Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5402 | 12 de Setembro de 2022

ENCONTROS DE NÚCLEOS: Segunda rodada de 2022 é aberta com cooperativistas do Centro-Sul, em Arapoti

A segunda rodada dos Encontros de Núcleos Cooperativos de 2022 foi iniciada na manhã desta segunda-feira (12/09), na cidade de Arapoti, região paranaense dos Campos Gerais, com 135 lideranças cooperativistas do Centro-Sul, dos ramos agro, crédito, infraestrutura, transporte e saúde. O evento conta com a participação da gerente de Relações Institucionais da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Clara Maffia.

Abertura - As atividades foram abertas pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. Ainda na abertura, houve o pronunciamento do presidente da Bom Jesus, Luiz Roberto Baggio, que representou o coordenador do Núcleo Centro-Sul, Frans Borg, impossibilitado de estar presente por questões familiares. Também houve a apresentação das cooperativas anfitriãs, feita pelos presidentes da Capal, Sicredi Novos Horizontes PR/SP e Ceral Dis, respectivamente, Erick Bosh, Luciano Dias Carneiro Kluppel e Wielfred Albert, que também é vice-presidente da Ceral.

Educação Política - Nesta etapa, os Encontros de Núcleos voltaram a ser realizados presencialmente, sempre das 10h às 13h. A primeira rodada ocorreu virtualmente em março. O Programa de Educação Política para o Cooperativismo é um dos principais assuntos em debate desta edição.

Agenda - Ao todo serão realizadas quatro reuniões. O evento prossegue nesta terça-feira (13/09), com lideranças do Sudoeste, em Mariópolis e as anfitriãs serão Camisc e Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP. Na quarta-feira (14/09), Copacol, Sicredi Nossa Terra PR/SP e Coopercaf vão receber os cooperativistas do Oeste, em Cafelândia. Já na quinta-feira (15/09), em Rolândia, ocorre a reunião dos Núcleos Norte e Noroeste, tendo a Credialiança como anfitriã.

Público - Os Encontros têm como público-alvo os presidentes, membros dos Conselhos de Administração e Fiscal, líderes dos Comitês Educativos, grupos femininos e de jovens, executivos e gestores das cooperativas paranaenses.

Informações - Mais informações com Neuza Oliveira e Daniele Luana (secretaria@sistemaocepar.coop.br – 41 99278 0739 / 99151 2148).

{vsig}2022/noticias/09/12/encontros_nucleos/{/vsig}

ENCONTRO DE AGENTES: Cases e palestra com Karina Oliani fazem parte da programação; participantes serão recebidos nesta terça-feira

 

A partir desta terça-feira (13/09), o Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, recebe os participantes do Encontro de Agentes 2022, evento que será realizado até quinta-feira (15/09), no Sesc Caiobá, em Matinhos, litoral paranaense, quando haverá apresentação de cases de cooperativas da região Centro-Sul de diversos ramos sobre práticas de ESG e palestra com Karina Oliani, com o tema “Qual é o seu Everest?”. Karina é médica, apresentadora, atleta e aventureira. Ela já escalou duas vezes o Monte Everest, montanha onde se encontra o ponto mais alto do mundo, com 8.848 metros de altura em relação ao nível do mar. Também foi a primeira brasileira a escalar o K2, segunda montanha mais alta do mundo. Ela é ainda bicampeã brasileira de wakeboard e snowboard.

 

Atividades - O evento será aberto oficialmente na quarta-feira (14/09), às 8h30, com a dupla Os Mentalistas, formada por Beto Parro e Rafa Moritz, psicólogos e especialistas em comportamento humano. Depois, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, fará uma apresentação sobre as ações da entidade. Ainda na parte da manhã, será a vez de Adeildo Nascimento ministrar a palestra com o tema “Cultura e gestão como diferenciais competitivos”. Ele é economista com especialização em liderança e gestão de times. Também é fundador da DHEO Consultoria e profissional de RH há mais de 25 anos. Diretor da Associação Brasileira de Recursos Humanos – seção Paraná (ABRH-PR) Digital, é autor do livro Inteligência espiritual no mundo do trabalho e co-autor do livro Canvas pelos grandes mestres. Na parte da tarde, serão realizadas oficinas por coordenação (Profissionalização, Monitoramento e Cooperativismo), para se trabalhar temas específicos voltados aos agentes de cada área da cooperativa.

Informações - Mais informações com Sandra Schmidt (sandra.schmidt@sistemaocepar.coop.br).

 

encontro agentes folder 01 09 2022

 

RAMO CRÉDITO: Sistema OCB disponibiliza cartilha sobre modernização do SNCC

credito 12 09 2022O Sistema OCB lançou, na sexta-feira (09/09), a cartilha A modernização da legislação do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, sobre as principais inovações implementadas pela Lei Complementar 196/2022. A norma em vigor, oriunda do PLP 27/2020, atualizou a Lei Complementar 130/09.

Iniciativa - Com 61 páginas e 19 capítulos, a cartilha é mais uma iniciativa da Casa do Cooperativismo para esclarecer dúvidas e auxiliar coops e cooperados a compreenderem as atualizações e os impactos para o setor.  De acordo com o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, o material é essencial para a correto entendimento das coops de crédito a respeito das alterações.

Inovações - “Diante da relevância do tema, da diversidade das inovações e, ainda, com o objetivo de contribuir para uma melhor compreensão das implicações dessa recente inovação legislativa, elaboramos essa publicação onde são apontadas e explicadas as principais inovações na lei do cooperativismo de crédito. Aproveitem”, disse o presidente.

Atualização - Logo no início, o leitor poderá entender a necessidade da atualização dentro do contexto mundial atual. Em seguida, ele terá a percepção sobre as mudanças que a legislação passa a trazer, tais quais: I) a previsão expressa das confederações de serviços; II) as modificações na regra da captação de recursos dos municípios; III) o conceito expresso de área de atuação, subdividido em área de ação e área de admissão; IV) o chamado empréstimo sindicalizado; V) a impenhorabilidade das quota-partes do capital social e os outros diversos pontos alterados na LC 130/2009.

Quadro comparativo - O Sistema OCB também disponibilizou um quadro comparativo entre as legislações e um curso na plataforma CapacitaCoop chamado Modernizando a Lei Complementar 130/09. Neste segundo semestre de 2022, está previsto também o lançamento do livro Lei comentada - Modernização da LC 130/09.

Estudos - A expressividade das coops de crédito também é tema de estudo do Banco Central do Brasil. Segundo o Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, de 2021, o SNCC atende a um contingente de 11,9 milhões de cooperados, distribuídos por mais de 2.200 municípios, possuindo ativos totais de R$ 371,8 bilhões. Ainda de acordo com o Banco Central, as captações de depósitos, nos últimos anos, têm aumentado a taxas superiores àquelas verificadas pelas demais instituições do sistema financeiro nacional.

PIB - Outro dado apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em seu relatório Benefícios Econômicos do Cooperativismo de Crédito na Economia Brasileira, aponta que o cooperativismo eleva o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas formais de trabalho e aumenta o número de estabelecimentos comerciais locais em 15,7%. (Sistema OCB)

 

UNIMED COSTA OESTE: Curso de Cirurgia Reconstrutiva reúne urologistas no HGU

Estudos de casos e cirurgias ao vivo foram as formas encontradas pelos médicos da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) para explicar aos doutores participantes do Curso de Cirurgia Reconstrutiva de Uretroplastia as diferentes técnicas existentes atualmente e promover um evento de educação continuada de alta complexidade.

Capacitação - A capacitação ocorreu no dia 20 de agosto e reuniu médicos das cidades paranaenses de Toledo, Cascavel, Assis Chateaubriand, Curitiba e Londrina. A parte teórica, com discussão dos casos que seriam operados e diferentes técnicas a serem utilizadas, foi realizada na parte da manhã na Clínica Plena. Na sequência, os inscritos no curso acompanharam três cirurgias ao vivo no Hospital Geral Unimed (HGU). “Realizamos uma uretroplastia anterior, com menor complexidade, porém muito frequente na prática do urologista; e duas posteriores com enxerto de mucosa oral, que hoje é a técnica mundialmente aplicada em casos mais complexos”, explicou o médico urologista e atual presidente da SBU – Secção Paraná, Eduardo Gomes.

Projeto nacional - O curso neste formato faz parte de um projeto nacional da SBU, que tem como foco manter o aperfeiçoamento dos urologistas, em especial, os que estão em cidades do interior do Brasil, levando até eles os médicos experts no assunto para capacitá-los. “É um projeto para que seja desenvolvida a urologia reconstrutiva no Brasil todo que ainda é muito restrita a grandes centros. Notamos que têm muitas pessoas com problemas que não estão sendo tratados ou demorando muito tempo para serem realizados os procedimentos e a maioria dos profissionais têm a experiência, são habilitados. A ideia do curso foi de trazer algo mais, avançar no nível de complexidade de reconstrução de uretra e divulgar esse nível de conhecimento para atender uma população maior”, destacou o responsável pelo Serviço de Reconstrução Uretral da Faculdade de Medicina do ABC - SBUSP São Paulo, Sandro Nassar de Castro Cardoso.

Presença - Além de Sandro, o curso também contou com a presença do responsável por Cirurgia Reconstrutiva de Uretra do Hospital de Clínicas - SBUPR Curitiba/Secção Paraná, Rodrigo Krebs. “A proposta é que a gente se desloque até os locais onde tem uma concentração de urologistas e possa fazer procedimentos que estão se tornando cada vez mais comuns, além de capacitar os urologistas, discutir os casos, tirar as dúvidas que eventualmente eles tenham e mostrar o avanço das técnicas que estão acontecendo nesta área. Ao realizar as cirurgias realizadas foi permitido explicar para os colegas outros procedimentos que podem ser feitos, outras manobras cirúrgicas, mesmo que não foram executadas nesses pacientes”, frisou.

Representatividade - Rodrigo ainda ressaltou que a cirurgia de reconstrução representa hoje 20% do volume de cirurgias de urologia, que podem ocorrer por diversas causas. “Basicamente, pelo aumento no número de traumas; de doenças infecciosas nessa região e a própria exposição dos pacientes a procedimentos cirúrgicos urológicos anteriores. Temos visto, ainda, lesões na uretra depois da pandemia da Covid, principalmente, em pacientes que ficaram internados em UTI e que houve a necessidade de uso de sonda urinária. Muitos deles por serem casos graves desenvolveram estenoses, que é o fechamento da uretra”, complementou.

Oportunidade - O médico Felipe Vessoni, de Londrina, terminou a Residência em Urologia recentemente, e aproveitou a oportunidade para se especializar. “Tive a oportunidade de ir em outros eventos com cirurgias ao vivo, mas aqui a imersão foi mais ativa, além de aprender com experts no assunto e fazer contato com os profissionais da região”, disse.

Hospital - A parte prática das cirurgias foi realizada no Centro Cirúrgico do HGU, em Toledo, reunindo além da equipe médica de urologistas e anestesistas, profissionais da área de Enfermagem. “Encontramos no HGU em Toledo um local completo e ideal para suprir as necessidades de um curso complexo de cirurgia reconstrutiva. Pela quantidade de participantes que tivemos demonstra que havia demanda para essa capacitação. A medicina é uma arte e com essa troca de experiências todos aprendem, não só o médico participante do curso, mas também os experts no assunto. Assim evoluímos e dividimos as vivências para somar”, justificou Eduardo.

Agradecimento - Já os médicos palestrantes, Sandro e Rodrigo, agradeceram à Unimed pelo apoio à SBU Paraná, ajudando a difundir o conhecimento para mais urologistas. “Ficamos muito felizes com o resultado e participação dos colegas. Com certeza, eventos mais frequentes neste sentido serão realizados em várias regiões do Brasil, devido a demanda que é crescente”, avaliou Sandro.

Satisfação - O gerente de Enfermagem do HGU, Mateus Girardo da Rocha, reforçou a satisfação de receber no hospital cirurgiões renomados e casos complexos para serem estudados. “Ao trazer esses procedimentos para serem realizados aqui demonstra que o trabalho no HGU está sendo muito bem-feito, pois confiaram na estrutura, no corpo clínico e na enfermagem. Um evento desse porte mobilizou as equipes durante toda a semana, além da diretoria, para que fosse um sucesso. Temos uma demanda de 500 cirurgias por mês, em média, e esperamos atrair mais médicos para o hospital para realização de procedimentos de média e alta complexidade, até mesmo pensando no futuro, no hospital que teremos junto ao Biopark”, concluiu.

Bem-sucedidas - As três cirurgias realizadas foram bem-sucedidas e o acompanhamento dos pacientes segue no pós-cirúrgico, com troca de informações entre os profissionais envolvidos. (Imprensa Unimed Costa Oeste)

{vsig}2022/noticias/09/12/unimed_costa_oeste/{/vsig}

UNICAMPO: Carreira e veículo são temas da Semana de Segurança 2022

De 5 a 9 de setembro, a Unicampo promoveu a Semana de Segurança 2022. Com o tema Carreira e veículo, o objetivo do evento foi divulgar e envolver os cooperados e colaboradores em ações voltadas para a segurança.

Programação - A semana começou com a live, no dia 5, com o gerente de vendas, Golfleet, e gestor de frota e segurança, Marco Roza, sobre o tema: “Conduzir sua carreira e seu veículo para seu sucesso profissional”, na qual houve a participação de 173 pessoas, em sua maioria cooperados Unicampo. O link para assistir está disponível no canal do Youtube da Unicampo: https://www.youtube.com/watch?v=L2cqsBxSf9o.

Ações - Nos demais dias, os cooperados e colaboradores foram incentivados a mostrar ações de segurança nas redes sociais e marcar a Unicampo. Para quem quiser conferir, basta acessar o Instagram da cooperativa.

Programa de Segurança - Criado em 2013, o programa Cultura de Segurança da Unicampo tem como objetivo acompanhar mensalmente os indicadores mensais, como: multas, gravidade dos acidentes e número de veículos. Além disso, a questão de saúde e segurança no trabalho também é um dos pilares acompanhados. Consolidado, o programa é acompanhado por seis multiplicadores de segurança que são colaboradores da Cooperativa e mais quatro Gestores de Projetos.

Valor - A partir de 2018 a Unicampo incorporou em seus valores a questão da segurança. As ações mensais do programa de segurança, aliado ao evento semana de segurança, que acontece desde 2017, conseguiram mudar os hábitos de segurança veicular, saúde e trabalho de seus cooperados. Por isso que este é um dos valores mais fortes para a cooperativa. E, com o evento da semana passada, mais pessoas tiveram a oportunidade de participar e conhecer sobre o valor segurança.

Palavra do presidente - Para o presidente da Unicampo, André Carlos Garcia Vilhegas, “O bem-estar do nosso cooperado é a nossa prioridade, e isso só é possível com o envolvimento de todos. Assim, considero que essa semana de segurança é mais uma ação que mostra nossa preocupação com a vida”. Ressaltou que as ações da semana de segurança serviram para fortalecer ainda mais o Programa Cultura de Segurança da cooperativa. É o momento para compartilhar ideias sobre segurança, por isso, o slogan: “Pensem em Segurança”. (Assessoria Unicampo)

{vsig}2022/noticias/09/12/unicampo/{/vsig}

COCAMAR: Evento técnico debate nutrição e doenças da soja

Às vésperas da semeadura da safra de verão 2022/23, foi promovido na noite de quarta-feira (06/09) em Maringá (PR), numa iniciativa dos Fertilizantes Viridian, da Cocamar, e da empresa Basf, um evento com a participação de aproximadamente uma centena de convidados, entre cooperados e técnicos da cooperativa, para uma apresentação sobre os temas nutrição e doenças na cultura da soja.

Informações atualizadas - Em nome da equipe técnica da Unidade Maringá, o engenheiro agrônomo Thales Amadeo destacou a importância de se levar informações técnicas e atualizadas aos produtores, enquanto o representante técnico de vendas da Basf, Rafael Franciscatti, mencionou que as orientações são indispensáveis visando a eficácia no controle de doenças.

Fertilizantes - O evento foi dividido em três etapas. Na primeira, o engenheiro agrônomo André Bartchechen, voltado à geração de demanda dos produtos Viridian, falou da importância do uso do Boro no solo e na planta, e fez uma exposição sobre os resultados satisfatórios da aplicação de fertilizantes foliares da linha. Falou, em seguida, do mais recente lançamento, o Viridian Super Atmos, cuja receptividade tem sido grande junto aos cooperados.

Controle preventivo - Na sequência, a especialista Dra. Carolina Deuner, da Universidade de Passo Fundo (UPF), discorreu a respeito das principais doenças na cultura da soja e o seu controle preventivo. Na semana anterior, ela havia ministrado um treinamento a respeito desse assunto para a equipe técnica da Cocamar, além de ter participado de um encontro com foco nesse mesmo tema, na Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT) da cooperativa em Floresta.

Soluções - Ao final, Cristian Leonel, profissional de Desenvolvimento de Mercado da Basf, complementou as informações, salientando a necessidade de que os produtores invistam em soluções que estão sendo apresentadas, para que obtenham os melhores resultados possíveis. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2022/noticias/09/12/cocamar_I/{/vsig}

SICREDI I: Projeto de inclusão social forma jovens para mercado financeiro

Desenvolvido com objetivo de potencializar talentos e fornecer novas perspectivas por meio da colaboração e do aprendizado, o projeto de inclusão social do Sicredi formou 20 jovens em Mercado Financeiro com Certificação FBB 510. A celebração, realizada no Espaço de Educação Padre Theodor Amstad, na Central Sicredi PR/SP/RJ, reuniu parceiros, gestores, diretores e presidentes das cooperativas filiadas e apoiadoras da iniciativa.

Jornada de conhecimento - Pelo projeto, os jovens de diferentes cidades dos estados do Paraná e de São Paulo foram selecionados pelas cooperativas madrinhas para uma jornada de conhecimento sobre o mercado financeiro. Com a parceria da Infi-Instituto Febraban de Educação, foram quatro meses de aulas e conteúdos disponibilizados aos participantes até a certificação.

Honra - “Eu tive a honra de estar com eles desde maio, estudando, mandando mensagens, e vendo o empenho deles em todos os dias de estudo. Se a gente não parar para olhar, ninguém percebe que eles estão se empenhando. Hoje, todos que estão aqui, percebem. Que vocês continuem com esse projeto, com essa ação, que isso se fortaleça e que, daqui a um tempo, eles estejam aqui para receber as novas turmas”, afirmou a consultora externa da área educacional do INFI, Jenifer Zveiter.

Conexão - O presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock, destacou a conexão do Sicredi com iniciativas de educação e responsabilidade social, como o consolidado Programa A União Faz a Vida (PUFV), que, ao longo de sua história, tem impactado a vida de milhares de pessoas por meio do aprendizado e voluntariado. “Acreditamos em um mundo melhor, uma sociedade mais justa, no poder das pessoas ajudando pessoas e em iniciativas como essa que estamos celebrando hoje. Esse é um projeto que conseguimos construir de forma cooperativa e solidária, e que vamos trabalhar para transformar em um programa. Entendemos o que estamos vivenciando aqui hoje como cidadania”, afirmou.

Aprendizado para um futuro mais próspero - Durante o evento, o poder de transformação pelo aprendizado foi abordado pela formanda Camila Lais Ramalho Batista. “Gostaria de destacar a minha imensa gratidão por estar representando todos os formandos que, assim como eu, esperaram muito por esse dia e que, nesse momento, vislumbram um mundo repleto de conquistas ser desbravado. Foram quatro meses de dedicação, e cada formando traz consigo um sentimento único, seja pela realização de um sonho ou pela busca pela estabilidade financeira”, afirmou.

Valor da educação - Para a coordenadora da área de Gestão de Pessoas da Central Sicredi PR/SP/RJ, Katiuscia Karine Lange, o projeto reforça o valor da educação para o jovem atuar como protagonista da própria história, ampliando perspectivas. “Com essa ação, tínhamos o desafio de levar aprendizado além dos nossos colaboradores, algo significativo e que oferece oportunidade para que esse time de jovens tão especiais, e que estão se formando, tenham oportunidades no mercado financeiro, desejando também que estejam conosco no futuro", finalizou.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento de seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Possui um modelo de gestão que valoriza a participação dos mais de 6 milhões de associados, que exercem o papel de donos do negócio. Com mais de 2.300 agências, o Sicredi está presente fisicamente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, disponibilizando mais de 300 produtos e serviços financeiros. Site do Sicredi: www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

{vsig}2022/noticias/09/12/sicredi_I/{/vsig}

SICREDI II: Parceria é reafirmada com Brasil Ladies Cup na segunda edição do evento

sicredi 12 09 2022O Brasil Ladies Cup, evento de futebol feminino que apresenta workshops, ativações e ações sociais envolvendo a modalidade, já confirmou as equipes para a segunda edição. Além da participação inédita e internacional do Atlético de Madrid, da Espanha e Universidad do Chile, estarão novamente São Paulo (atual campeão), Flamengo, Palmeiras, Santos, Ferroviária e Internacional. O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 6 milhões de associados e presença em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, que também esteve na primeira edição, dando nome ao torneio, confirmou sua cota de patrocínio neste ano.

Evento - O evento será em Araraquara e Jaú, interior de São Paulo, entre os dias 7 e 15 de novembro, e irá discutir o desenvolvimento do futebol feminino dentro e fora de campo. As palestras, que serão realizadas em conjunto com a FPF (Federação Paulista de Futebol), abordarão temas como liderança feminina, gestão, marketing esportivo, elaboração de calendários adequados e formação de atletas.

Times - Os oito times serão divididos em dois grupos, com quatro em cada. As equipes jogam entre si e os dois primeiros colocados disputam a final, totalizando 13 partidas, que serão transmitidas pelo Sportv e a grande final também em canal aberto.

Intercâmbio - O intercâmbio com equipes do exterior é um dos pilares do evento, que na primeira edição contou com as presenças do América de Cali, da Colômbia, e do River Plate, da Argentina. Neste ano, a presença de times como Universidad de Chile e Atlético de Madrid reafirma essa tendência. A internacionalização do evento, só engrandece a modalidade, que a cada dia ganha mais força e espaço no Brasil.

Patrocínio - Futebol feminino e fomento ao esporte não são assuntos novos para o Sicredi. Além de estar mais uma vez junto com o Brasil Ladies Cup, a instituição patrocina a Liga Feminina de Futsal, a Copa do Brasil de Futsal feminina e masculina, o Campeonato Paulista feminino 2022, com R$ 2,6 milhões distribuídos aos clubes, acirrando ainda mais a disputa entre as 12 equipes. Junto à Seleção Brasileira Feminina, já patrocinou também um torneio internacional e há sete anos patrocina a competição mais democrática do país, a Copa do Brasil.

Incentivo ao esporte - “O incentivo ao esporte conversa com valores que são parte da nossa essência, como a inclusão social e a coletividade. Nos orgulha poder apoiar mais uma vez o futebol feminino, em busca de mais equidade e visibilidade para a categoria”, afirma Josiane Reis, superintendente de Marca, Comunicação e Segmentos do Sicredi.

Contentes - “Estamos muito contentes com a renovação dessa parceria com o Sicredi, empresa que compartilha dos valores do projeto investindo em igualdade de oportunidades e empoderamento feminino. Na primeira edição o Sicredi se envolveu muito na Semana de Desenvolvimento do Futebol Feminino, isso mostra o compromisso da empresa em contribuir com futebol feminino, temos orgulho em ter o Sicredi novamente conosco na Brasil Ladies Cup”, Marcello Cordeiro Sangiovanni, presidente da Fifos.

Lei - Organizado pela FifoS, Federação Internacional de Football Soccer Society, o projeto foi aprovado pela Lei de Incentivo ao Esporte – LIE, da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, e tem o apoio institucional da Federação Paulista de Futebol (FPF). Em sua primeira edição, alcançou grandes números de audiência em TV fechada e final em sinal aberto para todo país pela TV Globo.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento de seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. Possui um modelo de gestão que valoriza a participação dos mais de 6 milhões de associados, que exercem o papel de donos do negócio. Com mais de 2.300 agências, o Sicredi está presente fisicamente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, disponibilizando mais de 300 produtos e serviços financeiros. Site do Sicredi: www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

 

SICREDI PLANALTO DAS ÁGUAS: Alunos apresentam projetos no Programa Coonecta

Com o objetivo de promover ações que vão em busca de soluções para suprir necessidades locais, utilizando os conceitos de cooperação, sustentabilidade e inovação, a cooperativa Sicredi Planalto das Águas PR/SP, o Cilla Tech Park (CTP) e o Núcleo Regional de Educação de Guarapuava, somaram forças para a realização da primeira edição do Programa Coonecta, com estudantes da segunda série do ensino médio, da rede estadual de educação do município de Pinhão (PR).

ODS - Além dos pilares ligados a cooperação, sustentabilidade e inovação, as ações estão pautadas nos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que vão ao encontro da Agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas) que prevê iniciativas que contribuem para um mundo melhor.

Módulos - Os alunos participaram de uma programação composta por 4 módulos: Cooperativismo, Sustentabilidade, Educação Financeira e Inovação. Depois da capacitação teórica, tiveram um período para formatar o trabalho, identificando um problema e sugerindo a solução, na cidade e zona rural do município de Pinhão PR e enquadrando de acordo com as exigências do regulamento previamente estabelecido.

Escolha - A cidade escolhida foi em função das “embaixadoras da inovação do Sicredi”, conhecidas também como as “Meninas Super Poderosas”, três alunas de escolas da área rural (aproximadamente 40 Km da cidade de Pinhão, no Paraná): Odaiana, Pamela e Roberta, que se destacaram na participação de iniciativas a nível nacional sobre inovação e que estão diretamente ligadas na organização.

Realização - Iniciado em abril, os módulos foram realizados em diferentes locais: Cilla Tech Park (CTP), em Guarapuava, nas escolas públicas de Pinhão e na agência Sicredi de Pinhão. O evento que marcou o encerramento da primeira edição, aconteceu no Celeiro de Inovação, nas dependências do CTP, contou com a presença dos alunos, o presidente da cooperativa Sicredi Planalto das Águas PR/SP, Fabio Peterlini, o diretor executivo, Valmir Dzivielevski, o diretor de negócios, Eric Ranullfo Martins, o chefe do Núcleo Regional de Educação, Marlon Pires, e os diretores das escolas participantes, o diretor de operações do Capitão Lorenzo e diretor executivo Geri Dutra, do CTP, o Gerente da Agência Sicredi de Pinhão, Giovani Chinaider, além da equipe organizadora, composta por colaboradores das entidades envolvidas.

Grupos - Os alunos foram divididos em 3 grupos, os quais apresentaram soluções para problemas identificados, conforme a realidade de cada um: Criação de cisternas para captação de água da chuva, para evitar desperdício da água potável na lavagem das escolas. Fossas sépticas com utilização de pneus velhos, para evitar contaminação do solo e água, além de dar um destino final adequado aos pneus sem utilização. Também outro projeto desenvolvido, no sentido de reutilização de tecidos jeans e banners para fazer bolsas, a serem utilizadas por pessoas que participam de um programa de recebimento de leite. “Vemos que as crianças que ganham o leite, e muitas delas não têm nem uma sacola”, comenta a aluna participante do grupo.

Construção coletiva - Para o diretor executivo do Cilla Tech Park: “O mais valioso em toda a iniciativa foi a construção coletiva, em que entidades locais, se uniram para propor algo diferente. Todas as propostas apresentadas são aplicáveis na prática, o que reforça a importância em promover, de forma estruturada, oportunidades como o Coonecta”, valoriza Geri Dutra.

Olhar diferente - Para o presidente da cooperativa Sicredi Planalto das Águas PR/SP, e apoiador do Programa, Fabio Peterlini: “o Coonecta proporciona uma oportunidade de olhar de forma diferente para a comunidade na qual estamos inseridos, proporcionando contribuir com ideias que garantam um impacto positivo para toda a coletividade. São ações simples e que mudam o mundo e o Sicredi acredita nisso. Por esse motivo estamos aqui, para incentivar e reforçar que é apenas a primeira edição, que já foi um sucesso. Obrigado também aos nossos parceiros Cilla Tech Park e Núcleo Regional de Educação por acreditar que juntos podemos fazer diferença”. (Imprensa Sicredi Planalto das Águas PR/SP)

{vsig}2022/noticias/09/12/sicredi_planalto_aguas/{/vsig}

SICREDI NOVOS HORIZONTES: Agência é inaugurada em Itaporanga (SP)

Cada vez mais, o Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 6,5 milhões de associados e atuação em 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, está expandindo sua presença pelo território brasileiro, levando os benefícios do cooperativismo de crédito para as cinco regiões, do campo às grandes cidades. Com isso em mente, a Sicredi Novos Horizontes PR/SP, uma das 108 cooperativas integrantes do Sistema, inaugurou, no dia 09 de setembro, sua primeira agência em Itaporanga (SP).

Localização - Localizada na rua Dr. Felipe Vita, centro, a agência Itaporanga, como foi chamada, tem 740 m² e oferece conforto, proximidade e interação ao público. Logo na entrada, uma área de recepção foi criada para orientar sobre a melhor opção de atendimento. Quem quiser, pode usufruir também da área de convivência, onde poderá tomar café, ler ou até mesmo aproveitar para realizar tarefas de trabalho, no espaço coworking. A agência também oferece área estacionamento exclusivo, pensando na acessibilidade dos associados.

Desenvolvimento econômico e social - “Chegamos aqui para contribuir com o desenvolvimento econômico e social de Itaporanga, pois nossa missão, enquanto cooperativa de crédito é promover um ciclo virtuoso. O dinheiro aplicado no Sicredi, fica na região, oportunizando mais empregos e renda para as famílias do município” disse Luciano Kluppel presidente da cooperativa.

Investimento - O investimento para a inauguração da unidade, que conta com um ambiente interativo que promove os valores do cooperativismo de crédito, foi de aproximadamente 2 milhões de reais. A cooperativa Sicredi Novos Horizontes PR/SP atua em 16 municípios, com mais de 39 mil associados, 250 colaboradores e, agora, chega a 18ª agências.

Expansão - A abertura da agência contribui para a expansão do cooperativismo de crédito na cidade. E os benefícios são contatados em pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), encomendada pelo Sicredi em 2020. Conforme o estudo, o cooperativismo incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%, estimulando, portanto, o empreendedorismo local.

Canais de atendimento - Para estar cada vez mais à disposição de seus associados, além das agências físicas que vai atender presencialmente de segunda a sexta-feira das 09h30 às 15h30, o Sicredi oferece também uma múltipla rede de canais (mobile e internet banking, redes de autoatendimento, agentes credenciados e atendimento via WhatsApp).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 26 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.200 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Novos Horizontes PR/SP)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2022/noticias/09/12/sicredi_novos_horizontes/{/vsig}

CBSEMENTES: Banco Mundial de Sementes guarda uma das maiores riquezas da humanidade

Certamente poucos sabem que a distante ilha de Svalbard, entre a Noruega e o Polo Norte, abriga uma grande estrutura de concreto construída a 100 metros dentro de uma montanha coberta de gelo permanente, que tem por finalidade salvaguardar a biodiversidade das espécies vegetais e, assim, evitar sua extinção.

Depósito de sementes - Também conhecido como a “Arca de Noé”, o Svalbard Global Seed Vault (Banco Mundial de Sementes) é um enorme depósito de sementes de todo o mundo, que constitui tanto um patrimônio cultural como um bem comum à humanidade. Mais de 1 milhão de espécies de sementes do mundo todo estão guardadas neste cofre, construído para resistir a desastres climáticos e até explosões nucleares.

Envio - Bancos Ativos de Germoplasma do mundo inteiro enviam espécies vegetais para o Banco Mundial de Sementes de Svalbard. Nos últimos anos, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) mandou mais de 4 mil sementes de diversas variedades entre elas arroz, feijão, milho, cebola, pimentas e cucurbitáceas, que são melancia, pepino, abóboras, entre tantas outras.

Importância - Para falar sobre a importância dos bancos de bancos genéticos, o XXI Congresso Brasileiro de Sementes (CBSementes) convidou nada menos que duas cientistas brasileiras, com atuação internacional, para ministrar palestras no painel “Banco de germoplasma – papel na manutenção da biodiversidade”.

Painel - Rosa Lía Barbieri foi a primeira mulher brasileira com assento no conselho consultivo do Banco Mundial de Sementes de Svalbard, para um mandato de três anos, que encerrou em agosto de 2022. Pesquisadora da Embrapa Clima Temperado, Rosa Lía vai abordar no painel "A participação da Embrapa em Bancos de Germoplasma a nível mundial".

Papel do GGIAR - Vania Azevedo, líder do Programa de Biodiversidade para o Futuro e Líder do Banco de Germoplasma do CIP (Centro Internacional de la Papa – International Potato Center) do CGIAR (Consultative Group on International Agricultural Research), vai falar sobre "O papel do CGIAR na preservação das sementes a nível mundial".

Amostras - Os Bancos Ativos de Germoplasma conservam acessos (amostras) de espécies com importância para a alimentação e a agricultura, provenientes de coletas no país, doações e intercâmbio com outros países. A diversidade genética de muitas espécies é conservada na forma de sementes, tubérculos, plantas no campo ou in vitro.

Cópia de segurança - O Banco Genético da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em Brasília, conserva uma cópia de segurança dos Bancos Ativos de Germoplasma das espécies que têm sementes ortodoxas. Atualmente, no Banco Genético são conservadas as sementes de 115 mil acessos, de 1079 espécies. Uma segunda cópia de segurança de parte desse material é conservada a longo prazo no Banco Mundial de Sementes de Svalbard.

Melhoramento genético - Além de destacar a importância dos bancos de germoplasmas, Rosa Lía ressalta a importância deles para os programas de melhoramento genético desenvolverem variedades mais produtivas ou com características especiais (como tolerância a certas pragas e doenças, tolerância à seca e maior teor nutricional), para o desenvolvimento de novos produtos (como medicamentos, novas fibras, bioinsumos, alimentos funcionais) e também para a formação de recursos humanos (quando os acessos são alvo de trabalhos realizados por estudantes de iniciação científica, mestrado e doutorado)", explica Rosa Lía.

Bancos ativos - No Brasil existem 268 bancos ativos de germoplasma (BAGs) pertencentes a 37 instituições de pesquisa e/ou ensino, com mais de 370 mil acessos conservados. Destes, a Embrapa mantém 165 bancos de germoplasma, distribuídos em 21 Unidades da empresa nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste.

Função - Vania Azevedo, que chefiou o Icrisat Genebank na Índia por três anos, entre 2018-2021, destaca que a função dos bancos é a de conservar recursos genéticos ex situ (fora do ambiente natural de origem). Trata-se de uma estratégia complementar à conservação in situ (no ambiente natural). “Além disso, esses materiais se encontram disponíveis para pesquisa de maneira mais acessível”, afirma, acrescentando que os bancos não substituem a conservação in situ, pois essa envolve toda a conservação de um ecossistema e tem importância em diversos níveis, como, inclusive, na luta com as mudanças climáticas.

No mundo - Segundo ela, hoje existem mais de 1500 bancos de germoplasma em todo o mundo. Praticamente todos os países têm seus bancos nacionais, focados em espécies de importância para o próprio país. "Avançamos em pesquisas que melhoram a eficiência de conservação em longo prazo de sementes e também de plantas clonais (que não se propagam por semente, como batata, batata-doce, mandioca, banana, abacaxi entre outros) ou de sementes recalcitrantes (grande parte das frutíferas e arbóreas) e que por isso necessitam de técnicas espécies como a conservação in vitro (microplântulas em tubos de ensaio) ou a criopreservação (em nitrogênio líquido a -196oC)", explica a pesquisadora.

Cultivos - "O CGIAR possui 11 bancos internacionais, os quais conservam materiais de 26 cultivos e grupos de cultivos diferentes. Anualmente distribuímos, globalmente, mais de 100.000 amostras de materiais para pesquisa para diversos países, afirma Vania Azevedo. (Assessoria de Imprensa de Abrates)

SERVIÇO

Evento: XXI Congresso Brasileiro de Sementes

Data: 12 a 15 de setembro de 2022

Local: Expo Unimed, Curitiba (PR)

Inscrições: https://www.cbsementes.com

Fotos

FOTOS: Banco Mundial de Sementes / by Subiet - Own work, CC BY-SA 4.0 - Tubos de ensaios / Embrapa Divulgação

{vsig}2022/noticias/09/12/evento/{/vsig}

MAPA: Na OCDE, Ministério apresenta ações de sustentabilidade desenvolvidas pela agricultura brasileira

mapa 12 09 2022A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) realizou na semana passada, em sua sede em Paris (França), evento para debater caminhos efetivos para a sustentabilidade desenvolvidos por Brasil e Portugal. O evento marca a celebração dos 200 anos da independência do Brasil, visando uma troca de conhecimento sobre estratégias que estão sendo exploradas pelos dois países.

Políticas inovadoras - Segundo a OCDE, o objetivo é discutir políticas inovadoras capazes de promover o uso sustentável dos recursos naturais sem reduzir a produtividade e a subsistência se tornou crucial, para garantir uma recuperação face aos desafios climáticos e sociais atuais. 

Estratégias - No seminário “Brasil e Portugal: Construindo uma Economia Sustentável”, o secretário de Inovação, Desenvolvimento Sustentabilidade e Irrigação, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Cléber Soares, apresentou as estratégias de agricultura sustentável desenvolvidas no país, entre elas, o Plano ABC+. 

Alto nível - "O evento foi de alto nível e muito positivo para o fortalecimento do agronegócio brasileiro mostrando para o secretariado e representantes dos países-membros da OCDE que a agricultura brasileira é resiliente, sustentável e contribui para a segurança alimentar do mundo", destacou Soares sobre a reunião.

Principais programas - O representante do Mapa apresentou ainda os principais programas de promoção e fomento à agricultura brasileira, como Cadeias Descarbonizantes, Bioinsumos, Inovação no Agro, Águas do Agro e Pronasolos. Segundo ele, a sustentabilidade da agricultura brasileira é um compromisso prioritário, pois trata do principal pilar econômico do país e, portanto, de maior impacto social para construção de um modelo de desenvolvimento justo e resiliente.

Implementação - A estratégia de implementação das iniciativas é formada por um conjunto de políticas, em camadas, que se complementam e fortalecem para os resultados prioritários: 1) aumento de renda do produtor rural; 2) produtividade e segurança alimentar; 3) Fortalecimento das práticas de adaptação e mitigação; 4) Agricultura digital e ecossistemas de agrobusiness. Para alcançar a sustentabilidade, as peças fundamentais são: agricultura sustentável, bioeconomia e economia sustentável dos oceanos.

Presenças - Também participaram do evento o delegado do Brasil junto às Organizações Internacionais Econômicas sediadas em Paris, Carlos Márcio Cozendey; o  presidente da Embrapa, Celso Moretti; a professora da Universidade do Algarve de Agricultura Sustentável, Maria de Belém Freitas; a professora da Universidade de Lisboa e investigadora para Economia dos oceanos sustentáveis, Helena Vieira; e a pesquisadora da Embrapa para Floresta e Bioeconomia; Ana Euler. O evento ocorreu no Centro de Convenções.

Plano ABC+ - O Plano Setorial para Adaptação à Mudança do Clima e Baixa Emissão de Carbono na Agropecuária - ABC+ para o período 2020-2030 é um projeto de sustentabilidade e inovação no campo.

Objetivo - O objetivo do plano é promover a adaptação à mudança do clima e o controle das emissões de gases de efeito estufa (GEE) na agropecuária brasileira. O Brasil, por meio da política pública, reafirma o compromisso mundial para o enfrentamento à mudança do clima e estende por mais uma década o Plano ABC – Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura.

Foco - Nesta segunda fase, focou-se na necessidade premente da agropecuária brasileira adotar, em seus sistemas produtivos, estratégias que aumentem sua capacidade adaptativa frente à mudança do clima. Com essa finalidade, três pilares estratégicos compõem a base do ABC+: i) a Abordagem Integrada da Paisagem (AIP); ii) Interconexão entre adaptação e mitigação, e; iii) o estímulo à Adoção e manutenção de Sistemas, Práticas, Produtos e Processos de Produção Sustentáveis (SPSABC).

Novos sistemas - Às tecnologias fomentadas na primeira fase do Plano ABC, foram incorporados novos sistemas, práticas, produtos e processos de produção sustentáveis, respaldados por sólido conhecimento científico e tecnológico. 

Alterações - Como principais alterações, foram incluídos três novos SPSABC: Sistema Plantio Direto Hortaliças (SPDH), Sistemas Irrigados (SI) e Terminação Intensiva (TI). Sistemas Agroflorestais (SAF), junto ao Sistemas de Integração Lavoura-Pecuária- Floresta (ILPF), compõem a tecnologia Sistemas de Integração. Ampliou-se o escopo de outros três SPSABC já existentes: Práticas para Recuperação de Pastagens Degradadas (PRPD), que passa a considerar a recuperação e a renovação de pastagens com algum grau de degradação; Bioinsumos (BI), que inclui Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) e Microrganismos Promotores do Crescimento de Plantas (MPCP); e Manejo de Resíduos da Produção Animal (MRPA), que considera outros resíduos além de dejetos animais e estimula o uso dos subprodutos obtidos como bioenergia e biofertilizante.

Detalhamento - Clique aqui e confira o detalhamento de cada ação

Em vigor desde 2021 - O Plano ABC+ está em vigor desde 2021, quando foi lançado. No dia 11 de agosto de 2022, foi publicada Portaria Nº 471, retificando dois itens do plano. No Artigo 3, inciso 7, foi realizada a inclusão da palavra "milhões" de metros cúbicos, ao invés de apenas metros cúbicos.

Correção - No Artigo 3, parágrafo 2, foi corrigido o valor de redução estimado de emissões de GEE, pelo setor agropecuário nacional, de 1.076,14 milhões de Mg CO2eq, para o valor de 1.042,41 (mil e quarenta e dois vírgula quarenta e um) milhões de Mg CO2eq. 

Ajuste de metodologia - Segundo a Secretaria de Inovação do Mapa, a alteração ocorreu devido a um ajuste de metodologia nos cálculos feitos pela equipe de pesquisa, permitindo maior rigor do valor total de emissões até 2030.

OCDE - A OCDE é uma organização internacional fundada em 1961, com sede em Paris (França), que trabalha para construir “políticas melhores para vidas melhores” e tem como objetivo a identificação e o estabelecimento de práticas e políticas que promovam prosperidade, igualdade, oportunidade e bem-estar para todos.

Atuação - A organização trabalha juntamente com governos, formuladores de políticas e sociedade civil no estabelecimento de padrões internacionais baseados em evidências e na busca de soluções para uma série de desafios sociais, econômicos e ambientais. Assim, os países membros e parceiros da OCDE compartilham experiências e buscam soluções para problemas comuns. (Mapa)

 

CONAB: Lavouras de milho e soja no sul do país devem apresentar recuperação na produtividade na safra 2022/23

conab 12 09 2022O desempenho das lavouras de milho e soja no sul do país deve apresentar melhora na safra 2022/23 quando comparado com o registrado no atual ciclo. Na temporada passada, foram registradas altas temperaturas e estiagem durante o desenvolvimento das culturas de primeira safra e afetaram negativamente o desempenho das lavouras. No entanto, para 2022/23 espera-se que as condições climáticas sejam mais favoráveis. Nas regiões produtoras do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, a produção projetada para a soja no próximo ciclo é de aproximadamente 45,95 milhões de toneladas, um aumento de 96,3% em relação à colheita estimada em 2021/22, como mostra os dados estaduais da Perspectiva para a Agropecuária 2022/23, divulgados na terça-feira passada (06/09) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Produtividade - De acordo com as informações divulgadas, em caso de normalidade climática, a produtividade para a oleaginosa no estado gaúcho deve crescer 134,2%, passando de 1.433 quilos colhidos por hectare para 3.356 kg/ha. Já os agricultores paranaenses tendem a registrar uma produtividade de 3.630 quilos por hectare na próxima temporada, frente a 2.161 kg/ha, elevação de 68%. Aliado a uma melhora na produtividade, a área destinada para a cultura também deve ser acrescida em 2% no Paraná, podendo chegar a 5,78 milhões de hectares, e em 4,8% no Rio Grande do Sul, estimada em 6,66 milhões de hectares.

Recuperação - Caso essas projeções se confirmem, a produção da soja apenas nos estados da região Sul do país deve apresentar uma recuperação de 96,3%, contribuindo para a projeção de uma colheita de 150,36 milhões de toneladas do grão em todo o país. Só para o Rio Grande do Sul é esperado volume próximo a 22,35 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 145,3%, enquanto que no Paraná a produção estimada é de aproximadamente 21 milhões de toneladas, 71,3% maior que a registrada neste ciclo.

Milho primeira safra - A Conab também aponta para um bom desempenho para o milho primeira safra 2022/23 cultivado nas lavouras desta região. As estimativas mostram um aumento de 53,3% na produção dos três estados. O maior crescimento tende a ser registrado nos campos do Rio Grande do Sul impulsionados pela melhora na produtividade em 99,2%, com os produtores podendo colher 7 mil quilos por hectare. Com isso, é esperado um crescimento na produção da 1ª safra acima de 95%, sendo estimada uma colheita de 5,68 milhões de toneladas.

Santa Catarina e Paraná - Já em Santa Catarina, a recuperação da produtividade do cereal chega a 37,5% e pode ficar em 8.342 quilos por hectare. Essa melhora é acompanhada pelo resultado projetado na produção, previsto para 2,95 milhões de toneladas na temporada 2022/23. Cenário semelhante é esperado para o Paraná, no qual tanto a colheita da primeira safra como a produtividade devem crescer em 23,4%, com expectativa de atingir 8.517 quilos por hectares e 3,69 milhões de toneladas respectivamente.

Fator de risco - “O principal fator de risco para que essas projeções não sejam alcançadas é a possibilidade de chuvas irregulares e mal distribuídas nas principais regiões produtoras no último trimestre do ano e no início do ano seguinte, fator que deverá ser monitorado semanalmente pela Conab nos próximos meses”, pondera a superintendente de informações da agropecuária, Candice Romero Santos.

Análise - Para a elaboração das estimativas de área e produtividade por Unidade da Federação, a Conab utilizou a análise das séries históricas, as informações trazidas de campo pelos Núcleos de Informações Agropecuárias (Nuinfs) e a utilização de modelos de 5 modelos de previsão, entre modelos de séries temporais e modelos de machine learning. “Foram diversas reuniões entre as equipes para avaliação dos cenários trazidos pelos modelos estatísticos e de machine learning para que, a partir deles, fossem avaliados os cenários mais prováveis considerando os fundamentos de mercado e a dinâmica de produção de cada estado”, pondera o superintendente de Estudos de Mercado e Gestão da Oferta, Allan Silveira.

Mais informações - Mais informações sobre as expectativas da safra 2022/23 para milho, soja, arroz, feijão e algodão em todos os estados do país podem ser acessadas nas Perspectivas para a Agropecuária 2022/23, que apresenta também análises e panoramas de mercado para cada uma das culturas. Os dados também estão disponíveis no formato de planilha no site da Companhia. (Conab)

 

FOCUS: Mercado financeiro reduz projeção da inflação de 6,61% para 6,4%

focus 12 09 2022A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, caiu de 6,61% para 6,4% neste ano. É a 13ª redução consecutiva da projeção. A estimativa está no Boletim Focus desta segunda-feira (12/09), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a expectativa de instituições para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para 2023, a estimativa de inflação ficou em 5,17%. Para 2024 e 2025, as previsões são de inflação em 3,47% e 3%, respectivamente.

Acima da meta - A previsão para 2022 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,5% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior 5,25%.

Agosto - Em agosto, a inflação teve novo recuo, de 0,36%, após queda de 0,68% em julho. Com o resultado, o IPCA acumula alta de 4,39% no ano e 8,73% em 12 meses, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Taxa de juros - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, definida em 13,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). A taxa está no maior nível desde janeiro de 2017, quando também estava em 13,75% ao ano.

Expectativa - Para o mercado financeiro, a expectativa é de que a Selic encerre o ano nesse patamar. Para o fim de 2023, a estimativa é de que a taxa básica caia para 11,25% ao ano. Já para 2024 e 2025, a previsão é de Selic em 8% ao ano e 7,5% ao ano, respectivamente.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Desse modo, taxas mais altas também podem dificultar a expansão da economia. Além da taxa Selic, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

PIB e câmbio - As instituições financeiras consultadas pelo BC elevaram a projeção para o crescimento da economia brasileira neste ano de 2,26% para 2,39%. Para 2023, a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 0,5%. Em 2024 e 2025, o mercado financeiro projeta expansão do PIB em 1,8% e 2%, respectivamente.

Mesmo patamar - A expectativa para a cotação do dólar manteve-se em R$ 5,20 para o final deste ano. Para o fim de 2023, a previsão é de que a moeda americana também fique nesse mesmo patamar. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

INDÚSTRIA: Setor desacelera no Paraná em julho

industria 12 09 2022O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, na sexta-feira (09/09), que a indústria do Paraná manteve a tendência de desaceleração no ritmo de produção em julho, com queda de 1,4% na comparação com junho. É o mesmo cenário verificado nos últimos meses. Das 15 regiões avaliadas pelo IBGE, somente quatro cresceram, o que aponta para uma tendência nacional de redução no ritmo de produção no setor.

Déficit - Com este resultado, a indústria estadual registra déficit de 0,8% no acumulado de 2022, assim como a indústria nacional, que também encolheu 2% de janeiro a julho. Nessa avaliação, apenas Rio de Janeiro (3,3%) e Rio Grande do Sul (0,9%) cresceram entre os estados mais industrializados do país. No Paraná, ainda permanecem os efeitos negativos observados nos meses anteriores. “Por parte das empresas, a dificuldade é o desabastecimento e o alto custo de insumos e matérias-primas. Já pelo lado da demanda, a inflação alta e os juros elevados, que causam encarecimento do crédito, dificultam o poder de consumo das famílias, impactando nas cadeias produtivas”, avalia o economista da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Marcelo Alves.

Julho - Na avaliação de julho de 2022 contra julho do ano passado, o resultado foi um pouco melhor. O Paraná apresentou crescimento de 0,10%, número acima da média nacional, que recuou 0,5%. Quatro dos quinze locais pesquisados apresentam taxas negativas. No estado, os setores que mais impactaram positivamente foram máquinas e equipamentos (54,4%), bebidas (33,4%), borracha e de material plástico (10,20%), celulose e papel (5,1%) e petróleo (1,7%). “O agronegócio contribuiu para o bom desempenho no segmento de máquinas e equipamentos. Decompondo os resultados, colheitadeiras e tratores foram os principais produtos vendidos pela indústria. Já chope e refrigerantes, movimentaram o setor de bebidas”, completa Alves. Das 13 atividades avaliadas pelo IBGE, oito ficaram negativas no período. Entre elas, automotivo (-18,7%), madeira (-17,8%), produtos químicos (-16%) e moveleiro (-7,8%).

No ano - No ano, a performance dos segmentos não muda muito. Bebidas continua sendo a atividade industrial com maior crescimento acumulado de janeiro a julho (27,8%), seguida por máquinas e equipamentos (6,5%), celulose e papel (3,4%), petróleo (3,2%) e produtos químicos (0,3%). Já os setores moveleiro (-14,5%), de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-14,4%), madeira (-11,5%), automotivo (-5%) e alimentos (-2,1%) figuram entre o que encolheram em 2022.

Impacto - “Mesmo com os efeitos positivos na economia, gerados por conta de medidas governamentais como a queda no preço dos combustíveis, a liberação de recursos do FGTS e antecipação de 13º salário de servidores aposentados, a inflação alta, a diminuição na renda das famílias – além dos juros elevados da economia – desestimulam o consumo e impactam na demanda das fábricas”, sustenta o economista. “Essas medidas não foram suficientes para alavancar as vendas no comércio e a demanda nas fábricas”. Segundo Alves, esse não é um resultado isolado. “É uma condição geral da economia do país que não está contribuindo para o crescimento no ritmo de produção das indústrias. Essa situação confirma que o setor vem desacelerando desde o segundo semestre do ano passado e ainda não conseguiu recuperar a consistência este ano”, conclui o economista da Fiep. (Agência Fiep de Notícias)

FOTO: Gelson Bampi

ELEIÇÕES I: Urna terá intervalo para eleitor conferir voto

eleicoes I 12 09 2022As urnas eletrônicas terão um intervalo de tempo para que o eleitor possa conferir o seu voto antes da confirmação. A novidade para as eleições de 2022 foi anunciada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na quarta-feira (07/09). O objetivo é reduzir os votos equivocados.

Estímulo - “[O intervalo] foi introduzido para estimular a conferência do voto e impedir que o eleitor confirme sem querer”, explicou Rodrigo Coimbra, chefe da Seção de Voto Informatizado do TSE, ao portal de notícias do tribunal.

Voto - O eleitor votará cinco vezes no primeiro turno em 2022, e até duas vezes no segundo. Após cada voto, a urna impedirá a confirmação do voto pelo tempo de um segundo. Será um tempo extra para que o eleitor revise o número digitado e possa corrigir o voto, se for o caso. A correção pode ser feita mesmo após a liberação do botão “confirma”.

Simulador - A mudança já foi incorporada ao simulador de votação do TSE.

Ordem - A ordem de preenchimento dos cargos na hora da votação começa pelo voto para deputado estadual ou distrital, seguido por deputado federal, senador, governador e presidente. No caso de segundo turno, o primeiro voto é para governador e o segundo, para presidente.

Turnos - O primeiro turno das eleições acontece no dia 2 de outubro. O segundo turno, se houver, será no dia 30 de outubro.​ (Agência Senado)

FOTO: Nelson Jr. / Ascom / TSE

ELEIÇÕES II: Você sabe qual é a ordem dos candidatos na urna?

eleicoes  II 12 09 2022O primeiro turno das Eleições Gerais acontece no dia 2 de outubro. Você já sabe qual é a ordem das candidatas e candidatos na urna?

- Deputada ou deputado federal (quatro números)

- Deputada ou deputado estadual (cinco números)

- Senadora ou senador (três números)

- Governadora ou governador (dois números)

- Presidência da República (dois dígitos)

Tela - Ao escolher cada cargo, aparecerão na tela da urna o nome e a fotografia da candidata ou candidato, acompanhados da sigla do partido político e do nome cargo disputado.

Leve um lembrete - É possível levar um lembrete para ajudar no momento da votação. A Justiça Eleitoral disponibiliza, na página das Eleições na internet, um modelo para imprimir em casa. Versões impressas também serão distribuídas em todo o país.

Simulador - Você também pode treinar no simulador virtual da urna.  

Acesse a página das Eleições 2022

Gralha Confere: É FALSO que votar somente para presidente e em branco nos outros cargos anularia o voto

(Secretaria de Comunicação do TRE-PR)

 

LEGISLATIVO: Senado debate mudanças climáticas e desafios para a COP27 nesta terça

legislativo destaque 12 09 2022O Senado promove, nesta terça-feira (13/09), a partir das 9h, uma sessão de debates temáticos para discutir o cumprimento das metas da NDC (sigla em inglês para Contribuição Nacionalmente Determinada), firmada na COP26, e as propostas do Brasil para a COP27. A NDC envolve compromissos voluntários criados por cada país signatário do Acordo de Paris, com o objetivo de colaborar com a meta global de redução de emissões de gases do efeito estufa. O requerimento para o debate (RQS 650/2022) foi apresentado pelo senador Fabiano Contarato (PT-ES) e outros senadores. 

Convidados - Entre os convidados estão Tasso Azevedo, coordenador do Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estufa do Observatório do Clima e do projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo no Brasil (MapBiomas); a advogada Caroline Prolo, especialista em mudanças climáticas e diretora-executiva da rede Laclima; e Mônica Sodré, diretora na Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps).

Justificativa - Na justificativa o senador lembra que a Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), realizada em Glasgow, Escócia, em novembro de 2021, teve como resultado a regulamentação das últimas cláusulas do Acordo de Paris — o que permitiu aos países comercializar créditos de carbono entre si, condição essencial para conter o aquecimento global. Ele lembra que a COP27 ocorrerá de 7 a 18 de novembro deste ano, em Sharm el Sheik, no Egito.

Grande desafio - Contarato avalia no requerimento que os líderes que representarão os países na próxima cúpula do clima continuam com o grande desafio de combater o aumento da temperatura global e suas consequências. Ele cita o relatório Global Annual to Decadal Climate Update for 2022-2026, segundo o qual os anos até 2026 devem ser os mais quentes registrados, com 90% de chances de as temperaturas serem mais altas do que os cinco anos anteriores.

Resposta - O Acordo de Paris, explica Contarato, "é uma resposta global a uma urgente ameaça para a humanidade: a mudança do clima, no contexto do desenvolvimento sustentável e dos esforços de erradicação da pobreza". O documento foi assinado por 195 países no ano de 2015, em Paris. O senador avalia no requerimento que a prevenção e o controle do desmatamento, tanto na Amazônia como nos demais biomas brasileiros, “sem dúvida, envolvem a necessidade de se desenvolver uma agricultura de baixo carbono, que seja rentável e de interesse dos produtores rurais, de modo a incentivar sua adesão a esse modelo”.

Como participar - O evento será interativo: os cidadãos podem enviar perguntas e comentários pelo telefone da Ouvidoria do Senado (0800 061 2211) ou pelo Portal eCidadania, que podem ser lidos e respondidos pelos senadores e debatedores ao vivo. O Senado oferece uma declaração de participação, que pode ser usada como hora de atividade complementar em curso universitário, por exemplo. O Portal eCidadania também recebe a opinião dos cidadãos sobre os projetos em tramitação no Senado, além de sugestões para novas leis. (Agência Senado)

 

legislativo quadro 12 09 2022

SAÚDE I: Brasil tem 2,4 mil novos casos e 7 mortes por Covid-19 em 24 horas

O Ministério da Saúde informou neste domingo (11/09) que foram registrados sete mortes e 2.477 casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Os dados não incluem, no entanto, informações sobre óbitos de 11 unidades da federação, seis das quais também não atualizaram o número de casos.

Total - Desde o início da pandemia, foram registrados 34.528.625 casos, dos quais 684.860 resultaram em morte, 211.198 ainda estão em acompanhamento e 33.632.567 terminaram com a recuperação do paciente.

Estados - O estado de São Paulo acumula 6,05 milhões de casos e 174,3 mil óbitos. Minas Gerais é o segundo estado com maior número de casos (3,87 milhões), enquanto o Rio ocupa a segunda posição entre aqueles com maior número de mortes (75,6 mil).

Vacinação - O painel de vacinação do Ministério da Saúde registra 480,2 milhões de doses de vacinas aplicadas no país. Destas, 179,5 milhões são referentes à primeira dose; 160,8 milhões são referentes à segunda dose; 4,9 milhões são referentes à dose única. Nas doses de reforço, 102,8 milhões de doses do primeiro reforço já foram aplicadas; 27,2 milhões referentes à segunda dose de reforço e 4,8 milhões são classificadas como doses adicionais. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2022-09-11 at 19.08.26

SAÚDE II: Sesa confirma mais 255 novos casos e um óbito no Paraná

saude II 12 09 2022De acordo com o Informe Epidemiológico divulgado neste domingo (11/09) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Paraná registrou 255 novos casos e um óbito causado pela Covid-19, dos quais 57 casos nas últimas 24h. Assim, o Estado acumula, desde o início da pandemia, 2.729.620 casos confirmados e 44.943 mortes decorrentes da doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de setembro (68), agosto (174), maio (1), abril (1), março (2), fevereiro (1) e janeiro (1) de 2022; agosto (1), julho (1) e abril (2) de 2021; e dezembro (1), setembro (1) e julho (1) de 2020. O óbito divulgado nesta data é de junho de 2022.

Município - O paciente que foi a óbito residia em Telêmaco Borba. (Com informações da Sesa)

Clique aqui e confira o boletim completo

FOTO: Sesa

SAÚDE III: ANS atualiza dados econômico-financeiros da saúde suplementar

saude III 12 09 2022A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) atualizou os painéis dinâmicos Prisma Econômico-Financeiro da Saúde Suplementar e Painel Contábil da Saúde Suplementar, disponíveis em seu portal. As duas ferramentas, em formato de painéis dinâmicos, possibilitam pesquisas sobre os dados econômico-financeiros do setor de planos de saúde até o segundo trimestre de 2022.

Grupos - O Prisma é dividido em três grandes grupos: Dados Consolidados do Setor de Saúde Suplementar, Ativos Garantidores e Provisões Técnicas e Indicadores Econômico-Financeiros (ponderados e não ponderados). Apresenta a evolução dos dados econômico-financeiros do setor de forma consolidada e por modalidade de operadoras de planos de saúde. O Prisma é atualizado com dados informados trimestralmente pelas operadoras. A novidade nessa atualização é que os dados podem ser abertos por porte das operadoras.

Confira aqui o Prisma Econômico-Financeiro.

Contábil - No Painel Contábil, é possível consultar os dados das demonstrações contábeis de todas as operadoras de planos de saúde. É divido em cinco partes: ativo, passivo, receitas e despesas, resultados e indicadores. Em todas, é possível analisar os dados de todo o setor, por operadora, modalidade ou segmento. Também é atualizado com dados trimestrais. Acesse o Painel Contábil da Saúde Suplementar.

Demais competências - Os dados que constam nos painéis incluem também as demais competências desde 2018 e são extraídos de Documentos de Informações Periódicas das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde (DIOPS), do Sistema de Cadastro de Operadoras (CADOP) e do Sistema de Informações de Beneficiários (SIB). (ANS)

 

ARTIGO: Renda fixa, segurança e rentabilidade

artigo 12 09 2022*Paulo Padilha

Durante a pandemia, os principais Bancos Centrais do mundo injetaram um volume significativo de recursos no mercado, para que suas economias não entrassem em colapso durante os períodos de lockdown.

Esse valor injetado no mercado aqueceu a economia de todo o mundo e a manteve viva durante aquele período difícil que passamos no auge da pandemia. Depois de passado esse momento, foi necessário regular essa quantidade de dinheiro dentro da economia.

De modo geral, o mundo passa por um momento de inflação elevada, seja em função dos lockdowns, das interrupções nas cadeias produtivas, do grande volume de recursos circulando nas economias, dos fatores climáticos extremos, ou mesmo do conflito geopolítico entre Rússia e Ucrânia. A vista disso, é hora de reajustar a economia para controlar a inflação e trazê-la para próximo das metas de cada país.

Em relação a este cenário, o Brasil se destaca porque começou a tratar o processo inflacionário mais cedo. Hoje podemos observar grandes potências econômicas, a exemplo dos Estados Unidos e Europa, com uma inflação maior do que a do Brasil e sem ter atingido o pico inflacionário. Ao passo que a inflação no Brasil já demonstra certo controle e sinais de deflação (redução de preços) por dois meses consecutivos.

Um dos mecanismos utilizados para o controle da inflação é o aumento da taxa básica de juros, no Brasil, a taxa Selic Meta, que hoje está em 13,75% a.a.. Alguns economistas acreditam que ela possa chegar a 14,25% a.a ao final de 2022, já a renomada e premiada área econômica do Sicredi tem se posicionado com a expectativa de fechar o ano em 13.75% a.a..

Falando de 2023, nossa expectativa para taxa Selic é de 11% a.a., uma vez que a inflação, mesmo dando sinais de recuo no curto prazo, ainda apresenta certa resiliência e está projetada em 5,3% a.a. para o final de 2023, ou seja, acima do centro da meta de 3,25% a.a. O fim da bandeira tarifaria de energia vermelha, a redução dos impactos da pandemia e as medidas de redução dos tributos sobre combustíveis e energia elétrica, tem auxiliado no controle e condução da inflação para os níveis desejados, tanto no curto quanto no longo prazo.

Falando um pouco sobre investimentos, deixo três dicas simples e muito úteis:

1º: Constitua e mantenha uma reserva de emergência, ela pode variar de 6 a 18 vezes as suas despesas mensais fixas e tem por objetivo dar estabilidade financeira para eventuais imprevistos, como por exemplo, perder sua principal fonte de renda;

2º: Saiba qual é o seu perfil de investidor: conservador, moderado ou arrojado. Ele diz muito sobre o seu apetite a risco e sua capacidade de suportar oscilações do mercado.

3º: Tenha clareza sobre qual é o objetivo e prazo de cada investimento, esse fator faz muita diferença na escolha do ativo financeiro adequado a seus objetivos.

Em função do cenário de taxa Selic alta, os investimentos em renda fixa estão fazendo muito sentido. Atualmente, o investidor está recebendo em média 1% ao mês, fruto da taxa Selic a 13.75% a.a.. Importante lembrar que os investimentos em renda fixa fazem sentido para todos os perfis de investidor e tem por característica, um grau de segurança maior e volatilidade menor do que o investimento de renda variável.

Existem inúmeras opções para investimento em renda fixa, desde os CDBs (Certificado de Depósito Bancário), no caso do Sicredi, chamamos de RDC (Recibo de Depósito Cooperativo ou Sicredinvest), a caderneta de poupança, LCAs, fundos de investimento entre outros. Um investimento de renda fixa que traz rentabilidade muito atrativa para prazos um pouco maiores, são as aplicações onde o investidor renuncia à liquidez ou disponibilidade do dinheiro por um determinado período, ou seja, durante determinado período de tempo ele não poderá acessar seu recurso.

Em contrapartida, a instituição financeira entrega taxas melhores, pelo simples fato de poder ser mais eficiente no uso do recurso. Quando você deixa seu dinheiro investido em uma Instituição Financeira através da compra de títulos da própria instituição, os CDBs dos bancos ou RDCs das cooperativas de crédito, o Banco Central determina que, se o dinheiro estiver a sua disposição a qualquer momento, a instituição não empregue todo esse valor em suas carteiras de crédito.

Por exemplo, 70% do valor aplicado, a instituição coloca na carteira de crédito onde ela vai ter rentabilidade. Já os outros 30% precisam estar à disposição caso os investidores desejem fazer saques, mas, quando o investidor faz uma aplicação e acorda com a Instituição que está abrindo mão da disponibilidade do seu investimento por determinado período, a instituição financeira consegue colocar todo o recurso em suas carteiras de crédito, obtendo rendimentos melhores. Se ela obtiver rendimentos melhores, ela pode pagar taxas melhores para o investidor. Resumidamente, quando você renuncia à disponibilidade ou “trava” um recurso com uma instituição, ela consegue te oferecer uma taxa melhor e automaticamente o investidor tem um ganho melhor na aplicação, tanto pela taxa quanto pela menor incidência de imposto de renda.

Qualquer dúvida que houver sobre investimentos e demais produtos e serviços financeiros, procure um de nossos colaboradores nas agências da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP. Todos estão capacitados e prontos para atendê-lo.

*Paulo Padilha é gerente de captação na Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP


Versão para impressão


RODAPE