Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5300 | 14 de Abril de 2022

FÓRUM FINANCEIRO: Resultados do cooperativismo serão apresentados a agentes financeiros; PRC200 e ESG também estarão em debate

No dia 29 de abril, será realizado o Fórum Financeiro, presencialmente, no auditório do Sistema Ocepar, em Curitiba, das 13h30 às 17h. “O evento visa propiciar aos agentes financeiros a demonstração da situação atual do cooperativismo do Estado, além de facilitar a relação e a comunicação entre as duas partes, demonstrando a forma estratégica de estruturação das cooperativas paranaenses”, afirma o coordenador de Monitoramento do Sescoop/PR, João Gogola.

Outros temas - Ainda de acordo com ele, a programação do Fórum contempla outros temas relevantes, como o Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200) - o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense -, a implantação das práticas de ESG (ambiental, social e governança, na tradução em português) nos componentes de indicadores do cooperativismo, por meio de um dos projetos do PRC200, e as expectativas sobre o cenário econômico, impactado em todo o mundo pela pandemia. “No segundo semestre de 2019, existia a perspectiva de crescimento do país para 2020, com base em investimentos em um cenário de taxas de juros baixos em relação à média dos últimos anos, e na boa expectativa dos potenciais volumes na produção agrícola. Porém, o quadro mudou com o advento da Covid-19, não só no Brasil, como em âmbito mundial. Agora, com uma certa estabilização em relação às restrições de circulação, o mercado volta a focar no cenário futuro da economia”, destaca Gogola.

Abertura - O evento será aberto pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, que fará a apresentação geral sobre o PRC200. Na sequência, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, discorrerá sobre o projeto nº 14 do planejamento estratégico do setor, que trata do Programa de Certificação de Cooperativas ESG+Coop. Já o coordenador de Monitoramento do Sescoop/PR, João Gogola Neto, falará sobre o cenário econômico e financeiro do cooperativismo paranaense, com os dados consolidados do setor referentes ao exercício de 2021.

Palestras - Haverá também a participação do chefe do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro (Derpo) do Banco Central do Brasil, Cláudio Filgueiras, que abordará o tema “A importância das práticas de ESG para a perenidade das organizações”. Após um intervalo dedicado ao esclarecimento de dúvidas, o professor da Makenzie, Ulisses Monteiro Ruiz de Gamboa, falará sobre as tendências e cenários econômicos para 2022/2023, contemplando o agronegócio, serviços, saúde e crédito.

Inscrições - O evento é destinado aos profissionais que atuam nas cooperativas do Paraná. As inscrições deverão ser realizadas até o dia 27 de abril, por meio do link https://bit.ly/3uyYzhx. Informações adicionais devem ser solicitadas pelo e-mail: monitoramento@sistemaocepar.coop.br.

 

forum financeiro folder 14 04 2022

GETEC: Confira o boletim semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

getec coordenacao parlamentar 14 04 2022A Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar, vinculada à Gerência de Desenvolvimento Técnico (Getec) e sob a responsabilidade da advogada Daniely Andressa da Silva, publicou, nesta sexta-feira (14/04), o Informe Semanal referente ao período de 11 a 14 de abril. O setor foi criado neste ano com o propósito de fazer o acompanhamento das matérias de interesse do cooperativismo em discussão tanto no Congresso Nacional como na Assembleia Legislativa do Paraná, das leis publicadas no âmbito do executivo (federal, estadual e municipal), além de outros temas vinculados às áreas de atuação das cooperativas do Paraná. Confira os destaques do boletim desta semana.

Relatório de Acompanhamento Fiscal - A Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão vinculado ao Senado Federal, publicou o Relatório de Acompanhamento Fiscal (RAF) de abril. Em suas considerações, o documento sinaliza a preocupação com o aumento da inflação e dos juros, assim como da dívida pública. Também cita o aumento nos preços das commodities internacionais, especialmente energia e alimentos, dentre os efeitos econômicos gerados pelos conflitos entre Ucrânia e Rússia. O relatório projeta, ainda, crescimento econômico na ordem de 0,5% para 2022. Para acessar o inteiro teor do documento, clique aqui.

Prorrogação de contratos temporários Mapa e ANS - Nesta quarta-feira (12/04), foi publicada no DOU a Lei nº 14.323/2022, que autoriza a prorrogação, por 2 anos, de contratos temporários do Ministério da Agricultura e da Agência Nacional de Saúde. A lei, originada a partir da MP 1.073/2021, abrange cerca de 55 contratos temporários vinculados à ANS e 215 contratos de médicos veterinários vinculados ao Mapa, os quais são responsáveis por atividades de vigilância, inspeção e defesa agropecuária.

Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2023 - Na última terça-feira (12/04), a Assembleia Legislativa do Estado do Paraná recebeu a proposta de diretrizes para o orçamento estadual do próximo ano. Dentre os programas citados nas metas prioritárias do Governo do Estado, destacam-se o Programa 04 – Desenvolvimento Rural e Abastecimento com Sustentabilidade e o Programa 11 – Modernização da Infraestrutura do Paraná. O PL 141/2022 também apresenta as perspectivas para o Estado e, de acordo com o Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), sinaliza a projeção do PIB para 2022 na ordem de R$ 611 bilhões, estimando uma retração econômica de -1% em relação à 2021. Tal projeção considerou, dentre outros fatores: a estiagem e seus reflexos na produção agrícola e de energia elétrica, além da diminuição do ritmo de crescimento da indústria de transformação. Para 2023, projeta-se taxa de crescimento na ordem de 3,5% e PIB de R$ 655 bilhões, receitas de aproximadamente R$ 58,2 bilhões e despesas totais estimadas em R$ 51 bilhões de reais. A dívida de precatórios do Estado, atualizada em julho de 2021, corresponde a R$ 6.6 bilhões de reais. A proposta de lei orçamentária segue para deliberação pela Comissão de Orçamento.

Clique aqui para conferir o Informe Semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

 

INTERCOOPERAÇÃO I: Witmarsum e Cooperante lançam suco de uva sem adição de açúcar e conservantes

O suco de uva tinto integral Witmarsum foi lançado durante a 39ª Feira e Convenção Paranaense de Supermercados (Mercosuper), realizada em Pinhais (PR), de 5 a 7 de abril. Produzido a partir da colheita seletiva de uvas bordô, sem adição de açúcar e livre de conservantes, o produto chegará, nas próximas semanas, às gôndolas dos principais supermercados de Curitiba e região metropolitana. O lançamento do suco é resultado de uma aliança de intercooperação entre as cooperativas paranaenses Cooperante e Witmarsum. A parceria tem por objetivo ampliar o acesso do produto no varejo, reduzindo custos e otimizando operações logísticas. A uva é produzida por 62 famílias de cooperados da Cooperante, sendo o suco envasado com a marca Witmarsum, cooperativa reconhecida pela qualidade de seus produtos lácteos (leite e queijos), já tradicionais no mercado curitibano.  

Qualidade - “A expectativa é que o suco de uva conquiste bom espaço no varejo, pois é um produto de excelente sabor e alta qualidade. Esperamos que tenha ampla aceitação dos consumidores que já adquirem os produtos lácteos – leites e queijos - com as nossas marcas e que também conquiste os clientes do segmento de sucos naturais”, afirma o presidente da Witmarsum, Artur Sawatzky. De acordo com o departamento de marketing da cooperativa, num primeiro momento, o suco de uva tinto integral estará disponível em pontos de venda na capital, Curitiba, e região metropolitana. Na próxima safra, numa segunda fase de comercialização, a abrangência poderá ser ampliada para mercados específicos em outras regiões do Paraná, São Paulo e Santa Catarina.

Diversificação - Na opinião do presidente da Cooperante, Guilherme Grein, a parceria com a Witmarsum no suco de uva tem boas perspectivas no varejo, o que ajuda a impulsionar o Programa de Viticultura da cooperativa. “Nosso objetivo essencial é manter os produtores na propriedade, gerando mais renda e alternativas de diversificação, pois muitos atuam em pequenas áreas, de cinco a dez hectares. Algumas das famílias que fazem parte do Programa, estão produzindo fumo, e a uva passou a ser uma boa e saudável alternativa para que eles realizem uma migração gradual de culturas”, explica.

Alianças - Segundo Grein, a aproximação com a Witmarsum foi iniciada em programa do Sistema Ocepar, em 2018, que buscou incentivar alianças estratégicas de intercooperação entre oito cooperativas da região Centro-Sul do Paraná. “Passamos a trabalhar de forma unilateral com a Witmarsum, cooperativa reconhecida por sua seriedade e credibilidade. E trabalhamos em atributos relacionados à marca e presença no varejo”, relata. “Naquele momento, nosso Programa de Viticultura estava em andamento e um dos grandes desafios que antevíamos era colocar um produto no varejo, já que o suco que projetávamos fazer seria de alta qualidade. Como então colocá-lo no mercado sem ter uma marca tradicional e reconhecida pelos consumidores? A resposta veio por meio da intercooperação entre as cooperativas”, ressalta.

Indústria - Como explica o dirigente, a Cooperante precisa garantir uma produção de alta qualidade e padrão, enquanto a Witmarsum contribui com a experiência e expertise no varejo, posicionando o suco de uva no mercado com uma marca forte e reconhecida pelos consumidores. “Foi muito importante a aproximação entre as duas cooperativas. A intercooperação traz um somatório de benefícios, agregando renda à produção dos cooperados e abrindo portas no varejo”. Segundo Grein, o próximo passo é reduzir custos operacionais e de produção. “Estamos elaborando um projeto de construção de uma indústria própria até 2024, para beneficiar suco e vinho de mesa, além da utilização das sementes de uva para a fabricação de óleos essenciais, destinados ao setor de cosméticos”, revela.

Aprendizado - De acordo com o presidente da Witmarsum, a atuação em sinergia na produção e comercialização de suco está sendo um aprendizado para as cooperativas. “A cada dia estamos aprendendo mais sobre trabalhar por meio da intercooperação. Estamos avançando e novos negócios em parceria podem surgir em outros segmentos. Na viticultura, alguns cooperados da Witmarsum também devem iniciar o plantio de parreiras ainda neste ano. O lançamento do suco de uva, com qualidade diferenciada, favorece os pequenos produtores e amplia as oportunidades de negócio das cooperativas”, conclui Artur Sawatzky.

Sobre a Witmarsum - A cooperativa Witmarsum iniciou suas atividades em 1952, fundada por imigrantes alemães. Está localizada da Colônia Witmarsum, no município de Palmeira, nos Campos Gerais do Paraná. Atua na produção de leite e queijos finos, além de cereais que após recepção e secagem são vendidos para diversas empresas. Já a produção de milho é destinada para a produção de rações para atender seus cooperados. Um dos destaques da cooperativa é a produção leiteira de alta qualidade, nas propriedades de seus cooperados, localizadas em altitude de aproximadamente 1.000 metros acima do nível do mar, com pastagens de clima temperado e alto valor nutritivo, o que privilegia o bem-estar das vacas. Isto e mais os animais de apurada linhagem genética garantem a qualidade superior da produção de leite e queijos.

Sobre a Cooperante - Fundada em 1998, a cooperativa Cooperante está localizada em Campo do Tenente, distante 80 km de Curitiba. Fornece aos seus associados assistência técnica, armazenagem e beneficiamento de grãos (feijão, milho, trigo e soja), comercialização de grãos e loja de insumos. Em 2010, a cooperativa iniciou o empacotamento de produtos agrícolas beneficiados para comercialização no mercado de varejo, e, em 2018, lançou o Programa de Viticultura para produção de uvas para industrialização de suco integral, como uma nova alternativa de renda aos associados.

{vsig}2022/noticias/04/14/intercooperacao_I/{/vsig}

 

INTERCOOPERAÇÃO II: Programa do Sistema Ocepar aproximou e incentivou parcerias entre cooperativas do Centro-Sul

A aliança estratégica entre Witmarsum e Cooperante, na produção e comercialização de suco de uva integral, foi um dos resultados do Programa de Intercooperação da Região Centro-Sul. Lançado em 2018 pelo Sistema Ocepar, teve por objetivo prospectar novos negócios a partir da união entre cooperativas de médio e pequeno porte. Funcionários da entidade foram provocados a encontrar soluções para problemas em comum do setor, mapeando possibilidades de sinergia e oportunidades por meio de ações conjuntas. A iniciativa fez parte do Programa de Alta Performance da FAE Business School, promovido por meio do Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo). As equipes de trabalho do Sistema Ocepar realizaram visitas técnicas, reuniões e workshops com dirigentes e gestores das cooperativas da região, para aproximar, conhecer as diferentes realidades e incentivar parcerias.

Ações - Oito cooperativas da região Centro-Sul participaram do Programa de Intercooperação - Camp, Clac, Coacan, Coamig, Coopagrícola, Cooperante, Unicastro e Witmarsum. Dirigentes e gestores cooperativistas levantaram dados, mapearam interesses, dificuldades e oportunidades. Um comitê de lideranças foi formado, participando de um workshop em maio de 2019. “Acabamos convergindo para um projeto de intercooperação unilateral, com a Witmarsum, pois estávamos com um projeto de viticultura em andamento e sabíamos o desafio que teríamos para comercializar produtos no varejo. A aliança com a Witmarsum, utilizando a marca reconhecida da cooperativa, foi um acordo positivo que agrega valor e amplia as oportunidades de êxito do suco de uva no mercado”, explica o presidente da Cooperante, Guilherme Grein.

6º Princípio - O 6º princípio do cooperativismo – a cooperação entre cooperativas - preconiza que cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais. Mesmo com inúmeras experiências exitosas no Paraná, a união de cooperativas, com distintas realidades e culturas, é um desafio para os gestores e líderes cooperativistas. “Para que a intercooperação se concretize, é necessário que haja um compartilhamento de poder entre os dirigentes locais, e uma disposição em discutir de forma madura os potenciais e dificuldades, sem perder a individualidade de gestão de cada uma das participantes. É imprescindível que os líderes atuem para minimizar as diferenças e fortalecer os atributos, para assim poder dividi-los de forma cooperativa”, afirma o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

Oportunidades - Quando o 6º princípio se materializa, muito benefícios e oportunidades surgem aos cooperados, mas também para a sociedade em geral, com a geração de renda e empregos no campo e nas cidades. “A intercooperação proporciona acessibilidade a novos mercados e operacionalização sinérgica para maior competitividade. Ela reduz ociosidades de produção e serviços, diminui custos e gera ganho de escala de produção”, explica o presidente do Sistema Ocepar.

Equipe Ocepar - “Estamos confiantes de que o aliança estratégica entre a Cooperante e a Witmarsum avançará com sucesso, oferecendo produtos de qualidade e origem aos consumidores e agregando valor à produção dos cooperados”, conclui Ricken. No novo ciclo do planejamento estratégico do cooperativismo do Paraná, o PRC200, a intercooperação é um dos alicerces do plano. A equipe multidisciplinar do Sistema Ocepar, que atuou no Programa de Intercooperação com as oito cooperativas da Região Centro-Sul, foi composta pelos profissionais Cristiano Michalovicz, Daniele Cristiane Radulski Reginatto, Edson Luis Carvalho de Souza, Fernando José Mendes e Samuel Zanello Milléo Filho.

FOTOS: Samuel Milléo Filho / Assessoria Sistema Ocepar

 {vsig}2022/noticias/04/14/intercooperacao_II/{/vsig}

APOIO: Contenda quer fomentar o desenvolvimento do cooperativismo no município

Buscar o apoio do Sistema Ocepar para fomentar o desenvolvimento do cooperativismo em Contenda, na região metropolitana de Curitiba. Com esse propósito, o secretário da Agricultura do município, Thomas Gaspar, e o diretor de Indústria e Comércio, Pedro Cesar Rychuv Santos, estiveram reunidos com representantes da entidade, na manhã desta quarta-feira (13/04), em Curitiba. Eles foram recebidos pelo coordenador de Monitoramento do Sescoop/PR, João Gogola Neto, juntamente com o analista técnico Emerson Barcik e a bibliotecária Edite Viana dos Santos Alves.

Hortifruti - Um dos objetivos da Prefeitura de Contenda é estimular a organização dos agricultores familiares que cultivam produtos hortifrutigranjeiros por meio de cooperativas. Os representantes do município foram informados que esse suporte poderá ser fornecido pelo Sistema Ocepar por intermédio de um dos projetos estruturantes do Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200), o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, que prevê o auxílio ao desenvolvimento das cooperativas de pequeno porte, para que elas possam prosperar em suas atividades e trazer renda e qualidade de vida aos cooperados.

Sensibilização - Como desdobramento, no dia 2 de junho será ministrada uma palestra de sensibilização para um grupo de aproximadamente 50 produtores de hortifrutigranjeiros, em Contenda. “Um profissional nosso estará no município repassando informações sobre o cooperativismo, os procedimentos que devem ser seguidos para a constituição de uma cooperativa, as responsabilidades dos cooperados, os diferenciais e oportunidades que esse modelo de negócio pode oferecer para eles”, esclarece o coordenador de Monitoramento do Sescoop/PR, João Gogola Neto.

{vsig}2022/noticias/04/14/visita_/{/vsig}

FRENCOOP: Frente Parlamentar do Cooperativismo recebe novos senadores

frencoop 14 04 2022As mais de 4,8 mil cooperativas vinculadas ao Sistema OCB ganharam reforço em defesa de suas pautas no Congresso. Os senadores Carlos Fávaro (MT), Carlos Portinho (RJ) e Fábio Garcia (MT) aderiram à Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), nesta semana.

Composição - O colegiado, que atua para fortalecer as pautas de interesse do movimento cooperativista desde 1986, conta agora com 309 parlamentares sendo 270 deputados e 39 senadores. O foco principal da Frente, no que diz respeito às deliberações, é a inclusão do Ato Cooperativo na Reforma Tributária (PEC 110/19), que está pronta para votação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), do Senado.

Agradecimento - “Nós, do Sistema OCB, só temos a agradecer à sinergia significativa que a Frencoop tem promovido entre os Três Poderes, dirigentes e entidades em defesa do cooperativismo. Fica cada vez mais claro que o movimento cooperativista não tem cores partidárias, mas sim o trabalho solidário em busca do desenvolvimento econômico com justiça social. Estamos muito satisfeitos com a chegada dos senadores Carlos Fávaro, Carlos Portinho e Fábio Garcia. Tenho certeza de que terão excelente atuação junto à Frente, principalmente na defesa do Ato Cooperativo, que está em análise no Senado”, destacou o presidente Márcio Lopes de Freitas.

Alinhamento - O senador Fábio Garcia (MT) afirmou que sua adesão está “alinhada com a necessidade de aprovarmos no Congresso Nacional as matérias de maior interesse aos sistemas cooperados e vai ao encontro desta vontade do povo brasileiro e, sobretudo do meu estado de Mato Grosso, de ver suas cooperativas prosperarem”.

Geração de emprego e renda - Ele ressaltou ainda que o cooperativismo no país vai além de ser um instrumento relevante na geração de emprego e renda. “Acredito no cooperativismo não só como meio de negócios, que cria instrumentos para competir em um ambiente cada vez mais disputado, mas como uma filosofia de vida que busca melhores oportunidades para todos”.

Apoio - O senador Carlos Fávaro (MT) reforçou seu apoio ao movimento coop. “O cooperativismo tem e sempre terá o meu apoio. É a forma mais efetiva de dar competitividade aos pequenos e médios em qualquer setor da economia. Sinto-me feliz em fazer parte desta Frente e o movimento cooperativista pode ter a certeza de que terá em mim um parceiro”.

Formação de arranjos - O senador Carlos Portinho (RJ), por sua vez, afirmou que já investe seu mandato na formação de arranjos cooperativos em diversos municípios do Rio de Janeiro. “A Frente será para melhor atender as demandas desse setor no Congresso. Em especial, tenho buscado incentivar as regiões produtoras do setor alimentício, que são tão importantes no interior do Rio de Janeiro”.

Empreendedorismo coletivo - Ainda segundo Portinho, “o cooperativismo precisa ser defendido porque é uma forma de empreendedorismo coletivo onde se compartilha o risco e, mais importante, os resultados. Além disso, acredito que o desenvolvimento do Rio de Janeiro deve ter como pilar a organização das cooperativas e colocar esses ativos para funcionar em favor da produção e do nosso estado”. (Sistema OCB)

FOTO: Jefferson Rudy / Agência Senado

 

PROUNI: Programa passa a incluir alunos de cooperativas educacionais

A ampliação do Programa Universidade para Todos (Prouni) aprovada pela Câmara dos Deputados na terça-feira (12/04) passa a permitir que alunos provenientes de cooperativas educacionais também tenham direito a concorrer a bolsas ofertadas pelas faculdades privadas participantes. A inclusão, proposta pelo Executivo por meio da Medida Provisória (MP) 1.075/2021, é um pleito antigo do movimento cooperativista e faz parte da Agenda Institucional 2022, que será lançada no próximo dia 27 de abril.

Conquista importante - “Essa é mais uma conquista importante para a qual os deputados dão uma resposta positiva e de apoio ao cooperativismo que tanto faz pelo nosso país. As cooperativas educacionais prestam um serviço de excelente qualidade, formando futuros cidadãos conscientes e solidários, capazes de priorizar os interesses coletivos acima dos individuais”, afirma o presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Evair de Melo (ES).

Público-alvo - Atualmente, o público-alvo do Prouni são estudantes que tenham cursado o ensino médio todo em escola pública ou com bolsa integral em instituição privada. A proposta ainda precisa de validação pelo Senado Federal mas, com a inclusão das escolas privadas e, com isso, das cooperativas educacionais, a distribuição das bolsas passa a contar com uma nova ordem de classificação:

Pessoa com deficiência quando a reserva de vagas por cota for inferior a uma bolsa em curso, turno, local de oferta e instituição;

Professor da rede pública de ensino para cursos de licenciatura, normal superior e pedagogia independentemente da renda;

Estudante que tenha cursado o ensino médio completo em escola da rede pública;

Estudante que tenha cursado parte do ensino médio na rede pública e parte na rede privada com bolsa integral da instituição;

Estudante que tenha cursado parte do ensino médio na rede pública e parte na rede privada com bolsa parcial da instituição ou sem bolsa;

Estudante que tenha cursado o ensino médio completo na rede privada com bolsa integral da instituição; e

Estudante que tenha cursado o ensino médio completo na rede privada com bolsa parcial da instituição ou sem bolsa.

O Programa - O Prouni foi criado em 2005 e prevê a oferta de bolsas de estudos para estudantes de graduação em faculdades privadas em troca da isenção de tributos (IRPJ, CSLL e PIS/Cofins). As cooperativas educacionais atuam pela inclusão de seus alunos no programa desde 2009. (Sistema OCB)

FORMAÇÃO: CapacitaCoop atinge mais de 25 mil alunos

formacao 14 04 2022A consolidação do sucesso da CapacitaCoop, plataforma de aprendizagem do cooperativismo brasileiro, que está prestes a comemorar dois anos de existência, é atribuída à profundidade dos conteúdos ofertados e ao método aplicado. Lançada em abril de 2020, inicialmente a ferramenta de ensino à distância disponibilizava seis cursos. Atualmente, a plataforma idealizada pelo Sistema OCB já conta com mais de 60 diferentes opções de aprendizagem oferecidas aos mais de 25 mil alunos cadastrados.

Programa de aprendizagem - "Já utilizamos alguns dos cursos disponíveis na plataforma para compor o programa de aprendizagem dos nossos profissionais. Eles contam com linguagem acessível e contemporânea, com instrutores competentes e ainda são gratuitos. Esta plataforma complementa nossas ações. Desejo que mais gestores possam utilizá-la”, afirma Sandra Helena Rosa Kwak, superintendente de Pessoas e Responsabilidade Social do Sicoob Espírito Santo (Confira vídeo).  

Princípio - A CapacitaCoop materializa o quinto princípio do cooperativismo, que foca na educação e formação de seus cooperados. “Essa ferramenta foi criada em meio a um momento de muitas incertezas geradas pela pandemia da Covid-19, mas seu sucesso já está mais que consolidado. Os números são expressivos e temos que destacar também a efetividade do conteúdo oferecido e que contempla as mais diversas temáticas voltadas para melhorar o desempenho e os resultados das cooperativas”, destaca o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

Benefícios - E os benefícios não se limitam apenas às cooperativas e cooperados. A plataforma vai além ao permitir que qualquer pessoa interessada possa se cadastrar e cursar módulos específicos como os de gestão, comunicação, governança, vendas, agricultura familiar, entre outros. Além dos cursos, os cadastrados também contam com uma vasta biblioteca com material complementar em texto, vídeo e webinários. A plataforma possui ainda um glossário completo, caso o aluno tenha dúvidas sobre conceitos ou palavras.

Outros países- Outro detalhe importante é que a CapacitaCoop também está disponível para cooperados de outros oito países de língua portuguesa: Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Os cursos estão segmentados por área de atuação e divididos em módulos. Veja a abrangência da CapacitaCoop:

Cursos Internos: Desenvolvimento de Competências e Plano Estratégico;

Cursos Caminho para Excelência: Importância da Gestão; Atendimento às Partes Interessadas; Avaliação da Gestão; Avaliação da Governança; Cadeia de Valor; Gestão de Pessoa; Gestão de Resultados; Planejamento Estratégico; Gestão do Conhecimento e Informação; e Modelo de Negócio;

Cursos Banco Central: Eu e Meu Dinheiro; Gestão de Finanças Pessoais;

Cursos Universitário Cooperativo: Comunicação e Pensamento Crítico; Cooperativismo, Criatividade e Inovação, Design de Carreira; Gerenciamento de Projetos; Governança Cooperativa; Inteligência Socioemocional; Liderança e Práticas de Negociação;

Cursos Sescoop/PNUD: Cooperativismo e Agenda Mundial de Desenvolvimento Sustentável; Elaboração e Gestão de Projetos; Introdução à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável; Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e Cooperativismo de Crédito;

Cursos ConexãoCoop: Agricultura Familiar nas Compras Públicas; Primeira Exportação; Venda Mais; Vender, Comprar, Ganhar;

Cursos InovaCoop: Apresentações Poderosas; Cooperativismo de Plataforma; Gestão da Mudança; Inovação: Primeiros Passos; Introdução ao Design Thinking; Mentalidade Ágil; Métodos Ágeis (Scrum); Neurociência do Consumo; Pesquisador de Tendências; Pitch; Resolução de Problemas Complexos; e Transformação Digital;

Cursos Nacionais: Assembleia Geral na Prática; Assembleias Semipresenciais e Digitais; Contabilidade de Cooperativas para Contadores; Contabilidade de Cooperativas para Dirigentes; Cooperativismo: Primeiras Lições; Direito e Legislação; Entendendo a Sociedade Cooperativa; Finanças e Contabilidade para Tomada de Decisão; Formação de Conselheiros Fiscais para a Sociedades Cooperativas; Gestão de RH para Cooperativas; Gestão Estratégica de Cooperativas; Gestão Orientada para Resultados; Governança Cooperativa: Princípios e Boas Práticas; Governança Cooperativa: Conselheiros Administrativos; Núcleos e Comitês: Como Organizar e Fortalecer o Quadro Social; O Jeito Coop de Ser Feliz; Tributação de Cooperativas para Contadores; e Tributação de Cooperativas para Dirigente. (Sistema OCB)

 

LAR: Curso superior em agronegócio é promovido com outras 17 cooperativas

Na noite de 12 de abril, iniciaram oficialmente as atividades do curso Bacharel em Gestão Integrada de Agronegócios. O curso de nível superior, chancelado com a qualidade PUCPR e desenvolvido com o apoio do Sescoop/PR, foi uma iniciativa da Lar Universidade Corporativa para trazer conhecimentos específicos para os produtores rurais e trabalhadores das cooperativas. De maneira inovadora e unindo a flexibilidade do ensino à distância, o curso trará noções de Agronomia, Administração, Medicina Veterinária, Engenharia de Produção, Liderança e relacionamento. A turma é formada por mais de 180 alunos, sendo eles associados ou funcionários das cooperativas: C.Vale, Coamo, Coasul, Cocamar, Cocari, Agrária, Frísia, Coopagrícola, Coopavel, Castrolanda, Coopertradição, Copacol, Coprossel, Integrada, Lar, Primato, Sicredi e Sicoob.

Aula magna - A aula magna que marcou a abertura oficial dos trabalhos aconteceu no Lar Centro de Eventos, em Medianeira (PR), e contou com a participação remota do diretor-presidente da Lar, Irineo da Costa Rodrigues, que estava em giro de reuniões com associados no Mato Grosso do Sul, e o superintendente do Sescoop/PR Leonardo Boesche. Participaram presencialmente o diretor 2º vice-presidente da Lar, Urbano Inacio Frey, o superintendente da Lar, Clédio Marschall, o diretor da PUCPR Campus Toledo, Pedro Espinha e a coordenadora do curso e também engenheira de produção, Fernanda Butarelli.

Novos momentos - O diretor-presidente da Lar destacou a importância da evolução, aperfeiçoamento pessoal e profissional e o ensino de qualidade para compreender os novos momentos, as novas tecnologias. “A agricultura já passa pela profissionalização há muito tempo e é necessário passar pelo meio acadêmico. Assim teremos agricultores profissionais, que terão adquirido conhecimento e terão condições de interagir mais, aprender mais, e o que é mais importante, de praticar uma agricultura cada vez mais moderna”, destacou Irineo da Costa Rodrigues. O dirigente também ministrou a Aula Magna sobre a Evolução do Agronegócio e os Desafios do Setor.

Cooperativismo e capacitação - O superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche informou aos acadêmicos o quanto o sistema cooperativista tem investido em cursos e capacitação. Leonardo mencionou que além do Bacharel em Gestão Integrada em Agronegócios que está iniciando as atividades, já existe a segunda turma em andamento de graduação em Gestão de Cooperativas e 35 pós-graduações acontecendo em 2022, além da oitava turma de mestrado de Gestão em Cooperativas, também em parceria com a PUCPR.

Transformadora - “Nós acreditamos que a educação é transformadora, e que só teremos a continuidade do cooperativismo se prepararmos o nosso público. E o cooperativismo do Paraná nesse sentido vem desenvolvendo um papel fundamental com todas as suas cooperativas investindo muito na educação, isso nos dá a certeza de um futuro melhor”, concluiu Leonardo. (Imprensa Lar)

{vsig}2022/noticias/04/14/lar/{/vsig}

COOPAVEL: Com fertilizante premium, cooperativa amplia presença no agro do Paraguai

Há mais de dez anos a Coopavel mantém parcerias com empresas da área agrícola com forte atuação no Paraguai. A cooperativa comercializa lá o seu fertilizante premium, desenvolvido para produtores rurais à procura de qualidade e principalmente de altas produtividades. “São mais de 40 anos de experiência acumulada na produção de fertilizantes e os resultados de nossos produtos são admirados e respeitados em várias regiões produtoras”, segundo o presidente Dilvo Grolli.

Comercialização - A comercialização de fertilizantes premium para o Paraguai chega a dez mil toneladas por ano, informa o agrônomo responsável pela área comercial Cristian Berticelli. Dias atrás, Cristian e o gerente da unidade, Hélio Sebold, estiveram em Colonia Yguazú, no Paraguai, para participar de uma convenção organizada pela Ciabay, empresa que distribui há três anos o fertilizante Coopavel pelas regiões agrícolas do país vizinho.

História da cooperativa - Durante o evento, na presença de autoridades e agricultores, Hélio e Cristian falaram sobre a Coopavel e de seus produtos. “Tivemos a oportunidade, e desde já agradecemos o convite, de contar um pouco da história da cooperativa. De suas áreas de atuação e, principalmente, da trajetória da fábrica de fertilizantes, que coloca no mercado produtos diferenciados e de grande procura e aceitação”, diz o gerente Hélio Sebold.

Aumento de produtividade - Estudos comprovam que o uso do Fertilizante Coopavel Premium impacta em aumento de produtividade de 5 a 7 sacas por hectare em comparação àquelas áreas que não recebem esse material. “Temos um produto que agrega muito e os agricultores paraguaios perceberam isso”, destaca Cristian Berticelli. “E isso acontece devido a um conjunto de fatores. Nossas matérias-primas são de excelente qualidade, o micro é todo quelatizado à base de sulfato, o que facilita a absorção pela planta, e há ainda ganhos devido à base hormonal. Ou seja, os proprietários rurais têm em mãos um produto de qualidade e resultados comprovados”, conforme Cristian.

A Ciabay - Fundada em 1977 por Oscar Luis Lourenço, a Ciabay começou suas atividades atuando na comercialização de grãos. A partir de 1995, com o crescimento da empresa, ela se tornou a única no Paraguai a dispor de uma oferta completa de produtos para a área agrícola. A Ciabay tem presença forte em implementos de plantio e pulverização e também no segmento de colheitadeiras e tratores, bem como de agroquímicos e fertilizantes. Atualmente, são nove filiais estrategicamente situadas para atender a toda região agrícola do Paraguai. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2022/noticias/04/14/coopavel/{/vsig}

 

UNIMED CASCAVEL: Em três meses, campanha já arrecadou uma tonelada de lacres e tampinhas

Neste terceiro mês de arrecadação da 9ª edição da campanha “Doe lacres. Doe tampinhas”, a Unimed Cascavel já arrecadou uma tonelada de itens para serem convertidos em cadeiras e rodas e outros itens de acessibilidade para entidades assistenciais de Cascavel e região.

Beneficiadas - Confira as instituições que serão beneficiadas:

• Acas

• Apae de Cascavel

• Lions Clube de Cascavel

• Paradesporto de Cascavel

• Uopeccan de Cascavel

• Apae de Cafelândia

• Apae de Capitão Leônidas Marques

• Apae de Nova Aurora

• Lions Clube de Ubiratã

• Rotary Clube de Ubiratã

Meta - A meta deste ano é arrecadar três toneladas até janeiro de 2023. Para isso, a Unimed Cascavel conta com parceiros em todas as cidades, além da população em geral, que pode entregar os lacres das latinhas de alumínio e as tampinhas plásticas de qualquer tipo nas entidades que serão auxiliadas e também na Unimed Cascavel:

• Sede da Unimed Cascavel: R. Barão do Cerro Azul, 594.

• CAS Cascavel: Av. Tancredo Neves, 1189.

• CAS Cafelândia: Av. Desembargador Munhoz de Mello, 87 (sala 02).

• Posto de vendas de Ubiratã: Av. Nilza de Oliveira Pipino, 1566.

Termo de parceria - Nesta quarta-feira (13/04), a cooperativa assinou o termo de parceria com a Associação de Paradesporto de Cascavel, na presença de Luiz Sérgio Fettback, presidente da Unimed Cascavel, e de Carlos Luiz de Oliveira, secretário municipal de Esportes e Lazer. A entidade também entregou os itens arrecadados até agora.

Agradecimento - “Estou extremamente feliz e quero fazer um agradecimento muito especial à Unimed Cascavel. Esse termo de parceria vem de encontro ao trabalho que está sendo desenvolvido pela Secretaria de Esportes e Paradesporto da cidade para pessoas com deficiência. A parceria com a Unimed vai somar muito, pois a campanha ‘Doe lacres. Doe tampinhas’ vai ajudar pessoas que não conseguem adquirir uma cadeira de rodas de uso normal, seja para uso contínuo ou como empréstimo. Tendo essas cadeiras na secretaria, o setor de paradesporto poderá disponibilizá-las para que esses paratletas e pessoas com deficiências tenham acesso. A parceria também soma muito com o projeto ‘Para+Vida’, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, por meio do paradesporto”, disse Poliana Bastos, coordenadora do paradesporto da cidade.

Assinatura - Todas as instituições que serão beneficiadas também assinaram o termo de parceria para ajudar a receber e encaminhar os itens para a Unimed Cascavel, que fica responsável pela venda dos lacres e tampinhas e aquisição das cadeiras de rodas e demais itens de acessibilidade. “O Lions Clube está sempre em busca de parceiros para desenvolver projetos. Essa parceria com a Unimed Cascavel é excelente para que a gente consiga adquirir cadeiras de rodas e ajudar pessoas de toda a sociedade que tenham essa necessidade. Essa união é uma maneira mais fácil para a gente atingir bons objetivos”, acrescentou Pedro Machado, presidente do Lions Clube de Cascavel, que também assinou o termo de parceria na tarde desta quarta-feira.

Agradecimento - “A Unimed Cascavel agradece a todas as pessoas, empresas e entidades que auxiliam nesta campanha, que é realizada em nome de uma solidariedade transformadora de vidas e que pode dar bem-estar a tanta gente. A participação e a união de todos são sempre muito bem-vindas. Continue arrecadando”, finalizou o médico Luiz Sérgio Fettback, diretor-presidente da Unimed Cascavel. (Imprensa Unimed Cascavel)

CLIQUE AQUI para conhecer mais sobre essa iniciativa.

{vsig}2022/noticias/04/14/unimed_cascavel/{/vsig}

CONJUNTURA AGROPECUÁRIA: Boletim analisa impacto do reajuste do trigo no preço do pão francês

conjuntura agro 14 04 2022Pelo terceiro mês seguido, o quilo do pão francês se manteve acima de R$ 10,00. Mas poderia ter ultrapassado R$ 16,00, caso o reajuste tivesse acompanhado o mesmo índice que encareceu o trigo em grão. Esse é um dos assuntos analisados pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, no Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 8 a 14 de abril.

Variação - De acordo com o levantamento do Deral, em dezembro de 2021 o quilo do pão francês no Paraná custava, em média, R$ 9,94 para o varejo. No primeiro mês de 2022, houve um reajuste de 2% e passou a R$ 10,13. Em fevereiro, subiu para R$ 10,26 e, em março, se elevou em 3% passando a custar R$ 10,54 o quilo. Comparando com março de 2021, o pão mais consumido pelo brasileiro custa 7% a mais. Naquele mês, o levantamento apontava R$ 9,87.

Preocupação - Ainda que o reajuste tenha sido inferior à inflação dos últimos doze meses, que ficou em 11%, de acordo com o IPCA, há preocupação no setor, pois o estudo mostra um descompasso dos preços desde o início da pandemia.

Março 2019- Se o parâmetro comparativo for março de 2019, o preço do pão francês subiu 28%; o das farinhas, 63%; e os do trigo em grão, mais de 100%. Ou seja, se o aumento seguisse esses índices, o pão francês superaria os R$ 13,00 comparativamente com as farinhas e ultrapassaria R$ 16,00, caso acompanhasse o do trigo.

Feijão e mandioca - O boletim também analisa a produção de feijão no Estado. Com condições climáticas adversas, a primeira safra teve redução de aproximadamente 30% em relação à estimativa inicial e fechou com 195 mil toneladas. Já a segunda safra começa a preocupar os produtores em razão das chuvas constantes, que provocaram queda de 92% para 86% nas plantações consideradas boas no campo.

Colheita - Os produtores de mandioca estão, em sua maioria, no trabalho de colheita do produto. Até o final de março, 20% da área de 131 mil hectares tinha sido colhida. Essa tarefa, no Paraná, é quase toda feita de forma manual. A prática é uma das razões pelas quais está havendo redução de área no Estado, visto que a mão de obra está cada vez menor.

Frutas e pecuária - O documento traz, ainda, uma análise sobre a cultura do caqui em termos mundiais, brasileiro e paranaense. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), em 2019 foram produzidas 4,7 milhões de toneladas da fruta no mundo. O Brasil é responsável por 168,7 mil toneladas. O Paraná responde por 6,2% desse volume. Em 2020, o Estado produziu 9,8 mil toneladas.

Queda no preço - No caso da pecuária, o registro é de suave queda no preço da arroba bovina nos últimos dias. Com o retorno das chuvas e melhoria das pastagens, a tendência é a redução dos custos com alimentação do rebanho, encurtando a permanência no pasto, o que reflete nos preços pagos pelos frigoríficos.

Outros produtos - O boletim também fala sobre a evolução no custo de produção de frango no Estado, que tem na alimentação o principal insumo. Em relação à soja, o documento registra que a colheita já atingiu 94% da área semeada, enquanto o plantio da cultura do milho já está encerrado, atingindo 2,69 milhões de hectares. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Jaelson Lucas / Arquivo AEN

 

FAZENDA: Adesão ao novo programa de regularização de dívidas tributárias já está disponível

fazenda 14 04 2022O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Fazenda do Paraná, disponibilizou, a partir desta quarta-feira (13/04), acesso ao novo programa de parcelamento incentivado de créditos tributários relativos ao ICM, ICMS, ITCMD e de créditos não tributários inscritos em dívida ativa, de modo a possibilitar a regularização por parte dos contribuintes dos débitos com redução de multa e juros, mediante pagamento em parcela única ou parcelamento em até 180 meses.

Página oficial - A Receita Estadual disponibilizou uma página oficial desse Refis para que o contribuinte possa verificar se tem débitos vinculados para efetuar o pagamento. Para aderir, basta acessar o link, informar o CPF e clicar em continuar. Os prazos para adesão, de acordo com o Decreto 10.766/2022, assinado nesta semana pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, seguem até 10 de agosto para parcelamentos e 12 de agosto com pagamento à vista.

Objetivo - O novo Refis tem como objetivo viabilizar a recuperação de empresas prejudicadas pela pandemia da Covid-19. Na adesão, o contribuinte deve indicar todos os débitos que pretende parcelar, devendo a primeira parcela ser paga até o último dia útil do mês da adesão e as demais até o último dia útil dos meses subsequentes.

Reconhecimento - A adesão ao parcelamento implica reconhecimento dos créditos tributários nele incluídos, ficando condicionada à desistência de eventuais ações ou embargos à execução fiscal, com renúncia ao direito sobre o qual se fundam nos autos judiciais respectivos, e da desistência de eventuais impugnações, defesas e recursos apresentados no âmbito administrativo.

Fatos geradores - Os créditos tributários de ICM, ICMS e ITCMD decorrentes de fatos geradores ocorridos até 31 de julho de 2021, constituídos ou não, inscritos ou não em dívida ativa, poderão ser pagos em parcela única com redução de 80% na multa e nos juros; em até 60 parcelas mensais, iguais e sucessivas, com redução de 70% na multa e nos juros; em até 120 parcelas mensais com redução de 60% na multa e nos juros; e em até 180 parcelas mensais com redução de 50% na multa e nos juros.

Parcelamentos - Os parcelamentos também poderão ser quitados parcialmente com até 95% do valor, mediante Regime Especial de Acordo Direto com Precatórios, sendo realizados em até 60 meses.

Dívidas não tributárias - Para as dívidas não tributárias, as reduções ocorrem somente sobre os encargos moratórios, e são de 80% para pagamento em parcela única, 70% nos parcelamentos em até 60 meses e, por fim, de 60% caso o contribuinte opte pelo parcelamento em até 120 parcelas. Na liquidação das parcelas serão aplicados juros equivalentes à taxa referencial da Selic, acumulada mensalmente e aplicada sobre os valores do principal e da multa constantes na parcela.

Valor - O valor de cada parcela não poderá ser inferior a cinco UPF/PR (em média de R$ 600). (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Geraldo Bubniak / AEN

 

IBGE: Comércio paranaense registra crescimento de 2,2% em fevereiro

ibge 14 04 2022O comércio paranaense cresceu 2,2% em fevereiro, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (13/04) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A comparação é com janeiro, mês exatamente anterior. Esse é o recorte sem construção civil e veículos, que têm impacto relevante sobre o cenário, mas mesmo na pesquisa com esses dois setores houve aumento, de 0,9%.

Comparativo fevereiro - O instituto também aponta um crescimento de 0,7% no varejo em fevereiro na comparação com o mesmo mês do ano passado, ainda fortemente impactado pela pandemia.

Setores - Os setores que puxaram os números de fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2021 foram tecido, vestuários e calçados (16,8%), artigos farmacêuticos (9,3%), livros, jornais e revistas (5,8%), artigos de uso pessoal ou doméstico (4,3%) e eletrodomésticos (0,8%). No primeiro bimestre de 2022 (comparação com janeiro e fevereiro de 2021), os motores foram artigos farmacêuticos (11,9%), livros, jornais e revistas (10,8%), tecido, vestuários e calçados (7%) e artigos de uso pessoal ou doméstico (1,7%).

Construção civil - A construção civil, impactada pelos constantes aumentos nas taxas básicas de juros, aponta para um momento de certa retração nas vendas. Apesar do crescimento acumulado de 3,4% ao longo dos últimos doze meses (comparativo de março de 2021 a fevereiro de 2022 em relação a março de 2020 e fevereiro de 2021) no Paraná, houve pequena retração na comparação mensal (-12,4%) e no bimestre (-8,8%), acompanhando a tendência nacional, com recuos de 8% nos dois registros.

Automotivo - O setor automotivo também encara realidade similar. Apesar do crescimento acumulado de 5,4% nas vendas de automóveis, peças e motocicletas no último ano, houve retrações no volume de vendas em fevereiro (-4,7%) e no primeiro bimestre de 2022 (-4,7%).

Receita - Em relação à receita, houve um aumento de 2,2% no faturamento do comércio ampliado no Paraná em fevereiro, na comparação com janeiro. Em relação a fevereiro do ano passado o crescimento foi de 13,3%. No acumulado dos últimos doze meses, seguindo tendência nacional, o aumento chega a 17,8%, o que aponta tendência de reação frente a 2020, ano da chegada do coronavírus.

Pequeno recuo - Na construção civil, as receitas tiveram um pequeno recuo de 0,3% em relação a fevereiro do ano passado. No setor automotivo houve aumento de 11,4%.

Nacional - De janeiro a fevereiro de 2022, na série com ajuste sazonal, a taxa média nacional de vendas do comércio varejista cresceu 1,1%, com resultados positivos em 26 das 27 unidades da federação. Na mesma comparação, no comércio varejista ampliado, o avanço foi de 2%, puxado por 23 das 27 unidades, incluindo o Paraná. Segundo a pesquisa, o setor está 1,2% acima do patamar pré-pandemia, mas 4,9% abaixo do pico da série histórica do IBGE (outubro de 2020). (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Geraldo Bubniak / AEN

 

LEGISLATIVO I: Retorna ao Senado proposta de fortalecimento do Pronampe

legislativo 14 04 2022Retorna ao Senado em breve o projeto de lei que fortalece o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Aprovado na terça-feira (12/04) na Câmara, na forma de substitutivo, o PL 3.188/2021 terá de ser reanalisado pelos senadores, por causa das mudanças feitas pelos deputados. O projeto visa manter recursos para os empréstimos do Pronampe, estendendo até o fim de 2024 o prazo para uso de verbas do fundo garantidor do programa.

Acesso a empréstimos - Proposto pelo Senado, o Pronampe foi criado pela Lei 13.999, de 2020, durante a pandemia, para facilitar empréstimos aos pequenos e microempresários. A partir da Lei 14.161, de 2021, foi transformado em política de crédito permanente, com objetivo de consolidar os pequenos negócios como agentes de sustentação, de transformação e de desenvolvimento da economia nacional. O programa tem o respaldo do Fundo de Garantia de Operações (FGO), garantidor de parte dos riscos pela concessão de crédito a microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte. 

Substitutivo - Em março, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou, de forma terminativa, um substitutivo apresentado pela senadora Kátia Abreu (PP-TO) ao PL 3.188/2021, de autoria do senador Jorginho Mello (PL-SC). Em seu substitutivo, a relatora estendeu até 2025 o prazo para a devolução ao Tesouro Nacional de valores não utilizados do fundo relativos a empréstimos do Pronampe.

Projeto original - No projeto original de Jorginho, os recursos não utilizados do FGO deixariam de ser devolvidos ao Tesouro, para consolidar o programa. Mas a relatora considerou que não seria possível revogar o dispositivo que determina a devolução, por se tratarem de créditos extraordinários, e propôs como contrapartida o adiamento, por três anos, do início das devoluções. Na prática, isso permitiria a continuidade dos empréstimos até 2024. 

Manutenção de empregos - O projeto foi novamente modificado na Câmara, que aprovou um substitutivo do deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP). O novo texto dispensa as empresas de cumprirem cláusula de manutenção de quantitativo de empregos prevista nas contratações até 31 de dezembro de 2021. Essa regra só será reestabelecida para empréstimos feitos a partir de 2022.

Data limite - A proposta também acaba com data limite — estipulada anteriormente até o fim de 2021 — para que o governo aumente o aporte de recursos ao FGO para atender o Pronampe. Caso esse aumento de participação da União aconteça por meio de créditos extraordinários, os valores recuperados ou não utilizados deverão ser destinados à amortização da dívida. Contudo, pela proposição, outros valores utilizados pelo FGO para honrar prestações não pagas deverão ser direcionados para a cobertura de novas operações contratadas.

PEC - Em outra alteração, a Câmara definiu mudanças na Lei 14.257, de 2021, que criou o Programa de Estímulo ao Crédito (PEC), para estender seu acesso a empresas de médio porte, com até R$ 300 milhões de receita bruta anual. (Agência Senado)

FOTO: Fernando Frazão / Agência Brasil

 

LEGISLATIVO II: Comissão debate lei que incorpora novos tratamentos ao câncer pelos planos de saúde

legislativo II 14 04 2022A comissão especial destinada a acompanhar as ações de combate ao câncer no Brasil realiza audiência pública na segunda-feira (18/04) para esclarecer pontos da Lei 14.307/22, que define regras para a incorporação de novos tratamentos pelos planos e seguros de saúde, a exemplo dos relacionados ao combate ao câncer.

Convidados - Foram convidados para o debate representantes do Ministério da Saúde, da Agência Nacional de Saúde Suplementar, do Instituto Lado a Lado, do Instituto Oncoguia, da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia, da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) e da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

Solicitação - A deputada Silvia Cristina (PL-RO), que pediu a audiência, disse que a nova lei traz inúmeras alterações quanto à incorporação de coberturas na chamada "Atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde Suplementar", o que, segundo ela, justifica o debate com a presença de representantes do governo e das entidades médicas.

Hora e local - A audiência será no plenário 9, às 14 horas. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Divulgação / Governo de São Paulo

 

SAÚDE I: Mortes sobem para 661,6 mil e casos para 30,21 milhões

As mortes em razão de complicações associadas à covid-19 cresceram para 661.656. Nas últimas 24 horas foram registrados 163 óbitos. Até terça-feira (12/04), o painel de informações da pandemia marcava 661.493 vidas perdidas.

Investigação - De acordo com o Ministério da Saúde, há 3.116 mortes em investigação. As investigações ocorrem pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas não se sabe se a causa foi covid-19, ou seja, ainda demanda exames e procedimentos posteriores.

Contaminadas - A quantidade de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus subiu para 30.210.853. Entre terça e quarta-feira (12 e 13/04), foram confirmados pelas Secretarias de Saúde 26.924 novos casos positivos da doença. Na terça, o sistema de dados do ministério contabilizava 30.183.929 casos acumulados.

Acompanhamento - O número de casos em acompanhamento de covid-19 está em 381.679. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta nem evoluíram para morte.

Recuperadas - Até esta quarta, 29.167.518 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 96,5% dos infectados desde o início da pandemia.

Atualização - Os dados estão na atualização do Ministério da Saúde divulgado nesta quarta-feira (13/04). Nela, são consolidadas as informações enviadas por secretarias Municipais e Estaduais de Saúde sobre casos e mortes associados à covid-19.

Números - Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras nos dias seguintes aos feriados em razão da redução de equipes para a alimentação dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizados.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (167.770), dados de terça-feira, Rio de Janeiro (73.128), Minas Gerais (61.077), Paraná (43.017) e Rio Grande do Sul (39.180).

Menos - Os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.996), Amapá (2.128), Roraima (2.146), Tocantins (4.148) e Sergipe (6.338). Não foram registradas novas mortes entre terça e quarta-feira no Acre, Amapá, Roraima e Tocantins.

Vacinação - Até esta quarta-feira, foram aplicados 406 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 173,5 milhões com a primeira dose, 152,4 milhões com a segunda dose e 4,8 com a dose única. Outros 71,6 milhões já receberam a dose de reforço e 3 milhões ganharam dose adicional. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2022-04-13 at 6.40.37 pm

SAÚDE II: Paraná registra 1.679 novos casos e 20 óbitos pela Covid-19

saude II 14 04 2022A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (13/04) mais 1.679 casos confirmados e 20 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 2.419.398 casos confirmados e 42.784 mortos pela doença.

Meses - Os casos confirmados nesta data são de abril (909), março (121), fevereiro (236) e janeiro (285) de 2022; dezembro (1), novembro (11), outubro (4), setembro (18), agosto (29), julho (4), junho (4), maio (7), abril (11), março (5), fevereiro (13) e janeiro (7) de 2021; e dezembro (10), novembro (1), agosto (2) e julho (1) de 2020. Os óbitos divulgados nesta data são de abril (8), março (1) e fevereiro (5) de 2022; agosto (2), julho (1), abril (2), de 2021; e novembro (1) e agosto (1) de 2020.

Internados - 30 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados em leitos SUS (14 em UTIs e 16 em leitos clínicos/enfermaria) e nenhum em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 286 pacientes internados, 132 em leitos de UTI e 154 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais 20 pacientes. São 10 mulheres e 10 homens, com idades que variam entre 47 e 84 anos. Os óbitos ocorreram entre 23 de agosto de 2020 e 12 de abril de 2022.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (4), Pontal do Paraná (2), Campo Mourão (2), Vitorino, Terra Boa, Sarandi, Sapopema, Realeza, Ponta Grossa, Paiçandu, Mandaguaçu, Irati, Ibema, Guaratuba e Cantagalo.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 10.828 casos de residentes de fora do Estado – 233 pessoas morreram. (Agência Estadual de Notícias) 

Confira o informe completo clicando AQUI.

Veja AQUI os ajustes e relatório de exclusões.

 

 


Versão para impressão


RODAPE