Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5306 | 26 de Abril de 2022

COMPLIANCE DAY: Não podemos ter medo de abraçar a mudança, diz Letícia Sugai

Com o tema “Uma manhã pela integridade”, foi realizado, na manhã desta terça-feira (26/04), o 2º Compliance Day. Promovido pelas entidades do Sistema S no Paraná, e tendo o Serviço de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná (Sescoop/PR) como anfitrião, o evento compõe uma série de ações de promoção e conscientização acerca de temas tão debatidos atualmente, como integridade corporativa, transparência, conformidade, ética e conduta.  “São assuntos que devemos trabalhar frequentemente para que possamos fortalecer a cultura do compliance”, disse o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, em sua fala de abertura.

Participação - Realizado no formato online, com transmissão pela TV Paraná Cooperativo, Canal do Sistema Ocepar no Youtube, o evento reuniu mais de 500 funcionários e gestores do Sebrae, Sesc, Senac, Sesi, Senai, Senar, Sest, Senat e Sescoop/PR, bem como das entidades ligadas ao setor produtivo, entre as quais, da Ocepar (Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Fecoopar (Federação e Organização das Cooperativas do Paraná, e Sistemas Fiep (Federação das Indústrias do Paraná), Fecomércio (Federação do Comércio do Paraná), Faep (Federação da Agricultura do Paraná), e Fetranspar (Federação do Transporte de Cargas do Paraná).

Palestra - A programação, aberta pelo presidente do Sistema Ocepar, e que teve também a participação do superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, teve como destaque palestra com a especialista em Compliance Letícia Sugai, presidente do Instituto Paranaense de Compliance (Ipacom), eleita uma das 10 consultoras de compliance mais admiradas do Brasil em 2021, segundo o anuário Compliance ON TOP, e criadora do Movimento “Integridade sempre vale apena”.

Que mundo é esse? - Letícia iniciou sua fala fazendo uma contextualização sobre o atual momento de mundo, em especial as características do mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo), e que segundo estudiosos já evoluiu para o BANI (Frágil, Ansioso, Não-linear e Incompreensível). Abordou sobre propósito e também sobre a importância da opção padrão e como ela induz os nossos comportamentos. “A opção ética padrão interfere nos comportamentos e, consequentemente, nos resultados obtidos. O desafio é fazer com que a opção ética padrão seja a opção pano de fundo para a tomada de todas as nossas decisões. Mas será que isso tem acontecido?”, questionou.

Desafio - “Estamos diante de um momento de transformação, de mudança, de falar em como a integridade, a ética e a transparência, são relevantes no nosso cotidiano. E nós não podemos ter medo de abraçar essa mudança, porque quando nós conseguimos fazer isso com eficiência e alegria, também somos mais eficazes e assertivos na entrega dos nossos resultados”, disse Letícia. Diante disso, destacou a palestrante, superar uma mentalidade conformista é o grande desafio do momento no que se refere ao compliance.

Assista e divulgue - O superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, encerrou o evento agradecendo a oportunidade de sediar 2º Compliance Day. “Para nós é extremamente importante que o nosso público participe desse tipo de evento porque o compliance é um tema que veio para ficar. E não basta estar em compliance, precisamos demonstrar para quem nos fiscaliza que isso realmente é uma prática do dia a dia. Então, quem não pode assistir o evento de hoje ainda terá oportunidade. O evento foi gravado e pode acessado por meio da TV Paraná Cooperativo”, contou.

Acesse aqui - Para conferir a gravação do 2º Compliance Day basta clicar no link abaixo. Importante: é preciso registrar a participação para que o acesso seja liberado. 

Link de acesso ao 2º Compliance Day

{vsig}2022/noticias/04/26/compliance_day/{/vsig}

FÓRUM: Especialista vai falar sobre o conceito de diversidade e inclusão e como o tema está sendo tratado nas corporações

 

“Quando falamos em diversidade, o que vem à sua mente?” A diretora executiva da Gisele Gomes Co, empresa de consultoria de diversidade nas organizações, Gisele Gomes, vai tratar sobre o tema durante o 1º Fórum da Diversidade e Inclusão do Cooperativismo Paranaense, que o Sistema Ocepar promove, nesta quarta-feira (27/04), das 14h às 17h, por meio da plataforma Microsoft Teams. “A ideia é que a gente possa abarcar um pouco as questões conceituais ligadas à diversidade e inclusão porque nem sempre as pessoas têm clareza em relação a isso. Nós vamos falar sobre o conceito mas, especialmente trazer os temas que estão sendo trabalhados nas empresas, organizações, cooperativas de crédito... Também sou pesquisadora e tenho tido a oportunidade de rodar o Brasil todo, pesquisando sobre diversidade e inclusão. O evento será bastante importante para trocarmos informações, boas práticas e ter novos olhares sobre o assunto”, afirmou a especialista, em entrevista concedida ao jornalista Alexandre Salvador para a rádio Paraná Cooperativo. Clique aqui e confira o áudio.

 

Mais sobre a palestrante - Gisele Gomes é certificada em Balanço de Gênero nas Organizações pela Insead, doutoranda e mestre em Diversidade e Inclusão pela Universidade Feevale, do Rio Grande do Sul, especialista em Negócios Internacionais pela Universidade de Economia Katowicem, da Polônia, e graduada em Ciências Sociais pela Unisinos, do Rio Grande do Sul. Também estará presente Renata T. Fagundes Cunha, consultora em Gestão da Sustentabilidade, Diversidade e Inclusão do Serviço Social da Indústria (Sesi) no Paraná. Pós-graduanda em Direitos Humanos pela PUCRS, ela é socióloga formada pela PUCPR e mestre em História Social do Trabalho, Cultura e Gênero pela Unicamp.

 

Demais convidadas - Haverá ainda a participação de Mariana Gulin, coordenadora da assessoria em RH e membro do Comitê de Diversidade e Inclusão da GD9, e de Suzane de Almeida, coordenadora voluntária do Comitê de Inclusão & Diversidade da Central Sicredi PR/SP/RJ. Formada em Relações Internacionais, ela possui MBA em Gestão Empresarial pela FGV e MBA em Gestão de Talentos e Comportamento Humano pela UFPR, além de especializações em universidades internacionais, como Ohio University, Singularity University e Insead.

 

Informações - O evento tem como público-alvo os agentes de Desenvolvimento Humano e profissionais de RH das cooperativas do Paraná. Mais informações com Luis Henrique Macedo, pelo e-mail luis.macedo@sistemaocepar.coop.br.

 

 

evento folder 20 03 2022

 

 

SISTEMA OCB I: Cooperativas pedem urgência na aprovação da suplementação orçamentária para o Plano Safra

sistema pln 26 04 2022Em mensagem enviada a diversos parlamentares, o Sistema OCB, em nome das 1,2 mil cooperativas agropecuárias e 775 cooperativas de crédito de todo o Brasil, reforçou o pedido pela aprovação, na próxima sessão do Congresso, do Projeto de Lei de Crédito Suplementar (PLN) 1/2022, que abre crédito extraordinário de R$ 868,4 milhões para ações do Pronaf e de outras operações do Plano Safra. De acordo com a organização, é preciso destravar os recursos do crédito rural, pois somente o adequado funcionamento da atual arquitetura da política agrícola, com volume de recursos e taxas de juros compatíveis, poderá manter o agronegócio brasileiro competitivo no cenário mundial. (Sistema OCB)

FOTO: Jefferson Rudy / Agência Senado

 

SISTEMA OCB II: Prioridades do cooperativismo para o Plano Safra 2022/23

agro 26 04 2022O Sistema OCB participou de reunião, na quarta-feira (20/04), com o Ministério da Economia para tratar do Plano Safra 22/23. Os dirigentes foram recebidos pelo subsecretário de Política Agrícola e Negócios Agroambientais, Rogério Mirando Boueri. Na oportunidade, foram destacadas as prioridades e sugestões do movimento cooperativista para o plano. As demandas foram apresentadas em três diferentes vertentes: fonte de recursos, dotações orçamentárias e normas operacionais. (Sistema OCB)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 

SISTEMA OCB III: Comunicadores apresentam ações para unidades estaduais

Comunicadores do Sistema OCB nacional e estaduais estiveram reunidos, na quarta-feira (20/04), para estreitar laços e intensificar ações de comunicação e marketing digital. O encontro promovido em formato virtual apresentou a nova equipe da Gerência de Marketing e Comunicação da Casa do Cooperativismo, além de reforçar o papel do Conselho de Comunicação e detalhar como é aplicado o Fundo de Comunicação e Marketing do ano. Também foram discutidas as iniciativas em andamento. (Sistema OCB)

{vsig}2022/noticias/04/26/sistema_ocb/{/vsig}

SICREDI: AgTech Garage anuncia startups selecionadas no Intensive Connection 2022

sicredi 26 04 2022O programa Intensive Connection Latam, realizado em parceria entre o AgTech Garage — maior hub de inovação especializado no agronegócio na América Latina — e sete empresas líderes em seus segmentos e com atividades ligadas ao agronegócio, anunciam as 13 startups que farão parte de uma jornada de cooperação de alto nível nos próximos sete meses. 

Seleção - Em conjunto com o AgTech Garage, as empresas brasileiras Suzano, do segmento de papel e celulose, e a instituição financeira cooperativa Sicredi, a companhia americana de máquinas John Deere, a marroquina de fertilizantes OCP, a empresa francesa de saúde animal Ceva, a empresa global de agronegócio e alimentos Bunge e a multinacional alemã de saúde e nutrição Bayer, selecionaram startups com tecnologia de ponta para colaborar com seus desafios de inovação.

Principal programa - Referência no Brasil, o Intensive Connection é o principal programa de inovação aberta no agro do país e chega este ano à sua quarta edição. Ao todo, mais de 200 startups latino-americanas se inscreveram para participar e 33 chegaram a ser finalistas. José Tomé, CEO do AgTech Garage, conta que o número de inscrições para o Intensive Connection se manteve no alto patamar atingido em 2021, de mais de duas centenas de ag&foodtechs, que em sua maioria postularam para mais de um desafio proposto pelas sete diferentes participantes. A Bayer chegou a ter mais de 100 inscrições para seus desafios. John Deere e Sicredi passaram de 80 cada, e a OCP superou as 70 inscrições. 

Competitiva - “Foi uma edição super competitiva e que demandou do nosso time e dos parceiros um trabalho a várias mãos para não perder nenhum detalhe e oportunidade em potencial. Se o parceiro escolhe duas startups para trabalhar com alto nível de engajamento durante o ano, são as startups do Intensive Connection. É motivo de imensa satisfação para nós o grau de comprometimento das companhias com o ecossistema de inovação e com a geração de valor para as startups”, diz. 

Conexões - Hoje, o AgTech Garage já conta com mais de 900 ag&foodtechs conectadas à sua plataforma digital e protagoniza com os parceiros da comunidade uma nova dinâmica em prol da inovação no agronegócio. Henrique Provenzzano, Coordenador de Programas de Inovação Aberta do AgTech Garage, lembra que as startups selecionadas têm acesso via IC a mentorias, networking, eventos exclusivos, conexões e todo o apoio do AgTech Garage e dos parceiros corporativos para aperfeiçoarem suas soluções e ganharem escalabilidade ao longo do programa que visa a potencialização das startups. 

Proximidade - A proximidade entre as companhias e as ag&foodtechs durante o Intensive Connection pode resultar ainda em provas de conceito (POCs), negócios, co-desenvolvimento de novas soluções tecnológicas e até mesmo investimentos, tudo para impulsionar a sustentabilidade e competitividade do agronegócio. O programa Intensive Connection é equity free, ou seja, não requer participação acionária nas startups. 

Integração - Este ano, além de todo este suporte conferido pelo AgTech Garage, será incorporada ao programa a interação de diferentes áreas das companhias com o hub. “Por definição, a inovação aberta vai além dos muros das organizações, mas é preciso intensificar a transformação de dentro para fora. Mantendo contato com as áreas de Recursos Humanos, Jurídico, TI, Comunicação e Suprimentos dos parceiros, queremos ajudar a potencializar a estratégia de inovação desenhada pelos catalisadores e lideranças que já interagem conosco”, diz Provenzzano. 

Encontros presenciais- Outra novidade é a volta dos encontros presenciais entre os catalisadores do programa e o time do AgTech Garage. No primeiro Innovation Talks desta edição, o grupo teve a oportunidade de discutir metodologias de gestão para os projetos e cases de sucesso de edições anteriores frente a frente. “É uma grande oportunidade estarmos presencialmente juntos de novo e um dos focos da conversa foi na gestão ainda mais colaborativa dos projetos do Intensive Connection, com os Innovation Partners compartilhando diferentes metodologias de gestão da inovação”, conta Provenzzano.

Troca de experiências - A troca de experiências entre os parceiros vem ganhando densidade ano a ano, com a maturidade do programa e das empresas participantes (seis já haviam participado de edições anteriores). A mais nova ingressante é a John Deere, que se somou em 2022 ao seleto grupo de empresas que realizam o Intensive Connection ao lado do AgTech Garage.  

Suzano: Profissional florestal no presente e no futuro - Nesta edição do programa, a Suzano buscava soluções para garantir a sustentabilidade das operações e desenvolver profissionais para trabalhar com a floresta 4.0. A empresa, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, selecionou as startups RD3 Digital, uma das pioneiras no desenvolvimento e aplicação de tecnologias de realidade aumentada e virtual no Brasil, e a Oniria, startup de tecnologia que atua no modelo B2B com foco na indústria e oferece treinamentos e serviços de engajamento profissional.  

Superação das expectativas - Gabriel Paulo de Souza, Coordenador de Excelência Operacional Florestal da Suzano, revela que as duas startups selecionadas vieram de um universo de mais de 60 inscritas e superaram as expectativas em relação aos próprios desafios temáticos. “O programa tem se mostrado um ótimo canal de colaboração entre as oportunidades de negócio apresentadas pela Suzano e o ecossistema de inovação aberta. Enxergamos até múltiplas aplicações para as soluções propostas que vão além do desafio apresentado, e mostram grande convergência com as tendências do mercado agro”, afirma. 

Desafio - Segundo ele, o pitch reforçou o interesse das startups no desafio de capacitação e desenvolvimento de profissionais florestais. “A partir de agora, esperamos um alinhamento direto com as startups para desenvolvermos uma POC de sucesso, que gere valor tanto para a Suzano quanto aprendizados e ganhos para as startups selecionadas”, diz.

Sicredi: Impulsionando um futuro sustentável O Sicredi, pautado pelos princípios do cooperativismo e pela sua estratégia de gestão sustentável, selecionou, desta vez, a VEGA e a Busca Terra. As duas startups têm soluções para diagnosticar o potencial do pequeno produtor na geração de créditos de carbono e acesso a Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA). No caso da VEGA, o core é a entrega de dados cadastrais cruzados com uma visão geo espacial das propriedades agrícolas, com o objetivo de fazer a rastreabilidade de origem da cadeia produtiva do agronegócio integrada a indicadores de sustentabilidade dentro de sistemas ERP. Já a Busca Terra é uma agtech que mira a mitigação de riscos em operações financeiras de imóveis rurais por meio da integração, análise e disponibilização de informações sobre estes ativos agrícolas.

Evolução - Para Luis Henrique Veit, superintendente de Agronegócio do Sicredi, fica evidente a evolução na maturidade e qualidade dos pitchs das agtechs nesses quatro anos de parceria com o Agtech Garage. “Foi um grande desafio selecionar apenas duas startups finalistas e nossa régua foi lá no alto. Nós vemos um grande potencial de entrega de resultados nas soluções da VEGA e da Busca Terra, que se conectaram instantaneamente com a estratégia agro do Sicredi, com as iniciativas internas mapeadas e oportunidades identificadas junto aos nossos associados agro”, diz.

Curadoria - Segundo Veit, a participação ativa do AgTech Garage na seleção também foi fundamental para fazer a curadoria das startups. “Vale destacar a excelência do time do AgTech Garage na condução do processo, contribuindo com metodologias e ferramentas de avaliação das startups, que nos auxiliou para a tomada de decisão”, afirma.

OCP: Alimentar o solo para alimentar o planeta - O tema da OCP, por sua vez, foi o da democratização do acesso aos fertilizantes pelo agricultor e apoio à sua digitalização com soluções de marketplace para gerar insights e inteligência de mercado. A partir deste norte, a empresa selecionou a Grão Direto, plataforma líder na comercialização digital de grãos na América Latina, e a Itatijuca, biotech especializada na otimização do uso de microrganismos em processos industriais. 

Benefícios - Ademir Bazzotti, Diretor Logístico da OCP no Brasil, afirma que a expectativa agora é trabalhar junto com as duas startups para desenvolver soluções que tragam benefícios para o produtor rural. “Essas startups encaixam-se perfeitamente na visão da OCP de colocar o produtor no centro das nossas atenções. Acreditamos que, de fato, vamos entregar produtos e serviços que os ajudem a produzir mais – de forma sustentável – e a se antecipar às tendências de mercado, elevando a sua rentabilidade. Além disso, as interações certamente irão trazer aprendizados para as áreas internas da OCP, que estão bastante animadas com os projetos selecionados”, diz Bazzotti.

Confiante - De acordo com o executivo da OCP, a empresa está muito confiante em relação às entregas previstas. “Nesta quarta edição em que a OCP participa do Intensive Connection, atingimos um nível excepcional de startups aderentes ao nosso desafio. Desde a inscrição até o dia da apresentação, pudemos perceber que os líderes das startups preparam-se bem para o programa e realmente querem desenvolver negócios sustentáveis e de valor tendo a OCP como partner of choice”, destaca.

Ceva: Entender para atender - A Ceva, que buscava novos serviços para fidelização de clientes voltados ao bem-estar animal, ambiente e manejo, deu o primeiro passo para se aproximar da eHorus, de inteligência de mercado em tempo real para otimização da tomada de decisões das indústrias e do varejo de bens de consumo, e da VEGA, startup que oferece soluções especializadas em tecnologia, serviços de consultoria setorial e práticas de gestão corporativa para diversos segmentos, também escolhida pelo Sicredi. 

Projetos sólidos - Para Giankleber S. Diniz, Diretor Geral da Ceva no Brasil, as startups selecionadas apresentaram projetos sólidos e com plena capacidade de atender ao desafio proposto pela Ceva, de nada mais nada menos do que transformar dados em informações relevantes para atender seus clientes com excelência. 

Propulsor para inovação - “O Intensive Connection é um importante propulsor para inovação no agronegócio. A cooperação entre empresas e startups contribui para acelerar a digitalização do campo, que é fundamental para atender a crescente demanda do setor. Temos orgulho de apoiar e fazer parte desta iniciativa”, diz. 

Bunge: Os caminhos da nova logística - No caso da Bunge, cujo foco foi em soluções logísticas para otimização, digitalização e sustentabilidade dos seus processos, as startups escolhidas foram Membran-i e  HYPERLINK "https://www.flowls.com/"Flowls. A Membran-i desenvolve soluções tecnológicas e inovadoras para facilitar e simplificar processos de compras, tornando-os mais automatizados, eficientes e assertivos. Enquanto a Flowls fornece soluções para gestão, automação e integração de fluxos de operações de logística e comércio exterior a partir de uma plataforma Saas. 

Qualidade técnica - Makoto Yokoo, Diretor de Logística da Bunge, afirma que a qualidade técnica dos empreendedores participantes foi impressionante. ”Acreditamos que pessoas – mais do que a tecnologia em si – são o principal fator para a transformação digital e ficamos muito entusiasmados ao notar que os empreendedores que selecionamos também acreditam e vivenciam essa crença”, diz.

Otimização dos processos - Ele reforça que a troca com as startups selecionadas poderá contribuir com a otimização dos processos e gerar valor à operação logística da Bunge. “Sabemos que em função do porte e escala da Bunge os desafios são grandes, mas estamos animados com as possibilidades que se abrirão a partir da interação com as startups selecionadas. Temos certeza de que será um processo de aprendizado mútuo, com benefícios para todos os envolvidos”, completa Makoto. 

Bayer: Colaboração de plataformas digitais no campo - Para a Bayer, a jornada segue ao lado da AgTrace e Auravant, que atenderão à demanda da empresa por rastreabilidade e integração de plataformas digitais. A AgTrace é uma plataforma de rastreabilidade e segurança alimentar que digitaliza as informações da cadeia produtiva e facilita a visualização e acompanhamento de processos. Já a argentina Auravant oferece uma plataforma de soluções digitais integrada para produtores e grandes empresas acoplarem diferentes soluções.

Valor - Dirceu Ferreira Junior, Líder de Inovação Aberta na Divisão Agrícola da Bayer para a América Latina, ressalta o valor que a companhia enxerga na cooperação com as startups Latam, o que direcionou inclusive a escolha de uma agtech brasileira e outra argentina. “Tal qual nos anos anteriores, a Bayer tem sido uma empresa âncora, que atrai uma grande quantidade de startups interessadas no programa. Aproveitamos esse bom momento junto com o AgTech Garage para ter uma abrangência maior fora do Brasil e em outros países da América Latina. Queremos abraçar cada vez mais a região”, atesta. O objetivo da Bayer é envolver empresas nascentes em projetos de referência para a companhia, que investe fortemente na inovação aberta. 

Fortalecimento - “O Intensive Connection tem sido um sucesso e nos ajuda a fortalecer um dos principais pilares estratégicos da Bayer, a inovação. Para nós, a inovação aberta possibilita criar novas ferramentas para os desafios atuais. E é com a expertise de startups brilhantes que conseguimos criar, juntos, novas soluções para moldar o futuro da agricultura”, afirma. Em anos anteriores, a Bayer selecionou startups que hoje estão consolidadas no mercado, como a Perfect Flight, Safe Trace, Sensix, Farmbox, Já Entendi e My Farm Agro. 

John Deere: Digitalização no campo, uma visão 360º da operação agrícola - Em seu ano de estreia no Intensive Connection, a John Deere lançou como desafio a digitalização no campo com uma visão 360º da operação agrícola, que foi abraçado pelas startups Cromai e SciCrop, as selecionadas pela companhia. A Cromai, de agricultura de precisão e inteligência computacional, é especializada na identificação de plantas daninhas em lavouras de cana-de-açúcar e está expandindo seu mercado para a soja. Já a SciCrop explora a integração de dados e algoritmos para gerar análises de valor para negócios usando inteligência artificial.

Compromisso - Emanuel Ritter, Gerente de Geração de Valor & Líder de Inovação Aberta da John Deere para a América Latina, reafirma o compromisso da empresa com a geração de valor para o ecossistema empreendedor. Com muita satisfação, ele reforça que a companhia teve 82 startups inscritas no seu desafio e vai continuar monitorando mesmo aquelas que não foram selecionadas desta vez. “Foi uma tarefa árdua selecionar apenas duas startups no Intensive Connection, já que há muitas soluções geniais e que podem gerar muito valor aos produtores”, afirma.  

Projetos e processos - “Agora, estamos ansiosos para iniciar os projetos e processos de mentoria com a Cromai e a SciCrop, para identificar as principais necessidades delas e conectá-las com as áreas internas da John Deere. Essa interação de empresas novas com uma thought leader de mais de 185 anos agrega muito valor a todas as partes envolvidas”, diz.

Provas de conceito - Com o início da fase de projeto, a John Deere também planeja conectar as startups escolhidas a concessionários e clientes, a fim de viabilizar junto delas a execução de provas de conceito no campo focando na geração de valor compartilhado para toda a cadeia do agro, a começar pelo produtor rural. “A John Deere quer ser a ponte entre as soluções inovadoras que irão surgir e as lavouras, principalmente por meio da inovação aberta”, conclui Ritter. 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento de seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Possui um modelo de gestão que valoriza a participação dos mais de 5,5 milhões de associados, que exercem o papel de donos do negócio. Com mais de 2.200 agências, o Sicredi está presente fisicamente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, disponibilizando mais de 300 produtos e serviços financeiros. Site do Sicredi: www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

 

SICREDI INTEGRAÇÃO: Agência é reinaugurada em Paranaguá (PR)

Em março, a Sicredi Integração PR/SC reinaugurou a agência no município de Paranaguá/PR. Presente no município há 14 anos, a unidade foi testemunha das transformações da cidade e colabora diariamente para promoção do desenvolvimento sustentável da sociedade. O novo prédio conta com amplo espaço de relacionamento para atender os públicos PF e PJ. Outra novidade é a área Experiência Sicredi, que torna o atendimento muito mais ágil, porém mantendo o contorno humano. A agência com estacionamento próprio, está localizada na Alameda Cel. Elizio Pereira, 204 – Centro. (Imprensa Sicredi Integração PR/SC)

{vsig}2022/noticias/04/26/sicredi_integracao/{/vsig}

 

COAMO: Óleo de soja e margarina light são destaques em vendas

Com o título “O Triunfo das Campeãs”, a revista Super Hiper, apresentou na edição de março a pesquisa Líderes de Vendas. Esta é a 23ª edição, e a Coamo mais uma vez aparece em destaque com seus produtos. Dessa vez, o Óleo de Soja refinado Coamo ficou em 1º lugar na região Sul do país e em 5º lugar no Brasil. A margarina Coamo light também apareceu em destaque, figurando como a 1ª na grande São Paulo, no interior de São Paulo, Sul do Brasil e em Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal. Além, de ser a 4ª mais vendida do país.

Parceria - Essa pesquisa é realizada em parceria com a NielsenIQ e mostra quem prevaleceu nas preferências dos consumidores brasileiros em 150 categorias de produtos. As principais marcas que foram destaque nas gôndolas dos supermercados em 2021 foram conhecidas no evento de premiação Líderes de Vendas, realizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Segundo a publicação essa é uma forma de homenagear as marcas que lideram as vendas em categorias de alto giro, pertencentes a seis cestas de consumo.

As mais escolhidas - Trata-se de um instrumento para que o varejista tenha conhecimento de quais marcas estão sendo mais escolhidas pelos consumidores brasileiros e, assim, possa ajustar e aperfeiçoar seu sortimento.

Conceituada - Para o gerente Comercial de Alimentos, Wagner Schneider, essa é uma pesquisa conceituada. “É motivo de orgulho para a Coamo ter seus produtos reconhecidos nesta pesquisa que é realizada por empresas sérias. Os alimentos da Coamo têm origem e rastreabilidade, além de qualidade de sabor. Essa é uma forma de comprovar que nossa linha alimentícia agrada o paladar do consumidor final e de que estamos no caminho certo.” (Imprensa Coamo)

{vsig}2022/noticias/04/26/coamo/{/vsig}

AGRÁRIA: Após dois anos, Fundação Cultural volta a celebrar a Maibaumfest em Entre Rios

A Festa da Árvore de Maio, também conhecida como Maibaumfest, é uma tradição suábia que se perpetuou em terras brasileiras através dos imigrantes que chegaram a Entre Rios nos anos de 1950. Trata-se de uma celebração pela chegada da Primavera no Hemisfério Norte. Já no Hemisfério Sul, a festa é realizada para agradecer pelo término da colheita.

Entre Rios - Em Entre Rios, Distrito de Guarapuava (PR), o evento será celebrado pela primeira vez no Centro de Eventos Agrária, no dia primeiro de maio, com início às 10h. Anteriormente, a Praça Nova Pátria, localizada na Colônia Vitória, costumava ser o centro das festividades em alusão à data. A celebração conta com um festival de comidas típicas e muitas apresentações realizadas pelos grupos mantidos pela Fundação Cultural Suábio-Brasileira.

Ponto alto - O ponto alto da festa acontece quando o Maibaum (a árvore de Maio) é erguido na Praça por homens da comunidade. O Maibaum é um mastro de eucalipto enfeitado pelas mulheres da comunidade com guirlandas e fitas. Ele fica exposto durante 30 dias. (Imprensa Agrária)

 

agraria 26 04 2022

 

COOPERATIVAS DE CRÉDITO: Crescimento acelerado e perspectivas para 2022

cooperativas credito 26 04 2022O bom desempenho das cooperativas de crédito durante os últimos anos vem refletindo em um crescimento acelerado do setor neste pós-crise. De acordo com um estudo recente realizado pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, a taxa de sucesso na concessão de crédito para micro e pequenas empresas durante pandemia foi de mais de 31% em cooperativas, contra apenas 12% em bancos privados e 9% em bancos públicos.

Carteira de crédito - “Com a contração do poder de compra, o saldo da carteira de crédito total em 2022 deve apresentar um crescimento de 8,3%, superando as previsões de fevereiro que projetavam uma expansão de 7,6%”, aponta Mauri Alex de Barros Pimentel, professor dos cursos corporativos do Isae Escola de Negócios. Para ele, tal crescimento deve ser puxado, principalmente, pela carteira de recursos livres, podendo chagar a uma alta de até 10,8% no ano.

Evolução - Mas esse acréscimo não é de hoje. No período de 2016 a 2020, a carteira de crédito das cooperativas saiu de 2,74% para 5,1%, superando a casa dos 228 bilhões. “Os números mostram que a crise não foi a responsável pelo crescimento do marketshare das cooperativas, mas sim por evidenciar as vantagens do cooperativismo financeiro para uma parcela maior da sociedade”, conta.

Informações compartilhadas - Além disso, segundo o especialista, o aumento de escopo de informações compartilhadas, proposto pelo Open Banking já para maio de 2022, que além de informações sobre produtos e serviços financeiros tradicionais inclui também dados transacionais sobre câmbio, serviços de credenciamento, investimento, seguros e previdência ofertados pelas instituições financeiras, “tende a promover um substancial aumento da transparência sobre as ofertas do mercado, tornando mais visíveis os diferenciais competitivos do cooperativismo de crédito”.

Educação financeira - Isso acontece porque as cooperativas de crédito estão no centro da estratégia de educação, inclusão financeira e descentralização do Sistema Financeiro Nacional, conforme exposto na Agenda BC# do Banco Central do Brasil, onde estas organizações foram desafiadas a representar mais de 22% do setor financeiro nacional ainda este ano. “A própria autarquia reguladora já reconhece as cooperativas como opção mais adequada para o financiamento da atividade econômica de pequenos negócios, principais atores na geração de empregos no Brasil, em virtude das taxas de juros mais baixas que tem como principal consequência positiva a redução do spread bancário”, diz o docente do Isae.

Tecnologicamente preparadas - Contudo, isso não significa que todas as cooperativas de créditos devem surfar na boa maré. “Para estarem aptas a aproveitar as oportunidades que se apresentam, as cooperativas devem estar tecnologicamente preparadas”, evidencia. “Concentrar-se numa experiência positiva do cooperado, alicerçada nos pilares da conveniência, intuitividade e customização mostram-se cada vez mais atraentes diante das necessidades de consumo atuais e frente a concorrência de players digitais cada vez mais numerosos e diversificados no mercado”, complementa Mauri Alex de Barros Pimentel. (Assessoria de Imprensa)

 

AVESUI: Começa nesta terça-feira a principal feira da indústria latino-americana de aves e suínos

avesui 26 04 2022Tem início, nesta terça-feira 26/04), a AveSui América Latina, principal feira da indústria latino-americana de aves e suínos. A feira retorna ao seu formato presencial e reúne cerca de 100 expositores no Lar Centro de Eventos em Medianeira, região Oeste do Paraná. O evento será aberto a partir das 10 horas e segue até quinta-feira (28/04). A cerimônia que abre oficialmente o evento acontece às 17 horas com a entrega do Prêmio Quem é Quem e transmissão ao vivo.

Visitação gratuita - A visitação ao espaço de feira é gratuita, bastando o visitante que não se credenciou de forma antecipada no site, fazer o seu credenciamento nos totens ou na recepção da AveSui. Na parte da manhã desta terça, haverá ainda a sexta edição do Congresso Brasileiro de Zootecnia de Precisão, que neste ano tem como tema central "Novas Concepções de Infraestrutura - Galpões Inteligentes".

Palco central - A abertura oficial será no palco central do pavilhão do Lar Centro de Eventos, com a presença de autoridades, dirigentes e presidentes das principais cooperativas brasileiras de aves e suínos.

Prêmio - Na cerimônia, também serão conhecidos os vencedores do Prêmio Quem é Quem: Maiores e Melhores Cooperativas Brasileiras de Aves e Suínos. A premiação destaca a atuação das cooperativas, seus técnicos, profissionais e produtores em diversas áreas dentro da cadeia produtiva de proteína animal.

Transmissão - A cerimônia de abertura terá transmissão ao vivo pelo canal TV Gessulli, no YouTube, com retransmissão pelos sites Avicultura Industrial e Suinocultura Industrial.

Feira de Negócios - A AveSui ocorre no maior polo produtor de proteína animal da América Latina. O oeste paranaense tem a presença de algumas das principais cooperativas brasileiras de proteína animal, além de uma localização privilegiada.

Localização do evento - Tendo Medianeira como ponto central, se tem nas proximidades todo o oeste de Santa Catarina e Norte do Rio Grande do Sul, forte produtores de carnes. O município é próximo da fronteira com Argentina e Paraguai, importantes produtores de grãos, assim como todo o Centro-Oeste, especialmente o Mato Grosso do Sul.

Feira - Com um ambiente focado em negócios, a feira integra produtores, agroindústrias e investidores com centenas de empresas de tecnologia para os mais diversos elos da cadeia de proteína animal. Realizada desde 2002, é o principal evento do setor de proteína animal da América Latina. (Assessoria de Imprensa do evento)

AVESUI AMÉRICA LATINA 2022

Data: 26 a 28 de abril

Local: Medianeira (PR)

Realização: Gessulli Agribusiness

Site: www.avesui.com

 

EMBRAPA SOJA: Mariangela Hungria é a única da América do Sul entre os 100 principais cientistas do mundo

embrapa soja 26 04 2022A pesquisadora da Embrapa Soja, Mariangela Hungria, está na primeira posição brasileira e é a única da América do Sul no recém-lançado ranking dos 100 principais cientistas em Fitotecnica e Agronomia (Plant Science and Agronomy), publicado pelo Research.com, um site que oferece dados sobre contribuições científicas em nível mundial. A pesquisadora comemora a participação nesse ranking, mas considera o momento propício para reflexão. “Embora a liderança brasileira em agricultura seja exaltada, o número de pesquisadores brasileiros no ranking da pesquisa em Agronomia é muito pequeno em relação a outros países, por exemplo, EUA (554), Austrália (183), Reino Unido (141). A agricultura do futuro precisa de ciência, de pesquisa. Claramente o ranking indica baixo investimento em pesquisa na agricultura, que precisa ser revertido se não quisermos ser apenas importadores de tecnologias de ponta na agropecuária”, destaca Mariangela Hungria.

Ranking - O ranking considera as contribuições científicas - valores de índice h (quantifica a produtividade e o impacto de artigos científicos mais citados), publicações e citações - coletadas em 6 de dezembro de 2021. Foram analisados perfis de 166.880 cientistas do mundo em 21 nas áreas das ciências, disponíveis no Google Scholar e no Microsoft Academic Graph. Na área de Fitotecnia e Agronomia, foram examinados mais de 2.575 perfis. Neste ranking, constam 36 brasileiros, nove da Embrapa, sendo dois renomados cientistas já falecidos, Nand Kumar Fageria (Embrapa Arroz e Feijão) e Johanna Döbereiner (Embrapa Agrobiologia).

Grupo - Merece destaque ainda o grupo formando por coordenadores do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Microrganismos na Agricultura (INCT), que conta com cinco pesquisadores entre os 13 primeiros colocados no ranking brasileiro e quatro deles são da Embrapa Agrobiologia (Segundo Urquiaga, Robert Michael Boddey, Verônica Massena Reis e Bruno Alves), além de Johanna Döbereiner. Também há pesquisadores da Embrapa em outras áreas das ciências como Ciência Animal e Veterinária. “A colocação dos coordenadores do INCT no topo da pesquisa mundial confirma o impacto e o alto nível de qualidade que a pesquisa brasileira em microrganismos na agricultura tem no mundo. Investimos muito em colaboração, superação de desafios, trabalho em grupo. E acredito que merecemos oportunidades para expressar todo nosso potencial. Só poderemos expressar nosso potencial com um mínimo de investimento que a cada ano torna-se mais difícil”, comenta Mariangela.

Inspiração - De acordo com o site Research, o objetivo da publicação do ranking é inspirar acadêmicos, empresários e tomadores de decisão em todo o mundo a explorar para onde os principais especialistas estão direcionando suas atividades, bem como para fornecer uma oportunidade para toda a comunidade científica identificar quem são os principais especialistas em campos específicos de pesquisa, em diferentes países ou mesmo dentro de instituições de pesquisa.

Atividades de pesquisa - Mariangela conduz pesquisas voltadas para o desenvolvimento de inoculantes à base de bactérias que substituem os fertilizantes nitrogenados e possibilitam uma agricultura mais sustentável. Ela é uma das responsáveis pelo desenvolvimento das tecnologias de inoculação e co-inoculação da soja, o que tem promovido grandes saltos de produtividade no campo: a fixação biológica do nitrogênio (FBN) traz uma economia anual de 14 bilhões de dólares ao Brasil, ao dispensar o uso de adubo nitrogenado.

Outras tecnologias - Além dos trabalhos com soja, Mariangela também coordenou pesquisas que culminaram com o lançamento de outras tecnologias: autorização/recomendação de bactérias (rizóbios) para a cultura do feijoeiro, Azospirillum para as culturas do milho e do trigo e de pastagens com braquiárias e coinoculação de rizóbios e Azospirillum para as culturas da soja e do feijoeiro e melhoria das pastagens.

Currículo - Mariangela possui graduação em Engenharia Agronômica (USP-Esalq), mestrado em Solos e Nutrição de Plantas (USP–Esalq), doutorado em Ciência do Solo (UFRRJ) e pós-doutorado em três universidades: Cornell University, University of California-Davis e Universidade de Sevilla. A pesquisadora é comendadora da Ordem Nacional do Mérito Científico e membro titular da Academia Brasileira de Ciências. É pesquisadora da Embrapa desde 1982 e está lotada na Embrapa Soja, desde 1991. É professora e orientadora da pós-graduação em Microbiologia e em Biotecnologia na Universidade Estadual de Londrina e no curso de Bioinformática na Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Área ambiental e do solo - Mariangela foi representante da área ambiental e do solo da Sociedade Brasileira de Microbiologia por 20 anos, foi a primeira presidente da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo e atuou como vice-presidente e presidente da Relare (Reunião da Rede de Laboratórios para a Recomendação, Padronização e Difusão de Tecnologia de Inoculantes Microbianos de Interesse Agrícola), que reúne representantes da pesquisa, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do setor privado. Também faz parte do comitê coordenador do projeto N2Africa, financiado pela Fundação Bill & Melinda Gates para projetos de fixação biológica do nitrogênio na África, além de projetos com praticamente todos os países da América do Sul e Caribe, além de países da Europa, Austrália, EUA e Canadá.

Reconhecimento anterior - Em novembro de 2020, Mariangela Hungria foi classificada entre os 100 mil cientistas mais influentes no mundo, de acordo com estudo da Universidade de Stanford (EUA). O estudo, intitulado “Updated science-wide author databases of standardized citation indicators”, foi realizado a partir de um banco de dados mundial com sete milhões de cientistas e publicado no prestigioso periódico PLOS Biology. No estudo foram usadas as citações da base de dados Scopus, que atualiza a posição dos cientistas em dois rankings: 1) o impacto do pesquisador ao longo da carreira e; 2) o impacto do pesquisador. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

 

AGRICULTURA: Ministro destaca força do produtor rural na abertura da Agrishow 2022, em Ribeirão Preto (SP)

agricultura 26 04 2022Na abertura da Agrishow, nesta segunda-feira (25/05), em Ribeirão Preto, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes, destacou a força do produtor rural brasileiro e a expansão da produção de trigo no país. O evento teve a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, e demais autoridades do Governo Federal.

Feira - A 27ª edição da feira agrícola, considerada uma das maiores do mundo, ocorre até o dia 29 de abril como palco para lançamentos das principais tendências e inovações para o agronegócio.  

Pandemia - O ministro ressaltou a atuação do agro brasileiro durante o período de pandemia, o qual os produtores rurais mantiveram a produção de forma a abastecer o mercado interno e atender os compromissos internacionais.

Eco de vitória - “Vivemos a pandemia, algo que mexeu com o mundo todo e, claro, com o Brasil. Mas que mexeu pouco com a produtividade do homem do campo, com os homens que constroem este país. A nossa indústria não parou, o nosso produtor não ficou em casa, foi ao campo, como sempre faz, diuturnamente trabalhando. É por isso, com a tecnologia, a ciência, a tenacidade, a persistência do homem do campo e a fé da indústria no homem do campo que o Brasil do campo teve um eco de vitória”, disse o ministro.

Trigo - O trabalho para reduzir as importações de fertilizantes e trigo também foi destacado pelo ministro. A partir de pesquisas da Embrapa, o Mapa aprovou o plano de trabalho para suporte à expansão da produção de trigo na região tropical do Brasil Central com foco em três linhas principais: transferência de tecnologia, caracterização dos municípios produtores e combate à brusone, principal doença limitante da cultura na região.

Setores - As ações de pesquisa e transferência de tecnologia deverão envolver diversos setores da cadeia produtiva de grãos nos estados de São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Bahia.

Produção - Em 2021, a produção brasileira de trigo chegou a 7,7 milhões de toneladas, com importação de outras 6,2 milhões de toneladas. Entre os resultados esperados com a aprovação do Termo de Execução Descentralizada do Trigo Tropical está a expansão da área em 100 mil hectares de trigo na região (25 mil hectares irrigado e 75 mil hectares em sequeiro), produção que pode representar 300 mil toneladas a mais de trigo, desonerando em R$ 450 milhões a balança comercial das importações de trigo no Brasil.

Ambientes de inovação - Durante a feira, o Mapa também fortalece os ecossistemas regionais de inovação agropecuária com a assinatura de Protocolo de Intenções para promoção do Corredor de Inovação Agropecuária do estado de São Paulo com a Secretaria de Estado de Agricultura de São Paulo, Embrapa e Sebrae.

Cidades - Esse ecossistema digital engloba as principais cidades do eixo Piracicaba, Jaguariúna, São Carlos, Campinas e Ribeirão Preto e tem como objetivo o desenvolvimento estratégico da competitividade de empresas em âmbito regional, envolvendo o estímulo à pesquisa, ao desenvolvimento tecnológico, à inovação e ao surgimento de novos negócios voltados à agropecuária brasileira, contribuindo para o incremento da renda e bem-estar social. Ao longo da programação desta segunda-feira, ainda será realizado um workshop com os principais atores do ecossistema agro da região.

Agritechs - Para as agritechs brasileiras, na quarta-feira (27/04), na Agrishow, também terá o lançamento do estudo de oportunidades dessas empresas para o mercado argentino. Além de acompanhar as discussões, as startups interessadas poderão participar de rodada de negócios com a consultoria autora do estudo. Inscrições em https://bit.ly/3EyzFSr. (Mapa)

FOTO: Isac Nóbrega / PR

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial tem superávit de US$ 19,26 bilhões no ano, até quarta semana de abril

comercio exterior 26 04 2022A balança comercial brasileira fechou a quarta semana do mês de abril com superávit de US$ 19,26 bilhões no acumulado do ano, em alta de 13,7% sobre o período de janeiro a abril de 2021, pela média diária. As exportações já cresceram 22,5% em 2022 e somaram US$ 93,93 bilhões, enquanto as importações subiram 25% e totalizaram US$ 74,67 bilhões. A corrente de comércio (soma de exportações e importações) aumentou 23,6%, atingindo US$ 168,60 bilhões, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia divulgados nesta segunda-feira (25/04).

Acumulado do mês - No acumulado do mês, o superávit é de US$ 7,46 bilhões, com crescimento de 7% sobre a medida diária de abril do ano passado. A corrente de comércio atinge US$ 35,84 bilhões, em alta de 21,4%, refletindo os aumentos de 18,7% das exportações, que somaram US$ 21,65 bilhões, e de 25,9% das importações, que totalizaram US$ 14,19 bilhões.

Quarta semana de abril - Apenas na quarta semana de abril, a balança comercial registrou superávit de US$ 2,033 bilhões e a corrente de comércio chegou a US$ 10,235 bilhões – resultado de exportações no valor de US$ 6,134 bilhões e importações de US$ 4,101 bilhões.

Exportações no mês - O desempenho das exportações em abril mostra crescimento de 6,9% na Agropecuária, que somou US$ 5,76 bilhões; recuo de 9,5% na Indústria Extrativa, que ficou em US$ 4,23 bilhões; e aumento de 42,9% na Indústria de Transformação, que alcançou US$ 11,57 bilhões.

Agropecuária - Na Agropecuária, destacaram-se as vendas de milho não moído, exceto milho doce (+275,3%), café não torrado (+50%) e soja (+2,7%). A Indústria Extrativa, apesar da queda no valor total, aumentou as vendas de outros minerais em bruto (+37%), minérios de níquel e seus concentrados (+178,1%) e óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+25,8%).

Indústria de Transformação - Já na Indústria de Transformação, cresceram principalmente as exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada (+76,6%), farelos de soja e outros alimentos para animais – excluídos cereais não moídos –, farinhas de carnes e outros animais (+60,5%) e óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+70,8%).

Importações do mês - Do lado das importações, até a quarta semana de abril, a Secex registrou crescimento nos três setores. O aumento foi de 28,5% na Agropecuária, que somou US$ 344,41 milhões em compras do exterior; de 24,1% na Indústria Extrativa, que chegou a US$ 822,45 milhões; e de 26,9% na Indústria de Transformação, que atingiu US$ 12,90 bilhões.

Destaques - Os destaques na Agropecuária foram os aumentos das importações de trigo e centeio, não moídos (+20,8%), milho não moído, exceto milho doce (+219,6%) e soja (+146%). Na Indústria Extrativa, aumentaram principalmente as compras de fertilizantes brutos, exceto adubos (+144,3%), carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (+56,2%) e gás natural, liquefeito ou não (+87,9%).

Entradas - Para a Indústria de Transformação, aumentaram as entradas de óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+68,8%), compostos organo-inorgânicos, compostos heterocíclicos, ácidos nucléicos e seus sais, e sulfonamidas (+64,7%) e adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos (+258,3%). (Ministério da Economia)

Veja os principais resultados da balança comercial

FOTO: Pixabay

 

FOCUS: Mercado financeiro aumenta pela 15ª vez projeção para inflação em 2022

focus 26 04 2022O mercado financeiro aumentou pela 15ª semana seguida a previsão de inflação de 2022. De acordo com projeção do Boletim Focus, divulgada nesta terça-feira (26/04) pelo Banco Central, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar o ano com alta de 7,65%. Há uma semana, a projeção para o índice estava em 7,46%, e há quatro semanas, em 6,86%.

Instituições de mercado - O Boletim Focus reúne a projeção de cerca de 100 instituições do mercado para os principais indicadores econômicos do país. É publicado semanalmente. Para 2023, o mercado mantém, também, a expectativa de alta da inflação. A projeção da variação do IPCA passou dos 3,91% projetados há uma semana, para 4%, conforme o boletim publicado hoje pela autoridade monetária. Há quatro semanas, a projeção estava em 3,80% para a inflação do próximo ano.

2024 - Alta também para a previsão inflacionária de 2024. De acordo com o mercado financeiro, a inflação ficará em 3,20%, ante aos 3,16% projetados na semana passada. Há quatro semanas, a previsão era de que 2024 terá uma inflação de 3,20%. Para 2025, a projeção se mantém estável há 41 semanas, em 3%.

PIB - O Boletim Focus desta semana aumentou a projeção do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) de 0,56% (previsão há uma semana) para 0,65%. Há quatro semanas, a previsão era de um PIB de 0,50%.

Próximos anos - Para 2023, a previsão é de crescimento de 1% no PIB. Há uma semana, o percentual estava em 1,12%; e há quatro semanas, em 1,30%. Já para 2024 e 2025, a previsão se manteve estável em 2%.

Taxa de juros - O mercado financeiro prevê aumento da taxa básica de juros (Selic) para 2022. Há quatro semanas, a previsão era de 13%, passando para 13,05% ao ano, há uma semana. No boletim divulgado hoje, a previsão é de que a taxa feche o ano em 13,25% ao ano.

Estável - Para 2023, a expectativa se mantém estável em 9% ao ano. Também há previsão de estabilidade da taxa em 2024 (7,50% ao ano) e em 2025 (7% ao ano).

Dólar - A estimativa para a cotação do dólar apresentou queda pela quinta semana consecutiva, com a previsão que feche 2022 a R$ 5, ante aos R$ 5,10 previstos há uma semana e aos R $5,25 previstos há quatro semanas.

Estimativa - De acordo com o Focus, o dólar fechará 2023 cotado a R$ 5. Há uma semana, a previsão era de que a moeda norte-americana fecharia o ano com uma cotação de R$ 5,15. Há quatro semanas, a expectativa era de que a moeda apresentaria a cotação de R$ 5,20.

Queda - Há expectativa de queda também para os anos de 2024 e 2025. A projeção para 2024 é que a moeda feche o ano em R$ 5,05. Há uma semana, o mercado trabalhava com a expectativa de que o dólar fechasse 2024 custando R$ 5,15; e há quatro semanas, a cotação projetada estava em R $5,20. Para 2025, a expectativa, estável há quatro semanas em R$ 5,20, caiu para R$5,10, segundo o boletim mais recente. (Agência Brasil)

 

ECONOMIA I: MP do Crédito quer alavancar R$ 23 bi em financiamentos

economia 26 04 2022Uma medida provisória (MP) publicada nesta segunda-feira (25/04) no Diário Oficial da União pretende usar recursos de fundos garantidores (fundos que servem para cobrir eventuais calotes) para alavancar (servir de base) até R$ 23 bilhões em financiamentos para empresas. Chamada de MP do Crédito, a MP 1.114/2022 integra o Programa Crédito Brasil Empreendedor.

Alterações - Sem resultar em gastos adicionais para o Tesouro Nacional, a MP altera regras do Fundo Garantidor de Habitação Popular (FGHab), do Fundo Garantidor de Risco de Crédito para Micro, Pequenas e Médias Empresas e do Fundo Garantidor do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (Peac).

Facilidade - As regras facilitam a utilização desses fundos para cobrir a inadimplência de empresas que conseguem crédito, o que agiliza a liberação de crédito pelos bancos.

Recursos - Dos R$ 23 bilhões que servirão para alavancar o crédito, R$ 21 bilhões vêm do Programa Emergencial de Acesso a Crédito Fundo Garantidor para Investimentos (Peac-FGI).

Demais - Os R$ 2 bilhões restantes vêm do FGHab. A MP também permite que operações de crédito contratadas por meio do Programa Casa Verde e Amarela sejam cobertas pelo Fundo Garantidor de Habitação Popular.

Parados - “São recursos que estavam parados nos bancos. O Tesouro não terá desembolso. Com as medidas, o crédito foi ampliado e atinge um leque maior de empreendedores. Estamos democratizando o acesso das MPEs [micro e pequenas empresas] ao crédito em condições antes disponíveis apenas para empresas maiores”, destacou, em nota, a secretária especial de Produtividade e Competitividade, Daniella Marques.

Exigência - O Ministério da Economia também informou que dispensou a exigência de certidões negativas de débito para que as empresas tenham acesso a operações de crédito.

Dificuldade - “Hoje, a principal dificuldade dos empreendedores para terem acesso ao crédito é a falta de garantias. O governo federal bancará essas garantias como forma de destravar a liquidez dos bancos para que mais empreendedores tenham acesso ao crédito”, acrescentou o comunicado da pasta.

Pronampe - O programa lançado hoje, em Brasília, também reeditou o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que forneceu crédito a negócios de pequeno porte em 2020 e 2021. No início do mês, o Congresso tinha aprovado a extensão do Pronampe até dezembro de 2024.

Movimentação - Segundo o Ministério da Economia, o Pronampe pode movimentar até R$ 50 bilhões em crédito neste ano ao ser associado ao Programa Crédito Brasil Empreendedor. A maior parte desse total virá dos bancos, informou o Ministério da Economia.

Outras medidas - Também foi lançado nesta segunda-feira, em Brasília, o Programa de Estímulo ao Crédito (PEC), destinado a pessoas físicas ou jurídicas com receita bruta de até R$ 300 milhões por ano. O Ministério da Economia estima que, até o fim do ano, esse programa libere R$ 14 bilhões em crédito para as empresas, principalmente de médio porte.

Alíquota - O pacote também inclui a redução a zero da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) até o fim de 2023 para operações do Peac, do Pronampe e do PEC. O corte está oficializado desde o fim de março, quando o presidente Jair Bolsonaro publicou decreto com a medida.

Juros - O Programa Emergencial de Acesso a Crédito – Fundo Garantidor para Investimentos (Peac-FGI) terá juros máximos de 2,8% ao mês. No entanto, segundo o Ministério da Economia, na média ponderada as taxas precisarão ficar entre 1,5% e 1,75% ao mês, dependendo da modalidade, do perfil de empresa e do prazo da operação de crédito. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

ECONOMIA II: Confiança dos consumidores avança 3,8 pontos em abril, diz FGV

economia I 26 04 2022O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) avançou 3,8 pontos em abril, para 78,6 pontos, o maior nível desde agosto de 2021 (81,8 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice variou 1,5 ponto, para 77,1 pontos.

Divulgação - Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (25/04) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Resultados - Segundo a coordenadora das Sondagens, Viviane Seda Bittencourt, os resultados positivos deste mês parecem estar relacionados ao fim do surto da variante Ômicron e ao anúncio de um pacote de medidas para aliviar a pressão da inflação e dos juros sobre as finanças familiares com a liberação de saques do FGTS, antecipação do décimo terceiro salário de aposentados e facilitação de acesso ao crédito.

Cautela - “Houve diminuição do pessimismo com relação ao mercado de trabalho mas a alta da inflação e os juros elevados ainda preocupam as famílias, que continuam cautelosas com relação à realização de compras de alto valor”, disse, em nota, a pesquisadora.

Influências - Em abril, a alta do ICC foi influenciada tanto pela melhora das avaliações sobre a situação atual quanto das expectativas para os próximos meses. O Índice de Situação Atual (ISA) subiu 3,8 pontos, para 69,1 pontos e o Índice de Expectativas (IE) avançou 3,6 pontos, para 86,1 pontos, ambos alcançam os melhores resultados desde agosto de 2021 (69,8 e 90,9 pontos, respectivamente).

Situação financeira das famílias - Segundo o Ibre/FGV, nas avaliações sobre o momento, o destaque foi a melhora das avaliações dos consumidores com relação à situação financeira das famílias, cujo indicador subiu 5,5 pontos, para 62,4 pontos, maior nível desde outubro de 2021 (63,8 pontos). Houve melhora também da percepção o estado geral da economia. Neste caso, o indicador aumentou dois pontos, para 76,4 pontos.

Quesitos - Entre os quesitos que compõem o ICC, o indicador que mede a perspectiva sobre a situação econômica geral nos próximos meses foi o que mais influenciou a alta da confiança no mês ao variar 8,3 pontos, para 101,6 pontos. Pelo terceiro mês houve melhora das expectativas para as finanças familiares, com alta de 1,2 ponto no indicador, para 90,9 pontos.

Intenção - De acordo com a pesquisa, apesar do resultado positivo das perspectivas sobre economia e finanças familiares, a intenção de compras de bens duráveis segue fraca e com tendência indefinida. (Agência Brasil)

FOTO: Fernando Frazão / Agência Brasil

 

ECONOMIA III: Poupança tem retirada líquida de R$ 46,3 bi até metade de abril

economia II 26 04 2022A aplicação financeira mais tradicional dos brasileiros está batendo recorde de retiradas em 2022. Até 14 de abril, os brasileiros sacaram R$ 46,29 bilhões a mais do que depositaram na caderneta de poupança, informou nesta segunda-feira (25/04) o Banco Central (BC).

Paralisada - Por causa da greve dos servidores do BC, a divulgação do relatório estava paralisada. Com a suspensão do movimento na semana passada, a apresentação de estatísticas está sendo gradualmente retomada.

Valores - Apenas em março, os brasileiros sacaram R$ 15,36 bilhões a mais do que depositaram na poupança. A retirada líquida é a maior registrada para o mês, desde o início da série histórica, em 1995. Nos 14 primeiros dias de abril, os saques superaram os depósitos em R$ 5,92 bilhões.

Primeiros meses - Tradicionalmente, os primeiros meses do ano são marcados pelo forte volume de saques na poupança. O pagamento de impostos e despesas como material escolar e parcelamentos das compras de Natal impactam as contas dos brasileiros no início de cada ano.

2020 - Em 2020, a poupança registrou captação líquida (depósitos menos saques) recorde de R$ 166,31 bilhões. Contribuiu para o resultado a instabilidade no mercado de títulos públicos no início da pandemia de covid-19 e o pagamento do auxílio emergencial, que foi depositado em contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal.

Ano passado - No ano passado, a poupança tinha registrado retirada líquida de R$ 35,5 bilhões. A aplicação foi pressionada pelo fim do auxílio emergencial, pelos rendimentos baixos e pelo endividamento maior dos brasileiros. A retirada líquida – diferença entre saques e depósitos – só não foi maior que a registrada em 2015 (R$ 53,57 bilhões) e em 2016 (R$ 40,7 bilhões). Naqueles anos, a forte crise econômica levou os brasileiros a sacarem recursos da aplicação.

Rendimento - Até recentemente, a poupança rendia 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia). Desde dezembro do ano passado, a aplicação passou a render o equivalente à taxa referencial (TR) mais 6,17% ao ano, porque a Selic voltou a ficar acima de 8,5% ao ano. Atualmente, os juros básicos estão em 11,75% ao ano.

Juros - O aumento dos juros, no entanto, foi insuficiente para fazer a poupança render mais que a inflação, provocando a fuga de alguns investidores. Nos 12 meses terminados em março, a aplicação rendeu 4,34%, segundo o Banco Central. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), que mede a inflação oficial, atingiu 11,3%. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: Comissão debate aprendizagem e inclusão social

legislativo 26 04 2022A comissão especial destinada a analisar o Projeto de Lei 6461/19, que institui o Estatuto do Aprendiz, realiza audiência pública nesta terça-feira (26/04) sobre os desafios da aprendizagem numa perspectiva de inclusão social.

Local - O debate será realizado no plenário 7, às 15 horas, e poderá ser acompanhado de forma interativa pelo portal e-Democracia.

Estatuto do Aprendiz- O deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), que propôs a realização da audiência, lembra que a proposta que cria o Estatuto do Aprendiz objetiva não só atualizar essas normas, mas também aprimorá-las, aperfeiçoando os termos atualmente em vigor.

Importância social - "Dada a importância social de aperfeiçoar profissionalmente os adolescentes e jovens para que tenham melhores oportunidades de emprego no futuro e consequentemente maior subsistência financeira, afastando-se assim essas pessoas da tentação da criminalidade para conseguir recursos, é que se busca desburocratizar e modernizar a contratação de aprendizes", disse o deputado.

Debate - Bertaiolli disse que a audiência vai debater o projeto de lei com todos os atores envolvidos nessa relação de trabalho, tais como as entidades certificadoras, as confederações e federações, as entidades que compõem o Sistema S, governo federal, Poder Judiciário e Ministério Público, bem como com os próprios aprendizes e com representantes patronais.

Presenças confirmadas - Confirmaram presença na audiência:

– o presidente da Fundação Movimento Universitário de Desenvolvimento Econômico e Social , Cleto de Assis;

– o presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), Diego Bezerra Alves;

– o coordenador da Rede Peteca, Programa de Educação contra A Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente, Antonio de Oliveira Lima; e

– a diretora de Recursos Humanos da Unilever Brasil, Ana Paula Franzoti. (Agência Câmara de Notícias)

Confira a lista completa de convidados

FOTO: Reprodução / TV Câmara

 

SAÚDE I: Brasil tem 6.456 casos e 76 mortes pela doença

A soma de pessoas contaminadas pelo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 30.355.919. Em 24 horas, foram confirmados 6.456 casos de covid-19, segundo o sistema de informações do Ministério da Saúde.

Acompanhamento - O número de casos em acompanhamento de covid-19 é de 281.384. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta e nem resultaram em morte.

Vidas perdidas - A quantidade de vidas perdidas por causa de problemas relacionados à covid-19 alcançou 662.722. Entre domingo e segunda-feira (24 e 25/04), foram registradas 76 mortes.

Investigação - Ainda há 3.135 mortes em investigação. As mortes em investigação ocorrem pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demandar exames e procedimentos posteriores.

Recuperadas - Segundo o boletim, 29.411.813 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 96,9% dos infectados desde o início da pandemia.

Atualização - Os dados estão na atualização do Ministério da Saúde divulgado nesta segunda-feira (25/04). Nela, são consolidadas as informações enviadas por secretarias municipais e estaduais de Saúde sobre casos e mortes associados à covid-19. Os dados de mortes no Mato Grosso do Sul não foram incluídos no balanço de hoje.

Números - Os números em geral são menores aos domingos, segundas-feiras ou nos dias seguintes aos feriados em razão da redução de equipes para a alimentação dos dados. Às terças-feiras e dois dias depois dos feriados, em geral, há mais registros diários pelo acúmulo de dados atualizado.

Estados - Segundo o balanço do Ministério da Saúde, o estado de São Paulo é o que registra o maior número de casos, com 5,36 milhões, seguido por Minas Gerais (3,35 milhões) e Paraná (2,44 milhões). As unidades da Federação com menor número de casos sã Acre (124.670), Roraima (155.670) e Amapá (160.380).

Mortes - As unidades da Federação com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão os estados de São Paulo (168.009), de Rio de Janeiro (73.233), de Minas Gerais (61.227), do Paraná (43.075) e do Rio Grande do Sul (39.255).

Menos - Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (2.000), Amapá (2.130), Roraima (2.147), Tocantins (4.150) e Sergipe (6.342).

Vacinação - Até esta segunda-feira, foram aplicados 410,9 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 174,4 milhões com a primeira dose, 153,7 milhões com a segunda dose e 4,8 com a dose única. Mais 73,7 milhões receberam a dose de reforço e 3,1 milhões, a dose adicional. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2022-04-24 at 17.22.18

SAÚDE II: Paraná não registra mortes por Covid-19 há três dias, aponta boletim

saude II 25 04 2022Dados preliminares da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) coletados nesta segunda-feira (25/04) apontam que o Paraná não registra mortes em decorrência da Covid-19 desde sexta-feira (22/04). As informações são do sistema estadual Notifica Covid, alimentado diariamente pelos municípios, e podem sofrer alterações ou registros retroativos. O boletim de sábado trouxe apenas óbitos retroativos.

Casos confirmados - Já com relação aos casos confirmados da doença, o novo boletim registra 841 novos diagnósticos. Destes, 269 são retroativos e foram notificados entre 18 de julho de 2020 e 21 de março deste ano; 341 são foram confirmados entre os dias 4 e 23 de abril; e 231 foram diagnosticados nas últimas 24 horas. Agora, o Paraná soma 2.433.060 casos e 42.842 óbitos.

Mortes - Ainda segundo os dados da Sesa, 360 municípios (mais de 90% do Estado) não registraram mortes por Covid-19 este mês, e 98 estão sem óbitos pela doença desde o ano passado.

Média móvel - A média móvel de casos aumentou 13% em relação a 14 dias atrás, o que configura estabilidade. A média móvel de mortes caiu 47,8% e atualmente é de 1 por dia.

Internados - 158 pacientes com diagnóstico confirmado ou suspeito de Covid-19 estão internados em leitos SUS (68 em UTIs e 90 em leitos clínicos/enfermaria).

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 10.866 casos de residentes de fora do Estado – 233 pessoas foram a óbito. (Agência Estadual de Notícias)

Confira o relatório completo AQUI.

Confira o relatório de ajustes e exclusões AQUI.

 

SAÚDE III: Estado recebe 59.750 vacinas contra a Covid-19 para a dose de reforço

saude III 26 04 2022A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) recebeu nesta segunda-feira (25/04) mais 59.750 vacinas contra a Covid-19. De acordo com o 99º Informe Técnico, as doses da Janssen são destinadas para a dose de reforço (DR) da população acima de 18 anos.

Desembarque - As vacinas desembarcarem no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, às 11h35, no voo LA-3514 e já estão no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba. Elas serão conferidas e, nos próximos dias, distribuídas às Regionais de Saúde.

Sem óbitos - “Há dois dias não são registrados óbitos no sistema Estadual Notifica Covid-19. Graças às vacinas, a doença não está evoluindo para um estágio mais grave. Neste momento, a vacina é nossa maior aliada no combate ao coronavírus, por isso a importância em continuarmos com a imunização da população", disse o secretário de Estado da Saúde, César Neves.

Doses aplicadas - As prefeituras do Paraná já aplicaram 24,2 milhões de doses, sendo 9,9 milhões de primeiras doses, 8,9 milhões de segundas doses, 333 mil doses únicas, 4,5 milhões doses de reforço (terceira dose) e 158 mil segundas doses de reforço (quarta dose). A média de vacinação do Estado segue acima da média nacional. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Danilo Avanci / Sesa

 

SAÚDE IV: Paraná não registra transmissão originária de malária há dois anos

saude IV 26 04 2022A Secretaria estadual da Saúde celebrou, nesta segunda-feira (25/04), o Dia Mundial da Luta contra a Malária, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com a finalidade de reconhecer o esforço global para o controle da doença.

Sem registro - Embora não exista um contexto endêmico no Paraná, que não registra há dois anos transmissão originária (local) no Estado, o cuidado ainda é recomendado, principalmente a viajantes de locais que tenham altos índices do parasita, como a região amazônica, responsável por 89% de casos importados.

Estados - Em relação aos estados, o Amazonas foi origem de 23% dos casos registrados no Paraná, seguido por Rondônia, com 21%, segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan Net).

2021 - Em 2021, foram confirmados 44 casos no Paraná, com Curitiba e Foz do Iguaçu registrando os maiores índices, seis e oito diagnósticos, respectivamente. Já de acordo com os dados preliminares deste ano, 12 registros da doença foram confirmados. Um dado importante é referente ao perfil dos casos. Neste período, 77% corresponderam ao sexo masculino, com a faixa etária entre 25 e 44 anos, representando maior ocorrência.

Espécie mais comum - A espécie parasitária mais comum no Estado é o Plasmodium vivax, com uma taxa de 77% das incidências.

Atenção - O secretário de Estado da Saúde, César Neves, relembrou que a atenção para os sintomas é fundamental para o rápido diagnóstico. “Mesmo não tendo casos de transmissão no Paraná, é importante ressaltar o cuidado para os sintomas da doença, principalmente para as pessoas que viajam a regiões de maior incidência, como Amazônia ou países da África. Nosso Estado possui medicamentos antimaláricos nas farmácias especiais das Regionais de Saúde, além do exame laboratorial específico para sua detecção”, ressaltou.

Transmissão - Transmitida por meio da picada de um mosquito Anopheles infectado, a malária segue como uma das principais causas de morte no mundo. Em estudo recente divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foram registrados, em 2020, 241 milhões de casos da doença e 69 mil óbitos.

Sintomas - Os sintomas mais comuns da malária são febre alta, calafrios, tremores, sudorese (produção e liberação de suor), e dor de cabeça. Caso a pessoa apresente sintomas após uma viagem para alguma região com notificações de transmissão da doença, é recomendado que o paciente vá à unidade de pronto atendimento mais próxima e informe o profissional de saúde sobre seu deslocamento, para que possa ser realizado o diagnóstico.

Períodos febris - Tipicamente, o paranaense que apresenta a malária pela primeira vez não possui, inicialmente, um ciclo intermitente típico da doença, mas sim períodos febris diários, com a manifestação mais incisiva dos sintomas após alguns dias. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 


Versão para impressão


RODAPE