Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias WORKSHOP: Embrapa Soja e Academia Chinesa de Ciência discutem projetos de pesquisa para cultura da soja

 

 

cabecalho informe

WORKSHOP: Embrapa Soja e Academia Chinesa de Ciência discutem projetos de pesquisa para cultura da soja

workshop 21 03 2023A Embrapa Soja promoveu, em conjunto com a Academia Chinesa de Ciência/China Academy of Science - CAS, nessa segunda-feira (20/03), o Workshop de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em Sistemas Sustentáveis de Produção de Soja, na Embrapa Soja, em Londrina (PR). O memorando de entendimento entre a Embrapa e a instituição chinesa, assinado em 2020, entrará agora na fase de discussão de projetos de interesse comum para cooperação técnica em PD&I. Inicialmente as atividades deverão ser focadas em ações na área de biotecnologia para a cultura da soja em regiões tropicais.

Expansão - O chefe-geral da Embrapa Soja, Alexandre Nepomuceno reforça, no entanto, que os projetos poderão ser expandidos para outras áreas do conhecimento com o avanço e desenvolvimento da parceria. “Essa parceria irá possibilitar a troca de conhecimentos e até mesmo o intercâmbio de cientistas visitantes entre os países para desenvolvimento de projetos em conjunto para a cultura da soja”, diz. “Neste primeiro encontro, os cientistas chineses vieram conhecer o que estamos pesquisando e também apresentaram as ações de pesquisa que eles desenvolvem para avaliarmos os interesses em comum e assim o potencial de complementariedade e, portanto, do desenvolvimento das pesquisas em conjunto”, ressalta Nepomuceno.

Construção - Atualmente a China está construindo um laboratório no Sul do País, com foco em genética de soja, o     que revela o amplo domínio que tem nessa área. “Eles estão desenvolvendo tecnologias de ponta, a exemplo das técnicas de edição gênica e do sequenciamento de genoma da soja. A parceria será muito importante para o avanço da pesquisa brasileira e assim da concretização de ações de pesquisa em nosso país”, explica Nepomuceno.

Comitiva - A comitiva chinesa que esteve na Embrapa Soja era formada por sete pesquisadores de quatro instituições científicas e universidades chinesas, especialistas em genética de soja (Institute of Genetics and Developmental Biology, CAS; Institute of Genetics and Developmental Biology, CAS; University of Chinese Academy of Sciences). Os cientistas chineses foram recepcionados por Alexandre Nepomuceno, chefe-geral da Embrapa Soja, por Adeney Bueno, chefe de Pesquisa e Desenvolvimento, por Carina Gomes Rufino, chefe de Transferência de Tecnologias e por pesquisadores da Embrapa Soja de diferentes áreas de pesquisa.

Pesquisas conjuntas - A China tem grande interesse em parceria com o Brasil na área da soja, visto que nosso país é o seu principal fornecedor do grão, matéria prima para produção de ração animal. Cerca de 80% do total exportado pelo Brasil é destinado para a China, ou seja, aproximadamente 60 milhões de toneladas das 150 milhões de toneladas de soja produzidas na safra 2022/23. Segundo Weicai Yang, diretor do Instituto de Genética e Desenvolvimento Tecnológico da CAS, a parceria une esforços para produzir mais alimentos e de qualidade, garantindo a segurança alimentar no planeta. “Além disso, tanto o Brasil quanto a China têm uma comunidade científica forte e que pode trocar muita experiência, desenvolvendo tecnologias e promovendo avanços científicos de maneira mais rápida e eficiente, se trabalharem em conjunto”, ressalta Yang.

Parcerias - Durante o evento, o diretor de Ciência e Tecnologia, do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Roberto Moreira, teve a oportunidade de apresentar o ecossistema de inovação de Londrina (PR). “Apresentamos como nosso ambiente é favorável para o estabelecimento de parcerias, relatamos o potencial da cidade para pesquisas como essa sendo firmada com Embrapa, assim como nosso potencial em outras áreas. Consideramos extremamente relevante esse tipo de conexão, especialmente com China”, diz Moreira. A cidade possui três parques tecnológicos, duas incubadoras, 10 setores de governança, a exemplo do Agrovalley, mais de 250 startups e aproximadamente 1600 empresas na área de tecnologia da informação.

Programação técnica - A programação técnica contou com a apresentação do Banco Ativo de Germoplasma da Embrapa Soja, coleção de mais de 65 mil acessos (tipos) de soja e que guarda a variabilidade genética da soja. A partir dessa coleção, é possível a identificação de diferentes fontes de interesse para o desenvolvimento de cultivares de soja, a exemplo, de cultivares com maior sanidade, com melhor teor de óleo e mais tolerantes à seca, por exemplo. A apresentação foi feita pelos pesquisadores Carlos Arrabal Arias e Marcelo Fernandes.

Palestra - Também houve uma palestra relacionada à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Biotecnologia e Genética da Soja. Tema que foi apresentado pelas pesquisadoras Liliane Henning e Francismar Guimarães. Outro tema debatido no workshop foi relacionado às ações que vêm sendo realizadas para promover a descarbonização no processo de produção de soja, além da questão dos bioinsumos. Essas duas temáticas foram apresentadas pelo pesquisador Marco Antônio Nogueira.

Resultados - Marco Antonio Nogueira apresentou os principais resultados da fixação biológica no nitrogênio, tecnologia que permite ao Brasil economizar cerca de R$ 38 bilhões, por safra, ao dispensar o uso de adubos nitrogenados.

Discussão - Durante o workshop, também se promoveu uma discussão sobre o desenvolvimento conjunto entre as instituições brasileiras e chinesas para o estabelecimento de um centro de inovação em alimentos sustentáveis.

Visita ao Brasil - Depois da visita à Embrapa, os pesquisadores chineses visitarão a Cooperativa Coamo (21/03), em Campo Mourão (PR), a Embrapa Agrossilvipastoril (23/03), em Sinop (MT) e uma fazenda em Lucas do Rio Verde (MT) (24/03). (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

 

icone prcoop icone instagram icone facebook icone X icone linkedin icone youtube icone flickr icone endereco