Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5379 | 08 de Agosto de 2022

FRENCOOP: Participação do coop de crédito pode saltar de 9% para 20% em dez anos

frencoop 08 08 2022A Lei Complementar 130/09, que rege o cooperativismo de crédito está a um passo de ser atualizada. Com articulação expressiva do Sistema OCB e de parlamentares integrantes da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), o Projeto de Lei Complementar (PLP) 27/20, que moderniza o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), aguarda o último passo de sua tramitação, a sanção presidencial. O texto aprovado pela Câmara e pelo Senado integra a pauta prioritária da Agenda Institucional do Cooperativismo 2022.

Bem vista - O presidente da Frencoop, deputado Evair Vieira de Melo (ES), sinaliza que a proposta é bem vista junto ao governo, pois foi elaborada com os principais atores do Ramo Crédito e em consonância com as diretrizes do Banco Central do Brasil.

Apoio - “O projeto foi aprovado com amplo apoio nas duas Casas Legislativas, além de ser construído de forma conjunta como Banco Central. Nossa mobilização [Frencoop] em parceria com a OCB [Organização das Cooperativas Brasileiras] foi fundamental para garantir essa conquista. O texto aprovado é um substitutivo de nossa autoria, que permite a gestão de recursos oficiais, ou de fundos públicos ou privados, por cooperativas de crédito, desde que sejam para concessão de garantias aos associados, em operações com a própria cooperativa gestora ou com terceiros. Essa modernização é fundamental para que o cooperativismo de crédito continue sendo um importante vetor de desenvolvimento do país e das economias locais”, destaca.

Atualização - Para o coordenador do Conselho Consultivo Nacional do Ramo Crédito (Ceco), do Sistema OCB, Moacir Krambeck, a atualização da lei transformará o país de forma a criar desenvolvimento com equidade. “Tenho certeza de que podemos avançar muito ainda com o cooperativismo de crédito. Estamos presentes em mais de 7,6 mil pontos físicos nos mais diversos municípios do país, auxiliando na inclusão financeira, na manutenção e equilíbrio dos índices demográficos, bem como colaborando para o surgimento de prósperas e novas realidades socioeconômicas no interior do país. Geramos riqueza e melhoramos a qualidade de vida dos brasileiros”, defende.

Áreas rurais - Ainda segundo o coordenador, nas áreas rurais, as cooperativas de crédito são responsáveis por 21% dos contratos realizados e 18,7% do volume financiado. Além disso, totalizam 19% dos contratos de crédito aos pequenos negócios e 13% do valor contratado a partir do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

Oxigenação - O deputado Evair lembra que o PLP 27 permite uma verdadeira “oxigenação de ideias e de conceitos” em aspectos diversos para o Ramo Crédito. “Com o novo texto legal, as cooperativas de crédito poderão disponibilizar novos produtos com ainda mais agilidade, bem como atender integralmente à demanda por crédito, em especial, de cooperados pessoas jurídicas. A atualização também torna impenhoráveis as quotas-partes de capital das cooperativas de crédito e permite campanhas promocionais visando atração de novos associados, entre outros avanços”, pontua o parlamentar.

Crescimento - Ainda de acordo com Evair, a expectativa de crescimento do mercado de crédito no Brasil é satisfatória. “Atualmente a participação do cooperativismo de crédito é de 9% e, com a consolidação prevista no PLP 27, poderemos chegar a 20%, em dez anos. Tudo isso, porque elas estão mais próximas, inclusive das pessoas que moram mais afastadas, entendendo cada necessidade e atendendo cada uma delas de forma diferenciada”, considera. (Sistema OCB)

FOTO: Paulo Sérgio / Agência Câmara

 

COOPERATIVISMO: Projeto prevê lei específica para recuperação judicial de cooperativas

cooperativismo 08 08 2022O Projeto de Lei 815/22, do deputado Hugo Leal (PSD-RJ), cria um regime específico de recuperação judicial e extrajudicial para as cooperativas (exceto as de crédito, reguladas pelo Banco Central). O texto, em tramitação na Câmara dos Deputados, altera a Lei do Cooperativismo.

Preservar - Segundo Hugo Leal, o objetivo é preservar a atividade econômica das cooperativas. Ele afirma que as cooperativas estão hoje desprotegidas, pois não foram abrangidas no regime de insolvência da Lei de Falências.

Características específicas - “A sociedade cooperativa apresenta características específicas. Então, nada mais justo que criarmos procedimentos respeitando suas peculiaridades, com estímulo econômico e sem trazer insegurança aos credores e aos próprios cooperados”, disse Leal.

Diferença - Para marcar a diferença com o regime das empresas, o projeto utiliza os termos reorganização judicial e reorganização extrajudicial. A proposta traz regras sobre adesão ao regime, prazos de pagamento das dívidas, Plano de Reorganização e medidas voltadas à transparência das contas das cooperativas.

Parcelamento - O texto também prevê o parcelamento de dívidas tributárias, com a possibilidade de transação, para as cooperativas que optarem pela modalidade judicial.

Suspensão - Pelo projeto, a cooperativa deverá aprovar em assembleia geral, com voto de pelo menos de 2/3 dos sócios presentes, a autorização para a diretoria ou conselho de administração pedir a reorganização na Justiça. O deferimento do pedido suspenderá a execução de todas as dívidas.

Sustadas - Assim, ficam sustadas medidas como arresto, penhora, sequestro, busca e apreensão, constrição judicial ou extrajudicial sobre os bens do devedor. Na reorganização extrajudicial a suspensão será convencionada pelas partes. Na judicial, o prazo será definido pelo juiz, por no mínimo 180 dias, prorrogável.

Ajuizamento - O texto admite o ajuizamento de tutela provisória para preservar os ativos da cooperativa nos 15 dias anteriores à homologação judicial da reorganização.

Dívidas - A proposta detalha os ritos da reorganização extrajudicial, mais simples e realizada direto com os credores, e judicial, mais complexa e conduzida pela Justiça. As cooperativas poderão renegociar uma ampla gama de dívidas - na judicial, o leque é maior -, com algumas exceções, como os débitos da cooperativa com seus associados.

Plano de Reorganização - Independentemente da modalidade, a cooperativa terá que apresentar um Plano de Reorganização, de modo similar ao que acontece com as empresas, detalhando contas, credores, dívidas, forma e prazo de pagamento. O plano terá que ser aprovado pelos credores e homologado na Justiça.

Expressão - Enquanto estiver em recuperação, o nome da cooperativa será acrescido da expressão “Em Reorganização” em documentos.

Tramitação - O projeto será analisado, em caráter conclusivo, pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Billy Boss / Câmara dos Deputados

 

COCAMAR: Cooperativa entre as Mais Inovadoras do Brasil

A inovação está no DNA da Cocamar e, a cada ano, a presença da cooperativa nos principais rankings relacionados às empresas mais inovadoras do país, só confirma essa realidade. Em 2022, por exemplo, depois de obter a primeira colocação no segmento cooperativas do Prêmio Empresa Inovadora, que fez parte do Viasoft Connect, a Cocamar acaba de conquistar outro importante reconhecimento nessa área.

Entre as 12 - Na quinta-feira (04/08), a IT Mídia divulgou a aguardada lista das 100 Empresas Mais Inovadoras do Brasil no Uso de TI e a cooperativa não apenas manteve a tradição de figurar com destaque no levantamento que reúne as principais corporações dos mais diversos setores, como se destaca entre as 12 primeiras colocadas.

Valoriza - Para a gerente executiva de TI e Gestão da Cocamar, Paula Rebelo, “só o fato de permanecer no concorrido ranking das 100 empresas mais inovadoras em nível nacional, já seria motivo de júbilo, mas estar entre as 12 primeiras colocadas é algo que valoriza ainda mais os esforços da cooperativa de continuar inovando”.

Inovar para ser competitivo - Tal distinção atende também, segundo ela, ao planejamento estratégico da cooperativa, que prevê a inovação como forma de manter a competitividade da organização e um crescimento sustentável. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2022/noticias/08/08/cocamar/{/vsig}

COOPAVEL: Filiais de 23 municípios convidam produtores ao Show Rural de Inverno

coopavel 08 08 2022As filiais da Coopavel em 23 municípios das regiões Oeste e Sudoeste do Paraná intensificam convites a cooperados e a produtores rurais para participar da terceira edição do Show Rural de Inverno. O evento vai ser realizado, gratuitamente, de 23 a 25 de agosto no parque que a cooperativa mantém no Km-577 da BR-277, em Cascavel (PR). “Estamos trabalhando muito para preparar esta mostra de tecnologia que se transforma no maior evento destinado ao trigo no Brasil”, diz o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli.

Convite - “Há duas semanas já estamos convidando o pessoal. E vamos intensificar o convite a partir de agora, porque se trata de uma grande oportunidade para conhecer de perto o melhor em novidades para as culturas destinadas aos meses frios”, destaca o gerente de Filiais Oeste, Altair Garcia. A Coopavel vai colocar 50 ônibus à disposição dos cooperados durante os três dias de evento. Para garantir lugar, os produtores precisam fazer a confirmação em suas respectivas filiais, complementa Altair.

Cultivares - Quarenta cultivares vão ser apresentadas durante a edição de inverno, dessas 29 de trigo e pelo menos dez delas de alta performance – com produtividade superior a seis mil quilos por hectare, mais que o dobro da média nacional, observa o coordenador geral do evento, Rogério Rizzardi. Os visitantes também conhecerão variedades de aveia, triticale e plantas de cobertura. Algumas das maiores empresas de pesquisas e insumos do mundo estarão presentes. A Coopavel participará com suas áreas de fertilizantes sólidos e foliares, biológicos e sementes. A Credicoopavel (Cooperativa de Crédito Agrícola Coopavel) também vai participar.

Novidades - A terceira edição trará novidades, como atividades técnicas no Centro Tecnológico de Avicultura, no Espaço Impulso e na Casa Paraná Cooperativo. As mulheres também terão uma agenda especial durante a programação oficial. Outra atração será a presença do agrônomo e analista de mercados Vlamir Brandalizze. Ele fará, nos três dias do evento, sempre com início às 15h, a palestra Um olhar sobre o mercado de grãos.

Gratuito - Além do acesso ao parque, o estacionamento também será gratuito. Saiba mais sobre o evento nos endereços showrural (Youtube, Facebook e Instagram) e no portal www.showrural.com.br . (Imprensa Coopavel)

 

SICREDI ALIANÇA: Cooperativa inaugura agência em Igarapava (SP)

Atenta às necessidades de seus associados e buscando estar cada vez mais próxima, levando os benefícios de uma cooperativa de crédito para as cidades onde está presente, a primeira instituição financeira cooperativa do Brasil chegou a Igarapava (SP). O Sicredi inaugurou, na noite de quinta-feira (04/08), mais uma agência, dando sequência ao seu plano de expansão. A agência fica próximo à praça Rui Barbosa, na área central da cidade.

Proximidade - “Nossa presença nacional e atuação local nos permite estar sempre próximos. O objetivo de uma instituição financeira colaborativa é, além de oferecer produtos e serviços, cumprir o seu papel no desenvolvimento conjunto para que associado e cooperativa possam prosperar. Os resultados gerados pelo Sicredi ficam na comunidade. Esse é o nosso modelo de negócios que também é referência em relacionamento”, considerou o Diretor Executivo, Fernando Barros Fenner.

Caminho certo - “Se estamos crescendo com solidez e segurança é porque estamos no caminho certo, desenvolvendo nossas atividades de forma transparente e com o associado no centro. Acreditamos no potencial de Igarapava e temos muito a contribuir com essa cidade. O Sicredi será em Igarapava do tamanho que a comunidade quiser. Estamos felizes, prontos e à disposição. Quando o Sicredi chega a uma cidade, ele chega para fazer juntos. Agradecemos a todos que prestigiaram nossa inauguração”, disse o Presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Freitag.

Sobre o Sicredi - Somos mais de 6 milhões de associados e estamos presentes em todo o Brasil com mais de 2,3 mil agências, distribuídas em mais de 100 cooperativas. Temos mais de 35 mil colaboradores e pelo 9º ano consecutivo, ficamos entre as Melhores Empresas para Você Trabalhar segundo a revista Você S/A, pelo sétimo ano consecutivo, figuramos no ranking Melhores & Maiores da revista Exame, em 2020 fomos a 2ª instituição com maior liberação de crédito rural. (Imprensa Sicredi Aliança)

{vsig}2022/noticias/08/08/sicredi_alianca/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Eu Ajudo na Lata; vote na enquete que define quantidade de cadeiras para cada instituição

unimed londrina 08 08 2022A décima edição da campanha Eu Ajudo na Lata, realizada pela Unimed Londrina, está chegando ao fim. Está aberta a votação que irá definir a quantidade de cadeiras de rodas entregue para cada uma das seis instituições beneficiadas neste ano:

Apae, de Cambé;

Apae, de Alvorada do Sul;

Associação Flavia Cristina, de Londrina;

Cáritas Arquidiocesana de Londrina;

Casa Dia Para Idosos - Londrina;

Lar São Vicente de Paulo, de Arapongas.

Uma garantida - As seis instituições já têm uma cadeira de rodas garantida cada, mas a votação poderá aumentar este número. Para participar da enquete clique aqui, até o dia 31 de agosto. A entrega das cadeiras de rodas será realizada no dia 16 de setembro, no auditório da Unimed Londrina (Av. Ayrton Senna da Silva, 1.065).

Democratização - A gerente de Sustentabilidade da Unimed Londrina, Fabianne Piojetti, explica que a enquete é uma forma de democratizar a quantidade de cadeiras de rodas entregues. “A medida aproxima as pessoas da Cooperativa e a participação popular traz transparência, principal ponto que garante legitimidade à campanha”, comenta.

Arrecadação - Até o momento, a campanha deste ano arrecadou 811 garrafas PETs cheias de lacres, o que representa uma média de 719 quilos de alumínio. O volume é suficiente para adquirir 10 cadeiras de rodas. Como a cada cinco unidades adquiridas pela campanha a Unimed Londrina doa uma cadeira, até o momento são 12 cadeiras a serem distribuídas.

Dez anos - Ao longo dos dez anos de campanha, já foram arrecadadas mais de 13 toneladas de lacres de latas de alumínio, que possibilitaram a compra de 152 cadeiras de rodas doadas para 62 instituições de Londrina e região, beneficiando aproximadamente 50 mil pessoas.

Não para - Apesar da campanha de 2022 encerrar-se no fim de agosto, a arrecadação de lacres não para. Em janeiro inicia-se a edição de 2023 e todos os lacres obtidos a partir do dia 1º de setembro serão contabilizados para a próxima campanha. (Imprensa Unimed Londrina)

 

CRÉDITO RURAL: Desembolso do atual Plano Safra somou R$ 25,8 bilhões em julho

credito rural 08 08 2022O volume de crédito rural desembolsado no primeiro mês do atual Plano Safra totalizou R$ 25,8 bilhões, recuo de 1% em relação ao mesmo mês da temporada anterior.

Aplicação - A aplicação dos recursos de custeio foi de R$ 22,2 bilhões, alta de 38%. Já a comercialização apresentou decréscimo de 43%, com R$ 982 milhões e a industrialização teve uma queda de 47%, com R$ 1 bilhão.

Investimentos - As linhas de financiamento dos investimentos também tiveram queda de 75%, ficando em R$ 1,6 bilhão.

Balanço - Os números fazem parte do Balanço de Desempenho do Crédito Rural, divulgado na sexta-feira (05/08) pela Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).  

Comportamento - De acordo com a SPA, o comportamento das contratações de crédito de investimento no primeiro mês do ano agrícola 2022/23 foi atípico, em decorrência da liberação dessas operações, realizadas com recursos equalizáveis, ter ocorrido somente a partir do dia 19/07, quando foi publicada a  Portaria ME Nº 6.454,  que autorizou o pagamento de equalização de taxas de juros. 

Atraso - Desta forma, houve atraso na realização de contratações de financiamento, sobretudo de investimentos, tendo ocorrido operações que ainda não foram divulgadas pelo Banco Central (BCB).

Intensificação - A SPA considera que as contratações de investimentos tendem a se intensificar a partir deste mês de agosto.

LCA - A importância da contribuição da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) para o funding do crédito rural se destaca por ser a principal fonte de recursos não controlados, tendo as contratações realizadas com recursos dessa fonte aumentado 289% em julho, se situando em R$ 13,2 bilhões.

Recursos - O Plano Safra 2022/2023 conta com R$ 340,9 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional até junho do próximo ano. Desse total, R$ 246,3 bilhões são destinados ao custeio e comercialização. Outros R$ 94,6 bilhões são para investimentos.

Fontes - Os recursos com juros controlados somam R$ 195,7 bilhões e com juros livres R$ 145,2 bilhões. O montante de recursos equalizados soma R$ 115,8 bilhões na atual safra. (Mapa)

 

IDR-PARANÁ: Instituto promove dia de campo sobre cereais de inverno em Londrina

idr parana 08 08 2022As cultivares de trigo IPR Potyporã e BRS Jacana são os destaques do dia de campo de cereais de inverno programado para quinta-feira (11/08), às 8h, na sede do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná — Iapar-Emater), em Londrina.

Público - Realizado em parceria com a Embrapa e a Fundação Meridional, o evento é dirigido a técnicos, produtores e estudantes de ciências agrárias. Interessados em participar devem se inscrever antecipadamente no endereço http://200.201.27.34/IDR-Eventos/Inscricao/index.php.

Programação - O programa prevê demonstração das cultivares do IDR-Paraná e da Embrapa, orientações técnicas e troca de informações sobre oportunidades e desafios na safra de inverno no Paraná e, também, um debate acerca da qualidade dos grãos na indústria de processamento de cereais de inverno.

Apresentação - Está prevista também a apresentação da cultivar IPR Andrômeda, aveia granífera que está sendo lançada pelo IDR-Paraná.

Destaques - A cultivar IPR Potyporã (“planta bonita” em tupi-guarani) conjuga alto desempenho no campo com excelente qualidade industrial. Com alto potencial produtivo — chegou próximo de 6,4 toneladas por hectare em condições experimentais —, pode ser cultivada nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Santa Catarina.

Ciclo médio - A nova cultivar tem ciclo médio e chega à colheita em aproximadamente 123 dias. Apresenta bom comportamento frente às manchas foliares, tolerância ao alumínio tóxico do solo e resistência ao acamamento e à germinação pré-colheita.

Aproveitamento industrial - Mas é no aproveitamento industrial que a nova cultivar se destaca. IPR Potyporã tem grãos semiduros e força de glúten W = 248, que a posiciona como “trigo pão” — resulta em uma farinha branca ideal para a elaboração de pão francês e de forma.

Estrutura - Encontrado principalmente no trigo e no triticale, o glúten é uma estrutura – formada por diferentes proteínas que se organizam em uma espécie de “rede” quando a farinha é trabalhada com água e fermento – capaz de prender os gases formados durante a fermentação e crescimento da massa, com efeitos na sua elasticidade e tenacidade.

Força - Conforme o pesquisador Carlos Roberto Riede, do IDR-Paraná, a força de glúten (valor W) define se a farinha é apropriada para panificação (denominado “trigo pão”, com W entre 220 e 300).

Categoria - Se esse valor passar de 300, chega-se à categoria “trigo melhorador”, que é utilizado em misturas para incrementar farinhas mais fracas. Grãos de classificação inferior a 200 são destinados à fabricação de bolachas e biscoitos.

Destaque - Outro destaque do dia de campo, a cultivar BRS Jacana, da Embrapa, também é um trigo pão e tem potencial produtivo que pode passar de 5 toneladas por hectare. É indicada para o Paraná, Santa Catarina e São Paulo.

Resistência - BRS Jacana é moderadamente resistente à ferrugem da folha, às manchas foliares e ao acamamento. Com ciclo precoce, chega à maturação em 95 dias, e é moderadamente suscetível à germinação pré-colheita. Produz grãos duros e sua força de glúten pode chegar a W=279.

Aveia - A cultivar de aveia granífera IPR Andrômeda se destaca pela produtividade, que pode passar de 4,6 toneladas por hectare, de acordo com Riede.

Bom desempenho- Ele acrescenta que IPR Andrômeda tem bom desempenho frente a manchas foliares, ferrugem e nematoides do gênero Meloidogyne, além de moderada resistência ao acamamento.

Descascamento - Outra característica destacada pelo pesquisador, essa de interesse da indústria de processamento, é a excelente eficiência no descascamento. IPR Andrômeda é indicada para cultivo no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. (Assessoria de Imprensa do IDR-Paraná)

SERVIÇO

Dia de campo de cereais de inverno

Data: 11 de agosto, quinta-feira

Horário: 8 horas

Local: sede do IDR-Paraná em Londrina (rodovia Celso Garcia Cid, km 375 – saída para Curitiba)

Inscrições: http://200.201.27.34/IDR-Eventos/Inscricao/index.php

 

AGRICULTURA FAMILIAR: Promulgada lei que libera R$ 1,2 bilhão para agricultores atingidos por seca

agricultura familiar 08 08 2022Foi promulgada na quinta-feira (04/08) a Lei 14.433, de 2022, que abre crédito extraordinário para agricultores familiares cujas safras foram prejudicadas pela seca em quatro estados: Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. De acordo com o Ministério da Economia, os níveis de chuva na safra 2021/2022 ficaram abaixo da média histórica.

Pronaf - Os recursos vão financiar as parcelas de financiamentos contratados pelos produtores no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com vencimento entre 1º de janeiro e 30 de junho. O governo pode conceder descontos de até 58,5%.

Origem - A lei teve origem na Medida Provisória (MP) 1.111/2022, que recebeu relatório do senador Roberth Bringel (União-MA). Ele rejeitou as emendas apresentadas à proposta e manteve o texto original, de autoria do Executivo.

Câmara - Antes de chegar ao Senado, a MP 1.111/2022 havia sido aprovada na Câmara dos Deputados, com parecer favorável do deputado federal Diego Garcia (Republicanos-PR). Ele também não promoveu mudanças no texto do Executivo.

Beneficiados - Em seu relatório, Bringel salientou que cerca de 200 mil propriedades rurais serão beneficiadas pela medida provisória. O senador também afirma que os recursos serão destinados “em particular aos agricultores familiares que não têm cobertura do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), ou seguro, e que tiveram suas rendas comprometidas, bem como a capacidade de pagamento de seus débitos financeiros, comprometendo a possibilidade de obter financiamento para safra seguinte.”

Fonte de recurso - A lei indica como fonte de recursos o superávit financeiro apurado no balanço patrimonial do exercício de 2021, referente a recursos primários de livre aplicação. (Agência Senado)

FOTO: Roque de Sá / Agência Senado

 

FOCUS: Mercado financeiro reduz projeção da inflação de 7,15% para 7,11%

focus 08 08 2022A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, caiu de 7,15% para 7,11% neste ano. É a 6ª redução consecutiva da projeção. A estimativa está no Boletim Focus desta segunda-feira (08/09), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a expectativa de instituições para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para 2023, a estimativa de inflação ficou em 5,36%. Para 2024 e 2025, as previsões são de 3,3% e 3%, respectivamente.

Acima da meta - A previsão para 2022 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,5% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

Junho - Em junho, a inflação subiu 0,67%, após a variação de 0,47% registrada em maio. Com o resultado, o IPCA acumula alta de 5,49%, no ano, e 11,89%, em 12 meses.

Julho - Os dados de julho devem ser divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta terça-feira (09/08), mas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), a prévia da inflação oficial, registrou inflação de 0,13% no mês passado, menor que a de junho (0,69%).

Taxa de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, definida em 13,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). A taxa está no maior nível desde janeiro de 2017, quando também estava em 13,75% ao ano.

Expectativa - Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre o ano nesse patamar. Para o fim de 2023, a estimativa é de que a taxa básica caia para 11% ao ano. E para 2024 e 2025, a previsão é de Selic em 8% ao ano e 7,5% ao ano, respectivamente.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas também podem dificultar a expansão da economia. Além da taxa Selic, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio - As instituições financeiras consultadas pelo BC elevaram a projeção para o crescimento da economia brasileira este ano de 1,97% para 1,98%. Para 2023, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 0,4%. Em 2024 e 2025, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 1,7% e 2%, respectivamente.

Cotação - A expectativa para a cotação do dólar manteve-se em R$ 5,20 para o final deste ano. Para o fim de 2023, a previsão é de que a moeda americana também fique nesse mesmo patamar. (Agência Brasil)

 

ECONOMIA I: Contratações na indústria desaceleram no primeiro semestre de 2022 no PR

economia 08 08 2022A indústria foi o segundo segmento da economia que mais abriu vagas formais de trabalho (com carteira assinada) no Paraná no primeiro semestre de 2022. Foram 17.728 novas oportunidades, superadas apenas pelo setor de serviços, que no mesmo período empregou mais de 56.700 pessoas. O comércio vem na sequência, com 6.702 contratações, seguido por construção civil (5.970) e agropecuária (2.963).

Novas oportunidades - No total, o estado gerou mais de 90 mil novas oportunidades nos primeiros seis meses deste ano, sendo o quinto que mais admitiu trabalhadores no Brasil. Na indústria, o estado foi superado por São Paulo (69,9 mil), Rio Grande do Sul (33,4 mil), Minas Gerais (26,0 mil) e Santa Catarina (24 mil) lideram o ranking nacional. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério da Economia (Novo Caged).

Ritmo menor - Mesmo com saldo positivo, a indústria registrou redução de 48% no ritmo de admissões em relação aos primeiros seis meses de 2021, quando abriu 33.779 novos postos.

Retomada - Para o economista Thiago Quadros, da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), essa desaceleração ocorre devido à forte retomada do setor após o período mais crítico da pandemia.

Acomodação - “Desde o segundo semestre de 2020, a indústria acelerou o ritmo de contratações para dar conta da demanda maior de produção das fábricas gerada pela retomada econômica, situação que se estendeu até o primeiro semestre do ano passado, com quase 20 mil empregos sendo criados somente em janeiro e fevereiro”, explica. “Agora, os números apontam para uma acomodação no quadro de colaboradores das empresas, já que muitas vagas já foram preenchidas recentemente. Mesmo assim, o saldo é positivo e o setor continua criando oportunidades, porém, com menor intensidade”, reforça.

Perfil, setores e regiões que mais empregaram - O perfil do trabalhador contratado não sofreu muitas mudanças. A maioria, 56%, são homens, 60% jovens entre 18 e 24 anos, e 75% têm Ensino Médio completo. Com o resultado, a indústria emprega atualmente 719 mil pessoas formalmente no Paraná. A remuneração média dos novos admitidos ficou em torno de R$ 1.876,33, 55% acima do valor do salário-mínimo nacional, em R$ 1.212,00, e superando a média dos valores pagos aos trabalhadores de outros segmentos da economia formal, atualmente em R$ 1.790,00.

Atividades - Das 24 atividades industriais analisadas pelo Novo Caged, apenas duas acumulam saldo negativo: moveleiro (-620) e fabricação de outros equipamentos de transporte (-29). As que mais contrataram neste primeiro semestre de 2022 foram alimentos (2.827), confecções e artigos do vestuário (2.121), automotivo (1.907), máquinas e equipamentos (1.687) e fabricação de produtos de metal (1.438). “Linhas de produção de itens à base de carnes e o abate de suínos e aves puxaram o crescimento dos empregos no setor alimentício. Já no automotivo, a fabricação de peças e acessórios foi a que mais contratou. Já a produção de automóveis teve saldo negativo de 28 vagas no período. Também se destaca o setor de máquinas ligadas à atividade agroindustrial, responsável por mais de mil novas admissões no semestre”, avalia o economista da Fiep.

Regiões - Os empregos se concentraram nas regiões mais industrializadas do estado, como Curitiba (1.212), São José dos Pinhais (1.087) e Cascavel (680), por conta do setor automotivo e de máquinas e equipamentos; Maringá (756), polo de confecções e vestuário; e Francisco Beltrão (573), resultado da forte atuação do setor alimentício. “Situação diferente do que acontece na divulgação dos resultados mensais, em que cidades menores se destacam por conta de contratações pontuais”, observa o economista.

Cidades - As cidades que mais demitiram do que contrataram no primeiro semestre deste ano foram Arapongas (-386), devido ao desempenho do setor moveleiro; Cafelândia (-257), Jaguapitã (-238), Tapejara (-221), e Laranjeiras do Sul (-218).

Característica - “Uma característica dos dados de mercado de trabalho é que os desligamentos se concentram em setores mais sensíveis ao impacto de fatores de ordem macroeconômica, como inflação e taxa de juros altas”, avalia Quadros. Ele pontua que, além do país contabilizar mais de 9% da população economicamente ativa sem ocupação e renda, a remuneração média do brasileiro que trabalha caiu cerca de 5% no segundo trimestre deste ano, em relação ao mesmo intervalo do ano passado.

Orçamento - “Com crédito mais caro para financiamento, preço dos produtos em constante elevação e diante da queda de rendimento, o brasileiro reduz o consumo para ajustar seu orçamento. Assim, as vendas em setores como moveleiro, eletrodomésticos e automotivo naturalmente são adiadas e caem. Da mesma forma, o setor de alimentos, embora essencial, sente a alta dos preços e a redução na demanda, já que as pessoas optam por substituir produtos tradicionais por outros itens mais baratos”, comenta. (Agência Fiep de Notícias)

FOTO: Gelson Bampi

 

ECONOMIA II: Caminhoneiros começam a receber benefício emergencial nesta terça

economia II 08 08 2022Os caminhoneiros com CPF válido e cadastrado no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTR-C) até 31 de maio de 2022, na modalidade “Ativo”, começam a receber as primeiras parcelas do benefício emergencial aos transportadores autônomos de carga a partir desta terça-feira (09/08).

Validade - O Benefício Caminhoneiro-TAC tem validade até 31 de dezembro de 2022 e será pago em seis parcelas mensais, no valor de R$ 1 mil. No dia 9 de agosto, os caminhoneiros vão receber duas parcelas, a primeira e a segunda, referentes aos meses de julho e agosto. Por isso, o primeiro pagamento vai totalizar R$ 2 mil, como explicou o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, no programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

Contemplados - “Todos os caminhoneiros com registro ativo até 31 de maio de 2002 serão contemplados com pagamento do benefício”, afirmou. Os lotes seguintes, de R$ 1 mil (cada), estarão disponíveis para pagamento no dia 24 de setembro, 22 de outubro, 26 de novembro e 17 de dezembro.

Benefício Taxista - Já os taxistas, de acordo com Oliveira, vão receber as parcelas de julho e agosto no dia 16 de agosto. O valor é o mesmo dos caminhoneiros, R$ 1 mil, totalizando R$ 2 mil no dia 16. “Nós recorremos às prefeituras para identificarmos os possíveis beneficiados e já temos mais de 300 mil taxistas cadastrados”, disse. O ministro lembrou também, durante a entrevista, que ainda não estão definidas quantas parcelas serão pagas aos taxistas.

Estado de emergência - Os benefícios serão pagos aos caminhoneiros e taxistas para enfrentar o estado de emergência decorrente da elevação do preço do petróleo, combustíveis e seus derivados e dos impactos sociais deles decorrentes.

Atestado médico online - O ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, lembrou, durante a entrevista ao Brasil em Pauta, que os segurados da Previdência Social que precisam passar por perícia médica poderão cadastrar a documentação médica por meio do aplicativo Meu INSS. Desta forma, a avaliação do atestado poderá ser feita remotamente por perito médico federal.

Validade - A novidade passou a valer em 29 de julho deste ano. “Com os atestados que o cidadão colocou no sistema do INSS, o médico, a distância, vai fazer a análise e vai poder fazer a concessão do benefício”, explicou. A medida vale para benefícios com validade de até 3 meses. Acima disso, a perícia precisa ser presencial.

INSS Libras - Outra novidade destacada pelo ministro é a possibilidade de a pessoa surda ou com deficiência auditiva ser acompanhada pelo seu intérprete ou tradutor da Língua Brasileira de Sinais (Libras), durante os atendimentos no INSS. A iniciativa passou a valer a partir de 29 de julho deste ano.

Parceria - “Lá em São Paulo, por exemplo, nós fizemos uma parceria com a prefeitura e, nas agências da Previdência, estão sendo colocados aparelhos, o segurado acessa este aparelho e a distância tem um intérprete de Libras que vai permitir um melhor atendimento. E, além disso, nós deflagramos um processo de capacitação em todas as agências do INSS do Brasil para que os nossos servidores estejam preparados para recepcionar as pessoas que portam a deficiência auditiva”, explicou.

Geração de emprego - Ainda na entrevista, o ministro do Trabalho e Previdência falou sobre a geração de emprego com carteira assinada em 2002. Segundo o ministro, a previsão é fechar ano com mais pessoas com carteira assinada do que em 2021, quando o Brasil gerou 2,7 milhões de novos empregos formais.

G20 - “Não sei se todo mundo sabe, mas o Brasil foi o país do G20 que mais gerou emprego e com a menor taxa de desemprego no momento”, ressaltou.

Programa - O programa com o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, foi ao ar neste domingo (07/08) às 22h30, na TV Brasil. (Agência Brasil)

FOTO: Valter Campanato / Agência Brasil

 

ANEEL: Expansão da potência instalada no brasil em julho é de 708,78 mw

 

aneel destaque 08 08 2022O crescimento na matriz elétrica brasileira verificado no mês de julho foi de 708,78 megawatts, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel. Desse total, quase a metade (47%) é decorrente da entrada em operação comercial de usinas solares fotovoltaicas, com total de 330,51 MW. As usinas eólicas que começaram a operar comercialmente em julho totalizam 184,12 MW; as termelétricas, 145,85 MW; as hidrelétricas, 47,3 MW; e uma central geradora hidrelétrica registrou a entrada de 1 MW.

Expansão - A expansão verificada em 2022, até julho, foi de 3.124 MW, com novos empreendimentos em 16 estados das cinco regiões brasileiras. Os estados com maior expansão na capacidade de geração elétrica são, em ordem decrescente, Bahia (556,02 MW), Rio Grande do Norte (521,14 MW) e Minas Gerais (456,05 MW).

Capacidade instalada A potência total instalada no Brasil, até junho, foi de 184.140,5 MW de acordo com dados do Sistema de Informações de Geração da Aneel, o SIGA, atualizado diariamente com dados de usinas em operação e de empreendimentos outorgados em fase de construção. Desse total em operação, 83,13% das usinas são impulsionadas por fontes consideradas sustentáveis, com baixa emissão de gases do efeito estufa.

 

Painéis interativos - Outras informações sobre o acompanhamento da expansão da oferta de geração estão disponíveis em painéis interativos neste link. Esses painéis, atualizados mensalmente, mostram a previsão para a entrada de novas unidades geradoras para os próximos anos. Eles trazem ainda um histórico da expansão da geração desde a criação da Aneel (1997).  Além dos painéis, também está disponível a base de dados com informações de previsão e acompanhamento de obras dos empreendimentos outorgados para construção.

 

Mais - Mais dados sobre a geração de energia elétrica no Brasil também podem ser encontrados no sítio de Dados Abertos da Aneel. (Aneel)

 

aneel quadro 08 08 2022

 

POLÍTICA: Eleições 2022 mantém maioria do eleitorado feminino, com 53%

politica 08 08 2022Nas eleições de outubro, mais uma vez, as mulheres são a maioria entre pessoas aptas a votar. Segundo levantamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos mais de 156,4 milhões de eleitores que poderão participar do pleito nos dois turnos, 53%, pouco mais de 82,3 milhões, são do gênero feminino e 74 milhões do masculino, que equivale a 47%.

Regiões - Na distribuição regional dos eleitores, os três maiores colégios eleitorais - São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro concentram quase a metade dos votos do país (42,64%).

São Paulo - O estado de São Paulo, que sozinho detém 22,16% dos eleitores, há cerca 18,3 milhões de mulheres e 16, 2 milhões homens em condições de votar.

MG - Na segunda posição do ranking, o eleitorado mineiro é formado por 8, 5 milhões de mulheres e 7,7 milhões de homens.

RJ - Já o Rio de Janeiro, terceiro maior colégio eleitoral brasileiro, os votos femininos superam em 1 milhão os dos homens. No estado, 6,9 milhões de votantes são do gênero feminino e 5, 9 milhões do masculino.

Bahia - A Bahia vem na quarta posição, com cerca de 11,2 milhões de eleitores. Lá, as mulheres correspondem a 52,5% dos votantes, enquanto os homens representam 47,5% do eleitorado baiano.

Perfil - Segundo o TSE, a maior parte das eleitoras brasileiras (5,33%) tem de 35 a 39 anos, seguida das mulheres com idade entre 40 e 44 anos (5,32%). A faixa de 25 a 29 anos soma 5,2%. Apesar do voto no Brasil ser obrigatório entre 18 e 70 anos, um dado curioso é o de eleitoras com 100 anos ou mais: são 87,4 mil.

Exterior - Entre eleitores que moram no exterior, elas, também estão em maioria. Das quase 700 mil pessoas que moram fora do país e se habilitaram para votar para o cargo de presidente da República, 59% são mulheres e 41% homens.

Representação - Números tão expressivos ainda não se refletem em assentos políticos e de poder. Segundo o TSE, nesses espaços, as mulheres continuam sub-representadas. Nas Eleições Gerais de 2018, apenas seis das 81 vagas do Senado Federal foram conquistadas por mulheres. Na Câmara, dos 513 eleitos somente 77 eram do sexo feminino. Em 2018, apenas uma governadora foi eleita: Maria de Fátima Bezerra, no Rio Grande do Norte (RN).

Incentivo - Para incentivar a entrada e a permanência das mulheres na política, o TSE lançou, em junho de 2022, a nova campanha Mais Mulheres na Política 2022. Exibida nacionalmente em emissoras de rádio e de televisão, redes sociais da Justiça Eleitoral e no Portal do Tribunal, a campanha enfatiza a diferença entre o Brasil real, de forte presença feminina, e o Brasil político, universo no qual as mulheres ainda são minoria.

Avaliação - Na avaliação do presidente da Corte Eleitoral, ministro Edson Fachin, a democracia sem a expressão do feminismo se atrofia, torna-se uma mera formalidade, perde a representatividade. Para o ministro, a democracia, para ser plena, tem que apresentar a sua face feminina.

Efetividade - “Além da questão da visibilidade das mulheres, há também a questão da efetividade das medidas que visam garantir a elas o acesso e a voz nos espaços da vida política do país. A Justiça Eleitoral está do lado da materialização dos direitos que são inerentes à condição feminina”, destacou à época do lançamento da campanha. (Agência Brasil)

FOTO: Rovena Rosa / Agência Brasil

 

TRIBUTO: Lei que limita ICMS de combustíveis é atualizada após derrubada de vetos

 

tributo 08 08 2022Foi publicado no Diário Oficial da União de quinta-feira (05/08) o novo texto da Lei Complementar 194, que limita a cobrança do ICMS de combustíveis pelos estados. A lei foi atualizada porque o Congresso Nacional restabeleceu trechos do projeto de lei original que haviam sido vetados pelo presidente Jair Bolsonaro.

 

Dispositivos vetados - Sancionada em 23 de junho, a lei teve 15 dispositivos vetados, dos quais 6 foram recuperados em votação no Congresso Nacional. A lei teve origem no PLP 18/2022.

 

Compensações - O novo texto deve facilitar aos estados o recebimento de compensações da União pelas perdas de arrecadação. Agora, os estados terão direito à compensação financeira por meio do desconto de parcelas de dívidas refinanciadas pela  União, e à compensação por meio da apropriação da parcela da União relativa à Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM).

 

Validade - A regra da CFEM vale apenas para a unidade da Federação que não tenha dívida administrada com a Secretaria do Tesouro Nacional ou com garantia da União.

 

Alíquotas - A Lei Complementar 194 determina a aplicação de alíquotas de ICMS pelo piso (17% ou 18%) para produtos e serviços essenciais quando incidir sobre bens e serviços relacionados a combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo.

 

Repasse - Outro trecho incorporado à Lei Complementar 194, após a derrubada de veto, determina aos estados o repasse aos municípios da parte que lhes cabe, segundo a Constituição, da arrecadação do ICMS frustrada e compensada pela União.

 

Refinarias - Foi ainda incorporado àquela lei o trecho que permite às refinarias contarem, até 31 de dezembro deste ano, com suspensão do pagamento de PIS/Cofins, PIS/Pasep-Importação e Cofins-Importação na compra de nafta e outros itens. (Agência Senado, com Agência Câmara)

 

FOTO: Marcelo Camargo

 

SAÚDE I: Brasil registra 7.198 casos e 57 mortes em 24 horas

 

O Brasil registrou 7.198 casos positivos e 57 mortes por covid-19 em 24 horas, segundo o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde neste domingo (07/08). Desde o início da pandemia, foram registrados 34.018.371 casos e 679.996 óbitos pela doença.

 

Sem atualização - No boletim, os dados de casos e mortes de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, do Distrito Federal, do Mato Grosso, do Maranhão, de Tocantins e de Roraima não foram atualizados. O número de óbitos do Mato Grosso do Sul também não.

 

Recuperados - Entre os que contraíram a doença, 96,2% se recuperaram, o que corresponde a 32.731.706 pessoas. Há ainda 606.669 casos em acompanhamento.

 

Estados - São Paulo é o estado com maior número dos casos e de mortes, com 5,95 milhões e 173.338, respectivamente. Em relação aos casos, o estado do Sudeste é seguido por Minas Gerais (3,83 milhões) e Paraná (2,70 milhões).

 

Menos - O menor número de casos foi registrado no Acre (145.488), Roraima (173.401) e Amapá (177.285). Os três estados também registram os menores números de mortes pela doença: Acre (2.021), Amapá (2.153) e Roraima (2.158).

 

Vacinação - Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, foram aplicadas 496,51 milhões de doses de vacina contra a covid-19 no Brasil, sendo 178,58 milhões de primeira dose, 159,63 milhões de segunda dose e 4,98 milhões de dose única.

 

Doses - A primeira dose de reforço foi aplicada em 103,56 milhões de pessoas, a segunda dose de reforço em 17,99 milhões e a dose adicional em 4,75 milhões. (Agência Brasil)

 

 

photo1659906116

SAÚDE II: Sesa confirma mais 414 casos e 1 óbito no Paraná

 

saude II 08 08 2022De acordo com o Informe Epidemiológico divulgado neste domingo (07/08) pela Secretaria de Estado da Saúde, o Paraná registrou 414 novos casos e um óbito causado pela Covid-19, dos quais 335 casos e nenhuma morte nas últimas 24h. Assim, o Estado acumula, desde o início da pandemia, 2.692.912 casos confirmados e 44.403 mortes decorrentes da doença.

MesesOs casos confirmados divulgados nesta data são de agosto (382), julho (22), junho (1), março (1), e fevereiro (1) de 2022; dezembro (1), outubro (2), agosto (1) e julho (1) de 2021; e setembro (1) e agosto (1) de 2020. O óbito divulgado nesta data é de agosto de 2022.

Município - A paciente que foi a óbito residia em Jacarezinho. (Com informações da Sesa)

Clique aqui e confira o boletim completo

 

FOTO: Sesa

SAÚDE III: Ministério lança Campanha Nacional de Vacinação

saude vacina 08 08 2022O Ministério da Saúde lançou neste domingo (07/08), em São Paulo, a Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e de multivacinação. O objetivo é recuperar a cobertura vacinal de crianças e adolescentes que deixaram de tomar os imunizantes previstos no calendário nacional.

Salas de vacinação - A partir desta segunda-feira (08/08), cerca de 40 mil salas de vacinação em todo o país estarão abertas para aplicar doses de 18 tipos de imunizantes previstos no calendário nacional de vacinação para esse público. A campanha terminará em 9 de setembro.

Público - A vacinação contra a poliomielite é destinada para crianças menores de 5 anos. A multivacinação é para crianças e adolescentes menores de 15 anos.

Imunizantes - Para crianças estarão disponíveis os seguintes imunizantes: Hepatite A e B; Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente; VIP (Vacina Inativada Poliomielite); VRH (Vacina Rotavírus Humano); Meningocócica C (conjugada); VOP (Vacina Oral Poliomielite); Febre amarela; Tríplice viral (Sarampo, Rubéola, Caxumba); Tetraviral (Sarampo, Rubéola, Caxumba, Varicela); DTP (tríplice bacteriana); Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Adolescentes - Para adolescentes: HPV; dT (dupla adulto); Febre amarela; Tríplice viral; Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).

Covid-19 - Segundo o ministério, a partir dos três anos de idade, as vacinas de covid-19 podem ser administradas de forma simultânea ou com qualquer intervalo com os demais imunizantes.

Último caso - Ao participar do lançamento da campanha, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o último caso de pólio no Brasil foi registrado em 1989. Segundo ele, a cobertura vacinal da população está diminuiu em todo o mundo, principalmente durante o período da pandemia de covid-19. O ministro também conclamou as famílias a levarem as crianças para vacinar.

Pedido - "Peço aos pais que levem seus filhos para as salas de vacinação. É inaceitável que, hoje, no século 21, 100 anos depois do esforço extraordinário de Oswaldo Cruz para introduzir esses conceitos sanitários no Brasil, nós tenhamos ainda crianças com doenças que podem ser evitáveis por vacina", afirmou.

Expectativa - O ministério espera vacinar cerca de 14.3 milhões de pessoas contra a polio. Todos os imunizantes ofertados têm registro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (Agência Brasil)

FOTO: Tomaz Silva / Agência Brasil

 

SAÚDE IV: Assistência médica totaliza 49,8 milhões de beneficiários

saude III destaque 08 08 2022Os dados de beneficiários de planos de saúde referentes a junho de 2022 estão disponíveis na Sala de Situação, ferramenta de consulta do portal da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). No período, o setor totalizou 49.789.947 usuários em planos de assistência médica e 29.894.874 em planos exclusivamente odontológicos.

Médico-hospitalares - Nos planos médico-hospitalares, em um ano houve crescimento de 1.650.293 beneficiários – o equivalente 3,43% de aumento em relação a junho de 2021. No comparativo de junho de 2022 com maio de 2022, o crescimento foi de 248.639 usuários.

Odontológicos - Já nos planos exclusivamente odontológicos, somaram-se 2.414.293 beneficiários em um ano – o que representa 8,79% de crescimento no período – e 248.639 na comparação de junho de 2022 com maio de 2022.

Estados - Nos estados, no comparativo com junho de 2021, o setor registrou evolução de beneficiários em planos de assistência médica em 26 unidades federativas, sendo São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro os que tiveram o maior ganho em números absolutos. Entre os odontológicos, 26 unidades federativas registraram crescimento no comparativo anual, sendo também que São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, os estados com maior crescimento em números absolutos.

Alterações - Importante destacar que os números podem sofrer alterações retroativas em razão das revisões efetuadas mensalmente pelas operadoras.

Tabelas - Veja nas tabelas abaixo a evolução de beneficiários por tipo de contratação do plano e por UF em diferentes competências. (ANS)

 

saude III tabela 08 08 2022 1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

saude III tabela 08 08 2022 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

saude III tabela 08 08 2022 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

saude III tabela 08 08 2022 4

OPINIÃO: Intercooperação, qual sua importância no pós-pandemia?

opiniao 08 08 2022*Auke Dijkstra Neto

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos. Refletindo em todos os setores, a pandemia trouxe muitas incertezas e desafios jamais vividos. Com isso, pensar em novas soluções e maneiras para “sair da caixa” se fez necessário. Em meio a tantas dúvidas e sequelas, a intercooperação obteve resultados positivos. O modelo é baseado em pessoas e na ajuda mútua, trabalhando sempre em torno dos interesses em comum.

Há séculos, sabemos que essa união era o caminho para o sucesso. A iniciativa permite melhorar a qualidade dos produtos e aumentar a rentabilidade para os cooperados, além de impulsionar o desenvolvimento econômico da região. Na prática, o modelo faz a diferença para o dia a dia dos produtores, pois o pequeno produtor não tem como concorrer com grandes nomes do mercado. Como cooperativa, é formada uma grande organização e toda a produção é vendida diretamente para a indústria. Sendo assim, há possibilidade de um produtor individual competir com os maiores players do mercado.

Comprar os insumos necessários na própria cooperativa e poder negociar sua produção localmente, sem perder no faturamento são mais alguns dos diferenciais. Com isso, o produto final sempre sai ganhando, principalmente na questão da qualidade. O estímulo à troca de informações técnicas e de mercado, o aprendizado proveniente da interação com os parceiros de negócio, os investimentos e a evolução nos modelos de gestão das cooperativas, são processos internos da intercooperação que impactam o resultado final. Além de conceitos como colaboração, crescimento sustentável e economia compartilhada serem reforçados no formato.

Hoje, é notória a importância desse modelo tanto para os produtores como para o faturamento de cada cooperativa. Mesmo independentes, os resultados foram expressivos após a intercooperação ter sido adotada. Durante a pandemia, o setor se fez presente e cresceu consideravelmente para o momento de crise que o mundo todo enfrentava, mostrando ser uma decisão acertada. É importante ressaltar que não se trata de uma fusão ou nova cooperativa, mas sim de uma marca "guarda-chuva", que tem abaixo de si as marcas de produtos das cooperativas, que deixam de utilizar suas marcas de fabricantes. Incluindo também um complexo modelo de gestão de negócios, produção e logística.

Nosso objetivo é apresentar esse modelo ao mercado, já que somos um exemplo e podemos fazê-lo crescer cada vez mais. As cooperativas fazem a "lição de casa" ao oferecer insumos, serviços e lojas agropecuárias para os associados. Já, a parte industrial é realizada em conjunto, sem que a identidade de cada cooperativa seja perdida ao longo do processo. O investimento em novas tecnologias, a preservação da qualidade e a produtividade também são fatores relevantes e vantajosos para a intercooperação, fazendo com que a qualidade, já reconhecida dos produtos, seja mantida.

Nas cooperativas, temos um grande número de pessoas comprometidas com o que acreditam. Apesar de desafiadora, a pandemia nos mostrou que a cooperação é importante para superar os obstáculos, identificamos a importância da cooperação para o bem-estar da população e do desenvolvimento em conjunto, valores que já faziam parte da rotina de instituições cooperativas há tempos e que, a partir de agora, devem manter-se na rotina de cada uma. Sendo assim, essencial no pós- pandemia, pois, dessa maneira, é possível transformar o trabalho realizado e a vida de cada cooperado, além de inovar e alcançar resultados significativos. Como dizem, a união faz a força, e, também, a diferença.

*Auke Dijkstra Neto é Gestor de Estratégia e Inovação da Unium

 


Versão para impressão


RODAPE