Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5289 | 30 de Março de 2022

AGO: Faltam dois dias para a realização da prestação de contas de 2021 do Sistema Ocepar

destaque 30 03 2022Em dois dias, o Sistema Ocepar estará reunindo as cooperativas vinculadas à entidade na Assembleia Geral Ordinária (AGO). A reunião ocorre na sexta-feira (01/04), a partir das 14h, em formato digital. Os presidentes das cooperativas vão participar por meio da plataforma Microsoft Teams e necessitam se inscrever antecipadamente por meio do formulário eletrônico: https://forms.office.com/r/gukcnSgn1E. O link de acesso para a AGO será enviado por e-mail e é intransferível. O público em geral poderá acompanhar a reunião ao vivo pela TV Paraná Cooperativo, no canal do Sistema Ocepar no Youtube.

Pauta - A Assembleia é destinada à prestação de contas do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2021, contemplando Balanço Patrimonial e Demonstrações de resultado do exercício, relatório da auditoria independente e parecer do Conselho Fiscal. Também será apresentada a proposta de orçamento de receitas, despesas e imobilizações para 2022 e do plano de trabalho para o exercício de 2022. A AGO contempla as três entidades que formam O Sistema Ocepar: o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar).

Links - Clique nos links abaixo para conferir na íntegra os editaisde convocação da AGO.

- Ocepar

- Sescoop/PR

- Fecoopar

 

MERCOSUPER 2022: Cooperativas vão divulgar produtos e serviços no Espaço Paraná Cooperativo

mercosuper 30 03 2022As cooperativas do Paraná vão ampliar a sua participação na edição de 2022 da Mercosuper, a Feira e Convenção Paranaense de Supermercados promovida pela Associação Paranaense de Supermercados (Apras). Nos últimos anos, aproximadamente cinco cooperativas mantinham estandes durante o evento. Desta vez, 17 cooperativas estarão divulgando seus produtos e serviços na Feira, juntamente com o Sistema Ocepar, num único local: o Espaço Paraná Cooperativo. Estarão presentes a Coopavel, Copacol, Cooperaliança, C.Vale, Frimesa, Lar, Primato, Unium (Frísia, Castrolanda e Capal), Witmarsum, Integrada, Coacipar, Coofamel, Cresol, Sicoob e Sicredi. O Espaço Paraná Cooperativo vai ocupar uma área de aproximadamente 2.470 metros quadrados e a iniciativa conta com o apoio do Sistema OCB. Além dos estandes das cooperativas, ele abrigará sala de reuniões, balcão de degustação e ambiente de descanso. Lá também estará presente o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR).

Oportunidade única - “A Mercosuper é uma oportunidade única para expormos nossos produtos e serviços de forma estratégica e, principalmente, levarmos o conceito do cooperativismo para nossos parceiros supermercados no Espaço Paraná Cooperativo”, afirma o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. “A demanda foi encaminhada por meio do presidente da Apras em reunião da Diretoria da Ocepar e, agora, estamos concretizando isto. Acreditamos que podemos participar mais do varejo e sermos fornecedores preferenciais, dado nosso compromisso econômico e social com as regiões em que atuamos”, acrescentou o dirigente cooperativista.

Marco - “O Espaço Paraná Cooperativo vai ser um marco na história da Mercosuper. É uma oportunidade para que mais supermercadistas e consumidores conheçam a qualidade dos produtos das cooperativas paranaenses”, afirmou o presidente da Apras, Carlos Beal. “A partir da Mercosuper 2022, acredito que o Espaço Paraná Cooperativo vai crescer a cada ano, gerando muitos frutos nas próximas edições da Feira”, disse. Segundo Beal, as cooperativas, que já se destacam como grandes exportadoras, ampliaram a atuação também no mercado interno. “O setor está investindo de forma contínua em inovação e lançamentos de produtos, aprimorando o desempenho em todos os aspectos da estrutura de comércio, embalagem, logística, marketing, entre outros. Acredito que a presença das marcas das cooperativas paranaenses no varejo vai crescer cada vez mais em todo o Brasil”, enfatizou. “A confiança que se estabeleceu entre a Apras e o Sistema Ocepar, entidades com mais de 50 anos de história, viabilizou a ideia de criarmos o Espaço Paraná Cooperativo na Mercosuper 2022”, concluiu Beal.

Sobre o evento - Esta será a 39ª edição da Mercosuper e ocorrerá de 5 a 7 de abril, no Expotrade Center, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. A expectativa dos organizadores é reunir um público 20% maior do que a última edição presencial, aumentar em 25% o espaço para os expositores e movimentar mais de R$ 600 milhões em negócios fechados. Uma programação especial está sendo preparada e a ideia é promover o debate dos assuntos mais relevantes do setor supermercadista e da gestão de negócios, com conteúdos essenciais para os empresários. Serão realizados fóruns, palestras e debates com convidados de renome. Clique aqui e confira a programação completa da Mercosuper 2022.

 

FACIAP: Sicredi, Cresol e Sicoob participam de debate com Banco Central

 

Forum Faciap Coop Credito 29 03 2022Os presidentes Manfred Dasenbrock, da Central Sicredi PR/SP/RJ, Alziro Thomé, da Central Cresol/Baser, e Wilson Cavina, do Conselho do Sicoob Central Unicoob, participaram, na tarde desta terça-feira (29/03), no Teatro Positivo, em Curitiba, do painel sobre “A Importância do Sistema Financeiro na Economia Real”. O debate contou com as presenças de representantes do Banco Central do Brasil, entre eles, Otávio Damaso, diretor de Regulação, Paulo Sérgio Neves de Souza, diretor de Supervisão e de Maurício Costa Moura, diretor Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta, e ocorreu durante a realização do IV Fórum de Gestão Pública, organizado pela Faciap, com apoio do G7, grupo composto pelas principais entidades representativas do setor produtivo paranaense.

 

Conquista - Durante o debate, conduzido por Hilgo Gonçalves, vice-presidente da Faciap para Assuntos Institucionais, os dirigentes cooperativistas destacaram sobre o excelente trabalho que vem sendo realizado pelo BC na aproximação e abertura de diálogo com as cooperativas de crédito. Segundo Manfred, uma recém conquista do setor foi a aprovação pela Câmara dos Deputados da Lei Complementar (PLP) 27/2020, que moderniza as normas de atuação do setor de crédito cooperativo previstas na Lei Complementar 130/2009 e que agora vai para discussão no Senado. O dirigente também destacou a criação do Fundo Garantidor e fez um relato sobre as ações do Sicredi na educação financeira.

 

Inclusão - Já o presidente do Conselho do Sicoob Central Unicoob, Wilson Cavina frisou que com apoio do BC, “temos um sistema perene que dá suporte as pessoas que nem sabem que existimos, pois as que nos conhecem, já estão incluídas no sistema financeiro”. O dirigente destacou que o crédito cooperativo além de incluir os mais diferentes públicos, ele conecta pessoas ao que há de mais moderno.

 

Sinergia - Alziro Thomé, presidente da Central Cresol/Baser, frisou de que esta “abertura de portas do Banco Central tem sido muito produtiva paa o sistema financeiro. O que também proporcionou uma maior sinergia entre a Cresol, Sicredi, Sicoob e outros sistemas. Cada um aqui tem seus cases de sucesso e assim podemos compartilhar e multiplicar as boas experiências. Com isso, cada vez mais estaremos preparados para atender as demandas e anseios de nossos cooperados”, destacou.

 

Agenda - Otávio Damaso, diretor de Regulação afirmou que “o Banco Central colocou há muito tempo na sua agenda o cooperativismo de crédito. Setor que tem contribuído muito para inclusão de microempresários e que cresce cada vez mais de forma sustentável e com potencial de expansão”. Em 2015 o sistema cooperativo de crédito representava 6% hoje já é 11%.

 

Preocupação

- Damaso, destacou que diariamente circulam no sistema bancário brasileiro, cerca de R$ 10,5 trilhões ativos e passivos e que o BC. Damaso também salientou que uma crise financeira pode derrubar o PIB entre 8 e 12%, já uma crise no sistema bancário, pode impactar em até 25% do PIB.

 

Coamo - Nesta semana, os três diretores também visitaram a Coamo e a Credicoamo, em Campo Mourão. Damaso disse no Fórum que ficou impressionado com crescimento da cooperativa em apenas cinco décadas. “No início eram poucos produtores e hoje já são mais de 30 mil e sendo considerada a maior cooperativa agro da América Latina. Poderíamos ter cooperativas como a Coamo em cada região do Brasil”, frisou o diretor.

 

Devolução - Durante o Fórum, o diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta, Maurício Costa Moura, comentou que o maior valor sacado no sistema Valores a Receber até agora foi de R$ 1,650 milhão de cotas de consórcio, resgatado por uma pessoa física. “Esta pessoa nem sabia que tinha tudo isso para receber. A grande maioria dos recursos é de valor pequeno. Afinal, pouca gente esquece muito dinheiro em uma conta bancária”, lembrou, ressaltando sobre esta importante iniciativa de devolução. “Imagino que tenha ficado bastante feliz", disse Moura.

 

Presenças - Além do presidente da Faciap, Fernando Moraes, o Fórum contou com a presença do vice-governador Darci Piana e presidente da Fecomércio, de José Roberto Ricken, do Sistema Ocepar, Sérgio Malucelli, da Fetranspar e Camilo Turmina, da Associação Comercial do Paraná.

 

COMPLIANCE EXPERIENCE: Terceira temporada reúne 231 profissionais de mais de 40 cooperativas do Paraná

A terceira temporada do Compliance Experience reuniu 231 profissionais de mais de 40 cooperativas do Paraná. Ela foi dividida em dois episódios: o primeiro ocorreu na tarde de quinta-feira (24/03) e o segundo na tarde desta terça-feira (29/03), ambos em formato virtual. Organizados pelo Sistema Ocepar, tiveram por objetivo promover a disseminação das melhores práticas de gestão por meio da aprendizagem organizacional, buscando a eficiência dos programas de compliance. A abertura das atividades foi realizada pelo superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), Leonardo Boesche.

Primeiro - O primeiro episódio abordou o Programa Nossa Conduta da Cooperativa Agrária Agroindustrial, apresentado pela Elisabeth Sader, coordenadora de Auditoria Interna da cooperativa. Na sequência, Patricia Punder, Profissional de Compliance com sólida experiência no Brasil e América Latina, discorreu sobre como transformar uma crise de compliance em algo positivo para a imagem da organização.

Segundo - No segundo episódio, o gerente de compliance da Integrada Cooperativa Agroindustrial, Fernandes de Souza Junior, explanou sobre o Programa de Integridade da cooperativa, que possui o lema: “Fazer o certo. Esse é o nosso valor”. Em seguida, Reynaldo Goto, Chief Compliance Officer da BRF, discorreu sobre a implementação da ISO 37001, que trata de sistema de gestão antissuborno.

Áudios - Clique nos links abaixo e confira os áudios sobre o evento, produzidos pelo jornalista Alexandre Salvador para a rádio Paraná Cooperativo.

1º EPISÓDIO

Terceira temporada do "Compliance Experience" inicia com case da Agrária e palestra

2º EPISÓDIO

Programa de Compliance continua sendo prioridade para o Sistema Ocepar

Programa de cooperativa trouxe evolução a ações de compliance já existentes na coop

ISO 37001 e o sistema de gestão antissuborno

{vsig}2022/noticias/03/30/compliance_experience/{/vsig}

MONITORAMENTO: Faturamento das cooperativas do ramo agro cresce 34,6%; exportações aumentam 19,5%

monitoramento 30 03 2022No Paraná, o ramo agropecuário encerrou 2021 com faturamento 34,6% superior ao de 2020, somando o valor de R$ 134,8 bilhões, o que representa 87,75% do total faturado pelo cooperativismo paranaense. Já as exportações cresceram 19,5%, chegando ao montante de US$ 6,3 bilhões no ano passado, segundo o levantamento realizado pela coordenação de Monitoramento do Sescoop/PR, com dados do fechamento de 2021.

Conversão em dólar - O cenário consolidado do ramo mostra ainda que, ao converter o faturamento do cooperativismo agropecuário paranaense pela taxa Ptax do dólar, tomando como base o último dia de 2021, tem-se a cifra de US$ 26,2 bilhões, o que significa um crescimento em dólar de 36,2%, de 2020 para 2021. Os produtos industrializados pelas cooperativas do Paraná responderam por 42% do faturamento total e 52% do recebimento de produção foi destinado à industrialização.

Participação - Dentro do processo industrial, os produtos de origem animal representam 53% do faturamento e, nas operações não industrializadas, os itens de origem vegetal representam 86% do faturamento.

Geração de empregos - O ramo foi responsável pela geração de 7.391 novas vagas de trabalho no ano passado, o que corresponde a um crescimento de 7,7% em relação ao exercício anterior. Assim, o quadro laboral encerrou 2021 com 103.140 funcionários. Já o quadro social expandiu 4,6% e chegou à consolidação de 193.734 cooperados, sendo que, destes, 85,9% possuem residência no Paraná. Outro destaque foi o aumento da participação feminina no quadro social do ramo, que passou de 29,81%, em 2020, para 31,82, em 2021. As cooperativas agropecuárias paranaenses possuem associados em 10 estados da federação e funcionários em 17 estados.

O ramo - No Paraná, há 58 cooperativas agropecuárias registradas no Sistema Ocepar, entre as quais, 17 sediadas na região Centro-Sul, 4 no Norte, 17 no Noroeste, 12 no Oeste e 8 no Sudoeste. Quanto ao porte, elas se dividem em: 15 de grande porte, 15 de médio/grande porte, 10 de médio porte e 18 de pequeno porte. “O valor adicionado, ou seja, a riqueza adicional gerada pelas cooperativas agropecuárias, foi 22,2% superior ao ano anterior e atingiu o montante de R$ 13,5 bilhões”, ressalta o coordenador de monitoramento do Sescoop/PR, João Gogola.

Clique aqui e confira na íntegra o cenário consolidado do ramo agropecuário no Paraná em 2021

 

PLANO SAFRA: Crédito Rural ganha crédito suplementar de R$ 868 mi

plano safra 30 03 2022A atuação do Sistema OCB junto ao Governo Federal e ao Congresso Nacional contribuiu para um novo aporte de R$ 868,49 milhões para subvenções ao crédito rural e que contribuem para destravar as linhas suspensas no atual Plano Safra, além de fortalecer a política agrícola no país.

Projeto de Lei - O senador Carlos Fávaro (MT) foi o relator do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 1/22, que, entre outras medidas, abre créditos suplementar para a agropecuária. O texto foi aprovado pela Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO), nesta terça-feira (29/03) e segue para análise no Plenário do Congresso Nacional.

Agradecimento - O senador agradeceu aos pares pela aprovação unanime da matéria e destacou a importância dos valores destinados ao Plano Safra. "A falta de recursos no sistema financeiro, ainda mais com a alta dos preços dos fertilizantes, poderia causar um colapso e quem pagaria essa conta seriam os brasileiros que vão ao supermercado e não aguentam mais pagar tão caro nos alimentos".

Distribuição - De acordo com o parecer, o valor será distribuído da seguinte forma: R$ 199.518 milhões para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf); R$ 380.638 milhões para operações de custeio agropecuário; R$ 6.380 milhões para operações de comercialização de produtos agropecuários; e R$ 281.953 milhões para operações de investimento rural e agroindustrial.

Recomposição - Outro R$ 1,7 milhão foi aprovado para recompor despesas primárias obrigatórias de pessoal, encargos sociais e programas do Poder Executivo.

Atuação - O Sistema OCB continua atuando para garantir recursos suficientes para viabilizar o próximo Plano Safra (22/23), além de acompanhar os desdobramentos da disponibilização de recursos para atender a região Sul, impactada por fatores climáticos, sobretudo pela seca. (Sistema OCB)

FOTO: Edilson Rodrigues / Agência Senado

 

FRÍSIA: Maior laboratório de sementes do Paraná completa 43 anos e projeta dobrar número de análises até 2025

frisia 30 03 2022Em 30 de março de 1979, o Laboratório de Análise de Sementes (LAS) da Frísia iniciou as atividades, com o trabalho de avaliação da qualidade física, fisiológica, genética e sanitária das sementes para garantir a qualidade do produto que chega ao agricultor. Agora, completando 43 anos de atividades, o Laboratório de Sementes projeta dobrar o número de análises até 2025, como meta rumo aos 100 anos da cooperativa Frísia, chegando a análise anual de 20 mil amostras.

Evolução - “Há 43 anos, iniciamos este trabalho com duas analistas, mas hoje temos uma equipe muito maior para atender a necessidade de produção atual de sementes, que é 800 mil sacas por ano. Ampliamos as salas de germinação e das câmaras de vigor de sementes, construímos duas salas de germinação na areia, que permite realizar teste em condições controladas de temperatura e umidade, para simular um plantio na lavoura. Esse tipo de análise é um diferencial da Frísia para seus cooperados e clientes. Com este trabalho, conseguimos saber a real qualidade da semente que a gente produz e compra. Atualmente, realizamos a análise de 10 mil amostras anualmente, em média, e a meta é dobrar esse número até 2025, quando a cooperativa completa 100 anos”, detalha o coordenador de produção e laboratório da Sementes Batavo, Luiz Henrique Deschamps.

Estrutura - Em 2021, a Frísia e a Sementes Batavo inauguraram uma estrutura totalmente nova para o LAS, sendo o maior Laboratório de Análise de Sementes (LAS) do Paraná, com uma área de 600 m², permitindo a rastreabilidade completa em todo o processo de produção das sementes, como plantio, colheita, recepção, beneficiamento e ensaque. A Frísia é a primeira cooperativa a ter laboratório credenciado para fazer análises de soja, trigo, milho, feijão, aveia, cevada, azevém, triticale e sorgo para a Sementes Batavo e demais clientes da região e do Brasil.

Fundamental - O trabalho de análise realizado pelo LAS é fundamental, pois para que uma semente possa ser comercializada, ela deve constar em sua sacaria, o percentual de pureza, o percentual de germinação e a data de validade do teste de germinação. Com estes dados, e outros como o peso de mil sementes, o produtor consegue calcular o consumo de sementes por hectare e obter uma boa plantabilidade em sua lavoura.

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Em 2025, a Frísia completa um século de história. A cooperativa é a mais antiga do Paraná e segunda do Brasil, e tem como valores Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). Com unidades no Paraná e Tocantins, em 2020 produziu 283 milhões de litros de leite, 832.765 toneladas de grãos e 28.063 toneladas de suínos, resultado do trabalho de 895 cooperados e 1.119 colaboradores. Para promover o crescimento nos próximos cinco anos, a Frísia desenvolveu o planejamento estratégico “Rumo aos 100 Anos”, um conjunto de propostas que visa aumentar a produção agropecuária e os investimentos com outras cooperativas e em unidades próprias. O planejamento da Frísia foi desenhado sob seis perspectivas principais: Sustentabilidade, Gestão, Mercado, Pessoas, Financeiro e Cooperados. Assim, seguirá a missão da cooperativa, que é disponibilizar produtos e serviços para gerar resultado sustentável a cooperados, colaboradores e parceiros. Saiba mais em frisia.coop.br. (Imprensa Frísia)

 

LAR: Gerente da cooperativa recebe prêmio nacional da avicultura

A médica veterinária e gerente geral das quatro indústrias de frango da Lar, Lérida Fantin de Vargas, recebeu o Prêmio Carne Forte, na capital paulista, em 15 de março. A gerente da Lar Cooperativa foi a homenageada nacional como destaque na avicultura. O Prêmio Carne Forte reconhece e valoriza os profissionais, e também autoridades, que foram importantes na cadeia produtiva de proteína animal, abrangendo os setores de aves, suínos, bovinos, pescados, entre outros. A votação é feita pelos profissionais do setor das indústrias de carnes e imprensa especializada, que definem os melhores do ano em cada categoria.

Honrada - Na Lar Cooperativa, Lérida iniciou sua trajetória há 22 anos, atuou como responsável pelo controle de qualidade, depois como gerente da Unidade Industrial de Aves em Matelândia e atualmente é a coordenadora geral das indústrias da Lar, o que corresponde a um abate na ordem de 1 milhão de aves/dia. “Me sinto realmente honrada de através da Lar Cooperativa poder representar a avicultura e receber esse reconhecimento. Somos um time, crescemos juntos, equipe técnica do campo, comercial, qualidade, rh, equipes das indústrias dedicadas, muita gente envolvida. Esse prêmio é da Avicultura da Lar, divido com todos este mérito”, afirmou a gestora ao expressar a sua gratidão pelo reconhecimento. Vale destacar que a premiação aconteceu no mês da mulher, e esse ano foi a primeira vez em que uma mulher recebeu o Prêmio Carne Forte como destaque profissional.

Atuação - Além das funções de gerência exercidas na Lar, a relevância da Lérida na avicultura se dá devido à forte atuação dela em nível nacional nas entidades, Ministério da Agricultura, Sindiavipar, representando tecnicamente o setor, contribuindo na busca constante pela sanidade e lutando pela causa de aliar produção com qualidade e viabilidade das indústrias.

Trajetória e visão profissional - Em sua carreira, Lérida atua há praticamente 30 anos na avicultura, além de médica veterinária, ela é mestre em tecnologia de alimentos e possui diversas especializações, o que evidencia a sua busca por constante capacitação para estar bem preparada no que tange a cadeia produtiva de aves e um produto de qualidade para o consumidor final.

Gestão 360 graus - Após a aquisição da quarta indústria de aves da Lar, surgiu a necessidade de uma gestão 360 graus, e com a missão de contribuir para otimizar os processos, produção detalhadamente planejada, e zelar pela padronização de todos os produtos o que detalham as atuais responsabilidades da gestora.

Pontos de destaque - Ao ser questionada sobre quais seriam os pontos de destaque em sua trajetória e que contribuíram para que se tornasse a referência que é hoje para o setor avícola ela menciona três. Inicialmente ela relata a importância da atualização e do conhecimento devido ao dinamismo do mundo global, o profissional precisa estar preparado.

Comunicação - O segundo ponto mencionado por ela é a comunicação com o quadro de funcionários, considerando os quatro frigoríficos são mais de 18 mil pessoas, “São o nosso grande patrimônio, precisamos cuidar delas, estar próximo, acompanhando, dar atenção, orientar, ensinar e tratar diferentes situações que ocorrem no dia a dia”, relata Lérida e complementa que da mesma forma é tarefa do gestor e de toda equipe zelar pela conservação dos equipamentos e estrutura. E o terceiro tópico destacado por ela é o aperfeiçoamento contínuo para o autodesenvolvimento, reforçando temas como estudar outro idioma e inovação, indispensáveis no cenário atual na visão dela.

Papel dos avicultores - Léria encerrou a entrevista ressaltando a importância do papel dos avicultores na cadeia produtiva do frango. De acordo com ela a qualidade do produto final é definida nos aviários. “O frigorífico não consegue mudar nada do que ele recebe, é apenas o local que transforma a matéria-prima em cortes e industrializados”, ressaltou ao agradecer pela dedicação de cada avicultor da Lar Cooperativa que faz parte desse amplo processo produtivo. (Imprensa Lar)

{vsig}2022/noticias/03/30/lar/{/vsig}

COPACOL: CopacolAgro 2022 será realizado em maio

copacol destaque 30 03 2022Passamos por muitas mudanças e estamos em um novo tempo: agora vamos viver um momento de novos sonhos, alegrias e reencontros. Para cooperar com o desenvolvimento nas atividades, agora o produtor rural passa a contar o CopacolAgro 2022.

Mudança - O CPAgro agora é CopacolAgro: tradicional evento realizado pela Cooperativa Copacol, referência em agronegócio no Brasil e outros 76 países, com nova identidade, mas a mesma essência. Dias 10, 11 e 12 de maio o encontro dos produtores de toda a região será no CPA (Centro de Produção Agrícola), em Cafelândia, reunindo o que há de mais moderno para o campo, desde insumos, implementos e equipamentos agrícolas. “Os produtores de todas as integrações – aves, suínos, peixes, leite e grãos – têm esse evento como ponto de partida para implantar novas tecnologias nas propriedades. A expectativa é grande para a realização do CopacolAgro 2022, de maneira presencial, após dois anos sem podermos nos reunir. Nossa identidade agora renovada vem para mostrar que estamos em um novo momento, um recomeço para todos, com tecnologia, experiência e conhecimento: princípios essenciais nas nossas propriedades”, afirma o diretor-presidente, Valter Pitol.

De virtual a presencial - Nos últimos dois anos, o evento conhecido como CPAgro foi realizado de maneira virtual, com convidados especiais nas lives transmitidas do estúdio implantado na cooperativa até as casas dos 6,7 mil cooperados. Agora, o CopacolAgro vem com novas atrações e convidados especiais para atrair o público até o CPA, em Cafelândia, Oeste do Paraná, onde fica a sede da Copacol. (Imprensa Copacol)

 

CASTROLANDA: Produtores são premiados na 9ª edição do “Melhores da Suinocultura”

castrolanda 30 03 2022Suinocultores que se destacaram ao longo do último ano na Castrolanda foram premiados durante o evento “Melhores da Suinocultura”. A premiação, já tradicional entre os produtores de suínos da cooperativa, tem o objetivo de reconhecer o desempenho, esforço e trabalho de todos aqueles que atuam diariamente nas granjas.

Público - O evento, no Moinho Castrolanda, reuniu cerca de 150 pessoas, entre colaboradores Castrolanda, membros do Comitê de Suinocultores, produtores e equipes das granjas – os grandes homenageados da noite. O período de avaliação foi de 1º de outubro de 2020 a 30 de setembro de 2021.

Categorias - As premiações foram divididas em três grandes categorias: Granjas de Ciclo Completo, UPL e Multiplicadores; Granjas Terminadores - Cooperados; e Granjas Terminadores - Parceiros. A última delas foi a novidade do evento, que também passa a condecorar produtores e gerentes de granjas parceiras da cooperativa na engorda de leitões para o abate.

Troféus - Também foram entregues os troféus ao final das três etapas de premiação. Receberam a máxima honraria as granjas que mais conquistaram certificados em cada grande categoria, além daquelas que mostraram melhor potencial evolutivo no ciclo avaliado. Gerente de Negócios Carne da Castrolanda, Mauro Cezar de Faria agradeceu o empenho e a dedicação dos suinocultores.

Satisfação - “Para nós é uma satisfação muito grande, em mais um ano, engrandecer todos os produtores e gerentes de granja que buscam dia após dia a melhor produtividade e eficiência na suinocultura. Também é preciso agradecer o apoio do Comitê de Suinocultores e toda a equipe de Assistências Técnica e Administrativa, que estão com gente todos os dias”, ressaltou.

Os vencedores

Granjas Ciclo completo, UPL e Multiplicadores

1. Propriedade Excelência em Informações:

Marcelo de Jager (Chácara Cercadinho); Mateus André Rabbers (Chácara Santa Cruz Lajeado); Mateus Simão (Chácara Vó Ita); Reinder M. Barkema (Chácara Barca); Roelof Rabbers (Fazenda Estiva); e Roelof Rabbers (Fazenda Onça).

2. Avaliação Checklist Ciclo Completo:

Richard H. Borg e Cornélio J. Borg (Fazenda Santa Angela); Roelof Rabbers (Fazenda Estiva); e Roelof Rabbers (Fazenda Onça).

3. KG vendidos/fêmea/ano:

Catherine Bouwman (Chácara Mirela); Marcelo de Jager (Chácara Cercadinho); e Reinder M. Barkema (Granja Cascavel).

4. Porcentagem de Condenações ao Abate:

Catherine Bouwman (Chácara Mirela); Frederika Fokje de Jager (Chácara Arco Iris); e Jan Ate de Jager (Chácara Samambaia).

5. Bonificação Total:

Albertus Frederik Wolters (Chácara Alto Grande); Richard H. Borg e Cornélio J. Borg (Fazenda Varginha); e Roelof Rabbers (Fazenda Estiva).

6. Desmamados/fêmea/ano:

Marcelo de Jager (Chácara Cercadinho); Mateus Simão (Chácara Vó Ita); e Reinder M. Barkema (Chácara Barca).

Granjas Terminadores – Cooperados

7. Avaliação Checklist Terminação:

Alessandro Langendyk (Fazenda Cristina); Arjan Egbert Noordegraaf (Fazenda Cunhaporanga); e João Cristiano Kiers (Fazenda Romi).

8. Ganho de Peso Ajustado – 22 aos 130 kg:

Janete Deen (Chácara Janete); Margareth Junko Kagawa Akahane (Chácara Lageado); e Mari Izabel Acosta de Jager (Fazenda Favorita).

9. Porcentagem de Mortalidade:

Armando Rabbers (Sta. Cruz de Baixo); Margareth Junko Kagawa Akahane (Chácara Lageado); e Sandro Aurérilio Hey (Chácara Florense).

10. Conversão alimentar ajustada – 22 aos 130 kg:

Lucio Leopoldo Los (Chácara Dona Elza); Marcio José Lopes e Eduardo Medeiros Gomes (Ema III); e Margareth Junko Kagawa Akahane (Chácara Lageado).

11. Porcentagem de Condenações ao Abate:

Janete Deen (Chácara Janete); Lucio Leopoldo Los (Chácara Dona Elza); e Pablo Bruno Borg e Rogério Egbert Borg (Fazenda Ressaca).

12. Bonificação Total:

Antonio Carlos Iglesias Canha (Engenho Velho); Klaasje Hendrika Noordegraf Bouwman (Fazenda Stella Alba); e Leonard Loman (Chácara Loman).

Granjas Terminadores – Parceiros

13. Avaliação Checklist Terminação:

Genuir Carlos Szorek (Sítio São Judas Tadeu); Luan Antonio Grechinski (Sítio São José); e Wilson dos Santos Gradiz (Chácara Orquídea).

14. Ganho de Peso Ajustado – 22 aos 130 kg:

Edegar Grechinski (Sítio do Turvo); Luan Antonio Grechinski (Sítio São José); e Wilson dos Santos Gradiz (Chácara Orquídea).

15. Porcentagem de Mortalidade:

Paulo Kluczcowski (Campina dos Alves); Renato Grechinski (Sítio do Luan); e Wilson dos Santos Gradiz (Chácara Orquídea).

16. Conversão alimentar ajustada – 22 aos 130 kg:

Clodoaldo de Biassio (Chácara Guará); Jorge Giovani Rosado (Sítio Rosado); e Wilson dos Santos Gradiz (Chácara Orquídea).

17. Porcentagem de Condenações ao Abate:

Clodoaldo de Biassio (Colônia Iapó); Pedro Gonçalves de Macedo (Chácara Santa Cecilia); e Renato Grechinski (Sítio do Luan).

18. Bonificação Total:

Clodoaldo de Biassio (Colônia Iapó); Edegar Grechinski (Sítio do Turvo); e Paulo Kluczcowski (Campina dos Alves).

Granja Evolução

19. Ciclo completo: Jan Ate de Jager (Chácara Samambaia).

20. Terminadores: Pablo Bruno Borg e Rogério Egbert Borg (Fazenda Ressaca).

Granja Destaque

21. Ciclo completo: Reinder M. Barkema (Chácara Barca).

22. Terminadores – Cooperados: Margareth Junko Kagawa Akahane (Chácara Lageado).

23. Terminadores – Parceiros: Wilson dos Santos Gradiz (Chácara Orquídea).

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com sete décadas anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo.

Faturamento - Com 4,5 bilhões de reais de faturamento e aproximadamente 3700 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite e batata.

Objetivo - O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)

 

SICOOB CREDICAPITAL: Realizada reunião preparatória presencial para a AGO, em Porto Alegre (RS)

sicoob credicapital 30 03 2022O Sicoob Credicapital realizou, na última sexta-feira (25/03), a segunda reunião preparatória para a Assembleia Geral Ordinária (AGO). O evento aconteceu na Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) e contou com a presença de cooperados, conselheiros, diretores e colaboradores. Durante o evento, foram apresentadas as principais realizações da cooperativa em 2021, além do plano de ação para o ano de 2022. Os associados também puderam assistir a uma palestra com o diretor de Coordenação Sistêmica e Relações Institucionais do Banco Sicoob, Enio Meinen.

Democracia cooperativista - “Hoje é um dia muito importante, onde celebramos a chamada democracia cooperativista, a verdadeira gestão participativa. Estamos na capital do Rio Grande do Sul prestando contas da nossa administração para os cooperados”, explica Enio ao citar a importância das reuniões preparatórias.

Impacto positivo - Já o presidente do Conselho de Administração, Guido Bresolin Júnior, ressalta que a expansão da cooperativa para Porto Alegre (RS), impactou positivamente o crescimento do Sicoob Credicapital em 2021. “Depois que chegamos ao Rio Grande do Sul, vimos nossa cooperativa, em 2021, ter um ano exponencial”.

Segunda reunião - Esta foi a segunda reunião preparatória realizada pela cooperativa, a primeira aconteceu no dia 19 de março e reuniu mais de 1.300 cooperados em Cascavel (PR). Já no dia 29 deste mês, será a vez dos cooperados de São Paulo.

Satisfação - Para o conselheiro de Administração do Sicoob Credicapital, Deomedes Talini, é uma grande satisfação poder realizar este evento em Porto Alegre (RS). “Ficamos muito felizes em poder compartilhar os números do Sicoob com os cooperados, que são os donos e a razão de existir da cooperativa”.

250 anos - No dia 26 de março, Porto Alegre comemorou 250 anos de histórias, uma data importante para o estado. E, em comemoração ao dia, a TV Pampa realizou um programa especial do “Pampa Debates” transmitido ao vivo. Na ocasião, os representantes do Sicoob, Enio Meinen e Guido Bresolin Júnior, falaram sobre cooperativismo.

Sicoob Credicapital - O Sicoob Credicapital é uma cooperativa cascavelense com 21 anos de histórias e grandes resultados. Em 2021, ultrapassou a marca de R$ 1 bilhão de ativos totais, com um crescimento de 50% em oferta de crédito, 34% em captação e 22% em número de associados, chegando aos 50 mil no início deste ano. Atualmente, a cooperativa está presente em 19 municípios do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SINDITRIGO-PR: Novos hábitos de consumo e tendências por saudabilidade serão destaques do workshop Moatrigo

sinditrigo 30 03 2022Maior produtor e parque moageiro do país, o estado do Paraná produz quase 50% do trigo brasileiro e responde por 30% da produção nacional de farinha, somando mais de 60 moinhos de trigo.

Evento - E para discutir sobre o atual cenário, novas tecnologias e tendências, o Sindicato da Indústria do Trigo do Paraná, Sinditrigo-PR, realiza no dia 5 de abril, em Curitiba, o evento presencial Moatrigo – Do Trigo ao Tech, direcionado a executivos, colaboradores e fornecedores dos moinhos do estado e do país.

Novidades - Segundo a vice-presidente do Sinditrigo-PR, Paloma Venturelli, o workshop vai apresentar o que há de novo no setor, abordando novos hábitos do consumidor e tendências de mercado, incluindo mudanças importantes na legislação de produtos integrais que vão entrar em vigor brevemente, com novas rotulagens de embalagens.

Análise do cenário econômico - A pauta do Moatrigo inclui também a análise do cenário econômico, que se tornou ainda mais desafiador para a indústria moageira após o início da guerra entre Rússia e Ucrânia, países que somam 30% da produção mundial de trigo. “Há um temor na busca por trigo e estamos passando por aumentos no preço da matéria-prima no mundo e no Brasil. No Moatrigo, vamos discutir quais os impactos e tendências de agora até o final do ano e como nos preparar para tudo que está por vir”, frisa Venturelli.

Saúde e bem-estar em foco - Boa parte dos temas abordados na programação do Moatrigo convergem para a necessidade de atender as demandas de um novo perfil de consumidor que prioriza saúde e bem-estar e busca alimentos mais naturais, artesanais, mais frescos, com menos ingredientes químicos.

Tendência - “Esse contexto já era tendência, mas ficou ainda mais acentuado com a pandemia”, afirma Mauricio Sandri, diretor no Brasil da Eurogerm, que participa do Moatrigo representada pelo diretor de exportação Sèbastien Jollet, em palestra com o tema “Ferramentas para Atendimento de um Mercado Transformado pela Pandemia”.

Estudos - A empresa vai apresentar dois estudos de casos de produtos – pão de forma de pão de hambúrguer - para ilustrar concretamente na parte tecnológica como buscar atender essas transformações priorizando o chamado “clean label”, que significa “rótulo limpo”, com menos ingredientes e sem nomes complicados.

Panificação - “Considerando que o principal uso do trigo é para a panificação, a indústria de biotecnologia vem desenvolvendo ferramentas que permitem aprimorar tecnologicamente o pão, para deixá-lo, por exemplo, mais macio; para conservá-lo melhor, sem que mofe - mas sem usar conservante artificial – e também para potencializar o aspecto sensorial do pão, trazendo notas e percepção de artesanal , de tradicional, desmistificando um pouco o universo dos pães industriais”, explica Sandri.

Mercado de integrais e nova legislação - O tema “Desafios para os produtos no novo mercado de integrais”, será apresentado no Moatrigo pela supervisora de Pesquisa e Desenvolvimento na AIT Ingredients, Kassia Kiss Firmino Dourado.

Crescimento - O mercado de integrais vem crescendo no Brasil, especialmente nos últimos dois anos, devido à mudança no comportamento do consumidor. Segundo Dourado, os brasileiros estão procurando e dispostos a pagar a mais por alimentos que reflitam a cultura local, tenham rótulos mais limpos e que tragam benefícios à saúde.

Legislação - Outro ponto em destaque será a nova norma que legisla a produção de alimentos integrais, que entra em vigor no próximo dia 22 de abril, trazendo requisitos específicos, como por exemplo, a quantidade de ingredientes integrais que passa a ser fixada em um mínimo de 30%, além de outras mudanças na parte de rotulagem. “A indústria moageira deve se preparar para ofertar pré-misturas que atendam esta legislação, e que fomentem a necessidade das indústrias de alimentos, agregando valor aos seus produtos”, destaca a supervisora da AIT Ingredients.

Formulações mais naturais - Clean label e fermentação natural serão discutidos em profundidade no painel “Tendências que impactam o seu negócio: Clean Label e Fermentação Natural”, conduzido por Ricardo Mori, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da área Bakery da Prozyn Biosolutions.

Naturalidade e saudabilidade- O movimento Clean Label atende aos anseios de naturalidade e saudabilidade do consumidor. Com rótulos cada vez mais enxutos e transparentes, a indústria de alimentos vem retirando progressivamente os aditivos de suas formulações e, em substituição, ofertando produtos mais naturais e saudáveis, com ingredientes conhecidos pelos consumidores. Outra estratégia empregada é aproximar o produto industrial do produto artesanal com a Fermentação Natural, que explora atributos de sabores e aromas diferenciados, maior digestibilidade e conservação.

Necessidades - “Estamos atentos às necessidades do mercado, com propostas que aproximam a tradição do setor da indústria moageira com as grandes tendências globais”, afirma Mori.

Programação e inscrições - A programação completa do Moatrigo 2022 pode ser conferida no site www.moatrigo.com.br e as inscrições estão abertas. O evento acontece dia 05 de abril, no Taboo Eventos, na capital paranaense. O Moatrigo tem realização do Sinditrigo-PR e de suas associadas e colaboradoras.

Patrocínio - O patrocínio é da Eurogerm Ingredientes & Solutions; AIT Ingredientes Brasil; Global Food; Prozyn Biosolutions; Bühler; Sangati Berga; Moageira Irati; Gavilon; Romanus; Biotrigo Genética e Open Solo.

Apoio - O evento tem apoio da Fiep, Embrapa, Abitrigo, Faep, Inpar, Abimapi, Ocepar e Apras.

(Assessoria de Imprensa do Sinditrigo-PR)

 

REGULARIZAGRO: Plano nacional irá agilizar a implementação do Código Florestal em imóveis rurais

regularizagro 30 03 2022O governo federal irá instituir o Plano Nacional de Regularização Ambiental de Imóveis Rurais (RegularizAgro), com o objetivo de desenvolver um plano de ação governamental entre a União e os estados para avançar na agenda da regularização ambiental em todos os biomas brasileiros, em conformidade com o Código Florestal.

Decreto - O decreto que institui o RegularizAgro foi assinado nesta terça-feira (29/03) pelo presidente Jair Bolsonaro e a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, durante a cerimônia de entrega de títulos de propriedade rural a famílias assentadas do Assentamento Itamarati, em Ponta Porã (MS).

Medidas e estratégias - O RegularizAgro vai propor medidas e estratégias para o cumprimento das diretrizes da regularização ambiental nas propriedades rurais, estabelecendo um ambiente de segurança jurídico-institucional, de governança pública e articulação setorial necessários ao cumprimento efetivo do Código Florestal. O Plano também prevê a criação de estrutura de governança formal, com a instituição de um Comitê Gestor e de Câmaras Técnicas, que poderão contar com a participação de especialistas no tema, para a definição de instrumentos normativos e técnicos.

Integração - “O RegularizAgro vai promover a integração de dados e sistemas para a efetiva regularização ambiental dos imóveis rurais, contribuindo também para o combate ao desmatamento ilegal e o cumprimento dos acordos firmados no âmbito dos Programas de Regularização Ambiental. A estruturação do RegularizAgro vai possibilitar a construção de um planejamento estratégico de governo, visando contribuir com a agenda de regularização ambiental, em conformidade com o Código Florestal”, explica o diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Pedro Neto.

Proteção da vegetação - Criado em 2012, o Código Florestal Brasileiro dispõe sobre a proteção da vegetação nativa em todo o território nacional e criou o Cadastro Ambiental Rural (CAR), instituindo o Programa de Regularização Ambiental e o Programa de Apoio e Incentivo à Preservação e Recuperação do Meio Ambiente.

Cadastro - Atualmente, mais de 6,5 milhões imóveis rurais estão cadastrados, totalizando uma área de 618 milhões de hectares, o que representa 72% do território nacional. No entanto, apenas 18,7 mil cadastros já tiveram a análise da regularidade ambiental concluída.

Responsáveis - As Unidades Federativas são as principais responsáveis pela regularização ambiental das propriedades rurais no âmbito do Código Florestal, com a realização de todo o processo de análise e cancelamento do CAR e aprovação dos Programas de Regularização Ambiental. Nos últimos anos, foram desenvolvidas ferramentas de análise dos cadastros, como o Módulo de Análise Dinamizada do Cadastro Ambiental Rural (AnalisaCAR).

Dinamização - Para dar maior dinamização aos processos de análise dos registros do CAR, o RegularizAgro vai priorizar o aperfeiçoamento do Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar), garantido a interoperabilidade com outros sistemas correlacionados e com os estados. “Este Plano pode exercer papel central na articulação de esforços entre União e estados, garantindo um caminho de consenso entre os membros para avançar na implementação da legislação”, avalia o diretor do SFB.

Comitê Gestor - O RegularizAgro será elaborado e aprovado por um Comitê Gestor, composto por representantes do Mapa, do Ministério do Meio Ambiente, da Embrapa, do Conselho Nacional de Secretários de Estado de Agricultura (Conseagri) e da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema). Os membros do Comitê deverão ser indicados em até 30 dias após a publicação do Decreto.

Apresentação - O Plano deverá ser apresentado em um prazo de até 180 dias a partir da publicação do decreto. A proposta é que ao longo deste período os diversos atores sejam ouvidos e envolvidos neste processo garantindo que o Plano gere um amplo entendimento quanto aos próximos passos para implementação da legislação. (Mapa)

 

INOVAÇÃO: Renagro permitirá registro eletrônico de tratores e máquinas agrícolas

inovacao 30 03 2022A partir de outubro deste ano, entra em vigor o Registro Nacional de Tratores e Máquinas Agrícolas (Renagro). Com isso, o produtor terá acesso a um documento com registro e diversos dados sobre os equipamentos.

Decreto - O decreto Nº 11.014, que cria o Renagro, foi assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina.

Gratuito - A ministra Tereza Cristina destacou que o registro é gratuito ao produtor rural, garantindo a propriedade do bem e segurança na comercialização do veículo.

Exemplos - “Se o trator for roubado, as polícias Federal, Rodoviária Federal e estaduais poderão entrar no cadastro e ajudar na procura. Se você quiser vender o veículo, terá registrado o ano e também poderá ter acesso a seguro mais barato”, exemplificou a ministra sobre os benefícios do Renagro, em cerimônia de entrega de títulos de propriedade rural em Ponta Porã (MS).

Base nacional - Ao registrar o trator ou a máquina agrícola na base nacional de tratores e de máquinas agrícolas, o proprietário terá acesso ao documento Renagro por meio de sistema informacional IDAgro. Além disso, o sistema permitirá alterações sobre a informação de propriedade do registro do trator de forma facilitada e acessível.

Pré-cadastro - Para isso, os fabricantes, os importadores e os agentes autorizados de tratores e de máquinas agrícolas deverão pré-cadastrar as informações relativas aos bens produzidos ou importados na base nacional de tratores e de máquinas agrícolas do Renagro. A partir do pré-cadastro, um novo proprietário poderá ter seu novo equipamento cadastrado no sistema, após uma simples análise documental.

Dificuldades - A diretora de Apoio à Inovação para a Agropecuária do Mapa, Sibelle Silva, explica que, atualmente a falta de um sistema de registro de tratores agrícolas e aparelhos automotores traz dificuldades ao produtor rural tanto na comercialização do bem, com o registro e com os altos custos cartorários, como na contratação do seguro do veículo.

Legislação - “Com o Renagro, o Mapa passa a atender a legislação, registrando os tratores sem custo para o produtor rural e contribuindo para formulação e fortalecimento de políticas públicas e promoção da inovação no agronegócio”, acrescentou.

Estimativa - A Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) estima que sejam adquiridos aproximadamente 35 mil novos tratores a cada ano no Brasil. (Mapa)

FOTO: iStock

 

CONAB: Novo Portal proporciona acesso às informações sobre armazéns do Brasil

conab 30 03 2022Mais um importante lançamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ocorreu nesta terça-feira (29/03): o novo portal Armazéns do Brasil – uma página inédita disponibilizada a partir do site da Companhia, que oferece, em um mesmo lugar, todas as informações capazes de subsidiar as decisões no setor agrícola. Alimentado com dados atualizados de sistemas internos da estatal, o portal permite pesquisar todos os armazéns cadastrados no país, além de informações como a localização (rural, urbana ou porto), certificação e outras características.

Desenvolvimento - “A agricultura está em constante desenvolvimento, e a Companhia conduz essa trajetória de inovação com a garantia de que tanto o governo que atua na política de abastecimento, quanto o produtor que completa o elo dessa cadeia, tenham em mãos as informações e a inteligência agropecuária que necessitam para garantir o alto rendimento agrícola do país”, afirma o presidente da Conab, Guilherme Ribeiro.

Informações estratégicas - O portal Armazéns do Brasil disponibiliza informações estratégicas para o agro nacional, já que possibilita ao produtor planejar a sua pós-colheita, aponta os agentes armazenadores com localização e características de suas estruturas divulgadas, facilita o mecanismo de encontro entre a oferta e demanda dos serviços de armazenagem, o que ameniza as dificuldades logísticas na colheita dos grãos brasileiros e ainda auxilia na escolha do produtor rural, principalmente com as dificuldades de encontrar armazéns em momentos de alta demanda por este serviço.

Modelos de produção - “A agricultura moderna que gera hoje modelos de produção baseados em mapeamento de áreas por satélite, análise de solo georreferenciada, pulverização com drones e tecnologias para o plantio, irrigação e fertilização, também necessita de uma rede armazenista desenvolvida”, ressalta o diretor de Operações e Abastecimento da Companhia, José Trabulo Júnior. “Nesse sentido, a criação deste Portal é mais um instrumento para possibilitar a movimentação e o crescimento do setor, uma vez que dá maior visibilidade às unidades disponíveis e melhora o poder de seleção dos produtores”.

Responsivo - Desenvolvido com design moderno e intuitivo, o portal também é responsivo, ajustando-se ao tamanho da tela de celulares e tablets, sem alteração do layout. Assim, qualquer usuário poderá utilizar a ferramenta sem dificuldades, já que o conteúdo adapta-se a qualquer ferramenta que os usuários estejam usando para facilitar a sua visualização.

Uso - De acordo com a equipe técnica da Conab, o portal poderá ser usado tanto para estudos de logística, capacidade estática e políticas públicas, quanto diretamente pelo produtor. "Nós concentramos os dados que antes ficavam distribuídos e ainda incluímos outros parâmetros de pesquisa, promovendo uma dinâmica de acesso facilitada, inclusive por meio de gráficos, que melhoram o entendimento", explica o superintendente de Armazenagem da Conab, Stelito Reis. "Assim o produtor poderá escolher não só o armazém mais próximo, mas aquele que possui as características que ele deseja, como certificação, condições de armazenagem, etc".

Aplicativo - No início de fevereiro, a Conab já havia apresentado também o aplicativo denominado Descontos de Armazenagem, com o objetivo de auxiliar os produtores rurais do país a calcular e identificar previamente os custos importantes para uma melhor negociação da tarifa a ser paga aos armazéns contratados para a guarda de seus produtos. O App está em funcionamento no sistema Android, disponível para download na Play Store. A ideia é que, em breve, seja desenvolvido também a versão para IOS. (Conab)

Acesse aqui o novo Portal Armazéns do Brasil.

Baixe aqui o aplicativo Descontos de Armazenagem pela Play Store.

 

IPP: Inflação da indústria desacelera para 0,56% em fevereiro

ipp destaque 30 03 2022Os preços no setor industrial em fevereiro de 2022 tiveram alta de 0,56% em relação a janeiro. Na passagem de janeiro para dezembro, a variação foi de 1,20%. No índice que registra os últimos 12 meses, a taxa foi de 20,05%. Em janeiro, havia sido de 25,53%. No acumulado do ano o indicador atingiu 1,77%.

Destaque - Pelo terceiro mês seguido a indústria extrativa é o destaque com a maior variação, 8,34%, e a maior influência: 0,44 p.p., em 0,56% do resultado do IPP. Os dados são do Índice de Preços ao Produtor (IPP), divulgado nesta quarta-feira (30/03) pelo IBGE.

Variação - O IPP mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, isto é, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. Dessas, 15 apresentaram alta. Os quatro setores com maiores variações, em termos absolutos, foram: indústrias extrativas (8,34%); fumo (-2,92%); madeira (-2,73%); e metalurgia (-2,55%).

Desaceleração - De acordo com o analista da pesquisa, Murilo Lemos Alvim, o resultado desacelerou em relação a janeiro, mas o indicador de dezembro foi inferior ao registrado em fevereiro, o que mostra que não se pode afirmar que é uma tendência de queda. Ele explica que parte da desaceleração de fevereiro está relacionada ao câmbio.

Variação cambial - “O resultado de fevereiro tem ligação com a variação cambial, pois o mês registrou a maior queda do dólar em 20 meses. A moeda norte-americana caiu cerca de 6%. Essa depreciação do dólar pode ser observada tanto no acumulado do ano (mais de 8%) quanto no acumulado em 12 meses (mais de 4%). Se pegarmos as quatro atividades que se destacaram com as maiores variações, três tiveram queda de preços. São as atividades que têm impacto direto do dólar: fumo, madeira e metalurgia. Há diversos produtos exportáveis e isso se reflete no preço que será recebido pelo produtor em real; se o dólar cai ele vai receber menos. Há ainda vários setores que dependem de insumos importados, com o dólar mais baixo o preço desses insumos ficará mais baixo”, analisa Alvim.

Indústria extrativa - Na indústria extrativa, tanto óleo bruto de petróleo quanto minério de ferro, commodities com preços cotados no mercado internacional, tiveram altas de preços.

Guerra - “As consequências da guerra entre a Rússia e a Ucrânia não tiveram um impacto claro no resultado do IPP. O início da invasão na Ucrânia aconteceu no fim de fevereiro; e as principais sanções econômicas contra a Rússia, ocorreram a partir de março. O que provocou a alta das duas commodities foi a redução da oferta, junto com uma demanda aquecida”, diz o analista do IPP.

Automóveis - Já o setor de automóveis teve em fevereiro variação de 0,28%, 20º resultado positivo consecutivo neste indicador. Com isso o setor acumula uma variação de 2,55%. E a variação acumulada nos últimos 12 meses apresentou um aumento de 14,79%, abaixo dos 15,94% observados em janeiro, que também havia sido o maior resultado da série para este indicador.

Mais sobre a pesquisa - O IPP acompanha a mudança média dos preços de venda recebidos pelos produtores domésticos de bens e serviços, e sua evolução ao longo do tempo, sinalizando as tendências inflacionárias de curto prazo no país. Trata-se de um indicador essencial para o acompanhamento macroeconômico e um valioso instrumento analítico para tomadores de decisão, públicos ou privados.

Empresas - A pesquisa investiga, em pouco mais de 2.100 empresas, os preços recebidos pelo produtor, isentos de impostos, tarifas e fretes e definidos segundo as práticas comerciais mais usuais. Cerca de 6 mil preços são coletados, mensalmente. As tabelas completas do IPP estão disponíveis no Sidra. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Agência Vale

 

ipp quadro 30 03 2022

 

INFRAESTRUTURA: Governo confirma novo investimento de R$ 130 milhões em rodovias; veja as obras

infraestrutura 30 03 2022O governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou, nesta terça-feira (29/03), em evento no Palácio Iguaçu, o investimento de R$ 130.127.148,54 em rodovias do Paraná. O pacote inclui a ordem de serviço de cinco obras e um projeto, além de autorização da licitação de outras duas obras e de um anteprojeto. Todas as iniciativas serão realizadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR), vinculado à Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística (Seil).

Planejamento - “Esses recursos são fruto do planejamento do Governo do Estado, que reduziu o tamanho da máquina pública para poder ter condições de investir. São contornos, terceiras faixas e readequações em rodovias que estão transformando o setor logístico do Paraná. Planejamento e organização que certamente trarão novos investimentos para o Estado”, destacou o governador.

Pacote de investimento - “O Paraná tem hoje a melhor infraestrutura do País por causa desse pacote de investimento, o maior da história do Estado”, acrescentou ele, fazendo referência aos R$ 7,5 bilhões aplicados desde 2019 em diferentes projetos logísticos, como no Porto de Paranaguá, no projeto da Nova Ferroeste e na reestruturação de diferentes aeroportos, como os de Umuarama, Ponta Grossa, Maringá e Cascavel, entre outros.

Todas as regiões - “Estamos estruturando o Paraná com obras importantes em todas as regiões. São mais de R$ 720 milhões em licitações nos últimos meses, reforçando a vocação do DER-PR, um órgão que recuperou a credibilidade no governo Ratinho Junior”, ressaltou o diretor-presidente do DER-PR, Fernando Furiatti. “Esse é o maior volume de obras da história do Paraná, ações que eram aguardadas há 30, 40 anos e só agora estão saindo do papel”, acrescentou o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

Novas obras - Entre os editais autorizados está a licitação da duplicação da PR-317 no perímetro urbano de Campo Mourão, região Centro-Oeste, em uma extensão de 3,7 quilômetros. Ela será realizada na modalidade Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCi), que prevê a contratação do projeto e da obra em uma mesma empreitada, garantindo melhor interação entre equipe projetista e equipe executora, além da possibilidade de empregar tecnologias mais inovadoras. O orçamento é sigiloso, conforme previsto na lei do RDCi, visando estimular a competitividade entre as participantes.

Maior - “É a maior obra da história de Campo Mourão, uma intervenção que a população esperava há mais de 20 anos. Vai impactar vários bairros e melhorar a mobilidade na entrada do município”, afirmou o prefeito da cidade, Tauillo Tezelli.

Litoral - Para o litoral paranaense será licitado o anteprojeto da duplicação da PR-412, iniciando em Guaratuba e seguindo até a divisa com Santa Catarina, rumo a Garuva, em um trecho de 12,1 quilômetros. Com investimento estimado de R$ 1.052.374,43, o anteprojeto será utilizado para a futura licitação dos projetos e execução da obra em um mesmo edital, também na modalidade RDCi.

Turismo - “É o único acesso por terra à cidade. Essa duplicação vai impactar na principal vocação de Guaratuba, que é o turismo. Mas também para quem precisa trabalhar, estudar, usar a rodovia no seu dia a dia. Uma obra estratégica para a logística do Paraná”, comentou o prefeito do município, Roberto Justus.

Contenção - Também será licitada uma obra de contenção na BR-476, próximo à Ponte dos Arcos em União da Vitória, região Sul, dando solução à queda de barreira no local e pondo fim ao risco de deslizamento de pedras. O investimento estimado é de R$ 4 milhões.

PR-445- A PR-445, em Londrina, na região Norte, vai ganhar uma nova passarela. O equipamento será erguido no km 74, próximo à Rua Ivan Sérgio Ataíde Vicente e Rua Caracas, no bairro Palhano. Com uma estrutura em concreto pré-moldado, ela terá extensão de 27,30 metros, com rampas com dois lances nos canteiros entre as marginais e a rodovia.

Largura - O tabuleiro terá largura de 2 metros, permitindo a passagem simultânea de duas pessoas em sentidos opostos. A passarela e as rampas terão guarda-corpo de 1,10 metro de altura, com uma tela metálica fechando a passarela, garantindo mais segurança para os pedestres contra quedas. O investimento na obra é de R$ 1.369.000,00, com prazo de conclusão de 4 meses.

São José dos Pinhais - O pacote de obras prevê, também, uma importante intervenção em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Um novo viaduto será construído no entroncamento da BR-376 com a Rua Joinville e Alameda Bom Pastor, em uma área próxima à agência do banco Bradesco.

Elevação das pistas - A obra prevê a elevação das pistas de rolamento da rodovia federal para o tráfego de longa distância, com o trânsito de veículos das vias municipais sendo realizado pela passagem inferior do viaduto e por meio de duas rotatórias, evitando os congestionamentos e longos períodos de espera na interseção atual, e garantindo mais segurança aos usuários. O investimento na obra é de R$ 33.639.768,42, com prazo de conclusão de 18 meses.

Ordem de serviço - Para a região Oeste está prevista a modernização da Ponte Ayrton Senna, em Guaíra. A ligação entre o Paraná e Mato Grosso do Sul será restaurada, com a recuperação e reforço estrutural, bem como nova iluminação pública com luminárias de LED, em uma extensão de 3,6 quilômetros. Também será executado um novo pavimento de concreto na rodovia de acesso à ponte no lado paranaense, em uma extensão de 1,1 quilômetro, melhorias no sistema de drenagem e serviços de manutenção em todo o trecho contemplado durante a obra.

Parceria - O investimento na obra é de R$ 18.204.093,77, por meio da parceria com a Itaipu Binacional, e o prazo de conclusão é de 18 meses. "Esse governo promete, cumpre e verdadeiramente tira as obras do papel”, disse o prefeito de Guaíra, Heraldo Trento.

Pavimentação - O pacote inclui a obra de pavimentação de 26,23 quilômetros, iniciando em Ramilândia e seguindo até o distrito de São Roque, em Santa Helena, também passando pelos territórios dos municípios de Diamante D’Oeste e Missal. Será uma estrada de pistas simples, com acostamento, estando previstos serviços de terraplenagem, drenagem e obras de arte correntes, pavimentação, serviços complementares e sinalização. A obra é resultado da parceria com Itaipu Binacional, e também foi contratada na modalidade RDCi. O investimento é de R$ 20.480.000,00, com prazo de conclusão de 780 dias.

PR-990 - Ratinho Junior também confirmou a elaboração do projeto executivo de pavimentação da PR-990, ligação entre o município de Rebouças, no Centro-Sul do Estado, e a PR-364, com uma extensão de 12,6 quilômetros. O material deverá prever a implantação de dispositivos como acostamentos, acessos e outros que melhorem a trafegabilidade e segurança dos usuários. As interseções deverão ser projetadas em nível, preferencialmente no padrão de rótulas fechadas alongadas, e nos pontos em que a rodovia cruza o Rio Arroio dos Cristianos, Rio do Salto e Rio Poço Bonito.

Pontes ou galerias - Ainda de acordo com o levantamento inicial, precisará ser verificada a necessidade de implantação de pontes ou se será utilizada outra solução, como galerias. O projeto também pode incluir, conforme a possibilidade, a execução de passeios, travessias para pedestres, pontos de ônibus e ciclovias ou faixas compartilhadas. O investimento no projeto é de R$ 681.911,92, com previsão de término em 300 dias.

Rodovia dos Minérios - Importante eixo rodoviário da Região Metropolitana de Curitiba, a Rodovia dos Minérios será duplicada em um novo trecho. A obra prevê o alargamento da PR-092 entre o km 14,3 e o km 15,6 para ambos os lados, com o pavimento atual sendo substituído por placas de concreto de cimento Portland de 28 centímetros de espessura, com vida útil de 20 anos.

Intervenção - A principal intervenção no trecho, que fica dentro do perímetro urbano de Almirante Tamandaré, será a nova interseção em desnível tipo diamante no entroncamento com a Rodovia do Calcário (PR-509), com dois viadutos paralelos e duas rotatórias, além de uma alça exclusiva para o fluxo de trânsito entre a cidade e Curitiba, reduzindo os entrecruzamentos na via.

Vias marginais - Também está prevista a implantação de vias marginais nos dois lados da rodovia, uma passarela, passeios e ciclovias, iluminação viária, sinalização horizontal e vertical. Os passeios serão executados em blocos de concreto intertravados, conhecidos como pavers, enquanto as ciclovias serão de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), que é o mesmo material utilizado nas marginais. O investimento na obra é de R$ 50,7 milhões, com prazo de conclusão em 540 dias, sendo o período inicial dedicado à elaboração de projetos básico e executivo, pois se trata de um contrato na modalidade RDCi.

Presenças - Participaram da cerimônia o vice-governador Darci Piana; os secretários estaduais João Carlos Ortega (Casa Civil), Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo), Marcel Micheletto (Administração e Previdência), Beto Preto (Saúde) e Augustinho Zucchi (Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas); o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia; o diretor-presidente da Ferroeste, André Gonçalves; o coordenador do grupo de trabalho da Nova Ferroeste, Luiz Fagundes; os deputados federais Ricardo Barros, Vermelho, Christiane Yared e Rubens Buenos; o presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano; os deputados estaduais Hussein Bakri (líder do Governo), Luiz Cláudio Romanelli, Gugu Bueno, Tião Medeiros, Alexandre Curi, Anibelli Neto, Artagão Júnior, Boca Aberta Júnior, Cantora Maria Lima, Cobra Repórter, Delegado Fernando Martins, Douglas Fabrício, Evandro Araújo, Rodrigo Estacho, Élio Rusch, Dr. Batista, Guto Silva, Luiz Fernando Guerra, Maria Victoria, Nelson Justus, Pedro Paulo Bazana, Tercílio Turini, Tiago Amaral e Paulo Litro; a promotora de Justiça e Coordenadora do Gaema, Dalva Marin Medeiros; a especialista líder em transportes do BID do Brasil, Ana Beatriz de Castro; o chefe da equipe de infraestrutura do BID, Daniel Torres Garcia; o presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e prefeito de Jesuítas, Júnior Weiller; o diretor administrativo da Itaipu, almirante Paulo Roberto Xavier; além de prefeitos, vice-prefeitos e lideranças dos municípios beneficiados. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Jonathan Campos / AEN

 

CÂMBIO: Dólar cai para R$ 4,75 com negociações entre Rússia e Ucrânia

cambio 30 03 2022O avanço das negociações de um cessar-fogo entre Rússia e Ucrânia trouxe otimismo ao mercado financeiro nesta terça-feira (29/03). O dólar caiu e a bolsa de valores teve forte alta, fechando acima dos 120 mil pontos pela primeira vez em sete meses.

Cotação - O dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 4,758, com recuo de R$ 0,015 (-0,31%). A cotação chegou a cair para R$ 4,71 na abertura do mercado, mas a queda perdeu força porque o dólar barato atraiu compradores.

Queda acumulada - Com o desempenho desta terça-feira, a moeda norte-americana acumula queda de 7,72% em março. Em 2022, a divisa caiu 14,67%.

Ações - No mercado de ações, o dia foi marcado pela euforia. O índice Ibovespa fechou aos 120.014 pontos, com alta de 1,07%. O indicador está no maior nível desde 27 de agosto do ano passado e acumula ganhos de 14,49% no ano.

Anúncio - Pela manhã, houve o anúncio do Ministério da Defesa da Rússia de que o país reduzirá a presença militar ao redor das cidades ucranianas de Chernihiv e Kiev. Também nesta terça, houve a primeira reunião em duas semanas para negociações de paz, na Turquia.

Plano interno - No plano interno, a troca de comando na Petrobras impulsionou a bolsa de valores. Os investidores receberam bem a indicação do economista Adriano Pires para assumir a presidência da estatal. O especialista é um defensor da política de preços dos combustíveis atrelada à cotação internacional do petróleo.

Alta - As ações ordinárias (com direito a voto em assembleia de acionistas) da Petrobras subiram 1,32%. Os papéis preferenciais (com preferência na distribuição de dividendos) valorizaram-se 2,25%. Por serem as ações mais negociadas na bolsa, os papéis da Petrobras têm o maior peso no índice Ibovespa. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

SAÚDE I: País tem 30 mil casos e 285 mortes registrados em 24 horas

Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registraram 30.056 novos casos de covid-19. No mesmo período, as mortes em decorrência de complicações associadas à doença somaram 285.

Casos - Com as novas estatísticas, a quantidade de brasileiros contaminados com o novo coronavírus desde o início da pandemia atingiu 29.882.397. Na segunda-feira (28/03), o total de casos acumulados contabilizados pelas secretarias e pelo Ministério da Saúde estava em 29.852.341.

Acompanhamento - O número de casos de covid-19 em acompanhamento está em 604.645. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta e nem evoluíram para morte.

Mortes - O total de pessoas que não resistiram à covid-19 chegou a 659.241. Na segunda-feira (28/03), o sistema de dados da pandemia totalizava 658.956 vidas perdidas para o coronavírus ao longo desses mais de dois anos.

Investigação - Ainda há 3.071 mortes em investigação. As mortes em investigação ocorrem pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demandar exames e procedimentos posteriores.

Recuperadas - Até esta terça-feira (29/03), 28.618.511 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 95,8% dos infectados desde o início da pandemia.

Balanço diário - Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta terça-feira (29/03). Nele, são consolidadas as informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Número - Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras e nos dias seguintes aos feriados em razão da redução de equipes para a alimentação dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois de feriados, em geral há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizado.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (167.211), Rio de Janeiro (72.756), Minas Gerais (60.770), Paraná (42.912) e Rio Grande do Sul (38.015).

Menos - Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.992), Amapá (2.124), Roraima (2.144), Tocantins (4.142) e Sergipe (6.313). Entre ontem e hoje, não foram registradas novas mortes por covid-19 no Acre, Amapá, Roraima e Tocantins.

Vacinação - Até esta terça-feira (29/03) foram aplicadas 395,1 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 172,3 milhões com a 1ª dose e 149,9 milhões com a 2ª dose ou dose única. Outros 65,3 milhões já receberam a dose de reforço. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2022-03-29 at 6.38.53 pm

SAÚDE II: Boletim da Covid-19 confirma 2.303 novos casos e 16 óbitos no Paraná

saude II 30 03 2022A Secretaria estadual da Saúde (Sesa) divulgou nesta terça-feira (29/03) mais 2.303 casos e 16 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. O monitoramento da Covid-19 mostra que o Paraná soma agora 2.400.103 casos e 42.679 óbitos pela doença desde o início da pandemia.

Meses - Os casos são de março (1.375), fevereiro (504) e janeiro (388) de 2022; dezembro (2), novembro (4), outubro (1), setembro(1), agosto (1), julho (1), junho (3), maio (3) e março (1) de 2021; e dezembro (12), novembro (3), outubro (1), setembro (1), agosto (1) e julho (1) de 2020. Os óbitos são de março (14) e fevereiro (1) de 2022 e junho (1) de 2021.

Internados - O informe relata que 55 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados, todos em leitos SUS (26 em UTIs e 29 em enfermarias). Há outros 361 pacientes internados, 185 em leitos de UTI e 176 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 16 pacientes. São oito mulheres e oito homens, com idades que variam entre 42 e 95 anos. Os óbitos ocorreram entre 29 de setembro de 2020 e 24 de março de 2022.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (2), Terra Roxa, São João do Caiuá, Ponta Grossa, Pinhais, Paranaguá, Marechal Cândido Rondon, Londrina, Janiópolis, Ivaí, Foz do Iguaçu, Castro, Cascavel, Carlópolis e Almirante Tamandaré.

Fora do Paraná - O monitoramento da Saúde registra 10.769 casos de residentes de fora do Estado – 233 pessoas foram a óbito. (Agência Estadual de Notícias)

Confira o informe completo.

Confira relatórios de exclusão e de mudanças de municípios no site da Sesa.

 

SAÚDE III: Sesa distribui 125 mil vacinas contra Covid-19 e orienta aplicação da 4ª dose

saude III destaque 30 03 2022A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) distribui nesta terça-feira (29/03) mais 125.390 doses de vacinas contra a Covid-19. A maior parte é destinada à 4ª dose para pessoas com mais de 80 anos. São 58.830 doses da Pfizer e 200 AstraZeneca. De acordo com o Governo do Estado, cerca de 250.630 pessoas acima de 80 anos poderão receber a aplicação, desde que tenham tomado a dose de reforço (3ª dose) há pelo menos quatro meses.

Remessa - A remessa contém, ainda 53.496 para a segunda dose de crianças de 5 a 11 anos (42.010 pediátricas da Pfizer/Comirnaty e 11.846 CoronaVac) e outras 12.504 da Pfizer para a aplicação, também da segunda dose, da faixa etária acima de 12 anos.

Estoque - A orientação da Secretaria da Saúde é que os municípios que tenham doses em estoque iniciem a aplicação da vacina antes mesmo do recebimento da nova remessa. Um levantamento da Sesa junto às secretarias municipais da Saúde confirmou 270.920 vacinas da AstraZeneca em estoque, que podem ser utilizadas para reforço da população em geral e para a dose extra dos idosos acima de 80 anos.

Abastecidas - "Nossas Regionais de Saúde serão abastecidas para, desta forma, evitar ocorrência de sintomas graves da doença, principalmente em idosos", destacou o secretário da Saúde, Beto Preto.

Liberação - A liberação para este público foi decidida em reunião da Comissão Intergestores Bipartite do Paraná (CIB-PR) realizada na quinta-feira (24/03), seguindo a recomendação do Ministério da Saúde, por meio da Nota Técnica 20/2022.

Nível de imunidade - “Essa quarta dose ou segunda de reforço é bastante importante porque mantém o nível de imunidade bastante alto, principalmente nessa faixa etária, em que o corpo está mais cansado e que tem dificuldade de produção de anticorpos. Além dessa idade, pleiteamos junto ao Ministério da Saúde que a população de outras faixas etárias também receba essa nova dose”, explicou Beto Preto. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Albari Rosa/ Sesa-Paraná

 

saude III 30 03 2022

 

SAÚDE IV: Após novo decreto, Secretaria atualiza resolução sobre uso de máscaras

saude mascara 30 03 2022A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) publicou, nesta terça-feira (29/03), a Resolução nº 243/2022, que atualiza e detalha a não obrigatoriedade do uso de máscaras no Paraná, oficializada no decreto 10.596/2022. O documento traz orientações sobre excepcionalidades onde o uso de máscaras continua sendo recomendado e aplica-se aos espaços de natureza pública ou privada, abertos ou fechados de uso público ou coletivo, que estejam autorizados a funcionar em concordância com demais normativas vigentes, tanto em esfera estadual, como municipal.

Recomendação - A Saúde recomenda o uso de máscaras para professores e demais funcionários de creches e pré-escolas de programas de educação infantil que atendem muitas crianças que ainda não são elegíveis para vacinação; não vacinados contra a Covid-19 ou com o esquema vacinal incompleto; em residências quando houver pessoas com suspeita ou confirmação da Covid-19; para pessoas vulneráveis à doença, como idosos, gestantes, puérperas ou com comorbidades; pessoas imunossuprimidas; e agentes comunitários de saúde e de endemias nas visitas domiciliares;

Outras situações - Outras situações com recomendação são acesso ao transporte público (pontos e terminais de embarque e desembarque de pessoas) e durante o deslocamento; e acesso e atendimento em instituições hospitalares e demais unidades de saúde e de assistência social por funcionários, pacientes e visitantes e Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) por funcionários e visitantes.

Crianças - Segundo o texto, os pais e/ou responsáveis que julgarem necessário que as crianças façam o uso da máscara de proteção facial podem orientá-los a fazê-lo. O documento também defende que as medidas de prevenção como higienização das mãos e uso do álcool em gel devem ser mantidas.

Queda - “Os números da pandemia têm apresentado queda e com isso conseguimos realizar algumas flexibilizações, dentre elas o uso obrigatório de máscaras. Este acessório de proteção individual nos ajudou muito durante estes dois anos e tudo isso só está sendo possível graças ao povo paranaense, que adotou as medidas de prevenção e se vacinou contra a doença”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Essencial - Segundo a Resolução, o uso de máscaras é essencial em casos confirmados ou suspeitos com Covid-19, acesso e atendimento em unidades hospitalares que atendam síndromes respiratórias ou casos suspeitos ou confirmados da doença, e também para controle de surtos (quando três casos são diagnosticados em um mesmo ambiente, por meio de exame RT-PCR, em menos de 14 dias entre eles).

Não é recomendado - Não é recomendado o uso de máscaras em ambientes fechados para crianças com menos de dois anos ante ao risco de sufocamento; pessoas com transtorno do espectro autista ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial; e intérpretes de libras, ou pessoas falando ou prestando assistência a alguém que depende de leitura labial, som claro ou expressões faciais para se comunicar. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

SAÚDE V: Regionais de Saúde recebem primeiras 413 mil doses da vacina contra a gripe

saude IV 30 03 2022A Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) distribuiu nesta terça-feira (29/03) o primeiro lote de vacinas destinado à campanha contra a influenza deste ano. São 413.000 doses que chegaram ao Estado na quinta-feira (24/03), ficaram armazenadas no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) e, agora, seguiram para as 22 Regionais de Saúde, de onde serão descentralizadas aos municípios.

Início - A campanha terá início segunda-feira, 04 de abril, e seguirá até o dia 3 de junho. A imunização será realizada por etapas, sendo que a primeira deve contemplar idosos acima de 60 anos e trabalhadores da saúde. Ao todo, no Paraná, cerca de 4.308.575 pessoas pertencem aos grupos prioritários e deverão ser vacinadas durante a campanha. A meta é atingir pelo menos 90% deste público.

Primeiro lote - “Este primeiro lote deve contemplar uma parte do primeiro grupo definido pelo Ministério da Saúde de idosos e trabalhadores da Saúde. Outras remessas devem chegar ao Paraná”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto.

2ª etapa - A segunda fase da campanha atenderá crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas, povos indígenas, professores, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento e forças armadas.

Mais - Também abrangerá caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade. (Agência Estadual de Notícias)

 

SAÚDE VI: Secretaria Estadual alerta para o aumento de 77% dos casos de dengue no Paraná

saude V 30 03 2022A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) está em alerta para o combate à proliferação do mosquito Aedes aegipty, transmissor da zika, chikungunya e dengue, doenças chamadas de arboviroses, sendo a última endêmica em todo o Paraná.

Registro - Desde o novo período sazonal da dengue, que teve início no dia 1º de agosto de 2021 e deve seguir até julho de 2022, o Paraná registrou dois óbitos pela doença. Até o momento são mais de 42 mil casos notificados. Só na última semana houve um aumento de 77% de casos confirmados e mais de 81% de casos autóctones, ou seja, quando a dengue é contraída no município de residência.

Óbitos - O informe semanal desta terça-feira (29/03) confirma mais um óbito. Trata-se de um homem, de 68 anos, que era residente de Arapongas, município de abrangência da 16ª Regional de Apucarana.

Primeiro - O primeiro óbito ocorreu no município de Nova Esperança, Noroeste do Estado. Era um paciente do sexo masculino, com 58 anos de idade, com comorbidade. Se comparado ao período sazonal anterior (2020/2021), o Estado teve uma redução no número de notificados (-7%), mas um aumento em 25% em relação aos casos confirmados.

Mobilização - Diante do cenário atual, a Vigilância Ambiental da Sesa incentiva por meio das Regionais de Saúde ações de mobilização da população quanto à remoção mecânica de focos, bem como ações educativas em parceria com instituições públicas e privadas em todo o Estado. A secretaria acompanha a situação e reforçará o suporte técnico aos municípios para conter a doença.

Frota - Em 21 de janeiro, o Governo do Estado renovou a frota de campo das equipes de Vigilância Ambiental da Sesa, que há mais de 10 anos não era atualizada. Trinta caminhonetes foram direcionadas e adaptadas para reforçar trabalhos, como a aspersão de inseticidas para controle de vetores, o chamado fumacê.

Ações - “Os órgãos de saúde pública trabalham de várias formas e têm ações junto à população e às instituições para tentar conter a proliferação do mosquito e a doença, mas a contribuição das pessoas no acondicionamento adequado do lixo doméstico, limpeza do imóvel, nos quintais, calhas, piscinas é fundamental”, alertou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Transmissão - As arboviroses (dengue, zika e chikungunya) são transmitidas pela picada do Aedes aegypti. É necessário ficar atento a possíveis criadouros do mosquito e, assim, eliminar esses possíveis locais para evitar a propagação das doenças. É fundamental que a pessoa identifique os sintomas das arboviroses para buscar o serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequado, o quanto antes.

Alerta - “Fica aqui o alerta para que as pessoas permaneçam atentas aos sintomas e alguns sinais que caracterizam a dengue. Orientamos que, caso apresentem sintomas como febre alta, dores no corpo, petéquias (manchas vermelhas no corpo), vômito, náusea, que procurem imediatamente os serviços de saúde e não façam o uso de medicação sem prescrição médica”, ressaltou a coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Ivana Belmonte.

Dengue - Normalmente o primeiro sintoma da dengue é a febre alta (39º a 40º C) de início repentino, com duração máxima de 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores no corpo, prostração, fraqueza, ou erupções cutâneas.

Zika - Manchas vermelhas pelo corpo, com coceira intensa, febre baixa ou até mesmo ausente, olhos vermelhos e dores nas pequenas articulações.

Chikungunya - Febre alta, dores intensas nas articulações, dor nas costas, dores pelo corpo, erupção avermelhada na pele, dor de cabeça e dor retro-ocular.

Ocorrência - Todas podem ocorrer em localidades com presença de mosquito Aedes aegypti. (Agência Estadual de Notícias)

Confira o informe completo AQUI.

FOTO: Pixabay

 


Versão para impressão


RODAPE