Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5301 | 18 de Abril de 2022

REUNIÃO DA DIRETORIA: Participação na Mercosuper 2022 foi sucesso, avaliam cooperativistas

Na tarde da última quinta-feira (14/04), foram realizadas em conjunto a 34ª Reunião da Diretoria da Ocepar e a 12ª da Fecoopar, na modalidade on-line, em cumprimento a uma pauta variada. Da agenda do evento, aberto pelo presidente José Roberto Ricken,  constaram a aprovação das atas das reuniões anteriores e a apresentação do balancete do atual exercício, até 31 de março, das duas entidades; registro de cooperativas; exposição do plano de metas dos funcionários do Sistema Ocepar, com o encerramento de 2021 e planejamento de 2022; alinhamento sobre negociações sindicais de 2022; implementação do Projeto 01 - Programa de Educação Política visando às eleições do próximo mês de outubro - Ocepar e Cooperativas e o Projeto 07 -   Plano de Assistência Médica para as Cooperativas – Unimed Paraná, do PRC200; encaminhamentos sobre o Fundo de Recuperação e Estabilização Fiscal do Paraná (Funrep), além do Plano Safra 2022/23 – Medida Provisória 1.111, de 30/03, Decreto 11.029, de 01/04, e ações para a votação do PLN 01. Ainda houve a avaliação da participação de cooperativas na Mercosuper 2022, com a presença do presidente da Associação Paranaense de Supermercados (Apras), Carlos Beal.

UniTI – Entre os assuntos apresentados esteve o anúncio do registro na Ocepar da Cooperativa Central de Tecnologia da Informação (UniTI), integrada por 21 cooperativas. Com isso, a entidade passa a contar com 221 organizações inscritas. Criada em 8 de dezembro de 2021, a UniTI, entre outros propósitos, vai proporcionar a redução de custos para as suas integrantes, que vão poder compartilhar investimento, tanto na parte de infraestrutura como de sistemas.

Mercosuper – O resultado da avaliação da participação de cooperativas na 39ª Feira e Convenção Paranaense de Supermercados (Mercosuper), promovida pela Apras de 5 a 7 deste mês no Expotrade Center, em Pinhais, deixou claro que é importante para as cooperativas participarem de eventos desta natureza, como estratégia de exporem produtos, se aproximarem de clientes e aumentarem a participação no varejo. Segundo o presidente Ricken, a Mercosuper foi uma boa experiência para as 18 cooperativas do Sistema Ocepar que estiveram presentes no Espaço Paraná Cooperativo, além de outras nove de hortifruti, mel, sucos e doces, coordenadas pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná).  O presidente da Apras, Carlos Beal, depois de agradecer a participação do setor no evento, pediu apoio para, em 2023, dar “um novo impulso ao setor para fomentar mais negócios”. Uma de suas propostas é alterar o horário de funcionamento, abrindo duas horas mais cedo, às 13h30, e, consequentemente, se encerrando às 20 horas, em vez de funcionar das 15h30 às 22h30, como foi neste ano. O evento será realizado entre os dias 18 e 20 de abril. A proposta foi apoiada por cooperativistas.

Referência – Beal acrescentou que é preciso, numa estratégia de comunicação, tornar a feira mais conhecida em outros estados. “Assim vamos conseguir atrair mais público de fora para conhecer a feira que tem a maior concentração de cooperativas vendendo alimentos direto para os supermercados. Com o apoio de vocês podemos transformar o espaço em feira de negócios”. Em relação à proposta, Ricken disse que “concordamos que dá para ser melhor, ser uma feira de negócios, e que, com certeza, será uma referência nisso. A organização é trabalhosa, mas dá para fazer algo de primeiro nível”.

Repercussão – O presidente do IDR-PR, Natalino Avance de Souza, disse que os participantes das cooperativas de hortifrutigranjeiros ficaram entusiasmados por terem participado da Mercosuper. “Foi uma alegria muito grande para eles participarem de uma feira ao lado de grandes cooperativas, que são referência nacional. Foi uma oportunidade importante para eles perceberem as grandes oportunidades de mercado, como também o desafio enorme para participar dele. O nosso sonho é que essas cooperativas de hortifrutigranjeiros alcancem o sucesso que das grandes cooperativas paranaenses.”

Mercado – Souza lembrou que a maior parte dos produtos hortigranjeiros vem de outros estados, a ponto de o Paraná importar entre 60% e 70%, no caso das frutas, do volume que consome. “O nosso grande desafio, portanto, é produzir e gerar emprego no Paraná. Então, além de agradecer a oportunidade de poder conviver com grandes marcas na Mercosuper, as pequenas cooperativas perceberam o desafio enorme que têm pela frente para poder avançar em quantidade e qualidade. Por isso, queremos ser parceiros, começar a trabalhar a partir de agora para a feira de 2023, pois queremos brilhar. Ir lá e negociar com o dono do supermercado. São cerca de 60 cooperativas de hortifrutigranjeiros que podem ajudar o Paraná a ser referência também nesse segmento. Estamos dispostos a isso”, acentuou.

Perspectiva – O presidente da Apras, Carlos Beal, entende que há necessidade de estudar uma forma de organizar esses pequenos produtores, que representam uma cadeia importante da produção de alimentos, aproximá-los mais da cadeia de varejo e, assim, não necessitar buscar mais produtos em São Paulo, por exemplo. Por sua vez, o presidente do Sistema Ocepar disse que é preciso planejar como fazer isso, inclusive com a participação da Apras, no sentido de estimular demandas de hortifrutigranjeiros produzidos no Paraná. “Temos de, com critério, estimular a produção e, ao mesmo tempo, a aquisição direta. Seria o ideal para quem produz e para a rede de supermercados. E a feira é um meio para isso. Assim, entendo que é preciso começar a trabalhar desde já, com planejamento, visando ao próximo ano e alcançar parte desse mercado. Isso será muito bom para todos”, avaliou Ricken.

{vsig}2022/noticias/04/18/reuniao_diretoria/{/vsig}

CRÉDITO RURAL: R$ 207 bilhões da safra 2021/22 já foram repassados até o mês de março

credito rural destaque 18 04 2022Dos R$ 251,2 bilhões anunciados pelo governo federal para a safra 2021/22, R$ 207 bilhões foram aplicados até o mês de março, de acordo com o Informe de Crédito Rural publicado pela Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec), com base nos dados do Banco Central do Brasil. A maior parte dos recursos, ou seja, 38%, teve origem na poupança rural; 24% em recursos obrigatórios; 20% em recursos com taxas livres; 10% em fundos constitucionais, 7% no BNDES equalizável e 1% em outras fontes.

Cooperativas - O informe demonstra que, no período que compreende os meses de julho de 2021 até março de 2022, as cooperativas brasileiras captaram R$ 28,8 bilhões, sendo a maior parte destinada à industrialização e ao custeio. Já as cooperativas paranaenses captaram R$ 9,73 bilhões, correspondendo a aproximadamente 34% dos recursos captados no âmbito das cooperativas nacionais, tendo como destaque o segmento da industrialização.

Evolução - Verifica-se também que a captação total de recursos na política do crédito rural, em março da safra atual (2021/2022), se manteve em alta com relação à média do mês de março das duas safras 2018/19 e 2019/20, ficando abaixo apenas da safra passada, 2020/2021.

Versão PDF - Clique aqui para conferir o Informe em arquivo PDF.

 

credito rural folder 18 04 2022

 

COOPERATIVISMO: Ramo Transporte comemora 20 anos de existência

cooperativismo 18 04 2022Em 2022, o Ramo Transporte do cooperativismo comemora 20 anos de existência. A data merece destaque especial principalmente pelos avanços que o setor alcançou durante esse período. Os números mostram que a ascensão tem sido constante e significativa. Segundo dados do Sistema OCB, em 2020, o ramo somou 984 cooperativas. Com mais de 89 mil cooperados, gerou 5 mil empregos diretos no período e contribuiu diretamente para o desenvolvimento do país, levando qualidade de vida para milhares de pessoas.  

Missão - O cooperativismo de transporte tem por missão oferecer condições para que os cooperados exerçam seu trabalho com mais competitividade e oportunidades. Ele reúne coops destinadas a organizar a prestação de serviços para cargas ou passageiros. Seja táxi, moto, van, ônibus, caminhão, transfer turístico ou passeio de bugue, o ramo agrega profissionais que buscam oferecer as melhores condições a preços justos e acessíveis a seus clientes.   

Orgulho - “Temos muito orgulho do trabalho que vem sendo desenvolvido pelas cooperativas e cooperados ao longo desses 20 anos. O cooperativismo de transporte é o elo entre coops e também entre elas e o mercado. Além disso, é fundamental para trabalhos que envolvem intercooperação e ajudam a melhorar a vida da nossa gente”, defende o presidente Márcio Lopes de Freitas.   

Covid-19 - Freitas destacou também que apesar dos impactos da Covid-19 nos últimos dois anos, o setor de transporte foi fundamental para o desenvolvimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2021, apresentando crescimento de 11,4%. “Os desafios não foram pequenos, mas nossas cooperativas conseguiram se reinventar para continuar oferecendo serviços diferenciados e que se adequassem ao período de crise que vivenciamos com as restrições impostas pela pandemia”.   

Oportunidade - Para Evaldo Moreira de Matos, coordenador do Ramo Transporte no Sistema OCB e presidente da Federação Nacional das Cooperativas de Transportadores de Carga (Fetranscoop), os 20 anos do ramo merecem ser comemorados, mas também precisam ser vistos como uma oportunidade para aproximar cada vez mais os profissionais que atuam na área. “Só no transporte de carga são cerca de 1,5 mil caminhoneiros soltos e que podem vir a fazer parte das nossas cooperativas. Trata-se de um mercado pujante”, afirmou.   

Futuro - Frente às mudanças pelas quais o mundo está passando, o cooperativismo de transporte também procura olhar para o futuro e antever possibilidades que permitam uma integração sistêmica para atender as novas formas com que as pessoas e os produtos serão movidos em um futuro próximo. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) concedeu, por exemplo, autorização para entrega de alimentos por meio de drones ou RPAs (Aeronave Remotamente Pilotada), o que pode abrir espaço para uso também em outras situações.  

Digitalização - “A aceleração do processo de digitalização nos últimos dois anos deixou ainda mais evidente a necessidade dos negócios se reinventarem e estarem cada vez mais atentos a tendências e a mudanças nos hábitos de consumo e na relação entre consumidores e organizações. Isso vale para todos os setores e com o transporte não é diferente. É certo que o futuro reserva incertezas, mas nossas cooperativas continuarão trabalhando em melhorias contínuas para estarem aptas e preparadas para lidar com qualquer mudança que possa surgir”, completa o presidente Márcio.    

Linha do tempo - Em 2012, o Ramo Transporte assinou o primeiro acordo de cooperação técnica entre o Sistema OCB e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O acordo permitiu cadastramento e movimentação da frota das cooperativas de transporte rodoviário de cargas. Em 2013, a integração e participação dos estados aumentou com a reestruturação e reorganização do Conselho Consultivo Nacional do Ramo Transportes.   

Resoluções - O Sistema OCB colaborou com a ANTT também na edição das Resoluções 4.799/2015, que regulamentou os procedimentos para inscrição e manutenção no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas, e 4.777/2015, que regulamentou a prestação do serviço de transporte rodoviário coletivo interestadual e internacional de passageiros em regime de fretamento. Ainda em 2015, foi efetivado o convênio para operacionalização do Sistema Integrado de Transporte de Cargas (Sitcarga) e os seminários nacionais sobre a área foram retomados.  

Manuais - No ano de 2016, foram lançados os manuais Contábil, Tributário e Operacional do ramo. Entre 2015 e 2018, missões internacionais de estudo sobre o setor foram realizadas no Paraguai, Argentina, Chile e Estado Unidos. E, em 2021, mesmo diante da pandemia da Covid-19, o ramo avançou com a realização de seminários regionais e reflexão estratégica, consolidada em Seminário Nacional.  

Novo marco - Agora, em 2022, um novo marco para o ramo foi o lançamento do primeiro MBA em Gestão Estratégica de Cooperativas de Transporte, fruto de parceria entre o Sescoop, Fetranscoop e a Faculdade Unimed. O curso, ministrado pela PUC-MG, é voltado para dirigentes, gestores e cooperados que atuem ou pretendam atual a área de transporte, logística e distribuição de mercadorias. (Sistema OCB

 

PUBLICAÇÃO: Sistema OCB lança cartilha sobre marco da Geração Distribuída

publicacao 18 04 2022O novo Marco Legal da Micro e Mini Geração Distribuída (GD), sancionado em janeiro deste ano, é o tema da publicação elaborada pelo Sistema OCB lançada na quinta-feira passada (14/04). A Lei 14.300/22 contou com a cooperação do Sistema OCB nos debates e defesas técnicas que resultaram em maior segurança jurídica, melhor alocação de custos e manutenção de benefícios para o desenvolvimento da atividade. 

Segurança jurídica - "A lei 14300/2022 trouxe segurança jurídica ao modelo de geração distribuída, permitindo que os consumidores e cooperativas invistam com segurança na geração de energia renovável. Um importante passo para a diversificação e renovação da matriz energética brasileira com a participação do consumidor. Por isso a OCB participou ativamente das negociações que resultaram neste novo marco legal", explica o analista de Energia e Meio Ambiente, Marco Olívio Morato de Oliveira.  

Principais mudanças - A publicação traz as principais mudanças do novo marco e aborda, de forma simples, temas como a manutenção dos benefícios atuais até 2045, previstos na resolução normativa 482/2012 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel); para os consumidores que já participam do sistema de compensação e para os que protocolarem o pedido até 06/01/2023, período de transição para os que protocolarem após esta data com a redução de subsídios; a manutenção do cooperativismo entre as opções para a geração compartilhada; a proteção a pequenos agentes de distribuição; e as inovações da Lei.  

Link - Para ter acesso a publicação, acesse o link. (Sistema OCB)

 

PANORAMA COOP: Boletim traz análises da semana sobre os principais fatos de interesse do setor

panorama coop 18 04 2022O Sistema OCB publica, semanalmente, o Panorama Coop, um boletim com análises sobre vários temas e seus impactos para as cooperativas. São informações que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo. A newsletter é atualizada todas as quintas-feiras. Veja abaixo os destaques da semana passada.

Análise econômica - O setor de transporte está passando por mudanças sociais, tecnológicas, econômicas e transformadoras. Alterando fundamentalmente a forma como as pessoas e os produtos são movidos, muitos segmentos estão sendo desafiados. O surgimento de novos mercados, aumento populacional em centros urbanos, novos comportamentos das jovens gerações são alguns dos muitos desafios vivenciados pelo Ramo. E com o cooperativismo não seria diferente: nossas cooperativas mostraram resiliência e integração sistêmica para lidar com todas essas mudanças. Confira nessa Análise Econômica especial em comemoração aos 20 anos do Ramo Transporte sua relevância para o modelo de negócios cooperativista. Boa leitura!

Acesse a Análise Econômica

Acesse as análises anteriores

Frencoop recebe novos senadores - As mais de 4,8 mil cooperativas vinculadas ao Sistema OCB ganharam reforço em defesa de suas pautas no Congresso. Os senadores Carlos Fávaro (MT), Carlos Portinho (RJ) e Fábio Garcia (MT) aderiram à Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), nesta semana.

Leia mais!

Capacitacoop atinge mais de 25 mil alunos - A consolidação do sucesso da CapacitaCoop, plataforma de aprendizagem do cooperativismo brasileiro, que está prestes a comemorar dois anos de existência, é atribuída à profundidade dos conteúdos ofertados e ao método aplicado. Lançada em abril de 2020, inicialmente a ferramenta de ensino à distância disponibilizava seis cursos. Atualmente, a plataforma idealizada pelo Sistema OCB já conta com mais de 60 diferentes opções de aprendizagem oferecidas aos mais de 25 mil alunos cadastrados.

Leia mais!

Sistema OCB lança cartilha sobre marco da Geração Distribuída - O novo Marco Legal da Micro e Mini Geração Distribuída (GD), sancionado em janeiro deste ano, é o tema da publicação elaborada pelo Sistema OCB lançada na quinta-feira (14/04). A Lei 14.300/22 contou com a cooperação do Sistema OCB nos debates e defesas técnicas que resultaram em maior segurança jurídica, melhor alocação de custos e manutenção de benefícios para o desenvolvimento da atividade.

Leia mais!

Prouni passa a incluir alunos de cooperativas educacionais - O Senado Federal aprovou, na quarta-feira (13/04), o Projeto de Lei 1.518/21, que institui a Política Nacional Aldir Blanc de Fomento à Cultura. A proposta destina mais R$ 3 bilhões do Orçamento para a cultura, em uma parceria da União, estados e municípios. A política deve ter duração de 5 anos e as cooperativas também foram incluídas como beneficiárias.

Leia mais!

Clique aqui e confira o Panorama Coop em versão digital

 

COOPAGRÍCOLA: Cooperativa promove evento para divulgar a nova metodologia do Programa Cooperjovem

Cinquenta professores participaram do evento de lançamento da nova metodologia do Programa Cooperjovem, realizado no dia 7 de abril, na Associação Recreativa Coopagrícola (Ascoopa), em Ponta Grossa (PR). A novidade será implementada em oito escolas, distribuídas nos municípios de Ivaí e Ipiranga, na região dos Campos Gerais, com um total de 36 professores e 509 alunos participantes.

Inovações - A professora Carmem Machado, que contribuiu com o desenvolvimento da nova metodologia, apresentou aos professores algumas das inovações que o Cooperjovem está trazendo, como o Cooperjogo, utilizado para trabalhar as etapas do Cooperjovem de forma lúdica e gameficada.

Abertura - Convidado para fazer a abertura ao evento, o gerente geral da Cooperativa Coopagricola, Luiz Marcelo Dura Cavagnari, destacou que o objetivo da iniciativa é promover a Educação Cooperativista, a Educação Empreendedora, a Educação Financeira e a Educação Ambiental nas comunidades escolares.

Disseminação do cooperativismo - O coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Humberto César Bridi, destacou que o Cooperjovem tem por objetivo levar o cooperativismo para as escolas. De acordo com ele, além da educação cooperativista, agora passam a ser oferecidos conteúdos ligados a outros três temas igualmente importantes para os alunos: a educação empreendedora, a educação financeira e a educação ambiental. “O novo formato do programa está completamente alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC)”, salientou Bridi. “Em nome do Sistema Ocepar, parabenizamos a Coopagrícola pelo exemplar trabalho que estão realizando na disseminação do cooperativismo, oportunizando às nossas crianças um complemento ao desenvolvimento integral”, complementou.

Satisfação - A Coopagricola apoia o Cooperjovem desde 2009 e, para a coordenadora de gestão de pessoas da cooperativa, Mirian Silvia Konophal, é uma enorme satisfação a retomada do Programa após dois anos de pandemia. Na ocasião, ela apresentou a equipe que estará à frente das atividades: Raiane do Vale, Matheus Kiel, Alessandra França e Josemar Papa.

O Programa - O Programa Cooperjovem tem como propósito disseminar a cultura da cooperação no ambiente escolar e na comunidade ao seu entorno. No Paraná, é executado pelo Sescoop/PR em parceria com mais de 20 cooperativas, abrangendo 34 mil alunos, 2.200 educadores e 348 escolas localizadas em 66 municípios paranaenses. (Com informações da Coopagrícola)

{vsig}2022/noticias/04/18/coopagricola/{/vsig}

FRIMESA: Central é eleita uma das Melhores do Biogás

frimesa 18 04 2022A Frimesa foi eleita no dia 13 de abril como a melhor indústria frigorífica com Unidade Geradora de Biogás. O resultado foi anunciado no 4º Fórum Sul Brasileiro de Biogás e Biometano. O reconhecimento foi para as melhores iniciativas que contribuíram para o crescimento e o fortalecimento da cadeia do biogás no país, no ano de 2021. A Frimesa possui dois biodigestores do tipo reator CSTR, com tanque agitado que gera biogás para a chamuscagem dos suínos, em substituição ao gás liquefeito de petróleo (GLP), uma oportunidade de economia, inovação e sustentabilidade do negócio.

Reconhecimento - De acordo com a supervisora do ambiental da Frimesa, Andrieli Schulz, esse é um reconhecimento dos esforços de todo o time Frimesa e parceiros, que se envolveu com o projeto desde 2019 com estudos de viabilidade, estratégias e diretrizes para que o projeto fosse sustentável na cooperativa. “Acreditamos na inovação de projetos que possam contribuir com o desenvolvimento da sustentabilidade do negócio, melhorias dos processos que visam tratar os efluentes gerados e realizar o aproveitamento energético dos resíduos. Um projeto como esse possibilita contribuir com a redução dos gases de efeito estufa. Respeitar e conservar o meio ambiente, é um compromisso e princípio fundamental da Frimesa”, comenta.

Realização - O evento é realizado pelo Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás), Embrapa Suínos e Aves e Universidade de Caxias do Sul (UCS), e organizada pela Sociedade Brasileira dos Especialistas em Resíduos das Produções Agropecuária e Agroindustrial (Sbera). (Imprensa Frimesa)

FOTO: Ariane Tomazzoni

 

SICREDI: Entre as 5 melhores instituições financeiras brasileiras no ranking mundial da Forbes

sicredi 18 04 2022O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 5,5 milhões de associados e presença em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, ficou na 4ª posição entre as melhores instituições financeiras do Brasil no ranking World’s Best Banks 2022, realizado pela Forbes em parceria com a Statista, empresa de estatísticas. O resultado da recente avaliação, que indicou as 15 melhores instituições financeiras brasileiras, coloca o Sicredi três posições acima da pesquisa anterior, relativa a 2021.

Opiniões - A nova edição do ranking ouviu mais de 45 mil clientes de 27 países para saber suas opiniões em relação ao relacionamento com seus bancos no período. A avaliação envolveu quesitos sobre como as instituições financeiras puderam garantir uma base de satisfação geral e de recomendação das pessoas, a partir de elementos como confiança, termos e condições na prestação, atendimento ao cliente, serviços digitais e consultoria financeira. No levantamento, os participantes indicaram as instituições onde possuem ou já possuíram uma conta corrente ou poupança e em seguida responderam um questionário detalhado, dando notas baseadas nas suas experiências.

Melhores soluções - “A melhora da nossa posição em um ranking tão relevante é resultado do nosso contínuo trabalho de sempre oferecer as melhores soluções para o desenvolvimento de nossos associados, demonstrando diferencial positivo do cooperativismo”, diz João Tavares, diretor presidente do Banco Cooperativo Sicredi. “O reconhecimento está ligado ao modelo de relacionamento próximo, que busca sempre atender da melhor forma às necessidades das pessoas e empresas, e isso só é possível por nossas cooperativas estarem ativamente participando das comunidades em que estão inseridas.”

Contínuo fortalecimento e solidez - O Sicredi divulgou os resultados de 2021, com um registro de crescimento de 36,9% em sua carteira de crédito, totalizando R$ 133,1 bilhões. Atualmente, possui um patrimônio líquido de R$ 24,9 bilhões e detém R$ 197,6 bilhões em ativos. Já a gestora de recursos (Sicredi Asset), possui mais de R$ 55,8 bilhões administrados. Além disso, a instituição está mantendo o seu ritmo de expansão territorial com mais de 2.200 agências e atuação em 1,6 mil municípios, sendo que em mais de 200 deles é a única instituição financeira fisicamente presente.

Agências de classificação - O Sicredi conta com a avaliação positiva das principais agências de classificação de risco do mundo, tendo o rating AA (bra) da Fitch e classificação “Forte” para a sua Asset, também concedida pela agência. O Sicredi também possui classificação das agências Moody's (Aa2) e Standard & Poor`s (AAA).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento de seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Possui um modelo de gestão que valoriza a participação dos mais de 5,5 milhões de associados, que exercem o papel de donos do negócio. Com mais de 2.200 agências, o Sicredi está presente fisicamente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, disponibilizando mais de 300 produtos e serviços financeiros. Site do Sicredi: www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi) 

INSTITUTO SICOOB: Inscrições para o 11º Concurso Cultural estão abertas

sicoob 18 04 2022Estão abertas as inscrições para a 11ª edição do Concurso Cultural do Instituto Sicoob. Nesta edição, o programa traz o tema “Cooperar para transformar” e podem participar estudantes dos 3º, 5º, 7º e 9º ano do Ensino Fundamental, regularmente matriculados nas Escolas das redes pública, privada e de cooperativas educacionais.

Cultura da cooperação - O Concurso Cultural, que está em sua 11ª edição, vem realizando um trabalho fundamental de envolver escolas, alunos e a comunidade para o fortalecimento da cultura da cooperação. Ao longo dos anos, o Instituto estimulou ações que visam o conhecimento do tema aos alunos, bem como a valorização do cooperativismo entre professores, com sugestões de estratégias para colocar o tema em debate.

Escolas parceiras - Até 31 de maio, as cooperativas do Sicoob poderão convidar escolas parceiras para efetuar a inscrição no programa de forma gratuita. A matrícula deve ser realizada por um representante da Escola que precisará preencher corretamente todos os campos da ficha sendo obrigatório a inclusão dos nomes da Central e Singular.

Desenhos - Por volta de agosto e setembro, os alunos mais novos poderão expressar seu aprendizado por meio de desenhos e aprendendo a fazer uso sustentável de materiais, enquanto os mais velhos irão produzir crônicas, poemas e tiras (dependendo do grau escolar).

Etapas - As premiações serão em três etapas:

•           Até 31 de outubro, premiação local pela Cooperativa Singular. Serão premiados os três melhores trabalhos de cada categoria, que ganharão um kit escolar, no valor de até R 100;

          Até 25 de novembro, premiação regional pela Cooperativa Central. O vencedor de cada categoria ganhará um Tablet e o professor responsável R 1.000;

          No mês dezembro, ocorrerá a premiação nacional. O aluno vencedor de cada categoria ganhará um notebook, o professor responsável um curso de até R 3.000, em instituição juridicamente legalizada e validado pela comissão avaliadora e a Escola levará um data show e uma caixa de som.

SERVIÇO

Concurso Cultural 2022 “Cooperar para transformar”

Inscrições até 31 de maio de 2022

Premiações nos meses de outubro, novembro e dezembro

Para saber mais, acesse ao site

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 6 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, marketplace, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em 330 municípios. É formado por 352 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.789 pontos de atendimento em mais de 2 mil cidades brasileiras. Acesse o site para mais informações. (Imprensa Sicoob)

 

UNIMED PONTA GROSSA: Cooperativa promove Espetáculo de Páscoa para mais de mil crianças

unimed ponta grossa 18 04 2022Na última semana, a Unimed Ponta Grossa realizou o Espetáculo de Páscoa para mais de mil crianças de instituições beneficentes de Ponta Grossa e região. A ação distribuiu ovos de chocolates e promoveu uma encenação teatral de forma lúdica e educativa para as crianças.

Ação - A Associação Reviver foi uma das instituições que receberam a ação. “A maioria das crianças que atendemos estão em situação de risco e vulnerabilidade. Muitas vezes, o único chocolate que ganham é esse a Unimed proporcionou. Mas não só isso: o carinho, o teatro, faz toda a diferença na vida deles”, expressa a assistente social Camila Sviech

Contribuição voluntária - Há mais de 20 anos, a cooperativa realiza o Espetáculo de Páscoa com a contribuição voluntária dos médicos cooperados. A Associação de Promoção à Menina (APAM), também recebeu a iniciativa e para a educadora Elisangela Schaff, a ação motivou e animou as equipes e os alunos. “Percebemos a alegria das crianças e adolescentes! Cantaram e se divertiram com o momento proporcionado! Em nome da APAM, agradecemos a cooperativa” finaliza.

Instituições - Entre as instituições que participaram da iniciativa, está a Associação De Pais e Amigos Do Clube Antares, Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Visuais (Apadevi), Associação de Promoção à Menina (APAM), Associação Reviver, APAE de Palmeira e a Guarda Mirim de Castro. A ação também foi realizada nas comunidades de Guararema e Socavão em Castro. E na Comunidade Vila Rural e Triângulo em Telemaco Borba.

Mensagem de Páscoa - “Graças a Unimed pudemos realizar a Páscoa dos nossos alunos aqui na Apadevi. Foi tudo maravilhoso e sentimos a verdadeira mensagem da Páscoa. Agradecemos muito pela colaboração e doação”, expressa a coordenadora pedagógica da Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Visuais (Apadevi), Lucélia Aparecida Lara. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Exportações recordes do agronegócio somam US$ 14,53 bilhões em março deste ano

comercio exterior 18 04 2022As exportações do agronegócio atingiram o valor recorde de US$ 14,53 bilhões para meses de março, em 2022, cifra 29,4% superior na comparação com mesmo mês do ano passado. O aumento foi motivado pela elevação de 27,6% nos preços dos produtos exportados pelo agronegócio. 

Crescimento - De acordo com levantamento elaborado pela Secretaria de Comércio de Relações Internacionais do Mapa, o volume exportado cresceu 1,4% no período. 

Participação - As exportações do agronegócio representaram 50% de todo o valor exportado pelo país em março de 2022, movimento alavancado pela alta recorde dos preços dos alimentos no cenário global. Em relação às importações de produtos do agronegócio, as compras somaram US$ 1,42 bilhões (alta de 5,9%). 

Produtos - O complexo soja (grão, farelo e óleo) permanece liderando as exportações brasileiras, com a cifra recorde de US$ 7,56 bilhões, respondendo por mais da metade do valor exportado de produtos do agronegócio em março. 

Óleo de soja - Só as vendas externas de óleo de soja passaram de US$ 117, 52 milhões em março de 2021 para US$ 328,77 milhões em março de 2022, alta de 179,8%, impulsionada pela redução na oferta de óleo de girassol, já que o maior produtor e exportador mundial é a Ucrânia, que enfrenta um conflito com a Rússia. 

Carnes - Quanto às carnes, as exportações ultrapassaram, pela primeira vez, a marca de US$ 2 bilhões para meses de março (US$ 2,10 bilhões). A carne bovina foi o produto mais exportado, com recorde de US$ 1,11 bilhão e 191,58 mil toneladas exportadas, puxado pela demanda chinesa. 

Principais destinos - A China continua como o principal destino dos produtos do setor, apesar de uma queda na participação nas compras do agronegócio entre março de 2021 (42,3% de participação) e março de 2022 (41,4% de participação). No mês passado, as vendas para o mercado chinês alcançaram US$ 6,01 bilhões (+26,6%). Os principais produtos foram: soja em grãos (US$ 4,56 bilhões, +26,0%); carne bovina in natura (US$ 677,48 milhões, +108,5%); celulose (US$ 271,11 milhões, +30,3%); carne de frango in natura (US$ 123,08 milhões, +20,8%); açúcar de cana em bruto (US$ 96,63 milhões, +41,2%). Estes produtos responderam por 95,4% do valor total exportado em produtos do agronegócio brasileiro ao país asiático. 

Acumulado - De janeiro a março de 2022, as exportações do agronegócio brasileiro totalizaram US$ 33,82 bilhões (+45,9%), valor recorde para o período, representando 46,8% do total exportado pelo Brasil: alta de 5,1 pontos percentuais em comparação ao mesmo período do ano anterior. Pelo lado das importações, o total alcançado nos primeiros três meses de 2022 foi de US$ 3,78 bilhões (-2,1%). 

Alta dos preços - Tanto as exportações no período como as importações do agronegócio foram afetadas pela alta dos preços médios. No caso das exportações, houve variação positiva em preços (+24,9%) e em volumes (+16,8%). Já as importações registraram alta de preços médios (+18,7%) e redução do índice de quantum no período (-17,8%). (Mapa

>> Balança comercial resumida 

FOTO: Pixabay

 

INFRAESTRUTURA: Lado Oeste do Porto de Paranaguá recebe investimentos públicos e privados

infraestrutura 18 04 2022O lado Oeste do Porto de Paranaguá se desenvolve com obras e investimentos públicos e privados. O silinho, estrutura obsoleta, está totalmente demolido, um novo terminal de celulose está quase pronto e a nova estrutura de carregamento de granéis por esteiras transportadoras, também. Essa ponta da faixa portuária se desenvolve para atender a demanda do mercado e gerar emprego e mais renda para a região.

Outro lado - Por muito tempo, o lado Oeste do porto ficou esquecido, lembra Luiz Fernando Garcia, diretor-presidente da Portos do Paraná. Segundo ele, as ações e atenções eram voltadas para o lado Leste, onde fica o Corredor de Exportação. “Desde o início da atual gestão voltamos nossos olhares para o outro lado”, afirma Garcia.

Repotenciamento - Primeiro, houve o repotenciamento e a ampliação do berço 201. Na sequência, foi licitada em leilão a área, hoje ocupada pela Klabin. Veio, ainda, a demolição de estruturas que não eram mais compatíveis com a produtividade e eficiência atuais do porto. “Temos ainda o crescimento de dois novos terminais a Oeste. Enfim, é uma nova realidade, o porto sendo colocado em sua plena capacidade para atender essa demanda cada vez mais crescente”, afirma o diretor-presidente.

Obras - O silo vertical localizado no lado Oeste do cais, conhecido como silinho, foi construído em 1973, ficava em área nobre de mais 2 mil metros quadrados, estava obsoleto, em desuso desde 2009. Luiz Fernando Garcia explica que o local dará espaço para ampliação da capacidade operacional do porto. Um investimento de R$ 3,47 milhões.

Investimento privado - A nova estrutura de carregamento de granéis por esteiras transportadoras é um investimento privado da empresa Paraná Operações Portuárias (Pasa). Nessa primeira fase do projeto de expansão, que deve ser concluída até fevereiro de 2022, a empresa constrói uma nova linha de embarque e pretende instalar um novo shiploader, para movimentar até 2,5 mil toneladas/hora.

Segunda fase - A segunda fase, para o próximo ano, prevê a edificação de um novo armazém com capacidade para 60 mil toneladas de açúcar ou de 45 mil toneladas de outros granéis sólidos. No total, serão R$ 117,7 milhões de investimentos que devem aumentar a capacidade do terminal, passando de 3,6 milhões de toneladas/ano, para 6,7 milhões de toneladas/ano.

Crescimento ordenado - Sandro Ávila, diretor de Planejamento Operacional, Logística e Suprimentos da Klabin, explica que a empresa está finalizando o terminal de celulose a Oeste da Faixa portuária, um investimento de mais de R $120 milhões. Ele destaca a harmonia com que a transformação vem acontecendo, com três obras ocorrem ao mesmo tempo.

Granéis - A nova estrutura de transporte dos granéis da Pasa, por exemplo, passa por dentro do terminal da Klabin. “É um trabalho em harmonia muito grande com a comunidade portuária, principalmente com a Portos do Paraná. A administração sempre nos deu muito apoio na harmonização de todos os entes de coalizão, que exploram o porto”, afirma.

Rede de apoio - Ainda segundo Ávila, a rede de apoio se formou, também, entre as equipes de engenharias das obras, inclusive das outras empresas. “Um fato importante é a compatibilização das obras como a nossa empresa parceira, a Pasa, que também está desenvolvendo uma ampliação, e comunga do mesmo espaço”, conta.

Silinho - Ávila lembra, ainda, que o apoio da autoridade portuária com a agilidade na demolição do silinho, também foi fundamental. “Era uma obra da qual dependia para fazermos esse terminal. Foi um processo também que andou muito rápido, com uma capacidade e eficiência muito grande de demolição”, completa. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Claudio Neves / Portos de Paranaguá

 

ECONOMIA: Inflação medida pelo IGP-10 sobe para 2,48% em abril

economia 18 04 2022O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou inflação de 2,48% em abril deste ano, taxa superior ao 1,18% do mês anterior. Com o resultado, o IGP-10 acumula taxas de inflação de 7,63% no ano e de 15,65% em 12 meses.

Abril 2021- De acordo com a FGV, em abril do ano passado o índice registrava inflação de 1,58% no mês e acumulava taxa de 31,74% em 12 meses.

Subíndices - A alta da taxa de março para abril foi puxada pelos três subíndices que compõem o IGP-10. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede o atacado, subiu de 1,44% em março para 2,81% em abril.

IPC - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede o varejo, subiu de 0,47% para 1,67% no período. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) passou de 0,34% para 1,17%. (Agência Brasil)

 

CONGRESSO NACIONAL: Governo encaminha projeto da LDO 2023 com déficit de R$ 65,9 bi e salário mínimo de R$ 1.294

congresso nacional 18 04 2022O Poder Executivo encaminhou, na quinta-feira (14/04), ao Congresso o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano que vem com previsão de aumento do salário mínimo de R$ 1.212 para R$ 1.294. Segundo o Palácio do Planalto, a proposta apresenta uma meta de déficit primário de R$ 65,9 bilhões para o Orçamento Fiscal e da Seguridade Social e R$ 3 bilhões para o Programa de Dispêndios Globais. Trata-se de uma redução em relação a este ano, que tem previsão de déficit primário de R$ 79,4 bilhões na Lei Orçamentária Anual. 

Conheça o ciclo orçamentário federal 

Prioridades - Entre as prioridades para o Orçamento de 2023, o projeto da LDO destaca a agenda da primeira infância, ações de segurança hídrica, o programa Casa Verde e Amarela, a geração de emprego e renda e os investimentos plurianuais em andamento. Estas diretrizes deverão ser adotadas na elaboração da Lei Orçamentária de 2023. 

Cenário - O reajuste do salário mínimo é calculado com base na estimativa de correção monetária pelo INPC deste ano. O projeto da LDO também apresenta a projeção do governo para o cenário macroeconômico do triênio de 2023 a 2025. Para 2023, a equipe econômica trabalha com uma estimativa de inflação (IPCA acumulado) de 3,3% ao ano, com redução para 3,0% em 2024. Já o PIB tem previsão de crescimento real de 2,5% no ano que vem. Recentemente, o Ministério da Economia reduziu a expectativa de crescimento do PIB deste ano de 2,1% para 1,5% em 2022. 

Orçamento Mulher - Segundo o Palácio do Planalto, o projeto da LDO já apresenta a previsão de transparência sobre a participação da mulher nas despesas do Orçamento, a fim de possibilitar o aprimoramento das informações referentes à execução das despesas relacionadas à participação da mulher nas despesas orçamentárias. 

Vetado - O Orçamento Mulher havia sido vetado pelo presidente Jair Bolsonaro nas LDOs de 2021 e 2022. No entanto, o Congresso derrubou os vetos e depois restabeleceu o dispositivo que obriga o Poder Executivo a apurar e divulgar os programas e ações destinadas às mulheres. 

Precatórios e teto de gastos - O Palácio do Planalto também informa que o projeto da LDO está de acordo com a nova sistemática de pagamento de precatórios com base nas emendas constitucionais 113 e 114. A proposta também foi elaborada com base na nova metodologia de atualização dos limites individualizados de despesas primárias sujeitas ao teto de gastos. (Agência Câmara de Notícias

FOTO: Agência Câmara de Notícias 

 

SAÚDE I: Brasil tem 30,25 milhões de casos e 661,9 mil mortes

O Brasil registrou, desde o início da pandemia, 5.337.459 casos de covid-19 e 661.960 mortes em decorrência da doença, segundo o boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde neste domingo (17/04). Em 24 horas, foram registrados 2.541 casos da doença e 22 óbitos.  

Recuperados - Segundo o boletim, há 29.227.051 pessoas que se recuperaram da doença, o que representa 96.6% dos infectados. Há ainda 363.607 casos em acompanhamento.

Atualização- boletim não traz dados atualizados de casos de São Paulo, de Rio de Janeiro, do Mato Grosso, do Distrito Federal, de Tocantins e do Roraima. O número de mortes não foi atualizado no Mato Grosso do Sul.

Estados - São Paulo registra o maior número de casos (5.337.459) e de mortes (167.847) no país. O estado do Sudeste é seguido, no número de casos, por Minas Gerais (3.349.647) e Paraná (2.349.647). O menor número de casos está no Acre (124.354), seguido por Roraima (155.366) e pelo Amapá (160.369).

Mortes - Em relação às mortes, o segundo lugar está com Rio Janeiro (73.128), seguido por Minas Gerais (61.113). Os estados com menor número de óbitos são Acre (1.996), Amapá (2.128) e Roraima (2.147).

Vacinação - No último boletim de vacinação divulgado pelo Ministério da Saúde, 409.196.268 doses de vacinas foram aplicadas no país. Deste total, 174.246.402 são de primeira dose, 153.322.278 de segunda dose e 4.823.607 de dose única.

Reforço - dose de reforço foi aplicada em 72.907.647 pessoas e a segunda dose de reforço em 784.641. A dose adicional totaliza 3.111.693. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2022-04-17 at 17.41.07

SAÚDE II: Secretaria Estadual confirma 405 novos casos e quatro óbitos pela Covid-19

saude II 14 04 2022A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (17/04) mais 405 casos confirmados e quatro mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 2.423.772 casos confirmados e 42.802 mortos pela doença.

Meses - Os casos são de abril (344), fevereiro (40) e janeiro (7) de 2022; outubro (1), setembro (1), agosto (1), julho (2), junho (1), abril (1), março (1) de 2021; dezembro (1), novembro (2), agosto (2) e julho (1) de 2020.

Internados - Com a diminuição na taxa de infecção pela Covid-19, o número de internamentos também tem reduzido consideravelmente no Estado. Por esse motivo, em janeiro, foi realizada uma reorganização nos leitos, que anteriormente eram exclusivos e passaram a ser preferenciais para a doença, podendo receber também pacientes com outros agravos.

Divulgação - Com a nova sistemática, a partir de agora a divulgação do número de internados pela Covid-19 será com base nos códigos da Classificação Internacional de Doenças (CID 10), registrados no momento da reserva do leito, e não mais por leito ocupado.

Internados - No momento, 115 pacientes com diagnóstico confirmado ou suspeito estão internados em leitos SUS (56 em UTI e 59 em leitos clínicos/enfermaria).

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais quatro pacientes. São três mulheres e um homem com idades de 69 a 81 anos. Os óbitos ocorreram entre 23 de agosto de 2020 e 24 de julho de 2021.

Município - Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (3) e Terra Boa (1).

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 10.834 casos de residentes de fora do Estado, 233 pessoas morreram. (Agência Estadual de Notícias)

Confira o informe completo clicando AQUI.

Veja AQUI os ajustes e o relatório de exclusões.

 


Versão para impressão


RODAPE