Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5374 | 01 de Agosto de 2022

RAMO CRÉDITO: Comitê Técnico discute Plano Safra e os principais pontos do PLP 27

O Sistema Ocepar reuniu na última sexta-feira (29/07) as cooperativas integrantes do Comitê Técnico do Ramo Crédito do Paraná. Em pauta, dois assuntos bastante repercutidos no meio: a participação das cooperativas nas operações de crédito do Plano Safra 2022/2023 e o PLP 27, aprovado em julho pelo Senado e cujo texto trata da legislação das cooperativas de crédito. “Este grupo técnico tem dado importantes contribuições para as discussões acerca das demandas do ramo crédito, inclusive no Plano Safra. Sobre o PLP 27, é importante aprofundar as discussões em torno desse tema e a OCB, que acompanhou a tramitação da matéria muito de perto, pode nos auxiliar trazendo um histórico, contextualizando, falando onde estamos e como chegamos aqui”, disse o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, ao abrir a reunião.

Prodecoop - De acordo com o dirigente, sobre o plano safra há uma preocupação grande em relação ao volume de crédito que será disponibilizado para o Prodecoop (Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária. “Esta é uma linha importante para as cooperativas que nos últimos anos têm investido forte na agroindustrialização dos produtos in natura. Temos estimado uma demanda superior a R$ 5 bilhões ao ano. E o Prodecoop é, basicamente, a nossa única opção de fonte, porque devido as características do modelo de negócios cooperativo, não podemos captar dinheiro fora, ou seja, no mercado”, disse Ricken.

Contextualização - Para detalhar o Plano Safra, o Sistema Ocepar convidou o secretário interino da subsecretaria de Política Agrícola e Negócios Agroambientais do Ministério da Economia, Francisco Erismá Oliveira Albuquerque que, por sua vez, falou do cenário econômico sob o qual o plano safra foi construído.  “O governo vinha tentando, desde 2019, fazer uma mudança conjuntural de tal forma que a gente incentivasse o crédito livre, fazendo com que a economia como um todo se movimentasse. E aí veio a pandemia e atrapalhou todos os planos. E ela ainda nos trouxe alguns desafios, sendo que o primeiro foi cuidar das contas públicas”, comentou Albuquerque.

Construção - Diante de tal conjuntura, conseguir um volume de recursos para o plano safra que atendesse as demandas reais dos produtores por crédito, tornou-se uma empreitada desafiadora. “Foi uma experiência construir um pacote de medidas diante de um cenário de alta da Selic, elevação do custo da safra, entre outros problemas.  Estes fatores nos fizeram trabalhar de uma forma inédita. Costumo dizer que foi o melhor exemplo do pior cenário que podíamos ter para trabalhar o plano safra” disse. “Foi um plano safra em que optamos por duas coisas básicas: nenhuma taxa acima da Selic e definir um volume de recursos suficientes para financiar a safra. Não mexemos nos limites de crédito porque eles já estão abaixo dos limites estabelecidos”, completou. 

Legislação - Para falar sobre a tramitação do PL 27, participaram da reunião a superintendente da Organização das Cooperativas Brasileira (OCB), Tânia Zanella, e o coordenador nacional do ramo, Thiago Borba Abrantes. “A OCB acompanhou a discussão que foi feita pelos sistemas com o Banco Central. Quem conhece como as coisas acontecem em Brasília, sabe que aqui nem tudo o que a gente quer, a gente consegue. Tudo foi feito com muita negociação. Sabemos que há pontos podem ser melhorados, mas foi uma grande conquista. Para se ter uma ideia, um projeto de lei complementar que, por si só tem um quórum qualificado, leva em média de seis a oito anos para ser aprovado. E com o PLP 27, levamos menos de anos para conseguir a aprovação, por unanimidade, na Câmara e no Senado Federal. Então, o sistema de crédito precisa, de fato, comemorar esse ganho. Este projeto é um marco”, disse Tânia.

Novidades - “O PLP 27 está na antessala da Presidência da República, aguardando a sanção presidencial. Resta, portanto, esta etapa, que é uma avaliação do poder executivo”, reforçou Tiago Borba que, na sequência, fez uma contextualização dos motivos que instigaram a atualização da Lei Complementar 130, de 2009, que instituiu o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo - SNCC. “Iniciamos os trabalhos em 17 de abril de 2019, exatos 10 anos após a instituição da LC 130, com a finalidade de promover alguns ajustes, entre os quais, a autorização para gestão de recursos de entes públicos municipais, proteção do capital social das cooperativas, por conta de ordens de penhora de quotas-partes, insegurança jurídica na realização de campanhas para fortalecimento do capital e na admissão de alguns cooperados PJ, bem como a necessidade e clareza no conceito de área de atuação das cooperativas de crédito”, pontuou Borba.

O texto - O PLP 27 altera a LC 130 sob três perspectivas: atividades e negócios; organização sistêmica; e gestão e governança do modelo. O texto permite a gestão de recursos oficiais ou de fundos públicos ou privados por cooperativas de crédito, contanto que sejam para concessão de garantias aos associados em operações com a própria cooperativa gestora ou com terceiros. Outra novidade é que a governança dual vira a regra para o SNCC, ou seja, a composição do órgão de administração será feita pelo Conselho de Administração e Diretoria Executiva. Além disso, fica proibido o acúmulo de cargos e presidente ou vice-presidente do conselho de administração e diretor executivo. Outros destaques do texto são:

- Possibilidade de contratação de conselheiro independente.

Conselho Fiscal facultativo: Pode a assembleia geral definir pela não instituição do Conselho Fiscal, ficando á cargo do Conselho de administração a fiscalização dos atos práticos pela Diretoria Executiva.

- O Conselho Fiscal passa a ser composto de 3 membros efetivos e apenas 1 suplemente.

- Fica proibida a constituição da cadeira de suplemente nos conselhos de administração.

- Alcance da legislação de regência do SFN às confederações de serviços – art. 1º: Confederações constituídas exclusivamente por cooperativas centrais de crédito para a prestação de serviços complementares e não financeiros.

- Conceito expresso na norma do enquadramento legal de cada tipo de cooperativa - Cooperativa de crédito: cooperativas singulares de crédito, cooperativas centrais de crédito e as confederações de crédito; Confederações de serviços: confederações constituídas exclusivamente por cooperativas centrais de crédito e que presentam serviços de natureza não financeira.

- Conceitos de área de atuação (amplo), área de ação (físico) e área de admissão (físico + virtual) – art. 2º-A – Área de ação: localidade previstas em estatuto onde estão as dependências físicas (sede e postos de atendimento da cooperativa); Área de admissão: espaço territorial/localidades onde a cooperativa pode admitir cooperados – podendo ser, inclusive, todo o território nacional. 

- Participação efetiva do quadro social nos processos de desfiliação – arts. 14-A e 15-A

- Intervenção da central em singular ou da confederação em central – art. 16-A

- Possibilidade de realização de assembleia à distância e semi-presenciais – art. 17

- Modernização na forma de convocação das Assembleias Gerais – art. 17-B

{vsig}2022/noticias/08/01/ramo_credito/{/vsig}

MERCADO INTERNACIONAL: Informe traz resultados do primeiro semestre da balança comercial brasileira

getec exportacoes 01 08 2022A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou o Informe Mercado Internacional, com o resultado da balança comercial brasileira referente ao primeiro semestre deste ano. No período, foi registrado um saldo acumulado de US$ 34,3 bilhões, com importações de US$ 129,8 bilhões e exportações de US$ 164,1 bilhões. Do total das exportações, US$ 79,3 bilhões correspondem aos produtos do agronegócio. O boletim destaca ainda que o agronegócio paranaense representa 79,0% dos embarques estaduais. O setor já exportou US$ 8,3 bilhões em 2022.

Complexo soja - O complexo soja corresponde a 37,2% das exportações do agro estadual, as carnes 25,8% e os produtos florestais a 23,0%. Os dois produtos com maior crescimento na pauta de exportações do agronegócio no primeiro semestre, em relação à 2021, foram o milho (74%) e óleo de soja (65%). Segundo o informe da Getec, o expressivo aumento de vendas do cereal pode ser entendido como reflexo do conflito Rússia e Ucrânia.

Clique aqui e confira na íntegra o Informe Mercado Internacional da Getec

FOTO: Cláudio Neves / Appa

 

MÍDIA: Relação entre seguro rural e cooperativismo é destaque no podcast da CBN Maringá

midia 01 08 2022A relação entre seguro rural e cooperativismo é o tema do podcast divulgado pela rádio CBN Maringá. A jornalista Luciana Peña inicia destacando que o Paraná responde por 26% de todo seguro agrícola no país. É o estado que mais concentra contratos. Isso porque 70% ou mais das propriedades rurais do Paraná são de pequenos ou médios agricultores, que são associados a cooperativas. “E as cooperativas estimulam a utilização do seguro rural”, acrescentou. Luciana conversou sobre o tema com o analista técnico da Ocepar, Salatiel Turra. A jornalista também ouviu o secretário estadual da Agricultura, Norberto Ortigara, um produtor rural e um representante de uma seguradora. Clique aqui e confira na íntegra o podcast.

 

COOPERATIVISMO: Presidente do Sistema OCB participa da primeira reunião do Conselho da ACI

cooperativismo 01 08 2022O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, participou da primeira reunião oficial dos membros do Conselho de Administração da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), na terça-feira (26/07), em Bruxelas. Entre as deliberações, os conselheiros foram apresentados às estruturas da ACI e criaram suas comissões temáticas que tratarão de: Recursos Humanos, Membros, Auditoria e Riscos, Cooperação Internacional, Identidade Cooperativa, Comunicação e Governança.

Recursos Humanos - O presidente Márcio integrará a comissão de Recursos Humanos. O colegiado também tratou de assuntos estratégicos e urgentes para o cooperativismo mundial e agendou o próximo encontro para os dias 15 e 16 de outubro, no Cairo, Egito.

Almoço - Na oportunidade, o presidente do Sistema OCB também participou de almoço com os presidentes da ACI, da ACI-Américas e da Copa-Cogeca, organização que é fruto da união das cooperativas agrícolas Copa e Cogeca, que representa os agricultores europeus.

Enorme e expressiva - “A Copa-Cogeca é enorme e expressiva dentro da União Europeia. Ela tem capacidade e abertura para influenciar governos em relação aos subsídios agrícolas, em acordos de livre comércio e outras orientações em defesa dos produtores europeus. A reunião foi muito produtiva e pudemos falar mais sobre nossa participação conjunta na COP-27. A abertura de mais este canal de comunicação internacional é importante para demonstrarmos o quão semelhante somos na sustentabilidade econômica e social, além de ser um ganho de imagem para o coop brasileiro”, salientou Márcio.

Visita - A comitiva brasileira realizou ainda visita à Missão Permanente do Brasil à União Europeia para tratar de promoção comercial. O presidente Márcio foi recebido por boa parte dos diplomatas, que o ouviram explanar sobre os interesses do cooperativismo brasileiro em exportar seus produtos e serviços. "Falei sobre nossos cases de sustentabilidade, nosso reconhecimento internacional, nossa capacidade de liderança e nossa atuação em redes. Esta foi outra reunião extremamente produtiva onde deixamos vários canais abertos", declarou.

Apex-Brasil- Em Bruxelas, o presidente se reuniu com o CEO do escritório da Apex-Brasil para a Europa, Alex Figueiredo, para tratar da promoção comercial dos produtos e serviços exportados pelo Brasil. “Já temos, desde 2020, projetos em parceria com a Apex voltados tanto para ações de mercado como participação em feiras internacionais, rodadas de negócios, missões de prospecção comercial e encontro com investidores, como também em capacitações e preparação das cooperativas para exportar. Este novo contato institucional vai ajudar ainda mais nossas cooperativas em estudos, oportunidades e em sanar dificuldades”, explicou Márcio.

Desenvolvimento sustentável - O presidente reforçou ao CEO, que os produtos das cooperativas brasileiras têm comprometimento com o desenvolvimento sustentável e com a comunidade. Ele apresentou cases de cooperativas exportadoras com a responsabilidade ambiental. “Nosso lastro é comunitário, inclusivo e convergente aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU)”, disse.

Desdobramento - Como desdobramento, o Sistema OCB trocará informações com a Apex-Brasil para a Europa sobre os produtos das cooperativas e o mapeamento de demandas de mercado que elas têm com a União Europeia. (Sistema OCB)

 

EDUCAÇÃO: Abertas as inscrições para concorrer a bolsas do ProUni

Estão abertas as inscrições para estudantes de cooperativas educacionais concorrerem as bolsas de estudo do Programa Universidade para Todos (ProUni). Podem participar os alunos que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e atingido a média de 450 pontos em cada matéria e não tenham zerado a redação. A inscrições começam nesta segunda-feira (01/08) e se encerram na quinta-feira (04/08). A primeira e segunda chamadas serão, respectivamente, nos dias 8 e 22 de agosto.

Parciais ou integrais - Os estudantes concorrem a bolsas de estudo parciais (de 50%) ou integrais (100%), em diversas universidades privadas brasileiras. A inclusão dos estudantes das cooperativas educacionais foi garantida pela Lei 14.350/22, sancionada em maio, que amplia o alcance ProUni.

Antes - Antes da sanção, o ProUni alcançava apenas estudantes que cursaram o ensino médio todo em escola pública ou com bolsa integral em instituição privada. Agora, o programa estendeu o incentivo para alunos de escolas privadas, o que inclui as cooperativas educacionais. O requisito da renda familiar mensal per capta de até 3 salários-mínimos foi mantido.

Prouni - O programa foi criado em 2005 e prevê a oferta de bolsas para estudantes de graduação em faculdades privadas em troca da isenção de tributos (IRPJ, CSLL e PIS/Cofins). As cooperativas educacionais atuavam pela inclusão de seus alunos no Programa desde 2009. (Sistema OCB)

FOTO: Pixabay

FRENCOOP I: Equalização de juros do Plano Safra garante segurança alimentar

frencoop I 01 08 2022A Lei 14.413/2022, publicada em 15 de julho, abriu crédito suplementar de R$ 1,2 bilhão para equalizar os juros de operações de financiamento do Plano Safra 2022/2023. A subvenção será usada para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), custeio agropecuário, comercialização de produtos e investimento rural e agroindustrial.

PLN 18/22 - A nova Lei, que contou com forte atuação da Organização das Cooperativas Brasileiras (Sistema OCB) e da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), é resultado do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 18/2022. O dinheiro vai sair da reserva de contingência, uma dotação genérica do Orçamento usada pelo Poder Executivo para despesas imprevistas.

Divisão - Os recursos serão divididos entre operações do Plano Safra, incluindo o Pronaf que receberá R$ 532 milhões; o custeio agropecuário com R$ 443,5 milhões; o investimento rural e agroindustrial, cm R$ 216,5 milhões; e a comercialização de produtos agropecuários, com R$ 8 milhões.

Mais competitivo - A deputada federal Aline Sleutjes (PR), diretora da Frencoop, destaca que o Plano Safra apresenta crédito mais competitivo para pequenos e médios agricultores, o que contribui para o Brasil fazer sua parte para atender a demanda mundial por alimentos. “Temos no momento uma Selic de 13,25% e, mesmo assim, conseguimos liberar os benefícios do Pronaf e do Pronamp [Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural] com juros de 5% a 8%. Isso já possibilita o desenvolvimento de mais uma safra com qualidade e eficiência”, explica.

Importante - Segundo a parlamentar, a equalização de juros em financiamentos rurais é importante porque os bancos, quando emprestam recursos ao produtor para viabilizar a produção, só conseguem oferecer essas taxas mais baixas quando o governo cobre a diferença. “O Brasil hoje é um dos mais importantes produtores mundiais e, essa ajuda, esse auxílio que o governo oferece aos produtores, é fundamental para garantir a segurança alimentar no país e no mundo”, complementa.

Atendimento - A Lei permite que as instituições financeiras já iniciem o atendimento da demanda dos produtores rurais de todo o país por esses recursos, direcionados principalmente para investimentos, no âmbito dos programas de investimento, tais como o Programa para a Adaptação à Mudança do Clima e Baixa Emissão de Carbono na Agropecuária (Programa ABC+), o Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) e o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro), além do Pronaf e do Pronamp.

Recursos - O Plano Safra 2022/2023 tem disponível, até junho do ano que vem, R$ 340,88 bilhões para apoiar a produção agropecuária brasileira. Do total, R$ 246,28 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização, enquanto R$ 94,6 bilhões vão para investimentos. Os recursos com juros controlados somam R$ 195,7 bilhões e, com juros livres, R$ 145,18 bilhões. O montante de recursos equalizados (R$ 115,8 bilhões) cresceu 31% na atual safra.

Apoio - Presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, ressalta que os recursos irão apoiar as cooperativas que respondem por 53% da produção agrícola do país. “As projeções da equipe do Ministério da Agricultura nos apontam para uma safra de quase 340 milhões de toneladas. Contribuindo diretamente com esse desempenho do setor estão as 1,2 mil cooperativas agropecuárias que congregam 1 milhão de cooperados agricultores”, frisa. (Sistema OCB)

FOTO: Elaine Menke / Agência Câmara

 

FRENCOOP II: Crédito para o agro é prioridade, afirma deputado Pedro Lupion

frencoop II 01 08 2022O agronegócio é o principal motor da economia nacional e o Crédito Rural é um aliado para que os resultados continuem sendo expressivos. De acordo com o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as cooperativas representam 53% da produção agrícola brasileira. Ainda de acordo com o Instituto, 71% dos estabelecimentos rurais de produtores ligados a cooperativas são de perfil de agricultura familiar, o que evidencia a relevância do modelo cooperativo para o agro principalmente na dinâmica com pequenos e médios agricultores.

Capilaridade - O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, avalia que o acesso ao crédito rural por meio de cooperativas de crédito é assertivo por sua capilaridade. “São as cooperativas de crédito que atuam prioritariamente junto aos pequenos e médios produtores pelo interior do nosso país. São elas quem estão possibilitando o adequado acesso para o financiamento de suas atividades e entendendo de perto a necessidade do produtor cooperado. As cooperativas de crédito são as únicas instituições financeiras em 264 municípios agrícolas do país”, assevera.

Segurança alimentar - O presidente destaca que as cooperativas agro, por sua vez, são protagonistas na garantia da segurança alimentar global. “As projeções do Ministério da Agricultura apontam para uma safra 2031/2032 de quase 340 milhões de toneladas de grãos. Contribuindo diretamente com esse desempenho estão as 1,2 mil cooperativas do ramo, que congregam um 1,1 milhão de cooperados. Ponto este que reforça que somos legítimos beneficiários do Crédito Rural”, acrescenta.

Pronaf - O deputado Pedro Lupion (PR), membro da diretoria da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), afirma que além dos R$ 53,6 bilhões voltados para financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), outros pontos do Plano Safra 22/23 também representam um reconhecimento do governo à importância do agro e do crédito rural para o país. “As cooperativas e produtores terão um total de R$ 243,4 bilhões, valor extremamente relevante para garantir nossa safra”.

Lei do Agro - O parlamentar lembra que, desde a aprovação da Lei do Agro (13.986/20), o acesso ao crédito tem sido ampliado. “Desde que aprovamos a Lei, fruto do meu parecer à Medida Provisória 897/19, já contribuímos bastante para desburocratizar o setor, facilitar o acesso ao crédito agrícola e permitir que o produtor utilize parte de seu patrimônio como garantia – ao invés de toda a propriedade como antes. Neste ano, com a Lei 14.421/22, oriunda da aprovação do meu parecer à Medida Provisória 1.104/22, fizemos alterações importantes tanto os fundos de garantia, como os títulos do agro como o Cédula de Produto Rural (CPR). Tudo isso tem dado segurança jurídica e oferecido alternativas aos produtores e, claro, facilitado o acesso ao crédito”, frisa.

Plano Safra - Com o montante de R$ 340,88 bilhões, o Plano Safra 22/23, teve aumento de 36%, se comparado ao ano anterior, e fortalecerá o agronegócio até junho de 2023. Deste valor, R$ 94,6 bilhões são para investimentos; R$ 53,61 bilhões para o Pronaf; e R$ 6,19 bilhões para o Programa ABC.

Juros - O Pronaf terá taxa de juros de 5% para produção de alimentos e produtos oriundos da sociobiodiversidade e 6% para os demais produtos. Já o Pronamp contará com o volume de R$ 43,75 bilhões, com juros de 8% ao ano. O PCA, que financia investimentos para construção ou ampliação de armazéns conta com R$ 5,13 bilhões, com taxas de juros que variam entre 7% e 8,5%. (Sistema OCB)

FOTO: Pablo Valadares / Agência Câmara

 

AGRÁRIA: Dia do Agricultor é celebrado com palestra de Hortência Marcari

Na quinta-feira (28/07), data em que se comemorou o Dia do Agricultor, a Agrária preparou uma programação especial para seus cooperados. Eles e suas famílias foram recebidos no Centro Cultural Mathias Leh, em Entre Rios, Distrito de Guarapuava (PR), para a palestra Lições de uma vida: estratégia, valores e atitudes, com Hortência Marcari, vice-campeã olímpica, campeã mundial e primeira brasileira a fazer parte do Hall da Fama do Basquetebol.

Dificuldades - Ao dar às boas-vindas aos participantes, o Diretor Vice-Presidente da Agrária, Manfred Majowski, destacou as dificuldades encontradas pelos produtores rurais no dia a dia e a importância desses profissionais para o desenvolvimento da sociedade. “A Agrária só existe por causa do cooperado. E, se hoje podemos trabalhar com a agricultura é porque nossos antepassados tiveram coragem e persistência, para que as novas gerações pudessem crescer com bem-estar social”, disse.

Exemplos - Em uma conversa dinâmica e descontraída com o público, Hortência utilizou exemplos de sua vida de atleta para abordar a importância de estabelecer metas, fazer escolhas e agir para que os objetivos se concretizem. “Quando encontramos dificuldades no presente e conseguimos enfrentá-las com certeza encontraremos facilidades no futuro”, afirmou a Rainha do Basquetebol.

Coquetel - Após a palestra, os cooperados foram recepcionados no Foyer do Centro Cultural, com um coquetel preparado com produtos da Ireks do Brasil. (Imprensa Agrária)

{vsig}2022/noticias/08/01/agraria/{/vsig}

COCAMAR I: Cocamar Máquinas inova com entrega técnica virtual de maquinário

Pela primeira vez, a Cocamar Máquinas/Concessionária John Deere promoveu de forma virtual uma entrega técnica de maquinários, direcionada a compradores de colheitadeiras do modelo S550.

Cambé - Na manhã de sexta-feira (29/07), o treinamento presenciado por clientes que se encontravam na loja de Cambé (PR), foi transmitido por meio do canal da concessionária no Youtube para ser acompanhado, também, por produtores das filiais de outras regiões.

Padronizar - A prática tem a proposta de “garantir mais afinidade com um número maior de pessoas e também para padronizar as informações”, explicou o superintendente da Cocamar Máquinas, Arquimedes Alexandrino.

Ver e rever - Com o vídeo, que vai ficar disponível por seis meses, o comprador tem a oportunidade de ver e rever as orientações quantas vezes quiser, sendo que, posteriormente, técnicos da concessionária se deslocam até as propriedades para fazer as regulagens e ajustes das colheitadeiras.

Performance - As informações visam a orientar o cliente a ter a melhor performance possível com sua máquina, destacou o gerente Corporativo de Pós-Vendas, Heliotérico de Morais. “O treinamento é importante para inibir a ocorrência de eventuais problemas”, disse.

Dicas - As orientações foram prestadas por André Rondoni, instrutor certificado John Deere, que abordou, entre vários outros itens, dicas para otimização de colheita, funcionalidades do maquinário e uma imersão nas tecnologias embarcadas na colheitadeira S550.

Estrutura - Sediada em Maringá (PR), a Cocamar Máquinas/Concessionária John Deere, conta com filiais em Apucarana, Cambé, Cornélio Procópio e Andirá (norte do Estado), Ivaiporã (centro norte) e Paranavaí (noroeste), com lojas express em São Jorge do Ivaí e Querência do Norte (noroeste) e São Pedro do Ivaí (centro-norte). (Imprensa Cocamar)

COCAMAR II: O 1º Seminário de Produção de Sementes em Cambé

Promovido pela Cocamar na última sexta-feira (29/07), em Cambé (PR), o 1º Seminário de Produção de Sementes contou com a participação de especialistas e dezenas de produtores cooperados de várias regiões. A programação se estendeu das 8 às 17h com palestras técnicas, apresentação de portfólios e orientações sobre regulagem de colheitadeiras, entre outros itens.

Qualidade - Ao fazer a abertura, o gerente da Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) da Cocamar, Diogo Amaral, disse que o foco na excelência da qualidade das sementes faz parte do planejamento estratégico da cooperativa que, desde 2018, atua nesse segmento, com sua ampla estrutura localizada em São Sebastião da Amoreira, norte do Estado.

Palestra - Por sua vez, qualidade de produção de sementes e seus aspectos fisiológicos, físicos e sanitários para campos de produção de excelência, foi o tema da apresentação do pesquisador Francisco Carlos Krzyzanowski, da Embrapa Soja.

Certificação - Humberto Rosada, coordenador Seedcare Syngenta, discorreu sobre tratamento de sementes e ressaltou que, pelo segundo ano consecutivo, atendendo a uma série de exigências, a Sementes Cocamar foi certificada com a conquista do Seedcare em Excelência de Qualidade por aquela companhia. Ele informou que apenas 25% do setor sementeiro, em nível nacional, possui tal reconhecimento.

Portfólios - Bruno Cavenagui, representante técnico de vendas da Syngenta, falou sobre proteção de cultivo, enquanto Iuri Ivan Taffarel, engenheiro agrônomo da Golden Harvest, apresentou o portfólio de lançamento da empresa de sementes, e Guilherme Honda fez uma demonstração da linha de foliares e adjuvantes Viridian, produzida pela Cocamar.

Regulagem - A agenda foi concluída com uma explanação e atividade prática a respeito de regulagem de colheitadeiras, procedida por Heliotérico de Morais, gerente corporativo de Pós-Vendas da Cocamar Máquinas/Concessionária John Deere.

Final - Os cooperados receberam certificados pela participação no evento, conferidos por Humberto Rosada, da Syngenta, e um conjunto fornecido pela Embrapa Soja para validação da colheita. (Imprensa Cocamar)

SICREDI PROGRESSO: Nova sede é inaugurada em Toledo (PR)

A Sicredi Progresso, instituição financeira cooperativa, inaugurou na sexta-feira (29/07), sua nova sede em Toledo (PR). A cerimônia contou com a presença de colaboradores, conselheiros, coordenadores de núcleo e autoridades locais, entre outros convidados.

Localização privilegiada - O espaço está em uma localização privilegiada da cidade, no aceso do Parque do Povo - Luiz Cláudio Hoffmann, na Rua Treze de Abril, 2590 – quem passar pelo espaço verá o Sicredi. A estrutura conta com 2.900m², uma arquitetura moderna e aconchegante onde cada detalhe foi pensado para proporcionar ainda mais bem-estar aos colaboradores, associados e a comunidade. A Sede da Sicredi Progresso é o novo local de trabalho para mais de 100 colaboradores e de onde acontece o apoio e o direcionamento para as 21 agências no Paraná e São Paulo.

Aprovação - O presidente da Sicredi Progresso, Cirio Kunzler, explica que a construção desse espaço foi aprovada em assembleia pelos associados. “Eles entenderam que o local que estávamos não comportava mais o nosso crescimento. Estou orgulhoso desse momento, essa entrega é parte do nosso planejamento estratégico. Vivemos um dos melhores momentos da nossa história. E a gente continua sonhando, pois sabemos que temos um futuro promissor e como costumamos dizer: estamos apenas começando”, finaliza.

Progresso - Em 2021 o resultado da cooperativa foi de R$ 31,8 milhões, o que representa um aumento de 47,2% comparado ao exercício anterior. A Sicredi Progresso conta atualmente com mais de 58 mil associados. O próximo passo de expansão da Sicredi Progresso em Toledo é a inauguração de uma agência exclusiva para atendimento dos associados do segmento Agro. Em São Paulo – ainda neste ano - será a vez do município de Salesópolis receber o Sicredi.

Sobre a Sicredi Progresso PR/SP - Com 40 anos de atuação a Sicredi Progresso PR/SP está presente na vida de mais de 58 mil associados. Com uma história, construída na essência da cooperação, a Cooperativa possui 21 agências distribuídas na área de ação nos estados do Paraná e São Paulo. Destas, 14 estão no Paraná e outras 7 em São Paulo. Seu capital humano conta com aproximadamente 400 colaboradores focados nos valores do cooperativismo e na oferta de produtos e serviços financeiros adequados aos associados, de um jeito simples e próximo. A Sicredi Progresso integra o Sistema Sicredi que hoje está em 25 estados e no Distrito Federal. (Imprensa Sicredi Progresso PR/SP)

{vsig}2022/noticias/08/01/sicredi_progresso/{/vsig}

SICREDI CAMPOS GERAIS: Agência ganha espaço mais amplo e moderno em Curiúva

sicredi campos gerais 01 08 2022Em Curiúva (PR) desde 2003, a Sicredi Campos Gerais PR/SP realocou a tradicional agência do município para um prédio novo e maior, localizado na Rua Antônio Cunha, 727, no Centro. A reinauguração aconteceu na sexta-feira (29/07) em um evento com a participação do presidente da cooperativa, Popke Ferdinand Van der Vinne, membros da diretoria, autoridades locais, colaboradores e associados, correntistas e poupadores.

Rede física e digital - Segundo o presidente da cooperativa, Popke Ferdinand Van der Vinne: “Investir na rede física e na digital permite que o associado escolha como e onde quer ser atendido, o que reforça a posição dele de verdadeiro dono do negócio que, além de ter voz ativa na gestão da cooperativa e ter parte nos resultados financeiros, pode também decidir o que precisa - sem ficar refém de um celular ou de uma central telefônica.”

Prestigiar o associado - Segundo o diretor executivo da Sicredi Campos Gerais PR/SP, Marcio Zwierewicz, a mudança de endereço é a melhor maneira de prestigiar associados e colaboradores da agência: “Nesses 19 anos de atuação em Curiúva, estamos na nossa quarta sede. Esse é o verdadeiro reflexo da construção de laços fortes com a comunidade local. A nova agência é um meio de agradecer por tudo que vivemos ao lado dos nossos associados e ainda dar boas-vindas para uma nova fase e para novas pessoas e empresas que venham construir conosco a nossa história a partir aqui”, afirma.

Nova fase - Com uma estrutura inovadora no município, a unidade tem 907m2, 5 caixas de autoatendimento, Espaço café, Espaço coworking, 4 guichês de caixa, 2 guichês de atendimento expresso, Atendimento Pessoa Física, Atendimento pessoa jurídica, Atendimento agronegócio, Sala de reunião e treinamento e 21 vagas de Estacionamento.

Ambiente - “A agência foi projetada para ser mais que uma agência, e sim, como um ambiente onde o associado pode socializar, construir uma rede de contatos, fazer reuniões e ter um atendimento especializado em um só lugar. Mantendo assim a excelência tradicional do Sicredi e inovando a fim de proporcionar a melhor estrutura para os atuais e ampliar a capacidade de atendimento para receber os futuros associados, sempre imbuídos do propósito de contribuir para o desenvolvimento da região. Convido a todos os curiuvenses, que venham conhecer e prestigiar abrindo suas contas ou poupanças com a gente.”, comenta o gerente da agência Robson Jardim de Oliveira.

SERVIÇO

Endereço: Rua Antônio Cunha, 727, Centro

Horários de funcionamento: Autoatendimento diariamente das 6h às 21h; atendimento de segunda a sexta das 10h às 15h.

Sobre o Sicredi - A Sicredi Campos Gerais PR/SP é uma das 108 cooperativas do Sistema Sicredi e é responsável por agências nos Campos Gerais e Grande Curitiba no PR e Vale do Ribeira e Baixada Santista em SP. O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento de seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Possui um modelo de gestão que valoriza a participação dos mais de 6 milhões de associados, que exercem o papel de donos do negócio. Com mais de 2.200 agências, o Sicredi está presente fisicamente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, disponibilizando mais de 300 produtos e serviços financeiros. (Imprensa Sicredi Campos Gerais PR/SP)

 

CRÉDITO RURAL I: Suspensão de operação de linhas do Plano Safra 2022/23-BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou na quarta-feira (27/07) a suspensão temporária dos pedidos de financiamento de operações de crédito rural de investimento para o ano agrícola 2022/2023. O comunicado foi feito às instituições financeiras que operam com os recursos do banco.

Metodologia - A Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) esclarece que a suspensão adotada está em consonância com metodologia utilizada pelo Tesouro Nacional para o pagamento de equalização de taxas de juros. Conforme a metodologia, a média dos saldos diários, do saldo devedor vincendo dos financiamentos, não pode exceder o limite de recursos equalizáveis disponibilizados para o BNDES.

Demanda aquecida - A Secretaria destaca que esse tipo de interrupção ocorreu na safra passada, o que revela uma demanda aquecida, e os pedidos de financiamento foram retomados logo em seguida pelo banco.

Total - Desta forma, os recursos suspensos totalizam apenas R$ 1,5 bilhão do total dos R$ 19,8 bilhões disponibilizados para o BNDES, ou seja, não há esgotamento dos recursos. Essa suspensão poderá ser revista pelo banco a medida que os cálculos futuros apontem que os limites equalizáveis não foram ultrapassados.

Linhas - A suspensão temporária ocorreu nas seguintes linhas:

- Crédito Agropecuário Empresarial de Investimento

- Adaptação à Mudança do Clima e Baixa Emissão de Carbono na Agropecuária (Programa ABC+, exclusivamente às linhas ABC+ Recuperação, ABC+ Orgânico, ABC+ Plantio Direto, ABC+ Integração, ABC+ Florestas, ABC+ Manejo de Resíduos, ABC+ Dendê, ABC+ Bioinsumos, ABC+ Manejo dos Solos);

- Construção e Ampliação de Armazéns (PCA, exclusivamente à linha destinada a operações com taxa de juros prefixada de até 8,5% a.a.);

- Financiamento à Agricultura Irrigada e ao Cultivo Protegido (Proirriga)

- Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária (Prodecoop);

- Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias (Procap-Agro Giro).

Disponibilização - Ressalta-se que o Plano Safra 2022/23 disponibilizou para esta temporada R$ 115 bilhões com fontes equalizáveis, dos quais o BNDES responde por 17,2%. Os recursos 

CRÉDITO RURAL II: Cafeicultores já podem acessar financiamentos do Funcafé

credito rural II 01 08 2022Os cafeicultores já podem acessar as linhas de financiamentos do Funcafé (Fundo de Defesa da Economia Cafeeira) em 12 instituições financeiras. Os extratos das contratações estão publicados no Diário Oficial da União (DOU). São elas: Banco Ribeirão Preto, Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais-BDMG, Banco Inter, Bradesco, e as Cooperativas de Crédito: Central Cresol, Credinter, Agrocredi, Credicarpa, Credialp, Credicarmo, Credivar, e Central de Crédito do Espírito Santo.

Assinaturas - Conforme o Departamento de Comercialização e Abastecimento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, as assinaturas dos contratos com as demais instituições ocorrem de forma célere para disponibilizar com agilidade os recursos do Funcafé no mês de julho.

Destinação - As linhas de crédito disponíveis são destinadas para os financiamentos dos tratos culturais da lavoura, armazenagem, comercialização e aquisição do produto, capital de giro para indústrias e cooperativas de produção, e ainda para recuperação de cafezais danificados por chuvas de granizo, geadas, vendavais ou outros fenômenos climáticos.

Outros - Em fase final de contratação estão outros 25 agentes financeiros. Ao todo, há R$ 6,058 bilhões no Fundo para a safra 2022/2023.

Distribuição - Os recursos disponíveis estão distribuídos nas seguintes linhas:

I – crédito de custeio: até R$ 1,57 bilhão

II – crédito de comercialização: até R$ 2,17 bilhões

III – Financiamento para Aquisição de Café (FAC): até R$ 1,38 bilhão

IV – crédito para capital de giro para indústrias de café solúvel e de torrefação de café e para cooperativa de produção: até R$ 775 milhões

V – crédito para recuperação de cafezais danificados: R$ 160 milhões

Limite - A taxa de juros do Funcafé para esta safra está limitada em 11%. A remuneração do Fundo foi estabelecida em 8%, mantendo a remuneração do agente financeiro em até 3%, sendo de livre negociação entre as partes. Apesar do aumento em relação à safra passada, a taxa ficou abaixo da Selic (13,25%). (Mapa)

FOTO: iStock

 

CENSO 2022: Mais de 89 milhões de domicílios serão visitados em todo o país

censo 01 08 2022Com o objetivo de levantar dados amplos e confiáveis sobre diversos aspectos da vida dos brasileiros, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realiza, a cada 10 anos, o censo demográfico. Com dois anos de atraso por causa da pandemia de covid-19 (em 2020) e falta de recursos (em 2021), os mais de 183 mil recenseadores começam, nesta segunda-feira (01/08) a colher informações para a 13ª edição do levantamento. A previsão é de realizar entrevistas em 89 milhões de endereços, nos 5.568 municípios brasileiros, além do Distrito Federal e do Distrito Estadual de Fernando de Noronha. “É por meio do Censo 2022 que saberemos quantos somos, como somos e de que forma vivemos nas áreas urbanas e rurais do país”, indica o IBGE. A estimativa do instituto é de que a população brasileira some em torno de 215 milhões de habitantes. No último levantamento, em 2010, o país tinha 190,8 milhões de habitantes.

IBGE - O orçamento do Censo 2022 tem valor confirmado de R$ 2,3 bilhões, dos quais 80% destinam-se à contratação temporária de profissionais: 211 mil pessoas, sendo 183.021 recenseadores, 18.420 supervisores e 10 mil agentes censitários. De acordo com o IBGE, os resultados do levantamento revelam as tendências e os parâmetros sobre nascimentos, mortes e migração, indispensáveis para a elaboração de projeções, estimativas populacionais e políticas públicas específicas. O censo é, também, a única fonte de referência nacional para o conhecimento das condições de vida da população em todos os municípios, com detalhamento por divisões administrativas de cada prefeitura e, ainda, por áreas urbanas e rurais.

Questionários - O Censo 2022 terá dois tipos de questionários: ampliado e simplificado. O primeiro, também chamado de amostra, terá 77 perguntas e será aplicado a 11% dos entrevistados. Ele leva, em média, 16 minutos para ser respondido. Já o simplificado ou básico, com 26 perguntas, será aplicado aos 89% restantes, e a previsão de duração da entrevista é de 5 minutos. Assim como em 2010, o levantamento deste ano será colhido totalmente de forma digital. Os recenseadores utilizam um dispositivo móvel de coleta (DMC), que é um computador de mão, semelhante a um aparelho celular. 

Sigilo - Para garantir o sigilo das informações, os dados inseridos nos DCMs estão criptografados e têm sistema de proteção. Nem mesmo os recenseadores têm acesso aos dados, depois de inseridos no dispositivo. O IBGE também segue uma política de sigilo e confiabilidade, além ter comitês de ética internos. O questionário básico traz perguntas sobre identificação do domicílio, informações sobre moradores, características do domicílio, identificação étnico-racial, registro civil, educação, rendimento do responsável pelo domicílio, mortalidade e dados da pessoa que prestou as informações. Já o ampliado investiga também informações sobre trabalho, rendimento, casamento, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, pessoas com deficiência, migração interna e internacional, deslocamento para estudo, deslocamento para trabalho e autismo.

Abordagem - Três formas de abordagem serão utilizadas para preencher os questionários: presencial, pela internet e por telefone. Mesmo que a pessoa opte por preencher o questionário pela internet, o recenseador irá a casa do entrevistado entregar um código necessário para preencher o questionário. Pelo telefone, ocorre o mesmo processo. No caso da entrevista pela internet, o morador terá sete dias para responder.

Identificação - Todos os recenseadores do IBGE estão identificados com boné e colete, além do crachá de identificação. Dentro do crachá há um QR Code e o cidadão pode apontar a câmara de celular para esse código, para confirmar o nome e a foto do recenseador e verificar se ele é, de fato, servidor do instituto. Também é possível checar a identidade do recenseador pela internet. Basta digitar o número da matrícula que consta no crachá no site do IBGE. Qualquer dúvida sobre a identificação do recenseador ou preenchimento do questionário pode ser esclarecida pelo telefone (0800-721-8181) ou pelo site Respondendo ao IBGE. (Agência Brasil)

FOTO: Tânia Rêgo / Agência Brasil

Clique no link e assista ao vídeo sobre o Censo 2022

 

FOCUS: Mercado financeiro reduz projeção da inflação de 7,30% para 7,15%

focus 01 08 2022A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, caiu de 7,30% para 7,15% neste ano. É a 5ª redução consecutiva da projeção. A estimativa está no Boletim Focus desta segunda-feira (01/08), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a expectativa de instituições para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para 2023, a estimativa de inflação ficou em 5,33%. Para 2024 e 2025, as previsões são de 3,3% e 3%, respectivamente.

Acima da meta - A previsão para 2022 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,5% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

Junho - Em junho, a inflação subiu 0,67%, após a variação de 0,47% registrada em maio. Com o resultado, o IPCA acumula alta de 5,49%, no ano, e 11,89%, em 12 meses.

IBGE - Os dados de julho devem ser divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no próximo dia 9, mas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), a prévia da inflação oficial, registrou inflação de 0,13% no mês passado, menor que a de junho (0,69%).

Taxa de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, definida em 13,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Para a próxima reunião do órgão, que acontece amanhã (2) e quarta-feira (3), o Copom já sinalizou que pode elevar a Selic em mais 0,5 ponto percentual.

Expectativa - Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic suba, neste mês, para 13,75% ao ano, em linha com a sinalização do BC, e encerre o ano nesse patamar. Para o fim de 2023, a estimativa é de que a taxa básica caia para 11% ao ano. E para 2024 e 2025, a previsão é de Selic em 8% ao ano e 7,5% ao ano, respectivamente.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas também podem dificultar a expansão da economia. Além da taxa Selic, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio - As instituições financeiras consultadas pelo BC elevaram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 1,93% para 1,97%. Para 2023, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 0,4%. Em 2024 e 2025, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 1,7% e 2%, respectivamente.

Cotação - A expectativa para a cotação do dólar manteve-se em R$ 5,20 para o final deste ano. Para o fim de 2023, a previsão é de que a moeda americana também fique nesse mesmo patamar. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

ECONOMIA: Governo bloqueia mais R$ 2,101 bi do Orçamento

economia 01 08 2022Uma semana após ter contingenciado (bloqueado) R$ 6,739 bilhões do Orçamento-Geral da União para 2022, o governo anunciou um bloqueio adicional de R$ 2,101 bilhões para preservar o funcionamento de alguns serviços públicos. A medida consta de decreto editado na sexta-feira (29/07) à noite pelo presidente Jair Bolsonaro.

Recomposição - Segundo a Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento, os R$ 2,101 bilhões recomporão a verba de despesas que, apesar de não serem obrigatórias, são consideradas inadiáveis e relevantes. Entre esses gastos, estão créditos para o Ministério da Educação pagar serviços, seguro rural e gastos com as agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Valor total - Com o bloqueio adicional, o valor total contingenciado no Orçamento de 2022 subiu de R$ 12,737 bilhões para R$ 14,839 bilhões. Em relação às emendas de relator e de comissão, a dotação total caiu de R$ 17,165 bilhões (valor aprovado no Orçamento) para R$ 9,081 bilhões, diferença de R$ 8,084 bilhões.

Emendas de relator - O Ministério da Economia não informou se os novos valores bloqueados de sexta-feira se referem apenas a emendas de relator e de comissão. Os R$ 12,737 bilhões anunciados na semana passada referem-se ao que o governo tem de bloquear para cumprir o teto federal de gastos. Os R$ 2,101 bilhões restantes dizem respeito ao contingenciamento de emendas parlamentares e de verbas discricionárias de outros ministérios para manter a execução de serviços públicos.

Planilha - A Secretaria Especial do Tesouro e Orçamento divulgou uma planilha com o detalhamento do contingenciamento por ministérios e por órgãos federais, mas os valores só se referem ao bloqueio total do ano, sem detalhar o contingenciamento da semana passada. Além disso, o contingenciamento das emendas de relator e de comissão não apareceu detalhado por órgãos, sob o argumento de que vários órgãos têm verbas dessas emendas, e o valor da dotação de cada um deles ainda pode sofrer alguns ajustes.

Alta - Com o contingenciamento adicional, o valor total bloqueado no terceiro bimestre subiu de R$ 6,739 bilhões para R$ 8,854 bilhões. Na semana passada, horas antes de o contingenciamento ser anunciado, o presidente Jair Bolsonaro tinha afirmado, em visita a um posto de gasolina em Brasília, que o corte extra no Orçamento poderia chegar a R$ 8 bilhões. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO I: Câmara faz esforço concentrado de votações a partir desta segunda-feira

legislativo I 01 08 2022O Plenário da Câmara dos Deputados se reúne nesta segunda-feira (01/08), às 17 horas, para o início da semana de esforço concentrado de votações após o recesso parlamentar de julho. Entre os itens em pauta estão sete medidas provisórias (MPs), duas das quais vencem na primeira semana de agosto.

Previsão - Há previsão de sessões ainda na terça e na quarta-feira às 13h55, e às 9 horas na quinta e na sexta-feira.

Teletrabalho - A primeira medida provisória da pauta (MP 1108/22) é a que regulamenta o teletrabalho. O objetivo, segundo o governo federal, é aumentar a segurança jurídica dessa modalidade de trabalho. A norma define teletrabalho (ou trabalho remoto) como a prestação de serviços fora das dependências da empresa, de maneira preponderante ou híbrida, que, por sua natureza, não pode ser caracterizada como trabalho externo. O texto também muda regras do auxílio-alimentação (o popular vale-refeição ou vale-alimentação).

Regras trabalhistas - Já a Medida Provisória 1109/22 autoriza a adoção de regras trabalhistas diferenciadas em situações de calamidade pública, entre elas a possibilidade de empresas cortarem ou suspenderem temporariamente jornadas e salários dos trabalhadores. Ao todo, o texto recebeu 148 emendas.

Mercado de trabalho - Também está na pauta a MP 1116/22, que institui o Programa Emprega + Mulheres e Jovens, para inserção e manutenção desse público no mercado de trabalho. A norma cria medidas para impulsionar a empregabilidade das mulheres, como a flexibilização do regime de trabalho – com adoção de jornada parcial e banco de horas, por exemplo; qualificação em áreas estratégicas a fim de estimular a ascensão profissional; e apoio na volta ao trabalho após a licença-maternidade. (Agência Câmara de Notícias)

Confira a pauta completa do Plenário

FOTO: Elaine Menke / Câmara dos Deputados

 

LEGISLATIVO II: Comissão vai debater produção de etanol em microdestilarias e cooperativas

 

legislativo II 01 08 2022A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados realiza na quarta-feira (03/08) audiência pública para debater a produção de etanol em microdestilarias e cooperativas de pequenos produtores. Também vão ser discutidas a comercialização direta e a tributação do setor.

 

Aumento da oferta- "As microdestilarias poderão contribuir para aumentar a oferta de combustível com valores mais baixos e ainda gerar empregos. Para isso, é fundamental que haja incentivos fiscais e uma flexibilização da atual estrutura de comercialização do etanol hidratado combustível", afirma o deputado Padre João (PT-MG), que solicitou o debate. A audiência também foi sugerida pelo deputado Reginaldo Lopes (PT-MG).

 

Autor - Padre João é autor do Projeto de Lei 9625/18, que autoriza as microdestilarias e as cooperativas a vender etanol diretamente para o consumidor final ou para postos revendedores. Entre outros pontos, o texto também prevê a criação de linhas de crédito para o setor. "O processo de montagem e operação de pequenas unidades produtoras de etanol hidratado é simples, barato e acessível aos produtores rurais. Por isso, deve ser estimulado, principalmente no Brasil, que tem potencial para ser o grande fornecedor mundial desse produto", diz Padre João.

 

Melhoria - O deputado ressalta que a produção e a comercialização de etanol combustível podem melhorar as condições econômicas da propriedade rural, aumentando a renda do produtor.

 

Votação - O projeto aguarda votação na Comissão de Finanças. A proposta já foi aprovada por outras duas comissões da Câmara: a de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; e a de Minas e Energia.

 

Convidados - Foram convidados para o debate: o professor Juarez de Souza e Silva, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), e representantes do Ministério de Minas e Energia; do Ministério da Economia; da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil; da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP); do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA); e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).

 

Horário - A audiência está marcada para as 10 horas, no plenário 4. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Saulo Cruz

 

SAÚDE: Brasil registra 20.313 novos casos e 28 óbitos nas últimas 24h

 

O Brasil registra 33.833.900 casos acumulados de Covid-19. Desses, 20.313 foram registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24 horas. As informações sobre o cenário epidemiológico foram atualizadas às 17h40 deste domingo (31/07), por meio de dados enviados ao Ministério da Saúde pelas secretarias de Saúde estaduais, municipais e do Distrito Federal.

 

Óbitos - Em relação aos óbitos, o País tem 678.514 mortes por coronavírus. Nas últimas 24 horas, foram registrados 28 óbitos nos sistemas oficiais. Outros 3.233 permanecem em investigação.

 

Recuperados - De acordo com os dados epidemiológicos compilados pela Pasta, o número de recuperados da Covid-19 é de 32.354.263, o que representa a maioria total de casos acumulados (95,6%) e é maior do que a quantidade de pacientes em acompanhamento médico (2,4%). (Ministério da Saúde)

 

 

a7044644-a355-4849-8057-cc030b7cda55

 

 

 


Versão para impressão


RODAPE