundos e dos títulos de renda fixa. Em terceiro lugar, está a arrecadação da Previdência Social, com alta de R$ 1,31 bilhão (3,3%) acima da inflação, influenciada pela melhoria no emprego formal. O IOF está em quarto lugar.

Petróleo - O maior salto na arrecadação ocorreu com as receitas administradas por outros órgãos, que somaram R$ 6,07 bilhões e subiram 79,77% acima do IPCA em relação a fevereiro do ano passado. A principal explicação foi a valorização do petróleo no mercado internacional, provocada pelo conflito entre Rússia e Ucrânia. No acumulado de 2022, a arrecadação de royalties de petróleo soma R$ 19,55 bilhões, com alta de 71,2% acima da inflação oficial pelo IPCA na comparação com o primeiro bimestre do ano passado. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

CÂMBIO: Dólar tem primeira alta após oito quedas e fecha a R$ 4,77

cambio 29 03 2022Num dia de correção no mercado internacional e em meio a expectativas em torno dos juros internos, a cotação do dólar teve a primeira alta após oito quedas consecutivas. A bolsa de valores caiu, pressionada pela troca de comando na Petrobras.

Cotação - O dólar comercial encerrou a segunda-feira (28/03) vendido a R$ 4,773, com alta de R$ 0,025 (+0,53%). A cotação chegou a R$ 4,81 na máxima do dia, pouco antes das 12h, mas desacelerou durante a tarde.

Queda acumulada - Apesar do resultado desta segunda-feira, o dólar acumula queda de 7,43%, em março, e de 14,41%, em 2022.

Ações - No mercado de ações, o dia também foi marcado pela tensão. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 118.738 pontos, com recuo de 0,29%. O indicador chegou a cair 0,86% no pior momento da sessão, por volta das 11h20, e operou próximo da estabilidade durante a tarde, mas encerrou em baixa, influenciado pelas ações da Petrobras, as mais negociadas na bolsa.

Demissão - Até o fechamento do mercado, a troca de comando do presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, ainda não tinha sido confirmada. Notícias sobre a demissão, no entanto, começaram a circular perto do horário de fechamento, influenciando as ações da estatal.

Recuo - As ações ordinárias da Petrobras (com direito a voto em assembleia de acionista) caíram 2,97%. Os papéis preferenciais (com preferência na distribuição de dividendos) recuaram 2,41%.

Correção - O mercado financeiro global teve um dia de correção. O dólar valorizou-se em todo o planeta, com os investidores apostando que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) pode intensificar o ritmo de alta dos juros por causa da guerra entre Rússia e Ucrânia. Os preços internacionais do petróleo caíram 7% após a China anunciar lockdown na região metropolitana de Xangai por causa do aumento de casos de covid-19.

Mercado interno- No mercado interno, declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de que a autoridade monetária pode encerrar o ciclo de alta dos juros em maio pressionaram para cima a cotação do dólar. Em evento no fim da semana passada, ele disse que o BC poderia interromper a alta da Selic (juros básicos da economia) quando a taxa chegasse a 12,75% ao ano, o que está previsto para ocorrer na próxima reunião do Comitê de Política Monetária. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

LEGISLATIVO I: Comissão de Orçamento aprova R$ 2,6 bilhões para despesas com pessoal e Plano Safra

legislativo I 29 03 2022A Comissão Mista de Orçamento aprovou nesta terça-feira (29/03) o Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 1/22, que abre crédito extraordinário de R$ 2,572 bilhões. A proposta segue para votação no Plenário do Congresso Nacional.

Destinação - Dos recursos, R$ 1,7 bilhão vai recompor despesas primárias obrigatórias de pessoal e encargos sociais reduzidas pelo Congresso Nacional durante a tramitação do Projeto de Lei Orçamentária de 2022. Outros R$ 869 milhões se destinam a suplementar o Plano Safra 2021/2022, com financiamento de custeio agropecuário, comercialização de produtos agropecuários e investimento rural e agroindustrial.

Emenda - O relatório do senador Carlos Fávaro (PSD-MT) acolheu emenda do deputado José Guimarães (PT-CE) para suprimir dispositivo do projeto que autorizava o Poder Executivo a abrir novos créditos suplementares com recursos provenientes das programações orçamentárias previstas na proposta, nas condições e nos limites estabelecidos na Lei Orçamentária de 2022. "Não há respaldo constitucional para projetos de créditos adicionais autorizarem suplementação e alteração de classificações sem a autorização do Poder Legislativo", argumentou Carlos Fávaro.

Recursos - O crédito suplementar é atendido com recursos correspondentes do veto do projeto de lei orçamentária deste ano. (Agência Câmara de Notícias)

 

LEGISLATIVO II: Congresso analisa MP que flexibiliza lei trabalhista em caso de calamidade pública

legislativo 29 03 2022O Congresso Nacional vai analisar uma medida provisória que autoriza a adoção de regras trabalhistas diferenciadas em situações de calamidade pública. Entre elas, a possibilidade de empresas cortarem ou suspenderem temporariamente jornadas e salários dos trabalhadores. A MP 1.109/2022 segue os moldes de programa lançado durante a pandemia da Covid-19 e também regulamenta o trabalho remoto.

Regras excepcionais - Publicada na edição desta segunda-feira (28/03) do Diário Oficial da União, a medida provisória estabelece o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda e prevê regras excepcionais, definidas pelo governo no texto como "medidas trabalhistas alternativas". A MP tem validade imediata, limitada a até 120 dias. Para valer de forma permanente, precisa da aprovação de deputados e senadores. 

Medidas - Entre outros pontos, o texto determina que empresas poderão adotar uma série de medidas para o enfrentamento das consequências do estado de calamidade pública, como a adoção do regime de teletrabalho, a antecipação de férias individuais, a concessão de férias coletivas, o aproveitamento e a antecipação de feriados, regime diferenciado de banco de horas e o diferimento (adiamento) do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Bem - Além disso, os gestores poderão utilizar as medidas previstas no Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), como redução proporcional da jornada de trabalho e do salário ou suspensão temporária do contrato de trabalho, mediante acordo com pagamento do benefício previsto no BEm.  

Trabalho remoto - A MP prevê ainda que o empregador poderá, a seu critério, alterar o regime de trabalho presencial para teletrabalho ou trabalho remoto, além de determinar o retorno ao regime de trabalho presencial, independentemente da existência de acordos individuais ou coletivos. A norma também trata do fornecimento de equipamentos para funcionários e abre a possibilidade de reembolso aos trabalhadores por eventuais gastos com internet e equipamentos.

Trabalho híbrido - Junto com a MP 1.109/2022, o governo editou a MP 1.108, que disciplina e regulamenta o trabalho híbrido (presencial e remoto). (Agência Senado)

FOTO: Reprodução MTE

 

SAÚDE I: Brasil tem 29,8 milhões de casos e 658,9 mil mortes

O total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 29.852.341. Entre domingo e esta segunda-feira (27 e 28/03), foram confirmados 9.923 diagnósticos positivos de covid-19. No domingo, o total de casos acumulados marcado no painel de informações da pandemia estava em 29.842.418.

Acompanhamento - A quantidade de casos em acompanhamento de covid-19 está em 658.956. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta nem evoluíram para morte.

Vidas perdidas - A quantidade de vidas perdidas para a pandemia chegou a 658.956. Em 24 horas, foram registradas 77 mortes. Ontem, o sistema de dados do Ministério da Saúde totalizava 658.879. Ainda há 3.084 mortes em investigação. As mortes em investigação ocorrem pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demandar exames e procedimentos posteriores.

Recuperadas - Até esta segunda, 28.550.311 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 95,6% dos infectados desde o início da pandemia.

Balanço diário - Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta segunda-feira (28/03). Nele são consolidadas as informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Números - Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras e nos dias seguintes aos feriados em razão da redução de equipes para a alimentação dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizado.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (167.124), Rio de Janeiro (72.697), Minas Gerais (60.769), Paraná (42.897) e Rio Grande do Sul (38.988).

Menos - Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.992), Amapá (2.124), Roraima (2.144), Tocantins (4.142) e Sergipe (6.311).

Vacinação - Até esta segunda-feira foram aplicados 395,1 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 172,3 milhões com a primeira dose e 149,9 milhões com a segunda dose ou dose única. Outros 65,3 milhões já receberam a dose de reforço. (Agência Brasil)

 

photo5048704322845649325

SAÚDE II: Secretaria Estadual divulga 721 novos casos e dois óbitos pela Covid-19

saude II 29 03 2022A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta segunda-feira (28) mais 721 casos e duas mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.  

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 2.397.898 casos e 42.664 óbitos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de março (495), fevereiro (113) e janeiro (105) de 2022; outubro (1), julho (1), junho (3), abril (1) e março (1) de 2021, e julho (1) de 2020. Os óbitos são de março (8) e fevereiro (3) de 2022; junho (1) de 2021; e setembro (1) de 2020.

Internados - 50 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados, todos em leitos SUS (24 em UTI e 26 em leitos clínicos/enfermaria). Há outros 375 pacientes internados, 186 em leitos de UTI e 189 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais dois pacientes do sexo masculino, de 2 e 15 anos. Os óbitos ocorreram entre 13 de junho de 2021 e 28 de março de 2022. Os pacientes que morreram residiam em Pinhais e Maringá.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 10.765 casos de não residentes no Estado – 233 pessoas morreram. (Agência Estadual de Notícias)

Confira AQUI o informe completo.

Veja os ajustes (exclusões e correções de municípios) na página da Sesa.

 


Versão para impressão


RODAPE