Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5371 | 27 de Julho de 2022

EILAC: XII Encontro Latino-Americano de Pesquisadores do Cooperativismo inicia nesta quarta-feira, em Curitiba

 

eilac 25 07 2022Tem início, na tarde desta quarta-feira (27/07), o XII Encontro Latino-Americano de Pesquisadores do Cooperativismo (Eilac), que será realizado até sexta-feira (29/07), na Escola de Negócios da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba. O evento conta com o apoio do Sistema Ocepar. O superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), Leonardo Boesche, irá representar o presidente da entidade, José Roberto Ricken, na abertura. O evento ocorrerá em formato híbrido e poderá ser acompanhado ao vivo por meio do link: https://eilac2022.ciente.live/.

 

Tema central - Esta edição tem como tema central “O futuro das cooperativas e o cooperativismo do futuro: identidade e resiliência em tempos de (pós)pandemia”. De acordo com os organizadores, a motivação para esta temática advém da reflexão sobre o momento ímpar que estamos vivendo e os desafios e as oportunidades impostas por ele. Criatividade, resiliência e formas de sociabilidade mais solidárias se impõem para a superação de uma crise de tamanha envergadura. Nesse processo, a consolidação de uma identidade cooperativa solidária, capaz de fortalecer as capacidades dos sujeitos e a sustentabilidade do meio ao qual as cooperativas estão inseridas, pode impulsionar dinâmicas econômicas e sociais de grande alcance, atenuando os efeitos da crise.

 

Rádio PR Cooperativo - Clique aqui e confira a entrevista com o coordenador geral do evento, o professor da USP, Davi Rogério de Moura Costa, concedida ao jornalista Alexandre Salvador para a rádio PR Cooperativo.

 

FORMAÇÃO: Sescoop/PR promove live para esclarecer dúvidas sobre a pós-graduação em Gestão de Talentos e Comportamento Humano

formacao 27 07 2022Profissionais das cooperativas do Paraná inscritos na pós-graduação em Gestão de Talentos e Comportamento Humano tiveram a oportunidade de esclarecer suas dúvidas sobre a formação durante uma live promovida pelo Sescoop/PR, no dia 22 de julho. Foram ao todo 146 participantes.

Iniciativa - O curso será ofertado pelo Sistema Ocepar, em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR). As inscrições foram encerradas com 240 inscritos. Eles deverão passar por um processo seletivo conduzido pela UFPR. Serão formadas duas turmas, sendo que a primeira tem o início das aulas previsto para o dia 26 de agosto e a segunda para o dia 17 de outubro. As aulas serão assíncronas, pela plataforma Zoom.

Objetivo - A pós-graduação tem como objetivo discutir conceitos inovadores da área de Gestão de Pessoas, talentos e comportamento humano, proporcionando o desenvolvimento dos profissionais para liderarem e aplicarem o conhecimento em situações desafiadoras, embasando assim, tomadas de decisões mais assertivas no ambiente empresarial.

Disciplinas - O curso irá abordar as seguintes disciplinas: Gestão Estratégica; Gestão Estratégica de Pessoas e Competências; Os Desafios da Gestão de Pessoas; Processo Decisório em Gestão de Pessoas; Atração e Retenção de Talentos; Carreira e Diversidade; Treinamento e Desenvolvimento; Cargos e Salários; Remuneração e Gestão do Desempenho Humano; Saúde, Segurança e Qualidade de Vida no Trabalho; Saúde Mental, Assédio e Relações Sindicais; Comunicação, Conflito e Clima Organizacional; Liderança, motivação e Gestão de Equipes e Jogos de Empresas.

Metodologia - Os conteúdos serão trabalhados utilizando diferentes metodologias, como Design Thinking, Modelo de Solução de Problemas, Scrum e Kanban Board. Ao final, os alunos deverão fazer a entrega individual de um artigo que deverá servir como um projeto a ser implementado na cooperativa que atua.

 

SISTEMA OCB I: Inscrições ao Prêmio SomosCoop Melhores do Ano podem ser feitas até 1º de setembro

premio somos coop destaque 27 07 2022Prosseguem abertas, até o dia 1º de setembro, às 18h, horário de Brasília (DF), as inscrições para a 13ª edição do Prêmio SomosCoop Melhores do Ano, realizado sempre em anos pares para reconhecer boas práticas das cooperativas. Ao todo, são seis categorias: Comunicação e Difusão do Coop; Coop Cidadã; Desenvolvimento Ambiental; Fidelização; Inovação; e Intercooperação.

Comunicação e Difusão do Cooperativismo - A categoria Comunicação e Difusão do Cooperativismo contempla as coops que promovem a cultura do cooperativismo também para a sociedade. Os cases vão desde o selo SomosCoop nos produtos da cooperativa até a promoção de cursos, palestras, eventos, campanhas e demais ações que divulguem o movimento cooperativista como um todo.

Coop Cidadã - Coop Cidadã é voltada para os projetos que beneficiem a comunidade onde a cooperativa está inserida. Podem concorrer cases envolvidos com atividades culturais e recreativas, de promoção social e consciência ambiental. Também podem ser inscritas as ações realizadas no Dia de Cooperar, o Dia C.

Desenvolvimento Ambiental - A categoria Desenvolvimento Ambiental é direcionada a projetos de boas práticas ambientais desenvolvidas por cooperativas e que tenham sido estratégicos para o uso consciente dos recursos naturais, seja por meio recuperação de nascentes, reutilização de recursos, reciclagem e outras ações que preservem o meio ambiente.

Fidelização - Já Fidelização reconhece as boas práticas das cooperativas que promovem maior integração com seus cooperados. Por exemplo, melhorando o espaço físico e formas de atendimento, ampliando e ofertando melhorias dos serviços, bem como aumentando o uso dos serviços oferecidos aos cooperados.

Inovação - O prêmio para a categoria Inovação é atribuído às soluções que promovem mudanças na rotina diária das coops como a modernização de produtos e serviços, técnicas e ferramentas de gestão da inovação e outras ações que viabilizem melhores resultados financeiros e ganho de produtividade.

Intercooperação - Na categoria Intercooperação, o intuito é premiar projetos desenvolvidos de forma conjunta, realizados por duas ou mais cooperativas, que viabilizem objetivos comuns. Por exemplo, a compra de insumos ou serviços, comercialização conjunta de produtos, implantação de projetos, e troca de experiências e boas práticas de gestão.

Inscrições - As cooperativas registradas e regulares no Sistema OCB podem se inscrever no site do prêmio. Cada cooperativa pode concorrer com um case por categoria: https://melhores.premiosomoscoop.coop.br/.

Premiação - O evento está previsto para o dia 7 de dezembro, em Brasília/DF. Neste ano, além do troféu, as primeiras colocadas serão contempladas com duas vagas para um intercâmbio cooperativista.

Link - Acesse https://melhores.premiosomoscoop.coop.br/ e inscreva a sua cooperativa! (Sistema OCB)

 

 

SISTEMA OCB II: Comitês de Jovens e Mulheres recebem novos integrantes

sistema ocb 27 07 2022Na quinta-feira passada (21/07), o Sistema OCB realizou a acolhida dos novos integrantes dos Comitês de Jovens Geração C e de Mulheres Elas pelo Coop. Participaram da reunião representantes das unidades estaduais, membros efetivos dos Comitês e novos integrantes indicados para atuar a partir deste mês de julho. Atualmente o Comitê de Jovens é composto por 18 participantes que representam 15 estados, e o de Mulheres por 25 integrantes de 20 estados.

Atuação - Débora Ingrisano, gerente de Desenvolvimento de Cooperativas, destacou a importância dos grupos para a atuação do Sistema OCB. “Temas como a diversidade e a sucessão estão entre as pautas prioritárias da Agenda ESG e têm tudo a ver com estes comitês. O Sistema OCB vai contar muito com o apoio dos comitês para avançar na promoção de um cooperativismo ainda mais justo e inclusivo”.

Acolhida - Alana Souza, da Cooperativa dos Educadores Autônomos de Castanhal (CEAC), umas das novas integrantes do Comitê de Jovens e uma das representantes do Pará, relata que a acolhida foi uma ótima forma de dar o seu primeiro passo e já começou a entender que todos os integrantes estão alinhados em um mesmo propósito e objetivo. “Estou muito empolgada e com ideias para levar ao comitê, desempenhando assim, um bom trabalho para ajudar cada vez mais na disseminação do cooperativismo, principalmente entre os jovens”.

Relevante - Já Maria Machado, da Cooperativa de Trabalho e Serviços de Rondonópolis (Coomser) e representante do Mato Grosso, é uma das novas integrantes do Comitê de Mulheres. Ela relatou se sentir muito acolhida com esta atividade e que esta pauta é extremamente relevante por tratar da importância do protagonismo feminino e da capacitação das mulheres. “Isto será essencial para que possamos assumir novos papéis dentro da cooperativa”.

Sobre os comitês - Os Comitês de Jovens e Mulheres do Sistema OCB foram oficialmente criados em 2020 como um dos desdobramentos do 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo (CBC). São compostos por jovens e mulheres “Embaixadores Coop” e por integrantes (jovens e mulheres) indicados pelas Unidades Estaduais. A missão central dos Comitês é ampliar a participação de outras mulheres e jovens na liderança do Cooperativismo Brasileiro.

Órgãos consultivos - Os Comitês são órgãos consultivos e fazem parte da estratégia do Sistema OCB para promover a inclusão e a diversidade, atuando para o fortalecimento da participação democrática das mulheres e dos jovens no cooperativismo. (Sistema OCB)

 

FRENCOOP I: Lupion defende adequação de tributos em aplicações financeiras das cooperativas

frencoop I 27 07 2022O deputado Pedro Lupion (PR) defende tratamento tributário adequado em aplicações financeiras de cooperativas. A medida está contemplada no Projeto de Lei 3.351/19, de autoria do parlamentar, que adequa a base de cálculo do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) nestas operações. O parlamentar, que é diretor da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), destaca os impactos negativos da interpretação da Receita Federal para os negócios cooperativos.

Correção - “Debatemos isso no Congresso Nacional desde 2019 para corrigir esse equívoco. A Receita Federal exige pagamento de CSLL das cooperativas sem reconhecer o abatimento de despesas financeiras. É uma interpretação equivocada da Súmula 262, do Superior Tribunal de Justiça, que tem prejudicado as sociedades cooperativas porque usa como base de cálculo o total dos rendimentos. Entendemos que falta uma interpretação legislativa que é o que colocamos com esse projeto”, explica Lupion.

Interpretação atual - Segundo a coordenadora Tributária da Organização das Cooperativas Brasileiras, Amanda Oliveira, a interpretação atual torna a tributação para as cooperativas mais gravosa se comparada a outras sociedades empresariais. Ela reforça que, na avaliação da Receita Federal, os tributos recaem sobre as receitas e não sobre o lucro das cooperativas.

Importância - “A importância deste projeto é deixar claro que, para fins de de cálculo da receita de aplicação financeira em cooperativas, sejam levadas em consideração tanto as receitas quanto as despesas financeiras. Não estamos recusando a tributação, queremos apenas um ajuste na base de cálculo que é a mesma aplicada nas demais sociedades empresariais para cálculo de imposto de renda e contribuição social”, afirma.

Tramitação - A proposta já foi aprovada pelas comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Capadr) e de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (Cdeics) e aguarda parecer das comissões de Finanças e Tributação (CFT) e de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJC).

Articulação - O parlamentar declarou ainda que há articulação para aprovar a proposta após o recesso parlamentar “mesmo com campanha eleitoral e copa do mundo.” (Sistema OCB)

FOTO: Billy Boss / Câmara dos Deputados

 

FRENCOOP II: Aline Sleutjes defende projetos que fortalecem cadeia de suprimentos

frencoop II 27 07 2022A guerra em campos ucranianos, no leste Europeu, desde o mês de fevereiro, tem elevado ainda mais a escalada dos custos dos fertilizantes no mercado internacional. Essa realidade tem impacto direto na produção agrícola do Brasil, que é o quarto maior consumidor destes insumos no mundo – cerca de 85%, sendo que desse total 23% vêm da Rússia.

Celeridade - Para frear a alta dos custos e desenvolver a própria produção dos fertilizantes no país, a deputada federal Aline Sleutjes (PR), diretora da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), quer celeridade na análise dos projetos de Pesticidas (PL 1.459/2022) e Licenciamento Ambiental (PL 2.159/21) no Senado Federal.

Impacto - A deputada destaca que os projetos vão impactar diretamente na diminuição dos fertilizantes importados e no valor dos alimentos. “Quem sofre com essa espera é o cidadão brasileiro que precisa ir ao supermercado e já sente a diferença no bolso”, afirmou a parlamentar, ao acrescentar que a matéria prima para a produção de fertilizantes em território nacional está em áreas que hoje são reservas no país.

Reféns - “Se nós não fizermos alterações nas legislações e possibilitarmos extrair esses produtos dessas áreas, ficaremos reféns do mercado internacional, tendo que importar os defensivos de fora com preços altíssimos e com riscos, inclusive, nesse momento de Guerra, ou qualquer outra crise econômica, de não recebermos e gerarmos uma grande dificuldade a todo o nosso setor produtivo”, destaca.

Dependência - O Brasil depende da Rússia para o fornecimento de matérias-primas para fertilizantes utilizados em lavouras como soja e milho, principais grãos de exportação do país. Do território russo procedem 20% dos nitrogenados, 28% dos potássicos e 15% dos que têm fósforo em sua composição. A soja, principal commodity brasileira, depende de adubos à base de fósforo e de potássio. O milho depende dos nitrogenados.

Soluções externas - Coordenador do Ramo Agropecuário do Sistema OCB, Luiz Roberto Baggio ressalta que o setor produtivo não pode ficar à mercê de soluções externas. “Precisamos produzir pelo menos 60% dos suprimentos dentro de casa para atender a cadeia produtiva nacional e manter o nivelamento de preços no mercado internacional. Isso tem que fazer parte de políticas públicas”, ressalta.

Plano Nacional - Em março deste ano o governo lançou o Plano Nacional de Fertilizantes 2022-2050 que tem por objetivo ordenar as ações públicas e privadas para ampliar a produção competitiva de fertilizantes (abrangendo adubos, corretivos e condicionadores) no Brasil; diminuir a dependência externa tecnológica e de fornecimento, e assim, mitigar os impactos de possíveis crises; além de ampliar a competitividade do agronegócio brasileiro no mercado internacional.

Referência - O plano busca ser referência para o planejamento do setor de fertilizantes nas próximas décadas, ao promover o desenvolvimento do agronegócio nacional.

Eficiência - Consultor ambiental do Sistema OCB, Leonardo Papp ressalta que o foco da discussão sobre os projetos no Senado deve ser a busca de eficiência — que não pode ser confundida com facilitação ou flexibilização sem critérios, mas sim, com o desenvolvimento de atividades produtivas com respeito ao meio ambiente. “A eficiência não depende apenas da legislação, mas também de outros fatores, como o uso intensivo de tecnologia, estruturação dos órgãos ambientais e a busca de segurança jurídica”, defende. (Sistema OCB)

FOTO: Elaine Menke / Câmara dos Deputados

 

FRENCOOP III: Telecomunicações por cooperativas trará melhorias para o agro

frencoop III 27 07 2022O acesso à internet de qualidade tem se mostrado cada vez mais relevante para o desenvolvimento de diversos setores da economia. Nas áreas rurais, a oferta destes serviços ainda é considerada insuficiente e retarda a utilização de inovações, em especial, no setor agropecuário, que conta cada vez mais com opções tecnológicas e que exigem conectividade para otimizar a produção.

Censo Agropecuário - O último Censo Agropecuário do IBGE (2017) aponta que somente 1/4 dos produtores rurais possuem acesso à internet. Para sanar os entraves provocados pela falta de conectividade no campo, o Sistema OCB auxiliou na elaboração do Projeto de Lei 1.303/22, aprovado pela Câmara dos Deputados por unanimidade e em tramitação no Senado Federal, que permite que as cooperativas prestem serviços de telecomunicações como telefonia e banda larga móvel ou fixa.

Universalização e acessibilidade - Segundo o coordenador de Infraestrutura da OCB, Jânio Stefanello, a organização tem atuado pela universalização e acessibilidade da conectividade em todos os setores. Ele acredita que a internet, além de trazer ganhos para a produção agropecuária, incentiva o jovem produtor a permanecer em sua terra.

Internet de qualidade - “As questões tecnológicas, de automação e de segurança, por exemplo, dependem consideravelmente de uma internet de qualidade. Temos debatido com os sindicatos rurais e com as cooperativas agrícolas e todos defendem a conectividade no campo e querem colaborar para este novo tempo. No caso de sucessão rural, consideramos a internet um dos fatores chave de manutenção do jovem no interior”, destaca.

Capilaridade - O diretor da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Heitor Schuch (RS), defende a prestação destes serviços pelas cooperativas tendo em vista sua capilaridade. “Imagino que as grandes empresas atendam 80% do perímetro do município, mas nem todo mundo mora dentro desse perímetro. Tem gente que mora em regiões mais longes, onde, muitas vezes, apenas as cooperativas alcançam. Sou a favor que todos recebam o mesmo serviço”, afirma.

Melhorias - Ainda segundo o parlamentar, na agricultura, a garantia da conectividade vai promover efetivamente as melhorias prometidas pelo Agro 4.0. “O produtor vai plantar e colher melhor com informações mais assertivas de previsão de tempo, cotação de insumos e preços agrícolas”, complementa.

Análise - O PL 1.303/22 aguarda análise da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), para depois seguir para a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) em caráter terminativo, ou seja, se não houver recurso, segue para sanção presidencial. A proposta é de autoria do presidente da Frencoop, deputado Evair Vieira de Melo (ES).

Iniciativas - O cooperativismo já leva internet de qualidade a aproximadamente 40 mil pessoas no interior do país, porém com um modelo adaptado que encarece o serviço para o consumidor final. Com a aprovação do projeto, o cooperativismo se consolidará como uma ferramenta plena de inclusão digital, alcançando lugares que as estruturas tradicionais ainda não atendem. (Sistema OCB)

 

WITMARSUM: 70 anos de fé, força e determinação

witmarsum 27-07 2022Nos dias 30 e 31 de julho, a Colônia Witmarsum (a 60km de Curitiba), será palco de uma grande festa para celebrar os 70 anos de fundação da Colônia e da Cooperativa Agroindustrial Witmarsum. Os dois dias de evento acontecerão no Centro Cultural Social e Recreativo Witmarsum Park, com programação a partir das 10 horas da manhã.

Agradecimento - Ainda que a colônia tenha comemorado seu septuagésimo aniversário no ano passado, por conta da pandemia, a comunidade não conseguiu festejar a data como desejava, por isso, a festa promete ser mais do que um momento de agradecimento pela trajetória de sucesso. Será também uma oportunidade de celebrar, o que em 1951 era apenas o sonho de algumas famílias e hoje é a realização de toda uma comunidade, que tem orgulho de sua história.

Programação - Com uma programação que inclui apresentações de grupos folclóricos, apresentações musicais, gastronomia típica local e desfile de tratores antigos, a celebração deve movimentar toda a região.

Parcerias de encher os olhos e a boca - Como forma de mostrar ao visitante a riqueza gastronômica local, restaurantes da região foram convidados a criar pratos inéditos para celebrar o aniversário utilizando os queijos produzidos pela cooperativa. E o resultado não poderia ser mais delicioso: pratos cheios de sabor e criatividade para agradar a todos os gostos. Confira:

Doner - Doner com molho de queijo Raclette Witmarsum

Delícias da Sogra - Quiche de queijo Brie Witmarsum e figo

Beija Flor - Corn dog à Paris (espeto de champignon empanado e molho à Appenzeller Witmarsum)

Bela Vista - Duck Burguer (hamburger artesanal com carne de pato e queijo Emental Witmarsum)

Bierwit - Vareniki (Pierogi) de ricota ao molho de Mix de Queijos Witmarsum

Sabores da Colônia - Pato Confit (Queijo Brie Witmarsum)

Kliewer - Crepe Kliewer com queijos Witmarsum (Emental e Appenzeller Witmarsum)

Lecker - Pommes mit kase (Fritas com molho de Mix de Queijos Witmarsum

Girassol + Pão da Casa - “Kloppse” (Pão com bolinho de carne e queijo Raclette Witmarsum)

Chalé do Pão - Pizzabrot (Bruschettas especiais de fermentação natural com porcini, iguarias, e Queijos Appenzeller, Brie e Raclette Witmarsum)

Além dos pratos comemorativos, ainda haverá degustação de cafés especiais da KaffeeWit e chocolates bean to bar da KakaoWit. Já as bebidas ficarão por conta das cervejarias Kunst Brauerei (Colônia Witmarsum), UsinaMalte (Colônia Witmarsum), NatBier (Palmeira) e Riffert, que terá venda de quentão, pinhão entre outros produtos.

Jogos Coloniais - Para aqueles que buscam diversão além de boa comida, vale se inscrever nas competições dos jogos coloniais. Com disputas que vão desde jogos de tabuleiro e baralhos tipicamente menonitas, até levantamento de caneco, corrida de latão de leite, e arremesso de Zwieback em duplas (pãozinho tradicional Menonita). Uma oportunidade única para vivenciar as tradições culturais da colônia como você nunca viu antes. Clique aqui para mais detalhes.

Livro local - A festa também será palco para o lançamento do livro “O Perigo da semente” (Ricardo Phillipssen, Editora Saíra), que conta a história de alguém que decidiu deixar as plantas da sua horta completarem o seu ciclo natural e que, então, passou a lidar com as surpreendentes consequências dessa decisão. Com esse enredo delicado, o livro propõe um novo olhar para a natureza, além de levantar importantes reflexões acerca dos ciclos, das relações em comunidade do respeito e da sustentabilidade.

Produtos novos - Durante a festa serão lançados os queijos tipo Gouda e Emental Extra de longa maturação, além disso o evento será vitrine para o mais novo produto da Cooperativa, fruto da parceria com a Cooperante, Suco de uva integral Witmarsum, feito 100% de uvas bordou sem adição de conservantes e corantes.

Fé, força e determinação - Fundada em 1951, e sobre essas três palavras, a Colônia Witmarsum tornou-se lar de imigrantes alemães-russos, após a compra da sede da antiga Fazenda Cancela (a casa de madeira em estilo polonês que hoje abriga o Museu). O local prosperou pela vivência em cooperativa e por conta da união de seus membros em torno de uma identidade Menonita. A Cooperativa, fundada no ano seguinte, é hoje uma potência da Bacia Leiteira Paranaense. Com reconhecimento, nacional e estadual, e premiações como a Expolac e o Prêmio Bom Gourmet. Hoje, a Cooperativa comercializa mensalmente 150 mil litros de leite envasado, e outros 400 mil litros que se transformam em cerca de 30 toneladas de queijo, divididos em 11 tipos diferentes e com receitas de origem europeia, tais como Brie, Camembert, Emmental e Raclette. (Imprensa Witmarsum)

SERVIÇO

Festa de 70 anos Colônia e Cooperativa Witmarsum

Data: 30 e 31 de julho – das 10h às 18h

Local: Centro Cultural Social e Recreativo Witmarsum – Park – Rua David Nikkel, s/n° - Colônia Witmarsum

Ingresso: R$5,00 dia

O local oferecerá: Estacionamento, praça de alimentação típica; danças folclóricas; jogos coloniais, grupos musicais, desfile de maquinário antigo.

Redes sociais: @witmarsumcoop e @acmpw

Link do evento: https://www.facebook.com/events/1014646065917405

 

COPACOL: Safrinha de milho deve ser a segunda maior da história da cooperativa

copacol 27 07 2022A expectativa da colheita do milho segunda safra 2021/22 é de 12 milhões de sacas na área de abrangência da Copacol. Esta deve ser a segunda maior safra da história da cooperativa, que atua no Oeste e Sudoeste do Paraná. Os bons índices também estão na rentabilidade do produtor e na qualidade do grão.

Intensificação - De acordo com o engenheiro agrônomo João Maurício Trentini Roy, nas últimas semanas houve uma intensificação na colheita. “Atingimos 45% da colheita na área de abrangência da Copacol. A previsão é que até agosto todo o milho já tenha sido retirado das lavouras”, diz.

Condições climáticas - Devido as boas condições climáticas, após sucessivas perdas por seca, desta vez os resultados tendem a ser expressivos. “Esta pode ser a segunda maior safra da Copacol, atrás somente de 2019 quando tivemos uma safra recorde”, diz João. Além disso, o produtor também está animado devido a boa rentabilidade que a safra promete. “O cooperado conseguiu comprar os insumos no início do ano, antes da alta nos preços. Então ele pagou um custo menor, o que faz com que a rentabilidade dele seja maior”, afirma.

Qualidade do grão - Outro ponto que tem deixado o cooperado feliz com esta safra é a qualidade do grão que está sendo colhido, apesar dos desafios enfrentados pelos produtores durante o ciclo da cultura.

De olho no futuro - Ainda na colheita, o produtor tem a oportunidade de garantir que melhores resultados venham nas próximas safras. Ele pode fazer o controle das plantas daninhas, especialmente da buva. “Observamos que nos últimos anos as áreas em que está sendo feita a colheita e junto o manejo de plantas daninhas temos obtido melhores resultados de controle”, comenta o engenheiro agrônomo.

Manejo - Roy explica que a recomendação é que este manejo seja feito ainda na colheita, já que há mais chances de ter sucesso. “Na grande maioria das áreas em que estamos fazendo isso, estamos tendo melhores resultados”. Outro ponto em que o produtor pode se concentrar é em fazer o manejo da fertilidade do solo, já que este é um período em que não há nada plantado. “Temos agora uma janela bem interessante para fazer as coletas e as correções necessárias. Quando falamos em coletar amostras é realmente para ver o que temos e no que podemos melhorar. O corretivo é sempre necessário e com esse cenário das altas dos preços dos fertilizantes nada mais assertivo do que olhar o que temos no solo para tomar a decisão das próximas adubações para os cultivos futuros”.

Todo Paraná - De acordo com o Deral (Departamento de Economia Rural), a estimativa para o milho segunda safra 2021/22 é de pouco mais de 36,2 milhões de toneladas no Estado: uma safra recorde. A área plantada é de quase 10,9 milhões de hectares. "É importante observar que, apesar dos problemas enfrentados pelo agricultor, sobretudo os climáticos, a persistência e a vontade de semear a terra venceram e novamente vislumbramos recordes em alguns produtos", comenta o chefe do Deral, Marcelo Garrido.

Brasil - Já no Brasil, a colheita total da segunda safra está estimada em 115,6 milhões de toneladas, volume 32,8% superior ao ciclo passado, de acordo com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). (Imprensa Copacol)

 

COCAMAR I: Cooperativa é representada no Cooperlíder Jovem em Toledo (PR)

Na quinta e sexta-feira da última semana (dias 21 e 22/7), 19 jovens, entre filhos, netos e sobrinhos de cooperados da Cocamar, representaram a cooperativa em Toledo (PR) no Cooperlíder Jovem – Encontro Estadual dos Jovens Cooperativistas do Paraná.

Na Primato - Realizado na sede da cooperativa Primato, o evento foi promovido pela Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar) e Serviço Social de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR).

Educação Política - Na programação, o advogado, empresário, ex-parlamentar e ex-ministro da Justiça, Osmar Serraglio, discorreu sobre Educação Política e respondeu perguntas em um painel de debates. Para o jovem Wellington Seiti Otake, de Cambé, “foi uma grande satisfação poder participar do debate representando a Cocamar sobre um tema tão importante e também uma experiência incrível estar em um evento como esse, que envolve várias cooperativas do Paraná”.

História inspiradora - O ex-jogador de futebol Tinga, hoje empresário e palestrante, abrilhantou o primeiro dia de evento ao explanar sobre a sua história, ressaltando a importância de tomar decisões acertadas na condução de uma trajetória de vida. Foi um momento inspirador para o público.

Dinâmicas - Os jovens participaram, ainda, de uma série de dinâmicas que serviram para a disseminação da prática cooperativista, além de criar e proporcionar um ambiente de interação e troca de ideias, com grupos mesclados entre todas as cooperativas presentes.

Debate - No dia seguinte, houve um debate sobre como foi a participação nas dinâmicas e os pontos positivos que serão observados a partir desses aprendizados.

CTG e almoço - O Encontro foi finalizado com a apresentação do grupo de dança do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) local e servido um almoço com o prato típico da região, o porco no rolete.

Impressões - Para o jovem William Chaves de Souza, de Pitangueiras, “o evento foi sensacional, uma experiência maravilhosa”. O colega Rafael Testa Negrisolli, de Japurá, afirmou: “gostei muito de celebrar esse momento, fiz novas amizades, aprendi coisas novas e espero participar de mais encontros como esse”.

Oportunidade - O Analista de Cooperativismo da Cocamar, Wellington Costa Martins, que acompanhou o grupo, afirmou que realizações assim “são uma oportunidade para o fomento do cooperativismo. A Cocamar busca auxiliar na formação destes jovens para que, no futuro, possam se tornar referências e lideranças na região em que atuam”. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2022/noticias/07/27/cocamar_I/{/vsig}

COCAMAR II: Dia de Campo orienta sobre manejo de plantas daninhas

Com o objetivo de orientar e mostrar aos produtores as ferramentas disponíveis para manejo e controle de plantas daninhas em pré-plantio de soja, especialmente manejo de resistência, a Cocamar organizou um dia de campo na propriedade do cooperado Paulo Esteves, em Doutor Camargo, região de Maringá, na sexta-feira (dia 22/07). Participaram cerca de 60 pessoas, entre profissionais da cooperativa e de cooperados da região.

Resistentes - Na área foi montado um protocolo com herbicidas para manejo outonal, em plantas resistentes, sendo que o evento contou com palestra e orientação do professor doutor e pesquisador da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Leandro Paiola Albrecht.

Avaliar - Os produtores e técnicos tiveram a oportunidade de avaliar na prática os resultados obtidos em cada situação e tirar suas dúvidas com o pesquisador da UFPR, que falou também sobre a necessidade de controle do milho tiguera, ante a crescente infestação de cigarrinhas de milho.

Comparando - Na tabela montada na propriedade, além de uma área deixada como testemunha, sem qualquer controle, nas demais parcelas foram feitas aplicações dos melhores produtos, os mais utilizados do mercado, para manejo de plantas daninhas, fazendo diversas combinações de princípios ativos, com uma e duas aplicações (a primeira em 1/7 e a sequencial no dia 11/7), mostrando a performance de cada produto para ajudar na tomada de decisão de controle na propriedade.

Qual a melhor - Existem várias ferramentas para manejo de plantas daninhas que podem ser utilizadas de acordo com a situação existente na propriedade. O produtor precisa buscar a orientação técnica e avaliar qual a melhor opção. O protocolo mostrou que para cada situação há uma ferramenta, um produto que age de forma mais eficaz e a importância de fazer o manejo da forma recomendada. Não há uma receita de bolo única”, afirmou o gerente técnico Rafael Furlanetto.

Fase inicial - Citando a resistência de plantas daninhas, especialmente buva e capim amargoso, o pesquisador da UFPR destacou a importância de fazer o controle já na fase inicial de desenvolvimento da planta, no caso da buva entre 4 a 6 folhas ou no máximo oito folhas. “Não dá para brincar. É preciso entrar com o controle o mais cedo possível para efetivamente controlar o problema. Deixando uma planta de buva por metro quadrado a perda em soja equivale a uma caminhonete de luxo a cada 200 hectares”, comentou. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2022/noticias/07/27/cocamar_II/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Agências trabalham na difusão de informações sobre o Plano Safra

sicredi uniao 27 07 2022A disseminação de informações sobre o atual Plano Safra está movimentando as agências da cooperativa de crédito Sicredi União PR/SP, que vêm realizando vários eventos com grupos de produtores.

Londrina - A agência Tiradentes, de Londrina, reúne produtores nesta quinta-feira, dia 28, às 18h30, na sede do Sindicato Rural para comemorar o Dia do Produtor e também realizar palestras detalhando o Plano Safra 22/23 e abordando o cenário econômico atual.

Alvorada do Sul - Também na agência da cooperativa em Alvorada do Sul, integrando as festividades do Dia do Produtor, serão realizadas orientações sobre o Plano Safra na sexta-feira, dia 29, junto com outras entidades, como o IDR-PR. A programação será no pátio do salão paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Centenário e Cafeara - As agências de Cafeara e Centenário do Sul reuniram cerca de 100 associados da carteira agro no Clube dos Boiadeiros em Centenário do Sul, onde são normalmente realizados leilões de gado e já frequentado pelos pecuaristas da região.

Parceiros - O gerente Ramon Marioto Montana, de Centenário, informa que foram apresentadas, aos produtores, as novas taxas para custeios e investimentos e eles tiveram a oportunidade de tirar dúvidas e apresentar sugestões. “O evento também contou com a participação de parceiros como as concessionárias Chevrolet Rolândia, Fiat Marajó e Solabg Energia Solar, além da exposição de tratores. Bem-informados, os produtores já estão buscando a cooperativa para fazer seu crédito e continuar a produção e contribuir com o desenvolvimento da região”, comentou Montana.

Porecatu - Em Porecatu, foi realizado o Dia de Negócios, concomitantemente com o lançamento do Plano Safra 22/23, no dia 22 de julho. “Foi um momento de estarmos próximos do nosso associado e falar um pouquinho sobre as novidades do ano safra”, contextualizou Duilian Pereira Reis, gerente da agência de Porecatu.

Palestras - Segundo ele, participaram cerca de 40 associados da carteira agro. No evento, a assessora de investimentos da cooperativa Alline Pittel e o assessor do Agro Leandro Leandro Rafaeli Quaglio proferiram palestras. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI PROGRESSO: Bolsas de curso profissionalizante em cooperativismo de crédito são ofertadas para jovens

sicredi progresso 27 07 2022A inclusão de jovens nas instituições financeiras cooperativas é um desafio global e, nos últimos anos, o Sicredi tem desenvolvido iniciativas para despertar talentos e aproximar as novas gerações do setor. Com o propósito de fomentar a formação especializada e contínua para um modelo de negócio colaborativo e sustentável, a primeira instituição financeira cooperativa do Brasil vai dar início, no próximo dia 28 de julho, a um curso técnico profissionalizante inédito no mercado financeiro cooperativo. A aula inaugural terá transmissão ao vivo pelo Youtube, às 19h.

TECPUC - Com duração de doze meses e em formato on-line, o programa será ministrado pela TECPUC - instituição de ensino técnico que está no mercado há mais de 28 anos, com foco em estudantes com idade entre 14 e 25 anos - e tem o objetivo de oferecer aos estudantes uma formação técnica capaz de aumentar a sua capacidade de inserimento no mercado de trabalho. Os jovens bolsistas estão sendo selecionados por cooperativas filiadas à Central Sicredi PR/SP/RJ que apoiam o projeto. "Compreendendo a importância da qualificação das novas gerações e da promoção do conhecimento nas comunidades da área de atuação, 20 cooperativas da nossa Central já aderiram ao projeto e adquiriram essas bolsas de estudo que vão beneficiar mais de 330 jovens dos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro”, afirma o gerente de Gestão de Pessoas da Central Sicredi PR/SP/RJ, Marcos Antonio Primão.

Sicredi Progresso PR/SP - Essa formação também acontece na Sicredi Progresso, cerca de 20 jovens participarão do curso profissionalizante. Eles são jovens da comunidade e boa parte também integra os Centros da Juventude em Toledo. Os jovens já foram recebidos na sede da cooperativa para um momento de boas-vindas e demais orientações do curso.

Cooperativismo e incentivo à educação - Como instituição financeira cooperativa, o Sicredi realiza ações que ajudam a fortalecer as relações com a comunidade, por meio de iniciativas econômicas, sociais e de educação, capazes de gerar transformações e impacto positivo em toda a sociedade. Segundo o presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock, esse protagonismo das cooperativas nas comunidades está relacionado com a essência do modelo de negócio e se conecta aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). “Nossa atuação é baseada no ideal dos fundadores de nossas cooperativas de crédito e investimento que fortaleceram conceitos importantes, como a ajuda mútua e a colaboração, visando ao desenvolvimento das comunidades e regiões onde estamos inseridos. Por isso, o pilar da educação, presente na Agenda BC# e nas metas estabelecidas pela ONU para um mundo melhor, é trabalhado pelo Sicredi ao longo dos anos como uma das nossas prioridades. Acreditamos que, com a educação e a formação de qualidade das futuras gerações, conseguiremos fortalecer a perenidade do sistema colaborativo e sustentável, além de promover a construção de uma sociedade mais próspera", destaca.

Agenda BC# - A Agenda BC# foi lançada em 2019 e faz parte do planejamento estratégico do Banco Central do Brasil (BCB). Se trata de uma nova agenda de iniciativas do Banco Central do Brasil, onde o planejamento estratégico possui diversos objetivos com o propósito de fomentar o bem-estar econômico da sociedade brasileira através de cinco pilares principais: inclusão, competitividade, transparência, educação e sustentabilidade.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento de seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Possui um modelo de gestão que valoriza a participação dos mais de 6 milhões de associados, que exercem o papel de donos do negócio. Com mais de 2.200 agências, o Sicredi está presente fisicamente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, disponibilizando mais de 300 produtos e serviços financeiros. (Imprensa Sicredi Progresso PR/SP)

 

TRIBUTOS: Receita Federal divulga prazo para envio da declaração de imóveis rurais, a DITR 2022

tributos 27 07 2022Instrução Normativa da Receita Federal publicada nesta terça-feira (26/07) traz os procedimentos para a apresentação da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural 2022. O prazo para envio começa no dia 15 de agosto e vai até as 23h59min59s do dia 30 de setembro, horário de Brasília. A DITR deve ser enviada por meio do programa gerador da Declaração do ITR (Programa ITR 2022), que estará disponível no site da Receita Federal. Além disso, continua sendo possível a utilização do Receitanet para a transmissão da declaração, ou ainda a entrega da declaração gravada em conector USB em uma unidade de atendimento da Receita Federal.

Depois do prazo - A apresentação depois do prazo deve seguir os mesmos procedimentos de envio. A multa é de R$ 50 (mínimo) ou de 1% ao mês-calendário calculado sobre o total do imposto devido. O valor mínimo do imposto é R$ 10. Valores inferiores a R$ 100 devem ser pagos em quota única até o dia 30 de setembro de 2022. Valor superior a R$ 100 pode ser pago em até quatro quotas, cada quota deve ter valor igual ou superior a R$ 50. A primeira deve ser paga até dia 30 de setembro; já as demais devem ser pagas até o último dia útil de cada mês, e serão acrescidas de juros Selic mais 1%.

Antecipação - O pagamento do imposto pode ser antecipado total ou parcialmente. Pode-se ainda ampliar para até quatro o número de quotas do imposto anteriormente previsto mediante apresentação de DITR retificadora antes da data de vencimento da primeira quota a ser alterada, observando o limite mínimo de R$ 50,00 por quota.

Retificação - Se, depois da apresentação da DITR exercício de 2022, o contribuinte verificar que cometeu erros ou esqueceu alguma informação, deve enviar uma declaração retificadora, sem interromper o pagamento do imposto apurado na DITR original. A DITR retificadora deve conter todas as informações anteriormente declaradas mais as devidas correções. É necessário informar o número do recibo de entrega da última DITR de mesmo exercício.

Formas de pagamento - As formas de pagamento do imposto são as seguintes: transferência eletrônica de fundos por meio de sistemas eletrônicos das instituições financeiras autorizadas pela Receita Federal; Darf, em qualquer agência bancária integrante da rede arrecadadora de receitas federais; ou Darf com código de barras gerado pelo programa ITR 2022 e emitido com o QR Code do pix, em caixa eletrônico de autoatendimento ou aplicativo do banco, ou qualquer instituição integrante do arranjo de pagamentos instantâneos instituído pelo Banco Central do Brasil (Pix), independentemente de ser integrante da rede arrecadadora de receitas federais.

Composição - A DITR é composta pelo Diac – Documento de Informação e Atualização Cadastral do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural; e pelo Diat – Documento de Informação e Apuração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural.

Atualização - As informações prestadas por meio do Diac da DITR não serão utilizadas para fins de atualização de dados cadastrais do imóvel rural no Cafir (Cadastro de Imóveis Rurais). O contribuinte cujo imóvel rural já esteja inscrito no Cadastro Ambiental Rural (CAR) deve informar na DITR 2022 o respectivo número do recibo de inscrição. (Ministério da Economia)

 

DEFESA AGROPECUÁRIA: Adapar mantém busca ativa e alerta para necessidade de cadastramento de rebanhos

defesa agropecuaria 27 07 2022A campanha de atualização de rebanhos de 2022 encerrou-se em 30 de junho. Desde então, os fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) trabalham na busca ativa de produtores, fator determinante para o controle de sanidade e vigilância de doenças no Estado.

Unidade local - Os paranaenses que trabalham com produção animal também podem procurar a Unidade Local da Adapar mais próxima da sua região para fazer o cadastro. Desde 1º de julho, os produtores que não atualizaram seus rebanhos não podem emitir a GTA (Guia de Trânsito Animal) e poderão ser autuados por essa infração.

Índice de atualização - O índice de atualização está em 87%. Segundo a Adapar, essas atividades serão suspensas somente quando 100% das propriedades tiverem seu cadastro atualizado.

Certificação - Com a certificação do Estado como de área livre de febre aftosa sem vacinação, a estratégia da vacinação foi substituída pela atualização do rebanho. Uma vez por ano o produtor deve declarar a quantidade de animais na propriedade. Isso possibilita ação rápida nos casos de suspeita inicial de doenças.

Parceria - A Adapar também atua em parceria com as forças de segurança estaduais e federais para impedir a entrada de animais de outros estados e países que não tenham o mesmo status. Esse tipo de crime, se não combatido, compromete o status sanitário. Os cidadãos podem denunciar casos como esses pela Ouvidoria da Adapar. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Geraldo Bubniak / AEN

 

ECONOMIA: FMI melhora projeção para crescimento do PIB do Brasil em 2022

economia 27 07 2022O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou de forma expressiva a estimativa para o crescimento da atividade brasileira, neste ano, apesar das dificuldades enfrentadas pela economia global. Entretanto, passou a ver desempenho mais fraco em 2023.

Revisão - Na revisão das estimativas em seu relatório Perspectiva Econômica Global, divulgado nesta terça-feira (26/07), o FMI passou a estimar o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil neste ano em 1,7%, bem acima da taxa de 0,8% calculada em abril.

2023 - Para 2023, o relatório do FMI indica que a expansão da atividade será de 1,1%, 0,3 ponto percentual a menos do que o previsto em abril.

Abaixo da do governo - A estimativa do FMI, no entanto, ainda está um pouco abaixo da do governo, que calcula que o PIB brasileiro deve crescer 2%, neste ano. A previsão do Ministério da Economia para 2023 é de 2,5%.

Melhora - A melhora do cenário para o Brasil ajudou a impulsionar a projeção para o crescimento da América Latina e Caribe, com o FMI vendo agora aumento do PIB da região de 3% este ano, 0,5 ponto a mais do que no relatório anterior.

América Latina e Caribe - Mas da mesma forma, a estimativa para a América Latina e Caribe no ano que vem piorou em 0,5 ponto, para 2%.

Economia mundial - De acordo com as previsões do FMI, o crescimento do PIB global desacelerará para 3,2% em 2022, ante uma previsão de 3,6%, divulgada em abril.

Recuperação - O crescimento mundial se recuperou em 2021 para 6,1% depois que a pandemia da covid-19 esmagou a produção global em 2020 com contração de 3,1%.

Piora - "A perspectiva piorou significativamente desde abril. O mundo poderá em breve estar à beira de uma recessão global, apenas dois anos após a última", disse o economista-chefe do FMI, Pierre-Olivier Gourinchas, em comunicado.

Motivos - Entre os motivos que levaram o FMI a reduzir a projeção para o PIB mundial em 2022 em 0,4 ponto estão a inflação mais elevada em todo o mundo, desaceleração mais forte do que o esperado na China devido a novos surtos de covid-19 e repercussões negativas da guerra na Ucrânia.

China - Para a China, o fundo cortou as perspectivas de crescimento em 1,1 ponto para 2022 e em 0,5 ponto para 2023, indo respectivamente a 3,3% e 4,6%.

Riscos - "Os riscos para o cenário são predominantemente negativos. A guerra na Ucrânia pode levar a uma interrupção repentina das importações de gás da Rússia pela Europa; pode ser mais difícil reduzir a inflação do que o esperado se os mercados de trabalhos estiverem mais apertados ou se as expectativas de inflação desancorarem", destacou o FMI. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

CÂMBIO: Dólar cai para R$ 5,34 na véspera de decisão sobre juros nos EUA

cambio 27 07 2022Na véspera da decisão do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) sobre os juros nos Estados Unidos, o dólar caiu pelo segundo dia seguido. A bolsa de valores iniciou o dia em alta, mas terminou em baixa, motivada pela queda nas bolsas norte-americanas e pela realização de lucros, quando investidores vendem ações para embolsar lucros recentes.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta terça-feira (26/07) vendido a R$ 5,349, com recuo de R$ 0,021 (-0,38%). A cotação teve um dia volátil, alternando altas e baixas ao longo da sessão, mas firmou a tendência de queda perto do fim das negociações.

Alta acumulada - Com o desempenho desta terça-feira, o dólar acumula alta de 2,18% em julho e queda de 4,07% em 2022.

Ações - O dia também foi de volatilidade no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 99.772 pontos, com recuo de 0,5%. Ontem (25), o indicador tinha fechado acima de 100 mil pontos pela primeira vez em três semanas, o que estimulou os investidores a venderem ações para embolsar ganhos após as altas dos últimos dias. Dos últimos oito pregões, a bolsa só caiu nesta terça e na última sexta-feira (22/07).

Fed - O mercado financeiro global está à espera da reunião do Fed, que começou nesta terça e acaba nesta quarta-feira (27/07). O Banco Central dos Estados Unidos deverá aumentar os juros básicos em 0,75 ponto percentual para segurar a inflação, que está no maior nível nos últimos 41 anos no país.

Queda - A expectativa de que a economia norte-americana entre em recessão levou o dólar cair nos últimos dias. Isso porque os investidores passaram a acreditar que o Fed começará a reduzir os juros em 2023, o que empurraria para baixo a cotação da moeda norte-americana no mercado futuro. Em contrapartida, a expectativa de recessão nos Estados Unidos tem empurrado para baixo as bolsas norte-americanas, o que se reflete nas bolsas de todo o planeta. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

SAÚDE I: Brasil registra 37,9 mil casos e 351 óbitos por Covid-19 em 24 horas

O Ministério da Saúde divulgou, nesta terça-feira (26/07) novos números sobre a pandemia de covid-19 no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, o Brasil registrou, em 24 horas, 37,9 mil novos casos da doença e 351 óbitos.

Acumulado - Desde o início da pandemia, o país acumula 33,6 milhões de casos confirmados e 677,4 mil mortes registradas. O número pessoas que se recuperaram da doença somam 32,1 milhões (95,4% dos casos).

Estados - O estado de São Paulo tem o maior número de casos acumulados, com 5,8 milhões de casos e 172,6 mil óbitos. Em seguida estão Minas Gerais (3,8 milhões de casos e 62,7 mil óbitos); Paraná (2,6 milhões de casos e 44,3 mil óbitos) e Rio Grande do Sul (2,6 milhões de casos e 40,3 mil óbitos).

Menor - O Acre registra o menor número de casos (141.151) e de mortes (2.010). Em número de casos, o estado da Região Norte é seguido por Roraima (171.871) e Amapá (175.871). Em relação aos óbitos, em seguida vem Amapá (2.149) e Roraima (2.158).

Vacinação - Conforme o vacinômetro do Ministério da Saúde, 462,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 foram aplicadas, sendo 177,9 milhões da primeira dose; 158,9 milhões da segunda dose, além de 100,8 milhões da primeira dose de reforço e 15,4 milhões da segunda dose de reforço. (Agência Brasil)

SAÚDE II: Secretaria Estadual registra mais 1.835 casos e 28 óbitos de Covid-19

saude II 27 07 2022A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (26/07) mais 1.835 casos confirmados e 28 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 2.672.623 casos confirmados e 44.157 mortos pela doença.

Meses - Os casos são de julho (1.621), junho (142), maio (9), abril (1), março (3), fevereiro (11) e janeiro (18) de 2022; outubro (2), setembro )1), julho (4), junho (4), maio (4), abril (4), março (2) e fevereiro (2) de 2021; e dezembro (2), novembro (2), outubro (1), setembro (1) e junho (1) de 2020. Os óbitos são de julho (11), junho (3) e março (1) de 2022; julho (1), junho (2), maio (1), abril (1), março (1), fevereiro (1) e janeiro (1) de 2021; e dezembro (2), outubro (2) e setembro (1) de 2020.

Internados - A Sesa alterou a base de dados para expandir a pesquisa de pacientes internados por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Paraná, em razão da sazonalidade de doenças respiratórias. Agora, os dados de internamentos incluem todos os pacientes com casos de SRAG e suspeitos ou confirmados da Covid-19.

Leitos SUS - Nesta data, 497 pessoas estão internadas nos leitos SUS (134 em UTIs e 363 em leitos clínicos/enfermaria), seja por suspeita ou diagnóstico de Covid-19 ou de outras SRAGs. Estes dados podem ser consultados diariamente clicando AQUI.

Óbitos - Dos 28 pacientes que tiveram morte relatada neste boletim, 12 são mulheres e 16 homens, com idades entre 32 e 95 anos. Os óbitos ocorreram entre 03 de setembro de 2020 e 25 de julho de 2022.

Município - Os pacientes residiam em Guarapuava (3), Paranaguá (2), Curitiba (2), Assaí (2), Terra Roxa, Santa Mariana, Reserva, Pontal do Paraná, Ortigueira, Morretes, Mauá da Serra, Maringá, Londrina, Jacarezinho, Ibiporã, Guaraqueçaba, Francisco Beltrão, Curiúva, Cruz Machado, Castro, Cascavel, Cantagalo e Bandeirantes.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 11.618 casos e 241 óbitos de residentes de fora do Estado desde o início da pandemia. 

Confira o informe completo clicando AQUI. (Agência Estadual de Notícias)

FOTO: Sesa

 

SAÚDE III: Sesa confirma mais 3.139 casos e dois óbitos por dengue no Paraná

saude III 27 07 2022Dados do boletim epidemiológico nº 48, divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta terça-feira (26/06), por meio da Coordenadoria Estadual de Vigilância Ambiental, confirmam mais 3.139 casos e duas mortes por dengue no Paraná.

Total - De acordo com o Informe de Arboviroses, que corresponde ao período sazonal da doença iniciado em 1º de agosto de 2021, o Estado soma 76 óbitos, com 129.646 casos confirmados, 11.924 em investigação e 253.260 notificações.

Óbitos - Os óbitos ocorreram em 21 de maio e 7 de junho de 2022. Trata-se de um homem e uma mulher, com 51 e 85 anos, respectivamente. Ambos são moradores de Palotina (Oeste) e tinham comorbidades.

Municípios - Dos 386 municípios com notificações, 358 tiveram casos confirmados e 315 registraram autoctonia, quando a dengue é contraída no município de residência.

Zika e Chikungunya - O mosquito Aedes aegypti, além da dengue, transmite zika e chikungunya. Durante este período não houve casos confirmados de zika, sendo 105 notificados. Já para chikungunya foram notificados 459 casos com 33 confirmações e nove casos autóctones. (Agência Estadual de Notícias)

Confira AQUI o informe completo.

FOTO: Pixabay

 

SAÚDE IV: Com 813 casos de varíola dos macacos, Brasil tem situação "preocupante"

saude IV 27 07 2022O Brasil tem 813 casos confirmados da varíola dos macacos (monkeypox), segundo dados do Ministério da Saúde. Nesta terça-feira (26/07), a líder técnica da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a doença, Rosamund Lewis, disse que a situação no país “é muito preocupante” e que os casos podem estar subnotificados por não haver testes suficientes à disposição.

Conhecimento - “É importante que as autoridades também tomem conhecimento da emergência de saúde pública e de interesse internacional, das recomendações e tomem as medidas adequadas”, declarou. Ela também disse que o surto pode ser interrompido com “estratégias certas nos grupos certos”. “Mas o tempo está passando e todos precisamos nos unir para que isso aconteça”, acrescentou.

Anúncio - No sábado (23/07), o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou que a varíola dos macacos configura emergência de saúde pública de interesse internacional. “Temos um surto que se espalhou rapidamente pelo mundo, através de novas formas de transmissão, sobre as quais entendemos muito pouco, e que se encaixa nos critérios do Regulamento Sanitário Internacional”, declarou.

Prioridade - O Ministério da Saúde destacou, por meio de nota, que a doença é prioridade para a pasta, que faz constante monitoramento e analisa a todo momento a situação epidemiológica para definir orientações e ações de vigilância e resposta à doença no país. “Todas as medidas hoje anunciadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) já são realizadas pelo Brasil desde o início de julho de forma a realizar uma vigilância oportuna da doença”, diz o texto.

Sala de situação - O órgão ressaltou também que, antes mesmo da confirmação de casos no Brasil, foi instalada “uma sala de situação para elaborar um plano de ação com o objetivo de estabelecer estados e municípios sobre a melhor forma de atender a população”. Ainda segundo o ministério, “testes para diagnóstico estão disponíveis para toda a população que se enquadre na definição de casos suspeitos para varíola dos macacos”.

Vacina - No sábado (23/08), a pasta informou que articula com a OMS a aquisição da vacina contra a doença. Em nota, o Ministério da Saúde disse que as negociações estão sendo feitas de forma global com o fabricante para ampliar o acesso ao imunizante para os países com casos confirmados.

Números - No Brasil, o maior número de casos está em São Paulo, com 595 infecções confirmadas. No Rio de Janeiro, são 109 pessoas com a doença, em seguida estão: Minas Gerais (42), Distrito Federal (13), Paraná (19), Goiás (16), Bahia (3), Ceará (2), Rio Grande do Sul (3), Rio Grande do Norte (2), Espírito Santo (2), Pernambuco (3), Mato Grosso do Sul (1) e Santa Catarina (3).

O vírus - A varíola causada pelo vírus hMPXV (Human Monkeypox Virus, na sigla em inglês) provoca uma doença mais branda do que a varíola smallpox, que foi erradicada na década de 1980.

Rara - Trata-se de uma doença viral rara transmitida pelo contato próximo com uma pessoa infectada e com lesões de pele. O contato pode ser por abraço, beijo, massagens ou relações sexuais. A doença também é transmitida por secreções respiratórias e pelo contato com objetos, tecidos (roupas, roupas de cama ou toalhas) e superfícies utilizadas pelo doente.

Tratamento - Não há tratamento específico, mas os quadros clínicos costumam ser leves, sendo necessários o cuidado e a observação das lesões. O maior risco de agravamento acontece, em geral, para pessoas imunossuprimidas com HIV/AIDS, leucemia, linfoma, metástase, transplantados, pessoas com doenças autoimunes, gestantes, lactantes e crianças com menos de 8 anos de idade.

Sintomas - Os primeiros sintomas podem ser febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas, linfonodos inchados, calafrios ou cansaço. De um a três dias após o início dos sintomas, as pessoas desenvolvem lesões de pele, geralmente na boca, pés, peito, rosto e ou regiões genitais.

Prevenção - Para a prevenção, deve-se evitar o contato próximo com a pessoa doente até que todas as feridas tenham cicatrizado, assim como com qualquer material que tenha sido usado pelo infectado. Também é importante a higienização das mãos, lavando-as com água e sabão ou utilizando álcool gel. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

SAÚDE V: ANS divulga dados atualizados até junho de 2022

saude V 27 07 2022A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou, nesta terça-feira (26/07), a edição de julho do Boletim Covid-19 - Saúde Suplementar, com dados sobre o comportamento do setor de planos de saúde durante a pandemia de Covid-19. A edição deste mês traz dados atualizados até junho de 2022.

Usuários - O número de usuários de planos de saúde apresentou aumento de 0,50% em relação a maio de 2022, mantendo o crescimento iniciado em julho de 2020. A ocupação de leitos alocados para casos de Covid também apresentou crescimento e atingiu 49,2% do total de leitos em junho.

Econômico-financeiras - O boletim traz ainda as informações econômico-financeiras, pelas quais são informadas a sinistralidade de caixa no período e inadimplência, além das demandas dos consumidores recepcionadas pela ANS por meio de seus canais de atendimento. O objetivo do Boletim Covid-19 é monitorar a evolução de indicadores relevantes do setor de planos de saúde nesse período, prestando mais informações à sociedade. 

Clique aqui para acessar a edição de julho do Boletim Covid-19 – Saúde Suplementar.

Evolução de beneficiários - O número preliminar de beneficiários em planos de assistência médica relativo a junho de 2022 segue a tendência de crescimento observada desde julho de 2020. O total de 49.789.947 beneficiários representa aumento de 0,50% em relação a maio de 2022. A taxa de adesão (entradas), considerando todos os tipos de contratações, é superior à taxa de cancelamento (saídas) nos planos médicos hospitalares. O tipo de contratação responsável por esta superioridade é o coletivo empresarial que se mantém, desde julho de 2020, com mais entradas do que saídas de beneficiários.

Variação positiva - Considerando o tipo de contratação do plano e a faixa etária do beneficiário, observa-se que a variação foi positiva para os beneficiários acima de 59 anos em todos os tipos de contratação ao longo dos meses de março de 2020 até junho de 2022. 

Informações assistenciais - A proporção de leitos destinados para atendimento à Covid-19 nos hospitais da amostra apresentou leve aumento em junho de 2022, tanto para leitos comuns quanto para leitos de UTI. A taxa mensal geral de ocupação de leitos, que engloba tanto atendimento à Covid-19 como demais procedimentos, ficou em 78,9% no período, apresentando queda em relação ao mês anterior.

Ocupação - A ocupação de leitos comuns e de UTI para casos de Covid-19 apresentou aumento em junho de 2022, passando de 38,3% para 49,2%. Já a ocupação de leitos para atendimento a demais procedimentos sofreu queda de aproximadamente 2,2 pontos percentuais em relação ao mês anterior, tendo ficado em 81,2% no mês de junho.

Busca - A busca por exames para apoio diagnóstico e terapêutico ficou 11% acima do patamar verificado em junho de 2021. E os atendimentos em pronto-socorro que não geraram internação aumentaram novamente em relação ao patamar inicial, observado antes do início da pandemia.

Custo médio - O custo médio de internação para Covid-19 sem UTI manteve-se estável entre a internação clínica e cirúrgica. Enquanto o custo da diária da internação para Covid-19 com UTI sofreu queda em relação ao mês anterior.

Exames - Os dados sobre realização de exames de detecção de Covid-19 destacam que, após o aumento expressivo observado em janeiro de 2022, os exames de RT-PCR apresentaram queda importante nos meses seguintes. Na comparação com o ano anterior, considerando os números do mês de março, o RT-PCR teve uma redução de 83,1%, e os exames de anticorpos tiveram queda de 60,5%.

Informações econômico-financeiras - Em 2022, ao analisar os dados mensais, observa-se aumento de 6 pontos percentuais na sinistralidade de junho em relação ao mês anterior. Já a taxa de sinistralidade do 2º trimestre atingiu 87%, cinco pontos percentuais acima da sinistralidade trimestral de mesmo período de 2019. A ANS permanecerá monitorando a evolução desses dados no setor.

Inadimplência - Sobre a inadimplência, os dados de junho de 2022 comparados com o mês anterior indicam estabilidade dentro do comportamento histórico deste indicador. Ao analisar os dados por tipo de contratação, os planos individuais e coletivos confirmam a estabilidade apresentada. Todos esses indicadores mantêm-se próximos aos seus patamares históricos.

Demandas dos consumidores - Os dados de junho de 2022 mostram que houve uma queda de 8%, em comparação ao mês anterior, no total de reclamações que foram passíveis de intermediação pelo instrumento da Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), com maior predominância de temas de natureza assistencial. Também em junho, a ANS registrou 422 reclamações de usuários de planos de saúde relacionadas à Covid-19, 66,8% a mais que as demandas registradas em maio deste ano. O aumento de queixas acompanhou o crescimento do número de casos de Covid-19 verificado de maio para junho no Brasil.

Queixas - Do total de queixas relacionadas ao coronavírus, 63% foram sobre as dificuldades relativas à realização de exames e tratamento para a doença. A intermediação de conflitos feita pela ANS, entre consumidores e operadoras, tem resolvido mais de 90% dessas reclamações. No portal da reguladora, é possível acessar o monitoramento diário das demandas sobre Covid-19.

Consulte o monitoramento diário das demandas sobre Covid-19.

Sobre os dados - Para a análise dos indicadores assistenciais, a ANS considerou informações coletadas em uma amostra de 49 operadoras que possuem rede própria hospitalar. Para os índices econômico-financeiros, foram analisados dados de 101 operadoras para o estudo de fluxo de caixa e análise de inadimplência. Juntas, as operadoras respondentes para esses grupos de informação compreendem 75% dos beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares. Adicionalmente, na construção do boletim, foram utilizados dados do Documento de Informações Periódicas (DIOPS), do Sistema de Informações de Fiscalização (SIF) e o Sistema de Informação de Beneficiários (SIB). (ANS)

 


Versão para impressão


RODAPE